Top PDF A formação do professor de português: algumas reflexões a partir do estágio supervisionado

A formação do professor de português: algumas reflexões a partir do estágio supervisionado

A formação do professor de português: algumas reflexões a partir do estágio supervisionado

O presente artigo tem como objetivo principal propor uma ressignificação de uma aula de Língua Portuguesa (LP), tendo como ponto de partida uma experiência vivenciada durante o estágio de observação no ensino fundamental. Para tanto, faz-se necessário abordar aspectos da formação docente, especificamente do professor de LP, tendo o estágio como elemento indispensável nesse processo. Cada fase do curso de graduação contribui significativamente para a formação de um bom profissional, mas é no estágio que as experiências são ampliadas e enriquecidas, por ser um momento de reflexão e identificação com a profissão escolhida. Dessa forma, por se tratar de um tema relevante, algumas discussões sobre o processo de ensino serão apresentadas, tendo como base os documentos oficiais que também servem como embasamento para fundamentar a proposta de ressignificação metodológica que será descrita na última seção deste artigo. Assim, para fundamentação dos diálogos apontados nesse trabalho, teremos as contribuições de Pimenta e Lima (2011), Barreiro e Gebran (2006), os Parâmetros Curriculares Nacionais- PCN (1998), a Lei de Diretrizes e Bases- LDB (BRASIL, 2017), a Base Nacional Comum Curricular- BNCC (BRASIL, 2017;2018), Brzezinski (2002), Antunes (2003), Oliveira (2010), dentre outros. Como resultados, os nossos estudos apontam que, ao mesmo tempo que o estágio se configura um espaço propiciador de reflexão, ele também possibilita ao professor em formação reformular/redirecionar práticas de ensino que servirão de base para a sua futura atuação.
Mostrar mais

26 Ler mais

O PIBID e o estágio supervisionado na formação do professor de física: uma análise a partir dos saberes docentes

O PIBID e o estágio supervisionado na formação do professor de física: uma análise a partir dos saberes docentes

Resumo: O presente trabalho apresenta os resultados parciais de uma investigação sobre as impressões dos bolsistas do Pibid/UEL-Física, sobre o Pibid e o estágio supervisionado. Os bolsistas foram questionados sobre o que aprenderam nas atividades do Pibid e no estágio. A partir da análise, feita com base nos saberes docentes de Tardif, constatamos que ao falarem sobre o Pibid os saberes experienciais aparecem com muita ênfase. Ao falarem sobre o estágio, os saberes da formação profissional são muito citados e comentados. Percebemos que tanto os saberes curriculares quanto os saberes disciplinares não foram citados em nenhum dos dois contextos. Tal fato será investigado no andamento da pesquisa. Em suma, o Pibid e o estágio têm características e objetivos semelhantes, porém os saberes docentes que são mobilizados e compartilhados em cada um dos contextos são distintos, mas ao mesmo tempo complementares para uma sólida formação inicial do futuro professor.
Mostrar mais

6 Ler mais

Estágio supervisionado e ensino de Língua Portuguesa: reflexões no curso de Letras/Português da UFPB

Estágio supervisionado e ensino de Língua Portuguesa: reflexões no curso de Letras/Português da UFPB

Nesse sentido, abrem-se novas possibilidades de compreender as licenciaturas também em decorrência do profissional e cidadão que se deve formar para que, tan- to as disciplinas “teóricas’’ quanto as consideradas “práticas” façam um novo sentido na formação inicial. Ao lado dessa necessidade de formar o docente capaz de exer- cer a sua cidadania nas escolas e, consequentemente apto a formar cidadãos éticos e críticos, é que a elaboração do PPP ajusta-se para cumprir a Lei Federal nº 11.788, de 25/09/2008, que regulamenta 400 horas para a realização do Estágio Curricular obrigatório, nos cursos de graduação. Em consonância, o PPP do curso de Letras/ Por- tuguês determina o cumprimento da carga horária de 420 horas, distribuídas em sete componentes curriculares de Estágio Supervisionado, todas com carga horária de 60 horas, iniciando a partir do 5º período letivo do curso. Esses componentes curriculares de Estágio no DLCV encontram-se separados com abordagens literárias e linguísticas, como podemos ver ilustradas no quadro a seguir.
Mostrar mais

22 Ler mais

O currículo e o estágio supervisionado na formação do professor de educação física na Amazônia

O currículo e o estágio supervisionado na formação do professor de educação física na Amazônia

Este artigo e parte de uma dissertação de mestrado e traz reflexões sobre o Estágio Curricular Supervisionado na Amazônia. Com isso, o objetivo consistiu em analisar o estágio curricular supervisionado na formação do professor de Educação Física em uma IFES da região norte, levando em consideração seu currículo. A pesquisa foi descritiva/qualitativa, a partir de um estudo de caso no curso de Educação Física da UNIR. O marco teórico adotado dialogou com autores como: Bianchi, Alvarenga e Bianchi (2009), Contreras (2012), D’Avila (2013), Dourado (2015), Libâneo (2013), Pimenta (2012a, 2012b), Pimenta e Lima (2011) e Veiga (2010, 2004), entre outros que discutem a temática abordada. Os participantes e instrumentos do estudo foram dois docentes, um deles foi coordenador de curso e o outro o supervisor de estagio, e quatorze discentes, sendo aplicação de entrevista aos primeiros e questionário semiestruturado com os segundos. O tratamento e discussão das informações coletadas se deram à luz da análise de conteúdos de Bardin (2009). Os resultados revelaram que o estágio na formação do professor de Educação Física contribui para a mobilização de saberes e implica na decisão em “ser ou não ser” um professor. Trata-se, portanto, de uma proposta de estágio realimentada pelos sujeitos que vivem a teoria e a prática a partir do currículo vivido, pela profissão exercida e pelo compromisso com o futuro campo de trabalho.
Mostrar mais

32 Ler mais

Prática docente: reflexões a partir do estágio supervisionado V

Prática docente: reflexões a partir do estágio supervisionado V

Um dos principais atos exigidos na docência é o papel crítico que o professor tende a assumir ao estabelecer o seu papel em sala de aula. Diante disso, a formação docente exige do professor saberes fundamentais e reflexões que devem se alinhar à prática-educativa de forma conceitual e crítica, partindo do senso comum para uma aproximação cientifica, tendo em vista que a formação docente se constrói de forma contínua e finita no ato de se formar e de formar sujeitos. Como afirma Freire (1996, p.23) “Não há docência sem discência, as duas se explicam e seus sujeitos apesar das diferenças que os contam, não se reduzem a condição de objeto um do outro.” Portanto, nesse tópico discutiremos uma temática relevante e bastante discutida atualmente, despertando e alertando ao docente a importância da formação continuada considerando aspectos da comunidade escolar e do corpo docente.
Mostrar mais

41 Ler mais

A importância do estágio supervisionado na formação do professor: um relato de experiência

A importância do estágio supervisionado na formação do professor: um relato de experiência

20 A regência foi finalizada com uma culminância, tendo um momento de reflexão e agradecimentos pela experiência vivida. Para tanto, o período do estágio é um momento de prática no processo de formação do professor reflexivo- pesquisador, lugar de aprendizagens significativas da profissão, é o momento que permite maior aproximação da realidade e do contexto social que estamos inseridos. A partir do que foi exposto, é importante que o estagiário perceba o espaço escolar como um ambiente de pesquisa, entender como deve ser seu olhar sobre o professor que está na sala de aula. Não podemos enxergá-lo com olhar de juiz, mas de pesquisador que investiga a realidade. Durante o estágio, foi possível perceber a importância dessa experiência para o aprendizado da prática docente e como isso nos ajudará a solucionar problemas que por ventura encontraremos na nossa área de trabalho.
Mostrar mais

25 Ler mais

Estágio supervisionado no programa de formação de professores: Tensões e reflexões

Estágio supervisionado no programa de formação de professores: Tensões e reflexões

É importante percebermos que o estágio não é uma atividade importante apenas para quem ainda não atua nas escolas, mas para quem também já é professor. Para Barreiro e Gebran (2006, p.40), “[...] o estágio curricular pode se constituir no lócus de reflexão e formação da identidade ao propiciar embates no decorrer das ações vivenciadas pelos alunos [...]”.O estágio é um momento de interação, diálogo, apren- dizagem, fortalecimento da identidade docente e configura-se como um “espaço de reflexão de suas práticas, a partir das teorias, de formação contínua, de ressig- nificação de seus saberes docentes e de produção de conhecimentos” (PIMENTA; LIMA, 2004, p.34). O desevolvimento e aplicação de atividades de sensibilização dos alunos cursistas do PARFOR/UFRB, com relação à importância contextualiza- da do estágio desde o início do curso, provavelmente tenderiam a uma mudança de atitude em relação a esta atividade. Desta maneira, o momento de estágio deixaria de ser uma etapa a ser cumprida durante seu curso e passaria a ser um espaço privilegiado para troca de experiências.
Mostrar mais

11 Ler mais

O ensino e a aprendizagem de língua inglesa no estágio supervisionado: reflexões de um futuro professor

O ensino e a aprendizagem de língua inglesa no estágio supervisionado: reflexões de um futuro professor

O presente trabalho tem como objetivo principal refletir, a partir da experiência vivenciada no Estágio Supervisionado, sobre a importância do ensino de língua estrangeira, mais precisamente o ensino-aprendizagem do inglês nas escolas públicas. Dessa forma, serão apontados alguns aspectos sobre o processo de estágio, o qual se configura como o lócus de reflexão para os professores em formação inicial, como também serão discutidos alguns pontos referentes às propostas sugeridas pelos PCNs de língua estrangeira (1998) quanto aos objetivos para o ensino de língua inglesa e qual deve ser o foco das aulas para a aprendizagem dos alunos. Tais discussões terão como base os pressupostos de Pimenta e Lima (2010); Barreiro e Gebran (2006); Leffa (2003); Paiva (2003); Oliveira (2014) entre outros. Por ser uma pesquisa de caráter qualitativo- interpretativo, traremos, por fim, um relato de experiências referentes ao período do estágio de observação realizado em uma escola pública da cidade de Guarabira/PB. Neste ponto, iremos trazer uma breve reflexão sobre o ensino de inglês a partir da análise de quatros aulas observadas em duas turmas do ensino fundamental e confrontar com os apontamentos discutidos ao longo do nosso trabalho.
Mostrar mais

20 Ler mais

O papel do professor: algumas reflexões a partir de Uma professora muito maluquinha, de Ziraldo

O papel do professor: algumas reflexões a partir de Uma professora muito maluquinha, de Ziraldo

O presente estudo é o resultado da reflexão e análise de aspectos referentes ao papel do professor no livro de Literatura Infantojuvenil Uma professora muito maluquinha. Em vista disso, optou-se por realizar este estudo por existir poucos trabalhos sobre a formação docente e o papel do professor no Curso de Letras da UTFPR – Câmpus Pato Branco. Em um primeiro momento, é falado sobre a vida do autor como escritor de livros para o público infantojuvenil. Em seguida, é realizado um apanhado geral sobre a Literatura Infantojuvenil e a sua importância na formação crítica das crianças e adolescentes. Posteriormente, é feito um estudo referente ao papel do professor, com considerações sobre algumas metodologias utilizadas. E por fim, são apresentados tópicos da obra analisada. A pesquisa se desenvolveu por meio de estudo bibliográfico, utilizando como principais autores: Paulo Freire (2005/2010), Lajolo e Zilberman (2009), entre outros. Por meio deste, constatou-se que é importante que o professor, assim como a Professora Maluquinha, busque sempre inovar nas suas aulas, a fim de ensinar os alunos a serem cidadãos críticos.
Mostrar mais

39 Ler mais

O papel do estágio supervisionado na formação profissional do (a) professor (a) de história: relato da experiência

O papel do estágio supervisionado na formação profissional do (a) professor (a) de história: relato da experiência

Pensando na importância do estágio supervisionado como recurso necessário à formação docente, durante os cursos de licenciatura, principalmente em história, este texto tem por finalidade apresentar um relato de experiência, na condição de aluna-mestre, realizado na Escola Estadual de Ensino Fundamental Nossa Senhora do Rosário, localizada na cidade de Campina Grande-PB, no período de 25 de Setembro a 20 de Novembro de 2017. Abordando os desafios e as possibilidades do ensino de história em tempos atuais. Metodologicamente, utilizamos anotações de diário de campo, relatório do estágio supervisionado, análise do livro didático e planejamento de aulas, tendo o apoio de revisamento bibliográfico a partir dos referenciais teóricos de Caimi (2001), Schmitd (2004), Pinsky (2003), Zabalza (2014), dentre outros.
Mostrar mais

27 Ler mais

Docência em história: experiências de estágio supervisionado e formação do professor-pesquisador

Docência em história: experiências de estágio supervisionado e formação do professor-pesquisador

A pesquisa realizada pelo professor sobre o processo ensino-aprendizagem que coordena exige do profissional, assim, reflexão relativa às várias fases do fazer pedagógico, ou seja, desde o seu planejamento até os resultados de aprendizagem dos seus alunos, aspectos esses que podem ser trabalhados já nas atividades de estágio supervisionado na licenciatura. Na experiência desenvolvida na UFRN, as atuais 400 horas de estágio foram distribuídas no curso de História em quatro semestres. No primeiro momento, no Estágio Supervisionado I, entre outros aspectos, o licenciando é levado ao campo de estágio no qual experimenta o lugar de observador participante, atento às dimensões institucional, pedagógica e socioeconômica e cultural da instituição de ensino. Orientamos a elaboração de um relato de observação de tipo etnográfico. Neste, para além da descrição detalhada do visível, o aluno é orientado a proceder à análise documental e coleta de informações por meio de depoimentos, entrevistas e conversas informais. Em meio ao processo de observação, realizada a partir de uma postura minimamente teórica (de tipo etnográfico), o aluno é orientado a identificar uma problemática a ser investigada e a elaborar seu projeto de pesquisa.
Mostrar mais

186 Ler mais

FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA: SOBRE PRÁTICAS DE ENSINO E ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA: SOBRE PRÁTICAS DE ENSINO E ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Quando o MEC divulgou esse relatório, uma das questões que estava posta era a ideia de fortalecer os cursos de licenciatura a partir de algumas medidas estruturais e emergenciais, como a licenciatura por área e à distância. Essas medidas produziram um amplo debate e vêm causando, no mínimo, inquietação quanto ao real compromisso com a formação docente de qualidade no campo das políticas públicas. Por outro lado, iniciativas como Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), originado a partir desse mesmo relatório, de alguma maneira têm auxiliado e valorizado os cursos de licenciatura através dos projetos na área do Ensino, dando suporte a diferentes áreas de conhecimento, embora necessite de ampliação.
Mostrar mais

9 Ler mais

Teoria e prática na formação do professor de história: uma análise de um estágio supervisionado

Teoria e prática na formação do professor de história: uma análise de um estágio supervisionado

Terminadas as duas primeiras aulas, partimos para a próxima sala, onde daria o terceiro e quarto horários, na turma do oitavo E; novamente duas aulas sobre a Europa no Século XIX, como foi dito, o objetivo era mais promover uma revisão do que aplicar um novo tema, muito embora na proposta constasse além dessa revisão um aprofundamento do capítulo, enfocando os aspectos da unificação italiana e alemã. No entanto devido a alguns acontecimentos, tais como: a turma em certo ponto não demonstrava interesse em um assunto novo, alguns se recusavam a copiar do quadro, alegando que já estavam cansados. Quando chegou à metade da segunda aula, no quarto horário, a maioria já pedia para o encerramento da aula que eles queriam ir embora. Além do que, nessa turma a professora não acompanhou todo o processo de desenvolvimento do estágio, deixando a sala a partir do quarto horário e isso por mais benéfico que seja como uma experiência em lidar “sozinho” com uma turma desse porte, gerou de certa forma uma intranqüilidade, pois, naturalmente o respeito por um estagiário é bem menor, cuja autoridade perante a turma é mínima, comparada à professora titular.
Mostrar mais

29 Ler mais

Estágio supervisionado em Geografia: reflexões a formação docente

Estágio supervisionado em Geografia: reflexões a formação docente

Quesito fundamental na analise é sobre os recursos (ou a falta deles) ofertados nas escolas, uma vez que um dos poucos aparatos para facilitar o ensino seja o livro didático. No entanto, não tiro a importância desse objeto que serve de base para as aulas, como aponta CALLAI (2011) pag.130 “o livro didático, é, sem duvida, uma possibilidade para democratizar o acesso ao conhecimento, e como tal uma poderosa ferramenta para a construção da cidadania”, contudo sendo um dos poucos métodos disponíveis acaba se tornando o único recurso, o que dificulta o processo de ensino aprendizagem em razão destes na maioria das vezes não retratar a realidade social do alunado dada a localização do sertão alagoano, isso posto, traz a tona a tarefa de o professor estar sempre relacionando o conteúdo a vivencia do aluno o que é de fundamental importância para a formação do estagiário e possibilitara um maior domínio sobre a área a partir de tais experiências, pois como assinala SCALABRIN; MOLINARI, 2013, p.2 “o aprendizado é muito mais eficiente quando é obtido através da experiência;”
Mostrar mais

23 Ler mais

A importância do estágio supervisionado na formação do professor de língua inglesa: um relato de experiência

A importância do estágio supervisionado na formação do professor de língua inglesa: um relato de experiência

Esse elo permite ao aluno desenvolver um olhar crítico profissional, visto que ele estará inserido em um ambiente repleto de desafios que lhe permitirá aprimorar/adaptar métodos de forma a lidar com esses desafios, podendo contribuir positivamente para o ensino e aprendizagem da turma de que está participando. Portanto, o estágio supervisionado é de suma importância para o desenvolvimento pessoal e profissional do aluno/graduando. É neste meio que ocorre a aquisição de saberes, bem como pode-se descobrir sua vocação no meio educacional e deixar um pouco de seus conhecimentos no ambiente em que está estagiando. É considerado um período repleto de aprendizados e conhecimentos. Além de tudo, é inegável que o Estágio Supervisionado é uma experiência importante para a nossa formação como professor. A partir do estágio, surgirá contribuições para a formação dos professores, bem como reflexões sobre a profissão “ser docente”. O estágio proporciona muitos momentos importantes, vivencia única no ambiente escolar que ajudará para o desenvolvimento pessoal e profissional do futuro professor.
Mostrar mais

23 Ler mais

Estágio supervisionado e formação de professor: uma reflexão sobre integração teoria e prática

Estágio supervisionado e formação de professor: uma reflexão sobre integração teoria e prática

A partir destas ideias, é importante se debater a relação teoria e prática presente atualmente nos cursos de formação de professores. Pimenta e Lima (2009, p. 33) argumentam que “os currículos de formação têm-se constituído em um aglomerado de disciplinas isoladas entre si, sem qualquer explicitação de seus nexos com a realidade que lhes deu origem”. Assim, a dissociabilidade entre o campo de atuação do futuro profissional e os saberes teóricos estudados no curso é predominante. O estágio fica reduzido apenas à prática da profissão e o estagiário muitas vezes o desenvolve como uma imitação de modelo de algum professor.
Mostrar mais

13 Ler mais

A importância do processo da observação no estágio supervisionado para a formação do professor de história

A importância do processo da observação no estágio supervisionado para a formação do professor de história

A partir destes questionamentos, é observado sobre a necessidade de mudanças significativas no papel da prática de ensino de história, principalmente no atendimento das demandas das escolas e também de suas mudanças. É perceptível também, que tanto a prática de ensino envolvendo o estágio, quanto a sua conjuntura histórica são outras, se compararmos com as mudanças políticas, econômicas, sociais e culturais, diante das desigualdades passadas, principalmente na ditadura militar aqui no Brasil, neste sentido a uma preocupação e um compromisso com a emancipação da formação docente, mas tem se desgastado muito devido os embates políticos; mesmo assim, estas questões reforçam o investimento, respeitando também as diferenças, considerando a capacidade dos sujeitos para resistirem e lutarem pela causa, afinal o ensino de história é muito importante para a vida das pessoas. Para responder essas questões percebemos que,
Mostrar mais

27 Ler mais

Reflexões de licenciados em química a partir de um curso ofertado na disciplina de estágio supervisionado

Reflexões de licenciados em química a partir de um curso ofertado na disciplina de estágio supervisionado

Cabe aqui destacar uma rica observação de Kenneth M. Zeichner (2008) baseada em suas experiências enquanto desenvolvia pesquisas sobre a aprendizagem na formação docente na Universidade de Wisconsin principiada em 1976. Segundo ele muitos licenciandos no momento em que estavam exercendo o papel de professor nos estágios supervisionados, embora fossem tecnicamente competentes em sala de aula, preocupavam-se muito mais em dar uma boa aula, ou seja, cumprir seu planejamento e desempenhar suas atividades sem problemas, em vez de, pensar sobre o porquê ensinar aquele conteúdo, se os alunos estavam realmente aprendendo os conteúdos ministrados  e como os contextos em que ensinavam facilitavam ou não certos tipos de prática. Mesmo que os estudos de Schön tenham se tornado ao longo dos anos referência para muitas pesquisas e propostas no campo da formação de professores, as observações elencadas por Zeichner (2008) ainda se repetem nos cursos de formação inicial nas universidades brasileiras, visto que no estágio supervisionado principalmente durante as atividades de regências, os licenciandos têm revelado através de suas ações uma desvalorização da prática como momento de (re)construção de saberes, visto que não exercitam uma reflexão prática (PIMENTA E LIMA, 2006; ZANON, 2012).
Mostrar mais

23 Ler mais

O Estágio Supervisionado e sua Contribuição para a Formação Inicial do Professor

O Estágio Supervisionado e sua Contribuição para a Formação Inicial do Professor

Este trabalho, vinculado à Linha de Pesquisa ‘ Políticas Públicas, Organização Escolar e Formação de Professores” foi elaborado tendo por base as dificuldades e experiências vivenciadas pela pesquisadora no contexto da sua própria formação e dos estudos empreendidos na direção de contribuir com a reflexão necessária a respeito da formação inicial e práticas docentes. Teve como objetivo central analisar como as experiências vivenciadas na formação inicial, especialmente nos Estágios Supervisionados, interferem no processo de atuação profissional dos professores em início de carreira. Como colaboradores da pesquisa participaram docentes dos anos iniciais do ensino fundamental (1º-5º ano) com no mínimo dois e no máximo seis anos de carreira. Além disso, propusemos refletir sobre as contribuições dos Estágios Supervisionados para o desempenho inicial na carreira; averiguar se e como as experiências vivenciadas no contato com a escola campo, durante a realização do Estágio Supervisionado, influenciaram a prática educativa destes profissionais; investigar como esses (as) professores (as) concebem e representam o Estágio Supervisionado realizado ao longo da formação inicial. O encaminhamento da pesquisa seguiu uma perspectiva qualitativa, já que essa abordagem se relaciona com os significados que cada sujeito atribui a suas vivências e ao mesmo tempo com a relação que cada registro individual estabelece com os demais registros dos sujeitos envolvidos. Como técnica de coleta de dados realizamos entrevistas semiestruturadas, apoiadas em roteiro pré-elaborado, possibilitando que os entrevistados se sentissem livres para exporem ideias, sentimentos e opiniões que pudessem responder nossas indagações. Ideias centrais nos encaminharam para algumas convergências e a partir daí elegemos algumas categorias abertas que interpretadas
Mostrar mais

122 Ler mais

Estágio supervisionado e formação de professor: saberes em construção

Estágio supervisionado e formação de professor: saberes em construção

O relatório de estágio tem como objetivo a descrição das experiências teóricas e práticas decorrentes durante o período do estágio, precisando ser realizado de forma clara e objetiva para a compreensão mesmo das pessoas que não participaram ativamente. O relatório precisa ser construído a partir de alguns pontos básicos, como a introdução que vem para ressaltar a relevância do estágio e justificar as sugestões do estágio, em seguida vem o desenvolvimento das atividades mais significativas que foram produzidas durante o estágio, como também no ambiente escolar, podendo ainda contar com bases teóricas de acordo com cada tema explanado, que o estagiário tenha identificado durante as aulas. Por último vem a conclusão, que deve conter as reflexões acerca do estágio que foi realizado, sendo relevante fazer um breve levantamento dos pontos positivos e negativos que foram encontrados durante esse percurso.
Mostrar mais

31 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados