Top PDF Geografia, espaço e memória: o traçado urbano de Guarabira - PB

Geografia, espaço e memória: o traçado urbano de Guarabira - PB

Geografia, espaço e memória: o traçado urbano de Guarabira - PB

O estudo buscou uma análise geográfica sobre o traçado urbano de Guarabira/PB a partir da memória dos seus moradores, selecionando atores sociais da terceira idade, considerados peças chave na elaboração do estudo. Para tanto, foi feita uma caracterização geográfica e histórica do município de Guarabira. A pesquisa também se fez a partir de imagens antigas, seguindo as trilhas metodológicas da imagem geofotográfica sugerida por Bandeira (2007), em contrate com imagens atuais da cidade de Guarabira. Como recorte espacial, elegeu-se o centro histórico de Guarabira, por guardar em seu traçado urbano, importantes monumentos arquitetônicos, traçados originais de ruas becos e vielas, enquanto demonstrativo de uma espontaneidade na constituição do espaço geográfico guarabirense. O estudo consistiu em um levantamento bibliográfico sobre memória e espaço que conduziu a pesquisa em sua definição conceitual, teórica e metodológica. Autores como Bandeira (2007); Bosi (1994); Cristo (1964); Corrêa (1995); Dantas (2005); Ferraz (2001); Jucá (2003); Le Goff (2003); Melo (1999); Mello (1983 e 1998); Montenegro (2001); Rodriguez (1998); Santos (1996); Silva (1995) e Souza (1996) representaram o principal aporte teórico e metodológico, pois responderam satisfatoriamente ao tema “espaço e memória”, em uma nítida aproximação entre a geografia cultura e a história. Foram feitas entrevistas semi-estruturadas a partir das quais foi possível construir uma trajetória do traçado urbano da cidade a partir da memória dos moradores de Guarabira. Espera-se que a pesquisa sirva enquanto registro geográfico do traçado urbano de Guarabira, bem como o resgate memorável dos depoentes, que se tornaram sujeitos desse trabalho, pois depositaram importantes fragmentos de suas memórias em um estudo preocupado com as recentes e desordenadas transformações pelas quais passa o centro histórico da cidade de Guarabira.
Mostrar mais

46 Ler mais

Geografia cemiterial:o cemitério São João Batista de Guarabira-PB como espaço de representações sociais

Geografia cemiterial:o cemitério São João Batista de Guarabira-PB como espaço de representações sociais

Como as mudanças no espaço cemiterial ocorrem lentamente, pouca coisa mudou da Idade Média até o século XVIII, quando esse espaço foi tomado por uma abrupta mudança. Se antes o convívio entre os vivos e os mortos não era tão perturbadora, com o avanço na medicina vai cortar este vínculo e afastar os mortos para distantes dos vivos. Os médicos do final do século XVIII e início do século XIX vão afirmar em seus estudos que os mortos são capazes de transmitir doenças aos vivos. Com isso, os cemitérios foram tomados pela norma de serem construídos distantes das cidades (ARIÈS, 2003). Aqui no Brasil, essa medida só vai começar a ser cumprida em meados do século XIX, quando os poderes públicos enxergaram como coisa incivilizada possuir cemitérios dentro das cidades. Nisso, “uma organização civilizada do espaço urbano requeria que a morte fosse higienizada, sobretudo, que os mortos fossem expulsos de entre os vivos e segregados em cemitérios extra-muros” (REIS, 1991, p.247).
Mostrar mais

25 Ler mais

Estudo da verticalização do Bairro Novo, em Guarabira, PB

Estudo da verticalização do Bairro Novo, em Guarabira, PB

Este trabalho consiste em um artigo científico, vinculado ao curso de Licenciatura plena em Geografia, da Universidade Estadual da Paraíba. A pesquisa desenvolvida tem como tema central a verticalização do solo do bairro Novo, Guarabira, PB, percebendo essa dinâmica como forma de reprodução do capital na cidade. Nos últimos anos , o bairro Novo, tem passado por um intenso processo de verticalização do seu solo, proporcionado por um conjunto de condições criadas a partir de novas funções econômicas, sociais e políticas que começaram a ser delineadas a partir, principalmente, do desenvolvimento da cidade que vem atraindo novos habitantes. O ordenamento da cidade e a percepção dos agentes ligados à construção civil, possibilitaram que o bairro se tornasse uma área propícia aos investimentos na sua verticalização e alvo da especulação imobiliária. Vários empreendimentos verticais foram construídos até o ano de 2010, enquanto outros estão em construção o que, ao longo dos anos, transformou a dinâmica socioespacial do bairro. Considerando que o espaço urbano é socialmente construído, produto e condição para o processo de reprodução da sociedade capitalista, essa pesquisa tem por objetivo analisar a verticalização desse bairro, considerando as relações estabelecidas entre os agentes sociais produtores do espaço urbano na produção do espaço urbano do Bairro Novo através da verticalização do seu solo, para fins de reprodução do capital. A metodologia adotada perpassa as pesquisas primárias e secundárias, compostas pela pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo, com a finalidade de melhor analisar essa dinâmica no referido bairro.
Mostrar mais

25 Ler mais

O papel social da organização das aulas de geografia: um estudo de caso na E. E. E. F. M. Prof. José Soares de Carvalho - Guarabira - PB

O papel social da organização das aulas de geografia: um estudo de caso na E. E. E. F. M. Prof. José Soares de Carvalho - Guarabira - PB

A geografia tem o papel de contribuir para que o indivíduo perceba que a sociedade se fundamenta na construção do social sobre o natural, e que se interagem, formando um todo. A sociedade constrói o espaço, subordinando cada vez mais a natureza, as suas regras, devido aos avanços da tecnologia e pelas possibilidades de prevenção e planejamento. Essa característica permite que o homem encurte distâncias, altere a qualidade de vida dos solos, amenize as características do clima, reoriente o leito dos rios, aumente a extensão dos territórios, drene áreas e aterre-as, amplie as fronteiras agrícolas, considerando-se essas apensas algumas alterações que o homem faz no curso da natureza. É necessário entender a natureza como elemento fundamental do ambiente e construir um conceito de natureza que seja instrumentalizador das práticas cotidianas dos educandos em vários níveis, sem uma visão romântica e naturalista perante o mundo, perante a história como se os homens não participassem da relação homem/natureza. (MATIAS, p.4).
Mostrar mais

44 Ler mais

Utilização de tecnologias no ensino de geografia em Guarabira/PB: uma abordagem na E.E.E.F.M. Prof. José Soares de Carvalho

Utilização de tecnologias no ensino de geografia em Guarabira/PB: uma abordagem na E.E.E.F.M. Prof. José Soares de Carvalho

- A escola possui muito espaço para crescimento, do ponto de vista do desenvolvimento tecnológico. Alguns alunos ainda precisam conscientizar-se sobre a importância da utilização das tecnologias em seus estudos, tanto na escola quanto em suas residências. Da mesma forma, alguns professores e outros profissionais que fazem parte da escola precisam compreender que nosso país vem evoluindo tecnologicamente e que todos nós precisamos acompanhar tal evolução. Assim, poderemos ter um país mais igualitário, partindo desta ótica; - Mesmo que a escola não disponibilize das tecnologias necessárias para o ensino de Geografia, o professor pode trabalhar aquelas que os alunos têm acesso em suas casas. Os alunos podem ser incentivados a usar estas tecnologias em quaisquer lugares que possam ter acesso às mesmas: em casa, casa de amigo(s), parentes. O importante é que o professor saiba despertar este interesse em seus alunos. As tecnologias da educação estão sempre evoluindo, logo os professores têm que acompanhar esta evolução;
Mostrar mais

48 Ler mais

Dinâmica do espaço: em destaque, a rua São Manoel, Guarabira-PB

Dinâmica do espaço: em destaque, a rua São Manoel, Guarabira-PB

De acordo com Spósito (1998), para entender a cidade, não basta apenas observá-la ou viver nela, é preciso verificar sua dinâmica, sua geografia e sua história, pois a cidade na qual vivemos, com exceção das regiões novas, não apareceu no momento que nascemos e certamente continuará a existir quando morrermos. Seja grande ou pequena, em toda cidade houve um processo histórico em relação ao seu surgimento. Na cidade de Guarabira, localizada no Estado da Paraíba, esse fato não foi diferente, pois sua história se confunde com a de várias famílias que ajudaram a formar esse pequeno município.
Mostrar mais

32 Ler mais

A dinâmica espacial do Sítio Contendas, Guarabira - PB

A dinâmica espacial do Sítio Contendas, Guarabira - PB

O presente trabalho tem como objetivo geral descrever a configuração sócio- espacial do Sítio de Contendas, município de Guarabira, sob a perspectiva da urbanização, enfocando uma caracterização desse espaço quanto aos aspectos econômico, social e características da vida cotidiana local. Sabe-se que a Geografia cuida de estudar, entre vários assuntos, a questão espacial das cidades. No caso desse estudo, o Sítio Contendas, este não apresenta potencial econômico de desenvolvimento para sua população, assim como outras localidades rurais nas mais diversas regiões. Dessa forma, o estudo desse espaço propicia uma visão mais específica sobre os problemas enfrentados por essa comunidade e sua população, acrescentando mais um elemento ao estudo da produção do espaço. A pesquisa usa como metodologia a pesquisa bibliográfica e a pesquisa de campo por meio de entrevista e fotografias da comunidade, tendo como fontes de pesquisa bibliográfica livros, artigos, teses e periódicos encontrados na biblioteca da UEPB, Campus III e IBGE; as fontes primárias foram coletadas em pesquisa de campo, por meio dos entrevistados e, da própria comunidade, por meio de observações no local. Como resultados, pode-se afirmar que o Sítio Contendas apresenta fragilidade econômica, desemprego generalizado, falta de ampliação da infra-estrutura e serviços públicos para a população dentre outros problemas, embora apresente equipamentos urbanos que aumentaram a qualidade de vida de seus moradores. Um outro resultado obtido é que, embora seja uma comunidade rural, percebe-se que as famílias melhoraram o padrão de qualidade de vida, por meio da aquisição de bens de consumo duráveis, aquisição de tecnologias do mundo moderno e ampliação, reformas ou construção de residências com materiais de alvenaria, com piso de cerâmica, energia elétrica e água encanada. Sendo assim, o estudo contribui para a compreensão do perfil dessa comunidade e, consequentemente, auxilia a esta e ao poder público na busca de melhorias.
Mostrar mais

45 Ler mais

A religião e a produção do espaço: um olhar sobre os aspectos culturais da festa de Nossa Senhora da Luz – Guarabira - PB

A religião e a produção do espaço: um olhar sobre os aspectos culturais da festa de Nossa Senhora da Luz – Guarabira - PB

O presente artigo discorre sobre a produção do espaço a partir dos fenômenos ligados a religiosidade, tendo como objeto de estudo a Festa de Nossa Senhora da Luz na cidade de Guarabira-PB. Inicialmente discute-se as noções referentes a Geografia Cultural, consequentemente sobre as manifestações culturais e como elas se inserem no espaço e na religião. Em seguida, aborda-se os espaços das festas religiosas e a discussão que envolve as esferas dos elementos sagrados e profanos. Por fim apresenta-se o histórico do surgimento da festa de Nossa Senhora da Luz, as mudanças ocorridas ao longo dos anos e as permanências culturais até os dias atuais. Como contribuição teórica buscou-se apoio em Correa (1995), Claval (1999), Coelho (1955), Rosendahl (1996), Melo (1999), Almeida Filho (2004), entre outros que abordam a temática em questão.
Mostrar mais

30 Ler mais

Análise do fenômeno religioso e cultural como resgate das práticas simbólicas no espaço urbano de Guarabira/PB

Análise do fenômeno religioso e cultural como resgate das práticas simbólicas no espaço urbano de Guarabira/PB

Um dos principais conceitos da geografia é a paisagem, e pode ser analisada tanto pela influência humana exercida sobre o ambiente no decorrer da vida, quanto por sua estrutura física, através dos símbolos deixados na paisagem pelos grupos sociais que habitaram determinados espaços. É através da paisagem cultural, que podemos observar a diversidade cultural existente em nosso país, as ideias de um determinado grupo social e maneira de atuação dos mesmos no espaço onde estão inseridos. De acordo com Santos (1988), existem dois tipos de paisagem: a paisagem natural - aquela que nunca foi tocada pelo homem, e a paisagem cultural - aquela que traz em sua essência os traços humanos do grupo que a modificou.
Mostrar mais

31 Ler mais

O crescimento desordenado do centro urbano de Guarabira-PB

O crescimento desordenado do centro urbano de Guarabira-PB

Esta pesquisa tratou de uma análise geográfica sobre o Processo de urbanização no município de Guarabira/PB, a partir de levantamento de dados sobre as transformações do espaço urbano e suas contradições organizacionais. O crescimento das cidades esta inserido nos processos históricos de migração campo cidade, isso se deu em ocorrência da necessidade por melhorias de vida. O processo de urbanização teve início paralelamente à constituição da sociedade humana e seu estabelecimento em determinados espaços físicos e continua até hoje. Na cidade de Guarabira, foi possível identificarmos as contradições organizacionais e reflexos de crescimento urbano desordenado. A pesquisa foi estruturada metodologicamente em três momentos: Levantamento de dados e de referencias; 2) Pesquisa de campo com registro de imagens, entrevistas semiestruturadas e; 3) Analise geográfica dos dados. A pesquisa empírica a partir dos autores trabalham com a geografia urbana, entre eles: Carlos (2007), Santos (2007); Côrrea (2006). Durante a pesquisa de campo podemos observar como a urbanização desordenada trouxe ao longo do tempo problemas que geram transtornos a população num âmbito central em direção aos bairros. Para sanar esses problemas precisamos de politicas públicas, investimento em infraestrutura e também temos que repensar o fluxo do trânsito para melhorar de forma geral os deslocamentos e a acessibilidade no centro da cidade.
Mostrar mais

36 Ler mais

A cidade de Mulungu - PB: transformações e resistências no espaço urbano

A cidade de Mulungu - PB: transformações e resistências no espaço urbano

O homem transforma o espaço para melhor adaptar-se, visando suprir suas necessidades de sobrevivência. A ação do homem sobre o meio que o envolve transforma esse espaço em rural e urbano. A área de estudo desta pesquisa é o pequeno município de Mulungu-PB, encontra-se inserido nos domínios da bacia hidrográfica do rio Mamanguape, mais precisamente na microrregião de Guarabira. A maioria dos pequenos municípios brasileiros, como é o caso de Mulungu, possui sua economia vinculada às atividades ligadas ao setor primário, assim, sua economia está voltada para atender as pequenas demandas da sua população. Ao falar sobre a formação urbana e seus aspectos tradicionais, ainda existentes no espaço urbano, é de suma importância destacar o que é moderno e o que permanece como resquício da cultura tradicional do lugar, nas funções, no modo de vida. O objetivo deste trabalho consiste em estudar a formação da cidade, os aspectos tradicionais de sua cultura, o modo de vida de seus habitantes. Nossa intenção é também contribuir com o poder público não só para a formulação de projetos que resguardem a memória da cidade, mas, também melhorem a forma de organização espacial da cidade. Objetiva-se ainda analisar as transformações históricas, sociais e culturais do município. Em um primeiro momento a pesquisa constituiu-se de trabalhos realizados em gabinete, depois se partiu para a pesquisa de campo e o reconhecimento da área. Foram realizadas entrevistas com moradores antigos, registro do modo de vida dos moradores. Foram aplicados 30 questionários para levantamento das atividades econômicas da cidade. Após a coleta dos dados, análise, sistematização e tabulação dos dados preliminares, foi realizado o diagnóstico para a produção do texto. A pesquisa nos auxiliou a conhecer a realidade dos moradores, as condições urbanas da cidade, tipos de equipamentos sociais existentes. Percebe-se, assim, que o município de Mulungu ainda mantém uma forte ligação com o espaço rural, em especial com as atividades ligadas a agricultura.
Mostrar mais

68 Ler mais

As memórias do processo de construção do espaço urbano de Alagoa Grande - PB

As memórias do processo de construção do espaço urbano de Alagoa Grande - PB

Alagoa Grande-PB. E, o seu objetivo é compreender como se deu o processo de construção do espaço urbano da referida cidade e os fatores que contribuíram para a sua modificação. Procuramos, então, fazer um resgate histórico da dinâmica do espaço urbano e comparar ao espaço que se apresenta atualmente, com suas rugosidades e edificações atuais. Para a realização do mesmo, trabalhamos com pesquisa de gabinete e pesquisa de campo. Inicialmente foi feito um levantamento bibliográfico em bibliotecas particulares e da UEPB – Campus III Guarabira, além de dados e artigos científicos disponíveis na internet, acervos da Câmara de Vereadores e da Prefeitura Municipal de Alagoa Grande. Os resultados apresentados são uma (re) leitura do espaço urbano a partir da experiência particular de um “quase” licenciado em Geografia somada a todas as informações que foram levantadas. Enfim, buscamos trazer as memórias do passado desse espaço urbano para que possamos compreender melhor o presente, pois, temos a certeza que o passado é muito importante, especialmente quando se trata da história de uma cidade.
Mostrar mais

34 Ler mais

Arborização urbana nos canteiros centrais de Guarabira – PB

Arborização urbana nos canteiros centrais de Guarabira – PB

Desde muito tempo o homem vem trocando o ambiente rural pelo ambiente urbano fazendo com que as cidades cresçam rapidamente de forma desordenada, somando-se à degradação ambiental e a perda da cobertura vegetal, provocando um sentimento de mal estar da população o que vêm chamando a atenção para a necessidade de se tornar o ambiente citadino mais agradável ao seu bem-estar. De acordo com o censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010), a população brasileira compõem-se de 190.732.694 habitantes; deste número, 160.879.708 encontram-se na zona urbana, o que representa 84,35%, enquanto apenas 29.852.986 (15,65%) compõem a população rural. comparando o crescimento da população urbana brasileira ao censo do IBGE de 2000, quando a população urbana representava 81,2%, ocorreu um aumento de 23 milhões de pessoas vivendo nas cidades do país, o que representa um aumento de 31% (IBGE, 2010).
Mostrar mais

29 Ler mais

A geografia da cura e do sagrado: a resistência das benzedeiras no espaço urbano de Ponta Grossa

A geografia da cura e do sagrado: a resistência das benzedeiras no espaço urbano de Ponta Grossa

Esta pesquisa tem por objetivo geral compreender a reprodução da medicina popular no espaço urbano de Ponta Grossa - Paraná, através do saber-fazer das benzedeiras remanescentes na cidade, desde seus modos de viver e de habitar no e com o espaço (sistema de objetos/ações) que agencia relações sociais entre coletivos humanos e destes com os não-humanos. Neste sentido, abordam-se as múltiplas dimensões simbólicas (materiais e não materiais) que constituem este sistema de saberes e práticas tradicionais. Para tanto, discute-se a medicina popular de forma articulada com o relativo grau de urbanização da cidade de Ponta Grossa, bem assim, os elementos modernos que compõem estas espacialidades em um constante diálogo entre modernidade/tradição. Aborda-se o tema a partir de uma das perspectivas emergentes da ciência Geográfica – a Geografia da Saúde – outrossim, avança-se em termos de uma abordagem plural de saúde e doença, mas que considere antes o viés cultural e humanístico. Assim, dentro de uma sociologia das ausências e emergências, trabalha-se com o método da história oral no intuito de traduzir a organização social destes atores no espaço urbano através do empoderamento social que lhes é conferido. Constata-se que através destes saberes são organizados microterritórios que interconectados estruturam uma rede urbana de reciprocidade e solidariedade em que são movimentados fluxos de trocas e de valores sociais distintos (contra hegemônicos) e de proximidade (diálogo interpessoal). Trata-se de um novo olhar para o urbano, cuja presença de geossímbolos, provenientes comumente de um passado rural tensionam reflexionar os imaginários geográficos. A pesquisa estruturada em quatro capítulos apurou que as benzedeiras resistentes no espaço urbano de Ponta Grossa continuam a desempenhar suas atividades, atendendo um número expressivo de pessoas. Através de suas histórias de vida percebe-se que a ação da modernidade (em sentido lato) sobre seus conhecimentos tradicionais acabou por ressignificar antigos hábitos e incorporar novos elementos em suas práticas. A valorização e reconhecimento desta tradição é uma das apostas para mantê-lo forte, nutrir sua projeção ao longo dos anos e fazer frente ao preconceito e descrédito manifestado por alguns segmentos sociais, além de constituir uma poderosa ferramenta de enfrentamento à crise do modelo civilizatório.
Mostrar mais

179 Ler mais

O sol e o vento no traçado urbano do Brasil Colonial

O sol e o vento no traçado urbano do Brasil Colonial

Apesar de alguns autores afirmarem que o primeiro núcleo urbano de Salvador obedecia a uma quadrícula ortogonal e, portanto, haveria uma planificação anterior, esta nunca foi encontrada, sequer nas escavações feitas posteriormente. Seu traçado possuía uma ortogonalidade relativa, principalmente em alguns trechos da Cidade Baixa, e as ruas não obedeciam a nenhum padrão rígido de dimensões, com larguras irregulares em ambas partes da cidade, que também apresentavam orientação de traçado das ruas semelhantes. Consideramos, como base para a análise, um trecho da Cidade Baixa com maior variação na dimensão das ruas, e estimamos para as mais largas 12 metros, correspondendo à Rua Nova das Princesas ou Nova do Comércio, as ruas secundárias e algumas transversais com a largura média de 5 ou 6 metros, enquanto os becos e ruelas não chegando a atingir 3 metros (Figura 3). Quanto às edificações definimos a menor altura equivalente a um pavimento térreo, considerando este com 4 metros de altura, e um edifício com a altura máxima de 15 metros, equivalente a 4 pavimentos, sendo esta uma altura média dos edifícios nessa parte da cidade, à época.
Mostrar mais

12 Ler mais

AS SOBREVIVÊNCIAS DOS SIGNOS, A MEMÓRIA INVOLUNTÁRIA DO ESTRANGEIRO E O ESPAÇO URBANO EM RUÍNAS

AS SOBREVIVÊNCIAS DOS SIGNOS, A MEMÓRIA INVOLUNTÁRIA DO ESTRANGEIRO E O ESPAÇO URBANO EM RUÍNAS

RESUMO: Este artigo tem a intenção de refletir sobre a qualidade e a pluralidade dos signos emiti- dos nos quatro primeiros romances de Milton Hatoum, Relato de um certo Oriente (2014), Dois irmãos, (2007), Órfãos do eldorado, (2008), Cinzas do Norte (2012). Partindo dos pressupostos teóricos de Gilles Deleuze e Félix Guattari sobre os modos de interpretação dos signos de memória: os signos de amor, sensíveis, mundanidade e de arte, este último, responsável por reunir as outras formas de signos. O objetivo é tentar evidenciar de que modo as modulações de produção de intensidade e individuação não segmentadas em binarismos possibilitam entender que na obra do escritor amazonense o tema não é a memória, mas as sobrevivências das imagens traumáticas, os sintomas da violência, os fan- tasmas e as sobrevivências de signos. Os signos de amor, por exemplo, além de ligarem-se aos signos de arte, nos permitem interpretar como sobrevivem os amores incestuosos, tema recorrente em Mil- ton Hatoum. Enfim, estas novas formas de individuação e produção de subjetividades não retornam, no complexo jogo de ruínas na forma de memória, mas sim, segundo assevera Gilles Deleuze, em práticas de produção de signos que afetam e se deixam afetar por outras subjetividades plurais. O resultado é que a apreensão desses signos nos romances de Milton Hatoum não pode ir além daquilo que se encerra dentro dos próprios signos que se repetem, repelem-se e dialogam entre si incessan- temente.
Mostrar mais

25 Ler mais

A problemática do lixo na feira livre de Guarabira/PB

A problemática do lixo na feira livre de Guarabira/PB

Guarabira atualmente tem uma população de aproximadamente 58.529 residentes (estimativa populacional - IBGE 2016). Tendo um comércio bem diversificado, abrangendo várias lojas, com vendas no varejo e no atacado, dentre as quais são de alimentos no atacado, várias clínicas com suas especialidades e atendimentos, como também vários campos de ensinos profissionalizantes e superiores. Tem um Shopping que já se encontra em funcionamento, com cinema, praça de alimentação e demais lojas. Semanalmente percebe-se o fluxo de pessoas vindo a feira livre sendo considerada como uma das maiores da região, pois polariza alguns municípios como; Cuitegi, Araçagi, Pilõezinhos, Pirpirituba, Alagoinha e pessoas vindas das zonas rurais.
Mostrar mais

38 Ler mais

Expansão urbana do Bairro Novo em Guarabira - PB

Expansão urbana do Bairro Novo em Guarabira - PB

A partir de 1970, foram realizados alguns benefícios no bairro como: abertura de ruas e entre elas a rua Napoleão Laureano, a primeira praça feita de terra batida onde instalaram um parque infantil, precisamente na atual av. Sabiniano Maia, próximo as mediações do Banco Real. Outro fato marcante, deu-se em 1973, com a abertura do ”Lourdes Drink’s, ou seja, chega em Guarabira, Mª de Lourdes Rocha Hejman (Srª Madame Arara). Seu recinto comercial localizava-se no final do bairro novo. O centro de divertimento noturno era freqüentado por pessoas de classe média e média alta da cidade e região.Em 1996 chega ao fim restando apenas saudades. Atualmente no local deste meretrício, temos o residencial Di Cavalcanti, onde inicia-se o loteamento Vale Verde que leva ao santuário Frei Damião.
Mostrar mais

29 Ler mais

A importância da geografia no cotidiano escolar: um estudo de caso, o movimento pendular dos alunos do Centro Educacional Osmar de Aquino, Guarabira - PB

A importância da geografia no cotidiano escolar: um estudo de caso, o movimento pendular dos alunos do Centro Educacional Osmar de Aquino, Guarabira - PB

This work aims to bring the results of the experience of supervised II, entering the content of textbooks to the student's reality from the perspective of everyday school life. Being in this, especially the urban phenomena embedded in society guarabirense geographic context for the teaching of geography, with a clear and objective, linking content with the local reality of the students in our case, the Internal Migration with commuting. Based on the theories raised in a retrospect of the history of the Teaching of Geography, from the Company of Jesus to several theories as an example of Yves Chevallard, Yvor Goodson, Andrew Chervel, Delgado de Carvalho, and more contemporary, Circe Bittencourt, Milton Santos, Visentini, among others. Introduced new methodologies for teaching geography to the generation of the century, also part of this, which seeks to prioritize the role of the school, to train citizens to society. Students aware and questioning, critical and active in their community, are adjectives that we teachers of geography should have focused on the objective of education. And this work represents a little of this goal of linking geographic content to the reality of students, specifically those of the Centro Educational Osmar Aquino, who live daily with the migration phenomenon, where hundreds of students from surrounding towns to see the Brejo /Agreste to study or work in the city of Guarabira.
Mostrar mais

51 Ler mais

Produção do espaço urbano no Município de Boa Vista-PB no período pós-emancipação

Produção do espaço urbano no Município de Boa Vista-PB no período pós-emancipação

O gráfico acima indica que está ocorrendo um crescimento urbano no município de Boa Vista. Tal fenômeno pode ser explicado, tanto pelo crescimento vegetativo da própria população, como pela incorporação de áreas que anteriormente encontravam-se inseridas na zona rural do município. Nesse sentido é importante analisar, de maneira geral, a condição do espaço urbano de Boa Vista, em comparação à outras cidades pequenas, observando, portanto, que esta localidades demonstra índices acentuados de desenvolvimento, em relação aos serviços básicos, como educação, saúde, saneamento básico e outros, os quais colocam o espaço urbano boa-vistense em evidência dentro do espaço geográfico da microrregião de Campina Grande.
Mostrar mais

22 Ler mais

Show all 10000 documents...