Top PDF Florística e estrutura do componente arbóreo de matas de Restinga arenosa no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

Florística e estrutura do componente arbóreo de matas de Restinga arenosa no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

Florística e estrutura do componente arbóreo de matas de Restinga arenosa no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

RESUMO – (Florística e estrutura do componente arbóreo de matas de Restinga arenosa no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil). Para ampliar o conhecimento sobre as matas de Restinga arenosa no Rio Grande do Sul, foi realizado o estudo florístico e fitossociológico do componente arbóreo de cinco capões de Restinga do Parque Estadual de Itapuã. Neste estudo comparativo foi usado o método de parcelas, incluindo todos os indivíduos com DAP mínimo de 5 cm e totalizando uma área de 1,02 ha. A composição florística resultou em uma riqueza total de 31 espécies, 26 gêneros e 20 famílias, considerando os cinco capões juntos. A densidade total arbórea nos capões teve uma média de 1.023 ind/ha. A família com a maior riqueza de espécies foi Myrtaceae e, entre as espécies com maior valor de importância, foram encontradas Sebastiania serrata (Baill. ex Müll. Arg.) Müll. Arg. e Ficus organensis Miq. A diversidade específica foi baixa, variando de 1,08 a 2,38 nats.ind -1 . Os resultados obtidos indicam a existência de diferenças na composição e na estrutura arbórea dos capões que podem
Mostrar mais

10 Ler mais

Florística e estrutura do componete arbustivo-arbóreo de mata de restinga arenosa no Parque Estadual de Itapeva, Rio Grande do Sul.

Florística e estrutura do componete arbustivo-arbóreo de mata de restinga arenosa no Parque Estadual de Itapeva, Rio Grande do Sul.

RESUMO – Para ampliar o conhecimento sobre as matas de Restinga arenosa no Rio Grande do Sul, foi realizado estudo florístico e fitossociológico do componente arbustivo-arbóreo de um capão de Restinga do Parque Estadual de Itapeva (PEVA). Neste estudo foi usado o método de parcelas, incluindo todos os indivíduos com DAS (diâmetro a altura do solo) mínimo de 2,5 cm e totalizando uma área de 0,5 ha. A composição florística resultou em riqueza total de 81 espécies. A densidade total arbustivo-arbórea no capão foi de 4.240 ind/ha. A família com maior riqueza específica foi Myrtaceae e, entre as espécies com maior valor de importância, estão Myrsine umbellata Mart. e Sorocea bonplandii (Baill.) W. C. Burger. Na regeneração natural as 10 primeiras espécies acumularam 54% da regeneração natural total, com índices que variaram de 13,5% a 0,2%. A elevada riqueza observada evidenciou a contribuição da “Porta de Torres” como importante corredor migratório das espécies atlânticas na vegetação do Rio Grande do Sul, agregando novas informações sobre a florística e estrutura comunitária da Restinga do Rio Grande do Sul. Os resultados apresentados contribuirão para posteriores estudos de dinâmica no PEVA e para programas de manejo, preservação e recuperação ambiental.
Mostrar mais

14 Ler mais

Padrões de interações mutualísticas entre espécies arbóreas e aves frugívoras em uma comunidade de Restinga no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

Padrões de interações mutualísticas entre espécies arbóreas e aves frugívoras em uma comunidade de Restinga no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

Das espécies do componente arbóreo do Mato da Coruja (Scherer et al. 2005) (Tab. 1), 50% participaram das interações observadas, somando-se Erythroxylum argentinum e Guapira opposita, que não pertenciam ao estrato arbóreo adulto da mata, mas sim como plântulas, além de Eugenia hiemalis e Opuntia monacantha que apresentam aspecto arbustivo (Fig. 2). Para o grupo das aves, foram registradas 69 espécies que utilizaram de alguma forma a mata, como abrigo e/ou forrageio (Tab. 2). Dessas, 22 são espécies de aves que apresentam potencial de dispersão de sementes, ou seja, que consumiram frutos, descartando-se aquelas que inviabilizam as sementes consumidas, tais como membros de Columbidae (Tab. 2). Apenas 18 aves foram constatadas interagindo com as espécies arbóreas (Fig. 2). Da rede de interações (Fig. 2), além dessas 18 espécies de aves, fizeram parte 11 espécies vegetais, com uma conectância de 25,3%, ou seja, das 198 interações possíveis de ocorrer, foram registradas apenas 50. As espécies de aves que apresentaram maior número de visitas nas árvores com frutos foram Turdus amaurochalinus e T. rufiventris, totalizando aproximadamente 45% dos registros (Fig. 2). Essas espécies também foram as que interagiram com maior número de espécies arbóreas, totalizando cada uma sete interações, como demonstrado na rede de interação planta-frugívoros (Fig. 2).
Mostrar mais

10 Ler mais

Riqueza de formigas de solo na praia da Pedreira, Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS, Brasil.

Riqueza de formigas de solo na praia da Pedreira, Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS, Brasil.

Os resultados obtidos mostram para a praia da Pedreira uma grande riqueza de espécies de formigas, possivelmente resultante da disponibilidade e variedade de locais de nidificação e de recursos alimentares fornecidos pela alta diversidade, vegetal e animal existentes e que, apesar da ação antrópica local, ainda são consideravelmente grandes. No entanto, deve ser destacado o reduzido número de espécies comuns aos três ambientes, apenas 0,5% da riqueza observada, o que indica uma baixa conectividade entre eles, assim como também pode estar indicando um efeito disruptivo local pela intensa atividade humana ocorrida até há bem pouco tempo. Por sua vez, a ocorrência de Labidus coecus (Latreille, 1802) na mata nativa da praia da Pedreira, sugere fortemente o bom estado de conservação (vide Brown Jr. 2000) não só desta zona, mas do Parque como um todo, visto que esta espécie de formiga legionária necessita de grandes extensões ao longo das quais desloca-se constantemente em busca de alimento. Cabe destacar que Sacchett & Diehl (2004) também relataram a ocorrência desta espécie no morro da Grota (PEI).
Mostrar mais

5 Ler mais

Padrões morfológicos de diásporos de árvores e arvoretas zoocóricas no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

Padrões morfológicos de diásporos de árvores e arvoretas zoocóricas no Parque Estadual de Itapuã, RS, Brasil.

ABSTRACT – (Morphological patterns of diaspores from animal-dispersed tree and treelet species at Parque Estadual de Itapuã, Rio Grande do Sul State, Brazil). Diaspores are the dispersal units of plants and their morphology is linked to dispersal and establishment strategies. In this study we evaluated diaspore morphology in 64 tree and treelet species adapted to vertebrate consumption at Parque Estadual de Itapuã, southern Brazil. Our aim was to relate features crucial to dispersal, such as diaspore length, shape and color, to features limiting establishment success, like mass and number of seeds. We considered vertebrate-dispersed diaspores to be those with fleshy structures. Average diaspore length for the species analyzed was 1.7 ± 1.67 cm (N = 1,402). Based on an ordination diagram using length and mass of diaspores plus number and mass of seeds per diaspore, we separated the species into four morphological groups. Species with few seeds per diaspore were linked to bird, mammal, or mixed dispersal strategies; species with high mass and many seeds per diaspore was an indication of mammal dispersal; and a high number of small, light seeds was associated with mixed syndrome strategists. The group with highest species richness (35 species) presented small diaspores and few seeds, most of them red or black in color, potentially adapted to bird dispersal and with a greater proportion of seed mass per diaspore.
Mostrar mais

11 Ler mais

FLORÍSTICA E ESTRUTURA DO COMPONENTE ARBÓREO DE UMA FLORESTA OMBRÓFILA DENSA MONTANA EM SANTA CATARINA, BRASIL.

FLORÍSTICA E ESTRUTURA DO COMPONENTE ARBÓREO DE UMA FLORESTA OMBRÓFILA DENSA MONTANA EM SANTA CATARINA, BRASIL.

O material coletado fértil foi depositado no Herbário Padre Dr. Raulino Reitz (CRI), da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). Foi adotado o sistema APG III (APG, 2009) para classificação das famílias botânicas. A atualização taxonômica das espécies e de seus autores seguiu a Lista de Espécies da Flora do Brasil (2014). Para cada espécie arbórea foram fornecidas informações sobre grupo ecológico (pioneira, secundária inicial, secundária tardia e clímax) e síndromes de polinização e de dispersão. Para os grupos ecológicos, seguiu-se a proposta de Ferretti et al. (1995) e para as síndromes de polinização e de dispersão, os conceitos estabelecidos de Faegri e van der Pijl (1979) e van der Pijl (1982), respectivamente.
Mostrar mais

10 Ler mais

A APROPRIAÇÃO DOS RESULTADOS DO PROEB: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DE JUIZ DE FORAMG

A APROPRIAÇÃO DOS RESULTADOS DO PROEB: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DE JUIZ DE FORAMG

Conforme Klein e Fontanive (2015, p. 1) evidenciam na passagem, foi um momento de desafio enfrentado pela SRE, que buscava, naquele instante, maneiras de apresentar os resultados. A forma escolhida, talvez, possa não ter sido a mais adequada, mas seria uma possibilidade de os professores, a partir das discussões feitas no nível geral, sem especificação de resultados por escolas, terem melhores condições de entender os resultados quando fossem analisá-los individualmente. Prova de que estratégias estão sendo traçadas e já em execução é o grande empenho empreendido pelo governo estadual de Minas Gerais em instituir o Dia D 22 , momento para que todas as escolas da rede possam trabalhar os dados e realizar oficinas de esclarecimentos gerais.
Mostrar mais

127 Ler mais

A APROPRIAÇÃO DE RESULTADOS DO PROEB E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR DUAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A APROPRIAÇÃO DE RESULTADOS DO PROEB E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR DUAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

105 socializadas através dos momentos de formação propostos pelas SREs tem sido utilizadas pelos atores educacionais da rede estadual de ensino de Minas Gerais. Foi verificado que as discussões têm sido realizadas apenas em uma data no calendário escolar e de forma rasa e pouco reflexiva, sendo necessária uma quantidade maior de momentos para o debate dos resultados entre os profissionais das escolas. Por esse motivo foram propostos cinco encontros durante o ano letivo de 2016, cujos temas abordam não somente a forma como os resultados devem ser apropriados, mas, sobretudo a necessidade de conscientização de professores e alunos a respeito da importância da avaliação em larga escala para a obtenção de um diagnóstico fidedigno da educação ofertada aos estudantes. Este movimento, aliado aos diagnósticos realizados através das avaliações internas, poderá fomentar gestores e professores a repensarem suas metodologias de trabalho, bem como a própria forma de avaliação, baseada em testes padronizados, por vezes ineficazes para aferirem as habilidades já consolidadas pelos alunos.
Mostrar mais

122 Ler mais

O PROCESSO DE ESCOLHA DE GESTORES ESCOLARES NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO AMAZONAS: PROBLEMATIZAÇÕES E POSSIBILIDADES

O PROCESSO DE ESCOLHA DE GESTORES ESCOLARES NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO AMAZONAS: PROBLEMATIZAÇÕES E POSSIBILIDADES

As discussões em torno da necessidade de se estabelecer uma educação pública de qualidade possibilita trazer à tona as questões relativas à gestão escolar. Destaca-se, por exemplo, o levantamento e a problematização dos diversos processos de escolha de gestores escolares existentes no Brasil, promovendo um debate acerca do que pode ser mais apropriado para a Rede Estadual Amazonense. A temática da escolha de gestores escolares, vem sendo debatida, desde o final da década de 1980, com o fim da ditadura militar e com a promulgação da Constituição Federal de 1988, em que a democratização do país era evidenciada. Do mesmo modo, destaca-se o tema na nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN n° 9.394 em 1996. Lei responsável pelos passos em direção à gestão democrática, apontando para a importância da participação da comunidade escolar nas decisões voltadas para as políticas educacionais.
Mostrar mais

132 Ler mais

CORREÇÃO DE FLUXO DA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO AMAZONAS - PROJETO AVANÇAR EM UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE TONANTINS

CORREÇÃO DE FLUXO DA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO AMAZONAS - PROJETO AVANÇAR EM UMA ESCOLA ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE TONANTINS

Dessa forma, em virtude dos problemas detectados nesta pesquisa, e partir dos recursos já disponíveis para o trabalho com o Projeto e conforme mencionado pelos relatórios do PADEAM, consiste o presente capítulo em uma propositura que se constitui como sugestão de melhorias no processo de execução do Projeto Avançar. A dimensão aqui contida pretende-se traduzir em melhorias nos resultados educacionais e na consecução de metas estabelecidas em dois âmbitos da gestão do Programa: a primeira parte do capítulo contém propostas de melhoria no Projeto à nível da gestão estadual, buscando contemplar as lacunas encontradas nos processos de implementação, sistematização, monitoramento e avaliação, bem como revisão na Proposta Pedagógica e na estrutura de suporte do Programa. A segunda parte do capítulo está direcionada à gestão do Programa em âmbito escolar, utilizando-se do planejamento estratégico como ferramenta de gestão, na qual será incluído o Projeto Avançar. As ações aqui sugeridas, descritas nas próximas seções, perpassam pela seleção de alunos, mobilização e sensibilização de pais e alunos e montagem do sistema de implementação, monitoramento, sistematização e avaliação do Projeto Avançar.
Mostrar mais

146 Ler mais

Thysanoptera: plantas visitadas e hospedeiras no Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS, Brasil.

Thysanoptera: plantas visitadas e hospedeiras no Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS, Brasil.

ABSTRACT. Thysanoptera: visited and host plants at Parque Estadual de Itapuã, Viamão, RS, Brazil. The scientific knowledge about the association of Thysanoptera with native or cultivated plants in the Neotropical region is practically nonentity. This work aimed at identifying the thrips species and the plants visited by them or used as hosts in a Conservation Unit, the “Parque Estadual de Itapuã” (30°22’S 51°02’W), Viamão, Rio Grande do Sul, Southern Brazil. Between June 1999 and May 2001, branches (n=1,274), flowers (n=774) and grass tussocks (n=596) were systematically sampled at 20 points in four standardized transects. A total of 72 plant species belonging to 26 families were identified, 60 of those were registered as host plants. From a total of 9,602 thrips specimens, 4,900 (50%) were registered in flowers, 3,764 (39%) in branches and 938 (10%) in grass tussocks. For 6,533 of the specimens (4,480 immatures and 2,053 adults), it was possible to identify the plant on which they were collected. Of a total richness of 61 species of thrips, 35 were recorded in flowers, 36 in branches and 14 in grass tussocks. The most abundant thrips species and the plant species that showed the higher thrips diversity are commented upon.
Mostrar mais

8 Ler mais

OS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E AS PERCEPÇÕES DE EGRESSOS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO CEARÁ

OS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E AS PERCEPÇÕES DE EGRESSOS DE UMA ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO CEARÁ

(...) para além da captação das vagas de estágio, o ano de 2010 se diferenciou pela necessidade recorrente de alinhamento dos objetivos educacionais da formação técnica junto aos mercados de trabalho, no sentido de garantir a experiência prática de estágio e as atividades da formação técnica. (...) Como produto dessas interlocuções com os setores produtivos, além da captação de vagas de estágio, apreenderam-se elementos e informações de tendências de mercado e de atração de investimentos tanto em nível estadual quanto regional e local. Essas informações eram levadas à pauta da SEDUC para a definição de novos cursos, considerando variáveis de viabilidade da oferta e os estudos de mercados setoriais. De modo que se constituiu, desde então, um banco de informações construído a partir das interlocuções iniciadas em 2010 (SEDUC, 2014, p.47).
Mostrar mais

105 Ler mais

MATERIAL E MÉTODO Caracterização da área de estudo

MATERIAL E MÉTODO Caracterização da área de estudo

O objetivo deste trabalho foi caracterizar a composição florística e a estrutura do componente arbóreo de um fragmento de Floresta Ombrófila Mista Montana e avaliar a influência de variáveis ambientais sobre os padrões encontrados. A área de estudo situa-se no município de Lages, SC, às margens do Rio Caveiras (27°51’19.20”S e 50°10’33,39”W). O levantamento da vegetação e das variáveis ambientais (características químicas e físicas dos solos, relevo e cobertura do dossel) foi realizado em 50 parcelas permanentes de 20x10 m, alocadas de forma sistemática estratificada no fragmento. Todas as árvores vivas com circunferência ≥ 15,7 cm (medidas a 1,30 m do solo - CAP) foram mensuradas (CAP e altura) e identificadas. Foi calculado o valor de importância (VI) das espécies encontradas, realizada a ordenação das parcelas em função da abundância das espécies, por meio da analise de NMDS (Nonmetric multidimensional scalling) e plotadas a posteriori as variáveis ambientais significativas no diagrama de ordenação. Foram amostrados 1.843 indivíduos, que totalizaram uma área basal de 36,45 m 2 /ha, distribuídos em 37 famílias botânicas, 63
Mostrar mais

12 Ler mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE COBERTURAS EM ESTRUTURA DE AÇO NA FORMA DE ARCO CIRCULAR E PARABÓLICO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE COBERTURAS EM ESTRUTURA DE AÇO NA FORMA DE ARCO CIRCULAR E PARABÓLICO

Após realizar as análises estruturais pelo software SAP 2000, e feitas as devidas verificações para cada caso de arco, pôde-se concluir que os esforços nas barras das treliças dos arcos, passaram com certa folga para os dois casos de arcos parabólicos analisados, Gynasium e Vila Olímpica do SESI, de acordo com as normas vigentes, mostrando-se que mesmo tendo sido projetados e construídos há anos atrás, por volta da década de 70, quando os projetistas não dispunham de ferramentas computacionais que temos hoje e nem da Norma NBR 6123:1988 (ABNT, 1988) para a consideração do efeito do vento e também no Brasil a inexistência dos procedimentos de cálculos pelo Método dos Estados Limites, estas estruturas analisadas ficaram a favor da segurança quanto à resistência, estabilidade e deslocamentos.
Mostrar mais

128 Ler mais

Florística, estrutura e dispersão de sementes de três trechos de floresta estacional perenifólia ribeirinha na bacia hidrográfica do rio das Pacas, Querência-MT

Florística, estrutura e dispersão de sementes de três trechos de floresta estacional perenifólia ribeirinha na bacia hidrográfica do rio das Pacas, Querência-MT

Apesar de condicionadas ao mesmo tipo climático (Aw), temperatura (em torno de 25ºC) e precipitação (1500-1800 mm), a baixa similaridade florística entre as áreas de Floresta Estacional Perenifólia pode ser devido à distância geográfica, fertilidade do solo e profundidade do lençol freático. De acordo com (Pires, 1976; Ivanauskas et al., 1997; Montagnini e Muniz - Miret, 1999), a menor riqueza florística encontrada na floresta ciliar do rio Pacas pode ser explicada pelos seguintes fatores: solo - várzea formada por terras baixas que margeiam os rios, são áreas planas e de formação sedimentar, por conseguinte apresentam solo mais fértil; Regime de inundação – na várzea ocorre diminuição da troca gasosa entre o solo e o ar, causada pela baixa difusão do oxigênio na água; com isso, o oxigênio é rapidamente consumido e surgem gases como nitrogênio, gás carbônico, hidrogênio e amônia, além de vários outros compostos que podem atingir níveis tóxicos às plantas, o que compromete a germinação das sementes e o desenvolvimento das plantas. Riqueza, diversidade e estrutura arbórea - a riqueza, a diversidade e o estoque de biomassa da floresta de várzea são menores, devido à capacidade de adaptação da vegetação de várzea ao regime de inundação.
Mostrar mais

93 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

A presente dissertação objetivou a elaboração de uma proposta de intervenção para minimizar a defasagem de aprendizagem de Matemática em uma Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) no estado do Ceará. A partir de um caso de gestão, foram investigadas as condições de trabalho com a disciplina na instituição educacional para a proposição de alternativas à superação do problema encontrado. Esse recorte se justificou pelo fato de a autora deste trabalho, no início da pesquisa, ter sido gestora da EEEP em análise e, por isso, verificado que a defasagem de aprendizagem, especialmente em Matemática, pode se configurar como um dos principais entraves à implementação dos cursos profissionalizantes na escola. A fim de obter informações para descrever e analisar o caso, a investigação teve como metodologia o uso de entrevistas com roteiros semiestruturados e pesquisa documental. Ao final da descrição do caso no capítulo 1, levantou-se como hipóteses dois os elementos centrais que influenciam na existência do problema: a organização e as responsabilidades do trabalho da equipe gestora e o papel da gestão escolar na formação e no auxílio à atuação docente. No capítulo 2, o problema foi analisado levando-se em consideração esses dois elementos. A análise dos dados foi feita a partir da perspectiva de alguns autores: Heloísa Lück, Henry Mintzberg, Thelma Polon, José Carlos Libâneo, Márcia Lima, Ana Maria Falsarella, Sérgio Lorenzato, Plínio Moreira e Fernando Almeida. Desse modo, no capítulo 3, apresentou-se uma proposta de intervenção que consiste em ações para redefinir as atribuições da equipe gestora e organizar o seu trabalho, a fim de que a gestão possa atuar na formação e no auxílio à atuação docente, com foco no professor de Matemática. Dessa forma, nos limites desta investigação, proposições foram consideradas como uma tentativa de contribuir para superar a defasagem de aprendizagem em Matemática na escola pesquisada.
Mostrar mais

110 Ler mais

Biodiversidade de aranhas de solo em uma área de restinga do Parque Estadual de Itapuã, Viamão, Rio Grande do Sul, Brasil

Biodiversidade de aranhas de solo em uma área de restinga do Parque Estadual de Itapuã, Viamão, Rio Grande do Sul, Brasil

A área de restinga, na qual foram efetuadas as amostragens, está localizada na Praia de Fora, compreendida entre a Lagoa Negra e a Laguna dos Patos (fig. 1), a qual é considerada como uma zona Intangível. Foi conceituada como zona Intangível àquela que apresenta alto grau de preservação, onde a natureza permanece intacta, não sendo tolerada qualquer interferência antrópica, pois funciona como matriz de repovoamento de outras zonas dentro do Parque, nas quais são permitidas atividades de lazer. Assim, a zona Intangível destina-se à proteção integral dos ecossistemas, dos recursos genéticos e ao monitoramento ambiental (RIO GRANDE DO SUL, 1997).
Mostrar mais

76 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA ANTONIO DE SOUZA ARAUJO NETO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA ANTONIO DE SOUZA ARAUJO NETO

A presente dissertação foi desenvolvida no âmbito do Mestrado do Programa de Pós-Graduação Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública (PPGP) do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). O caso de gestão estudado discute o absenteísmo discente nas aulas de Educação Física em uma escola pública da Rede Estadual do Amazonas e suas possíveis relação e implicação no rendimento escolar dos estudantes no período de 2011 a 2015. O trabalho analisa o cenário no qual se desenvolvem as aulas de Educação Física tendo como objetivo geral a análise do absenteísmo discente no desenvolvimento das aulas teóricas e práticas de Educação Física e suas conexões com o Rendimento Escolar. Os objetivos definidos para este estudo foram: i) descrever a relação da organização escolar e da gestão nos níveis da escola e da Coordenadoria Distrital de Educação com relação ao desenvolvimento do componente curricular Educação Física, nos anos finais do Ensino Fundamental; ii) analisar a realidade das atividades docentes e as práticas pedagógicas do componente curricular no ambiente escolar e os fatores que contribuem para o absenteísmo nas aulas de Educação Física; e iii) propor ações a serem desenvolvidas para a execução do Plano de Ação Educacional (PAE). Assumimos como hipótese que o absenteísmo e o fracasso escolar são influenciados por fatores que têm origem na dinâmica letiva, nos aspectos legais que constituem a organização do sistema de ensino, na estrutura física e material, na formação do professor, na participação da família no processo de ensino- aprendizagem e na ação gestora local e governamental. O referencial teórico está apoiado nos estudos de Patto (1997), Abramovay (2002, 2015), Beltrami (2001), Bracht (1992
Mostrar mais

148 Ler mais

FITOSSOCIOLOGIA E FLORÍSTICA DO COMPONENTE ARBÓREO DE UM REMANESCENTE DE MATA ATLÂNTICA NO CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE, CAMPUS BARRA DO PIRAÍ, RJ

FITOSSOCIOLOGIA E FLORÍSTICA DO COMPONENTE ARBÓREO DE UM REMANESCENTE DE MATA ATLÂNTICA NO CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE, CAMPUS BARRA DO PIRAÍ, RJ

Durante o século XX, a Mata Atlântica foi reduzida a 7% do total original devido à intensa exploração ambiental, desmatamentos, queimadas e mudança do uso do solo A Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos em biodiversidade do mundo e um dos mais ameaçado de extinção. Com a destruição acelerada das florestas tropicais, grande parte da biodiversidade presente nestes ecossistemas está se perdendo, antes mesmo que se tenha inteiro conhecimento de sua riqueza natural. Estudos ecológicos são necessários para conhecer melhor a estrutura e dinâmica das populações biológicas fragmentadas, para poder avaliar a capacidade de regeneração natural (a expansão dos fragmentos). Os levantamentos florísticos e fitossociológicos são fundamentais para o conhecimento e conservação da biodiversidade. O objetivo geral deste estudo é conhecer a estrutura fitossociológica e a composição florística do componente arbóreo de um fragmento de Mata Atlântica, com cerca de 5 hectares, localizado no Campus do Centro Universitário Geraldo Di Biase (UGB), em Barra do Piraí-RJ. O projeto foi subdividido nas seguintes etapas (fases): (1) levantamento fitossociológico; (2) identificação das espécies e montagem das exsicatas; (3) análise dos dados; e (4) divulgação dos resultados. Até o momento, já foram amostrados 186 indivíduos arbóreos no total, sendo 96 amostrados apenas na parcela 3; o maior número de árvores ocorreu na classe de 7-10 cm de DAP, com poucas árvores atingindo DAP superiores a 60 cm; é possível observar que as parcelas 1 e 2 foram intensamente perturbadas, quando comparadas a parcela 3; e já foram identificadas 11 espécies e 2 gêneros de árvores pertencentes a 10 famílias, dentre elas o jacarandá da Bahia (Dalbergia nigra).
Mostrar mais

12 Ler mais

Estrutura de Dados para Tecnologia

Estrutura de Dados para Tecnologia

int *pi // variável “pi” é ponteiro para inteiro float *pc // variável “pc” é ponteiro para float char *xy // variável “xy” é ponteiro para caracter. unsigned long int *de [r]

34 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados