Top PDF Efeito do recalque diferencial de fundações em estruturas de concreto armado e alvenaria de vedação: estudo de caso

Efeito do recalque diferencial de fundações em estruturas de concreto armado e alvenaria de vedação: estudo de caso

Efeito do recalque diferencial de fundações em estruturas de concreto armado e alvenaria de vedação: estudo de caso

As fissuras provocadas por recalques diferenciados são inclinadas, confundindo- se às vezes com fissuras provocadas por deflexão de componentes estruturais. Em relação às primeiras, contudo, apresentam aberturas geralmente maiores, "deitando- se" em direção ao ponto onde ocorreu o maior recalque. Outra característica das fissuras provocadas por recalque é a presença de esmagamentos localizados, em forma de escamas, dando indícios das tensões de cisalhamento que as provocam; além disso, quando os recalques são acentuados, observa-se nitidamente uma variação na abertura da fissura. Entretanto, os recalques diferenciados poderão provocar fissuras com outras configurações, em função de diversas variáveis: geometria das edificações e/ou do componente, tamanho e localização de aberturas, grau de enrijecimento da construção (emprego de cintamentos, vergas e contravergas), eventual presença de juntas no edifício etc. (THOMAZ, 1989).
Mostrar mais

35 Ler mais

Estudo em galpões de concreto pré-moldados considerando a interação entre pórtico e alvenaria de vedação

Estudo em galpões de concreto pré-moldados considerando a interação entre pórtico e alvenaria de vedação

Posteriormente Smith e Carter (1969) avaliaram o comportamento de pórticos preenchidos de vários andares, submetidos à carga lateral, e assim desenvolveram um método de projeto baseado no conceito de diagonal equivalente para prever a rigidez lateral do pórtico, sendo esta influenciada preponderantemente pela rigidez do pilar nas estruturas de vários andares, ao passo que a rigidez da viga mostrou-se ter pouco efeito sobre comportamento da estrutura pelo fato do comprimento de contato da viga não variar muito em cada andar. Para o caso do material de preenchimento não linear, a largura da diagonal equivalente dependerá não só do comprimento de contacto e das proporções da parede, mas também das características de tensão e deformação do material de enchimento e do valor da carga diagonal no painel, assim como da proporção: compressão da diagonal por carga de ruptura e a rigidez relativas entre pórtico e parede, λ.
Mostrar mais

99 Ler mais

Sistemas de juntas de trabalho em estruturas pré-moldadas de concreto armado e alvenaria convencional: Estudo de caso UEMG - FRUTAL

Sistemas de juntas de trabalho em estruturas pré-moldadas de concreto armado e alvenaria convencional: Estudo de caso UEMG - FRUTAL

Após a construção de um prédio em estrutura pré-moldado e vedação em alvenaria convencional, sem dar a devida atenção as juntas de dilatação, ainda durante a obra e principalmente depois surgiram varias patologias, decorrentes da movimentação da estrutura e do enrijecimento do revestimento, para a construção de um novo prédio com as mesmas características, partimos da premissa de construir sem incorrer nos mesmos erros, encontramos a solução de juntas de dilatação com perfis de aço e vedação com materiais flexíveis que apresentamos neste trabalho, que julgamos mais adequada para situação e que nos proporcionou resultados satisfatórios.
Mostrar mais

42 Ler mais

Procedimento e tratamento para Evitar Fissuras nas Ligações entre Alvenaria e Estrutura de Concreto Armado - Um Estudo de Caso

Procedimento e tratamento para Evitar Fissuras nas Ligações entre Alvenaria e Estrutura de Concreto Armado - Um Estudo de Caso

Um tipo de patologia muito comum que ocorre no encontro entre os elementos citados, são as fissuras. Estas por sua vez podem ser evitadas através da introdução de elementos que distribuam melhor os esforços entre o concreto e a alvenaria, dissipando os esforços sem que haja comprometimento do ponto de vista estético. A importância desses elementos e o desenvolvimento de novas soluções para o reforço ou recuperação das fissu- ras, são temas bastante recorrentes na comunidade da construção civil. Entre as principais causas do apareci- mento de fissuras, se destacam: movimentações térmicas; movimentações higroscópicas; recalque das fundações; deformações das estruturas de concreto armado (Figura 01).
Mostrar mais

8 Ler mais

Manifestações patológicas em estruturas de concreto armado um estudo de caso (bloco administrativo da UTFPR - Pato Branco)

Manifestações patológicas em estruturas de concreto armado um estudo de caso (bloco administrativo da UTFPR - Pato Branco)

Segundo Machado (2002) a finalidade do estudo das patologias nas estruturas de concreto é encontrar esclarecimentos técnicos e científicos para as irregularidades encontradas no comportamento das estruturas. Essas irregularidades podem ocorrer na fase de projeto, na fase de construção ou execução dos serviços, bem com durante o uso e manutenção, por meio dessas investigações é possível que se determine ou se identifique as principais causas, bem como as prováveis consequências em relação à segurança e à confiabilidade da obra, analisando qual a decisão mais correta e segura quanto à utilização posterior das estruturas em análise. Levando-se em conta sua duração residual, o objetivo da investigação e análise das patologias das estruturas é procurar definir a conveniência da recuperação, do reforço ou mesmo da demolição pura e simples dos elementos ou da estrutura danificada.
Mostrar mais

96 Ler mais

Manifestações patológicas e avaliação de estruturas de concreto armado

Manifestações patológicas e avaliação de estruturas de concreto armado

A construção de estruturas de concreto armado, ainda hoje, trata-se de um processo praticamente artesanal, onde as matérias-primas são trazidas ao canteiro de obras e processadas por diversas equipes e profissionais de forma a se obter uma estrutura final de acordo com os projetos. Aliado a isto se verifica ainda a grande quantidade de etapas e profissionais envolvidos no processo de concepção de estruturas de concreto e o grande aumento na complexidade das obras. Todos estes fatores em conjunto são responsáveis pela grande quantidade de problemas encontrados nas obras.
Mostrar mais

76 Ler mais

INFLUÊNCIA DAS PAREDES DE VEDAÇÃO NA ESTABILIDADE GLOBAL DE EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

INFLUÊNCIA DAS PAREDES DE VEDAÇÃO NA ESTABILIDADE GLOBAL DE EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

Após, definiu-se o projeto a ser estudado na pesquisa, o qual é uma edificação real que será executada na cidade de Chapecó/SC, composto por 12 pavimentos, sendo 1 para uso de garagens e 11 para uso residencial. Os pavimentos possuem pé-direito de 3,06 m, totalizando uma altura total de 36,72 m. A estrutura deste edifício foi concebida em concreto armado e emprega a laje nervurada bidirecional com vigas faixas. Pode-se visualizar na Figura 2 a estrutura do pavimento tipo.

14 Ler mais

Desenvolvimento da aprendizagem sobre estruturas de concreto armado

Desenvolvimento da aprendizagem sobre estruturas de concreto armado

Vários professores reconhecem o alto nível de abstração envolvida na análise numérica e a dificuldade de visualização dos conceitos como os principais motivos que levam aos alunos a baixa performance nas disciplinas de estruturas. NAKAO e GRIMONI (2006) relatam que a disciplina Resistência dos Materiais na Escola Politécnica da USP detém um alto índice de reprovações. As aulas são predominantemente expositivas e dessa forma, todos os cenários – os materiais, os conceitos, as práticas, os exercícios – devem ser cuidadosamente montados para que os primeiros erros dos alunos possam ser corrigidos eficientemente e não simplesmente refutados. Ressaltam que como há diferenças individuais, há também diferentes estilos de raciocínio que justificam a utilização de várias estratégias de ensino e materiais diferenciados.
Mostrar mais

133 Ler mais

Sobre a recuperação e reforço das estruturas de concreto armado

Sobre a recuperação e reforço das estruturas de concreto armado

FORTES et al. (2000) observaram que o nível de fissuração pode interferir na capacidade resistente das peças, ou seja, quanto menor a fissuração, maior a carga de ruína alcançada. Quanto aos deslocamentos, observaram que as vigas reforçadas apresentaram aproximadamente metade do deslocamento da viga de referência, considerando-se a sua carga de ruína. GALVEZ & MORENO JR. (2000), analisaram o comportamento estrutural de vigas reforçadas ao esforço cortante pelo emprego de mantas unidirecionais de fibra. SHEHATA et al. (2000) desenvolveram trabalho semelhante com o objetivo de avaliar o comportamento de vigas reforçadas à flexão e cisalhamento, com lâminas de fibra de carbono coladas com adesivo epóxico, analisando-se a flecha, a deformação do concreto e das armaduras internas e de reforço, e a carga de ruptura. As deformações das lâminas sugeriram a indicação do valor de 5‰ para a deformação limite do CFRP a ser considerada no dimensionamento do reforço. Considerando que as deformações das lâminas coladas e das armaduras internas de flexão tiveram as mesmas taxas de acréscimo com o carregamento, até o início do escoamento, os autores concluíram pela validade da compatibilidade de deformações obtidas da hipótese de seções planas permanecerem planas após a deformação da peça. Os autores concluíram também que a análise da viga reforçada utilizando-se o modelo de treliça de Morsch para efeito de dimensionamento ao cisalhamento foi validada pelo comportamento semelhante do conjunto estribos internos e de reforço. Com o objetivo de analisar de forma numérica o reforço de estruturas de concreto, DANTAS et al. (2000) desenvolveram programa computacional, baseado no método dos elementos finitos, cuja principal característica foi permitir a interferência na modelagem durante a análise, retirando-se ou acrescentando-se elementos, aumentando-se ou diminuindo-se a rigidez das peças, até mesmo alterando materiais. A validação do modelo foi obtida por comparação a resultados experimentais desenvolvidos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em vigas reforçadas com uso de argamassa aditivada, vigas reforçadas com chapa de aço, e na análise de uma viga com armadura exposta. Os autores concluíram que houve uma ótima aproximação entre os resultados experimentais e as previsões numéricas.
Mostrar mais

114 Ler mais

Estudo da velocidade de despassivação de aços em estruturas de concreto armado, em meio de cloreto

Estudo da velocidade de despassivação de aços em estruturas de concreto armado, em meio de cloreto

Neste trabalho foram utilizadas amostras dos aços CA-50 e CA-60 empregados na construção civil, para avaliar a corrosão pelos íons cloreto. Para tanto, medidas eletroquímicas foram realizadas em solução de NaCl 4,0 g/L, naturalmente aerada. Verificou-se um processo de dissolução ativa no potencial de circuito aberto dos aços CA-50 e CA-60. Neste estudo comparativo, as diferenças entre CA-50 e CA60 não foram significativas, uma vez que, os valores de resistência de polarização estimada por EIS foram da mesma ordem de magnitude para ambos os tipos de aço (oscilaram entre 200 e 500 Ohm). Para todas as espessuras de cobrimento avaliadas, estes valores oscilaram entre 2 e 9 kOhm, sendo os menores associados à menor espessura, sobretudo a 7, 21 e 35 dias. Quando comparados com aqueles determinados para CA-60 sem cobrimento, verifica-se que as camadas de cobrimento oferecem uma proteção contra a corrosão no meio de cloreto pelo menos dez vezes maior.
Mostrar mais

76 Ler mais

Sistema CADD para projeto de estruturas de concreto armado

Sistema CADD para projeto de estruturas de concreto armado

O dimensionamento de estruturas de concreto armado abrange a definição das dimensões (altu­ ra, largura, espessura) e dos tipos de materiais constituintes dos elementos de uma estrutura (tipo de aço, tipo de concreto), bem como a quantificação destes materiais. Neste capítulo são analisados os métodos para dimensionamento de elementos retangulares de estruturas de concreto armado sob a ação de momentos fletores e esforços cortantes segundo a NBR-6118 [NBR611 e através de programação matemática. É importante notar-se que podem existir outros tipos de solicitações em um elemento estrutural (momento torçor, por exemplo), porém visto que nos casos correntes de projeto procura-se não englobar estas solicitações, optou-se por restringir as opções de dimensionamento aos casos de momento fletor e esforço cortante.
Mostrar mais

121 Ler mais

Investigação do nível de deterioração de estruturas de concreto armado: estudo de caso no campus da Universidade Estadual de Maringá

Investigação do nível de deterioração de estruturas de concreto armado: estudo de caso no campus da Universidade Estadual de Maringá

O teor de cloretos dissolvidos e livres para reagir, presente na solução aquosa dos poros do concreto, é determinante da perda de passivação da armadura, mesmo em meio fortemente alcalino, quando o pH é da ordem de 12 a 13, característico da solução existente nos poros do concreto. O teor de cloretos pode ser fixado mediante a metodologia adotada pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - IPT, na qual a medida deve ser realizada a partir de amostras de concreto, adequadamente retiradas de pontos estratégicos dos corpos de prova ou dos elementos estruturais. Muitas vezes pode ser preferível retirar o concreto moído com o emprego de perfuratrizes eletromecânicas ou pneumáticas, que podem penetrar no concreto até a profundidade média pretendida, recolhendo-se o material desagregado e moído numa quantia suficiente para o ensaio. Normalmente, é possível obter material de 5 em 5mm de profundidade, por meio de 3 a 5 furos na região em estudo. Pode-se associar o teor de cloretos totais ao teor medido por meio de dissolução em ácido, e o teor de cloretos livres à dissolução em água. Comumente, é preferível empregar a determinação de cloretos solúveis em ácido, em lugar da de solúveis em água, sobretudo quando a intenção é confrontar com valores definidos em normas que, em sua maioria, referem-se a limites para cloretos totais, segundo Helene (1993).
Mostrar mais

289 Ler mais

RECOMENDAÇÕES PARA A PRODUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO EM EDIFÍCIOS

RECOMENDAÇÕES PARA A PRODUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO EM EDIFÍCIOS

O aço, em decorrência do seu processo de obtenção, tem um preço por massa (peso) mais baixo para os diâmetros maiores. Portanto, estritamente em termos econômicos, é mais interessante que, para uma mesma seção de armadura necessária, seja utilizado um menor número de barras com maior diâmetro cada uma. No entanto, ocorre que o projetista de estrutura tem esta questão apenas como uma daquelas a serem levadas em conta na definição da armadura. Como se analisa nas disciplinas de concreto, diversos outros fatores físicos e mecânicos interferem neste detalhamento fazendo com que, do ponto de vista técnico (homogeneidade do material concreto armado) seja mais indicado utilizar grande número de barras finas ao invés de poucas grossas.
Mostrar mais

42 Ler mais

Estudo da Influência do portal concweb na aprendizagem da disciplina Estruturas de Concreto Armado

Estudo da Influência do portal concweb na aprendizagem da disciplina Estruturas de Concreto Armado

A maioria dos alunos (79%) considera relevante a utilização dos programas (applets) para dimensionamento e detalhamento de estruturas de Concreto Armado (Fig. 5.3). E 57% deles consideram alta a muito alta a relevância dos recursos visuais presentes no ConcWeb para o auxílio a seus estudos. Entretanto, dos 63% que afirmaram que a utilização do ambiente influenciou o seu nível de conhecimento dos conteúdos da disciplina investigada, 46% (Fig. 5.4) consideraram baixa a influência do ambiente em sua aprendizagem. Pode-se explicar essa aparente contradição devido ao tempo de utilização do ambiente, levando-se em consideração os comentários deixados pelos alunos na folha de resposta do questionário avaliativo. Muitos sugeriram que os professores deveriam incentivar mais a utilização do ambiente e, além disso que os alunos deveriam começar a ter contato com o ambiente desde o início do semestre letivo. Além disso, 55% dos alunos sentiu liberdade para navegar e buscar as informações necessárias dentro do ConcWeb conferindo-lhes autonomia.
Mostrar mais

116 Ler mais

Patologias em Piso de Concreto Armado Polido: Um Estudo de Caso

Patologias em Piso de Concreto Armado Polido: Um Estudo de Caso

A retração autógena, definida por Rocha et al [9], é a retração que ocorre sem troca de massa com o meio am- biente, ou seja, sem que exista perda de água. Esta retra- ção se dá quando a hidratação do concreto de desenvolve e os produtos envolvem os agregados, mantendo todos unidos. Assim, os níveis de capilaridade, o assentamento plástico e a retração plástica primária decrescem. Tal fenômeno ocorre quase que totalmente após a pega do concreto. Atualmente leva-se muito em consideração este estágio, tendo em vista que a relação água/cimento apre- senta níveis muito baixos.
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação experimental dos métodos de prevenção de fissuras na interface alvenaria de vedação e pilar de concreto.

Avaliação experimental dos métodos de prevenção de fissuras na interface alvenaria de vedação e pilar de concreto.

Na citada avaliação em laboratório, por limitações técnicas e de custos, muitas vezes não é possível a reprodução do comporta- mento real da parede de alvenaria em situação de serviço. Nestes casos, avaliações da eiciência destas técnicas de prevenção de issuras em modelos de menor escala podem ser uma alternativa. Desta maneira, neste trabalho, como forma de contribuição ao meio técnico, na forma de resultados experimentais, são avalia- dos, em modelo reduzido, vários dispositivos usuais de preven- ção à issuração que ocorre na junta de ligação entre a parede de alvenaria e a estrutura de concreto (pilar). A citada proposta de avaliação, a princípio, pode ser empregada para o descarte inicial de uma técnica, em detrimento a uma outra, em eventual seleção preliminar ao teste, de custo bem mais elevado, da parede em tamanho real, em laboratório.
Mostrar mais

9 Ler mais

Avaliação dos parâmetros de instabilidade global em estruturas de concreto armado

Avaliação dos parâmetros de instabilidade global em estruturas de concreto armado

O estudo da estabilidade estrutural é um tema bastante atual, visto que os projetistas se deparam com estruturas cada vez mais suscetíveis à instabilidade pelas características dos projetos encontrados na engenharia. No entanto sabe-se que muito já se estudou nesse assunto, desde Euler no século XVIII, Beck e König, idealizadores do parâmetro α , os brasileiros Mário Franco e Vasconcelos responsáveis pelo coeficiente γ z , e tantos outros que buscam um melhor entendimento da estabilidade até os dias de hoje. A criação de parâmetros para avaliar a estabilidade de uma estrutura de forma simples e dispensando análises mais precisas de segunda ordem permitiu que os projetos fossem mais bem estudados antes da solução final, otimizando assim os resultados. Os métodos de determinação dos efeitos de segunda ordem tornam-se cada vez mais refinados pelas análises computacionais existentes e proporcionam maior credibilidade nos resultados obtidos. No entanto é preciso lembrar que as análises numéricas tentam retratar o desempenho de uma estrutura real que está sujeita a imperfeições geométricas, comportamento não-linear dos materiais, variabilidade das ações consideradas, eventual falha de algum elemento, entre outras situações que podem distanciar o modelo idealizado da estrutura construída. Por isso é importante conhecer a origem das formulações e simplificações adotadas em um modelo computacional ao caracterizá-lo como representante de uma estrutura real.
Mostrar mais

105 Ler mais

Comparação de custos entre os processos construtivos em concreto armado e em alvenaria estrutural em blocos cerâmico e de concreto

Comparação de custos entre os processos construtivos em concreto armado e em alvenaria estrutural em blocos cerâmico e de concreto

O revestimento interno nas obras em alvenaria estrutural foi executados em massa única com espessura aproximada de 5mm com argamassa industrializada (figura 41). O pedreiro recebia dos servente no apartamento o número de sacos de 50 kg necessário para a execução do mesmo. Aproximadamente 24 sacos por apartamento. A tarefa do servente neste serviço era de simplesmente estocar a argamassa necessária a execução de um apartamento, tal como figura 42. O pedreiro além de executar o revestimento interno era o responsável por fazer a massa, desta maneira ele sempre trabalhava sozinho. Os pedreiros em geral reclamavam da produtividade desta massa alegando que a massa puxava muito rápido não sendo possível a execução de grandes panos de revestimento de uma única vez.
Mostrar mais

171 Ler mais

Análise de estabilidade global em estruturas de edifícios em concreto armado

Análise de estabilidade global em estruturas de edifícios em concreto armado

Logo, pode-se afirmar que a parcela de momento acrescentada pode ser considerada um efeito consequente da não linearidade geométrica. Afinal, foi um esforço que surgiu com a análise do equilíbrio da estrutura na sua posição deslocada. Segundo Freitas (2016), em edifícios altos, a consideração dos efeitos da NLG torna- se importante, pois ela gera um aumento de esforços devido ao carregamento vertical e aos deslocamentos horizontais. Com isso, a ABNT NBR 6118:2014 no seu item 15.2 define que efeitos de 2ª ordem são aqueles que se somam aos obtidos em uma análise de primeira ordem (situação onde o equilíbrio da estrutura é estudado em sua configuração geométrica inicial), quando a análise do equilíbrio passa a ser efetuada considerando a configuração deslocada. E que tais efeitos só podem ser desconsiderados se não representarem acréscimo superior a 10% nas reações e nas solicitações relevantes da estrutura.
Mostrar mais

96 Ler mais

Estudo de produtividade da alvenaria de vedação em obras verticais

Estudo de produtividade da alvenaria de vedação em obras verticais

Além disso, Souza (2006, p. 45) complementa esses fatores com a existência de anormalidades, que são acontecimentos incomuns ao cotidiano do serviço, como exemplo tem-se fatores ambientais, quebra de equipamentos, fatores sindicais, e etc. Consultando-se a TCPO (2010 p. 224), essa variação de produtividades em função de diversos fatores fica notória. A produtividade de um serviço de alvenaria, por exemplo, depende não somente da habilidade do pedreiro, mas também do layout do canteiro de obras, da densidade de parede por área de piso, da idoneidade dos fornecedores, das condições ambientais, das condições das ferramentas a serem utilizadas, além de vários outros fatores.
Mostrar mais

64 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados