Top PDF Formação de professores de Biologia: uma breve revisão da literatura

Formação de professores de Biologia: uma breve revisão da literatura

Formação de professores de Biologia: uma breve revisão da literatura

Em nossa pesquisa documental descritiva foi possível evidenciar os principais temas em relação à formação de professores para a comunidade acadêmica específica da área de “Ensino de Ciências e Matemática”. Realizamos uma análise de artigos publicados em periódicos pertencentes a esta área disponibilizados no portal da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e classificados na WebQualis como revistas A1 (Ciências e Educação), A2 (Revista Brasileira em Pesquisa em Educação em Ciência; Investigações em Ensino de Ciências - Online; Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências) e B1 (Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas. Impresso). Foram selecionados 25 artigos sobre Formação Inicial de Professores de Biologia e Ciências publicados de 2008 a 2010. A categorização dos artigos nos revelou que a maioria dos trabalhos produzidos trata da investigação de métodos na prática de ensino (20%), corroborando com pesquisas anteriores a esta; seguidos de artigos sobre as concepções dos licenciandos sobre conteúdos específicos da área de ciências e biologia (12%); formação reflexiva (12%); profissionalização (12%); seguidos de temas como currículo (8%); história da educação e da formação docente ao longo dos tempos (8%); educação especial inclusiva (8%); entre outros. Durante as análises destes artigos pudemos observar que apesar de doze diferentes categorias encontradas, há uma preocupação central dos autores com a qualidade dos cursos de licenciatura, bem como com o processo de formação dos licenciandos, procurando enfatizar diversas problemáticas que decorrem deste processo.
Mostrar mais

24 Ler mais

AXIOLOGIA E O PROCESSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE BIOLOGIA

AXIOLOGIA E O PROCESSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE BIOLOGIA

Síntese: no âmbito do ensino, o interesse pela docência é evidenciado em A1, F8. Já A2, F9 disse que a disciplina de Metodologia de Ensino fez aumentar ainda mais seu interesse pela docência. O Entrevistado A3, F10 relata que tinha vergonha de dizer que se preparava para ser professor. Esse fato, ao mesmo tempo em que nos conduz para um polo axiológico de negatividade em relação à docência, nos faz questionar: mesmo com todos esses desafios, o que fez esse estudante continuar no processo de formação docente? Uma possível resposta poderia ser a expressão em alto grau de valores positivos evidenciados nas demais subcategorias – sugerindo, portanto, um jogo de valores em constante atividade. Já o desenvolvimento do conhecimento prático, no âmbito do ensino, foi evidenciado apenas no entrevistado A2, F11. Em suas falas encontramos segmentos textuais que explicitam esse desenvolvimento. Notamos uma ausência de expressões congêneres nos outros licenciandos, fato que nos faz refletir a formação dos mesmos. Com relação aos saberes docentes, a literatura destaca de forma clara a relevância da prática de ensino na formação de professores. Pensamos, por esse motivo, que expressões carregadas de valor relacionadas à importância da prática fossem encontradas abundantemente, o que não aconteceu. A reflexão sobre a prática é percebida nos trechos de A1, F12 e A3, F13. Essas falas sinalizam a importância da disciplina de Prática de Ensino na formação docente. A ideia de reflexão sobre a prática proposta nessa subcategoria demanda ações a partir de reflexões que podem incentivar e nutrir a preocupação com a qualidade das aulas, das opções metodológicas, avaliações e demais elementos didáticos da prática. Essa preocupação com a qualidade é um valor que deve ser trabalhado na formação docente. Quanto à reflexão coletiva, o entrevistado A1, F14 traz à baila a questão do curso de licenciatura não promover eventos da área de ensino, apenas das áreas puras. Essa informação torna evidente a deficiência da licenciatura na dimensão da formação para o magistério. Essa condição indica um posicionamento axiológico negativo, podendo desestimular o ingresso de estudantes que apresentem identidade com essa área, mas devido à falta de contato/incentivo acabam optando por outros campos da Biologia. Por fim, na subcategoria desenvolvimento da identidade docente percebemos a influência de valores (elementos sociais) quando o entrevistado A1, F15 alega que a dedicação da mãe, no magistério, gerou elementos axiológicos positivos em relação à docência. Por meio deste depoimento, é possível conjecturar que a constituição da identidade, por parte desse graduando, deve-se a um fator externo à formação acadêmica, o exemplo da mãe. Por esse motivo, questionamos a não evidenciação de elementos axiológicos oriundos da formação. Apenas o entrevistado A3, F16 evidencia, por meio dos estágios, que a docência é algo que pode lhe satisfazer profissionalmente.
Mostrar mais

21 Ler mais

Inclusão escolar de alunos com epilepsia: breve revisão da literatura

Inclusão escolar de alunos com epilepsia: breve revisão da literatura

ISSN: 2359-1069. Revista Iniciação & Formação Docente (online) 2020; 7 (3): 656-661 Para os referidos autores, diferentes variáveis de origem interna podem estar relacionadas ao surgimento destes problemas, como o tipo de epilepsia e sua severidade, a idade de início das crises, mas também a visão e as crenças da população em geral incluindo pais, professores, colegas de escola, que acreditam que as crianças epilépticas apresentam mais problemas de comportamento mesmo quando possuem repertório educacional e inteligência semelhantes aos de outras crianças saudáveis.
Mostrar mais

10 Ler mais

A educação ambiental na formação de professores de ciências e biologia

A educação ambiental na formação de professores de ciências e biologia

As diferentes categorias e subcategorias emergiram da pré-análise realizada, em que necessitamos classificar os dados para posterior interpretação e compreensão do projeto. Foram identificadas quatro categorias de análise, a saber: i) presença de EA no PPC do Curso de Ciências Biológicas (em que se dá a formação inicial dos professores de Ciências e Biologia da rede básica de ensino); ii) presença de EA nos Estágios Curriculares Supervisionados; iii) forma de abordagem da EA nos TCEs; iv) como ocorre a abordagem da EA nos Estágios Curriculares Supervisionados, nesta categoria consideramos também três subcategorias: menções aos PCN, menções à Literatura da EA e, menções explícitas de livro didático na abordagem da EA. Na pré-análise, após a escolha dos documentos que foram utilizados, realizou-se a seleção dos TCEs, através de critérios pré-estabelecidos para a inclusão na amostra do trabalho da pesquisa, os números trabalhados encontram-se no quadro 01. Os critérios foram: i) o título conter a expressão “Educação Ambiental” ou ter ligação com a mesma; ii) conter alguma proposta ou descrição de ações de EA no corpo do texto do relatório; iii) conter aula(s) com a temática ligada ao assunto EA, iv) estágios supervisionados do Curso de Ciências Biológicas – Licenciatura da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Cerro Largo-RS 4 .
Mostrar mais

24 Ler mais

Repensar a Formação de Professores de Enfermagem: uma Perspectiva a Partir de uma Revisão Sistemática de Literatura

Repensar a Formação de Professores de Enfermagem: uma Perspectiva a Partir de uma Revisão Sistemática de Literatura

Especificamente, a categoria 1 – Identidade do enfermeiro buscou identificar questões mais ligadas à identidade deste profissional, seja no trabalho assistencial como na docência. Dois aspectos merecem destaque e atenção nas pesquisas que compõem esta categoria, primeiro, a evidência de que o enfermeiro possui como referência/identidade profissional, o trabalho assistencial e, segundo, que muitos enfermeiros assumem a docência, enquanto atividade profissional secundária, resultando em insuficiência de tempo para desempenhar todas as atividades que a docência requer. Corrobora com este fato Batista (2005), , o qual afirma que a docência é tida como segunda atividade profissional do enfermeiro, e por isso, há dificuldades no processo do ensino. Também se revelou nessa categoria, a importância do meio social na construção da identidade do enfermeiro/professor, indo, assim, de encontro aos pressupostos do pesquisador da área da formação de professores (TARDIF, 2014), o qual destaca que os saberes dos professores são construídos individual e socialmente.
Mostrar mais

9 Ler mais

Formação inicial de professores de Educação Física com foco na inclusão: uma revisão de literatura

Formação inicial de professores de Educação Física com foco na inclusão: uma revisão de literatura

sobre as dificuldades de inclusão das pessoas com deficiência nas aulas de educação física, destaca- se a falta de capacitação profissional (AGUIAR; DUARTE, 2005; NASCIMENTO et al., 2007; COSTA, 2010; VITTA et al., 2010; COSTA, 2010; CRUZ et al., 2011; FRANK et al., 2013; MOURA et al., 2014;AGUIAR; DUARTE, 2014). Entretanto, existem várias possibilidades de capacitações para professores como cursos de curta duração, palestra, especialização, mestrado e doutorado em educação física adaptada; assim, cabe ao professor buscar esse conhecimento para que não seja um docente fragilizado (AGUIAR; DUARTE, 2005; VITTA et al., 2010; PELOSI; NUNES,2009; FIORINI; MANZINI,2014; MOURA et al., 2014; NASCIMENTO; 2014).
Mostrar mais

8 Ler mais

Dimensão investigativa, docência e formação inicial de professores: uma revisão sistemática de literatura

Dimensão investigativa, docência e formação inicial de professores: uma revisão sistemática de literatura

O artigo apresenta uma revisão sistemática de literatura (RSL) sobre o contributo da dimensão investigativa da prática docente na construção do conhecimento profissional dos professores, na formação inicial de professores de educação infantil e de ensino fundamental. A RSL incorporou um levantamento bibliográfico do período de 2001-2019, segundo alguns critérios de inclusão. Analisamos estudos que assumem o professor no papel de investigador, trabalhos que realçam as influências da investigação na construção do conhecimento profissional e pesquisas que tomam a investigação como centralidade na resolução de problemas. Destacamos os estudos que incidem na formação inicial de professores em Portugal, visto que esta se encontra ao nível de mestrado e exige a produção de um relatório com uma componente investigativa, discutido em provas públicas. Os resultados desta análise apresentam diferentes formas de conceber o papel da investigação. Apontam desafios relativamente à exequibilidade da dimensão investigativa, nomeadamente o factor do tempo e as múltiplas tarefas associadas à profissão docente, levantando questões sobre o seu contributo para a formação de profissionais capazes de investigar as suas próprias práticas, produzir conhecimento e responder aos desafios da escola.
Mostrar mais

19 Ler mais

Paternidade na adolescência: uma breve revisão da literatura internacional.

Paternidade na adolescência: uma breve revisão da literatura internacional.

centes. Além disso, não parecem apresentar conhecimento adequado sobre as necessidades destes pais. Esses resulta- dos parecem corroborar os comentários feitos anteriormen- te, no sentido da ineficiência das intervenções destinadas a pais adolescentes. Quando nem mesmo os profissionais que lidam com estes jovens sentem-se preparados para isso, a eficácia de qualquer intervenção ficará certamente compro- metida. Não se pode também esquecer que estas interven- ções muitas vezes abordam o tema da sexualidade e da pre- venção da gestação, assuntos considerados ainda como ta- bus em nossa sociedade. Muitos profissionais sentem gran- de dificuldade de dialogar sobre este tema, além de possuí- rem também pré-conceitos em relação à sexualidade adoles- cente (Kiselica & Pfaller, 1993; Mackey & Milloy, 1974). Assim sendo, a intervenção ficaria ainda mais comprometida. Há uma grande falta de conhecimento sobre o fenôme- no da paternidade na adolescência em suas mais diversas formas e efeitos. Essa lacuna teórica poderia estar impedin- do que as intervenções e serviços existentes alcancem seus objetivos. Assim, cada vez mais se torna necessária a reali- zação de pesquisas sobre o tema da paternidade adolescen- te, além de aprimoramento na formação de profissionais que lidam com este evento.
Mostrar mais

15 Ler mais

Psicoterapia breve infantil: Revisão da literatura e delineamento de modelos de intervenção

Psicoterapia breve infantil: Revisão da literatura e delineamento de modelos de intervenção

Nossa forma de trabalho é também de tipo integrativo. Busca-se, a princípio, uma compreensão bio-psico-social do caso, que inclui os aspectos psicodinâmicos, a dimensão do desenvolvimento, a adaptação ao meio, o referencial transgeracional e os padrões de relacionamento interpessoal. A partir dessa compreensão, o planejamento terapêutico é adaptado às características e possibilidades do caso, do terapeuta e das condições externas, inclusive no que diz respeito aos tipos de intervenção utilizados, no contínuo suportivo-expressivo. O importante, a nosso ver, é que, qualquer que seja o tipo de intervenção, ela se baseie numa compreensão dinâmica de sua motivação e numa avaliação da utilização que determinado paciente pode fazer dela. O trabalho com uma população ampla e heterogênea, os contextos institucionais e a experiência de supervisionar terapeutas em formação conduziu-nos naturalmente a uma postura mais flexível.
Mostrar mais

26 Ler mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA- EPT E NARRATIVAS DE FORMAÇÃO: UMA REVISÃO LITERATURA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA- EPT E NARRATIVAS DE FORMAÇÃO: UMA REVISÃO LITERATURA

Sendo assim, a EPT tem uma cultura espe- cífica de produção de saberes e, sobre esta, o texto “Saberes da docência na educação profissional e tecnológica: um estudo sobre o olhar dos professores” (2012), de José Ânge- lo Garriglio e Suzana Burnier, faz uma dis- cussão inicial. Os autores discutem sobre os saberes mobilizados pelos docentes da EPT em suas atividades educativas e sobre as concepções de formação profissional subjacentes a tais saberes, congregando au- tores como Gauthier (1998), Tardif (1996), Lessard (1996), Oliveira (2006) e Peterossi (1992). Favorecem o debate sobre a forma- ção de professores para atuar nesses espaços, possibilitando aos professores autonomia e desenvolvimento de seus saberes para que possam fazer parte da estrutura educacio- nal. Diante dessa análise, os autores Garri- glio e Burnier (2012, p.227) afirmam.
Mostrar mais

18 Ler mais

Adolescência, sexualidade e mídia: uma breve revisão da literatura nacional e internacional.

Adolescência, sexualidade e mídia: uma breve revisão da literatura nacional e internacional.

Entre as referências enquadradas nesta categoria, é possível citar o artigo Mass media influences on sexuality (Brown, 2002), que através de uma revisão de literatura investiga a influência da mídia na sexualidade do adolescente, abordando o aumento do conteúdo sexual nas diversas mídias. A dissertação de Jeanne Rogge Steele, intitulada Adolescente sexuality: negotiating the influences os family, friends, school and the mass media, de 2000, discute como a mídia pode influenciar na formação da identidade sexual dos adolescentes, em seus valores e crenças sobre sexo e relacionamentos. Como método, a pesquisadora fez uso de grupos focais de discussão, entrevistas e reportagens de jornal. A autora menciona sua preocupação em considerar o contexto sócio-histórico-cultural em sua discussão.
Mostrar mais

9 Ler mais

FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DIGITAIS: UMA BREVE REVISÃO DA LITERATURA

FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DIGITAIS: UMA BREVE REVISÃO DA LITERATURA

As bibliotecas por muito tempo foram sinônimos de depósito de livros por terem a função cumulativa. Atualmente essa visão foi desconsiderada e a biblioteca é mais vista como um espaço de disseminação de informação, tendo seu acervo planejado de acordo com a missão institucional e o perfil de seus usuários. Seu acervo, antes, não exigia parâmetro algum, hoje, a formação e desenvolvimento de um acervo é uma atividade que requer planejamento e envolve seis etapas básicas, são elas: estudo da comunidade; política de seleção; seleção; aquisição; avaliação; desbastamento e descarte (WEITZEL, 2006).
Mostrar mais

6 Ler mais

Dificuldades de leitura e formação de professores: uma revisão sistemática de literatura

Dificuldades de leitura e formação de professores: uma revisão sistemática de literatura

A partir das impressões dos professores, foi analisado como as dificuldades apresentadas estão sendo abordadas em sua formação inicial, já que 97% dos professores partici- pantes consideraram a formação inicial insuficiente para a atuação com alunos com distúrbios específicos de aprendiza- gem. As maiores dificuldades e falhas na formação referente aos distúrbios de aprendizagem foram a base para estruturar o programa de formação por meio de palestras e grupos de estudos. O curso foi organizado pela pesquisadora, e as au- las foram ministradas por docentes e profissionais da área de transtornos de aprendizagem. Foi possível perceber, por meio desse curso de formação continuada, mudança significativa no discurso dos professores quanto aos conhecimentos e prá- ticas em sala de aula, evidenciando a importância da formação profissional, especificamente sobre os distúrbios específicos de aprendizagem.
Mostrar mais

11 Ler mais

Uma breve revisão da literatura sobre greves

Uma breve revisão da literatura sobre greves

Uma análise mais profunda dessa relação deveria se debruçar sobre a competição entre as centrais sindicais e as oposições sindicais, boa parte delas financiadas pelas próprias centrais no nível local. Essa competição tem duas formas diretas: a competição pela criação de novos sindi- catos onde estes não existem ou na mesma base territorial. O exemplo mais claro é a criação de sindicatos de traba- lhadores siderúrgicos e metalúrgicos num mesmo municí- pio, fragmentando uma base anteriormente comum. Ou a criação de sindicatos de trabalhadores municipais repre- sentando professores municipais, onde já havia sindicato de professores do setor público, ou ainda o caso da sobreposi- ção entre o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES) e a Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico (Proifes) no ensino superior.
Mostrar mais

36 Ler mais

Uma revisão de literatura sobre a formação musical continuada de professores generalistas

Uma revisão de literatura sobre a formação musical continuada de professores generalistas

A oferta de formação continuada tem aumentado nos últimos anos, porém, Imbernóm (2009) faz uma reflexão sobre os modelos dos cursos oferecidos. Segundo o autor, pode haver uma certa dose de inovação nesses cursos, entretanto, em muitos casos, essa ainda é pouca em relação à formação que é oferecida nos cursos universitários. Um dos fatores que provocam esta situação poderia estar relacionado à supremacia de uma formação com caráter transmissor, distante dos problemas reais dos professores e seus contextos, baseada em uma visão generalizada de que as dificuldades encontradas pelos professores são comuns (IMBERNÓN, 2009, p. 35). Ainda segundo o autor, pode-se pensar que a solução é fácil, basta rever os processos de formação que não provoquem inovação. Entretanto, compreende-se que a solução passa pela constituição de uma nova cultura formativa, onde os processos passam a ser mais contextualizados diretamente com o ambiente onde serão desenvolvidos, buscando aproximar-se das necessidades locais.
Mostrar mais

11 Ler mais

Resistência bacteriana aos antibióticos e Saúde Pública: uma breve revisão de literatura

Resistência bacteriana aos antibióticos e Saúde Pública: uma breve revisão de literatura

Toda infecção acontece após um agente biológico aderir-se, invadir, esquivar-se das defesas imunológicas do hospedeiro e com sucesso colonizar seus tecidos, ocorrendo a doença em função de lesões causadas pelo agente aos tecidos e órgãos do hospedeiro que sistemicamente terá comprometida todas as suas funções fisiológicas, caso não disponha de meios de defesa e proteção contra os patógenos que nele tentarão se estabelecer e dele obter nutrientes e condi- ções fisiológicas desejadas (CUNHA et al, 2008), manifestando-se a doença (sinais e sintomas) em períodos (incubação, pro- drômico, transmissibilidade e convalescên- cia) que são definidos pela biologia de cada patógeno e sua relação com o hospedeiro.
Mostrar mais

13 Ler mais

A EPISTEMOLOGIA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS/BIOLOGIA:

A EPISTEMOLOGIA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS/BIOLOGIA:

A orientação epistemológica apresentada, também fica evidenciada quanto ao tema “métodos científicos”, onde as licenciandas afirmam: “(L-4) Acho que depende muito do que o cientista está pesquisando” e continua: “[...] tenho uma amiga que trabalha na micro[biologia] e ela tem que fazer controle, ter as hipóteses... zero que diz, eu acho, e tudo aquilo que a gente vê nas aulas de metodologia, mas quando a gente faz pesquisa aqui [no PIBID] é bem diferente, a gente não tem como fazer esse controle igual lá aí a gente tem as metodologias e outra forma de analisar”. L-6, também segue essa linha de raciocínio, afirmando que “cada uma [área da Ciência] têm suas particularidades, umas vão precisar de experimentação, outras só de observação, outras são mais teóricas” à frente é complementado: “quando eu vou fazer as pesquisas na escola por exemplo, a gente não segue essa regra de hipótese e testes, a gente vai lá busca entender o contexto todo, como as coisas acontecem e como as atividades que a gente faz pode ajudar na forma deles [estudantes] entenderem os conceitos”.
Mostrar mais

25 Ler mais

Concepções de educação e formação de professores de Ciências e Biologia

Concepções de educação e formação de professores de Ciências e Biologia

Utilizamos a análise microgenética (Góes, 2000) e a abordagem histórico-cultural (Vigotski, 2001), como matriz de referência para situar nas narrativas, pistas, indícios e marcas de concepções de ensino pautadas nas racionalidades técnica e prática. Não analisamos os diários de bordo dos professores formadores, pois acreditamos que os mesmos já estão inseridos no referencial formativo pautado na IA. Assim, optamos por analisar os diários de 10 professores de Ciências da escola básica e de 5 Licenciandas as quais participavam do projeto ciclos formativos no ano de 2013, mas que não tinham vínculo com a iniciação à docência, investigando o pensamento desses professores em formação, suas ideias sobre o ensino e suas atividades descritas nos diários, a fim de perceber se as concepções de ensino estão acompanhadas de rotinas e resistentes a mudanças ou se através da interação e sistematização das práticas entre os sujeitos é possível desenvolver a racionalidade prática e a reflexão como categoria de formação docente, num processo de IFA.
Mostrar mais

14 Ler mais

Retocolite ulcerativa inespecífica: relato de caso e breve revisão da literatura.

Retocolite ulcerativa inespecífica: relato de caso e breve revisão da literatura.

colonoscopia como sendo o melhor exame diagnóstico para a doença intestinal. inflamatória na criança , sendo o procedimento de escolha na investigação[r]

43 Ler mais

O efeito do aquecimento na performance da corrida de sprint : uma breve revisão da literatura

O efeito do aquecimento na performance da corrida de sprint : uma breve revisão da literatura

posterior, fazendo uma lenta flexão à frente de forma a tocar e segurar os tornozelos e os pés. Este é usado pela maioria dos atletas e é incluído em muitos treinos antes das competições (Fields, Burnworth, & Delaney, 2007). Recentes pesquisas têm estabelecido um efeito adverso do alongamento estático agudo sobre a performance da velocidade de corrida (Nelson, et al., 2005). Dada a natureza explosiva do início do sprint, a sua performance pode ser influenciada negativamente pelo alongamento estático. Além disso, como cada passo durante o sprint requer um descolar explosivo, qualquer impacto negativo notado no início pode ser transportado durante toda a corrida. Portanto, ao que parece, após examinada a literatura que usa aquecimento dinâmico, como os realizados nos estudos acima citados, pode-se constatar que este representa um método mais eficaz de se preparar para a performance atlética do que o alongamento estático tradicional (Winchester, et al., 2008).
Mostrar mais

28 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados