Top PDF Efeito da aplicação de calcário e micronutrientes em latossolo amarelo da Amazônia Central.

Efeito da aplicação de calcário e micronutrientes em latossolo amarelo da Amazônia Central.

Efeito da aplicação de calcário e micronutrientes em latossolo amarelo da Amazônia Central.

0 Quadro II mostra o efeito da aplicação de diferentes doses de ca 1cãrio, come sem micronutrientes, na produção da soja em Latossolo Amarelo sob três diferentes tipos de manejo.. Efei[r]

13 Ler mais

Modos de aplicação de calcário e de micronutrientes em pomar de laranjeira 'Natal' e análise comparativa de custos.

Modos de aplicação de calcário e de micronutrientes em pomar de laranjeira 'Natal' e análise comparativa de custos.

aproximadamente 1 milhão de hectares no território brasileiro e, deste total, 810 mil hectares localizam-se no Estado de São Paulo. A maioria dos solos brasileiros, inclusive aqueles onde foram instalados os pomares cítricos, apresenta reação ácida. Esta é, sem dúvida, a principal condição desfavorável dos solos e um dos fatores limitantes da produção em solos tropicais. O presente trabalho teve por objetivo estudar o efeito de diferentes modos de aplicação de calcário e de micronutrientes e analisar, de forma comparativa, os custos destes tratamentos em um pomar de laranjeira. O experimento foi desenvolvido na Fazenda Morumbi, município de Estrela D’Oeste- SP, num Argissolo Vermelho-Amarelo. A variedade de laranjeira utilizada foi a ‘Natal’, enxertada em limão Cravo, com 6 anos de idade e espaçamento 5 x 8 m. O delineamento experimental foi em parcelas subdivididas, com 3 repetições, com 5 tratamentos principais (sem calcário; a necessidade total de calcário (NC) incorporado; NC sem incorporação; 1 /
Mostrar mais

6 Ler mais

RESPOSTA DO ABACAXIZEIRO À ADIÇÃO DE NITROGÊNIO, POTÁSSIO E CALCÁRIO EM LATOSSOLO AMARELO DO NORDESTE PARAENSE.

RESPOSTA DO ABACAXIZEIRO À ADIÇÃO DE NITROGÊNIO, POTÁSSIO E CALCÁRIO EM LATOSSOLO AMARELO DO NORDESTE PARAENSE.

A análise de correlação linear mostrou relação negativa entre a produção e a acidez total, não detectando correlação significativa entre a produção de frutos e o teor de suco e sólidos solúveis (Tabela 2). A análise de variância revelou efeito significativo para as doses de nitrogênio e interação N x K sobre o rendimento de suco. Houve também efeito significativo das doses de K para o rendimento de suco, acidez total e a relação sólidos solúveis/acidez. A calagem e a interação calagem x N influíram significativamente na acidez e na relação sólidos solúveis/acidez. Fez-se o desdobramento para N dentro das doses de potássio, observando-se resposta quadrática para N dentro de K0, K1 e K3 (Figura 4a). Observou-se que, para os frutos de abacaxi atingirem um rendimento de suco máximo de 56,3% e 60,6%, seria necessária a aplicação de 8,9 e 8,5 g/planta de N. Houve também resposta quadrática para potássio dentro de N1, N2 e N3 (Figura 4b). O rendimento estimado de 58,6% e 60,5%, do teor de suco de abacaxi, seria obtido com a aplicação de 17,5 e 12,3 g/planta de K 2 O.
Mostrar mais

7 Ler mais

Efeito de micronutrientes sobre o crescimento de mudas de mogno (Swietenia Macrophilla King) em Latossolo amarelo.

Efeito de micronutrientes sobre o crescimento de mudas de mogno (Swietenia Macrophilla King) em Latossolo amarelo.

O plantio de espécies florestais nativas é uma atividade que além de repor os recursos florestais também pode atenuar os impactos ambientais decorrentes do extrativismo. Entretanto, seu sucesso depende, entre outros fatores, do conhecimento a cerca das necessidades nutricionais da espécie a ser utilizada. Com o objetivo de obter informações das necessidades de mudas de mogno (Swietenia macrophilla King) por micronutrientes, foi realizado um experimento em casa de vegetação. Foi utilizado como substrato um Latossolo Amarelo de baixa fertilidade, coletado da camada de 20-40 cm de profundidade, localizado no setor Sul do Campus da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Foram testados sete tratamentos e quatro repetições dispostos em delineamento experimental de blocos ao acaso, sob a técnica do elemento faltante. Os tratamentos foram: Completo (Calagem + N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cu, Fe, Mn, Zn e Mo), Testemunha (Calagem + N, P, K, Ca, Mg, S e Mo) e a omissão de um micronutriente catiônico por vez (-B, -Cu, -Fe, -Mn e - Zn). Após quatro meses foram avaliadas as seguintes características: altura da parte aérea, diâmetro do colo, produção de matéria seca da parte aérea e das raízes e conteúdo de nutrientes na matéria seca da parte aérea. Os resultados obtidos nesta pesquisa permitiram concluir que as mudas de mogno tiveram seu crescimento comprometido pela baixa disponibilidade de cobre no substrato, sendo necessária sua aplicação para que as plantas tenham um desenvolvimento normal, compatível com o crescimento da espécie, quando as condições de substrato são adequadas.
Mostrar mais

6 Ler mais

EFEITO RESIDUAL DE CALAGEM Ε MICRONUTRIENTES EM LATOSSOLO AMARELO SOB ROTAÇÃO DE CULTURAS.

EFEITO RESIDUAL DE CALAGEM Ε MICRONUTRIENTES EM LATOSSOLO AMARELO SOB ROTAÇÃO DE CULTURAS.

Com relação ao estudo sobre o efeito residual da calagem, os referidos autores também obtiveram resposta da aplicação de micronutriente no cultivo subsequente de arroz, com a difere[r]

9 Ler mais

Manejo sustentado da fertilidade de um latossolo da Amazônia central sob cultivos sucessivos.

Manejo sustentado da fertilidade de um latossolo da Amazônia central sob cultivos sucessivos.

Neste trabalho, optou-se por determinar a contribuição de cada nutriente à produtividade, ao longo do período de cultivo. Para isso, foi necessário estabelecer um experimento que permitisse antecipar uma eventual resposta das culturas a cada nutriente e calcário, a partir do momento em que se identificasse deficiência/toxicidade do elemento. O experimento constituiu-se de 35 tratamentos, visando avaliar três ou quatro doses de N, P, K, Mg, S, B, Cu, Mn, Zn e de calcário, além de uma testemunha absoluta. As doses, fontes, freqüência de aplicações e época na qual foram iniciadas as avaliações de cada nutriente e do calcário encontram-se no quadro 1. Incluiu-se o tratamento denominado “resíduos”, para avaliar o efeito da remoção de restos vegetais nas colheitas de cada cultivo de arroz e de soja. Nesses cultivos, os restos vegetais foram retornados somente às parcelas do tratamento “resíduos”, após a trilha dos grãos. Nos cultivos de caupi e milho, os restos vegetais foram mantidos em todos os tratamentos. Com exceção de N, P, testemunha e o tratamento “resíduos”, o início da aplicação do tratamento, para cada nutriente ou calcário, foi baseado na análise de solo do cultivo anterior. Ao verificar possível deficiência de um nutriente, iniciava-se sua correção para o cultivo
Mostrar mais

10 Ler mais

Destino de adubos nitrogenados marcados com 15N em amostras de dois solos da Amazônia central.

Destino de adubos nitrogenados marcados com 15N em amostras de dois solos da Amazônia central.

de N. Em relação à testemunha, o aumento em produção no LA variou entre 26 e 30%, enquanto, no PV, variou entre 10 e 33%. Ausência de resposta a doses elevadas de N foram observadas por Smyth et al. (1987) em condições de campo num latossolo amarelo da Amazônia Central, com as culturas de arroz e milho. Segundo van Wambeke (1992), apesar da baixa fertilidade dos latossolos, numerosos trabalhos têm mostrado que sua produtividade pode ser aumentada em níveis correspondentes aos de solos de alta fertilidade, com a aplicação de pequena quantidade de fertilizantes (Sanchez & Salinas, 1981; Smyth et al., 1987).
Mostrar mais

7 Ler mais

Crescimento e qualidade de mudas de Senna macranthera (collad.)irwin et barn. em resposta à calagem.

Crescimento e qualidade de mudas de Senna macranthera (collad.)irwin et barn. em resposta à calagem.

Como substrato foram utilizados três diferentes solos, um Argissolo Vermelho-Amarelo, um Latossolo Vermelho-Amarelo distrófico e um Latossolo Vermelho- Amarelo álico, todos provenientes de áreas próximas à Viçosa, retirados na camada entre 0,2 m e 1,0 m de profundidade, cujas características químicas podem ser observadas no Tabela 1. Esses solos foram peneirados em malha de 5 mm e secos ao ar. Posteriormente, foram pesadas porções de 2,1 kg de solo e colocadas em sacos plásticos sobre a bancada da casa de vegetação, onde permaneceram incubados por um período de 30 dias com a umidade mantida próximo de 60% da capacidade de campo.
Mostrar mais

8 Ler mais

UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PELOS DOCENTES DE ENSINO SUPERIOR DA ÁREA DA SAÚDE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PELOS DOCENTES DE ENSINO SUPERIOR DA ÁREA DA SAÚDE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A implementação do programa implicará em complexidades, como de praxe. As dificuldades visibilizadas são, principalmente, em termos de adesão dos profissionais docentes à capacitação oferecida. A questão financeira deverá ser considerada quando se avalia o lado de adequação de infraestrutura para que o programa possa ter o efeito pedagógico pretendido. Tal adequação não se refere ao programa de capacitação, em si, mas, como exemplo, citamos a necessidade de disponibilizar rede de internet sem fio nas unidades da IFES para que o docente possa por em prática o aprendido no curso de capacitação. Esta adequação já foi avaliada pela IFES e está em fase de licitação para a disponibilização, não devendo constituir um obstáculo à implementação do programa.
Mostrar mais

115 Ler mais

Desenvolvimento inicial da amburana (Amburana cearensis) em áreas de Cerrado degradado

Desenvolvimento inicial da amburana (Amburana cearensis) em áreas de Cerrado degradado

Os experimentos foram conduzidos no Município de Planaltina de Goiás, GO, em propriedade particular, implantados em dois locais, cuja vegetação antes do uso antrópico era de Cerrado Denso e de Mata de Galeria. Na área de Cerrado Denso (15º 33' 177" de latitude Sul e 47º 39' 671" de longitude Oeste, a 924 m de altitude), o solo foi classificado como Latossolo Vermelho- Amarelo. No entorno da Mata de Galeria (15º 32' 966" Sul e 47º 39' 614"

31 Ler mais

Fitomassa do Capim-Braquiária e atributos químicos de um latossolo sob compactação induzida e doses de calcário / Phytomass of Brachiaria and chemical attributes of a latossil under induced compaction and doses of limestone

Fitomassa do Capim-Braquiária e atributos químicos de um latossolo sob compactação induzida e doses de calcário / Phytomass of Brachiaria and chemical attributes of a latossil under induced compaction and doses of limestone

Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 8, p. 55368- 55387 aug. 2020. ISSN 2525-8761 O teor de cálcio (Ca) no solo aumentou em relação a doses do calcário (Figura 2). Apresentando dinâmica crescente, com maiores valores nas maiores doses visto que o calcário compreende em sua composição o cálcio, respondendo positivamente a prática da calagem (CAIRES & FONSECA, 2000). Corroborando com Vitti et al. (2006) que citaram que os solos altamente intemperizados são deficientes em Ca, por isso é necessário a introdução do nutriente a partir do calcário. Meert et al. (2016) também testaram a prática da calagem em um Latossolos Bruno distrófico submetido ao plantio direto, constatando aumento no teor de cálcio com a adição do calcário.
Mostrar mais

20 Ler mais

Propriedades químicas de um Latossolo Amarelo cultivado com pastagens na Amazônia Oriental.

Propriedades químicas de um Latossolo Amarelo cultivado com pastagens na Amazônia Oriental.

Os valores do pH não apresentam diferenças significativas nas variações de sistema e período, apenas nas observações referentes aos anos de estudo (Figura 4). No ano de 1997 houve acréscimo no valor de pH. Pro- vavelmente este fato seja proveniente do efeito positivo da mineralização da matéria orgânica no solo, que auxilia no incremento da capacidade de troca catiônica (CTC) e soma de bases, causando assim, a maior liberação de cátions e ânions trocáveis que são adsorvidos pelos colóides do solo.

7 Ler mais

Efeito da calagem superficial em plantio direto na concentração de cátions hidrossolúveis na parte aérea de culturas anuais.

Efeito da calagem superficial em plantio direto na concentração de cátions hidrossolúveis na parte aérea de culturas anuais.

O solo foi classificado, de acordo com Embrapa (1999), como Latossolo Vermelho distrófico, o qual ficou dois anos em pousio; em fevereiro de 2001, foi semeada soja (safrinha) por meio de preparo de solo convencional (uma aração e duas gradagens). Em agosto de 2001, a área experimental foi subsolada e semeou-se guandu, o qual foi manejado com triton e herbicida em 3 de novembro de 2001, permanecendo em pousio até setembro de 2002, sendo, posteriormente, realizado o controle químico de plantas daninhas. Em outubro de 2002, foi feita aplicação do calcário superficialmente, a semeadura do milheto em novembro, iniciando o experimento.
Mostrar mais

9 Ler mais

Causas do Desmatamento da Amazônia Brasileira

Causas do Desmatamento da Amazônia Brasileira

A proposta deste trabalho, de estudar “Causas do Desmatamento da Amazônia Brasileira”, surgiu neste contexto. E a questão central a que ele se propôs investigar foi o papel da pecuária, a dinâmica econômica e a rentabilidade a ela associadas, na expansão dos desmatamentos. Se não existem incentivos fiscais, outros fatores estariam tornando viável essa atividade, razão pela qual ela continua se expandindo sobre novas áreas de florestas. Para responder a esta e a outras questões, o estudo analisa o comportamento micro-econômico da pecuária inserindo esta atividade na dinâmica de expansão da fronteira agropecuária e madeireira, em uma das frentes mais importantes de ocupação econômica da região, a Amazônia Oriental. Além disso, procura comparar os ganhos econômicos com os custos sociais e ambientais associados e insere na análise a dinâmica sócio-econômica dos atores sociais envolvidos com a expansão dessa fronteira. Não se pode esquecer que, na Amazônia, a economia agropecuária se beneficia de ganhos indiretos advindos da precária regularização fundiária, da grilagem de terras públicas, da contratação irregular de mão-de-obra e do processo de permanente abertura de novas áreas de floresta realizado a baixos custos por posseiros e pequenos agricultores, que vão preparando o terreno para os investimentos mais rentáveis que os sucedem.
Mostrar mais

101 Ler mais

Influência de adições sucessivas de zinco, na forma de esterco suíno ou de óxido, no rendimento de matéria seca de milho.

Influência de adições sucessivas de zinco, na forma de esterco suíno ou de óxido, no rendimento de matéria seca de milho.

antecedendo cada um dos cultivos, independente- mente da fonte, não afetou a produção de matéria seca da parte aérea de milho em nenhum dos três cultivos (Quadro 1). A ausência de incremento no rendimento pela aplicação de Zn era previsível, pois raramente há resposta à aplicação desse nutriente nos solos do extremo sul do Brasil (Lantmann & Meurer, 1982), e esse solo apresentava 5,0 mg kg -1

8 Ler mais

Crescimento de eucalipto em idade jovem e movimentação de cálcio e magnésio no solo em resposta à aplicação de calcário e gesso agrícola

Crescimento de eucalipto em idade jovem e movimentação de cálcio e magnésio no solo em resposta à aplicação de calcário e gesso agrícola

O eucalipto apresenta bom crescimento mesmo em solos com alta acidez ativa e trocável, ou seja, é uma espécie florestal tolerante a acidez do solo que dispensa a calagem com o objetivo de corrigir a acidez do solo (Barros et al., 1990; Novais et al., 1990; Barros & Novais, 1999). Por outro lado, segundo estimativas feitas pelo software NUTRICALC ® , a quantidade de Ca acumulada na parte aérea até o 7º ano é de 416 kg/ha de Ca, em povoamentos com produtividade da ordem de 50 m 3 /ha/ano. Considerando os solos de regiões tropicais, como os de Cerrado, altamente intemperizados e com baixos teores de Ca, há, portanto, necessidade de fornecer esse nutriente via corretivos e, ou, fertilizantes. Devido ao menor custo, tem sido dada preferência à aplicação de calcários com o objetivo principal de fornecer Ca e Mg às plantas.
Mostrar mais

85 Ler mais

O PLANEJAMENTO DOCENTE EM DUAS ESCOLAS DA COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO 17 – ICÓ – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O PLANEJAMENTO DOCENTE EM DUAS ESCOLAS DA COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO 17 – ICÓ – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Após análise do perfil docente, passamos agora à concepção dos professores sobre o planejamento. A respeito da relação entre o planejamento docente e a melhoria da qualidade das aulas, a maioria dos professores (28), nas duas escolas, concordou totalmente. A maioria também concordou (26) que uma aula planejada desperta o interesse dos alunos. No entanto, a prática, muitas vezes, não condiz com isso. Se a maioria dos professores concorda que há melhoria, porque haveria, inicialmente, resistência por parte de alguns em planejar, conforme declarado pelo diretor da Escola Verde? A resposta dessa indagação pode fornecer pistas e sugestões para o aprimoramento da prática nas escolas, que serão propostas no Plano de Ação. Contudo, há que se considerar que o efeito de desejabilidade social pode estar presente nas respostas de alguns desses docentes, o que ocorre quando os participantes compreendem que a resposta idealizada é a que se espera por parte do pesquisador. Tal efeito pode provocar uma tendência no participante em assinalar uma resposta por entender ser aquela socialmente desejável.
Mostrar mais

114 Ler mais

ESTUDO SOBRE CAMINHOS E PRÁTICAS DA PROGRESSÃO PARCIAL EM DUAS ESCOLAS DA REGIONAL METROPOLITANA II-SÃO GONÇALO RIO DE JANEIRO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

ESTUDO SOBRE CAMINHOS E PRÁTICAS DA PROGRESSÃO PARCIAL EM DUAS ESCOLAS DA REGIONAL METROPOLITANA II-SÃO GONÇALO RIO DE JANEIRO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Durante a aplicação do questionário aos alunos da Escola A, fomos testemunhas de algumas falas que demonstravam o desalento dos alunos com relação a algumas disciplinas. Na Escola A, uma aluna, ao ler o questionário, fez o seguinte comentário: “[...] gostei de responder este questionário, melhor do que muitas provas que a gente faz” (Aluna da Escola A). Diante dessa realidade, muitos não encontram espaço para desenvolvimento do saber e acabam sendo excluídos ou rotulados como mau aluno, desinteressado e, quando há o fracasso, a tendência é responsabilizá-lo sem, no entanto, avaliar os erros praticados durante o processo. É importante lembrar que é o gestor escolar o principal responsável por possibilitar, na escola, um ambiente em que os alunos encontrem apoio e sejam estimulados a concluírem as etapas escolares.
Mostrar mais

125 Ler mais

Atributos químicos do solo em função da aplicação superficial de calcário em sistema de integração lavoura-pecuária submetido a pressões de pastejo em plantio direto.

Atributos químicos do solo em função da aplicação superficial de calcário em sistema de integração lavoura-pecuária submetido a pressões de pastejo em plantio direto.

Tendo em vista que, de forma geral, não houve diferenças entre as intensidades de pastejo com relação aos atributos de acidez avaliados, são apresentados na figura 6 os seus valores médios e comparados aos respectivos valores sem pastejo e,ou, sem calcário, no momento da máxima ação do calcário, o que ocorreu após os 24 meses de sua aplicação. Essa ação positiva (0,05 > p ≥ 0,01) da presença dos animais ocorreu em todos os atributos avaliados, porém com diferentes intensidades: no pH em água 12,5 cm, no Ca trocável até 25 cm, no Mg trocável até 5,0 cm e na saturação por bases na camada de 2,5–5,0 (Figura 6a,b,c,d).
Mostrar mais

12 Ler mais

Plantas de cobertura e qualidade química de Latossolo Amarelo sob plantio direto no cerrado maranhense.

Plantas de cobertura e qualidade química de Latossolo Amarelo sob plantio direto no cerrado maranhense.

Objetivando-se avaliar, com este trabalho, o efeito de plantas de cobertura sobre os atributos químicos do solo da região de Balsas - Maranhão, amostras de um Latossolo Amarelo Distróico sob as coberturas vegetais de milheto [Pennisetum americanum (L.) Leeke], braquiária (Brachiaria ruziziensis) e cerrado nativo (cerrado de porte médio), foram coletadas em três profundidades (0-0,10; 0,10-0,20 e 0,20-0,40 m). As coberturas vegetais de milheto e de braquiária promoveram aumento do pH do solo e reduções nos teores de Al 3+ e na saturação por Al 3+ , em relação à área com cerrado nativo. Maior quantidade de
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados