Top PDF Eficiência da encapsulação e estabilidade oxidativa do óleo de chia microencapsulado por spray drying

Eficiência da encapsulação e estabilidade oxidativa do óleo de chia microencapsulado por spray drying

Eficiência da encapsulação e estabilidade oxidativa do óleo de chia microencapsulado por spray drying

A microencapsulação na indústria de alimentos está em constante crescimento e um dos procedimentos mais utilizados para microencapsular é a secagem por spray drying. A microencapsulação do óleo da Salvia hispanica L., também conhecida como chia, é realizada principalmente devido à sua composição, que contém os ácidos graxos poli-insaturados. Esses compostos são altamente suscetíveis a processos oxidativos, caso esteja em contato com o calor, luz, oxigênio e/ ou umidade.O objetivo foi analisar a estabilidade oxidativa do óleo encapsulado pelo índice de peróxidos, através do armazenamento durante 30 dias em atmosfera com umidade relativa padronizada em 33% e avaliar a eficiência do processo de encapsulação, juntamente com o rendimento de sólidos. A obtenção das microcápsulas foi realizada utilizando-se a técnica de secagem por atomização e a proteína isolada de soja (PIS) e lecitina de soja como materiais de parede. Para a secagem por spray drying utilizou-se um bico atomizador tipo duplo fluido, com orifício de 1,0 mm de diâmetro, com a vazão da alimentação de 0,35 ± 0,03 L ·h -1 , temperatura do ar de secagem de 124 °C e com pressão de ar do compressor de 0,4 MPa. Foi avaliada a atividade de água (A w ) das microcápsulas
Mostrar mais

47 Ler mais

Avaliação da estabilidade oxidativa do óleo de chia microencapsulado

Avaliação da estabilidade oxidativa do óleo de chia microencapsulado

O óleo de chia vem sendo amplamente estudado devido aos seus benefícios para a saúde humana, sendo fonte de ácidos graxos essenciais como o ômega-3 e ômega-6, além de diversos compostos antioxidantes. Contudo, assim como outros óleos ricos em ácidos graxos insaturados, ele possui baixa estabilidade oxidativa. A encapsulação do óleo de chia é uma alternativa para protegê-lo da luz e do oxigênio, fatores determinantes para o início das reações de degradação. O impacto da encapsulação sobre a proteção do óleo deve ser mensurado e no estudo de óleos e gorduras as técnicas de análise térmica vem ganhando destaque nos últimos anos devido a rapidez, precisão e facilidade de operação. Neste trabalho, o óleo de sementes de chia foi microencapsulado em cera de carnaúba e sua estabilidade térmica foi avaliada. Primeiramente, as micropartículas foram caracterizadas por Espectroscopia no Infravermelho Médio, Difração de Raios-X, Cromatografia Gasosa e Microscopia Eletrônica de Varredura, sendo verificado um alto índice de eficiência de encapsulação (97%), apresentando tamanhos micrométricos, formato esférico e sem fissuras. Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC) foi utilizada nos modos isotérmico e não isotérmico a fim de determinar os parâmetros de Arrhenius do óleo in natura e microencapsulado. Foi possível verificar a efetiva proteção do óleo de chia conferida pelas micropartículas de cera de carnaúba, sendo detectado um aumento na temperatura de indução oxidativa de até 26º C nos ensaios não isotérmicos. As micropartículas contendo o óleo também foram submetidas ao ensaio de estabilidade acelerada em estufa. Os espectros obtidos através do Uv-Vis foram utilizados para análise quimiométrica e na determinação dos coeficientes de extinção a 232 e 270 nm, corroborando o aumento da estabilidade oxidativa observado nos ensaios calorimétricos.
Mostrar mais

52 Ler mais

Increasing energy efficiency in microencapsulation of soybean oil by spray drying / Aumento da eficiência energética na microencapsulação de óleo de soja por spray drying

Increasing energy efficiency in microencapsulation of soybean oil by spray drying / Aumento da eficiência energética na microencapsulação de óleo de soja por spray drying

O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da temperatura do ar de entrada da secagem por aspersão nas propriedades das micropartículas e a perda de calor na câmara de secagem no sentido de selecionar as condições que promovem a preservação de compostos funcionais e melhoram a eficiência energética. A eficiência energética do processo foi avaliada variando a temperatura do ar de entrada (T) de 110 a 150 ° C e o fluxo de ar (AF) de 20 a 40kg / h, sendo a eficiência energética, a variável resposta. As microesferas apresentaram uma superfície contínua e sem rachaduras, o que dificulta a difusão do ar e reduz a probabilidade de oxidação de triglicerídeos no núcleo. As curvas de perda de calor foram plotadas considerando os princípios de conservação de massa e energia aplicados às correntes de entrada e saída. Além disso, os parâmetros termodinâmicos foram continuamente monitorizados durante o secador por aspersão. Assim, as condições operacionais selecionadas (T = 130 ° C, AF = 20 kg.h1) permitiram alcançar alta eficiência de encapsulação (95%) e economia de energia em comparação aos processos convencionais usando temperaturas do ar de entrada acima de 180 ° C, uma melhoria significativa compostos termo-sensíveis.
Mostrar mais

14 Ler mais

Microencapsulação de óleo de semente de uva por spray drying

Microencapsulação de óleo de semente de uva por spray drying

A extração e o uso como ingrediente alimentício do óleo de semente de uva é uma possibilidade de reaproveitamento de subproduto da indústria vinícola. O óleo de semente de uva é rico em ácidos graxos insaturados e antioxidante natural, sendo importante para a saúde, pois auxilia na prevenção de várias doenças. Entretanto, a alta quantidade de ácidos graxos poliinsaturados faz com que o óleo de semente de uva seja quimicamente instável e susceptível a degradação oxidativa quando exposto a luz, oxigênio e altas temperaturas, resultado em perda do valor nutritivo e produção de sabor e aroma desagradáveis. Assim, a microencapsulação surge como uma alternativa para proteger o óleo de semente de uva e possibilitar a sua aplicação em diferentes formulações de alimentos. A microencapsulação por spray drying é uma tecnologia utilizada em diversos segmentos industriais e se destaca por ser um processo econômico e flexível. O objetivo deste trabalho foi microencapsular o óleo de semente de uva por spray drying utilizando-se goma arábica como material de parede. As micropartículas foram caracterizadas quanto à distribuição de tamanho, atividade de água, higroscopicidade, densidade e eficiência de encapsulação. As micropartículas de óleo de semente de uva apresentaram diâmetro médio de 12,5 µm, densidade de 0,500 g/mL e eficiência de encapsulação de 96,17 %. Os resultados deste estudo são promissores e demonstra o potencial do spray dryer em microencapsular o óleo de semente de uva, gerando micropartículas que podem ser aplicadas em formulações de alimentos e agregando valor a um subproduto da indústria vinícola.
Mostrar mais

39 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de cookies adicionados de óleo de chia microencapsulado

Desenvolvimento e caracterização de cookies adicionados de óleo de chia microencapsulado

22 O método de coacervação complexa também pode ser empregado para encapsulação de óleos. Neste método a formação de uma camada protetora sobre a superfície das gotas de óleo emulsificado se dá pela interação de dois biopolímeros solúveis, que necessariamente apresentam cargas opostas em condições específicas, como temperatura, pH e força iônica. Proteínas, como o colágeno, apresentam-se carregadas positivamente quando se encontram abaixo do seu ponto isoelétrico ou negativamente acima deste. Já polissacarídeos, como a goma arábica, apresentam cargas negativas em determinadas faixas de pH. No momento em que as condições do meio aquoso são alteradas para que os polímeros apresentem-se carregados de forma oposta, ocorre a interação entre os mesmos que formam precipitados (coacervatos) que se difundem para a interface das gotas criando um camada uniforme que envolve o material do núcleo (óleo emulsificado). Timilsena et al. (2016) microencapsularam óleo de chia com goma de semente de chia (CSG), isolado de proteína da semente de chia (CPI), e a coacervação complexa (CPI- CSG). A encapsulação foi feita por duas técnicas: secagem por congelação e secagem por pulverização. A eficiência de encapsulação no processo de coacervação complexa com o óleo foi maior, apresentando boa estabilidade oxidativa, devido aos baixos índices de peróxidos e aldeídos após 10 dias de armazenamento a 30°C.
Mostrar mais

68 Ler mais

Microencapsulation of virgin coconut oil by spray drying / Microencapsulação de óleo de coco virgem por spray spray

Microencapsulation of virgin coconut oil by spray drying / Microencapsulação de óleo de coco virgem por spray spray

A microencapsulação e nanoencapsulação por spray drying é uma tecnologia inovadora que tem sido empregue na elaboração de novos produtos. O óleo de coco virgem, contém uma grande quantidade de ácidoláurico e ácidos graxos de cadeia curta, que são usados como antioxidantes, antibacterianos, antivírus e no aumento da imunidade humana. Esse trabalho foi feito com o objetivo de caracterizar a nanoencapsulação e microencapsulação de óleo de coco virgem por meio de secagem por atomização via spray drying. Foram avaliadas as variáveisconcentração de sólidos totais, concentração de óleo em relação aos sólidos e temperatura de secagem, por meio de um delineamento experimental 23. Foram utilizados: 20 a 30% de sólidos totais usando isolado proteico de soja com maltodextrina, em uma proporção 1:2, concentração de óleo de coco virgem de 25 a 50% com relação aos sólidos totais, temperatura de secagem de 160 e 180 °C e como emulsificante éster de sacarose a 0,5%. Foram caracterizadas as emulsões e microcápsulas pelas propriedades: Estabilidade da emulsão, microscopia, higroscopicidade, umidade, atividade de água, densidade aparente, óleo retido na emulsão e na microcápsula, óleo superficial, eficiência de encapsulação, retenção de óleo e morfologia. Os critérios para a seleção do melhor processo de microencapsulação foram a retenção de óleo e o baixo teor de óleo em relação aos sólidos. Asanálises morfológicas mostraram melhores volumes esféricos com menores fissuras ou rachaduras aparentes, lisas e de menor tamanhos (2,5 a 20 μm de diâmetro) tiveram microcápsulas com menores concentrações de sólidos totais na menor temperatura.
Mostrar mais

20 Ler mais

Biodiesel de babaçu, óleo residual e gordura suína: análise da estabilidade oxidativa e potencial corrosivo quando aditivados

Biodiesel de babaçu, óleo residual e gordura suína: análise da estabilidade oxidativa e potencial corrosivo quando aditivados

Christensen et al. (2016) avaliaram o desempenho do Volkswagen Passat modelo 2011 abastecido com biodiesel, com PI de 6 horas, com o intuito de avaliar a eficácia da norma ASTM D7467 que estipula o mínimo de 6 horas do PI para a comercialização do biodiesel. Foram analisados diversos parâmetros e sua relação com o PI inicial. No final dos testes, as bombas do sistema de injeção não revelaram depósitos ou desgaste anormal. O armazenamento em longo prazo com uso intermitente do combustível, mostrou que o PI permaneceu acima de 3 horas, índice de acidez abaixo de 0,3 mg KOH / g, peróxidos baixos, nenhuma alteração no perfil de éster e não teve produção de polímeros, com a exceção de pequenas alterações nas propriedades do combustível nos testes finais do dinamômetro. Os resultados garantem que o requisito de estabilidade de 6 horas é suficiente para proteger o motor. Além disso, concluíram que o PI mínimo para misturas de B6 a B20 fornece proteção adequada para os sistemas de combustível dos motores.
Mostrar mais

56 Ler mais

Efeito da nanofiltração e da microencapsulação por spray drying na estabilidade dos compostos bioativos do extrato aquoso de Ilex paraguariensis A. St. Hil.

Efeito da nanofiltração e da microencapsulação por spray drying na estabilidade dos compostos bioativos do extrato aquoso de Ilex paraguariensis A. St. Hil.

A atividade de água das microcápsulas (Tabela 3.2) está dentro do intervalo normal encontrado para os produtos atomizados, e também dentro do limite recomendado para assegurar a estabilidade de pós (< 0,3). Como observado no estudo de Nadeem, Torun e Ozdemir (2011), não houve diferença significativa entre a atividade de água das microcápsulas preparadas com maltodextrinas de diferentes valores de DE. A adição de maltodextrina afetou a higroscopicidade das microcápsulas. As microcápsulas preparadas com maltodextrina DE10 apresentaram o menor valor de higroscopicidade. O mesmo comportamento foi observado por Tonon, Brabet e Hubinger (2009) para pó de suco de açaí. As diferenças de higroscopicidade podem ser explicadas pela estrutura química de cada agente encapsulante. O fenômeno de adsorção de água por um hidrato de carbono é atribuído às ligações entre os hidrogênios presentes nas moléculas de água e os grupos de hidroxilas disponíveis nas regiões amorfas do substrato, assim como nas regiões com superfícies cristalinas. A maltodextrina DE20 tem um grande número de ramificações com grupos hidrofílicos, adsorvendo facilmente a umidade do ar. No entanto, a maltodextrina DE10 é menos hidrolisada, apresentando um menor número de grupos hidrofílicos e, portanto, adsorvendo menos água.
Mostrar mais

103 Ler mais

Estudos de estabilidade oxidativa em azeites monovarietais

Estudos de estabilidade oxidativa em azeites monovarietais

Agosto de 2014 Instituto Politécnico de Castelo Branco. Escola Superior Agrária.[r]

59 Ler mais

Microencapsulação por spray drying de compostos bioativos de subprodutos do ananás

Microencapsulação por spray drying de compostos bioativos de subprodutos do ananás

As condições ótimas do spray drying têm de ser estabelecidas de forma a obter microcápsulas de qualidade. Para tal, um dos principais fatores a ajustar no spray drying é a temperatura do ar de entrada que influencia diretamente a taxa de secagem das microcápsulas e o conteúdo final em água. Assim, se esta temperatura for muito baixa, a água não vai evaporar totalmente e o pó contínua húmido, alterando consequentemente o rendimento da microencapsulação. Por outro lado, uma elevada temperatura do ar de entrada causa uma evaporação excessiva, resultando no risco de ocorrência de fissuras da membrana e à consequente degradação e libertação não controlada do material encapsulado. Este aumento da temperatura resulta ainda na produção de partículas de maiores dimensões, uma vez que durante o processo de secagem forma-se um filme na superfície da partícula e a concentração do material encapsulado aumenta. (Gharsallaoui et al. 2007, Ray, Raychaudhuri e Chakraborty, 2016).
Mostrar mais

76 Ler mais

Determinação das especifícações do processo 'spray drying' na obtenção de micropartículas...

Determinação das especifícações do processo 'spray drying' na obtenção de micropartículas...

A liberação local de fármacos na cavidade oral apresenta muitas aplicações, incluindo o controle da dor pós-cirúrgica, tratamento de doenças periodontais e anestesia local. Micropartículas carregadas com anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) produzidas para a liberação sustentada é útil em Odontologia, uma vez que mantém o fármaco em níveis terapêuticos, promove o controle da dor e maior adesão do paciente ao tratamento.Uma vez que o sistema é biodegradável, o paciente não precisa ir ao consultório do dentista para removê-lo. Spray drying, é um dos vários métodos de microencapsulação, é rápido, de fácil operação, ampliação de escala e apresenta condições moderadas de operação. Assim, o objetivo deste trabalho é determinar as especificações do processo de spray- drying na obtenção de micropartículas biodegradáveis para a liberação sustentada de fármacos com aplicação odontológica. Quitosana foi utilizada como polímero de revestimento, uma vez que é biodegradável, biocompatível e mucoadesivo. Cetoprofeno foi utilizado como AINE modelo.Testes de qualificação de operação do spray-dryer foram conduzidos em conformidades com os requisitos da ANVISA e FDA. O método de análise de teor de cetoprofeno também foi validado, apresentando precisão, exatidão, linearidade e especificidade adequados ao seu propósito. Com relação ao processo de microencapsulação, a melhor condição operacional no spray-dryer apresenta 100 ºC de temperatura de entrada, 5,7 g/min de vazão da bomba peristáltica, 49,2 m 3 /h de vazão do ar de secagem, 1 mm de diâmetro do bico atomizador e 1,3 de pressão do ar comprimido. As micropartículas obtidas apresentam boa esfericidade e uma superfície lisa. A distribuição granulométrica é estreita, variando de 2,11 a 3,27µm. Os estudos de liberação in vitro mostram um comportamento linear de dissolução do cetoprofeno encapsulado nas micropartículas, sugerindo que a cinética de liberação do fármaco é governada pela dissolução do fármaco e difusão através da matriz polimérica. Quitosana apresentou influência sobre a liberação do cetoprofeno, uma vez que foi encontrado um T 50 de 36,0 h para o fármaco microencapsulado,
Mostrar mais

96 Ler mais

Avaliação da estabilidade oxidativa de óleo de soja contendo concentrações contrastantes de ácido linolênico, durante o processamento

Avaliação da estabilidade oxidativa de óleo de soja contendo concentrações contrastantes de ácido linolênico, durante o processamento

As análises de voláteis foram adaptadas de SNYDER et al. (1986), ULBERT et al. (1993) e ULBERT (1998). Foram realizadas utilizando headspace, através de um cromatógrafo gasoso, modelo GC-17A SHIMADZU, equipado com detector FID, usando uma coluna Carbowax – L&M (25m x 0,32mm). A temperatura programada inicial foi de 30 °C com elevação de 5 °C/min, até 80 °C e com 15 °C/min, até a temperatura final de 220 °C. O gás de arraste foi nitrogênio com fluxo de 1mL/min. Amostras contendo 1g de óleo de soja foram colocadas em frascos de 20 mL e seladas, após acondicionada em teste de estufa, foram aquecidas a 90°C por 20 min e 1,5 mL do gás foi injetado no cromatógrafo. A quantificação de hexanal (ppm) foi feita por meio de uma curva padrão, usando hexanal obtido da Sigma. Com a obtenção da equação da reta, utilizando a área fornecida pelo composto através das concentrações do padrão de hexanal, foi calculada a concentração de hexanal nas amostras.
Mostrar mais

92 Ler mais

Spray drying of coffee leaf extract

Spray drying of coffee leaf extract

extract concentration in the solution to be dried was positive for increasing the S, representing an advantage for the process, increasing the productivity by increasing the concentration of product. Furthermore, the quadratic effect of inlet air temperature was negative, contributing to the decrease of the percentage of soluble solids. Higher concentrations of coffee leaf extract in the solution to be dried may have aided in the process, causing an easier release of the powder. With opposite effect, high inlet air temperatures may have caused rigid crusts in powder particles by rapidly removed from the surface, making the output of the nuclei thus damaging the solubility of the material. In spray drying using maltodextrin as carrier of salvia tea (ŞAHIN-NADEEM et al., 2013) and watermelon juice (QuEK; CHoK; SWEDLuND, 2007), negative effect was also observed for the inlet air temperature on the percentage of soluble solids. those authors argue that, by increasing temperature, the agglomeration of the particles is reduced, with consequently reduced S. Based on that study, higher inlet air temperatures lead to obtaining a material with higher moisture content by crust formation on the surface of the particle. the formation of the crust and highest moisture content are two factors pointed out by several authors (QuEK; CHoK; SWEDLuND, 2007; toNoN et al., 2009; VARDIN; YASAR, 2012) as responsible for decreased S.
Mostrar mais

9 Ler mais

Avaliação da estabilidade oxidativa do biodiesel obtido do óleo de amendoim (Harachis hypogaea) durante armazenamento.

Avaliação da estabilidade oxidativa do biodiesel obtido do óleo de amendoim (Harachis hypogaea) durante armazenamento.

Kaya et al. (2009) extraíram óleo das semente de amendoim usando hexano como solvente com rendimento de 50% (m/m). O óleo bruto foi usado na obtenção de biodiesel, por meio da reação de transesterificação alcalina usando excesso de metanol. A razão molar para óleo e álcool foi de 1:6 (m/m). Kaya et al. (2009) também determinaram as propriedades físico-químicas para o biodiesel de amendoim. Os resultados encontrados mostraram que o biodiesel de amendoim apresentou viscosidade cinemática, índice de acidez, densidade e número de iodo dentro dos valores estabelecidos pela norma EN 14214. O ponto de fulgor para o biodiesel metílico de amendoim foi de 166 °C, sendo que o valor da norma é de 120 °C, o que é uma garantia para transporte e armazenamento de forma segura. Para o número de cetano, o valor foi de 53,59, o que resulta em uma melhor eficiência durante a sua combustão (a norma exige um valor mínimo de 51). Os valores para ponto de névoa e ponto de entupimento de filtro a frio mostraram que o biodiesel apresenta uma quantidade elevada de compostos saturados, o que teria contribuído para apresentar ponto de nevoa em 0 °C e ponto de entupimento de filtro a frio em -8 °C.
Mostrar mais

108 Ler mais

Biodiesel de óleo de dendê: produção, reologia, melhoramento das propriedades de escoamento a frio e estabilidade oxidativa

Biodiesel de óleo de dendê: produção, reologia, melhoramento das propriedades de escoamento a frio e estabilidade oxidativa

A crescente demanda energética mundial, associado a perspectiva de desabastecimento de combustíveis de origem fóssil e a necessidade de uma maior atenção com questões ambientais, provocaram o rápido avanço em pesquisas que visam o desenvolvimento de tecnologias limpas, assim como, a busca por combustíveis alternativos provindos de fontes renováveis como o biodiesel. Um dos problemas associados ao biodiesel é o custo de sua produção, portanto, a busca por biomassas de baixo custo é imprescindível. O dendê é a cultura que apresenta maior produtividade por hectare e baixo custo de produção do óleo desta biomassa. O óleo de dendê apresenta elevada estabilidade oxidativa quando comparada com óleos de outras oleaginosas e gorduras devido ao seu significativo teor de ácidos graxos saturados, além de possuir elevados valores de propriedades de escoamento a frio. O presente trabalho produziu biodiesel de dendê através do processo de pré-tratamento (filtração, degomagem e esterificação) e transesterificação. Foi investigado o melhoramento do ponto de fluidez e estabilidade oxidativa do combustível em estudo, além de avaliar a reologia e modelos preditivos de massa específica e viscoisdade cinemática. Para o melhoramento do ponto de fluidez utilizou-se a técnica de fracionamento com dois tipos de tensoativo (dodecil sulfato de sódio e tween 80), sendo observado nenhuma influência sobre essa propriedade. Além da técnica de fracionamento com tensoativo, foi verificada a influência de misturas BX (B7, B10, B20, B30, B40 e B50), com isso o ponto de fluidez do biodiesel teve uma redução significativa. Em relação a estabilidade oxidativa no presente trabalho foi obtido um aumento sutil com o antioxidante natural de óleo de tomilho e uma diminuição significativa com o óleo
Mostrar mais

131 Ler mais

Efeito da matéria insaponificável do óleo de palma (Elaeis guineensis) na estabilidade oxidativa de óleo de soja sob estocagem acelerada em estufa

Efeito da matéria insaponificável do óleo de palma (Elaeis guineensis) na estabilidade oxidativa de óleo de soja sob estocagem acelerada em estufa

Considerando-se o elevado consumo de óleo de soja no Brasil, utilizado principalmente no preparo de alimentos, o interesse em preservar seus compostos bioativos e a tendência pelo uso [r]

13 Ler mais

EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DE OVOALBUMINA NA MICROENCAPSULAÇÃO DE PRÓPOLIS POR SPRAY DRYING

EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DE OVOALBUMINA NA MICROENCAPSULAÇÃO DE PRÓPOLIS POR SPRAY DRYING

RESUMO – A própolis é um produto elaborado pelas abelhas através de substâncias resinosas retiradas das plantas. Apesar de todos os efeitos benéficos, seu consumo ainda é dificultado devido ao seu sabor amargo, e sua baixa solubilidade em água. O objetivo deste estudo foi microencapsular extrato de própolis utilizando duas concentrações de ovoalbumina (1 e 4% p/v) como material de parede e secagem por spray drying. As micropartículas foram analisadas quanto a morfologia e difração de Raios-X. Houve influência da concentração de ovoalbumina para a morfologia (p<0,05) das micropartículas. Para a morfologia, o aumento na concentração de ovoalbumina ocasionou aumento no tamanho e formação de microcápsulas mais esféricas. A técnica de difração de Raios-X mostrou perfil amorfo para as microcápsulas obtidas.
Mostrar mais

5 Ler mais

Capacidade antioxidante e estabilidade oxidativa de Gengiber officinale

Capacidade antioxidante e estabilidade oxidativa de Gengiber officinale

A busca de novos agentes farmacologicamente ativos, através da triagem de fontes naturais, tem levado à descoberta de muitos fármacos úteis clinicamente e que desempenham importante papel no tratamento de várias doenças. Especiicamente na terapia de enfermidades infecciosas e do câncer, estima-se que mais de 75 e 60%, respectivamente, dos fármacos atualmente empregados são derivados de fontes naturais, sendo muito deles compostos com atividade antioxidante que podem agir em diversos níveis da sequência oxidativa nos sistemas biológicos 2,3 .
Mostrar mais

6 Ler mais

Microencapsulation of grape seed oil by spray drying

Microencapsulation of grape seed oil by spray drying

these substances present a large diversity of structures, including phenols and phenolic acids, hydroxycinnamic acid derivatives and flavonoids (Ho, 1992). On grape seed oil, the main phenolic compounds identified are gallic acid, epicatechin and epicatechin gallate (Zhao et al., 2017). Although TPC content decreased after spray drying process, its composition could have been changed due to distinct encapsulation efficiency (Secolin et al., 2017) and thermal stability of each phenolic compound; and interconversion reactions to derived structures (Barcia et al., 2014; Cheynier, 2012). Phenolic compounds are important for human nutrition, since plays the role of biological antioxidant. As consequence of the decrease of TPC content in grape seed oil encapsulated, a reduction in the DPPH radical scavenging activity was observed (Table 2). Some authors have also reported this negative effect of spray drying on the antioxidant activity of oils due to thermal and oxidative degradation of antioxidant substances (Calva-Estrada et al., 2018; Ferreira et al., 2016). Dn the other hand, although the oils encapsulated presented lower phenolic compound contents, they showed greater iron ion reducing capacity than the control sample (Table  2). This  unexpected result was reported by Arana-Sánchez et al. (2010) for oregano oil microencapsulated by spray drying. The authors attributed this result to compositional changes in the oil during the microencapsulation process. Probably, in the current work, spray drying process could have favored the formation of some compounds possessing iron reducing capacity.
Mostrar mais

8 Ler mais

Efeito da adição do óleo essencial de Aloysia triphylla na estabilidade oxidativa de hambúrgueres de carne bovina pré-cozinhados congelados

Efeito da adição do óleo essencial de Aloysia triphylla na estabilidade oxidativa de hambúrgueres de carne bovina pré-cozinhados congelados

As famílias de plantas que compreendem espécies que produzem a maior parte dos óleos essenciais não são restritas a um grupo taxonómico específico, mas são distribuídos entre todas classes de plantas: gimnospermas, por exemplo, as famílias Cupressaceae (ex: óleo de cedro, de zimbro, etc) e Pinaceae (ex: óleo de pinheiro), bem como angiospérmicas: dicotiledóneas, eudicotiledóneas e monocotiledóneas. As famílias mais importantes de dicotiledóneas são Apiaceae (ex.: óleo de coentro, de funcho, etc.), Asteraceae ou Compositae (ex.: óleo de camomila), Geraniaceae (ex.: óleo de gerânio), Illiciaceae (ex.: óleo de estrela- de-anis), Lamiaceae (ex.: óleo de hortelã, de patchouli, de lavanda, de orégão, etc.), Lauraceae (ex.: óleo de cânfora, de canela, etc), Myristicaceae (ex.: óleo de noz-moscada), Myrtaceae (ex.: óleo de murta e de cravo), Oleaceae (ex.: óleo de jasmim), Rosaceae (ex.: óleo de rosa), e Santalaceae (ex: óleo de sândalo). Em monocotiledóneas, ele é substancialmente limitada a Acoraceae, Poaceae e Zingiberaceae (ex.: o gengibre) (Franz e Novak, 2010).
Mostrar mais

90 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados