Top PDF Determinação de HPAs em sedimento do complexo estuarino-lagunar de Iguape-Cananéia, SP

Determinação de HPAs em sedimento do complexo estuarino-lagunar de Iguape-Cananéia, SP

Determinação de HPAs em sedimento do complexo estuarino-lagunar de Iguape-Cananéia, SP

No Brasil o desenvolvimento urbano e industrial se concentra particularmente no Centro-Sul, por consequência os mares dessa região sofrem com a degradação causada pelas atividades antrópicas recebendo efluentes de diversas fontes, fazendo com que a poluição química se torne uma grande ameaça a biota local. O complexo Estuarino-Lagunar de Iguape-Cananéia caracteriza-se como uma das regiões mais preservadas do litoral brasileiro e também como um dos ecossistemas mais produtivos do mundo. Essa região conta com diversas áreas de proteção ambiental e por não apresentar atividade antrópica expressiva, pode servir como base de comparação para locais mais degradados. Os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) são uma classe de poluentes orgânicos considerados persistentes, originários tanto de processos naturais como de atividades antrópicas e que possuem um reconhecido risco ecotoxicológico em alguns organismos, incluindo propriedades mutagênicas e carcinogênicas. As principais fontes antropogênicas são a queima incompleta de combustíveis fósseis, derramamento direto de petróleo e seus derivados, incineração de resíduos, produção de coque, piche, e efluentes industriais. Dentre as fontes naturais estão incêndios florestais, afloramento de petróleo e transformações pós deposicionais de precursores biogênicos. Os HPA’s são compostos hidrofóbicos de alto peso molecular e possuem uma baixa solubilidade na água do mar, dessa forma se associam com partículas e material dissolvido tendendo a se concentrar nos sedimentos. Assim a presença desses compostos em sedimentos pode ser utilizada como indicadores de poluição por hidrocarbonetos. O objetivo desse trabalho foi determinar a presença e distribuição de HPA’s no sedimento do Complexo Estuarino- Lagunar de Iguape-Cananéia, São Paulo, Brasil, por GC-MS/MS, avaliando oito pontos em três campanhas de amostragem. A análise de sedimento mostrou-se eficiente para determinação desses compostos, encontrando valores totais de HPAs de até 2000 μg .
Mostrar mais

50 Ler mais

Avaliação da biodisponibilidade e a bioacumulação de metais em botos-cinza do complexo estuarino-lagunar de Iguape-Cananéia, SP

Avaliação da biodisponibilidade e a bioacumulação de metais em botos-cinza do complexo estuarino-lagunar de Iguape-Cananéia, SP

O Complexo Estuarino-Lagunar de Iguape-Cananéia (CELIC) apresenta condições ambientais bastante distintas entre suas porções norte e sul, sendo que em Cananéia (sul) encontram-se características típicas de ambiente estuarino, e em Iguape (norte) encontram-se características predominantemente fluviais. A bacia do Rio Ribeira de Iguape, maior responsável pelo aporte de água doce e sedimentos em suspensão ao sistema, foi bastante afetada pela atividade mineradora que acabou por contaminar os sedimentos ao longo de seu curso. Este estudo objetivou avaliar as variações espaciais e temporais dos metais Fe, Zn, Mn, Co, Cu, Cr, Cd, Pb e Ni no sedimento superficial local e sua biodisponibilidade, bem como os parâmetros físicos e químicos da água e dos sedimentos, em 8 pontos ao longo do estuário, em três diferentes coletas amostrais entre 2013 e 2014. Os procedimentos analíticos para a determinação da biodisponibilidade dos metais foram conduzidos pelo método da extração simultânea de íons metálicos e sulfetos volatizados por acidificação (SEM/SVA) com as determinações feitas por espectrometria de absorção atômica com chama (FAAS). As condições ambientais encontradas diferiram em grande grau entre as porções, com maior destaque aos baixos valores de salinidade e pH, e as altas concentrações de ortofosfato, nitrogênio amoniacal e nitrato nos pontos amostrados a norte. Foi possível observar que as diferentes estações interferem nos parâmetros abióticos, agindo diretamente na alteração das concentrações de nutrientes. Os metais Pb, Zn, Cu, Mg e Fe apresentaram altos valores nos sedimentos próximos a Iguape, sendo considerados como fortemente biodisponíveis. Houve correlações positivas entre estes elementos indicando que provavelmente tenham as mesmas fontes, sendo provenientes do arraste feito pelo Rio Ribeira de Iguape. A razão SEM/SVA dos íons metálicos Pb, Cd, Ni, Cu e Zn apontou maior toxicidade dos sedimentos da porção norte, destacando seu potencial de causar efeitos adversos a biota local. Estes resultados indicam a grande influência do centro urbano de Iguape, das atividades mineradoras e dos passivos ambientais deixados para trás, somadas à característica de persistência dos metais no ambiente. Assim, a avaliação das condições ambientais e o estudo de metais na região continuam tendo grande importância para o monitoramento contínuo da qualidade ambiental e da contaminação da biota local. Especialmente, em caso de mudanças das condições físico-químicas, para a detecção de ressolubilização em fase aquosa, uma vez que o tempo de residência dos metais nos sedimentos depende das alterações dentro de um sistema aquático.
Mostrar mais

116 Ler mais

Estudo do nitrogênio e do fósforo (N e P) no setor norte do Complexo Estuarino-Lagunar...

Estudo do nitrogênio e do fósforo (N e P) no setor norte do Complexo Estuarino-Lagunar...

Figura 1. Cultivo de banana nas margens do Rio Ribeira de Iguape. (Fonte: camiloaparecido-blog.terra.com.br, acesso em 04/07/2013). ........................................... 1 Figura 2. Região administrativa de Registro (Fonte: www.igc.gov.br/portal//igc) (a); destaque do final do curso do Rio Ribeira de Iguape (b) com localização do Valo Grande (seta; fonte: the-rioblog.blogspot.com, acesso em 04/07/2013). ...................................... 2 Figura 3. Distribuição geográfica da área de cultivo de banana, no estado de São Paulo (Pino et al., 2000.) ............................................................................................................ 3 Figura 4. Búfalos ao longo das margens do Rio Ribeira de Iguape (SP) na região de Iguape (Foto: E. S. Braga). ........................................................................................................... 4 Figura 5. Pontos de coleta no complexo estuarino-lagunar de Cananéia-Iguape (a) com ênfase nas estações realizadas no Rio Ribeira de Iguape e Valo Grande (b) no Projeto Febiogeoquim/ INCT-TMCOcean em agosto/2012, fevereiro/2013, setembro/2013 e fevereiro/2014. ................................................................................................................ 24 Figura 6. Precipitação mensal nos anos de 2012 (a), 2013 (b) e 2014 (c), com base nos dados de Pariquera-Açú divulgados em CIIAGRO, www.diagro.sp.gov.br, acesso em 20/02/2015. ..................................................................................................................... 28 Figura 7. Precipitação mensal de janeiro, fevereiro, julho, agosto, setembro e outubro de 2012, 2013 e 2014 com base na precipitação total anual dos anos 2012 a 2014, CIIAGRO, www.diagro.sp.gov.br, acesso em 20/02/2015. .............................................................. 30 Figura 8. Curvas de maré construídas com dados do LABDADOS-IOUSP nos dias 28, 29, 30 e 31 de Agosto de 2012, destacando os momentos de realização das estações na região de Cananéia e Iguape (SP). .................................................................................. 31 Figura 9. Distribuição espacial de temperatura (a) e salinidade (b) a jusante do Rio Ribeira de Iguape (SP), Agosto de 2012. .................................................................................... 32 Figura 10. Distribuição espacial de oxigênio dissolvido (a) e pH (b) a jusante do Rio Ribeira de Iguape (SP), Agosto de 2012. ....................................................................... 32 Figura 11. Distribuição espacial de compostos nitrogenados no Rio, N-amoniacal (a), nitrito (b), nitrato (c), NID (d), Agosto de 2012. ............................................................ 33 Figura 12. Distribuição espacial dos valores de PO 4 -3 (a) e NID/PO 4 3- (b), nos pontos do
Mostrar mais

123 Ler mais

Diagnóstico da riqueza e abundância de espécies de peixes e camarões capturados por pescadores artesanais do Complexo de Ilhas (Cananéia, Iguape e Ilha Comprida), Cananéia, SP/Brasil

Diagnóstico da riqueza e abundância de espécies de peixes e camarões capturados por pescadores artesanais do Complexo de Ilhas (Cananéia, Iguape e Ilha Comprida), Cananéia, SP/Brasil

Segundo MENDONÇA (2007), o complexo Estuarino Lagunar de Cananéia- Iguape-Paranaguá faz parte do litoral sul do Estado de São Paulo e norte do Paraná, sendo os recursos pesqueiros a base econômica da região, com uma variedade de peixes, crustáceos e moluscos gerando uma diversificação quanto às artes pesqueiras praticadas pelas comunidades locais.

13 Ler mais

Determinação de metais na água, sedimento e em moluscos bivalves do complexo estuarino de Paranaguá, Paraná, Brasil

Determinação de metais na água, sedimento e em moluscos bivalves do complexo estuarino de Paranaguá, Paraná, Brasil

O Complexo Estuarino de Paranaguá (CEP), juntamente com o sistema Lagunar Iguape-Cananéia, é reconhecido como o terceiro estuário mais importante do mundo pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) (COMBI et al., 2013), mantendo uma diversidade significativa de ambientes, espécies ecologicamente relevantes e várias áreas de proteção ambiental (SOUZA et al., 2018). Contudo, também é influenciado de maneira direta e indireta por contaminações oriundas dos centros urbanos, das instalações portuárias e industriais, das atividades pesqueiras e das atividades turísticas (SOUZA et al., 2018).
Mostrar mais

93 Ler mais

PERCEPÇÃO E INTERAÇÃO DE COMUNIDADES CAIÇARAS DO COMPLEXO ESTUARINO-LAGUNAR DE IGUAPE-CANANÉIA, SP, BRASIL, COM TARTARUGAS MARINHAS

PERCEPÇÃO E INTERAÇÃO DE COMUNIDADES CAIÇARAS DO COMPLEXO ESTUARINO-LAGUNAR DE IGUAPE-CANANÉIA, SP, BRASIL, COM TARTARUGAS MARINHAS

Westlake (1963), trabalhando com bancos de grama marinha, um dos ecossistemas mais ricos em produtividade primária, constatou que a tartaruga-verde é o único réptil que se alimenta desse recurso e a maior consumidora de bancos de grama marinha em águas tropicais e subtropicais. Outros estudos com diferentes populações de tartarugas-verdes (C. mydas) indicam preferência alimentar por grama marinha em detrimento às algas por parte desta espécie, como na Flórida, Nicarágua, Caribe e no litoral paranaense (GUEBERT, 2008). O deslocamento de Pedrinhas para outras localidades pode ser feito com barcos pequenos ou com carros e ônibus; duas linhas regulares de ônibus atendem a Comunidade, uma que vai até a balsa via praia e liga Ilha Comprida a Cananéia e outra que vai até o Boqueirão Norte por estrada de terra (SANTOS, 2012). Portanto, àqueles moradores que não têm sua suas atividades ligadas à pesca e ao Mar Pequeno, costumam avistar os animais marinhos na praia, já que é através da praia que se vai à Cananéia e também por onde muitos preferem ir até o Boqueirão Norte quando a estrada de terra está em condições precárias.
Mostrar mais

104 Ler mais

Estudo da abundância, proveniência e padrões de distribuição elementar em sedimentos de superfície e perfis sedimentares no Complexo Estuarino-Lagunar de Cananéia-Iguape, São Paulo - Brasil, com ênfase aos elementos terras raras e seu significado ambienta

Estudo da abundância, proveniência e padrões de distribuição elementar em sedimentos de superfície e perfis sedimentares no Complexo Estuarino-Lagunar de Cananéia-Iguape, São Paulo - Brasil, com ênfase aos elementos terras raras e seu significado ambiental

concentrações de Pb, P e Sb acima dos níveis considerados naturais, entretanto evidenciaram que os altos valores de As e Cr estariam relacionados a um enriquecimento natural nos sedimentos da região. No caso dos ETR, o FE UCC e FE BG indicaram enriquecimento na região do mar adjacente ao estuário e em estações no rio Ribeira e no Valo Grande. A aplicação de modelagem através da regressão múltipla linear mostrou que os valores, que seriam normalmente considerados anômalos, são naturais e refletem a presença de minerais pesados nestes locais. Outros elementos que parecem naturalmente enriquecidos onde há ocorrência minerais pesados são: As, Ca, Cr, Th, U, além dos elementos ditos sinalizadores Hf e Zr. Anomalias de Ce mostraram a possível relação com processos de oxidação de Ce +3 a Ce +4 mediada biológicamente nas zonas mais produtivas do estuário. Dos quatro perfis de sedimento obtidos na região sul do estuário, três mostraram seções com valores de FE UCC e FE BG para Pb que sugerem contribuição antrópica. Tais padrões decrescem em direção ao sul do sistema, porém praticamente não mostram variação temporal. Nenhuma concentração de Pb superou o valor de TEL nos testemunhos estudados. Zn e Hg mostraram enriquecimentos pontuais em diferentes seções do testemunho T3. Com relação aos ETR, houve novamente a observação de enriquecimento causado por minerais pesados, e os teores modelados parecem refletir níveis naturais para estes elementos nos quatro testemunhos. Tais informações podem ser utilizadas na ampliação do uso de ferramentas biogeoquímicas de avaliação e prevenção de riscos aos quais o sistema estudado está sujeito, e na tomada de decisão pelo poder público no sentido da conservação ambiental da região.
Mostrar mais

414 Ler mais

Análise socioambiental do complexo estuarino-lagunar de Cananéia-Iguape e Ilha Comprida...

Análise socioambiental do complexo estuarino-lagunar de Cananéia-Iguape e Ilha Comprida...

Entre as espécies de aves migratórias encontram-se: colhereiro (Ajaia ajaja, proveniente do sul do Brasil), mariquita-de-perna-clara (Dendroica striata, América do Norte), maçarico-de-peito-tijolo (Charidrius modestus, Ilhas Malvinas e Patagônia), bonito-do-piri (Tachuris rubigastra, sul do Brasil, Uruguai e Argentina), maçarico- pintado (Actitis macularia, Alasca, Canadá, Estados Unidos e Groenlândia). Algumas das espécies de répteis e mamíferos presentes são: jacaré-do-papo-amarelo (Caiman latirostris), caninana (Spilotes pullatus), jacaraca (Bothrops jararaca), macaco-prego (Cebus apella), quati (Nasua nasua), cateto (Tayassu tajacu), queixada (T. pecari), paca (Cuniculus paca), mão-pelada (Procyon concrivorus), capivara (Hidrochoerus hidrochaeris), anta (Tapirus terrestris), gambá (Didelphis albiventris), cotia (Dasyprocta sp.). Entre as espécies de mamíferos marinhos migratórios encontram-se: lobo-marinho-do-sul (Arctocephalus tropicalis), leão-marinho (Otaria flavecens), lobo- marinho (Arctocephalus australis), foca-caranguejeira (Lobodon carcinophagus). Em relação à ictiofauna, destacam-se as seguintes espécies: pescada-foguete (Macrodon ancylodon), corvina (Micropogonias furnieri), betara (Menticirrhus americanus), salteira (Oligoplites saliens), parati (Mugil curema), tainha (Mugil platanus).
Mostrar mais

133 Ler mais

Estudo biogeoquímico do fósforo no complexo estuarino-lagunar de Cananéia-Iguape...

Estudo biogeoquímico do fósforo no complexo estuarino-lagunar de Cananéia-Iguape...

Este estudo teve como objetivo conhecer a dinâmica do ciclo biogeoquímico do fósforo (P) (fases dissolvidas e particuladas) no Complexo estuarino-lagunar de Cananéia-Iguape considerando a influencia antrópica causada pela abertura do canal do Valo Grande e as possíveis diferenças no fluxo bêntico de PID. Foram observados valores de P dissolvido e particulado superiores no setor norte (Iguape) indicando a influência do aporte do Valo Grande ao estuário. As concentrações de P no sedimento foram maiores também no norte, sendo dominada pela fração inorgânica. Nas estações fixas de Cananéia (verão e inverno), a influência da maré foi evidente, enquanto em Iguape não foi observado sinal considerável. O fluxo do PID observado nas campânulas bênticas foi negativo indicando a remoção para o sedimento, consequente retenção do P neste compartimento. O Valo Grande influenciou o ciclo biogeoquímico do P na região, de forma mais acentuada ao norte do sistema e, a fração particulada em suspensão foi a forma que mostrou maior potencial para exportação de P para o oceano adjacente. O estudo do ciclo biogeoquímico do P em sistemas estuarinos constitui uma excelente ferramenta para o diagnóstico da qualidade ambiental, auxiliando também, os gestores ambientais em suas ações de preservação e manejo.
Mostrar mais

153 Ler mais

Determinação de hidrocarbonetos de petróleo em amostras de sedimentos do complexo lagunar sul Santo Antônio-Imaruí-Mirim, SC

Determinação de hidrocarbonetos de petróleo em amostras de sedimentos do complexo lagunar sul Santo Antônio-Imaruí-Mirim, SC

Figura 1. Alguns dos principais grupos de compostos orgânicos encontrados no petróleo.......................................................................................................................11 Figura 2. Evolução da matéria orgânica durante e após a sedimentação................13 Figura 3. Cromatograma parcial de uma típica distribuição de hidrocarbonetos lineares presente em sedimentos não contaminados por derivados de petróleo (Killops e Killops, 1993). Os números em cima dos picos indicam a quantidade de átomos de carbono na série homóloga......................................................................14 Figura 4. Rota diagenética do fitol a pristano e fitano...............................................16 Figura 5. Bacteriohopanotetrol sintetizado por bactérias e os estereoisômeros formados nos sedimentos..........................................................................................17 Figura 6. Imagem de satélite da área de estudo, com delimitação dos locais de amostragem................................................................................................................23 Figura 7. Fluxograma de extração com as duas frações obtidas a partir da amostra de sedimento..............................................................................................................27 Figura 8. Equações utilizadas na quantificação dos hidrocarbonetos alifáticos........28 Figura 9. Distribuição granulométrica das frações de areia, silte e argila nas amostras superficiais de sedimento do Complexo lagunar do Sul do Estado de Santa Catarina......................................................................................................................30 Figura 10. Curva de calibração realizada para a quantificação do hidrocarboneto C17, identificado nas amostras de sedimentos...........................................................32 Figura 11. Cromatograma da fração dos hidrocarbonetos alifáticos do ponto Canal B, mostrando típica distribuição dos alcanos (os valores acompanhados do C indicam o número de átomos de carbono). PI = Padrão interno; PRI = Pristano;
Mostrar mais

57 Ler mais

Extração e caracterização de substâncias húmicas aquáticas do complexo estuarino lagunar Mundaú / Manguaba e interação com íons Hg (II)

Extração e caracterização de substâncias húmicas aquáticas do complexo estuarino lagunar Mundaú / Manguaba e interação com íons Hg (II)

Os estuários, como o CELMM, estão entre as regiões com maior desenvolvimento produtivo e constitui um importante meio de vida para as populações que vivem em suas margens e deles retiram a maior parte do seu sustento. Porém, apesar da importância que esses ecossistemas desempenham para populações humanas e para várias espécies de organismos que deles dependem, esse ecossistema vem sendo impactado por atividades antrópicas, tornando-se receptores de efluentes domésticos e industriais, acarretando alterações em suas condições ambientais (SANTOS et al., 2009). Dentre as principais atividades antrópicas, destaca-se o lançamento de esgotos sanitários, disposição inadequada de resíduos sólidos, assoreamentos, eutrofização, lançamentos de efluentes industriais não tratados, baixa participação e comprometimento social no gerenciamento do complexo, ocupação desorganizada no entorno, práticas agrícolas inadequadas, pescas inadequadas, aporte de fertilizantes e pesticidas utilizados na agricultura da cana-de-açúcar.
Mostrar mais

84 Ler mais

Dinâmica da desembocadura lagunar de Cananéia, litoral sul do estado de São Paulo

Dinâmica da desembocadura lagunar de Cananéia, litoral sul do estado de São Paulo

Inlets are dynamic and complex coastal systems subjected to a variety of forces such as tidal range, wave energy and fluvial discharge. Combinations of these variables produce unique hydrodynamic conditions and a variety of depositional features. These systems, consisting of a main channel and tidal deltas, have strong influence on the evolution of the coastal zone. The aim of this study is to evaluate the dynamics of the Cananéia inlet in order to understand the processes that control the morphological changes in the region, considering the influence of its ebb-tidal delta morphology. Based on aerial photographs and historical nautical charts the morphological changes of the inlet and delta were analyzed over the last decades. Subsequently, the MIKE 21 numerical model was applied to simulate the wave propagation, the hydrodynamics and sediment transport in the region, for two different bathymetric situations and several wave scenarios. Therefore, we used in situ data, global model results (WW3 and CFSR) and information from the literature. Results show changes in the morphology of the inlet with the predominance of erosion on its northern margin, the migration of the channel and delta northeasterly, and the delta volume increase and its growth towards the ocean. Furthermore, it was noted that the northern margin is exposed to greater wave power and on both margins the wave power decreased over the analyzed period. The results show the action of the ebb tidal delta as the main transforming agent of the incoming waves and its morphological variation determines the action of the waves on the margins of the channel. The circulation is controlled predominantly by the tide and the sediment transport, although limited, is increased under the synergistic effect between the action of waves and tide. Due to its morphology and hydrodynamics, the northern margin is subjected to greater influence of waves and tide, resulting in erosional processes. The sediment dynamics reflects the complexity of this environment.
Mostrar mais

169 Ler mais

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE METODOLOGIA ANALÍTICA (CLAE/FL) PARA DETERMINAÇÃO DE FLUOROQUINOLONAS EM SEDIMENTO ESTUARINO DA ILHA DO MARANHÃO

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE METODOLOGIA ANALÍTICA (CLAE/FL) PARA DETERMINAÇÃO DE FLUOROQUINOLONAS EM SEDIMENTO ESTUARINO DA ILHA DO MARANHÃO

SANTOS, P. N. et al. Otimização e validação de método multirresíduo para determinação de sulfonamidas em camarão cultivado por cromatografia líquida de alta eficiência com detecção por UV. Química. Nova, v.34, n. 7, p.1265-1270, 2011. SANTOS, J. H. Z.; PIZZOLATO, T. M.; CUNHA, A. C. B. Desenvolvimento de metodologia analítica para quantificação de fármacos em meio aquático por extração em fase sólida e HPLC. Revistas de ciências ambientais, v. 1, n. 2, p. 19-34, 2007. SAPKOTA, A. et al. Aquaculture practices and potential human health risks: current knowledge and future priorities. Environment international, v.34, p.1215-1226, 2008.
Mostrar mais

55 Ler mais

Condições hidrodinâmica e estimativa do tempo de residência no complexo estuarino lagunar Mundaú/Manguaba (AL) através de modelagem computacional

Condições hidrodinâmica e estimativa do tempo de residência no complexo estuarino lagunar Mundaú/Manguaba (AL) através de modelagem computacional

O termo tempo de residência no ambiente lagunar é usado para designar o tempo médio em que o material dissolvido e particulado fica retido no ambiente antes de serem transportados para o oceano adjacente (GÓMEZ-GESTEIRA et al, 2003). Constituindo em um parâmetro conveniente que representa na escala de tempo os processos de transporte físicos que ocorrem nestes ambientes, e muitas vezes são usados para comparação na escala de tempo de processos biogeoquímicos (CUCCO & UMGIESSER, 2006). Segundo Ambrosetti (2003) este parâmetro controla a concentração e a capacidade acumulativa de todas substâncias presentes no sistema. Em lagunas altamente impactadas o estado trófico pode estar intimamente relacionado com o tempo de residência, havendo uma relação inversa entre o tempo de residência e a renovação das águas nos estuários, relação essa, que condiciona a amplitude dos impactos causados pelo lançamento de poluentes (Knoppers et al, 1991).
Mostrar mais

102 Ler mais

Biorremediação de sedimento estuarino contaminado por óleo  diesel com o uso de biossurfatante

Biorremediação de sedimento estuarino contaminado por óleo diesel com o uso de biossurfatante

De acordo com Berry et al. (1987), valores de potencial redox inferiores a -200 mV indicam a ocorrência de processos metanogênicos. Em 75,5% das amostras de sedimento do tratamento de atenuação natural apresentaram valores de potencial redox abaixo de -200 mV e, no tratamento de atenuação natural incentivada, em 82,2%. Segundo Riser-Robert (1998) quando existe uma limitação de doador de elétrons (hidrocarbonetos), as bactérias redutoras de sulfato podem afastar as metanogênicas do substrato disponível, mesmo com baixas concentrações de sulfato (< 1 mg/L). Porém, com abundância de doadores de elétrons as metanogênicas podem sequestrar o fluxo de elétrons, mesmo com concentrações de sulfato suficientes para apoiar a sulfato redução. De acordo com observado, principalmente nos tempos T21, T62 e T111, existem indicativos da ocorrência de um processo metanogênico de degradação.
Mostrar mais

90 Ler mais

Interferência antrópica em áreas de manguezal do complexo estuarino lagunar Mundaú-Manguaba (CELMM), Alagoas, Brasil: um estudo de caso

Interferência antrópica em áreas de manguezal do complexo estuarino lagunar Mundaú-Manguaba (CELMM), Alagoas, Brasil: um estudo de caso

Due to the richness and diversity of the fauna groups, close values were reported between the areas of agricultural cultivation, deforestation and transition that demonstrated [r]

10 Ler mais

"Croquis" topográfico da entrada da região lagunar de Cananéia (da Ilha do Bom Abrigo à cidade de Cananéia).

"Croquis" topográfico da entrada da região lagunar de Cananéia (da Ilha do Bom Abrigo à cidade de Cananéia).

Há alguns anos está este Instituto empenhado em pesquisas na região lagunar de Cananéia, pesquisas essas cuja necessidade e oportunidade já foram plenamente justifi[r]

3 Ler mais

Estudo da poluição hídrica do complexo estuarino de Paranaguá–PR, causado pela presença de HPAS, n-alcanos e contaminantes emergentes

Estudo da poluição hídrica do complexo estuarino de Paranaguá–PR, causado pela presença de HPAS, n-alcanos e contaminantes emergentes

Após as avaliações realizadas por este estudo, verificou-se outras possibilidades para estudos futuros, como oportunidades de ampliar a compreensão da área estudada. Desta forma, recomenda-se que sejam realizadas análises dos compostos emergentes no sedimento do Complexo Estuarino de Paranaguá. Outra grande fonte de informações a serem desbravadas são as outras matrizes disponíveis para análises de HPAs, n-alcanos e contaminantes emergentes, como o biofilme, a vegetação de entorno do corpo hídrico, a água subterrânea e os animais, em especial, animais de utilização para consumo ou de interesse comercial já que a região é caracterizada pelo comércio de animais marinhos.
Mostrar mais

96 Ler mais

Ocorrência do "Camarupim": Megalops atlanticus Val., na região lagunar de Cananéia.

Ocorrência do "Camarupim": Megalops atlanticus Val., na região lagunar de Cananéia.

The author supposes that the specimens captured belonged to a small shoal and entered the lagoon region after a long migration.. On a collection of fishes from [r]

3 Ler mais

Diagnóstico geoquímico e geocronologia do sistema  estuarino-lagunar do roteiro Alagoas

Diagnóstico geoquímico e geocronologia do sistema estuarino-lagunar do roteiro Alagoas

Os resultados máximos obtidos para os elementos metálicos investigados nesta pesquisa (Fe, Mn, Al, Ni, Co, Cd, Pb e Cu) nas 61 amostras de sedimentos, estão relacionados na Tabela 4. Analisando-se a Tabela 4, verifica-se que os três testemunhos não apresentaram contaminação para os elementos Ni, Pb e Cu. O Cd apresentou o valor 0,16 mg.Kg -1 que é maior que os valores indicativos da qualidade dos sedimentos descritos na literatura. Este resultado da comparação é significativamente inferior aos valores encontrados para os elementos Ni (8,5 mg.Kg -1 ), Pb (7,78 mg.Kg -1 ) e Cu (11mg.Kg -1 ) utilizando-se os 2 critérios que avaliam a qualidade dos sedimentos, o canadense, com os 3 testemunhos abaixo dos limites ISQG e PEL, e o americano, também com os 3 testemunhos abaixo dos limites ERL e ERM. Esses dados sugerem que a fração biodisponível dos metais não representam riscos de contaminação ao Sistema Estuarino Lagunar do Roteiro. Na Tabela 5 verificou-se que os valores obtidos das concentrações desses metais dissolvidos na água apresentaram valores superiores àqueles estabelecidos pela legislação do CONAMA/2005-2001. E portanto esses resultados demonstram um ambiente de fundo do Sistema Estuarino Lagunar de médio impacto por esses metais.
Mostrar mais

130 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados