Top PDF Determinação do tempo de retorno de investimento em sistema fotovoltaico conectado à rede em Curitiba-PR

Determinação do tempo de retorno de investimento em sistema fotovoltaico conectado à rede em Curitiba-PR

Determinação do tempo de retorno de investimento em sistema fotovoltaico conectado à rede em Curitiba-PR

A função do MPPT é fazer a máxima transferência de potência instantânea disponível. Sabe-se que no módulo a corrente é diretamente proporcional a irradiância e é pouco afetada pelo acréscimo de temperatura. Ao contrário, a tensão e a potência são significativamente afetadas com o aumento de temperatura. Portanto a potência é uma grandeza que é afetada tanto pela irradiância quanto pela temperatura. As variações de temperatura são normalmente de dezenas de segundos enquanto que as variações de irradiância são da ordem de segundos. Por exemplo, um dia nublado apresentaria uma curva de irradiância diária composta de muita volatilidade graças a influência da radiação difusa. Então depreende-se que seria mais fácil tratar a variável tensão que oscila mais lentamente do que a variável corrente que sofre mudanças instantâneas. O MPPT atua sobre a eletrônica do inversor de modo a manter o SFCR operando na tensão correspondente a VMP, maximizando assim a geração de energia. Este sistema é composto pelo circuito de potência e o de controle. No caso do inversor de dois estágios, o MPPT consiste em um conversor CC-CC chaveado que permite uma maior flexibilidade na tensão de entrada, as custas de uma redução da ordem de 2% na eficiência global do inversor (PINHO; GALDINO, 2014).
Mostrar mais

150 Ler mais

Projeto e dimensionamento de um Sistema Fotovoltaico conectado à rede: estudo de caso Empresa de Fertilizantes

Projeto e dimensionamento de um Sistema Fotovoltaico conectado à rede: estudo de caso Empresa de Fertilizantes

A análise financeira foi realizada considerando três cenários base com respeito ao preço da energia elétrica. Para isso relacionou-se o histórico da tarifa de energia elétrica fora de ponta da Copel Distribuidora com o histórico no mesmo período da inflação (IPCA). A determinação do investimento inicial foi definida pelo preço encontrado no mercado para os inversores, módulos e outros equipamentos selecionados (condutores, proteção, estruturas, etc). A estimativa dos custos em serviços, tais como, projeto, instalação e manutenção para o gerador fotovoltaico deu-se com base em estudos publicados na área de mercado fotovoltaico. Por fim obteve-se os indicadores econômicos VPL (Valor Presente Líquido), TIR (Taxa Interna de Retorno) e Pay-Back Descontado (tempo de retorno considerando a taxa de desconto) para cada cenário analisado, considerando um horizonte de 25 anos, que representa a vida útil média dos sistemas fotovoltaicos, e as opções de levantamento do montante de investimento inicial com financiamento bancário ou através de recursos próprios. Como forma de demonstrar o efeito negativo da cobrança de ICMS sobre a energia injetada na rede, repetiu-se o cálculos dos indicadores econômicos para os três cenários considerando a isenção do imposto nos moldes do Convênio ICMS 16. Os resultados obtidos pelos indicadores forneceram a base para seleção da proposta final e a avaliação de viabilidade.
Mostrar mais

171 Ler mais

Repositório Institucional UFC: Dimensionamento de sistema fotovoltaico conectado à rede aplicado a uma fábrica de polpas de fruta

Repositório Institucional UFC: Dimensionamento de sistema fotovoltaico conectado à rede aplicado a uma fábrica de polpas de fruta

Diante da grande ascensão do mercado de energia fotovoltaica, em paralelo com os incentivos e regulamentação deste setor, apresentam-se os fundamentos dos conceitos mais importantes deste tema e a metodologia para dimensionamento de sistemas fotovoltaicos conectados à rede. As constantes secas, principalmente na região nordeste, vêm ocasionando o agravamento da crise energética no país, pois as fontes hidráulicas são responsáveis por cerca de 65% da produção de energia nacional. Assim, a crise nacional energética vem castigando pequenos e médios consumidores, cujos faturamentos de energia apresentam constantes aumentos significativos. Como solução, as energias renováveis vêm ganhando cada vez mais espaço nos cenários das regiões brasileiras. Prova disto, a energia fotovoltaica teve crescimento recorde em 2015 e começa 2016 com perspectiva de crescer 300%. Assim, este trabalho tem como objetivo orientar aqueles que buscam soluções viáveis para diminuírem seus custos com energia elétrica investindo em sistemas fotovoltaicos conectados à rede (SFCR). São apresentadas detalhadamente as principais informações relevantes para correto dimensionamento de um SFCR. Com intuito de realizar um dimensionamento real, apresenta-se um SFCR projetado para atender 50% do consumo de uma fábrica de polpas de fruta, localizada na cidade de Caucaia, Ceará. O SFCR dimensionando demostrou-se capaz de fornecer 49,62 % do consumo médio demandado pela unidade consumidora, além disso, estimou-se que o tempo de retorno para o investimento necessário à sua instalação será no 9ᴼ ano de operação do sistema.
Mostrar mais

92 Ler mais

Estudo de viabilidade econômica de um sistema fotovoltaico conectado a rede de média tensão para um consumidor em Fortaleza - CE.

Estudo de viabilidade econômica de um sistema fotovoltaico conectado a rede de média tensão para um consumidor em Fortaleza - CE.

A crise energética nacional vem causando constantes aumentos bastante superiores a inflação nos preços das tarifas de energia elétrica. Devido ao elevado custo da energia elétrica e à regulamentação completa dos sistemas de geração conectados a rede de distribuição, os sistemas fotovoltacos estão se tornando alternativas viáveis aos pequenos e médios consumidores. Este trabalho apresenta uma análise técnica de um dimensionamento fotovoltaico para um cliente específico com características bastante comuns na região e visa tambem investigar a viabilidade financeira para justificar o investimento do cliente e outros consumidores. O dimensionamento do sistema fotovoltaico é feito baseado na Resolução Normativa nº 482 de 2012 e na Resolução Normativa nº 687 de 2015 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O estudo da viabilidade financeira é feito levando-se em consideração o tempo de retorno (Payback), taxa interna de retorno (TIR) e valor presente líquido (VPL). A partir dos parâmetros obtidos na análise financeira, o investimento em geração de energia elétrica por um sistema fotovoltaico se mostrou viável e vantajoso ao cliente em estudo.
Mostrar mais

58 Ler mais

Dimensionamento e avaliação econômica de um sistema fotovoltaico conectado à rede em uma instituição sem fins lucrativos.

Dimensionamento e avaliação econômica de um sistema fotovoltaico conectado à rede em uma instituição sem fins lucrativos.

Resumo: A energia solar é uma possibilidade de energia renovável que contribui para amenizar os problemas hídricos na geração de energia, além disso, pode resultar em benefícios financeiros quando minimizado os gastos de instalação. Para tal, a escolha entre as tecnologias disponíveis no mercado, como a tipologia de placas solares e o dimensionamento adequado do sistema são fundamentais para que a geração de energia seja eficiente. O presente trabalho sintetizou as etapas de dimensionamento e avaliação econômica de um Sistema Fotovoltaico Conectado à Rede (SFCR) tendo como exemplo uma organização social sem fins lucrativos. A análise de viabilidade econômica foi realizada com o auxílio do Software RETScreen, que calcula a rentabilidade do investimento considerado, através do cálculo do valor presente líquido, da taxa interna de retorno e do tempo de retorno. Na metodologia desenvolvida, a análise de fluxo de caixa foi realizada na base anual considerando a tarifa da energia elétrica aplicada às unidades consumidoras comerciais atendidas pela CEMIG no mês de dezembro 2015, a taxa estimada de reajuste do custo da energia e as normas vigentes no estado de Minas Gerais. Considerando os valores mais realísticos para o investimento inicial, os custos variáveis e os custos evitados (pela redução no consumo de energia da rede elétrica), chegou-se à conclusão que a taxa de retorno do investimento é de 10,6% e o prazo de retorno é 9 anos.
Mostrar mais

25 Ler mais

Estudo da viabilidade econômica da instalação de um sistema fotovoltaico conectado a rede elétrica em um complexo poliesportivo de Curitiba

Estudo da viabilidade econômica da instalação de um sistema fotovoltaico conectado a rede elétrica em um complexo poliesportivo de Curitiba

Esta monografia apresenta o estudo de viabilidade econômica para a instalação de um sistema fotovoltaico conectado a rede elétrica de Curitiba. A base científica das informações sobre o tema é fundamentada com base em: literaturas, internet, Relatório da Pesquisa Energética (EPE), monografias e/ou dissertações. Utiliza-se no estudo de viabilidade econômica os dados do estudo de viabilidade técnica, realizado no mesmo local. Para a tomada de decisão paraimplementação do projeto, o estudo de viabilidade utilizou-se de três ferramentas da Engenharia Econômica: Valor Presente Líquido, Payback e TIR (Taxa Interna de Retorno). A análise de viabilidade econômica conta com o uso de programa de computador, gráficos, históricos de consumo. Cenários existentes na realidade econômica do país são consideradosa fim de confrontar os resultados obtidos. Para o retorno de investimento considerou-se os custos de implementação do projeto, observando-se o tempo de retorno. No caso da análise de viabilidade considerando as ferramentas Valor Presente Líquido e TIR, foram consideradas as mesmas premissas anteriormente, porém, observado nesta situação, o valor apresentado após a execução dos cálculos. Por fim, após a divulgação dos resultados obtidos,o estudo demonstrou-se emcondições econômicas favoráveis à execução do projeto.
Mostrar mais

48 Ler mais

Sistema fotovoltaico conectado à rede: estudo de caso em duas unidades consumidoras de mesma titularidade

Sistema fotovoltaico conectado à rede: estudo de caso em duas unidades consumidoras de mesma titularidade

Tendo o conhecimento da atual situação do Brasil, onde a crise energética vem causando um aumento considerável nas tarifas de energia nos últimos meses, com expectativa de continuar a aumentar, este presente trabalho tem como objetivo realizar um estudo de caso de duas unidades consumidoras de mesma titularidade, onde foi dimensionado um sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica, a fim de diminuir o valor mensal da fatura de energia, após feito o dimensionamento, foi realizado um estudo de viabilidade econômica levando em conta os custos de implementação e manutenção do sistema, a energia gerada pelo sistema e o valor a ser economizado mensalmente com as faturas de energia elétrica, além do cálculo de tempo te retorno do investimento e o valor total a ser economizado ao fim da vida útil do sistema.
Mostrar mais

91 Ler mais

Viabilidade econômico-financeira da implantação de um sistema fotovoltaico conectado à rede nos terminais e estações tubo do sistema de transporte público de Curitiba e análise de custos da implantação de uma frota elétrica de ônibus

Viabilidade econômico-financeira da implantação de um sistema fotovoltaico conectado à rede nos terminais e estações tubo do sistema de transporte público de Curitiba e análise de custos da implantação de uma frota elétrica de ônibus

A análise econômico-financeira é denominada desta maneira por haver diferenças entre as variáveis analisadas em um estudo econômico e em um estudo financeiro. A importância de conhecer as diferenças entre esses dois termos resulta na interpretação correta da situação do projeto a partir da aplicação correta dos métodos. Segundo Rossi (2015), a análise financeira estuda a liquidez e a capacidade da empresa de conseguir quitar os seus dividendos. A fim de definir se a empresa possui condições de realizar um investimento ou não a partir do capital de giro e para isso utiliza a análise do Fluxo de Caixa da empresa sem considerar a variação do dinheiro no tempo. Rossi (2015) ainda define análise econômica como uma avaliação da rentabilidade e lucratividade do desempenho da empresa com foco no retorno dos investimentos realizados, considerando a variação do dinheiro no tempo. As ferramentas utilizadas na análise econômica são o Valor Presente Líquido (VPL), a Taxa Interna de Retorno (TIR) e o Payback.
Mostrar mais

102 Ler mais

Estudo de eficiência energética e retorno de investimento para o uso de um veículo elétrico em conjunto com um sistema fotovoltaico instalado em Curitiba

Estudo de eficiência energética e retorno de investimento para o uso de um veículo elétrico em conjunto com um sistema fotovoltaico instalado em Curitiba

Essa monografia apresenta a análise em termos de eficiência energética e financeira – payback – do Sistema Fotovoltaico Conectado à Rede (SFCR) instalado em uma residência em Curitiba, seguida da análise comparativa deste resultado, considerando agora o proprietário da residência utilizando parte da energia acumulada na forma de créditos para o carregamento das baterias de um veículo elétrico para sua locomoção. A análise do retorno do investimento foi feita com a base de dados real disponibilizada pelo proprietário de Fevereiro de 2016 até Fevereiro de 2018. Os resultados alcançados com o estudo são bastante significativos. Além de gerar energia diretamente na unidade onde ela é consumida – permitindo assim, ao governo reduzir investimentos em geração, transmissão e distribuição de energia – o proprietário gera energia a partir de uma fonte renovável: o sol. Assim que o SFCR é instalado, o proprietário passa a economizar cerca de R$1.490,00 ao ano. Considerando apenas a instalação do SFCR, o payback calculado é de mais de 14 anos. Com a utilização de parte da energia gerada para carregar um carro elétrico, os resultados alcançados são bem expressivos. Ao deixar de utilizar o carro atual à combustão e passar a se locomover com o veículo elétrico, o proprietário, além de utilizar uma tecnologia totalmente livre de carbono, alcança uma economia extra-anual de R$ 7.300,00, reduzindo o payback do sistema para pouco mais de dois anos (aproximadamente 700% de redução). É inegável que alternativas energéticas e econômicas como as apresentadas nesse estudo são necessárias para um futuro sustentável. No Brasil, infelizmente o incentivo a essas alternativas é deficitário e por isso, estudos como os apresentados nessa análise são tão importantes para promover conhecimento no assunto e disseminá-lo.
Mostrar mais

57 Ler mais

Estudo do desempenho do sistema fotovoltaico conectado à rede: estudo de caso: escritório verde da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Curitiba

Estudo do desempenho do sistema fotovoltaico conectado à rede: estudo de caso: escritório verde da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Curitiba

Quedas abruptas nos índices de PR podem indicar ocorrências significativas impactando no desempenho do sistema, tais como inversores não operacionais ou atuação de proteção. Já pequenas diminuições ao longo do tempo no PR, podem indicar a existência de problemas menos graves, como, por exemplo, o acúmulo de poeira. Normalmente os valores de PR são demonstrados em intervalos de meses ou anos, sendo que intervalos menores podem ser úteis para identificar ocorrências ou falhas nos componentes do SFCR. Devido às perdas por temperatura dos módulos serem um dos fatores que mais influenciam na eficiência do sistema, os valores de PR tendem a serem maiores no inverno do que no verão (FUSANO apud BENEDITO, 2009).
Mostrar mais

114 Ler mais

Dimensionamento de um sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica de um prédio comercial em Curitiba

Dimensionamento de um sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica de um prédio comercial em Curitiba

O sistema de compensação tarifário adotado no Brasil, o net metering, tem por definição a geração de créditos de energia para troca com a distribuidora local de energia permitindo assim a redução do valor da sua fatura de energia elétrica a partir da geração independente de energia dentro da regulação de micro e mini geração, conforme resolução normativa número 482 do ano de 2012 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL),revisada em 24 de novembro de 2015 por meio da resolução normativa número 687 com alterações que passaram a valer em 1º de março de 2016. Nesta resolução o excedente de produção permite o acúmulo de créditos de energia para serem consumidos em até 60 meses. Este modelo limita um investimento superior a demanda de energia requerida uma vez que um superávit de produção não será remunerado. Isto compromete não só o retorno de investimento, mas como também a dispersão da aplicação de geração fotovoltaica.
Mostrar mais

74 Ler mais

Estudo de implantação de um sistema fotovoltaico conectado à rede (SFVCR) na câmara municipal de São José dos Pinhais

Estudo de implantação de um sistema fotovoltaico conectado à rede (SFVCR) na câmara municipal de São José dos Pinhais

No caso de uma junção pn se expor a fótons com energia maior que o espaço entre lacunas, serão gerados pares elétron-lacuna, e na hipótese de isso ocorrer na região onde o campo elétrico é diferente de zero, as cargas serão aceleradas, fazendo uma corrente através da junção. O deslocamento de cargas nada mais é que uma diferença de potencial, o qual é chamado de Efeito Fotovoltaico. Portanto caso duas extremidades do “pedaço” de silício forem conectadas com um fio, tem–se circulação de elétrons, ou seja, uma corrente (CRESESB, 2014). A intensidade da corrente gerada portando depende da proporção da intensidade da luz, estas características são diretamente proporcionais. A célula fotovoltaica não armazena energia elétrica, ela apenas mantém o fluxo de elétrons num circuito elétrico enquanto houver incidência de luz sobre ela. Esse fenômeno se denomina efeito fotovoltaico conforme é demonstrado na figura 3 (NASCIMENTO, 2004).
Mostrar mais

82 Ler mais

Sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica trifásica com conexão cascata de conversores cc-cc

Sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica trifásica com conexão cascata de conversores cc-cc

Conforme ilustrado na Figura 2.4a, a topologia de um único estágio consiste em um conversor CC-CA, este responsável por executar o MPPT, ou seja, a busca pelo ponto de máxima potência do arranjo FV, e injetar a energia disponível do arranjo FV na rede elétrica. Conforme pode-se notar, nesta topologia, o arranjo FV é conectado diretamente ao barramento CC do inversor, deste modo, é necessário estabelecer uma tensão mínima para o arranjo FV/barramento CC de modo que o sistema consiga operar corretamente, com isso, pode ocorrer casos em que não é possível operar no MPP do arranjo FV. Como o sistema possui perdas relacionadas aos componentes elétricos e eletrônicos, ao fluxo de energia e à comutação das chaves, tem-se que este valor de tensão, no mínimo, deve ser maior que o valor de pico da tensão de linha da rede elétrica trifásica (SILVA et al., 2015; OLIVEIRA et al., 2016; SILVA; TAKAMI; SAMPAIO, 2019).
Mostrar mais

125 Ler mais

Projeto e dimensionamento de um Sistema Fotovoltaico isolado/conectado à rede para atender a demanda de irrigação de UVA

Projeto e dimensionamento de um Sistema Fotovoltaico isolado/conectado à rede para atender a demanda de irrigação de UVA

Nos dias atuais, a irrigação constitui a maior fonte de consumo de água no planeta e, em geral, é realizada com o uso de motobombas e com grande desperdício de água e energia. Diante deste cenário, este projeto tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável do país através da popularização dos sistemas de pequeno porte para bombea- mento de água com energia solar fotovoltaica. Para isto, realizou-se um estudo de caso em uma propriedade de agricultura familiar, localizada na cidade de Salto do Lontra – PR, com 0,5 hectares de cultivo de uva irrigada por gotejamento através de uma motobomba de 7,5 CV alimentada por uma rede elétrica monofásica. A metodologia utilizada neste projeto consiste em, inicialmente, conferir se a motobomba atual foi corretamente dimensionada, empregando estimativas do consumo diário de água da cultura para cada mês, pelo método da evapotranspiração de referência da Embrapa Uva e Vinho, e a configuração do sistema hidráulico de irrigação. Com resultado negativo, foi proposta uma nova motobomba (2CV) a partir da qual dimensionou-se os Sistemas Fotovoltaicos (SFVs), isolado e conectado à rede, para atender a demanda de irrigação e sua viabilidade de execução foi avaliada sob os critérios técnico, econômico e ambiental. Para dimensionar os SFVs foram comparadas duas metodologias, uma proposta pelo CRESESB e a outra consiste na simulação computacional usando o software SAM. O Sistema Fotovoltaico Isolado (SFI) foi proposto com 14 placas de 260Wp cada uma (3640Wp de PIT - potência instalada total), um banco de baterias com 18 elementos tipo chumbo-ácido com capacidade nominal total de 47,52kWh em 24V (para dois dias de autonomia) e um investimento inicial de 62.679,93 R$; enquanto que o Sistema Fotovoltaico Conectado à Rede (SFCR) foi composto por 6 placas de 315Wp cada (1890W de PIT) e um investimento de 16.407,69 R$. Na avaliação econômica, considerando a troca da motobomba e a instalação do SFV com financiamento para 20 anos, o SFI resultou inviável (VPL de -26.128,72 R$ e TIR de 5,46%). Enquanto que o SFCR apresentou um VPL de 35.397,54 R$ e um Payback de 1 ano, porém, analisando unicamente o SFCR sem a troca da motobomba, o VPL é de -1.023,20 R$ e a TIR é 9,41%, o que torna o investimento inviável. Analisando a relevância ambiental, o SFI evita a emissão de 5,46 tCO2, o SFCR evita 3,32 tCO2 e a troca da motobomba reduz em 6,91 toneladas o CO2 emitido. Os resultados confirmam a hipótese de que em zonas atendidas pela rede elétrica a melhor opção é o SFCR utilizando-se o sistema de compensação das concessionárias. No entanto, o baixo custo da eletricidade em zonas rurais conectadas à rede faz com que os SFVs ainda não sejam economicamente atraentes, porém, os SFCR apresentam uma alternativa promissora para irrigação quando o objetivo é aumentar a segurança do abastecimento de água e contribuir na mitigação da contaminação ambiental.
Mostrar mais

154 Ler mais

Análise de viabilidade técnico-econômica de um sistema fotovoltaico conectado à rede pública para uma edificação comercial

Análise de viabilidade técnico-econômica de um sistema fotovoltaico conectado à rede pública para uma edificação comercial

A análise de viabilidade técnica mostrou que, para os módulos de CdTe, a orientação retrato é a mais adequada, quanto que para os módulos de p-Si, a orientação paisagem é a mais adequada. Além disso, a área de telhado disponível foi o suficiente para a instalação inicialmente dimensionada. Contudo, tendo em vista a área restante disponível no telhado e a resolução da ANEEL, que permite que o crédito de energia gerada seja utilizado num prazo de cinco anos, talvez fosse interessante instalar uma potência um pouco superior para os anos iniciais de forma a diminuir a quantidade de energia a ser comprada da concessionária. Ainda assim, deve-se tomar cuidado para não incidir em perdas exageradas quanto ao sombreamento, pois notou-se que a água leste, quando ocupada, apresenta uma PR muito abaixo quando comparada com a PR da água oeste. Outra consideração pertinente quanto ao telhado seria, para trabalhos futuros, analisar a viabilidade de ocupar o telhado preto, que é mais alto e mais distante de obstáculos e espera-se ter menos sombra incidente quando comparado ao telhado branco. Ainda sob o ponto de vista de sombreamento, numa etapa de tomada de decisão entre instalar o sistema ou não, seria sensato considerar a possibilidade de no futuro algum prédio alto ser construído e obstruir significativamente a incidência solar nos módulos instalados sobre a edificação.
Mostrar mais

143 Ler mais

Análise dos índices de mérito do sistema fotovoltaico conectado à rede do escritório verde da UTFPR

Análise dos índices de mérito do sistema fotovoltaico conectado à rede do escritório verde da UTFPR

Dentre as tecnologias existentes na fabricação de células fotovoltaicas, destacam-se as baseadas em silício cristalino (c-Si), pois continuam sendo as mais difundidas e utilizadas, além de apresentar melhor relação custo-benefício. Todas as outras tecnologias, que consistem no uso de outro tipo de material semicondutor, são baseadas em películas delgadas, denominados filmes finos. Estes normalmente apresentam menor custo por utilizarem menos material em sua produção, porém, possuem menor eficiência, necessitando de uma área maior para fornecer a mesma potência de um sistema instalado com painéis de c-Si. Portanto, é de se esperar que o c-Si continue liderando dentre as tecnologias fotovoltaicas, já que os países onde estão os maiores mercados destes sistemas possuem limitação quanto à área ocupada, necessitando maior eficiência de conversão solar (RÜTHER, 2004).
Mostrar mais

94 Ler mais

Sensoriamento remoto de potência para o sistema fotovoltaico conectado à rede do escritório verde da UTFPR

Sensoriamento remoto de potência para o sistema fotovoltaico conectado à rede do escritório verde da UTFPR

Apesar desse caráter predominantemente renovável, é preciso lembrar que a geração hidráulica no Brasil é garantida por grandes centrais hidrelétrica construídas nos leitos dos rios brasileiros, e inúmeros problemas sócio-ambientais são decorrentes desse modelo. Além disso esta fonte está sujeita às condições hidrológicas do país, o que quer dizer que quando existe alguma redução do potencial hídrico existe a necessidade de compensação da demanda por outra fonte, no caso do Brasil principalmente pela geração termelétrica, uma fonte cara e altamente poluente. Os impactos inerentes à geração térmica e nuclear estão relacionados principalmente ao tipo de combustível utilizado para gerar energia, seja da queima de combustíveis fósseis, ou o problema do descarte do material radioativo e das consequências de eventuais acidentes que possam ocorrer para o homem e o meio ambiente. A este quadro somam-se ainda questões relacionadas com a transmissão e distribuição de energia, posto o extenso território nacional, o grande número de consumidores e o difícil acesso a locais isolados do Sistema Interligado Nacional (SIN), que interliga os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia da maior parte do território brasileiro.
Mostrar mais

49 Ler mais

Desenvolvimento de inversor fotovoltaico conectado à rede elétrica com sistema de armazenamento de energia e isolamento galvânico

Desenvolvimento de inversor fotovoltaico conectado à rede elétrica com sistema de armazenamento de energia e isolamento galvânico

Visto pela forma de onda representada pelo CH3, ocorre o afundamento de 40 V no barramento devido ao transitório e, consequentemente, o conversor tem um afundamento de tensão na saída CA, mostrado no CH1. Esse efeito é monitorado em modo desconectado da rede, no qual o conversor e a carga formam um circuito único. Esse efeito é dado devido à inserção brusca de carga. No entanto, a Figura 63 demonstra a atuação do controle de barramento, sendo que esse oscila de sua tensão normalizada em 450 volts, para o mínimo de 422 V e máximo de 494 V.

115 Ler mais

Estudo para implantação de um sistema solar fotovoltaico conectado à rede elétrica em uma indústria moveleira

Estudo para implantação de um sistema solar fotovoltaico conectado à rede elétrica em uma indústria moveleira

O presente estudo foi desenvolvido visando atender a demanda total de energia de uma indústria moveleira na região metropolitana de Curitiba. Verificou-se que se utilizando apenas as áreas de cobertura da referida indústria, foi possível atender a demanda requerida de energia elétrica, sem a necessidade de área adicional. A utilização da área de cobertura tornou-se viável, por tratar-se de uma superfície elevada e isenta de sombras por obstáculos do entorno. Os Sistemas Fotovoltaicos quando instalados sobre a edificação já existente, dispensam a necessidade de licenças ambientais específicas para o gerador.
Mostrar mais

54 Ler mais

MODELAGEM MATEMÁTICA E IMPLEMENTAÇÃO COMPUTACIONAL NO ATP DE UM SISTEMA SOLAR FOTOVOLTAICO CONECTADO A REDE DE BAIXA TENSAO

MODELAGEM MATEMÁTICA E IMPLEMENTAÇÃO COMPUTACIONAL NO ATP DE UM SISTEMA SOLAR FOTOVOLTAICO CONECTADO A REDE DE BAIXA TENSAO

O sensoriamento da tensão e da corrente de saída do painel fotovoltaico foi realizado por meio de um elemento da TACS chamado coupling to circuit (EMTP_OUT). Este componente possui três parâmetros de entrada: tempo de início de amostragem, tempo de parada de amostragem e tipo. Para a tensão deve ser utilizado o número 90 no campo tipo, já para corrente deve ser usado o número 91. Como as duas grandezas elétricas se encontravam no mesmo ponto elétrico foi utilizada a chave measuring switch (SWMEAS) para separar os pontos e principalmente possibilitar a leitura da corrente, que deve ser feita em uma chave. Em seguida é realizada a multiplicação dos sinais pelo elemento MULT2 gerando assim um sinal de potência. Este por sua vez será derivado pelo elemento DEVICE59. A partir de então o DEVICE60 compara este sinal representativo da derivada da potência com zero. Se este for menor ou igual a zero a saída será nula, caso contrário será unitária, ou seja, é gerada uma onda quadrada de valores alternantes entre zero e um. Quando o valor for igual a um, é acionada a chave SW_TACS que é responsável por somar, no caso deste MPPT, entende-se: perturbar o sistema, adicionando 1 Volt na tensão de perturbação (indicada na Figura 3.7) que será somada à tensão de referência igual a 141,6 V. Quando o valor for igual a zero ocorre um processo semelhante, mas agora subtraindo 1 Volt na tensão de perturbação. Somadas as tensões de perturbação e referência se faz uma comparação com a tensão de saída do painel fotovoltaico. O erro produzido será ajustado por um compensador proporcional-integrador (PI) e finalmente, outro DEVICE60 faz a comparação desta saída do PI com uma onda triangular, criada na MODELS 50 , de amplitude unitária e frequência 50 kHz. O resultado
Mostrar mais

131 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados