Top PDF Determinação da equação de chuvas intensas para o município de Toledo / PR

Determinação da equação de chuvas intensas para o município de Toledo / PR

Determinação da equação de chuvas intensas para o município de Toledo / PR

Por meio das precipitações intensas, que relacionam a intensidade, duração e a frequência de chuvas, se torna possível analisar as questões voltadas às obras hidráulicas, por intermédio de uma equação característica para a localidade em questão. O objetivo do presente trabalho foi determinar os parâmetros das equações de chuvas intensas para as estações pluviométricas de Toledo/PR. Foi utilizada uma série histórica dos registros pluviométricos de precipitação coletados de 5 estações pluviométricas situadas no Município de Toledo/PR com dados suficientes para realização do estudo, disponibilizada no Sistema de Informação Hidrológica da Agência Nacional de Águas (HIDROWEB). Com as precipitações máximas diárias mensais de cada ano, selecionaram-se as que possuíam valores superiores, e foram analisadas segundo a distribuição de probabilidades Gumbel. A desagregação da chuva de um dia em chuvas de menor duração foi obtida pela metodologia proposta pelo DAEE/CETESB (1980), sendo que as durações de 5, 10, 15, 20, 25, 30, 60, 360, 480, 600, 720 e 1440 minutos, foram utilizadas pelo emprego dos coeficientes multiplicativos, gerando a quantidade de pontos necessária para definir as curvas de intensidade-duração referentes a diferentes períodos de retorno de 5, 10, 20, 50 e 100 anos. A determinação dos parâmetros foi realizado por meio do processo de linearização descrito por Villela (1975). Para validar as equações, utilizou-se do Coeficiente de Eficiência de Nash e Sutcliffe (COE) (MACHADO; VETTORAZZI, 2003). Com a metodologia descrita, obtiveram-se as equações para cada estação pluviométrica e uma equação característica para o município de Toledo/PR, sendo conferida uma boa adaptação das equações para a região através do método de validação.
Mostrar mais

77 Ler mais

DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS DA EQUAÇÃO DE CHUVAS INTENSAS PARA O MUNICÍPIO DE VIDEIRA, SC

DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS DA EQUAÇÃO DE CHUVAS INTENSAS PARA O MUNICÍPIO DE VIDEIRA, SC

As equações de chuvas intensas são fundamentais para o dimensionamento de obras de drena- gem urbana, que devem suportar as vazões máximas associadas às maiores precipitações espera- das para o período de retorno considerado. As relações IDF (intensidade – duração – frequência) são expressões matemáticas que fornecem a intensidade das precipitações em razão da duração da chuva e do período de retorno; os parâmetros K, m, n, e b individualizam cada IDF para a sua respectiva localidade. No presente trabalho, buscou-se determinar estes parâmetros para a IDF de Videira a partir da equação vigente para o município, a qual não se apresenta na forma geral definida na literatura, isto é, realizou-se o ajuste da equação vigente por outra na forma padrão, com parâmetros determinados a partir de sucessivas regressões, lineares ou não. Os resultados foram: K = 1258,538; m = 0,154; n = 0,780; e b = 13,585, para a intensidade de precipitação em mm/h. O coeficiente de determinação calculado foi 0,997 e a soma dos quadrados dos desvios entre as precipitações dadas pelas duas equações (inicial e deduzida) resultou em 845,631, o que mostra ter sido bom o ajuste.
Mostrar mais

12 Ler mais

Análise da precipitação e determinação de equações de chuvas intensas para o município de Crato-CE situado no semiárido do Brasil

Análise da precipitação e determinação de equações de chuvas intensas para o município de Crato-CE situado no semiárido do Brasil

As equações IDF obtidas para o município de Crato podem auxiliar na gestão dos recursos hídricos locais, bem como no planejamento e projeto dos sistemas de drenagem urbana com vistas a controlar as inundações e reduzir os prejuízos socioambientais causados por esses desastres naturais. No que se refere à avaliação das intensidades das chuvas estimadas pelas equações IDF, foram utilizados dois indicadores (o coeficiente de determinação e o índice de concordância). O coeficiente de determinação apresentou boa qualidade, mostrando que houve um ajuste adequado das Equações 17 e 18 aos dados observados pelo método de Gumbel e gama, respectivamente. O valor de R² foi equivalente a 0,9946 para a equação 17 e 0,9920 para a equação 18.
Mostrar mais

10 Ler mais

Determinação e interpolação dos coeficientes das equações de chuvas intensas para cidade do Rio de Janeiro

Determinação e interpolação dos coeficientes das equações de chuvas intensas para cidade do Rio de Janeiro

Este estudo teve como objetivo estabelecer a relação entre intensidade, duração e frequência das precipitações na cidade do Rio de Janeiro, e avaliar os métodos de interpolação dos coeficientes das equações de chuvas intensas, para determinação das equações em qualquer localidade do município. Os dados de chuvas foram obtidos por meio da rede de estações pluviométricas automáticas do Sistema Alerta Rio da Fundação Instituto de Geotécnica do município do Rio de Janeiro. Foram analisadas as precipitações intensas com base em séries históricas de observações obtidas a cada 15 minutos, no período de 1997 a 2014. Determinaram- se as maiores precipitações anuais para as durações de 15, 30, 60, 120, 240, 360, 720, e 1440 minutos. Os dados foram ajustados pelo método de distribuição de Gumbel e a aderência dos dados à distribuição foi avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov a 5% de significância. A espacialização dos coeficientes foi avaliada pelos métodos de interpolação do inverso da quinta potência da distância e Krigagem ordinária. As precipitações intensas apresentaram grande variabilidade espacial. Observou-se boa relação entre os valores de precipitação intensa calculados com o uso da equação ajustada com os valores oriundos das equações determinadas em outros trabalhos sobre chuvas intensas para a cidade do Rio de Janeiro. Os valores do coeficiente de determinação R² e erro padrão de estimativa permitiram concluir que as equações propostas podem ser utilizadas em projetos de obras hidráulicas. O método de interpolação inverso da quinta potência da distância apresentou melhor desempenho para a espacialização dos coeficientes das equações de chuvas intensas, e menores valores de erro médio percentual em 25 das 32 estações analisadas.
Mostrar mais

14 Ler mais

Comparação de equações de chuvas intensas para localidades do estado de São Paulo.

Comparação de equações de chuvas intensas para localidades do estado de São Paulo.

RESUMO: Dada a importância das equações de chuvas intensas para o dimensionamento de obras de controle de enxurradas, este trabalho teve como objetivo comparar as alturas precipitadas geradas pelas equações de MARTINEZ & MAGNI (1999) com aquelas obtidas com o programa PLUVIO 2.1, considerando as primeiras como padrão. Foram comparadas chuvas intensas de 10; 20; 30; 60; 120 e 1.440 minutos, e períodos de retorno de 2; 5; 10; 50 e 100 anos, para 30 localidades do Estado de São Paulo. Os resultados revelaram que, principalmente para as chuvas de 24 horas e período de retorno de 100 anos, houve desvios importantes para 4 postos localizados na região central e a leste do Estado. Para as demais localidades o programa apresentou bom desempenho.
Mostrar mais

9 Ler mais

Análise de modelos matemáticos aplicados ao estudo de chuvas intensas.

Análise de modelos matemáticos aplicados ao estudo de chuvas intensas.

pelo período de retorno (anos). O modelo básico tem sido usado para determinação da intensidade de precipitação máxima diária a ser aplicada no dimensionamento de estruturas de contenção, fixando-se o período de retorno e a duração da chuva. O tempo de concentração em bacias hidrográficas, que normalmente fica entre 60 e 120 min para bacias consideradas pequenas, tem sido usado como tempo de duração na estimativa de chuvas intensas. Nesse intervalo, existem outros modelos que propiciam melhores ajustes e, conseqüentemente, maior confiabilidade na estimativa da chuva a ser usada nos dimensionamentos de estruturas de contenção. Assim, este trabalho teve como objetivo ajustar dois outros modelos para a estimativa de chuvas intensas: um exponencial e um linear, além do modelo básico. Esses modelos foram ajustados com base em dados de precipitação máxima diária anual da região de Lavras (MG), empregando-se dados de chuvas diárias do período de 1914 a 1991. Os dados foram transformados em intensidades de precipitação, com tempo de retorno variando de 2 a 100 anos e duração entre 5 e 1.440 min. Verificou-se que o modelo exponencial proposto proporcionou melhores ajustes, com menores erros na estimativa, para chuvas variando de 5 a 240 min, sendo, portanto, recomendável a bacias em que o tempo de concentração se enquadre nesta faixa de tempo; o modelo básico mostrou-se mais aplicável a bacias em que o tempo de duração seja maior que 240 min, enquanto o modelo linear não se mostrou confiável para a estimativa de chuvas intensas.
Mostrar mais

6 Ler mais

Continuidade espacial de chuvas intensas no estado de Minas Gerais.

Continuidade espacial de chuvas intensas no estado de Minas Gerais.

A análise de chuvas intensas consiste em um dos produtos mais aplicados da hidrologia. Seu uso está associado ao dimensionamento de obras hidráulicas para controle de cheias, abastecimento e condução de água para usos múltiplos, drenagem urbana e do solo e modelagem e controle da erosão do solo. Segundo Mello et al. (2003b) quando a chuva intensa é associada a uma duração e a um tempo de retorno específico, passa a ser considerada como uma chuva de projeto, que uma vez

8 Ler mais

Modelos da distribuição temporal de chuvas intensas em Piracicaba, SP.

Modelos da distribuição temporal de chuvas intensas em Piracicaba, SP.

e real possível. Hoje, são cada vez mais utilizados modelos matemáticos que têm sido associados a sistemas de informações geográficas (SIG) que permitem uma descrição detalhada e espacializada das características físicas da área de projeto, porém, nenhum modelo é absolutamente livre de imperfeições, por conta das simplificações e das adaptações necessárias para que possa ser viável e operacional. Um dos grandes inconve- nientes em modelos que envolvem a ocorrência de chuvas, é a sua incapacidade de reconhecê-las na sua forma real; assim, todo modelo matemático que ignora ou não distingue a variabilidade da distribuição temporal da chuva, com diferentes durações, apresenta restrições; além disso, para que a previsão hidrológica seja consistente, é desejável se conhecer, “a priori”, o modelo de distribuição de chuva representativo da região climática estudada e de maior probabilidade de ocorrência para o período considerado.
Mostrar mais

7 Ler mais

Mapeamento de chuvas intensas no estado de Minas Gerais.

Mapeamento de chuvas intensas no estado de Minas Gerais.

Em termos das diferentes durações, as chuvas intensas vinculadas à duração de 1.440 min apresentaram, em média, o maior grau de dependência (67,66 %), seguidas pelas chuvas de 720 min (66,46 %), 360 min (60,54 %) e 30 min (57,05 %). Esse comportamento está associado ao fato de que chuvas com maior duração têm origem em sistemas atmosféricos que afetam grandes áreas, como chuvas frontais (frentes frias) e principalmente, no caso de Minas Gerais, pela ZCAS. Ambos os fenômenos geram extensão maior da dependência e menor variabilidade dos valores entre as estações meteorológicas. Eventos com 30 min de duração normalmente são mais localizados, fruto de chuvas convectivas e, portanto, com menor continuidade espacial e maior variabilidade dos dados entre as estações.
Mostrar mais

8 Ler mais

Pluviometria e chuvas intensas no estado de Santa Catarina /

Pluviometria e chuvas intensas no estado de Santa Catarina /

• Para todo o estado de SC , o “M étodo Atual” (relações entre durações) e o “Método 1” (análise dos pluviogramas) foram confrontados. De início, já ficou clara a grande carência de equações de chuvas intensas em SC. Mesmo existindo vários postos com dados de pluviógrafos, muitas das correspondentes equações ainda não foram estabelecidas. Dessa forma, essa comparação acabou ficando restrita à quatro cidades. Considerando que as altitudes, os períodos de observação, a extensão da série e o número de falhas são distintos, as diferenças teriam suas causas nos valores desatualizados / inadequados das relações entre durações utilizadas. A presença do mar influiu mostrando que as estações próximas à costa possuem as maiores diferenças. As estações do interior apresentaram melhor ajuste.
Mostrar mais

191 Ler mais

Chuvas intensas no Arquipélago de Cabo verde

Chuvas intensas no Arquipélago de Cabo verde

Este trabalho apresenta um estudo das relações intensidade-duração-freqüência (IDF) para as chuvas intensas ocorridas na Ilha de Santiago, arquipélago de Cabo Verde. O estudo dessas precipitações é de grande interesse para os trabalhos de hidrologia devido à freqüente aplicação na estimativa das vazões de projeto para dimensionamento de obras de engenharia tais como: drenagem urbana, obras de contenção, canais de macro drenagem e vertedores de barragens. Para estabelecer as IDF, utilizou-se de series históricas de 4 postos pluviométricos localizadas na ilha de Santiago, sendo duas com 27, uma de 23 e outra de 11 anos de observação. Antes de utilizar as séries efetuou-se uma análise de consistência dos dados dos 4 postos, sendo que apenas 1 necessitou de correção. Foram usadas séries de máximas anuais e, através do método de Thiessen, foi montada uma série de chuva média máxima para a região .Através do ajuste dos valores observados à distribuição de probabilidade de Gumbel, foi feita uma estimativa das alturas de chuvas para os tempos de retorno de 2, 5, 10, 15, 20, 25, 30, 50, 100, 500 e 1000 anos, com base no histórico observado e nos parâmetros adimensionais regionais de posição e de escala dos 4 postos pluviométricos. Através do método das relações entre chuvas de diferentes durações, corrigiu-se as chuvas de 1 dia para chuvas de durações menores, obtendo assim as relações IDF para as durações de 5, 10, 15, 20, 25 e 30 minutos, 1, 6, 10, 12 e 24 horas. Os resultados encontrados podem ser usados no dimensionamento de obras hidráulicas , de pequeno e médio porte, como drenagem predial, micro drenagem urbana, bueiros, canais entre outros.
Mostrar mais

93 Ler mais

Chuvas intensas em localidades do Estado de  Pernambuco

Chuvas intensas em localidades do Estado de Pernambuco

Para dimensionamento da estrutura dos sistemas de microdrenagem e macrodrenagem, deve-se saber qual a quantidade de precipitação na área a ser drenada, associada a um período de retorno. As equações de chuvas intensas são essenciais no processo de drenagem urbana e rural de águas pluviais, apresentando grande importância para os projetos de hidráulica dos centros urbanos e sistemas de drenagem agrícola que necessitam definir a chuva de projeto para estimar a vazão de projeto dos mesmos. Além disso, as relações IDF contribuem para a diminuição da margem de erros, minimizando-se o risco de enchentes causado por chuvas de alta intensidade, como também são indispensáveis para elaboração e controle dos sistemas de drenagem e irrigação. Em função da pouca disponibilidade de informações no estado de Pernambuco quanto às equações de chuvas intensas, este trabalho tem como objetivo principal a determinação da relação IDF para algumas localidades do território pernambucano. Para isso, foram utilizados os dados de 12 estações pluviográficas e 11 estações pluviométricas, com séries históricas de 8 a 14 anos de observações (pluviógrafos) e séries de 10 a 34 anos de registros (pluviômetros). Além disso, foram realizadas comparações entre as equações geradas por dados pluviográficos e pluviométricos, objetivando avaliar a qualidade das curvas IDF oriundas de dados pluviométricos. O critério adotado para o estabelecimento das séries históricas foi o de séries anuais. Tais séries históricas foram obtidas através de análise de pluviogramas digitalizados, no caso das estações pluviográficas, e por meio da metodologia de desagregação de chuvas de um dia em tempos menores, para os pluviômetros. Na análise de freqüência das séries anuais foram aplicados o modelo de distribuição de Gumbel e o de Weibull, sendo que a segunda distribuição, na maioria dos casos estudados, apresentou os melhores ajustes com o teste de Kolmogorov-Smirnov ao nível de significância de 5% e com R² variando de 0,9199 a 0,9907. Para determinação dos parâmetros da equação de chuvas intensas foram usadas as metodologias de Regressão Linear e a Regressão não-linear, onde o segundo método apresentou melhor ajuste dos parâmetros em todas as equações desenvolvidas. Por fim, as equações geradas por meio de registros pluviométricos apresentaram bons ajustes em comparação com as relações IDF obtidas com dados de pluviogramas, com R² variando de 97% a 99,9%.
Mostrar mais

117 Ler mais

Análise da influência da distribuição temporal das chuvas intensas e de cenários...

Análise da influência da distribuição temporal das chuvas intensas e de cenários...

De acordo com o Manual de Drenagem e Manejo de Águas Pluviais de São Paulo (2012), o tipo de distribuição temporal das chuvas de projeto e a fixação da duração estão sujeitas a diversas orientações metodológicas, implicando em resultados de descargas máximas e volumes de cheias que podem ser bastante discrepantes. Destaca também que em projetos de bacias urbanas mais comuns desenvolvidos no nosso meio, tem sido adotado na maioria das vezes, chuvas com duração de 2 ou 3 horas e distribuição conforme o método dos blocos alternados ou o método de Huff 1º quartil. Somente para bacias com áreas maiores de 100 km 2 tem-se adotado chuvas de 6 horas e distribuição dos blocos alternados ou Huff 2º quartil.
Mostrar mais

162 Ler mais

Análise de chuvas intensas com abordagem de dados pluviográficos e pluviométricos

Análise de chuvas intensas com abordagem de dados pluviográficos e pluviométricos

Neste trabalho são apresentadas equações de chuvas intensas, que relacionam intensidade, duração e frequência (IDF) de chuvas para a cidade de Pelotas/RS, ao longo de 34 anos de registros pluviográficos (1982-2015). Foram obtidas duas IDF´s, uma denominada convencional, em que se ajustaram as distribuições teóricas de probabilidade, para os períodos de retorno (Tr) de 2, 5, 10, 20, 25, 50 e 100 anos; e outra híbrida, determinada por análise de frequência empírica dos dados, pelo método de Weibull, para os períodos de retorno (Tr) de 2, 5, 10, 20, 25 anos, e para 50 e 100 anos, utilizando as mesmas distribuições teóricas. Comparou-se as equações com a utilizada atualmente na localidade (1961 a 1991). Não houve diferença significativa entre os valores de intensidades máximas obtidas pelas equações de chuvas intensas, híbrida e convencional, e a já existente na localidade. No entanto, cabe salientar que a atualização das equações IDF´s é importante, em função da sua aplicação nos recursos hídricos, com foco no controle de inundações, associado à demanda de estudos, referente às mudanças climáticas. As equações híbrida e convencional permitem o cálculo das intensidades máximas de precipitação, para as durações de chuva de 5 até 1440 min, nos períodos de retorno de 2 a 100 anos.
Mostrar mais

56 Ler mais

ANALISE DO REGIME DE VAZÕES COM AUXÍLIO DE EQUAÇÕES DE CHUVAS INTENSAS

ANALISE DO REGIME DE VAZÕES COM AUXÍLIO DE EQUAÇÕES DE CHUVAS INTENSAS

De acordo com TUCCI (2002) a regionalização por proporção de áreas para a estimativa de vazão, pode trazer erros importantes. Não há proporcionalidade de áreas de drenagem na curva de permanência, principalmente no trecho inferior da curva; as precipitações são diferentes entre as bacias e a proporção por área não é capaz de representar estas diferenças; e, a geologia e a morfologia podem mudar. Uma alternativa a regionalização por proporção de áreas proposta pelas “Diretrizes para projetos de PCH” (Eletrobrás, 1999) consiste na adoção de uma curva regional determinada a partir das vazões de estações circunvizinhas relacionadas com as respectivas áreas de drenagem de acordo com as Equações 4 e 5 para a determinação das vazões no local em estudo.
Mostrar mais

16 Ler mais

Tipificação dos padrões de chuvas intensas em função do posicionamento da intensidade e fatores determinantes para o município de Barreiros do estado de Pernambuco

Tipificação dos padrões de chuvas intensas em função do posicionamento da intensidade e fatores determinantes para o município de Barreiros do estado de Pernambuco

Moura et al. (2009) buscaram correlacionar a precipitação, relativa aos períodos de março a julho dos registros referentes à série 1945/1985, com anomalia da temperatura da superfície do mar (TSM) e identificar áreas de influência deste parâmetro nas chuvas do setor leste do Nordeste brasileiro (NEB). Para tanto, identificaram um grupo de postos meteorológicos homogêneos do setor regional referido. A análise apontou influência do Atlântico e do Pacífico sobre as chuvas nesse setor, sendo a correlação do Atlântico maior, principalmente na área do dipolo. Concluíram que a maior correlação entre a precipitação e a TSM do Atlântico é superior à encontrada entre a precipitação e TSM do Pacífico. Desse modo, anomalias positivas de TSM no Atlântico Tropical sul produzem precipitação sobre a área estudada, enquanto anomalias positivas de TSM no Pacífico inibem a chuva sobre o setor leste da região Nordeste brasileira. Desse modo concluíram que o conhecimento atual sobre o atlântico tropical (Dipolo do Atlântico), em conjunto com as informações sobre os episódios de El Niño/Oscilação do Sul (ENOS), permite que se elaborem previsões sobre as precipitações no NEB, contribuindo de forma efetiva para o planejamento socioeconômico da região.
Mostrar mais

107 Ler mais

A Dispensacão de medicamentos em unidades básicas de saúde do município de Toledo-PR

A Dispensacão de medicamentos em unidades básicas de saúde do município de Toledo-PR

naquele local. Uma das formas de resolução consiste na dispensação de medicamentos essenciais voltados para a assistência ambulatorial. As UBS, em sua grande maioria, dispõem de farmácia para pronto atendimento em função da nova visão de atenção à saúde e de sua relação direta com a atenção farmacêutica, além da presença em número reduzido de profissionais farmacêuticos nas farmácias do sistema público de saúde. Este trabalho teve como objetivo conhecer os aspectos da dispensação de medicamentos em UBS da área urbana do município de Toledo, localizado na região Oeste do Paraná, e também avaliar o grau de conhecimento dos pacientes que são atendidos nas UBS sobre os medicamentos que eles utilizam. Foram realizadas entrevistas semi- estruturadas com os trabalhadores dispensadores de medicamentos e com os pacientes atendidos nas unidades. O trabalho verificou que em 9 das 10 UBS estudadas, o tempo médio de dispensação foi superior ao recomendado pela OMS e que há a presença do profissional farmacêutico apenas em uma UBS, sendo que na maior parte delas foram encontrados profissionais não farmacêuticos fazendo a dispensação de medicamentos aos pacientes e, mais importante, esses profissionais não receberam treinamento adequado para o trabalho que desempenham. Verificaram-se importantes falhas nas orientações básicas que devem ser repassadas aos pacientes para que estes façam o uso seguro e racional dos medicamentos. Grande parte dos entrevistados desconhecia a técnica adequada para o preparo de um medicamento liofilizado, desconheciam a forma correta de utilização de medicamentos em gotas, além de desconhecer a forma adequada de descarte de medicamentos vencidos. Conclui-se que é necessária a realização de trabalhos de conscientização e de treinamento aos dispensadores de medicamentos no município, além de uma reorganização do serviço e melhor distribuição dos farmacêuticos nas UBS do município de modo a proporcionar assistência farmacêutica efetiva a um número maior de pacientes.
Mostrar mais

85 Ler mais

Avaliação de modelos probabilísticos para chuvas intensas nas mesorregiões do estado de Pernambuco

Avaliação de modelos probabilísticos para chuvas intensas nas mesorregiões do estado de Pernambuco

A distribuição Weibull foi caracterizada como melhor que a de Gumbel em Sergipe por Aragão et al. (2013). Silva et al. (2012), na caracterização de IDFs para o estado de Pernambuco, utilizaram 12 estações pluviográficas e 11 estações pluviométricas com séries de dados entre 10 e 34 anos, afirmando que a distribuição de Weibull se adequou melhor às series pluviográficas que a distribuição de Gumbel, segundo o teste KS a 5% de significância. Na região Sudeste do Brasil, Batista (2013) obteve a distribuição Generalizada de Valores Extremos como a melhor em quase metade dos postos observados. Caldeira et al. (2015) ao utilizar a distribuição Log-Normal de 2 e 3 parâmetros e a distribuição de Gumbel, obtiveram melhor ajuste a distribuição Log- Normal de 3 parâmetros. Borges & Thebaldi (2016), para o município de Formiga-MG, observaram, pelo teste do Qui-quadrado, que o modelo Gumbel para Máximos aderiu melhor às frequências dos dados que os modelos de Fréchet, Gama, Log-Normal 2P e Log-Normal 3P. Sendo assim, utilizar a distribuição de Gumbel sem averiguar a aderência de outras distribuições à série em análise pode causar estimativas errôneas quanto à previsão de chuvas futuras.
Mostrar mais

14 Ler mais

Acesso ao serviço de fonoaudiologia: a implantação do acolhimento no município de Toledo - PR.

Acesso ao serviço de fonoaudiologia: a implantação do acolhimento no município de Toledo - PR.

Background: for the embracement practice in health services to occur it is necessary to develop ways to receive the population, respecting the different modes of how the users seek help. In this way, this assignment is an experience report that had as objective to expedite the access to service of speech therapy, as well as to listen and to give more appropriate answers to the users. Procedures: as a way to structure the access, one accomplished the implementation of embracement´s practice in the incoming door at the services of speech therapy at Toledo´s city in Parana. For the embracement practice’s achievement we established two instances, the irst one referred to the waiting list of users which needed to be known and in the second moment the new users choose between days and ixed schedule, as a manner of incoming in services of speech therapy. In some of these meetings there was also the participation of nurses, psychologists, social workers. Results: there was offered to the users a better access to the speech therapy treatment, an enrichment in the professional/user relationship was offered, for adequacy of therapy procedures and explanations about the service functioning. Conclusion: implementing embracement practice at the incoming door for the services of speech therapy, expedited the access for the population, as well as listening also implies in respecting the user´s demands.
Mostrar mais

7 Ler mais

A ANÁLISE DO TRABALHO DOS METEOROLOGISTAS NA PREVISÃO DE CHUVAS INTENSAS NO RIO DE JANEIRO

A ANÁLISE DO TRABALHO DOS METEOROLOGISTAS NA PREVISÃO DE CHUVAS INTENSAS NO RIO DE JANEIRO

A realização desta pesquisa tornou possível analisar aspectos fundamentais do trabalho dos meteorologistas na previsão de chuvas intensas na cidade do Rio de Janeiro. Para lidar com sua complexidade, foram empregadas técnicas de Análise do Trabalho Cognitivo combinadas, que possibilitaram capturar dados a respeito da realização de tarefas tanto rotineiras quanto realizadas em momentos decisivos. A análise de caso de chuva intensa contribuiu para a identificação de aspectos relativos à cognição no trabalho dos meteorologistas. A partir disto, já é possível começar a identificar, no sistema, pontos críticos que podem estar contribuindo para a pressão exercida contra o limite do desempenho seguro das atividades. Estes pontos precisam ser mais bem analisados, assim como o uso dos artefatos nestas funções.
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 10000 documents...