Top PDF Determinantes individuais e contextuais da necessidade de tratamento odontológico na dentição decídua no Brasil.

Determinantes individuais e contextuais da necessidade de tratamento odontológico na dentição decídua no Brasil.

Determinantes individuais e contextuais da necessidade de tratamento odontológico na dentição decídua no Brasil.

Resumo Para documentar níveis de doença bu- cal no Brasil, e avaliar determinantes da expe- riência de cárie, estudou-se a condição dentária de 26.641 crianças de cinco anos de idade, con- forme dados fornecidos por um levantamento na- cional de saúde bucal realizado em 2002-3, com- preendendo 250 cidades. A prevalência de cárie não tratada foi associada a características socio- demográficas das crianças examinadas e condi- ções geográficas das cidades participantes, através de análise multinível. As regiões brasileiras com melhores indicadores sociais apresentaram perfil mais favorável de saúde bucal. Crianças negras e pardas, e aquelas estudando em áreas rurais e em pré-escolas públicas, apresentaram chance signifi- cantemente mais elevada de terem dentes decí- duos cariados não tratados. O perfil de saúde bu- cal das cidades foi associado com a adição de flúor à água de abastecimento público, a proporção de domicílios ligados à rede de águas e o Índice de Desenvolvimento Humano. A experiência de cá- rie dentária é suscetível a desigualdades sociode- mográficas e geográficas; o monitoramento dos contrastes em saúde bucal é relevante para a pro- gramação de intervenções socialmente apropria- das, dirigidas a melhorias globais e ao direciona- mento de recursos para grupos de população com níveis mais elevados de necessidades.
Mostrar mais

9 Ler mais

Abstract The scope of this study was to identify

Abstract The scope of this study was to identify

Resumo Este estudo teve como objetivo identi- ficar fatores individuais e contextuais associados à autopercepção da necessidade de tratamento odontológico e de prótese em idosos brasileiros. Foram utilizados dados secundários de 7.619 indi- víduos idosos do levantamento epidemiológico SB Brasil 2010. As associações entre as variáveis de- pendentes e os fatores individuais e contextuais fo- ram estimadas através da razão de chances (odds ratio – OR) e intervalo de confiança de 95%, ob- tidas por regressão logística multinível. Dos ido- sos avaliados pelo SB Brasil 2010, 3.848 (50,5%) afirmaram necessitar de tratamento odontológico e 4.236 (55,6%) acreditavam necessitar de próte- se. Os resultados da regressão logística multinível mostraram que sexo, cor da pele autorreferida, renda e cobertura pelas equipes de saúde bucal na Estratégia de Saúde da Família estiveram asso- ciados à autopercepção. O presente trabalho evi- denciou maior influência de fatores individuais na autopercepção da necessidade de tratamento odontológico e de prótese entre idosos brasileiros. Essas informações podem auxiliar na identifica- ção de desigualdades que afetam essa parcela da população e na definição de prioridades para o planejamento dos serviços de saúde.
Mostrar mais

8 Ler mais

Determinantes individuais e contextuais da cárie em crianças brasileiras de 12 anos em 2010.

Determinantes individuais e contextuais da cárie em crianças brasileiras de 12 anos em 2010.

Os resultados encontrados são importantes para consolidar o conhecimento a respeito da distribuição da cárie dentária, sua tendência de declínio e as desigualdades que persistem no País. É também impor- tante para avaliar a inluência de fatores individuais e contextuais na prevalência da doença. As iniquidades existentes, caracterizadas pela prevalência mais elevada de cárie em grupos populacionais mais pobres, são persis- tentes e reletem as marcantes desigualdades sociais no Brasil e suas implicações na saúde da população. Nesse sentido, sublinha-se a necessidade de medidas que possam reduzir as desigualdades existentes entre os países e dentro dos países, conforme proposto pela Comissão dos Determinantes Sociais da Saúde. 6 Os resultados deste estudo também apontam que políticas de saúde bucal que focalizem apenas as mudanças de comportamento serão estratégias pouco efetivas para a redução das desigualdades em saúde bucal, principal- mente no que diz respeito à distribuição da cárie dentária em crianças. Assim, além das ações voltadas para os determinantes estruturais do processo saúde-doença, 21
Mostrar mais

10 Ler mais

Incidência de traumatismo dentário em pré-escolares e fatores de risco: estudo longitudinal prospectivo

Incidência de traumatismo dentário em pré-escolares e fatores de risco: estudo longitudinal prospectivo

Estudos têm investigado a associação entre TD na dentição decídua, características bucais e indicadores socioeconômicos. Um achado comum é de que as crianças com overjet acentuado e cobertura labial inadequada são mais propensas a TD durante acidentes como quedas e colisões (7-10). Por sua vez, os resultados sobre a associação entre os indicadores socioeconômicos e TD são divergentes. Enquanto em alguns estudos os indicadores socioeconômicos como escolaridade materna e renda familiar associaram-se à ocorrência de TD (9,11,12), em outros estes indicadores não relacionaram-se à etiologia deste problema bucal (7,8). As divergências entre os achados justificam-se pelo uso de diferentes variáveis e ressalta a necessidade de investigações que identifiquem os fatores que tornam as crianças susceptíveis ao TD (13).
Mostrar mais

112 Ler mais

Tratamento da Surdez com Implantes Cocleares no Adulto – Normas de Orientação Clínica

Tratamento da Surdez com Implantes Cocleares no Adulto – Normas de Orientação Clínica

10. O tratamento deve ser realizado em centro de tratamento especializado, após decisão terapêutica de um médico otorrinolaringologista com apoio de audiologia, terapia da fala, imagiologia e psicologia e disponibilidade de outras valências, designadamente, neurologia, oftalmologia, cardiologia, genética e serviço social (Grau de Recomendação C, Nível de Evidência 4) 1,4,13,18 .

18 Ler mais

DESAFIOS E IMPACTOS DA EXTENSÃO NO ÂMBITO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

DESAFIOS E IMPACTOS DA EXTENSÃO NO ÂMBITO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O capítulo 1 deste trabalho apresentou o referencial teórico que serviu de introdução para o avanço da pesquisa. Primeiramente abordou sobre a história da universidade no Brasil, desde a resistência para a sua implantação durante o período colonial até o conjunto de medidas relacionadas ao ensino superior, no octênio do governo de Luís Ignácio Lula da Silva, durante o período de 2003 a 2010. Em seguida, abordou a respeito das funções das universidades que são o ensino, pesquisa e extensão, sendo apresentada a proposta de substituir o termo tripé, que é usado para se referir a elas, pelo termo hélice tríplice, que sugere a ideia de propulsão da universidade para exercer sua função social. Ainda nesta óptica, o dispositivo constitucional que trata sobre a indissociabilidade entre o ensino, pesquisa e extensão foi lembrado, devido à importância de sua existência em uma universidade que deseja realizar esta função social de modo mais abrangente. O capítulo apresenta uma abordagem da história da extensão nas universidades brasileiras com as primeiras atividades que aconteceram entre 1911 e 1917 até a atual política nacional de extensão, suas diretrizes e suas ações.
Mostrar mais

109 Ler mais

Validade e utilidade da autopercepção de necessidade de tratamento odontológico por adultos e idosos.

Validade e utilidade da autopercepção de necessidade de tratamento odontológico por adultos e idosos.

Essa mesma pergunta feita a idosos apresen- tou baixa sensibilidade e alta especificidade e subestimou a prevalência normativa em, apro- ximadamente, 30 pontos percentuais. Esse resul- tado contraindica o seu uso para fins de levanta- mento da proporção de idosos que necessitam de tratamento dentário em uma população, pois identificaria apenas por volta de 50% dos ido- sos que têm essa necessidade, o que prejudicaria o planejamento do serviço baseado nesse tipo de instrumento. A maior especificidade quando comparada à sensibilidade em idosos corrobora outras evidências 16,36 , nas quais, a sensibilidade foi pouco maior do que 40%, e a especificidade foi de 83,7% no trabalho de Locker & Jokovic 16 , cujos valores preditivos foram condizentes com o presente estudo. A baixa sensibilidade dessa medida entre os idosos e a subestimação iden- tificada vão ao encontro dos achados de outros autores que demonstraram que a maioria dos in- divíduos nessa faixa etária apresenta autoavalia- ção de saúde bucal como boa, embora essa per- cepção não esteja associada a medidas clínicas de necessidade de tratamento 37 .
Mostrar mais

10 Ler mais

: Brapci ::

: Brapci ::

Em decorrência disso, a relevância clínica deste estudo sugere um acompanhamento mais freqüente das crianças nascidas prematuras, reforçando a necessidade de uma atitude preventiva com o intuito de diminuir os fatores de risco à doença, desde as consultas de pré- natal, de pediatria e no trabalho em conjunto com a odontologia numa visão interdisciplinar.

8 Ler mais

Rastreio e Tratamento da Surdez com Implantes Cocleares em Idade Pediátrica – Normas de Orientação Clínica

Rastreio e Tratamento da Surdez com Implantes Cocleares em Idade Pediátrica – Normas de Orientação Clínica

2) Do ponto de vista da pessoa, a qualidade de vida e qualidade de vida relacionada coma saúde (health-related quality of life) são os parâmetros mais importantes de avaliação e constituem ferramentas fundamentais na análise da relação custo/benefício dos implantes cocleares. O conceito de custo-benefício é expresso em função do custo do tratamento e o efeito na qualidade ajustada aos anos de vida (quality-adjusted life year-QALY) projetada ao longo do tempo, designada de incremental cost-effectiveness ratio (ICER);

33 Ler mais

João Márcio Mendes Pereira Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense Contato eletrônico: joao_marcio1917yahoo.com.br Resumo: O texto analisa a luta política em torno da implementação dos programas orientados

João Márcio Mendes Pereira Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense Contato eletrônico: joao_marcio1917yahoo.com.br Resumo: O texto analisa a luta política em torno da implementação dos programas orientados

O segundo desdobramento foi ter bloqueado por quase dois anos o empréstimo que o BM faria ao governo federal para financiar o Banco da Terra em todo país. Em outras palavras, foi a pressão internacional sobre o Painel de Inspeção que tencionou a negociação do novo empréstimo do BM ao governo brasileiro, a qual encontrava-se em estágio avançado em dezembro de 1998 (BANCO MUNDIAL, 1999, p. 3). Criou-se uma situação de impasse, na medida em que a implantação em larga escala do MRAM no Brasil não encontrava o necessário respaldo político. Afora o setor patronal ⎯ sempre a favor ⎯, havia apoio político apenas em nível local, por parte de alguns sindicatos de trabalhadores rurais no Nordeste, do braço agrário da Força Sindical em São Paulo e, mais importante, das federações sindicais nos estados do Sul, cuja bandeira central nunca foi a luta por terra, mas sim a disputa por políticas agrícolas mais favoráveis aos pequenos agricultores. Existia, portanto, uma adesão concreta de entidades sindicais, em parte reflexo da adesão social a tais programas. Porém, o fato era que as principais organizações nacionais de representação de trabalhadores rurais ⎯ a CONTAG e o MST ⎯ posicionavam-se em bloco contra o novo modelo através do Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo. Enquanto houvesse unidade política das entidades que compunham o Fórum
Mostrar mais

26 Ler mais

A Comuna de Paris no Brasil — Outubro Revista

A Comuna de Paris no Brasil — Outubro Revista

Nas semanas seguintes, já com a Comuna proclamada em Paris, a imprensa brasileira, atrasada de cerca de quinze dias em suas notícias, começava a preocupar-se com as informações que davam conta de agitações na capital francesa, por conta da insubordinação da Guarda Nacional. Quando a separação entre Versalhes e Paris já estava consumada, fazia-se eco por aqui aos discursos de Louis Blanc, no início de março, contestando a transferência da Assembléia para fora de Paris. Blanc, entretanto, acompanhou Thiers a Versalhes, condenando a Comuna, como aqui no Brasil os simpáticos à causa republicana e ao horizonte de 1848 condenaram os insurretos de Paris. Nos jornais, manifestos em defesa da república atacavam os comunardos, acusando-os de abrirem caminho, com a divisão que promoviam, à restauração monárquica. Aceitação da derrota, disciplina, obediência às leis, volta ao trabalho para indenizar a Alemanha, reconhecimento dos “chefes legítimos”, eram alguns dos conselhos que vozes simpáticas ao governo de Versalhes davam aos de Paris nos jornais brasileiros. 9
Mostrar mais

10 Ler mais

A produção da exclusão educacional no Brasil Introdução

A produção da exclusão educacional no Brasil Introdução

De outra forma, também não há uma reprodução especular das estruturas sociais. Goldthorpe (2000) posiciona-se contrário à perspectiva de Bourdieu, uma vez que a expansão educacional não reproduziu as desigualdades anteriormente verificadas. Sobre o tema, ainda posiciona-se em alinhamento com a perspectiva de Boudon, precisamente em relação a dois pontos específicos: “first, in starting from the ‘structural’ theory of aspirations of Keller and Zavalloni (1964) and, secondly, in regarding the process that generate class differentials as operating in two different stages” (Golthorpe: 2000, 169). Além do reprodutivismo de Bourdieu, a Teoria da Desigualdade Maximamente Mantida (MMI) também aponta para mecanismos perversos que impedem o avanço de políticas equitativas, como é o caso da expansão do acesso à educação. Assim, o aprofundamento da reflexão acerca deste processo histórico no Brasil e seus elementos centrais podem ser relevantes para a reflexão do cenário educacional contemporâneo, a avaliação de suas políticas públicas, o enfrentamento de desafios atuais e entraves ao desenvolvimento que há muito tempo já deveriam ter sido superados. Este trabalho objetiva tratar de três dimensões centrais para a democratização da educação: o acesso, o rendimento e o desempenho. Posteriormente, aprofundar-se-á a investigação sobre os determinantes da aprendizagem (proficiência) e sua produção desigual.
Mostrar mais

24 Ler mais

Fatores associados à necessidade subjetiva de tratamento odontológico em idosos brasileiros.

Fatores associados à necessidade subjetiva de tratamento odontológico em idosos brasileiros.

Em um estudo conduzido no Município de São Paulo, Brasil, conhecido como Projeto SABE – Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento, Narvai & Antunes 8 constataram que, apesar de apenas 1% dos idosos ter todos os dentes, eles não apresentaram uma autopercepção negativa. Apenas 12% declararam-se insatisfeitos com a imagem de seus dentes no espelho e 92% afirma- ram que nunca deixaram de sair à rua ou conver- sar por causa de suas condições dentárias. Além disso, o fato de usar algum tipo de prótese estar associado a uma boa percepção da saúde bucal, o que aparentemente representa um paradoxo, pois revela uma satisfação com a mutilação den- tária, parece ser mais considerado como um re- conhecimento da Odontologia em prover algum bem-estar para os idosos nessa situação de in- capacidades bucais. Vale ressaltar que, apesar de 99% terem perdido um ou mais dentes, os idosos não se perceberam como mutilados dentários. Possivelmente, o falso pensamento de que a per- da dentária é um evento natural do processo de envelhecimento esteja influenciando os idosos a terem essa percepção.
Mostrar mais

11 Ler mais

Incidência de cárie em crianças e adolescentes com paralisia cerebral no contexto...

Incidência de cárie em crianças e adolescentes com paralisia cerebral no contexto...

O cirurgião-dentista deve aprofundar seus conhecimentos sobre essa condição de saúde para melhor atender os pacientes portadores de PC. Há vários graus de severidade de PC, e sua etiologia é variada. Seus fatores etiológicos mais comuns são a anóxia neonatal, prematuridade e trauma. O grau de envolvimento e a sintomatologia estariam intimamente relacionados com a extensão e a localização da lesão ocorrida no SNC. Em casos mais severos o paciente pode assumir rigidamente a posição fetal, com incapacidade para se comunicar, tornando-se totalmente dependente de terceiros. Pacientes com envolvimento moderado podem apresentar discreta falta de coordenação motora. Em casos de PC do tipo espástico, um leve estímulo pode causar contratura muscular exagerada. No exame clínico- odontológico, o paciente poderia fechar a boca rigidamente, sem controle. Pacientes com PC do tipo atetoide têm pouca coordenação motora e em geral são magros como resultado do incessante gasto de energia que mantêm com a constante movimentação de seu corpo. Há também variação de desenvolvimento intelectual: enquanto muitos pacientes têm QI abaixo da média, outros são educáveis e podem chegar a ser brilhantes (HENGEN, 1980).
Mostrar mais

112 Ler mais

EMISSÕES DO SETOR DE AGROPECUÁRIA

EMISSÕES DO SETOR DE AGROPECUÁRIA

É interessante notar que durante os últimos 40 anos os focos de emissão de GEE ao longo do território brasileiro acompanharam a expansão agrícola nacional. Nos anos 70, por exemplo, 60% das emissões de GEE brasileiras estavam concentradas nos esta- dos do Sul e Sudeste, dominados pelas produções de carne e leite nos estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e São Paulo. À medida que o Brasil expandiu sua fronteira agrícola, aproximadamente 30% das emissões nacionais foram deslocadas para a re- gião Centro-Oeste, especialmente para o estado do Mato Grosso, como mostram os mapas da Figura 10. Atualmente, esse estado é uma das principais fronteiras agrícolas do mundo, concentrando o maior rebanho bovino e a maior produção de soja nacional, produtos que são exportados principalmente para a Europa e Ásia.
Mostrar mais

92 Ler mais

Tratamento e Seguimento da Fibrose Quística – Normas de Orientação Clínica

Tratamento e Seguimento da Fibrose Quística – Normas de Orientação Clínica

viii. Micobactérias atípicas: Recomenda-se o tratamento da colonização por micobactérias atípicas em doentes com isolamentos sucessivos da mesma micobactéria na expetoração se evidência de deterioração clínica e funcional que não responda à terapêutica antibiótica para outro agente colonizante identificado e/ou na presença de alterações na TC de alta resolução (imagens nodulares periféricas ou lesões cavitadas). A terapêutica deverá ser feita com uma associação de antibióticos por tempo prolongado (12 meses pós negativação) 11,13,40,41 (Nível de Evidência C, grau de recomendação IIa);
Mostrar mais

26 Ler mais

Análise da oclusão dentária em crianças portadoras de fissura completa de lábio e...

Análise da oclusão dentária em crianças portadoras de fissura completa de lábio e...

Atack et al. (1997b) propuseram um estudo longitudinal para avaliar a reprodutibilidade, a confiabilidade e a validade do preditivo para o aperfeiçoamento do índice já desenvolvido anteriormente pelos autores, no qual avaliava o êxito dos resultados cirúrgicos em crianças de 5 anos de idade, com fissura unilateral completa de lábio e palato. Selecionaram 60 modelos aleatórios de crianças entre 5 e 6 anos de idade, onde aplicaram o índice para 5 anos, avaliando precocemente os problemas oclusais e o prognóstico futuro de tratamento. Houve um acordo entre os examinadores mostrando ser um excelente índice. Adquiriram posteriormente 54 modelos na idade entre 16 e 18 anos correspondentes aos iniciais de 5 e 6 anos. Estes haviam sido submetidos ao tratamento ortodôntico, mas não a cirurgia ortognática. Os mesmos examinadores envolvidos para a classificação dos modelos de 5 anos aplicaram agora a classificação de Goslon e compararam os resultados com os modelos de 5 anos. Verificaram que, com a nova classificação, a porcentagem de pacientes que inicialmente teriam que se submeter a cirurgias ortognáticas futuras, diminuiu consideravelmente devido ao grande empenho no tratamento. Com este estudo, os autores obtiveram uma confiabilidade e reprodutibilade para avaliar o resultado de tratamento em indivíduos com fissura labiopalatina unilateral mais cedo do que os índices até então propostos e possibilitaram estudos intercentros europeus em idade mais precoce.
Mostrar mais

106 Ler mais

Traumatismo dentário na população pediátrica entre 6 e 15 anos de idade dos concelhos de Pinhão e Alijó

Traumatismo dentário na população pediátrica entre 6 e 15 anos de idade dos concelhos de Pinhão e Alijó

Fracturas corono-radiculares: É muito importante a localização da linha de fratura. A fractura envolve a coroa e raiz do dente e é, num plano horizontal ou diagonal. Em casos de fracturas da coroa associadas a fracturas radiculares, principalmente as de orientação vertical, a extracção está indicada. Um exame radiográfico geralmente só revela a parte coronal da fratura e não a porção apical. Dependendo dos resultados clínicos, dois cenários de tratamento pode ser considerada. Remoção de fragmento apenas se a fratura envolve apenas uma pequena parte da raiz e do fragmento estável é grande o suficiente para permitir a restauração coronal. Alimentos macios por 10-14 dias. Com uma boa cicatrização da lesão uma boa higiene oral é recomendada a escovar com uma escova macia depois de cada refeição. Isso é benéfico para evitar a acumulação de placas e restos, juntamente com recomendar uma dieta mole. Os pais devem ainda ser aconselhados sobre as possíveis complicações que podem ocorrer, como inchaço ou fístula. As crianças podem não se queixar de dor, no entanto, a infecção pode estar presente e os pais devem estar atentos a sinais de inchaço das gengivas e trazer a criança para atendimento. Em caso de retirada do fragmento só: controle clínico e radiográfico em 1 ano e todos os anos até erupção do sucessor permanente.Em caso de extração de dente: controle clínico e radiográfico em 1 ano e todos os anos até erupção do sucessor permanente. (Sambucuoglu, e Berkem, 2005).
Mostrar mais

60 Ler mais

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS

Em meados da década de 80 até 1995 observa-se um maior distanciamento do cresci- mento da população com escoadouro e das emissões de GEE, decorrente principalmen- te da desestruturação do modelo financeiro do Planasa, que provocou o crescimento no déficit absoluto nos serviços de saneamento básico (ARAÚJO FILHO, 2008). Durante a primeira metade dos anos de 1990, foram criados diferentes programas para moder- nização e reestruturação institucional do setor, que impactaram positivamente na di- minuição gradativa do déficit absoluto de esgotamento sanitário (ARAÚJO FILHO, 2008). Consequentemente, foi observado um crescimento acentuado nas emissões de CO 2 e. Atualmente, os marcos regulatórios do setor são a Lei 11.445 de 5 de janeiro de 2007 e o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab). De acordo com a referida lei, o pla- nejamento integrado, a regulação, a cooperação federativa e o controle social impul- sionarão o setor de saneamento, focando estrategicamente no futuro. O Brasil ainda convive com as consequências de um atraso histórico nas infraestruturas de sanea- mento básico, principalmente quanto ao abastecimento de água e índices de cobertura e tratamento de águas residuais.
Mostrar mais

64 Ler mais

EMISSÕES DE GEE DO BRASIL

EMISSÕES DE GEE DO BRASIL

Após o sucesso histórico do multilateralismo com a assinatura do Acordo de Paris, em dezembro de 2015, a maré política global pareceu virar no sentido do isolacionismo nos meses seguintes: no meio do ano, o Reino Unido decidiu em referendo, por curta mar- gem de votos, sair da União Europeia, enfraquecendo o bloco que liderava a transição global para a descarbonização. Em novembro, o Colégio Eleitoral dos Estados Unidos ga- rantiu a vitória a Donald Trump na sucessão de Barack Obama, e o maior emissor históri- co de gases de efeito estufa do planeta efetivamente retirou-se do processo multilateral. Trump, que se elegera prometendo “cancelar” o Acordo de Paris, iniciou a desestrutu- ração de todas as políticas públicas de clima na esfera federal com poucos meses de mandato. Em junho de 2017, anunciou que os EUA sairiam do acordo do clima ou busca- riam “renegociá-lo”, provocando reação imediata da comunidade internacional. Embora a saída dos EUA possa não chegar a se concretizar, já que pelas regras do acordo isso só poderia ocorrer a partir de 2020, o cancelamento das contribuições americanas ao Fundo Verde do Clima tende a contaminar o debate sobre financiamento das NDCs (Contribui- ções Nacionalmente Determinadas) condicionais dos países em desenvolvimento. O real prejuízo das mudanças nos EUA e na União Europeia sobre a ação climática glo- bal ainda é desconhecido no momento em que este relatório é publicado. Há, porém, um terceiro grande emissor de gases de efeito estufa que sofreu um terremoto político em 2016 com impactos nitidamente negativos para a agenda de clima e para as emis- sões: o Brasil.
Mostrar mais

80 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados