Top PDF Efeito do espaçamento na produtividade de biomassa de Taxi-branco (Sclerolobium paniculatum vogel).

Efeito do espaçamento na produtividade de biomassa de Taxi-branco (Sclerolobium paniculatum vogel).

Efeito do espaçamento na produtividade de biomassa de Taxi-branco (Sclerolobium paniculatum vogel).

De um modo geral, nota-se que o espaçamento silvicultural mais indicado para o taxi-branco nas condições de cerrado amapaense é o 3,0mx1,0m, visto que além de utilizar menor número de [r]

6 Ler mais

Efeito do espaçamento de plantio no crescimento, desenvolvimento e produtividade da mandioca em ambiente subtropical.

Efeito do espaçamento de plantio no crescimento, desenvolvimento e produtividade da mandioca em ambiente subtropical.

A produtividade de raízes por área é importante quando a produção tem finalidade industrial, enquanto que a produtividade de raízes por planta e por raiz são importantes quando a produção é voltada ao consumo de mesa (in natura ou processada). Portanto, para essa cultivar, quando a produção é destinada ao consumo de mesa, é recomendado um espaçamento maior do que o 0,8x0,8 m e de acordo com os resultados obtidos neste experimento, pode-se concluir que tanto o espaçamento 1,2x1,2 m quanto o 1,5x1,5 m são os que apresentam maior peso por planta e por raiz comercial (Tabela 4). A cultivar Fepagro – RS13 apresentou elevada produção de biomassa na parte área, sendo assim também recomendada para a produção de forragem. Para essa finalidade, como Tabela 2. Filocrono (°C dia folha –1 ) na haste principal (HP), na primeira ramificação simpodial (RS1), na segunda ramificação simpodial
Mostrar mais

9 Ler mais

Efeito do espaçamento e da cultivar de feijoeiro sobre a intensidade do mofo-branco e a sanidade de sementes.

Efeito do espaçamento e da cultivar de feijoeiro sobre a intensidade do mofo-branco e a sanidade de sementes.

Quando a planta possui hábito de crescimento ereto, um au- mento do espaçamento entre linhas poderia ser compensado pelo aumento do número de plantas dentro da linha, sem prejuízo para a produtividade. Saindon et al. (10) mantiveram constante o es- paçamento entre linhas de plantas com hábito de crescimento ereto, mas alteraram o número de plantas por metro. Eles encontraram aumentos de produtividade de 10% a 20% com espaçamentos entre 20 e 60 plantas/m². Há o risco, porém, como mostraram os auto- res do trabalho, de que haja uma maior incidência do mofo-bran- co. É necessário, portanto, determinar o espaçamento ideal para manter a produtividade esperada e, ao mesmo tempo, desfavore- cer o patógeno.
Mostrar mais

4 Ler mais

Biomassa inicial do híbrido Eucalyptus urophylla vs. Eucalyptus grandis em diferentes espaçamentos

Biomassa inicial do híbrido Eucalyptus urophylla vs. Eucalyptus grandis em diferentes espaçamentos

O uso da biomassa como insumo energético é uma tendência mundial, pois se faz necessária a redução da emissão de poluentes de origens fósseis, sendo os plantios florestais com fins energéticos uma importante fonte de matéria prima para a produção de energia renovável. Em um sistema de produção florestal, recursos dendroenergéticos visam maior produção e biomassa por unidade de área, em menor espaço de tempo. Assim, aliado ao propósito de exploração em sistema adensado, com o objetivo de produção de biomassa, surge o conceito de plantios de curta rotação (MÜLLER, 2005).
Mostrar mais

51 Ler mais

Comunicação eficaz na transição de cuidados de saúde – Normas de Orientação Clínica

Comunicação eficaz na transição de cuidados de saúde – Normas de Orientação Clínica

Transmissão de informação: comunicação entre profissionais de saúde e entre instituições prestadoras de cuidados, sobre identificação e informações do estado de saúde do doente, sempre[r]

8 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Durante a pesquisa, foram entrevistados dois Agentes de Acompanhamento de Gestão Escolar que orientam as escolas objeto da pesquisa para verificar quais são as percepções dos [r]

99 Ler mais

Manual de Contagem de Hidratos de Carbono na Diabetes Mellitus para profissionais de saúde – Normas de Orientação Clínica

Manual de Contagem de Hidratos de Carbono na Diabetes Mellitus para profissionais de saúde – Normas de Orientação Clínica

A ingestão de bebidas alcoólicas, pelas pessoas com DM, segue as mesmas recomendações da população em geral. O seu consumo moderado e em conjunto com alimentos tem pouca influência na glicemia. Em pessoas com terapêutica com insulina ou secretagogos, o consumo de álcool poderá aumentar o risco de hipoglicemia até 12 horas após a sua ingestão, sendo necessário ter em conta este efeito retardado. Por outro lado, o consumo de álcool pode estar associado a outras atividades menos sedentárias (por exemplo: sair à noite, dançar) o que poderá aumentar (ainda mais) os riscos e a gravidade de eventuais hipoglicemias.
Mostrar mais

44 Ler mais

ARNALDO FERNANDES CORRÊA ESTUDO DE CASO: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA DIRETORIA DE PESSOAL NA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

ARNALDO FERNANDES CORRÊA ESTUDO DE CASO: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA DIRETORIA DE PESSOAL NA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

Esta dissertação pretende explicar o processo de implementação da Diretoria de Pessoal (DIPE) na Superintendência Regional de Ensino de Ubá (SRE/Ubá) que conforme a [r]

167 Ler mais

OS DESAFIOS NO PRIMEIRO ANO DE ATUAÇÃO DO CARGO COMISSIONADO DE DIRETOR ESCOLAR NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE – REGIONAL VENDA NOVA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

OS DESAFIOS NO PRIMEIRO ANO DE ATUAÇÃO DO CARGO COMISSIONADO DE DIRETOR ESCOLAR NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE – REGIONAL VENDA NOVA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

sui generis [...] então seu salário precisa ser tão justo e compensador, de tal.. modo que isso sequer seja motivo de preocupação, estando ele livre e tranquilo para realiza[r]

124 Ler mais

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

Com reflexo positivo, já em 2012, o percentual de escolas com situação de inadimplência do ano anterior passou para 40% (SEEDUC, 2012), considerando os gestores que haviam sido de[r]

120 Ler mais

POSSIBILIDADES DE USO DAS INFORMAÇÕES DO SISTEMA MINEIRO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR NA GESTÃO DAS ESCOLAS

POSSIBILIDADES DE USO DAS INFORMAÇÕES DO SISTEMA MINEIRO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR NA GESTÃO DAS ESCOLAS

É feita também uma descrição da rede estadual de educação de Minas Gerais, explicando como é a organização das Superintendências Regionais de Ensino (SREs), mais especifi[r]

137 Ler mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE COBERTURAS EM ESTRUTURA DE AÇO NA FORMA DE ARCO CIRCULAR E PARABÓLICO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE COBERTURAS EM ESTRUTURA DE AÇO NA FORMA DE ARCO CIRCULAR E PARABÓLICO

Após realizar as análises estruturais pelo software SAP 2000, e feitas as devidas verificações para cada caso de arco, pôde-se concluir que os esforços nas barras das treliças dos arcos, passaram com certa folga para os dois casos de arcos parabólicos analisados, Gynasium e Vila Olímpica do SESI, de acordo com as normas vigentes, mostrando-se que mesmo tendo sido projetados e construídos há anos atrás, por volta da década de 70, quando os projetistas não dispunham de ferramentas computacionais que temos hoje e nem da Norma NBR 6123:1988 (ABNT, 1988) para a consideração do efeito do vento e também no Brasil a inexistência dos procedimentos de cálculos pelo Método dos Estados Limites, estas estruturas analisadas ficaram a favor da segurança quanto à resistência, estabilidade e deslocamentos.
Mostrar mais

128 Ler mais

DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO NA JURISDIÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PASSOS

DESAFIOS DA COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO NA JURISDIÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PASSOS

Para Chiavenato, o Agente é “a pessoa, de dentro ou de fora da organização, que conduz ou guia o processo de mudança em uma situação organizacional” (CHIAVENATO, 2006, p. 297). Sendo assim, é esperado que, em cada fase do processo, o Agente desempenhe sua tarefa. Nas escolas estaduais, durante a implementação da nova organização do Ensino Médio, o Diretor deveria ter desempenhado um papel central na gestão da mudança, maximizando efeito positivo e trabalhando para que a instituição rompesse com o padrão anterior de funcionamento. Conforme descrevemos anteriormente, quando explicitamos as fases que o autor coloca para a gestão da mudança, caso a organização não execute as três etapas – descongelamento, mudança e recongelamento – existe uma forte tendência de retorno ao padrão e rotinas de funcionamento anteriores. Portanto, os gestores escolares deveriam, naquele momento de implementação da nova organização curricular do Ensino Médio, ter garantido que a comunicação e, mais ainda, a conscientização das novas orientações ocorressem de forma efetiva para a equipe da instituição.
Mostrar mais

152 Ler mais

CARLOS DA CUNHA SILVA PROPOSTA DE REORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS NA SUPERINTENDÊNCIA DE PESSOAL DA SECRETARIA DE ESTADO DE

CARLOS DA CUNHA SILVA PROPOSTA DE REORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS NA SUPERINTENDÊNCIA DE PESSOAL DA SECRETARIA DE ESTADO DE

A pesquisa teve como objetivo analisar como se dá o relacionamento institucional entre a Superintendência de Pessoal (SPS) – Órgão Central da Secretaria de Estado de Educ[r]

146 Ler mais

Efeito do tamanho da semente na acumulação de biomassa e nutrientes e na produtividade do feijoeiro.

Efeito do tamanho da semente na acumulação de biomassa e nutrientes e na produtividade do feijoeiro.

Resumo – O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do tamanho da semente na acumulação de biomassa e nutrientes e no rendimento de grãos de cultivares de feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) no campo. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, em esquema fatorial 3x2 com quatro repetições: três cultivares (Kaboon, Manteigão e Carioca) e dois tamanhos de semente (pequeno e grande). Foram efetuadas nove amostragens semanais de biomassa entre 14 e 70 dias após semeadura. As sementes grandes aumentaram a altura da planta, o índice de área foliar e a biomassa da parte aérea e raiz desde a primeira amostragem, mas não modificaram a massa de vagens. No início do experimen- to, as sementes grandes aumentaram a taxa de crescimento da cultura, mas este efeito desapareceu ao final do período amostral. Plantas originadas de sementes grandes acumularam mais N e K na parte aérea e raízes aos 49 mas não aos 70 dias após semeadura. Sementes pequenas reduziram o estande da cultivar Carioca. Não houve efeito do tamanho da semente na produção de grãos, componentes de produção e índice de colheita. Sementes de maior tamanho podem antecipar o crescimento do feijoeiro, mas plantas oriundas de sementes pequenas podem compensar seu menor crescimento inicial garantin- do uma mesma produção de grãos.
Mostrar mais

8 Ler mais

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

Sendo assim, ao (re)pensar a prática do professor em uma sala de aceleração, dispõe-se sobre ações que envolvem o contexto gerencial e pedagógico do programa, bem como a[r]

117 Ler mais

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

Como anteriormente descrito, o setor de pagamento, ou SISAP, tem um fluxo informacional intenso. Suas duas principais fontes de dados são a DDV e as Escolas Estaduais. Delinear-se-á o campo de estudo apenas naquelas informações advindas das instituições estaduais de ensino. Um dos motivos dessa escolha é a experiência de quinze anos na função de taxador, o que trouxe a convicção empírica de estar aí um significativo gargalo operacional. O outro motivo foi a comprobação dessa convicção através de uma sondagem (apêndice 1) realizada com os servidores das escolas estaduais, que são responsáveis pelos registros dos dados nos formulários RP1 (anexo I) e GO (anexo II). Foi-lhes enviado um questionário com seis quesitos, através do dispositivo Google Docs, com o objetivo de conhecer as suas principais dificuldades na função. Para o total de 72 instituições de ensino estaduais jurisdicionadas à SRE/Ubá, 45 responderam todas as questões, ou seja, 72% do universo em questão. Quatro respostas vieram totalmente em branco, de modo que estas, por conseguinte, não foram consideradas para a tabulação.
Mostrar mais

157 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MOISÉS DOS SANTOS CORDEIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MOISÉS DOS SANTOS CORDEIRO

O caso de gestão investiga o que tem proporcionado a baixa participação e o baixo desempenho dos alunos do 7º ano do Ensino Fundamental nas avaliações externas do Sistema[r]

147 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados