Top PDF Desoneração da folha de pagamento: estudo de caso em uma obra de Campo Mourão

Desoneração da folha de pagamento: estudo de caso em uma obra de Campo Mourão

Desoneração da folha de pagamento: estudo de caso em uma obra de Campo Mourão

A Contribuição Previdenciária Patronal trata-se de uma medida provisória que tornou- se lei em 2011, sendo uma ferramenta do plano “Brasil Maior” do Governo Federal brasileiro para incentivar a competitividade do setor industrial do país. A lei retira o foco dos encargos trabalhistas do empregado e passa a enfocar a receita bruta empresarial. Um dos setores favorecidos com a opção de aderência a lei da desoneração da folha de pagamento, é o da construção civil. O presente estudo visa analisar como a desoneração da contribuição previdenciária patronal alteraria o resultado financeiro da construção de um bloco localizado na UTFPR de Campo Mourão. Tendo os dados investigados, a presente pesquisa representa atrativos em se aplicar ou não a lei da desoneração no setor de construção civil, apresentando cálculos necessários para análise de viabilidade econômica dentre as duas formas de recolhimento de encargos sociais.
Mostrar mais

35 Ler mais

Comparativo entre a contribuição dos recolhimentos da mão de obra na construção civil por meio do recolhimento na folha de pagamento e aferição indireta: estudo de caso em uma obra residencial

Comparativo entre a contribuição dos recolhimentos da mão de obra na construção civil por meio do recolhimento na folha de pagamento e aferição indireta: estudo de caso em uma obra residencial

Fundamentado em um estudo de caso, este trabalho buscou efetuar uma comparação entre os valores a serem recolhidos ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), por meio dos valores recolhidos em folha de pagamento dos funcionários e do método da aferição indireta. O objeto de estudo foi uma residência unifamiliar localizada na cidade de Toledo – Paraná, de padrão baixo, com área de 123,10m². O valor da contribuição da mão de obra no trabalho informal foi calculado baseado na Instrução Normativa da Receita Federal do Brasil (RFB), n° 971, que aplica um escalonamento em função da área construída e do Custo Unitário Básico (CUB) correspondente. Já o valor da mão de obra registrada foi determinado a partir das informações e documentos fornecidos pelo contratante dos serviços, como folha de pagamento dos funcionários e Guia da Previdência Social (GPS). Os resultados apontam que o valor a ser recolhido pela mão de obra registrada foi 2,72 vezes maior que o valor da contribuição no trabalho informal, calculado por meio da aferição indireta. Porém, também foi constatado que esse comportamento não é constante para qualquer obra. Por meio de simulações com residências com áreas construídas maiores, foi possível perceber que para obras semelhantes a do estudo de caso, com áreas acima de 350m², os valores recolhidos por meio da folha de pagamento passam a ser menores que os valores calculados com a aferição indireta. Com isso, fica evidenciada a necessidade de análise dos procedimentos utilizados pela RFB para cálculo das contribuições previdenciárias da mão de obra no setor da construção, de forma a incentivar a redução da informalidade e contribuir para o recolhimento de valores adequados para a previdência.
Mostrar mais

59 Ler mais

Desoneração de folha de pagamento: estudo de caso do impacto da opção em empresa do ramo de cessão e locação de mão-de-obra

Desoneração de folha de pagamento: estudo de caso do impacto da opção em empresa do ramo de cessão e locação de mão-de-obra

Instituído pelo Governo Federal, o Plano Brasil Maior criado com intúito de alavancar a economia, trouxe com ele a Desoneração da Folha de Pagamento, visando incentivar a competitividade das empresas. Esta pesquisa consiste na realização de um comparativo entre as formas de tributação do INSS Patronal, utilizando o método da pesquisa exploratória. Este estudo utiliza como base uma empresa real, que presta serviços de cessão e locação de mão-de-obra. No estudo aplicou-se o valor da alíquota mais alta da Lei 12.546/11, sob a receita total da mesma e comparou o INSS Patronal pago no ano calendário de 2017. Analisando os resultados, demonstraram que a desoneração é economicamente benéfica a empresa, por gerar vantagens competitivas e redução da carga tributária.
Mostrar mais

34 Ler mais

Desoneração da folha de pagamento : estudo de caso do impacto financeiro causado em uma empresa do setor de autopeças e uma empresa do setor de fundição

Desoneração da folha de pagamento : estudo de caso do impacto financeiro causado em uma empresa do setor de autopeças e uma empresa do setor de fundição

O presente trabalho de conclusão de curso visa demonstrar as mudanças na forma de recolhimento do INSS para Previdenciária Social. Com o objetivo de sustentar o crescimento econômico brasileiro, o governo federal criou o Plano Brasil Maior, que apresenta a desoneração da folha de pagamento como um meio de reduzir a carga tributária sobre a parte patronal. A Lei que desonera a folha de pagamento é a Lei 12.546/2011. A desoneração da folha de pagamento elimina o recolhimento da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre a folha de pagamento, e em substituição incidirá a contribuição previdenciária de 1% ou 2%sobre a receita bruta da empresa. Para alcance dos objetivos e para realização deste trabalho, efetuou-se estudos bibliográficos e estudo de caso em duas empresas no ramo da indústria, sendo a primeira denominada ALFA do setor de autopeças e a segunda denominada BETA do setor de fundição. No decorrer do trabalho é apresentada a forma de cálculo bem como a análise do impacto financeiro ocorrido pela desoneração da folha de pagamento utilizando as informações disponibilizadas pelas duas empresas, como valor da folha de pagamento, valor do faturamento, valor das exportações e as devoluções do período. Os resultados demonstram que a desoneração da folha pode ser um benefício e também uma desvantagem, dependendo da mão de obra braçal ou automatizada. A aplicação dos critérios para o estudo de caso permitiu concluir que a desoneração da folha de pagamento para, ambas as empresas, gerou uma economia e um impacto financeiro significativo.
Mostrar mais

86 Ler mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO: UM ESTUDO DE CASO APLICADO EM UMA EMPRESA DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO: UM ESTUDO DE CASO APLICADO EM UMA EMPRESA DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA

O presente trabalho aborda sobre a Lei n°. 12.546/11, que substitui a Contribuição Previdenciária Patronal pela nova Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta para alguns setores econômicos. Esta lei tem como finalidade proporcionar as empresas nacionais à redução dos custos, aumentar a atividade econômica e criar mais empregos. Com a Medida Provisória n°. 601/12 foi incluído o setor da construção civil, mas logo foi expirada a vigência, porém com Lei n°. 12.844/13 reintroduziu o setor. O objetivo desse estudo é analisar o custo versus o benefício relativo à desoneração da folha de pagamento no setor da construção civil no Município de Fortaleza. Para atingir a este objetivo, a tipologia metodológica utilizada foi um estudo de caso com característica descritiva e com natureza qualitativa. Concluiu-se que com a medida da desoneração da folha de pagamento a empresa estudada teve uma redução nos seus custos e o impacto financeiro foi positivo, portanto, o advento da Lei foi um beneficio para a construtora analisada.
Mostrar mais

21 Ler mais

Desoneração da folha de pagamento : estudo de caso do impacto financeiro causado em uma empresa do setor moveleiro e uma empresa do setor plástico

Desoneração da folha de pagamento : estudo de caso do impacto financeiro causado em uma empresa do setor moveleiro e uma empresa do setor plástico

3) a empresa Móveis Tremarin possui um volume maior de mão de obra braçal, por ser uma empresa moveleira que trabalha com móveis exclusivos. A S.A.S Plastic possui máquinas que contribuem para grande parte de sua produção, o que diminui seu valor de folha de pagamento. Dessa forma, com todos os dados apresentados, conclui-se que a desoneração depende de diversos fatores, a fim de obter uma análise financeira, quando há economia como nas duas empresas apresentadas no estudo de caso. A desoneração produz efeitos positivos, como é possível constatar quando há uma folha de pagamento elevada, um número maior de mão de obra braçal e um faturamento externo.
Mostrar mais

92 Ler mais

Repositório Institucional UFC: O impacto da desoneração da folha de pagamento na carga tributária de uma empresa de construção civil

Repositório Institucional UFC: O impacto da desoneração da folha de pagamento na carga tributária de uma empresa de construção civil

O presente estudo objetiva analisar as mudanças ocorridas na forma de recolhimento ao INSS da contribuição previdenciária, trazidas pela Lei Federal nº. 12.546/11, dando destaque a uma empresa do ramo da construção civil. A lei foi implantada como parte do programa “Brasil Maior” lançado pelo Governo Federal e tem a finalidade de fortalecer a economia nacional. A desoneração da folha de pagamento elimina a contribuição previdenciária patronal de 20% substituindo pela contribuição incidente sobre o faturamento. O objetivo desse trabalho é demonstrar se a desoneração da folha de pagamento realmente foi vantajosa para a empresa em estudo e se houve redução na sua carga tributária. Para alcançar esse objetivo, elaborou-se uma pesquisa descritiva e qualitativa, na qual os procedimentos utilizados foram um estudo bibliográfico, documental e um estudo de caso. O estudo mostrou que a desoneração da folha de pagamento foi favorável a empresa estudada, pois reduziu a sua carga tributária. A redução da carga tributária deveu-se principalmente ao elevado custo da mão de obra da empresa estudada, pois verificamos que quanto mais elevado o custo da mão de obra mais beneficiada com a desoneração a empresa será.
Mostrar mais

19 Ler mais

Desoneração da folha de pagamento: um estudo comparativo da contribuição previdenciária patronal

Desoneração da folha de pagamento: um estudo comparativo da contribuição previdenciária patronal

Resumo: O presente artigo tem como objetivo geral verificar se existe economia tributária após a utilização do sistema de desoneração da folha de pagamento, decorrente da aplicação da nova metodologia de cálculo sobre o INSS patronal após a vigência da Lei nº 12.546/2011. Esta lei disciplina a desoneração da referida contribuição e determina como as empresas abrangidas pela mesma passarão a calcular e recolher a contribuição patronal. Antes da desoneração as empresas recolhiam a título de INSS patronal com a aplicação do percentual de 20% sobre o valor total da remuneração sobre a folha de pagamento mensalmente, passando a recolher alíquotas de 1% ou 2% dependendo da sua atividade, aplicado sobre o valor do faturamento bruto mensal. Para atingir o objetivo proposto, utilizou-se a técnica de pesquisa exploratória de caráter qualitativo e, quanto aos procedimentos, foi realizado um estudo de caso aplicado em uma loja de departamento, sendo totalmente abrangida pela desoneração sob uma alíquota de 1%. Após a análise pode-se observar que a empresa auferiu economia tributaria, no valor de R$ 53.217,57, apresentando-se de forma positiva com a redução de custos empresariais.
Mostrar mais

24 Ler mais

Desoneração da folha de pagamento: impactos econômicos em uma indústria de Campina Grande - PB

Desoneração da folha de pagamento: impactos econômicos em uma indústria de Campina Grande - PB

O desenvolvimento econômico de uma empresa muitas vezes é afetado pela carga tributária, onde o ramo empresarial é acometido diariamente no Brasil. O presente estudo teve como objetivo principal demonstrar os impactos econômicos em uma indústria de Campina Grande - PB decorrentes da implantação da Desoneração da Folha de Pagamento. A sistemática de cálculo é uma das medidas tomadas pelo o Governo Federal, que impulsiona uma redução significativa nos custos das empresas. Ela beneficia as empresas na substituição da Contribuição Previdenciária Patronal (CPP) de 20% sobre o total da folha de pagamento de empregados, contribuintes individuais e trabalhadores avulsos pela Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB) com a aplicação da alíquota entre 1% ou 2%. A pesquisa foi feita no período de 2012 a 2015 considerando o início da vigência da Lei 12.546/11 para a indústria estudada que se deu a partir de julho de 2012. Para tanto, utilizou- se a técnica de pesquisa descritiva e exploratória, de caráter qualitativo e quantitativo e, quanto aos procedimentos, foi realizado um estudo de caso no período de 01/08/2016 a 08/08/2016, onde a empresa analisada tem como atividade principal a fabricação de máquinas e equipamentos agrícolas, totalmente abrangida pela Desoneração sob uma alíquota de 1%. Após a análise, os resultados apontam que houve sim uma economia para a indústria, no valor de R$ 564.751,95 nos quatro anos estudados, apresentando, neste caso uma redução nos custos de uma forma bastante positiva.
Mostrar mais

24 Ler mais

CARLOS ÁTILA MARQUES DUARTE DESONERAÇÃO TRIBUTÁRIA SOBRE FOLHA DE PAGAMENTO EM UMA EMPRESA DE MOAGEM DE TRIGO: ESTUDO APLICADO EM DOIS PRODUTOS

CARLOS ÁTILA MARQUES DUARTE DESONERAÇÃO TRIBUTÁRIA SOBRE FOLHA DE PAGAMENTO EM UMA EMPRESA DE MOAGEM DE TRIGO: ESTUDO APLICADO EM DOIS PRODUTOS

A desoneração da folha de pagamento é um tema atual que proporciona impactos financeiros na economia do país, possuindo uma grande relevância para a Previdência Social. O presente artigo aborda as mudanças que ocorreram nas empresas alcançadas pela Lei nº. 12.546/11 conhecida por “desoneração da folha de pagamento”, com finalidade de reduzir a carga tributária incidente sobre a folha de pagamento. Desta forma, o objetivo da pesquisa é apresentar os impactos causados na carga tributária pela implantação da desoneração da folha de pagamento, em uma empresa de moagem de trigo em Fortaleza/CE. A metodologia utilizada neste estudo de caso é qualitativa, bibliográfica e exploratória, no ano de 2014, comparando os valores com e sem desoneração sobre a folha de pagamento, evidenciando que não houve redução do valor da Previdência Social com a aplicabilidade da lei, quando aplicada em dois produtos de moagem de trigo, alcançados pela desoneração da folha de pagamento. O resultado apontou uma oneração de 4,34% ao invés de uma desoneração como proposto pelo Governo.
Mostrar mais

15 Ler mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO: UM ESTUDO MULTICASO DO IMPACTO FINANCEIRO DA CRIAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA TIAGO SOUSA DE ALENCAR

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO: UM ESTUDO MULTICASO DO IMPACTO FINANCEIRO DA CRIAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA TIAGO SOUSA DE ALENCAR

Os resultados obtidos com a pesquisa trarão grandes benefícios para a empresa que será estudada, pois ela poderá realizar um melhor planejamento tributário e adotar novas políticas, seja de contratações de funcionários ou de terceirização de mão de obra. Contudo fica claro que outras empresas do mesmo ramo de atividade ou até de outros ramos poderão utilizar o estudo como forma de pesquisa e aprimoramento dos seus planejamentos tributários e tomada de decisões.

17 Ler mais

Desoneração da folha de pagamento: impactos fiscais e econômicos de um hotel em Florianópolis

Desoneração da folha de pagamento: impactos fiscais e econômicos de um hotel em Florianópolis

A desoneração da folha de pagamento é a substituição da Contribuição Previdenciária Patronal de 20% sobre a folha de pagamento de alguns setores, para a aplicação de 1% ou 2% sobre a receita bruta. Essa carga tributária compromete uma parcela das receitas das empresas, ocasionando descontentamento dos empresários, em razão de esses recursos não retornarem satisfatoriamente ao negócio. Este estudo demonstra os impactos da Contribuição Previdenciária Patronal, a partir da competência 12/2011 vigência da desoneração da folha de pagamento. Numa esfera mais específica, demonstra o impacto dos tributos sobre a folha de pagamento e, ainda, verifica a aplicabilidade do programa Brasil Maior, lançado pelo Governo Federal, o qual altera, por meio da desoneração da folha de pagamento, a forma de cálculo de tais contribuições, baseado na aplicação da desoneração. Configura-se como estudo descritivo, com lógica indutiva, de abordagem qualitativa e inclui um estudo de caso realizado em um hotel da Grande Florianópolis. Os resultados apontam que ocorre a desoneração quanto ao Plano Brasil Maior. Verificou-se que as metas foram alcançadas, pois se identificou um crescimento de 10% no número de empregados, uma redução dos custos laborais (redução da Contribuição Previdenciária Patronal) e o fortalecimento do mercado interno. Portanto, no debate em torno da desoneração da folha de pagamento, observam-se aspectos positivos nessa opção legislativa.
Mostrar mais

13 Ler mais

A desoneração da folha de pagamento em uma indústria automotiva e seu impacto nos custos dos produtos

A desoneração da folha de pagamento em uma indústria automotiva e seu impacto nos custos dos produtos

No caso da empresa objeto do estudo, em que teve a sua folha totalmente desonerada em troca de uma tributação de 1% sobre faturamento, pode-se afirmar que se o custo de toda a folha de pagamento, que serve de base para recolhimento de INSS (incluindo a parcela da área administrativa e comercial) for igual a 5% do total do faturamento, não ocorrerá nenhuma alteração no custo final do INSS. Já se ela representar mais que 5%, então terá um ganho e se for menor, vai representar um custo adicional. Isso ocorre pelo fato de que o INSS sobre a folha é de 20% e sobre o faturamento é 1%, ou seja, aplicando 20% (alíquota do INSS da folha) sobre 5% (parcela do faturamento que corresponde a folha) resulta de forma indireta em 1% sobre o total faturamento.
Mostrar mais

59 Ler mais

Desoneração da folha de pagamento : os impactos causados no custo com pessoal

Desoneração da folha de pagamento : os impactos causados no custo com pessoal

A Desoneração da Folha de Pagamento surgiu a partir da Lei 12.546/2011, através de um pacote de incentivos a empresa, oferecido pelo governo. Ela altera a contribuição patronal, ou seja, o INSS Patronal, cuja alíquota é de 20% sobre os salários, para 1% ou 2% do faturamento das empresas que possuem suas NCM elencadas na Lei 12.546/2011, ou seja, algumas empresas podem ser totalmente desoneradas, enquanto outras serão parcialmente. A desoneração também exclui as exportações da receita bruta ou faturamento, isentando-as. Essa pesquisa busca responder a seguinte pergunta: Qual o impacto no custo com pessoal, após a desoneração da folha de pagamento, em uma empresa totalmente e outra parcialmente desonerada? Para responder esta questão, foi feita uma pesquisa bibliográfica sobre as contribuições incidentes sobre a folha de pagamento cuja competência pelo recolhimento é da empresa e também as definições de custos diretos, indiretos, fixos e variáveis, bem como a mão de obra direta e indireta e a importância dos custos na tomada de decisões. Por fim foi feito o estudo de caso com planilhas demonstrativas dos impactos que a desoneração causou no custo com pessoal, a economia obtida por elas, o resultado líquido referente ao período analisado de ambas as empresas e também uma projeção de aumento de faturamento, para mostrar ao gestor as possibilidades existentes para controlar custos e tomar decisões. Conclui-se que se a empresa possuir um controle de custos saberá como se manter no mercado e como trabalhar com os impactos gerados através da desoneração da folha de pagamento na tomada de decisões futuras.
Mostrar mais

103 Ler mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO: lei n. 13.161/2015 pode trazer economia tributária

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO: lei n. 13.161/2015 pode trazer economia tributária

Visando fortalecer a indústria nacional, acelerar o crescimento dos investimento produtivos, estimular as contratações de novos empregados e aumentar a competividade foi criada a desoneração da folha de pagamento em 2011. Porem em 31 de agosto de 2015 através da Lei n. 13.161, houve alterações na proposta inicial, majorando as alíquotas de recolhimento e além disso tornando facultativo a desoneração para as empresas relacionadas na referida lei. Dessa forma, faz-se um estudo tributário em relação a contribuição previdenciária, com o objetivo de descobrir quais os efeitos causados por não optar pela desoneração da folha de pagamento, atitude essa tomada pela empresa no início do ano de 2016. Para isso foi feito uma pesquisa aplicada, ou seja, um estudo de caso com uma empresa do ramos de construção civil, estabelecida no município de Alta Floresta-MT. Os resultados trouxeram surpresa ao descobrir que ao optar por pagar a previdência pela folha de pagamento, a empresa obteve uma economia tributaria em relação a desoneração da folha de pagamento.
Mostrar mais

12 Ler mais

Desoneração da folha: renúncia revisitada

Desoneração da folha: renúncia revisitada

Não custa recordar também que a política de desoneração salarial foi idealizada para ser uma forma setorialmente focalizada para induzir aumento de competitividade. Para tanto, o governo alterou a base de cálculo (da folha para faturamento líquido de exportações) e reduziu a alíquota (de 20% para 1%) da contribuição dos empregadores para a previdência social. Inicialmente, o foco eram as atividades intensivas em mão de obra e mais expostas à concorrência internacional (como vestuário, têxtil e calçados). Isso foi abandonado com sucessivas ampliações da lista de atividades, e passou a ser um objetivo genérico de aumentar emprego e produção.
Mostrar mais

22 Ler mais

Desoneração da folha, INSS e competitividade

Desoneração da folha, INSS e competitividade

A proposta da CNS combateria a sonegação que ocorre com a contribuição previdenciária e o INSS se livraria de uma fonte de receita volátil às crises econômicas como é o caso da folha de pagamentos. Quanto ao impacto nos custos, o projeto da CNS reduziria expressivamente a carga tributária sobre os preços. O ônus médio atual de 13,8 porcento, imposto pelo INSS patronal, cairia para 1,8 porcento. Ou seja, a produção nacional se tornaria mais competitiva. O projeto da CNS faz convergir os interesses do governo, do setor produtivo e dos beneficiários da Previdência. É uma proposta que permite ganhos para todos.
Mostrar mais

1 Ler mais

Planejamento de canteiro de obras: estudo de caso no município de Campo Mourão-PR

Planejamento de canteiro de obras: estudo de caso no município de Campo Mourão-PR

Algumas dicas simples de quem tem experiência fazem evitar desperdícios que, às vezes, são imperceptíveis para o proprietário. A primeira é recolher a areia e pedra que podem ser carregadas por chuva forte. A segunda dica é recolher ade- quadamente tijolos. Além de evitar a ação de vândalos, as pilhas recolhidas podem ser colocadas mais próximas do uso. “Ganha tempo e evita desperdício.” A terceira dica é ter um depósito para materiais para com a chegada de cimento e cal sejam protegidos e evite furtos de produtos da construção. A quarta dica é para controlar o uso do material, tendo uma pasta para guardar as notas fiscais e que se possa con- ferir pelo menos duas vezes por semana. Junto com a pasta, ter um caderno para anotar as despesas para que a obra não fuja do orçamento previsto.
Mostrar mais

89 Ler mais

A REVERSÃO DA DESONERAÇÃO DA FOLHA DE SALÁRIOS

A REVERSÃO DA DESONERAÇÃO DA FOLHA DE SALÁRIOS

A redução drástica do número de contribuintes é, provavelmente, o retrato dessa nova realidade. Mesmo podendo optar (a menos que tenham sido incompetentes em suas projeções), o mais impressionante nos dados da RFB está na descoberta de que o pagamento realizado sobre receita se comportou inegável e visivelmente melhor do que teria sido contribuir sobre a folha. Ainda que haja renúncia, que se recolha efetivamente menos sobre a receita do que se contribuiria sobre a folha, a distância entre os dois montantes vem se reduzindo progressiva e sensivelmente. Cada vez menos contribuintes optaram por recolher sobre receita e optaram por voltar à folha e, no caso dos que ficaram na base nova, arrecadaram menos, porém teriam pago menos ainda se tivesse voltado para a antiga base.
Mostrar mais

26 Ler mais

folha de pagamento s  Sala dos Estudantes folha de pagamento

folha de pagamento s Sala dos Estudantes folha de pagamento

Mensalmente, as empresas necessitam preparar a folha de pagamento de salários dos seus empregados. Dessa forma, é necessária a contabilização da remuneração dos empregados, bem como o registro das contribuições e/ou impostos devidos, tanto por empregados quanto por empregadores, aos cofres públicos.

5 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados