Top PDF Determinação da absorção de água em carcaças condicionais de frangos em sistema de resfriamento por imersão

Determinação da absorção de água em carcaças condicionais de frangos em sistema de resfriamento por imersão

Determinação da absorção de água em carcaças condicionais de frangos em sistema de resfriamento por imersão

Com o aumento do consumo de carne de frango pelos brasileiros preza-se cada vez mais pela sua qualidade e otimização dos processos na indústria. A alta absorção de água pelas carcaças durante a fase de pré-resfriamento, fez com que os órgãos fiscalizadores a partir da Portaria 210/98 e IN 34/10, regulamentassem os métodos de inspeção e os limites para absorção de água pelas carcaças. Tendo em vista a exposição e altas taxas de absorção que as carcaças condicionais apresentam, este trabalho visa determinar a absorção destas carcaças considerando os principais fatores e cortes que afetam a absorção de água. Foram coletados dados de umidade, proteína e relação umidade x proteína de carcaças abatidas durante todo o ano de 2013 e foi determinada a absorção das carcaças condicionais submetidas às etapas de pré-chiller e chiller e submetidas apenas ao chiller de carcaças. Os valores de umidade para todos os cortes permaneceram próximos ao limite sendo 72,2%±0,68 para coxa, 70,47%±0,43 para sobrecoxa e 74,93%±0,61 para peito. Todas as carcaças apresentaram absorção superior quando encaminhadas ao pré-chiller e chiller, comparando às absorções apenas para quando enviadas ao chiller. Carcaças sem asa e coxa apresentaram a maior absorção de água possivelmente devido à exposição do músculo do peito. Porém, quando submetidas apenas ao resfriamento em chiller, as carcaças apresentaram redução no teor de absorção de água, porém as temperaturas apresentaram-se próximas ao limite estabelecido pela legislação. Evidencia-se assim, a necessidade de destinar as carcaças condicionais à um chiller próprio favorável às suas características.
Mostrar mais

27 Ler mais

Avaliação microbiológica de carcaças de frango e água em um sistema de pré-resfriamento por imersão em 8 horas e 16 horas

Avaliação microbiológica de carcaças de frango e água em um sistema de pré-resfriamento por imersão em 8 horas e 16 horas

Desde 2004 o Brasil é o líder nas exportações de carne de frango. Dada a importância deste setor na economia brasileira, é fundamental garantir a inocuidade desse alimento, através do controle e monitoramento das etapas de produção suscetíveis à contaminação, como o pré-resfriamento. O presente trabalho objetivou avaliar as alterações da carga microbiana nas carcaças de frango e na água residente do chiller em um sistema de pré-resfriamento por imersão em água após 8 horas e 16 horas de processamento industrial, e embasar discussão sobre a determinação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de esvaziamento completo, limpeza e desinfecção de cada tanque desse sistema ao final de cada 8 horas. Foram colhidas para as análises, carcaças antes e após o pré-resfriamento (mesófilos, Enterobacteriaceae, coliformes a 35°C e E. coli), além de amostras de água tratada usada no abastecimento do sistema e de água residente do chiller (mesófilos, coliformes a 35°C e E. coli). Foram colhidas amostras (carcaças e água) ao final de 8 horas e de 16 horas de trabalho. Os resultados obtidos não justificam a determinação de se esvaziar o chiller após 8 horas, podendo esse período ser prolongado para 16 horas, já que todas as análises microbiológicas, tanto das carcaças quanto da água, mostraram não haver diferença estatística significativa nas contagens dos indicadores microbiológicos avaliados. Tais dados conferem um suporte técnico-científico para discussão sobre alteração da legislação federal no tocante à etapa de pré- resfriamento por imersão de carcaças de frangos em água.
Mostrar mais

61 Ler mais

Aspectos do resfriamento de carcaças de frango na indústria : uma revisão

Aspectos do resfriamento de carcaças de frango na indústria : uma revisão

O sistema de pré-resfriamento por imersão em água é o método eleito pela maioria das industrias brasileiras, pois além dos benefícios já citados, é o método mais rápido de abaixamento de temperatura das carcaças de frango se comparado aos outros sistemas existentes. Todavia para o sucesso dessa etapa, é necessário a implantação de monitoramento e controle das taxas de absorção de água pelas carcaças. O teste de absorção e o dripping test são os métodos de controle regulamentado pelo MAPA para quantificar o teor de água absorvido pelas aves durante o procedimento de imersão. A realização desses métodos, também conhecidos como método do controle interno e método do gotejamento, respectivamente, é obrigatória, uma vez que valores superiores ao permitido pela legislação podem ser indicativos de fraude. De tal maneira, o controle dos parâmetros que influenciam na eficiência do sistema de resfriamento é essencial para a obtenção e manutenção da qualidade dos produtos a serem comercializados.
Mostrar mais

42 Ler mais

Comparação da carga microbiana e mapeamento de salmonelas (PCR) em águas de pré-resfriamento por imersão e carcaças de frangos em diferentes jornadas de trabalho

Comparação da carga microbiana e mapeamento de salmonelas (PCR) em águas de pré-resfriamento por imersão e carcaças de frangos em diferentes jornadas de trabalho

O jejum (retirada da ração) das aves e a dieta hídrica (água a vontade) são necessários para limpar o trato digestivo das aves. Previnem a ruptura do sistema gastrointestinal e possíveis contaminações nas carcaças. O jejum é iniciado através da interrupção do fornecimento de ração. O tempo ideal do jejum é de 8 a 12 horas antes do abate (VEERKAMP, 1992). Períodos superiores a doze horas podem levar a ocorrências fisiológicas indesejáveis que comprometem a qualidade da carne. Os problemas mais comuns são: (1) rompimento do intestino devido acúmulo de gases e a redução de sua espessura; (2) contaminação com bile, devido acúmulo de bile na vesícula biliar, a qual pode romper e contaminar a carcaça; (3) endurecimento do tecido de revestimento das moelas e aderência do papo a carcaça, em razão da desidratação da ave.
Mostrar mais

129 Ler mais

Controle estatístico de processo aplicado no monitoramento da absorção de água por carcaças de frango durante a etapa de pré-resfriamento

Controle estatístico de processo aplicado no monitoramento da absorção de água por carcaças de frango durante a etapa de pré-resfriamento

Em geral, no processamento industrial de abate dos frangos são realizadas as seguintes etapas: recepção, pesagem, insensibilização, abate, sangria, escaldagem, depenagem, evisceração, lavagem, pré-resfriamento, gotejamento e congelamento. O pré-resfriamento é uma etapa crítica para a conservação das carcaças, sendo realizada a redução da sua temperatura inicial de, aproximadamente, 38 °C para 4 °C. Assim, é garantida a obtenção de um produto seguro do ponto de vista microbiológico e a manutenção da qualidade do produto final. No Brasil, o método de pré-resfriamento mais empregado é a imersão em água em resfriadores contínuos tipo rosca sem fim, denominado chillers (CARCIOFI e LAURINDO, 2007).
Mostrar mais

74 Ler mais

Resfriamento de carcaças de frango por imersão em água e ar forçado

Resfriamento de carcaças de frango por imersão em água e ar forçado

Figura 2.1 - Imagem de um chiller. ....................................................... 35 Figura 2.2 - Imagem de um processo de resfriamento por ar forçado em câmara fria. ............................................................................................ 39 Figura 2.3 - Imagem de um processo de resfriamento combinado. ....... 42 Figura 2.4 - Mudanças estruturais que ocorrem no músculo bovino após a morte animal. a) Músculo vivo ou imediatamente após o abate; b) Músculo de 4 a 6 horas post mortem; c) Músculo em rigor mortis. ...... 47 Figura 2.5 – Modelo físico para o mecanismo de absorção de água por carcaças de frangos. (a) Primeiro passo da absorção de água, controlada através de mecanismo hidrodinâmico; (b) Segundo passo da absorção de água, quando há migração interna da água absorvida (mecanismo pseudo-difusivo). ................................................................................... 48 Figura 3.1 - Aparato experimental especialmente desenvolvido e construído para o estudo do processo de resfriamento deste trabalho. (a) Vista frontal; (b) Vista superior............................................................. 50 Figura 3.2 - Montagem experimental usada para estudar o processo de resfriamento por ar forçado de uma esfera. (a) Vista superior; (b) Representação esquemática do posicionamento dos termopares na esfera coberta com tecido de algodão. ............................................................. 53 Figura 3.3 - Diagrama geral das etapas realizadas nos ensaios de resfriamento por ar forçado de uma esfera modelo. .............................. 59 Figura 3.4 - Diagrama experimental dos processos de resfriamento de carcaças de frango avaliados neste trabalho. ......................................... 61 Figura 3.5 - Imagens de luz visível do corte feito na carcaças de frango. a) Vista frontal; b) Vista lateral; c) Vista superior. ............................... 65 Figura 4.1 – (a) Exemplo ilustrativo de seis experimentos da evolução temporal das temperaturas centrais da esfera (T Al ) descoberta, coberta
Mostrar mais

119 Ler mais

Caracterização microbiológica de carcaças de frangos de corte produzidas no estado de Minas Gerais

Caracterização microbiológica de carcaças de frangos de corte produzidas no estado de Minas Gerais

A incidência de microrganismos na carne de frangos de corte varia de acordo com as condições de manejo durante a criação dos animais e com os cuidados higiênico-sanitários nas operações de abate e manipulação das carcaças, e estão diretamente relacionados à segurança alimentar e à vida de prateleira do produto. Os microrganismos encontrados nas carcaças são provenientes da pele e das penas das aves vivas, das vias respiratórias, do trato intestinal desses animais e do ambiente de processamento na indústria. O trato intestinal das aves, especialmente de galinhas e perus, é um dos principais reservatórios naturais de microrganismos patogênicos como Salmonella spp. e Campylobacter spp. Porém, além desses, outras bactérias mesófilas, responsáveis por toxinfecções alimentares, como Escherichia coli entero-hemorrágica, Staphylococcus aureus e Listeria monocytogenes, também podem ser isoladas da carne de aves (Oliveira et al., 2011).
Mostrar mais

5 Ler mais

Efeito da Suplementação de Metionina Sobre o Desempenho e a Avaliação de Carcaças de Frangos de Corte.

Efeito da Suplementação de Metionina Sobre o Desempenho e a Avaliação de Carcaças de Frangos de Corte.

Um exp erim en t o f o i co n d u zid o p ara avaliar o s ef eit o s d a suplementação de metionina em dietas de crescimento (22 a 42 dias de idade) sobre o desempenho, rendimento e composição química da carcaça de frangos de corte. Foram utilizados 2000 frangos de corte da linhagem comercial Ross, sexados, distribuídos em um delineamento ao acaso, em esquema fatorial 2 x 5 (sexo e níveis de metionina) com quatro repetições de 50 aves cada. As dietas foram formuladas para conter 100% ,110% , 120% , 130% e 140% dos níveis de metionina recomendados pelo NRC (1994). Aos 42 dias de idade, as aves foram abatidas para avaliar a quantidade de gordura abdominal, bem como o rendimento e a composição química da carcaça. Ao aumentar o nível de metionina da dieta, não houve efeito (p> 0,05) sobre o ganho de peso, consumo de ração, conversão alimentar, mortalidade, gordura abdominal, e rendimento de carcaça, bem como, umidade, proteína, gordura e cinzas do peito e pernas. Não foi verificado efeito (p>0,05) de int eração ent re nível de m et ionina e sexo, m as as f êm eas apresentaram maior percentual de gordura abdominal (p<0,05) que os machos. Como o nível de met ionina não af et ou o desempenho, rendiment o e composição química da carcaça, concluiu-se que a recomendação sugerida pelo NRC (1994) de 0,38% para frangos de corte no período de 22 a 42 dias de idade está adequada.
Mostrar mais

9 Ler mais

Imersão em água fria para o manejo da hipertermia severa.

Imersão em água fria para o manejo da hipertermia severa.

A utilização da imersão em água fria nos minutos iniciais pós-hi- pertemia induzida pelo esforço físico parece a melhor recomendação para o controle deste agravo em saúde, por permitir, de forma eficien- te, a redução do tempo no qual a temperatura central permanece elevada. Em atividades físicas e condições ambientais nas quais os indivíduos estão mais suscetíveis ao acometimento da hipertermia severa, a manutenção de infraestrutura necessária para a realização desse procedimento deve ser considerada. No treinamento e na com- petição onde há a possibilidade de medida da temperatura interna, o procedimento poderá ser mantido até o alcance de Tre de 38 0 C,
Mostrar mais

5 Ler mais

Desempenho de um sistema de refrigeração por absorção de brometo de lítio-água utilizando aquecimento solar

Desempenho de um sistema de refrigeração por absorção de brometo de lítio-água utilizando aquecimento solar

As temperaturas de geração, durante o período de insola ção, encontram-se em níveis mais baixos quando comparadas com a perf o r m a n c e obtida para o mesmo sistema sem acumulação, conforme mostrado na figura 18. Observa-se também que a curva não é mais s imétrica em torno do eixo das 1 2 : 0 0 horas. Os dois efeitos obser vados são decorrência da variação e dos valores menores da concen tração de LiBr na solução que alimenta o gerador. À medida que a geração se torna mais efetiva, esta concentração tende a aumentar e com isto temperaturas de geração mais altas tendem a ocorrer e o efeito persiste até que a temperatura de geração decline devido a redução de insolação sobre os coletores. Desta forma o ponto de máximo da curva foi deslocado para direita do eixo das 1 2 : 0 0 h o ­ ras .
Mostrar mais

96 Ler mais

Dose-resposta da imersão em água fria na recuperação do sistema nervoso autônomo pós-exercício

Dose-resposta da imersão em água fria na recuperação do sistema nervoso autônomo pós-exercício

Introdução: A imersão em água fria (IAF) tem sido utilizada substancialmente na recuperação pós-exercício. Entretanto, existem ainda lacunas no conhecimento sobre sua utilização na recuperação do sistema nervoso autônomo, sobretudo na questão dose-resposta. Objetivos: Analisar e comparar os efeitos da IAF durante a recuperação pós-exercício, a partir de diferentes tempos e temperaturas, sobre índices da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Método: 96 participantes, divididos aleatoriamente em cinco grupos (GC: controle; G1: 5’ a 9±1°C; G2: 5’ a 14±1ºC; G3: 15’ a 9±1°C; G4: 15’ a 14±1°C), realizaram um programa de saltos e o teste de Wingate e imediatamente após, foram imersos em um tanque com água fria até a altura da espinha ilíaca ântero-superior, de acordo com as característica de cada grupo. Análises foram realizadas antes (basal), durante a intervenção recuperativa (intervenção) e em 20, 30, 40, 50 e 60 minutos após o exercício (T20, T30, T40, T50 e T60). Foram avaliados os índices Mean RR, SDNN, RMSSD, VLF, LF, HF, SD1 e SD2 da VFC. Os dados foram analisados por meio do teste Kolmogorov-Smirnov para checar sua normalidade. Na comparação dentro de cada grupo entre os momentos basal vs Intervenção realizou-se o teste de Wilcoxon com dados pareados e entre o momento basal vs T20, T30, T40, T50 e T60 utilizou-se o teste de Friedman, complementado com o teste de Dunn. Para a comparação entre os grupos (GC vs G1 vs G2 vs G3 vs G4) utilizou-se o teste de Kruskal-Wallis, complementada com o teste de Dunn. Considerou-se o nível de significância em p<0,05. Resultados: observou-se que nos índices RR Mean, SDNN, VLF, LF e SD2 parece haver antecipação da recuperação entre 10 e 20 minutos após aplicação da IAF. Pôde-se observar ainda que G4 apresentou valores estatisticamente superiores quando comparado ao GC, sugerindo melhor estratégia no processo de recuperação pós-exercício, utilizando a IAF. Conclusões: Caso o objetivo do processo de recuperação aborde a restauração do balanço simpato- vagal, sugere-se a técnica com ênfase em 15 minutos a 14ºC.
Mostrar mais

77 Ler mais

Compostagem dos resíduos da produção avícola: cama de frangos e carcaças de aves.

Compostagem dos resíduos da produção avícola: cama de frangos e carcaças de aves.

Esse sistema de reciclagem dos nutrientes é uma forma de acelerar a decomposição da matéria orgânica em relação ao que ocorreria no meio ambiente, melhorando as condições de atividade dos microrganismos (bactérias e fungos). Nesse processo, ocorre intensa proliferação de microrganismos, o que provoca aumento brusco na temperatura (fase termofílica), que possui alto poder de destruir patógenos e sementes de plantas daninhas (ORRICO JÚNIOR et al., 2009). Os sólidos biodegradáveis da matéria orgânica são convertidos para um estado estável que pode ser manejado, estocado e aplicado como adubo orgânico, sem efeitos nocivos ao meio ambiente, desde que utilizado na dosagem adequada (ORRICO et al., 2007).
Mostrar mais

8 Ler mais

Análise do desempenho de um sistema de resfriamento evaporativo e sua utilização integrada a um sistema de resfriamento convencional

Análise do desempenho de um sistema de resfriamento evaporativo e sua utilização integrada a um sistema de resfriamento convencional

Observa–se que em uma temperatura maior pode haver uma maior quantidade de vapor de água, diferentemente de um ar frio que tende a ser seco com a temperatura menor, chegando a uma porcentagem de umidade relativa de 0%. A porcentagem da umidade relativa do ar pode influir de maneira negativa na sensação térmica, já que em um ambiente quente, se os valores da umidade relativa são altos, impedem que o corpo humano perca calor por evaporação, ou seja, pelo suor, por outro lado se a umidade for muito baixa, o organismo pode desidratar. Por isso estudos indicam que a umidade relativa deve estar entre 30 e 70% para temperaturas entre 15°C e 30°C (Simancas Yovane, Kátia, 2003).
Mostrar mais

131 Ler mais

Desenvolvimento de uma torre automatizada para o resfriamento de água

Desenvolvimento de uma torre automatizada para o resfriamento de água

O presente trabalho refere-se ao desenvolvimento e montagem de uma bancada acadêmica, a qual representa um sistema em malha fechada que simula uma torre de resfriamento de água automatizada. Apresenta-se um levantamento bibliográfico para embasamento teórico-conceitual, o qual consiste nos princípio de funcionamento dos dispositivos utilizados, como motores elétricos, sensores e atuadores, inversores de frequência, controlador lógico programável e sistema de supervisão. A programação do controlador lógico programável e dos inversores gerencia um sistema de controle automatizado e a modelagem do sistema supervisório da interface humano-máquina, tem como prioridade sua fácil utilização. O resultado obtido foi um protótipo de uma bancada acadêmica que monitora e controla automaticamente a temperatura da água estabelecida pelo usuário.
Mostrar mais

72 Ler mais

Biodigestão anaeróbia dos resíduos da produção avícola: cama de frangos e carcaças.

Biodigestão anaeróbia dos resíduos da produção avícola: cama de frangos e carcaças.

O período de pré-compostagem é uma fase que antecede à compostagem propriamente dita e é aplicada apenas quando se pretende compostar animais mortos. Essa fase é necessária para que ocorra uma decomposição prévia das aves, restando apenas partes de difícil degradação (bicos, ossos e penas, principalmente), facilitando assim o manejo do material, proporcionando melhor uniformidade e evitando sua exposição ao meio ambiente e a predadores. Essa fase foi realizada em uma composteira com paredes de blocos e piso de concreto, e dimensões de: 0,41 m de profundidade, 1,48 m de largura e 6,5 m de comprimento, com cobertura de lona plástica, sustentada por arcos semicirculares de ferro em toda a extensão, para evitar a entrada de água da chuva. A disposição dos resíduos na composteira foi em camadas alternadas de cama de frango e aves mortas, de forma que a primeira e a última camadas foram obrigatoriamente de cama de frangos. A proporção utilizada foi de três quilogramas de cama para cada quilograma de ave e adequando à umidade entre 40 e 60%.
Mostrar mais

9 Ler mais

Estudo do pré-resfriamento industrial de carcaças de aves usando métodos multivariados lineares e não-lineares

Estudo do pré-resfriamento industrial de carcaças de aves usando métodos multivariados lineares e não-lineares

A correlação existente entre as variáveis do processo de pré- resfriamento foi avaliada usando a análise de componentes principais (ACP). O biplot para as componentes 1 e 2 está apresentado na (Figura 7). Na Figura 7 observa-se uma clara separação das amostras provenientes de cada linha de pré-resfriamento ao longo da primeira componente principal (CP1) que contêm 21,34% da variância dos dados. No Apêndice a Figura A2 mostra o gráfico tridimensional dos escores. Martins et al. (2011) ao estudarem a modelagem da absorção de água em carcaças de frango durante o pré-resfriamento por imersão utilizaram a ACP na redução das variáveis de entrada para aplicação em ANN, onde com as primeiras 10 CPs (25 CPs ao total) obtiveram 89,5% da variância. Para os dados coletados nesse estudo seriam necessárias 10 CPs para representar 95% da variância dos dados (Apêndice – Figura 1A). Considerando que foram avaliadas 19 variáveis na ACP, a redução de dimensionalidade não foi muito significativa.
Mostrar mais

58 Ler mais

Casca de arroz e palhada da soja como substrato para compostagem de carcaças de frangos de corte.

Casca de arroz e palhada da soja como substrato para compostagem de carcaças de frangos de corte.

Uma das alternativas para o destino das carcaças, considerada econômica e ambientalmente aceitável, tem sido a compostagem (MACSAFEY et al., 1992), um processo natural de decomposição da matéria orgânica realizada por bactérias e fungos que transformam as carcaças em um produto útil, o composto. Para a compostagem pode-se utilizar como material aerador e fonte de carbono os substratos das camas de aves, como a maravalha, as palhadas, entre outros (Figura 1). A cama de aves tem uma relação carbono/nitrogênio próxima à ideal para compostagem (em torno de 30:1) e pode servir como substrato para compostagem de carcaças, quando se adiciona umidade suficiente para ativá-la. Assim, possibilita condições para a decomposição das carcaças de aves, reduzindo o volume de resíduos e produzindo um composto que pode ser utilizado como adubo (RYNK, 1992). Na compostagem, fatores como umidade, temperatura, relação C/N e os resíduos orgânicos
Mostrar mais

8 Ler mais

Líquido amniótico, atividade física e imersão em água na gestação.

Líquido amniótico, atividade física e imersão em água na gestação.

estudaram gestantes com tampões vaginais e obser- varam que, após a imersão, esses tampões conti- nuaram secos, desmistificando esse conceito cor- rente na época. Os potencias danos fetais seriam conseqüentes ao aumento da temperatura corporal materna durante os exercícios em piscina aquecida e a redistribuição do volume sangüíneo para os músculos, roubando assim volume do território uterino e podendo também estar relacionado às mudanças dos batimentos cardíacos fetais (BCF). mulheres infundidas, com média de 20,5 dias para

8 Ler mais

Luminosidade e imersão em água na aclimatização intermediária de Dendrobium phalaenopsis.

Luminosidade e imersão em água na aclimatização intermediária de Dendrobium phalaenopsis.

Dendrobium phalaenopsis é uma orquídea ornamental que apresenta boa porcentagem de germinação e desenvolvimento em meio assimbiótico. Entretanto, a sua aclimatização ex vitro ainda requer estudos, pois, muitas vezes ocasiona a desidratação das plan- tas, prejudicando seu crescimento e desenvolvimento. Objetivou-se com este trabalho, estudar o efeito conjunto do período de imersão de plantas D. phalaenopsis em água destilada e de duas condições de luminosidade em sua aclimatização intermediária. Plantas foram dividas em conjuntos de 40, sendo submetidos à imersão em água por 0; 12; 24; 36; 48; 60; 72 ou 84 horas. Após cada período de imersão as plantas foram transplantadas para recipientes contendo o substrato de plantio e posteriormente alocadas em sala de crescimento para a aclimatização intermediária por 30 dias, sendo que, um conjunto de 20 plantas de cada período (incluindo o controle) permaneceu sob luz fluorescente branca (18,9 µmol/m 2 /s) e as outras 20 plantas, per-
Mostrar mais

6 Ler mais

Determinação da distribuição de água no resfriamento secundário do lingotamento contínuo da Vallourec Tubos do Brasil e de seus efeitos sobre o comportamento térmico do aço

Determinação da distribuição de água no resfriamento secundário do lingotamento contínuo da Vallourec Tubos do Brasil e de seus efeitos sobre o comportamento térmico do aço

Os resultados apresentados mostram que as abordagens de distribuição uniforme e não-uniforme de água no modelamento matemático da transferência de calor no lingotamento contínuo geram resultados muito distintos de fluxo de calor e temperatura superficial, e que as diferenças nos resultados são acentuadas à medida que a velocidade de lingotamento aumenta. Os erros gerados pela abordagem de distribuição uniforme de água podem aumentar a magnitude dos efeitos da variação de temperatura superficial, pois as temperaturas superficiais previstas por essa abordagem são superiores àquelas previstas pela abordagem de distribuição não- uniforme e, assim, existe a possibilidade do uso excessivo de água no resfriamento, o que provocaria maiores distorções no campo de distribuição de temperatura superficial. A abordagem de distribuição uniforme permite realizar uma representação geral das condições operacionais do lingotamento contínuo, mas a abordagem de distribuição não-uniforme de água é capaz de identificar fenômenos localizados.
Mostrar mais

235 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados