Top PDF Formação, mobilização e inclusão de catadores de materiais recicláveis que atuam no bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB

Formação, mobilização e inclusão de catadores de materiais recicláveis que atuam no bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB

Formação, mobilização e inclusão de catadores de materiais recicláveis que atuam no bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB

A coleta seletiva na fonte geradora compreende uma importante estratégia para reduzir os impactos socioambientais negativos e aumentar a renda dos catadores de materiais recicláveis. Este trabalho teve como objetivo principal identificar e avaliar estratégias para a formação, mobilização e inclusão dos catadores de materiais recicláveis que atuam no bairro de Santa Rosa, na cidade de Campina Grande-PB, visando favorecer a sustentabilidade da gestão integrada de resíduos sólidos no bairro, a geração de emprego e renda e o resgate de autoestima desse grupo de profissionais. Os momentos de formação dos catadores de materiais recicláveis foram realizados através de seminários, oficinas, e visita a experiência exitosa de catadores de materiais recicláveis. A mobilização e inclusão iniciaram-se com o contato com os lideres comunitários, visitas as famílias participantes da coleta seletiva e as não participantes, visando sensibilizá-las, realização de mini cursos, oficinas e confecções de folders informativos. Através dos momentos de formação e mobilização mudanças foram provocadas, as quais foram expressas através da percepção ambiental dos diferentes atores sociais do bairro de Santa Rosa que culminou em valorização dos catadores de materiais recicláveis enquanto profissional, a aceitabilidade de 58 famílias em aderirem à coleta seletiva, a separação dos resíduos na fonte geradora e na importância da coleta seletiva para o meio ambiente. Dessa forma, comprovamos que a formação, mobilização e inclusão dos catadores de materiais recicláveis contribuem para a Gestão Integrada de Resíduos Sólidos no bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB. Apesar do trabalho desenvolvido junto à comunidade, ainda encontramos um percentual significativo das famílias que aderiram a coleta seletiva que não está sensível as causas ambientais. Ou seja, os benefícios da coleta seletiva ainda não foram concebidos por 100 % dos moradores, apontando para a necessidade de ampliar o processo de sensibilização. Por isso, é necessário um trabalho contínuo, uma vez que todas as estratégias foram desenvolvidas baseadas nos princípios da Educação Ambiental, a qual é fundamental para o alcance dos objetivos da Gestão Integrada de Resíduos Sólidos.
Mostrar mais

76 Ler mais

Viabilização do exercício profissional de catadores e catadoras de materiais recicláveis que atuam no bairro das Malvinas, em Campina Grande-PB

Viabilização do exercício profissional de catadores e catadoras de materiais recicláveis que atuam no bairro das Malvinas, em Campina Grande-PB

O objetivo do presente trabalho compreendeu o desenvolvimento de estratégias de viabilização do exercício profissional de catadores e catadoras de materiais recicláveis que atuam no bairro das Malvinas, em Campina Grande- PB. No primeiro momento, foram entrevistados 14 catadores e catadoras de materiais recicláveis informais que atuam no bairro das Malvinas, pretendendo envolvê-los no processo de implantação da coleta seletiva no bairro, no segundo momento houve o cadastramento das famílias no entorno da Comunidade Eclesial de Base Jesus Libertador, visando sensibilizá-las para que contribuíssem com a coleta seletiva local, disponibilizando os materiais recicláveis para os catadores e catadoras de materiais recicláveis associados à ARENSA e no terceiro momento, realizamos o acompanhamento do exercício profissional, e posteriormente a quantificação e qualificação dos materiais coletados. Dentre os principais impactos positivos elencados estão : melhoria da qualidade ambiental e de vida da população local, inclusão social e elevação da autoestima dos catadores e catadoras de materiais recicláveis associados à ARENSA além do beneficiamento das condições de emprego e renda, sensibilização, mobilização e envolvimento de diferentes segmentos sociais locais, com a participação de 283 famílias disponibilizando os materiais recicláveis para os profissionais da catação de materiais recicláveis, disposição adequada dos resíduos e redução do material enviado ao aterro sanitário bem como redução para a prefeitura de Campina Grande com transporte de resíduos. Nesse contexto, a importância da Educação Ambiental é contribuir para dignificar a profissão de catadores e catadoras de materiais recicláveis que atuam no bairro das Malvinas, em Campina Grande-PB, a partir do desenvolvimento de estratégias de viabilização do exercício profissional e com isso, promovam o beneficiamento dos materiais coletados, contribuindo deste modo, ao desenvolvimento econômico, social, pautados nos princípios da sustentabilidade.
Mostrar mais

80 Ler mais

Educação ambiental em uma escola pública municipal: estratégia para implantação da gestão integrada de resíduos sólidos em escola do bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB

Educação ambiental em uma escola pública municipal: estratégia para implantação da gestão integrada de resíduos sólidos em escola do bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB

O sistema capitalista aliado à percepção incorreta são fatores que contribuem para a crise ambiental. Em relação aos resíduos sólidos, a gestão dos resíduos sólidos constitui alternativa para solucionar os problemas referentes à destinação inadequada dos resíduos. A Educação Ambiental apresenta-se enquanto instrumento para implantação da Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, sendo esta ferramenta para sensibilização, mobilização e informação da sociedade. Este trabalho objetivou avaliar a realização de Educação Ambiental em uma escola Municipal de Campina Grande-PB, enquanto instrumento colaborativo para Gestão Integrada de Resíduos Sólidos na escola e no Bairro de Santa Rosa, Campina Grande-PB. A Escola pertence à rede pública municipal e situa-se no bairro de Santa Rosa, em Campina Grande-PB. O trabalho aconteceu de Setembro de 2010 a Novembro de 2011 com os educandos e educandas dos 4º e 5º anos e educadoras do Ensino Fundamental, tendo por base a pesquisa participante. Para sensibilização da comunidade escolar foram aplicadas as seguintes estratégias: questionários em forma de trilha, ciclo de oficinas, ciclo de palestras, construção do livro “Uma Boneca no Lixo”, teatro, visita de catadora de materiais recicláveis e distribuição de folheto informativo. Observamos que persiste entre educadoras, educandos e educandas a visão antropocêntrica de meio ambiente, decorrente da idéia de que o ser humano é o centro do universo, portanto, não faz parte do meio ambiente, podendo extrair os recursos naturais de forma ilimitada sem que isto venha a lhe causar problemas. Identificamos que não há significativa influência da percepção ambiental das educadoras sobre a percepção dos educandos e educandas. Houve confusão conceitual em relação à concepção de lixo e/ou resíduos sólidos para os dois grupos estudados. Verificamos que após a intervenção a temática ambiental passou a ser abordada com maior frequência em salas de aula, no entanto, esta ainda não é trabalhada de forma transversal e interdisciplinar, assim como, determina a Política Nacional de Educação Ambiental. As estratégias realizadas foram importantes para a sensibilização e motivação da comunidade escolar, impulsionando discussões sobre o cenário ambiental atual e para implantação da Gestão Integrada de Resíduos Sólidos na escola e no Bairro de Santa Rosa, no entanto, esta deve ser trabalhada de forma contínua e dinâmica, de modo que venha a contribuir para a formação de cidadãos críticos, ambientalmente comprometidos e sabedores de seus direitos e deveres perante a sociedade.
Mostrar mais

61 Ler mais

Educação ambiental para a gestão de resíduos sólidos comerciais, no Bairro de Santa Rosa, em Campina Grande - PB

Educação ambiental para a gestão de resíduos sólidos comerciais, no Bairro de Santa Rosa, em Campina Grande - PB

Sendo assim, um local apropriado para o desenvolvimento da pesquisa, além de os projetos anteriores já terem atingido 12 ruas do bairro, com 46 casas participantes o que comprova o comprometimento da população e afirma a escolha do local (SOUSA, 2011). Com a participação efetiva da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis da Comunidade Nossa Senhora Aparecida – ARENSA fundada no dia 16 de agosto de 2008 com a associação de 13 profissionais da catação, e legalizada dois anos depois (16 de agosto de 2010), fruto de intenso trabalho de educação ambiental na perspectiva sociocrítica e ancorada no paradigma sistêmico, na ética do cuidado e nos princípios de corresponsabilidade, autonomia, emancipação e solidariedade, se constitui num importante instrumento de transformação social (SILVA et al., 2012).
Mostrar mais

28 Ler mais

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis

Centro Mineiro de Referência em Resíduos Coleta Seletiva com inclusão sócio-produtiva dos Catadores de Materiais Recicláveis

e recicláveis e indica, através do Plano Nacional, metas para a eliminação e recuperação de lixões, associadas à inclusão social e à emancipação econômica de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis, também previstas para os Planos Estaduais e Municipais de Resíduos Sólidos.”

24 Ler mais

Processos de organização de catadores de materiais recicláveis: lutas e conformações.

Processos de organização de catadores de materiais recicláveis: lutas e conformações.

Um fator comum ao exercício do trabalho é que ele possibilita a renda e a subsistência de muitas pessoas. Mas, se por um lado a ocupação garante a subsistência, por outro, esses trabalhadores atuam sem vínculo empregatício e sem direitos sociais, ganham, em geral, menos de um salário míni- mo, disputam materiais recicláveis com seus pares e enfren- tam a exploração da indústria da reciclagem (BORTOLI, 2009). A situação dos catadores torna-se extremamente com- plicada quando a atividade é feita de modo individual e isola- do, ou seja, longe de processos organizados, capazes de reu- nir os catadores em defesa de seus interesses e direitos. Re- latos de experiências (SAMSON, 2009, p. 55) mostram que esses trabalhadores “sufren abusos por parte de la policía, las fuerzas de seguridad, los agentes municipales, y incluso por
Mostrar mais

10 Ler mais

Economia solidária e catadores de materiais recicláveis: relato de experiência da execução de um programa de formação

Economia solidária e catadores de materiais recicláveis: relato de experiência da execução de um programa de formação

O Programa de Formação em Economia Solidária: Preparação de Educadores, Capacitação de Catadores e Sensibilização de Gestores Públicos- Convênio 743314/2010 MEC/SESU, executado a partir de atividades voltadas aos Catadores de Materiais Recicláveis organizados em Cooperativas ou Associações no Oeste Paulista, teve como foco principal a Formação dos Catadores para atuação em Empreendimentos de Economia Solidária (EES) e o fortalecimento de suas atividades de apoio à preservação ambiental, por meio da Coleta Seletiva Solidária e da destinação correta das embalagens pós-consumo. Outro norte do Programa era contribuir para a sensibilização de gestores públicos da região para a implementação de políticas de gestão de resíduos sólidos com a inclusão social de catadores.
Mostrar mais

6 Ler mais

Discursos em conflito de catadores de materiais recicláveis : uma perspectiva  crítica

Discursos em conflito de catadores de materiais recicláveis : uma perspectiva crítica

Nesta tese, investigo discursos de dois grupos de catadores de material reciclável: os independentes e os filiados a uma cooperativa, bem como outros discursos que circulam nesse contexto de trabalho. O objetivo da pesquisa é discutir as vozes em conflito desses dois grupos, que ecoam no interior de uma cooperativa, com vistas a apontar soluções para mitigar e, em condições propícias, mostrar caminhos para a união profissional de uma categoria social que sobrevive e tira o seu sustento do que é descartado pela sociedade. O propósito subjacente é favorecer o fortalecimento da inclusão sócio-política-econômica dessa classe no cenário do centro-oeste brasileiro. A pesquisa encontra-se desenvolvida à luz dos estudos críticos do discurso e, de modo específico, guiada pelos pressupostos teórico-metodológicos da Análise de Discurso Crítica (ADC), na vertente de Fairclough (2001, 2003, 2010), num percurso balizado pelo diálogo da ADC com a Linguística Sistêmico-Funcional, teoria social da linguagem proposta por Halliday (1994) e ampliada em Halliday e Matthiessen (2004). Os dados empíricos selecionados para análise são de natureza documental e de natureza etnográfica. No corpus de natureza documental – tais como lei, estatuto e regimento interno, enquanto textos que regulamentam ações operacionalizadas em uma cooperativa –, buscou-se mapear situações de interação linguístico-discursivas, desde modalidades, passando por representações de processos, elementos presentes e/ou ausentes na voz passiva, bem como atores sociais incluídos e/ou excluídos, para identificar a influência dos gêneros de governança em ações locais, bem como a intertextualidade e a interdiscursividade presentes nessa cadeia genérica de tipos de discurso. Os dados de natureza etnográfica, coletados e selecionados a partir de triangulações
Mostrar mais

251 Ler mais

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis

Plataforma em defesa da coleta seletiva com inclusão e remuneração dos catadores e catadoras de materiais reutilizáveis e recicláveis

Implantar ou ampliar programa de coleta seletiva solidária com a participação direta de cooperativas e/ou associações de catadores de materiais recicláveis, enquanto protagonistas do processo, contratadas com o devido pagamento pelos serviços ambientais prestados, nos mesmos patamares de preços estabelecidos para contratos da coleta convencional de resíduos domiciliares, seus ajustes e aditamentos;

6 Ler mais

Catadores de materiais recicláveis, consumo e valoração social

Catadores de materiais recicláveis, consumo e valoração social

Para concluir, gostaríamos de nos voltar uma última vez para a virtualidade da mudança aqui aventada. Se ela se efetivar, ou seja, se os catadores passarem a ser reconhecidos pela sociedade como prestadores de um serviço importante e receberem por isso uma remuneração justa, deixando de ser vítimas frequentes de preconceitos, poderemos dizer que nos encontraremos, então, numa situa- ção de mudança estrutural, conforme também mencionado teoricamente por Turner. Assim, se a reciclagem, efetivamente “der poder” aos catadores, eles poderão, enfim, sair do status liminar e passar a um novo estado na sociedade, no qual estarão, então, precisamente como afirma o autor, dotados de “um novo poder, adquirido pela fraqueza da liminaridade que se tornará ativo na vida pós- liminar” (pois não é, exatamente, a absorção de um conhecimento relativo à reciclagem para fins de sobrevivência o que mais especifica os catadores e lhes possibilita viverem tanto tempo nos limiares da sociedade?). Por outro lado, se tais mudanças não forem concretizadas, seja em virtude dos obstáculos já mencionados aqui ou daqueles que advirão potencialmente, a liminaridade per- manecerá, então, como um estado, até que condições para efetivar a passagem possam um dia surgir na sociedade.
Mostrar mais

20 Ler mais

Análise ergonômica do trabalho de catadores de materiais recicláveis

Análise ergonômica do trabalho de catadores de materiais recicláveis

A coleta seletiva e a triagem de materiais recicláveis são essenciais para sustentabilidade social, porém as diferentes formas de organização do trabalho podem envolver maiores níveis de riscos para doenças ocupacionais. Objetivo: quantificar, de forma objetiva, as posturas e movimentos da cabeça, tronco superior e ombros adotados por catadores durante o processo de triagem de materiais recicláveis e analisar se há diferença entre as medidas de duas populações de catadores que utilizavam processos de triagem diferentes, um em superfície fixa de trabalho (TrM) e outro em linha de produção com esteiras (TrE). Métodos: As posturas e movimentos de 40 trabalhadores do setor de triagem de materiais recicláveis em duas cooperativas (TrM: n=19; TrE: n=21) foram avaliados por meio de inclinometria . Análises estatísticas descritivas foram realizadas e para comparar os dois locais de trabalho foi utilizados o Teste t para amostras independentes. Resultados: Considerando o pico de exposição (P90), as médias de flexão da cabeça e tronco superior, foram respectivamente 40° e 30° e a elevação dos ombros foi de 45°. Em relação aos movimentos, as velocidades identificadas no P90 foram de 63,6°/s; 55°/s e 140°/s para a cabeça, tronco e ombros, respectivamente. Houve diferença significante entre os grupos para a velocidade dos movimentos em todas as regiões avaliadas e percentis, indicando maior exposição no TrM. Conclusão: Apesar do ritmo de trabalho imposto pela esteira, a velocidade de movimento foi maior nos catadores que realizam a seleção na superfície fixa de trabalho, revelando estarem sob maior risco que na atividade imposta pela esteira.
Mostrar mais

136 Ler mais

TRABALHO E PERSPECTIVAS NA PERCEPÇÃO DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS.

TRABALHO E PERSPECTIVAS NA PERCEPÇÃO DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS.

De importância para a pesquisa, foi conhecer a percepção dos catadores de materiais recicláveis sobre o trabalho que desenvolviam. Inicialmente, foram questionados acerca de sua satisfação com a realização do trabalho. De acordo com a maioria dos entrevistados (n=18), o trabalho era bom e divertido, mostrando que dessa forma gostavam do que faziam. Dentre os fatores elencados para a aprovação do trabalho, destacou-se a sua importância para o meio ambiente, visto que a reciclagem traz inúmeros benefícios ao retirar os resíduos da natureza, embora não percebessem esse reconhecimento e valorização pela sociedade. Foi enfatizada a falta de reconhecimento por parte da sociedade não só do tipo de trabalho realizado, mas, também, do valor de mercado atribuído a ele e, talvez, da falta de um salário- base para a categoria, bem como da garantia de direitos trabalhistas. As seguintes falas elucidam tais questões: “É um trabalho importante, mas pouco reconhecido e respeitado, pois trabalhamos com o meio ambiente. O material evita de ser levado para o aterro” (Mulher, 50 anos de idade, divorciada, 3 ilhos, renda mensal de R$ 350,00), e “Eu acho bom, já acostumei. Mesmo ganhando “micharia”, fazer o quê? Ficar em casa para não ganhar nada?” (Mulher, 57 anos de idade, casada, 2 ilhos, renda mensal de R$ 270,00).
Mostrar mais

8 Ler mais

: projeto de estruturação de biblioteca para catadores de materiais recicláveis :: Brapci ::

: projeto de estruturação de biblioteca para catadores de materiais recicláveis :: Brapci ::

Relato de experiência do projeto intitulado Bibliocriativa que objetiva estruturar uma biblioteca inclusiva e cidadã para catadores de materiais recicláveis com baixo índice de escolaridade. Apresentam-se estratégias para que o grupo se aproprie e se perceba como ator essencial e partícipe do ambiente, mediante o vínculo afetivo com este equipamento cultural. Em termos de abordagem caracteriza-se como qualitativa e pesquisa ação. O diagnóstico realizado possibilitou identificar as características do grupo, assim como suas dificuldades. A base que fundamenta o desenvolvimento de todas as ações é a necessidade de despertar o sentimento de pertencimento e apropriação do grupo. A partir desta base, foram estruturadas as ações complementares ao projeto classificadas nas seguintes categorias: inclusão social e letramento e cultura e incentivo a leitura para que a biblioteca desempenhe seu papel sociocultural na comunidade. Até o presente momento as ações desenvolvidas são por meio de parceria com a Secretaria da Educação a implantação de uma turma para alfabetização de jovens e adultos e a criação da oficina de inclusão digital. O espaço físico da biblioteca ainda não foi construído, mas encontra-se em andamento a seleção, aquisição e organização do acervo.
Mostrar mais

23 Ler mais

“Eu não sou lixo”: abjeção na vida de catadoras e catadores de materiais recicláveis

“Eu não sou lixo”: abjeção na vida de catadoras e catadores de materiais recicláveis

Tem gente que diz que a gente fica todo exibido depois que entra no Movimento. Que é só farra, viaja de avião, fica em hotel, vai para outros países, que fica se achando melhor do que os outros. Mas, esquece que a luta não é fácil, que a gente está batalhando por todos e trabalhando muito. Que quando a gente pega o avião, para ir para outro país, está deixando a família, o marido, a esposa e os filhos. Que está deixando o barracão, com medo do que pode acontecer durante nossa ausência. Muita gente desfruta dos benefícios da nossa luta, de anos de luta para conquistar nosso direito de cidadão, de novas leis; que foi muito suada, muita mesa de reunião com autoridade, com político. Muita luta para poucas conquistas e reconhecimento. O pessoal critica sem saber. Às vezes dá vontade de desistir, a gente desamina. Muita gente desfruta disso sem saber que teve gente do Movimento Nacional dos Catadores que lutou por isso, que abriu mão de estar com a família, aniversário de filho, muitas vezes para estar em outra cidade brigando pelo direito de todos. Então, antes de julgar, eu acho importante a pessoa conhecer a história do Movimento. A gente não é perfeita, claro que vai ter problemas, mas a gente faz muita coisa boa por vocês, por todos nós, catadores e catadoras 126 .
Mostrar mais

293 Ler mais

Políticas públicas para fortalecimento dos catadores de materiais recicláveis de Olinda

Políticas públicas para fortalecimento dos catadores de materiais recicláveis de Olinda

[...] apesar de a remuneração do catador e sucateiro oriunda da reciclagem contribuir para a melhoria de sua condição de vida, os ganhos econômicos estão mal distribuídos: sua pesquisa, realizada no município de São Paulo, indicou que a indústria da reciclagem aufere a maior parte dos ganhos, alcançando quase R$ 215 milhões (cerca de 66% da fatia total obtida através da reciclagem do lixo19). O restante dos ganhos é repartido entre a Prefeitura, que retém R$ 36 milhões (11%), os sucateiros, que recebem R$ 32 milhões (quase 10%) e os catadores, que obtêm quase R$ 43 milhões (13%). [...] Segundo o autor, a indústria paga os preços mínimos necessários à sua sobrevivência. Isso ocorre porque enquanto os catadores e sucateiros operam na situação de concorrência perfeita, por não terem condição de determinar os preços praticados no mercado da reciclagem, a Latasa, única empresa que compra dos sucateiros as latas de alumínio vazias e também a única fornecedora de latas de alumínio para o mercado de bebidas, possui um extraordinário poder de negociação (LAYRARGUES, 2002, p. 11).
Mostrar mais

121 Ler mais

A construção identitária dos catadores de materiais recicláveis de Icó (Ceará)

A construção identitária dos catadores de materiais recicláveis de Icó (Ceará)

A identidade é o processo que leva à diferenciação do indivíduo de todos os outros, assim como o influencia na representação de diferentes papéis sociais, tornando-o único e semelhante ao mesmo tempo. A identidade do catador de material reciclável é geralmente marcada por processos de estigma e de exclusão, embora o reconhecimento quanto à importância de atuarem como agente ambiental venha sendo debatido cada vez mais. Partimos de uma concepção em que a identidade se constrói através dos reconhecimentos que exercemos frente aos sujeitos. Nesse sentido, essa pesquisa objetiva compreender como está ocorrendo o processo de construção identitária dos catadores de materiais recicláveis que realizam suas atividades no lixão da cidade de Icó, no estado do Ceará. Para isso, foram utilizadascomo metodologia as Narrativas de Histórias de Vida, que surgem como possibilidades para os indivíduos expressarem as várias personagensque compõem as suas identidades, vistas aqui como metamorfoses em busca de emancipação. Por meio das análises das narrativas de três catadores que participaram da pesquisa, foi possível observar que a catação surgiu, primordialmente, como alternativa frente ao desemprego, bem como possibilidade de realização pessoal a partir do consumo de bens materiais. Acreditamos que esse estudo poderá provocar reflexões acerca dos modos como reconhecemos os catadores de matérias recicláveis e as implicações disso para a vida desses sujeitos, bem como assinalar os reconhecimentos que deveriam possuir por direitos, e que são, na sua maioria, negados.
Mostrar mais

19 Ler mais

ASSOCIAÇÃO ECOLÓGICA DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS: PREVISÃO DE RENDIMENTOS

ASSOCIAÇÃO ECOLÓGICA DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS: PREVISÃO DE RENDIMENTOS

Além das pesquisas bibliográficas, também foram feitas pesquisas dentro da associ- ação, várias conversas ocorreram com o presidente da associação, pois foram necessárias várias informações para compor o banco de dados da resolução do projeto. Como por e- xemplo: o número de associados, os materiais que eles coletam, os preços de venda de cada material, para quem está sendo vendido os materiais e as despesas mensais da associação. Coletados todos os dados necessários, foi utilizada a ferramenta Excel para a construção de tabelas para a realização dos cálculos necessários.
Mostrar mais

13 Ler mais

O bairro de José Pinheiro, Campina Grande-PB: um estudo de sua organização espacial

O bairro de José Pinheiro, Campina Grande-PB: um estudo de sua organização espacial

O trabalho tem como objeto de estudo a organização espacial do Bairro José Pinheiro em Campina Grande-PB, a partir do processo de urbanização do mesmo. Buscando entender o espaço geográfico como resultado da ação humana ao longo de um processo histórico envolvendo questões socioeconômicas, políticas e culturais, sendo esse espaço, marcado por elementos construídos e reconstruídos pela sociedade que o organizou e reorganiza. A análise da organização espacial e da urbanização do bairro José Pinheiro como objeto de estudo, justifica-se, pois o mesmoabriga estabelecimentos comerciais de variados setores, uma vez que, esse já desempenhou a função de centro comercial de Campina Grande e hoje é visto como subcentro. O artigo traz um destaque especial para a rua Campos Sales, a qual é o principal eixo de circulação do bairro, apresentando em sua infraestrutura, elementos antigos que remontama antiga organização espacial do lugar e o rearranjo com novos elementos. O estudo tem como base uma pesquisa bibliográfica relacionada ao objeto de estudo e aos conceitos abordados pela temática, assim como, uma pesquisa de campo, cobertura e análise fotográfica do lugar. Fazendo uso domaterialismo histórico dialético como método essencial para o desenvolvimento da pesquisa e da análise.
Mostrar mais

29 Ler mais

Catadores de materiais recicláveis: representações sociais de coleta seletiva

Catadores de materiais recicláveis: representações sociais de coleta seletiva

convidand rarem o g tos não tê rabalho co e rendime sua auto as Repr operados dear ações sa-ação, e na Coope oria. Preli contatos in xto[r]

2 Ler mais

Desempenho ambiental dos catadores de materiais recicláveis em Esteio (RS).

Desempenho ambiental dos catadores de materiais recicláveis em Esteio (RS).

A denominação para a catação de recicláveis é bem diversificada em diferentes países. No Brasil, por meio da Portaria nº 397/2002, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) aprovou a nova Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), e o antigo catador de resíduos passou a se deno- minar catador de material reciclável. Essa ocupação faz parte do grupo de trabalhadores da coleta e seleção de material reciclável, responsável por coletar material reciclável e reaproveitável, vender material coletado, selecionar material coletado, preparar o material para expedição, realizar manutenção do ambiente e equipamentos de trabalho, divulgar o tra- balho de reciclagem, administrar o trabalho e trabalhar com segurança. A eficácia do processo de gestão ambiental de resíduos sólidos pressupõe a necessidade de informações precisas quanto à manipu- lação e geração dos resíduos. Freitas e Fonseca (2012) afirmam que as estatísticas variam muito quanto ao contingente de catadores de materiais recicláveis no Brasil, porque em algumas avaliações os tra- balhadores informais e sua produção não são contabilizados nas esta- tísticas oficiais. A prova dessa discrepância está nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010) e de Freitas e Fonseca (2012). O primeiro, fundamentado nos dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico, indica a existência de 70 mil catadores;e o segundo, com base nos dados do Movimento Nacional dos Catadores de Recicláveis, aponta 800 mil catadores de materiais recicláveis no país. Diante desse quadro diverso, Freitas e Fonseca (2012) sugerem a necessidade de um mapeamento de catadores com mais precisão no âmbito dos municípios brasileiros, que permitirá a real avaliação dos impactos ambientais e socioeconômicos decorrentes da atividade.
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados