Top PDF Determinação de metais em amostras de água do mar da Baía da Babitonga, São Francisco do Sul - SC

Determinação de metais em amostras de água do mar da Baía da Babitonga, São Francisco do Sul - SC

Determinação de metais em amostras de água do mar da Baía da Babitonga, São Francisco do Sul - SC

A Baía da Babitonga é um estuário que possui conexão direta com o oceano. É a maior baía navegável de Santa Catarina e conta com o porto de São Francisco do Sul. A baía apresenta potenciais plumas de emissão de contaminantes, tais como esgotos domésticos e efluentes industriais. Tendo em vista a possível emissão de elementos químicos potencialmente tóxicos, faz-se necessária uma análise quantitativa dessas espécies. Neste contexto, o objetivo deste estudo foi determinar as concentrações de chumbo, cádmio, cobre e zinco em amostras de água da Baía da Babitonga. As amostras foram obtidas de coletas efetuadas nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2014, em três diferentes pontos da baía, sendo que em cada ponto de amostragem foram medidos os parâmetros físico-químicos que indicara que a Baía possui características homogêneas dentro de sua extensão. Foi desenvolvido um estudo para otimizar o método para determinação dos metais na água no mar, envolvendo uma etapa de digestão das amostras em um reator fotoquímico, na qual o melhor tempo de digestão foi de 9 min e um estudo para determinar as melhores condições instrumentais para que os metais fossem quantificados por voltametria de redissolução anódica. O método voltamétrico foi otimizado, sendo que o tempo de pré-concentração de 300s foi o suficiente para detectar os analitos na ordem de nmol L -1 , apresentando uma faixa linear de trabalho entre 0,1 e 8 · 10 -7 mol L -1 para
Mostrar mais

53 Ler mais

Determinação de metais em ostras na Baía da Babitonga, São Francisco do Sul – Santa Catarina (SC)

Determinação de metais em ostras na Baía da Babitonga, São Francisco do Sul – Santa Catarina (SC)

Os metais são introduzidos no meio ambiente através de várias fontes, tais como uso de fertilizantes e pesticidas, processos de combustão, efluentes industriais, entre outras. Considerando que os metais não são biodegradáveis, possibilitando seu acúmulo no meio, o conhecimento dos seus níveis de concentração em organismos vivos é fundamental para a saúde dos próprios animais e de seres humanos, que os consomem. As ostras, assim como outros animais, têm a capacidade de bioconcentrar componentes químicos em sua estrutura, podendo se tornar a principal via de transferência de diversos contaminantes através da alimentação. Portanto, o objetivo desse trabalho foi determinar os níveis de metais em ostras coletadas na Baía da Babintonga, São Francisco do Sul, Santa Catarina. As coletas foram efetuadas in natura nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2014, em que houve uma maior ocorrência desses bivalves. Foram analisados os teores de umidade e cinzas, os quais variaram de 74,63% a 82,45% em relação à umidade e 3,68% a 5,67% em relação às cinzas. Para a determinação dos metais (Fe, Cu, Pb, Cr, Zn e Cd) os tecidos das ostras foram liofilizadas e em seguida submetidos a uma digestão ácida em bloco digestor. Esses metais foram quantificados através da técnica de espectrofotometria de emissão atômica por plasma acoplado indutivamente (ICP-OES) utilizando calibração externa. Os teores de ferro variaram entre 149,33 a 536,67 mg/Kg, o cobre variou entre 22,67 e 94,00 mg/Kg, o chumbo ficou entre 0,67 e 16,67 mg/Kg, os teores de zinco variaram de 1070,00 a 3373,33 mg/Kg, o cádmio variou entre 1,33 e 4,00 mg/Kg, e por fim o cromio não foi quantificado. Comparando os resultados obtidos com as legislações impostas pela ANVISA e pela WHO, alguns metais como o zinco e o chumbo, apresentam teores acima dos limites estabelecidos por esses órgãos, destacando a necessidade de estudos mais aprofundados sobre a presença desses metais nessa área.
Mostrar mais

52 Ler mais

Determinação de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) em sedimentos da Baía da Babitonga - São Francisco do Sul (SC)

Determinação de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) em sedimentos da Baía da Babitonga - São Francisco do Sul (SC)

Muitos dos estudos envolvem a determinação da concentração de HPAs em solo e sedimentos, uma vez que estes são os principais destinos destes compostos no ambiente. Nos corpos de água, os HPAs são geralmente adsorvidos pelas partículas em suspensão e rapidamente conduzidos para o sedimento de fundo. Características como, baixa solubilidade em água e baixa pressão de vapor fazem com que as perdas dos compostos por degradação microbiológica e fotólise ocorram em menor proporção, contribuindo com o armazenamento dos HPAs (Froehner et al, 2008). Neste contexto, os sedimentos têm uma grande importância no estudo da contaminação ambiental, por serem reconhecidos como reservatórios, transportadores, fontes de nutrientes e contaminantes (PIRES, 2012).
Mostrar mais

48 Ler mais

Estratégias alternativas de preparo de amostras para a determinação de metais em alimentos por espectrometria de absorção atômica em chama

Estratégias alternativas de preparo de amostras para a determinação de metais em alimentos por espectrometria de absorção atômica em chama

Diversos procedimentos têm sido estabelecidos com o intuito de minimizar, ou até mesmo, evitar o processo de preparação de amostra, tendo em vista as dificuldades que são encontradas durante esta etapa do processo analítico [10]. Neste sentido, a técnica de amostragem de suspensão apresenta-se como uma alternativa que tem sido usada com sucesso para a análise de diversas matrizes, tais como, matrizes biológicas, ambientais, geológicas e de alimentos. Originalmente empregada por Brady et al. na determinação de zinco e chumbo em folhas e sedimentos marinhos [11,12], a amostragem de suspensão oferece algumas vantagens quando comparada aos procedimentos convencionais de solubilização de amostras. Dentre as quais, podemos citar: a simplificação da etapa de pré- tratamento da amostra, diminuindo o tempo de análise e o trabalho operacional; minimização do risco de contaminação da amostra; eliminação ou redução de perdas de analitos que podem eventualmente se volatilizar durante a etapa de pré- tratamento; minimização do custo de análise; redução do consumo de reagentes perigosos e corrosivos; pode ser aplicada para a análise de amostras orgânicas e inorgânicas; pode ser aplicada na determinação de elementos voláteis seguida da técnica de geração de hidretos; possibilita análise de especiação, desde que uma apropriada reação de derivatização ou procedimento de separação seja usado; possibilita ainda o uso de padrões aquosos para a calibração [7,10,13]. Além disso, vale ressaltar que existe a possibilidade de sua mecanização ou automação com o intuito de se facilitar a introdução da amostra, bem como a adição de reagentes e/ou modificadores químicos por meio da utilização de sistemas em fluxo [7,10]. Todavia, apresenta algumas desvantagens, como problemas relacionados à homogeneidade da suspensão preparada e, conseqüentemente, a sua manutenção no momento da detecção, o que pode comprometer a exatidão do método analítico [10].
Mostrar mais

95 Ler mais

Extração induzida por quebra de emulsão: uma nova estratégia para determinação de metais traços em amostras de óleo

Extração induzida por quebra de emulsão: uma nova estratégia para determinação de metais traços em amostras de óleo

15 interferências de fundo, o argônio utilizado para geração do plasma foi misturado com oxigênio, melhorando a capacidade de oxidação da matéria orgânica (o próprio biodiesel). Diversos parâmetros operacionais foram otimizados e o método foi aplicado na determinação dos analitos em oito amostras de biodiesel. Ensaios de recuperação foram realizados variando entre 82 a 114%. Souza e colaboradores (2008) também empregaram a técnica de ICP OES com visão axial para a determinação de espécies metálicas em biodiesel. Neste trabalho foram determinados Ca, Cu, Fe, Mg, Mn, Na além do fósforo. Um aspecto interessante deste trabalho foi que os autores empregaram a técnica de injeção de emulsão. O Triton X-100 foi utilizado para emulsificação da amostra. Este procedimento mostrou-se vantajoso, uma vez que possibilitou a calibração com padrões aquosos, evitando assim a utilização de padrões organometálicos oleosos, que apresentam alto custo e baixa estabilidade.
Mostrar mais

154 Ler mais

Estratégias para determinação de elementos traço em amostras ambientais e alimentícias da Baía de Todos-os-Santos por técnicas espectroanalíticas

Estratégias para determinação de elementos traço em amostras ambientais e alimentícias da Baía de Todos-os-Santos por técnicas espectroanalíticas

apresentaram em maiores concentrações nas macroalgas, sedimentos e fanerógama foram: Fe > Sr > Mn > Zn > Cu. As maiores concentrações de Pb, V e Zn foram encontradas em Caboto; Ni em amostras de Padina sp. de Madre de Deus e Bimbarras, e de Caulerpa sp. na Ilha do Medo. Manganês apresentou as mais altas taxas na Ilha do Medo e Cd em Bimbarras. O cozimento provoca modificações na composição elementar de peixes, bivalves e mariscos. Molibdênio, Ba, Ca, Cr, Cu e Mn apresentaram aumento em suas concentrações, em pelo menos uma das matrizes; Cd, Fe, K, Li, Mg, Na, Ni, Pb e Si mostraram uma tendência de diminuir suas concentrações pelo cozimento, e Sr e Zn não apresentaram uma tendência para a variação em função do cozimento. Com relação às amostras ambientais, as mais altas concentrações de Hg foram encontradas em Salinas da Margarida, em todos os períodos de coleta. Embora os valores de Hg encontrado nos sedimentos de todas as regiões estejam abaixo dos valores legislados, a concentração em algumas macrófitas foi bastante elevada, evidenciando a necessidade de monitorar a Baía de Todos os Santos.
Mostrar mais

201 Ler mais

Aplicação do farelo da casca de pinhão na remoção de metais traço e corantes de amostras de água

Aplicação do farelo da casca de pinhão na remoção de metais traço e corantes de amostras de água

A água e o solo são os pontos de entrada mais comuns no ambiente para os metais traço, cuja tendência para a bioacumulação e biomagnificação em animais e humanos os torna perigosos do ponto de vista de saúde pública. A definição entre os dois termos é que a bioacumulação é um termo geral que descreve um processo pelo qual substancias (ou compostos químicos) são absorvidas pelos organismos. O processo pode ocorrer de forma direta, quando as substâncias são assimiladas a partir do meio ambiente (solo, sedimento, água) ou de forma indireta pela ingestão de alimentos quem contém essas substâncias. Esses processos frequentemente ocorrem de forma simultânea, em especial em ambientes aquáticos. Já a biomagnificação (ou magnificação trófica) é um fenômeno que ocorre quando há acúmulo progressivo de substâncias de um nível trófico para outro ao longo da teia alimentar. Assim, os predadores de topo têm maiores concentrações dessas substâncias do que suas presas (KEHRING et al., 2011)
Mostrar mais

105 Ler mais

Avaliação da bioacumulação de metais tóxicos em ostras, em condições simuladas do descarte da água produzida no mar

Avaliação da bioacumulação de metais tóxicos em ostras, em condições simuladas do descarte da água produzida no mar

A água produzida (AP) é um dos principais problemas na indústria do petróleo devido ao grande volume de produção e a sua elevada complexidade. Para realização do seu descarte em ambientes marinhos é necessária a remoção de substâncias tóxicas presentes no meio, entre essas encontram-se os metais. Estes quando presentes no ambiente aquático, mesmo em baixas concentrações, são capazes de se bioacumular nos organismos, principalmente os filtradores a exemplo dos moluscos bivalves como as ostras. Diante disto, o presente trabalho objetivou a avaliação do potencial bioacumulativo de ostras (Crassostrea brasiliana), como bioindicadores da contaminação das águas marinhas por metais. Para isso, foi simulado o descarte de água produzida real proveniente da Bacia Potiguar, em concentrações distintas em água do mar oriunda da praia de Areia Preta/RN. Os parâmetros físico-químicos da água, tais como pH, temperatura, salinidade, oxigênio dissolvido, sólidos totais dissolvidos e condutividade e a concentração dos metais foram avaliados diariamente, assim como o tecido das ostras expostas a tais condições. Para a determinação dos metais Cádmio, Cobalto, Cobre, Níquel e Chumbo nas amostras de água e ostras, a decomposição foi realizada através do sistema fechado assistido por radiação micro-ondas, utilizando a técnica de espectrometria de emissão óptica com plasma acoplado indutivamente (ICP- OES) para quantificação. Observou-se um decaimento da concentração de todos os metais em água ao longo do tempo, conforme o esperado, evidenciado a absorção destes pelas ostras. Em ambiente com maior teor das águas produzidas esta absorção foi limitada. Nos aquários contendo maior concentração de água produzida, a sobrevivência foi de apenas 70 horas. Foi observado também que, quanto menor a concentração de AP e metais no meio, maior a taxa de remoção. Os resultados obtidos após análise das ostras mostraram que quanto menor a concentração dos metais na água, maior o potencial de absorção destes pelas ostras. Portanto, conclui-se que os ensaios de exposição das ostras frente à água produzida mostra que estas podem sim funcionar como espécies indicadoras de contaminação de ambientes aquáticos e que a técnica de Espectrometria de Emissão Óptica com Plasma Indutivamente Acoplado foi eficiente na determinação de metais nas matrizes estudadas, apresentando boa linearidade (r 2 >
Mostrar mais

98 Ler mais

Sistema pesqueiro da Baía da Babitonga, litoral norte de Santa Catarina: uma abordagem etnoecológica

Sistema pesqueiro da Baía da Babitonga, litoral norte de Santa Catarina: uma abordagem etnoecológica

Essa concepção interdisciplinar e sistêmica da pes- ca artesanal inspirou este trabalho, que tem por objetivo descrever a pesca artesanal desenvolvida no estuário da Baía da Babitonga, f[r]

10 Ler mais

ESTUDO DA QUALIDADE DO AR NO MUNICÍPIO DE  SÃO FRANCISCO DO SUL/SC

ESTUDO DA QUALIDADE DO AR NO MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC

O crescimento industrial e da frota veicular nas cidades brasileiras tem aumentado a necessidade de se caracterizar a qualidade do ar em função dos poluentes gasosos emitidos por essas fontes. Nesse sentido, o presente estudo teve por objetivo analisar a qualidade do ar do município de São Francisco do Sul/SC. Para isso, foram coletadas amostras de água da chuva para verificar a ocorrência de chuva ácida, bem como foram levantadas informações sobre a existência de fontes de emissões atmosféricas e sobre as condições meteorológicas da região. Como resultado, verificou-se a ocorrência de dois episódios de chuva ácida e um caráter mais básico da precipitação pluviométrica no ponto de amostragem. Além disso, a partir da identificação e localização de potenciais fontes de poluição do ar, o órgão ambiental municipal passou a ter em mãos dados que possibilitarão tomadas de decisão mais efetivas quanto ao ordenamento territorial, assim como a definição de um sistema de gerenciamento da qualidade do ar da cidade em questão.
Mostrar mais

24 Ler mais

Avaliação de metais e radionuclídeos em amostras de água e lodo de estações de tratamento de água da região metropolitana do Recife

Avaliação de metais e radionuclídeos em amostras de água e lodo de estações de tratamento de água da região metropolitana do Recife

O Al é um metal prateado, leve, maleável, dúctil, com alta condutividade elétrica e boa resistência à corrosão. É um dos metais mais abundante na crosta terrestre e não ocorre no seu estado nativo (DNPM, 2013). Este elemento na forma química de sulfato de alumínio apresenta um risco a vida aquática, pois ele possui habilidade de ligar-se ao fósforo imobilizando o que acaba por a afetar o ciclo deste elemento essencial a vida aquática (TAVARES, 2003). A ingestão, contudo não está relacionada diretamente a riscos a saúde, em concentrações moderadas, sendo este elemento enquadrado como um parâmetro organoléptico de potabilidade (BRASIL, 2011). No lodo ele está presente em grande abundância, principalmente em ETA’s que utilizam coagulante químico o Sulfato de Alumínio, correspondendo a até 40% do resíduo gerado (ARAÚJO, 2006; RICHTER, 2001).
Mostrar mais

92 Ler mais

Ecologia alimentar e espacial da toninha (pontoporia blainvillei) e do boto-cinza (Sotalia guianensis) na Baía da Babitonga, Sul do Brasil

Ecologia alimentar e espacial da toninha (pontoporia blainvillei) e do boto-cinza (Sotalia guianensis) na Baía da Babitonga, Sul do Brasil

da Baía da Babitonga, área de estudo do presente trabalho. Os objetivos deste estudo foram (1) caracterizar os padrões de distribuição de toninhas e botos- cinza em relação aos ciclos de maré; (2) avaliar a disponibilidade de presas dos golfinhos; (3) e relacionar os padrões de distribuição dos golfinhos com a disponibilidade de presas no ambiente. As distribuições foram amostradas através de varreduras (survey) entre os anos de 2004 e 2014. Os registros de grupos de golfinhos foram segregados seguindo as categorias: início da enchente (E1), final da enchente (E2), início da vazante (V1) e final da vazante (V2). Seguindo os mesmos períodos de maré, foram realizados arrastos de fundo com redes de portas e cercos de praia com picaré para amostrar a disponibilidade de presas. Dentre as 82 espécies ícticas amostradas, 15 são presas da toninha, 20 do boto-cinza. Foram observadas variações significativas da abundância e biomassa de presas. As assembleias de presas da toninha e do boto-cinza apresentaram maiores abundância e biomassa no final da vazante e início da enchente (baixa-mar) e menores valores no fim da enchente e início da vazante (preamar). A toninha teve uma distribuição que corresponde a expectativa a priori de que os indivíduos estariam mais dispersos no período em que as presas estão menos disponíveis. O boto-cinza, por outro lado, não demonstrou um padrão tão coerente com esta expectativa, mas foi observada correlação direta entre a sua distribuição e a disponibilidade de tainhas (Mugil spp.), presas de grande importância na dieta da espécie. A maré demonstrou ser um importante condicionante dos padrões de distribuição de presas e consequentemente predadores, no ambiente estuarino.
Mostrar mais

142 Ler mais

Hábito alimentar de Nyctanassa violacea (Linnaeus, 1758)(Pelecaniformes, ardeidae), durante o período reprodutivo, na ilha Jarivatuba, Baía Babitonga, SC

Hábito alimentar de Nyctanassa violacea (Linnaeus, 1758)(Pelecaniformes, ardeidae), durante o período reprodutivo, na ilha Jarivatuba, Baía Babitonga, SC

violacea durante a temporada reprodutiva na Ilha Jarivatuba, Baía Babitonga (SC), verificando de que forma a ave utiliza os recursos para suprir suas necessidades alimentar[r]

102 Ler mais

Adaptação do método de determinação do δ15N do íon nitrato em amostras de água superficial

Adaptação do método de determinação do δ15N do íon nitrato em amostras de água superficial

capacidade da hemoglobina de transportar oxigênio é bloqueada por nitritos, causada pela conversão de nitratos no estômagos, causando privação de oxigênio e levando ao sufocamento (Harte et al., 1991); câncer de estômago, devido a reação do nitrito com componentes orgânicos naturais e sintéticos produzindo compostos N- Nitroso, que são carcinogênicos; distúrbios reprodutivo (Car e Neary, 2008); e, além disso, evidências epidemiológicas apontam para risco à função tireoidiana, associados à ingestão de água com elevadas concentrações de nitrato (Van Maanen et al., 1994). Atualmente, poucas agências de água adotam qualquer abordagem
Mostrar mais

83 Ler mais

Uso de extração em fase sólida para determinação de metais em amostras aquosas através de espectrometria atômica em chama

Uso de extração em fase sólida para determinação de metais em amostras aquosas através de espectrometria atômica em chama

A SPE, técnica de preparação de amostra utilizada neste trabalho, além de pré-concentrar a amostra, ainda elimina os interferentes da matriz 12 . As vantagens da SPE sobre a LLE são a facilidade de uso, alto fator de pré-concentração e flexibilidade na escolha do melhor sorvente para o analito a ser determinado. Entretanto, existem também alguns inconvenientes, como perda de seletividade devido a pré-concentração de outros metais presentes na amostra, que são minimizados pela alta seletividade da técnica utilizada (F AAS).

36 Ler mais

Síntese de novos polímeros com íons impressos e sua aplicação na pré-concentração e determinação de metais em amostras de alimentos

Síntese de novos polímeros com íons impressos e sua aplicação na pré-concentração e determinação de metais em amostras de alimentos

Todos os reagentes utilizados nos experimentos foram de grau analítico. Água deionizada ultrapura proveniente de um sistema de purificação Elga (modelo Easypure) foi utilizada em todo o trabalho. Soluções-tampão acetato de sódio (pH 3,5 - 5,5), borato de sódio (pH 6,5 - 8,5) e amoniacal (pH 9,0 - 10,0) foram utilizados para ajustar o pH das soluções quando necessário. Uma solução padrão de cobre (Fluka) a (1000 mg L -1 ) foi utilizada para o preparo diário de soluções de cobre de menor concentração. As soluções de ácido clorídrico, nítrico e sulfúrico utilizadas como eluentes foram preparados por diluição direta das soluções concentradas (neste caso, todas provenientes da Merck). Ácido cromotrópico (Aldrich), vinilpiridina (Aldrich), metanol (CRQ), estireno (Aldrich), divinilbenzeno (Aldrich) e 2,2- azobisisobutironitrila (Aldrich) foram utilizados para síntese do polímero. Para verificar a exatidão da metodologia proposta, foram utilizados os seguintes materiais de referência certificados: tomato leaves 1573a, apple leaves 1515 e spinach leaves, provenientes do National Institute of Standards and Technology (NIST) .
Mostrar mais

106 Ler mais

Métodos de microextração em fase líquida para a determinação espectrométrica de mercúrio em amostras de frutos do mar e óleo de peixe

Métodos de microextração em fase líquida para a determinação espectrométrica de mercúrio em amostras de frutos do mar e óleo de peixe

Dentro do conceito de Química Verde, na qual busca-se evitar o uso de substâncias nocivas, o desenvolvimento de processos que minimizem a quantidade de resíduos que são gerados em procedimentos químicos e a substituição de solventes que emitem compostos orgânicos voláteis (VOC's), tem recebido grande destaque nos últimos anos com a finalidade de reduzir o impacto sobre o meio ambiente e a exposição humana a substâncias perigosas [1-3]. Uma das maneiras que os pesquisadores, em Química Analítica, encontraram, foi a miniaturização das técnicas de extração/separação [4-6]. Técnicas miniaturizadas possuem como principais vantagens a grande diminuição e/ou não utilização de solventes orgânicos voláteis, facilidade de operação, pequenas quantidades de amostras necessárias, possibilidade de automação, relativo baixo custo e o não comprometimento da análise química, uma vez que o preparo da amostra também inclui a sua compatibilização com a técnica analítica que fornecerá os dados químicos [7-12]. A noção de miniaturização em extração foi introduzida e colocada em prática em 1990 por Pawliszyn e Arthur [13]. Nos dias atuais, o termo microextração (ME) é normalmente utilizado para denominar metodologias que utilizam pequenos volumes de solventes (até 0,1 mL), ou quando se utilizam pequenas massas de algum adsorvente (até 5 mg), apesar de alguns trabalhos relatarem o uso de 10 mg, para a extração de analitos ou espécies interferentes em amostras líquidas ou gasosas, também de volume reduzido (normalmente de 5-10 mL). Desta maneira, de acordo com o estado físico do extrator, os métodos de ME são divididos em microextração em fase sólida (SPME) e microextração em fase líquida (LPME).
Mostrar mais

89 Ler mais

Etnoecologia e captura acidental de golfinhos (Cetacea: Pontoporidae e Delphinidae) na Baía da Babitonga, Santa Catarina

Etnoecologia e captura acidental de golfinhos (Cetacea: Pontoporidae e Delphinidae) na Baía da Babitonga, Santa Catarina

Este trabalho faz uma análise etnoecológica da captura acidental de golfinhos das espécies Pontoporia blainvillei e Sotalia guianensis pela pesca artesanal na Baía da Babitonga (Santa Ca[r]

7 Ler mais

Metais pesados em amostras biológicas de bovinos.

Metais pesados em amostras biológicas de bovinos.

O objetivo deste trabalho foi determinar a concentração de metais pesados no sangue (Pb, Ni e Cd), soro (Cu e Zn), pelo e leite (Pb, Ni, Cd, Cu e Zn) de bovinos criados em área industrializada (com siderúrgicas) e não-industrial do Estado de Minas Gerais, em amostras coletadas em duas épocas (inverno e verão), buscando avaliar a contaminação em animais em função do ambiente de exposição e da estação do ano. O local de criação dos animais afetou significativamente somente a concentração de Cu obtida nas amostras de soro, com maiores valores determinados no grupo de bovinos da região industrializada. A época de amostragem afetou a concentração dos metais Cu (soro), Zn (soro e leite), Pb (sangue) e Cd (sangue e pelo), com as determinações efetuadas no verão proporcionando maiores teores do que as executadas no inverno, à exceção do Cd avaliado no pelo. Interações significativas (P<0,05) entre área de criação e época do ano foram verificadas para Cu (pelo e leite), Zn (pelo) e Ni (soro, pelo e leite). Os resultados obtidos indicam que a presença de siderúrgicas em determinada região não implica, necessariamente, incrementos nas concentrações de metais pesados em matrizes biológicas de bovinos. Pode haver influência da sazonalidade nas concentrações de metais pesados obtidas nessas matrizes, fato que deve ser considerado em programas de monitoramento ambiental.
Mostrar mais

8 Ler mais

Comportamento de metais pesados e nutrientes nos sedimentos de fundo da Baía do Guajará e Baía do Marajó

Comportamento de metais pesados e nutrientes nos sedimentos de fundo da Baía do Guajará e Baía do Marajó

A contaminação dos ecossistemas aquáticos pode ser investigada analisando-se a água ou o sedimento e comparando-se os dados obtidos com o seu backrgound natural, mas, mensurações em curto tempo em águas são muitas vezes inconclusivas devido à mudanças na descarga líquidas e locais de emissões irregulares. Já os sedimentos são formados por numerosas partículas (grosseiras e finas) e matéria orgânica; as partículas finas constituem a maior parte do sedimento, podendo reter substâncias contaminantes por muito tempo, especialmente metais pesados que são fortemente adsorvidos por argilominerais e pela fração orgânica (Förstner & Muller, 1973).
Mostrar mais

100 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados