Top PDF O futebol como agente inclusivo: um trabalho com crianças do PETI no Programa da Escolinha do DEF

O futebol como agente inclusivo: um trabalho com crianças do PETI no Programa da Escolinha do DEF

O futebol como agente inclusivo: um trabalho com crianças do PETI no Programa da Escolinha do DEF

Este trabalho refere-se a relato de experiência, cujo objetivo é descrever a experiência na modalidade futebol no âmbito do progama de extensão Escolinha do DEF do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual da Paraíba - UEPB, Campina Grande – PB, no segundo semestre do ano de 2012. Tendo como público alvo crianças de 9 a 12 anos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) de ambos os sexos. As aulas aconteceram no campo de futebol do Departamento. As ações foram iniciadas através de um diagnóstico com o objetivo de conhecer a atual realidade do local, material didático pedagógico e o valor físico e técnico dos alunos matriculados na modalidade, para elaboração da sequencia pedagógica. As aulas direcionaram-se no intuito de afastar os alunos de tudo que possa contribuir para o envolvimento no mundo do crime e das drogas. Essa experiência demonstrou que o ensino coletivo, além de trabalhar as relações interpessoais, permite obter resultados de aprendizagem satisfatórios no âmbito do esporte. O programa contribuiu para despertar nas crianças fatores importantes, como o respeito a regras, inclusive com o próprio local de atividades no departamento, deixando o ambiente limpo e conservado; em quadra demonstravam maior respeito com os colegas e professores,, evitando dessa forma violência em campo, esboçando que realmente aprenderam um futebol que se joga na vida . Podemos assim, afirmar que o programa cooperou para o desenvolvimento integral das crianças, assumindo um papel inclusivo, buscando a integração desse sujeito na sociedade.
Mostrar mais

15 Ler mais

A importância do esporte como fator educativo na Escolinha de Futsal do DEF: relato de experiência

A importância do esporte como fator educativo na Escolinha de Futsal do DEF: relato de experiência

O relato buscar mostrar a importância do esporte como fator educativo na escolinha de futsal do departamento de Educação Física (DEF), tendo em vista que é um trabalho desenvolvido através da UEPB pelo Programa de Erradicação do Trabalho infantil (PETI), que conta com crianças de 7 a 15 anos, oriundas de comunidades carentes, onde é de suma importância o papel do professor como educador uma vez que o mesmo é exemplo como pessoa, cidadão e principalmente como influenciador de caráter, são desenvolvidas aulas com atividades coletivas e individuais, visando trazer o aluno da sua realidade do cotidiano em busca de obter melhora no desempenho físico, motor, cognitivo e social. A intervenção do professor é de fundamental importância, pois é através da mesma que irá ter resultados de forma satisfatória e adequada, sabendo-se que são crianças que sofrem diariamente a influencia do meio que vivem, já que convivem rotineiramente com a violência e com a falta de estrutura familiar, usando o futsal como elemento principal nas aulas para obter resultados benéficos, sendo utilizados métodos teórico-pedagógicos e práticos do futsal como foco nas aulas.
Mostrar mais

21 Ler mais

Natação na Escolinha do DEF: Relato de Experiência

Natação na Escolinha do DEF: Relato de Experiência

O Programa do Programa laboratório pedagógico: saúde, esporte e lazer da Escolinha do Departamento de Educação Física - DEF, visa proporcionar às crianças, adolescentes e adultos moradores das comunidades circunvizinhas à Universidade Estadual da Paraíba e as crianças do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), exercícios e atividades que estejam relacionados com a Educação Física, com o esporte, saúde e lazer. Tendo como objetivo maior a inserção do aluno estagiário em um campo que futuramente possa o ajudar a se tornar profissional na área, caso seja seu campo alvo de atuação, e a contribuição para a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Com a finalidade de consolidar a função social do mesmo, o programa traz através de exercícios físicos, atividades de extensão que possibilitam o desenvolvimento de cada participante estimulando-os a construírem um futuro através de valores e atitudes baseadas na educação, ética e cidadania. Entre as várias atividades desenvolvidas na Escolinha, a Natação destaca-se como importante instrumento na formação integral do aluno, visando desenvolver todas as capacidades dele. Este relato tem como objetivo refletir sobre a experiência enquanto Estagiário do Projeto Escolinhas do DEF na modalidade de Natação.
Mostrar mais

19 Ler mais

A importância do esporte (futsal) como elemento socializador das crianças e adolescentes da Escolinha do Departamento de Educação Física (DEF)

A importância do esporte (futsal) como elemento socializador das crianças e adolescentes da Escolinha do Departamento de Educação Física (DEF)

O Presente trabalho trata-se de um relato de experiência que foi desenvolvido a partir da oportunidade de vivenciar o estágio IV, componente curricular obrigatório, da UEPB, no departamento de Educação Física (DEF), especificamente na escolinha que tem uma parceria com o PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil). Dentre os objetivos principais deste estudo pode-se verificar a importância de como o futsal pode ser usado como elemento socializador dos principais valores adquiridos como o trabalho em equipe. O trabalho tem uma característica descritiva, relato de experiência, o qual expõe toda a fase do meu estágio supervisionado IV na universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Nesse estágio, tivemos a oportunidade de conhecer uma forma diferente de trabalhar o esporte, conseguimos despertar interesse nos alunos e isso fez com que todos conseguissem, ao mínimo, entender a nossa proposta graças à metodologia de trabalho utilizada e essa experiência foi de grande importância para nós, pois conseguimos proporcionar experiências novas e despertar nos alunos uma nova forma de ver o futsal. Portanto, buscamos contribuir da melhor maneira nos esforçando, bem como visando sempre os benefícios para eles, promovendo sem dúvida a socialização entre todos, além de nos possibilitar ainda mais uma rica experiência onde só aumentou nosso crescimento profissional e pessoal.
Mostrar mais

29 Ler mais

Relato de experiência sobre as atividades desenvolvidas no Programa "Escolinha do DEF": O caso da natação

Relato de experiência sobre as atividades desenvolvidas no Programa "Escolinha do DEF": O caso da natação

Sendo duas aulas, nas terças e quintas-feiras, a primeira aula tinha inicio as 13:30h e a segunda as 14:30h, cada uma das aulas com duração de 1 hora. O primeiro horário era destinado às crianças e adolescentes das comunidades circunvizinhas, e o segundo destinado as crianças assistidas pelo do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI). As turmas possuíam 40 alunos cada, os quais eram divididos entre iniciantes e os que já sabiam nadar, mas precisavam de aprimoramento, todos dividiam a mesma piscina, que naquele ano não era usada a piscina pedagógica, que segundo Bonacella (2013) é uma piscina com profundidade entre 1,5 e 1,6 metros em que as crianças tem domínio do corpo e possam ficar na posição vertical. Hoje o programa faz uso de uma piscina pedagógica fora do departamento, mas ainda dentro da UEPB.
Mostrar mais

28 Ler mais

As adequações curriculares no trabalho pedagógico inclusivo

As adequações curriculares no trabalho pedagógico inclusivo

Durante a seleção e escolha dos conteúdos que deverão integrar um currículo adaptado é preciso lembrar que a atenção dada ao conteúdo escolar não deve ser maior que a dada à própria criança, suas potencialidade e necessidades. A criança e o jovem com necessidades educacionais especiais devem ser respeitados em toda a sua singularidade e é somente a partir de cada um destes é que se pode pensar em como elaborar um currículo que seja devidamente adequado sem tornar-se adequado por demais e fugir completamente do que é proposto no currículo de determinada série/ano, porque a criança encontra-se em sala de aula regular, o que prevê que ela tenha acesso aos mesmos conteúdos do currículo que as outras crianças.
Mostrar mais

93 Ler mais

Eficácia do PETI para o combate ao trabalho infantil no município de Maceió

Eficácia do PETI para o combate ao trabalho infantil no município de Maceió

* Mobilização de campanhas contra o trabalho infantil em Maceió – O trabalho com e na sociedade é essencial para evitar o labor precoce. Conscientizações, por exemplo, no Mercado da Produção e nos sinais, lugares de grande foco de atividade dos menores, seriam importantes para evitar as esmolas e o consumo de bens advindos de menores trabalhadores. * Aquisição de estruturas próprias para os núcleos – a ausência de estruturas pertencentes à própria prefeitura mantém o PETI dependente da boa vontade de políticos, dos locadores, de associações e de igrejas, os quais, a qualquer tempo, podem pedir o espaço de volta, deixando os meninos e meninas desamparados por um período. O ideal, para conseguir essa verba, seria a formulação de um convênio com o governo estadual, já que este, até o momento, ainda não entrou com nenhuma contraprestação.
Mostrar mais

22 Ler mais

Erradicação do trabalho precoce: a experiência do PETI no município de Florianópolis

Erradicação do trabalho precoce: a experiência do PETI no município de Florianópolis

Para ajudar no combate ao Trabalho Precoce, foi criado em 1996 o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI que é um programa da Secretaria do Estado da Assistência Social – SEAS, do Ministério da Previdência e Assistência Social – MPAS, tendo como objetivo retirar crianças e adolescentes, de 7 (sete) a 15 (quinze) anos de idade, do trabalho considerado perigoso, penoso, insalubre ou degradante, isto é, daquele trabalho que coloca em risco sua saúde e sua segurança. No entanto, o PETI de Florianópolis, desde o ano de2000, busca afastar as crianças e adolescentes do trabalho, valorizando a família, incentivando a educação, para evitar esse círculo vicioso de pobreza que recai sobre as famílias de baixa renda. Estão inseridos no município o total de 710 crianças e adolescentes, para os quais foram disponibilizados o Bolsa-Escola, no valor de R$40,00 mensais para cada um.
Mostrar mais

118 Ler mais

O reordenamento do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e os Direitos Humanos : diálogo das normativas de proteção da infância e adolescência em situação de trabalho infantil

O reordenamento do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e os Direitos Humanos : diálogo das normativas de proteção da infância e adolescência em situação de trabalho infantil

A resolução nº 8/2013 – que reordena o PETI - quando expõe sobre o eixo da informação e mobilização, propõe elementos que se constituem importantes para a proteção integral, que é a promoção de direitos e prevenção de violações. Isso, porque, quando se trata de sensibilização, campanhas e mobilizações, aponta para o fortalecimento dessa promoção e prevenção, mas não para a garantia de uma proteção integral que diga respeito a diversas dimensões, ou seja, onde ficam o estabelecimento, a garantia e proteção dos direitos? Essas dimensões, conforme Campos (2009), são componentes essenciais da proteção integral. Vale ressaltar também, que quando se realiza sensibilização e mobilização com atores e órgãos/instituições que trabalham em torno da temática do trabalho infantil, não se prevê que estas cheguem ao público alvo (crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil e suas famílias), pois a normativa dispõe sobre a sensibilização e mobilização daqueles. Do mesmo modo pode-se dizer a respeito das campanhas. Uma vez que o PETI dispõe isto, não garante processos que desenvolvam a proteção integral que se referem aos múltiplos órgãos e atendimentos das múltiplas necessidades, defendidas por Morlachetti (2013).
Mostrar mais

135 Ler mais

Aptidão física de atletas da escolinha de Futebol em uma cidade do Centro Oeste de Minas Gerais

Aptidão física de atletas da escolinha de Futebol em uma cidade do Centro Oeste de Minas Gerais

adolescentes atualmente. Sua demanda energética multifuncional e sua variação de resistência é muito grande durante as partidas, estimulando o melhoramento da condição física e muscula (Silva e colaboradores, 1997). Para o alto rendimento do treinamento no Futebol, cada atleta apresenta diferentes níveis de aptidão física, principalmente quando comparados entre posições dentro de campo, por esse motivo os treinamentos são divididos em ciclos pequenos, médios e grandes, assim estimulando o maior desenvolvimento do metabolismo anaeróbio e trabalhando todos os componentes da aptidão física (Silva e colaboradores, 2009).
Mostrar mais

10 Ler mais

Design Inclusivo: playground para todas as crianças

Design Inclusivo: playground para todas as crianças

Os movimentos sociais iniciados na década de 1940 mostraram uma tendên- cia em assegurar direitos, oportunidades e igualdade a todas as pessoas, refletindo sobre a necessidade em criarem projetos que contemplem a diversidade humana. Esses movimentos perduram até hoje, mostrando a oportunidade de contribuir nesta área com estudos envolvendo questões de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência, como nos campos da tecnologia assistiva, design para acessibilidade, de- sign para inclusão e design universal. Em todos esses campos de atuação do design para acesso igualitário das pessoas, as propostas de projetos objetivam desenvolver produtos compatíveis com a diversidade humana. As normas brasileiras que tratam e mencionam a acessibilidade passaram a trabalhar com a inclusão do maior número possível de usuários nos espaços, abrangendo gestantes, adultos, crianças, idosos e pessoas com deficiência, entre outras. Essas alterações são essenciais para garantir o sucesso da norma em várias soluções de projetos, passando a ser usada para orien- tar projetos arquitetônicos mais amplos, que não excluam as pessoas devido as suas limitações físicas, sejam elas temporárias ou permanentes.
Mostrar mais

27 Ler mais

Open Trabalho infantil e política pública: uma avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) no município de João Pessoa

Open Trabalho infantil e política pública: uma avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) no município de João Pessoa

O perfil socioeconômico construído, a partir das informações da pesquisa de campo e do CadÚnico, mostraram que o Programa atende uma população de baixa renda, formada por famílias monoparentais, chefiadas por mulheres e com baixo nível de escolaridade. O trabalho infantil tende a ocorrer em domicílios empobrecidos, em quais os seus chefes são incapazes de gerar renda, pois se encontram desempregados ou inseridos em subempregos ou em atividades precarizadas. Nessa medida, o fenômeno do trabalho infantil também pode ter sido reforçado com o processo de reestruturação produtiva ocorrido no mercado de trabalho nas últimas décadas, em que a utilização de tecnologias poupadoras de mão-de-obra e a necessidade de profissionais com nível educacional elevado ocasionaram o crescimento do desemprego do tipo estrutural.
Mostrar mais

134 Ler mais

O trabalho como experiência moral: significados e expectativas subjacentes à inserção de crianças, adolescentes e responsáveis no PETI/Ipatinga-MG

O trabalho como experiência moral: significados e expectativas subjacentes à inserção de crianças, adolescentes e responsáveis no PETI/Ipatinga-MG

A partir desse quadro, buscou-se refletir particularmente o processo de inserção de crianças e adolescentes no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), no município de Ipatinga-MG. O referido Programa iniciou suas atividades no dia 21 de outubro de 2002, atendendo a 100 crianças e adolescentes, na faixa etária de 7 a 16 anos de idade incompletos, tendo como parceiras a Escola Formal e a Jornada Ampliada. A Jornada Ampliada é uma ação complementar à escola formal, que visa a promoção sócio-educacional das crianças e adolescentes nele inseridos. O número de participantes do programa obedece ao levantamento apresentado às comissões Federal e Estadual, valendo ressaltar que não atendem à demanda existente, cumprindo, apenas, as vagas disponibilizadas pelo Governo Federal. Do processo de aprovação do Governo Federal até a identificação das demandas e do envio da listagem das crianças e adolescentes que integrariam o programa ocorreu em um espaço de tempo pequeno. O Departamento de Atenção a Criança e ao Adolescente (DEAC), achou por bem utilizar os dados já existentes sobre atendimentos realizados com as famílias de algumas crianças e adolescentes, devido às limitações da proposta institucional, por não ter um diagnóstico no município em relação ao trabalho infanto-juvenil. Nesse programa foram selecionadas, de um lado, adolescente aquele entre doze e dezoito anos incompletos (Art.2 do ECA). Nesta pesquisa, tais categorias referem-se a personagens pobres, no sentido amplo da palavra, com carências econômicas, habitacionais, relacionais e mais carentes de direitos sociais, que buscam, via PETI, serem sujeitos de direitos e deveres. Mary Del Priore (2000) relata que as crianças, nos primeiros séculos da colonização, eram chamadas de miúdos, ingênuos, infantis (Priore, 2000, p.87). A mesma autora diz “A falta de maiores referências não significa, entretanto, que a criança não tenha sido desvalorizada. Há nas entrelinhas, uma ou outra maneira de mostrar que lhe dava valor, era a continuação da família, gozava de afeto dos seus, participava dos acontecimentos e das festas, enfim, tinha presença na vida do Momento” (ibid, p. 109-110).
Mostrar mais

190 Ler mais

Programas governamentais de atenção aos  escolares: Programa Nacional de Alimentação  Escolar (PNAE) e Programa de Erradicação do  Trabalho Infantil (PETI)   Gameleira-PE

Programas governamentais de atenção aos escolares: Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Gameleira-PE

O Programa Bolsa Alimentação, assim como a PNAN foi desenvolvido pela Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição (CGPAN), com o objetivo de reduzir o défict nutricional e a mortalidade infantil entre as famílias mais carentes do Brasil. Para serem elegíveis, ou seja, participantes do Programa, as famílias deveriam ter renda mensal inferior a R$ 90,00 per capita e possuir pelo menos um possível beneficiário (gestante e/ou nutriz e/ou crianças de 6 meses até 6 anos de idade). O Programa tem o intuito de complementar a renda familiar para melhoria da alimentação e fomentar à realização das ações básicas de saúde. Cada família recebe um benefício de R$ 15,00 por beneficiário por mês, com um teto máximo de R$ 45,00 por família (três benefícios). A partir de setembro de 2003 passou a fazer parte do Programa Bolsa Família que integrou também o Auxílio-Gás, o Bolsa Escola, e o Cartão Alimentação (BRASIL, 2005; VASCONCELOS, 2005).
Mostrar mais

119 Ler mais

A INFLUÊNCIA DO PRECONCEITO ÉTNICO-RACIAL NO TRABALHO PRECOCE: UM RECORTE DAS FAMÍLIAS NEGRAS INSERIDAS NO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) DA REGIÃO CENTRAL DE FLORIANÓPOLIS

A INFLUÊNCIA DO PRECONCEITO ÉTNICO-RACIAL NO TRABALHO PRECOCE: UM RECORTE DAS FAMÍLIAS NEGRAS INSERIDAS NO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) DA REGIÃO CENTRAL DE FLORIANÓPOLIS

Mesmo o trabalho precoce sendo predominantemente masculino, o número de meninas desempenhando atividades domésticas é bastante significativo. Este trabalho precoce é bastante utilizado nas famílias pelo fato de ser caracterizado por baixa remuneração e ainda pelo fato de não haver quase visibilidade. Concordamos com Custódio (2006, p.89) que afirma que “[...] a condição histórica de sujeição produzida pelas relações de gêneros, conveniente ao modelo de sociedade patriarcal brasileiro, reduziu a visibilidade das condições de exploração feminina”. Dificilmente é identificado o trabalho precoce doméstico, esta afirmação é reforçada pela vivência no estágio no PETI. Os encaminhamentos acontecem através do Serviço Sentinela, onde os profissionais identificam o trabalho através dos acompanhamentos realizados com as famílias. Sendo assim, a erradicação desta atividade é bastante dificultosa, deste modo, ela tende a ser contínua. Mas este tipo de trabalho é também praticado em casa de terceiros, onde são oferecidas as essas crianças e adolescentes oportunidades relacionadas a questões econômicas, educacionais, entre outros.
Mostrar mais

140 Ler mais

A caracterização das famílias beneficiárias do Programa de Transferência de Renda - PETI/São José

A caracterização das famílias beneficiárias do Programa de Transferência de Renda - PETI/São José

(Paraguai) e 71 % (Bolívia, Brasil e México) dos domicílios em 1994 eram habitados por famílias de tipo nuclear”. No entanto, as famílias latino-americanas se diferenciam segundo o sexo do chefe e a composição etária que, muitas vezes, determina oportunidades diferenciadas no acesso aos bens e serviços, ou seja, ao bem-estar, apontando, desta for ma, a necessidade de adotar novos enfoques nas políticas sociais. Souza menciona que, de acordo com a Cepal, as famílias com maior risco de pobreza na América Latina são, em termos gerais, as extensas e compostas e as chefiadas por mulheres. Já as menos vulneráveis são as famílias sem filhos e as unipessoais chefiadas por homens. “A possibilidade de pertencer a um domicílio pobre varia também em função da educação média dos adultos e da quantidade de membros participando no mercado de trabalho”. Portanto, constata-se que as famílias em que há um maior número de crianças, filhos de pais com baixa escolaridade, são mais propensas a se encontrar em situação de pobreza. 82
Mostrar mais

170 Ler mais

O PAPEL DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA COMO ESPAÇO DE AFILIAÇÃO ESTUDANTIL E O BIBLIOTECÁRIO COMO EDUCADOR E AGENTE INCLUSIVO

O PAPEL DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA COMO ESPAÇO DE AFILIAÇÃO ESTUDANTIL E O BIBLIOTECÁRIO COMO EDUCADOR E AGENTE INCLUSIVO

Ao considerarmos o Relatório da UNESCO e suas proposições em relação aos pilares da educação, observamos que algumas lacunas ficam muito aparentes quando lemos com mais atenção as suas propositivas. Um dos pontos que podemos ressaltar, a partir desse relatório, está afeto ao objeto deste trabalho, qual seja: o uso e a importância das bibliotecas universitárias e a presença do bibliotecário no campo acadêmico como profissional da informação e agente educador. Todavia, tal caso não se refere somente às bibliotecas universitárias, como também a todas as modalidades de bibliotecas e similares. Desconsidera, portanto, o papel desses aparelhos de educação e cultura como instrumentos contribuintes para o processo formador do conhecimento que busca a integralidade do ser e é sustentador dos quatro pilares da educação quando inseridos nos espaços institucionais escolares/educacionais.
Mostrar mais

13 Ler mais

O PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA – PR: UMA AVALIAÇÃO SOBRE A POLÍTICA PÚBLICA DE ENFRENTAMENTO AO TRABALHO INFANTIL (2010)

O PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA – PR: UMA AVALIAÇÃO SOBRE A POLÍTICA PÚBLICA DE ENFRENTAMENTO AO TRABALHO INFANTIL (2010)

[...] O primeiro foi a transformação da intervenção do Estado nas políticas sociais. A abrangência dessa intervenção alterou-se, na medida em que novos temas e questões ganharam prioridade como, por exemplo, a seguridade social. A forma de organização do Estado também se transformou no sentido da descentralização política, administrativa e financeira – sem prescindir de coordenação nacional e cooperação entre entes federativos. Para isso, foi decisivo o restabelecimento do equilíbrio federativo proporcionado pela reforma tributária. Os estados e os municípios saíram fortalecidos pelas novas regras de repartição de recursos. A Constituição inovou, em terceiro lugar, ao reconhecer os direitos sociais recém conquistados. Pela primeira vez na história do Brasil, a Constituição da República considerou educação, saúde, trabalho, previdência, proteção à maternidade e à infância e assistência social como direitos sociais próprios da cidadania. Esses direitos sociais passaram a ser de caráter universal (todos têm direito) e inspirado no princípio da seguridade social (2005, p. 545).
Mostrar mais

145 Ler mais

DEF. NEUROMOTORA

DEF. NEUROMOTORA

o paciente geralmente não mais consegue andar. Sua respiração se torna cada vez mais curta e vai, geralmente, a óbito, devido a infecção respiratória. Por não existir nenhum medicamento para o tratamento deste quadro, bem como terapias ou exercícios especiais que impeçam o aumento da fraqueza dos músculos, é de fundamental importância que a criança permaneça ativa, continuando com as atividades normais, o quanto lhe for possível, ajudando-a a adaptar-se às próprias crescentes limitações. Cerca da metade destas crianças podem apresentar, tam- bém, alguma deficiência mental; quando não, apresentam ótimo desempenho em várias áreas. O objetivo de todo e qualquer tratamento da criança com distrofia muscular deve ser o de ajudá-la a viver o melhor possível AGORA.
Mostrar mais

36 Ler mais

PETI EM SAO JOSÉ:A Revelação da Assistência Social no Combate ao Trabalho Infantil

PETI EM SAO JOSÉ:A Revelação da Assistência Social no Combate ao Trabalho Infantil

pode ser considerado, em seu todo, um exemplo típico da política social praticada por um governo que. numa formação social capitalista como a nossa, precisa se legitimar. responde[r]

67 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados