Top PDF A Geografia na sala de aula: uma reflexão a partir do estágio supervisionado na Escola E. E. F. Pedro Targino, Tacima/PB

A Geografia na sala de aula: uma reflexão a partir do estágio supervisionado na Escola E. E. F. Pedro Targino, Tacima/PB

A Geografia na sala de aula: uma reflexão a partir do estágio supervisionado na Escola E. E. F. Pedro Targino, Tacima/PB

Este trabalho tem como principal objetivo mostrar a jornada diária de um professor de Geografia, suas dificuldades e sua realidade dentro da sala de aula. Através dessa reflexão iniciada desde o momento do estágio supervisionado, podemos perceber que, vivenciar as aventuras de um educador dentro das paredes de uma escola pública, sem recursos básicos, nem tecnologia suficiente para que se possa oferecer uma aula digna do mundo atual aos estudantes, é um desafio. E no momento do estágio supervisionado esses desafios são desvendados e vistos de perto. Durante os poucos dias de observação e convive-o com os docentes da Escola EEF Pedro Targino, em Tacima/PB, pode-se notar que esses professores vivenciam essa rotina diária de ter que dar o seu melhor com o pouco de recursos que a escola pode oferecer, porém, sabemos que muitos outros milhares de professores espalhados por todo o mundo também convivem com esse tipo de realidade, mas muitos conseguem driblar esses desafios vivenciados dentro das escolas públicas simplesmente por ter tido uma boa base, pois a formação de um profissional da educação sendo bem manejada pode formar bons professores de geografia. Para que assim as escolas públicas e carentes ao menos possam contar com bons profissionais mais preparados para passar conteúdos atualizados, e trabalhar com conceitos metodológicos mais eficazes com uma linguagem que a sociedade dos dias atuais exige perante o ensino-aprendizagem de seus futuros membros. A Geografia no ensino fundamental forma futuros cidadãos, e sendo bem encaminhada por bons profissionais pode encantar seus alunos dentro da sala de aula, mas para isso acontecer de fato, é necessário formar profissionais de qualidade e oferecer o mínimo de recursos tradicionais e modernos para que as aulas se destaquem positivamente na vida dos educandos.
Mostrar mais

33 Ler mais

O estágio supervisionado de filosofia em uma escola pública na cidade de Alagoinha/PB

O estágio supervisionado de filosofia em uma escola pública na cidade de Alagoinha/PB

É natural de o homem questionar tudo e todos. Alguns chegam mesmo a serem chatos de tanto que questionam as coisas. A reflexão, porém, sempre esteve presente na trajetória humana. Até o final do século VIII a.C., a mitologia era a principal explicação para a realidade existente sobre a terra. A partir do momento em que o homem começou a meditar sobre o funcionamento do universo, da vida e a buscar explicações racionais para o mundo, damos os primeiros passos para o surgimento da filosofia. É a famosa busca pelo saber, tanto é que a palavra Filosofia provém do grego e é resultado da junção de duas outras palavras: a “philia”, “philos” ou “philiaque”, que significam amor fraterno ou amizade; e a palavra “sophia”, que quer dizer sabedoria. Portanto a filosofia seria, em sentido literal, a amizade ou o amor pelo saber. Logo, um filósofo não passa de alguém que busca sempre mais a sabedoria e que possui amor pelo conhecimento. Este trabalho tem por finalidade relatar a experiência vivenciada na sala de aula de uma escola da rede pública do Estado da Paraíba, E EEFM Agenor Clemente dos Santos , tendo como base vivências discutidas no curso de Filosofia, com o objetivo de contribuir para o fundamento teórico e metodológico do ensino de Filosofia. O professor teve um papel fundamental com seu exemplo de profissionalismo e conhecedor do conteúdo por ele lecionado, ampliando nosso conhecimento. Ele é resultado do trabalho desenvolvido nos três componentes curriculares de Estágio Supervisionado em Filosofia I da Universidade Estadual da Paraíba, ocorridos entre março de 2016 a abril de 2017, que objetivou a caracterização da escola, a observação, o planejamento, a prática e análise de aulas de Filosofia em turmas do ensino médio, tendo como referencial teórico autores de renome como Lorieri (2002) e Pimenta e Lima (2004). Verificamos que a disciplina Filosofia no ensino médio, na prática, ainda se encontra muito distante das expectativas teóricas e das determinações programáticas curriculares do MEC (2006).
Mostrar mais

26 Ler mais

Estágio Supervisionado: uma reflexão sobre o ensino de geografia na Escola Municipal de Ensino Fundamental Henrique de Almeida, Itapororoca - PB

Estágio Supervisionado: uma reflexão sobre o ensino de geografia na Escola Municipal de Ensino Fundamental Henrique de Almeida, Itapororoca - PB

O professor de geografia precisa trazer novas metodologias de ensino para que os alunos se interessem pelas aulas, deixando de trabalhar somente com o livro didático. Na sala de aula seria mais conveniente para aproximar os alunos da realidade, partir de uma abordagem local, pois a relação com a vivência dos alunos, que é variada, pode tornar de melhor compreensão posteriormente relações mais complexas. Ou seja, um professor bem preparado, teórica e metodologicamente, saberá como utilizar os recursos disponíveis a seu benefício.
Mostrar mais

31 Ler mais

O estágio supervisionado na formação do professor de geografia

O estágio supervisionado na formação do professor de geografia

O presente trabalho busca compreender a realidade vivenciada nos Estágios Supervisionados pelos alunos da Licenciatura em Geografia da UEPB – Campus III – Guarabira. O estágio supervisionado é um componente curricular de fundamental importância para a formação do docente, podendo proporcionar a transformação da teoria em prática na sala de aula. O estágio propicia o conhecimento da realidade profissional no entendimento do trabalho como atividade, que nos faz refletir sobre o nosso papel e a importância profissional desenvolvido na vida do alunado. Faremos uma reflexão sobre como esse estágio está sendo desenvolvido na UEPB, através de um questionário aplicado nas turmas concluintes do curso de Licenciatura Plena em Geografia, 2011.1 do turno da tarde e 2010.1 do turno da noite. Também será relatado um pouco da experiência do estágio supervisionado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Paulo de França em Mari/PB.
Mostrar mais

26 Ler mais

Reflexão acerca do ensino de geografia no 9° ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Terlópedes Cruz, Tacima/PB

Reflexão acerca do ensino de geografia no 9° ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Terlópedes Cruz, Tacima/PB

O presente trabalho visa apresentar algumas discussões sobre as aulas de geografia ministradas no 9º ano do ensino fundamental, na Escola Municipal Terlópedes Cruz – Tacima/PB. No intuito de buscar fundamentação teórica sobre alguns fatores que são responsáveis pela indisciplina em sala de aula e ver a importância de se conhecer os alunos, a fim de identificar os problemas encontrados, de criar meios para que aconteça a interação em classe, com intermédio de atividades que sejam prazerosas, que contribuam para o melhoramento das aulas e que causem mais entusiasmos nos alunos. A pesquisa se baseou em questionários aplicados para alunos e professores, com a perspectiva de conter opiniões de cada grupo. Este trabalho encontra-se embasado em autores como Cavalcanti (2002), Freire (1996), Libâneo (1992), dentre outros.
Mostrar mais

26 Ler mais

Análise do ensino de geografia na Escola de Ensino Fundamental e Médio Augusto de Almeida, em Pirpirituba - PB, por meio do estágio supervisionado

Análise do ensino de geografia na Escola de Ensino Fundamental e Médio Augusto de Almeida, em Pirpirituba - PB, por meio do estágio supervisionado

Antes de tudo, convém salientar que prática pedagógica é uma prática social. A prática pedagógica é considerada uma dimensão da prática social, pois a mesma é influenciada pelos aspectos conjunturais e estruturais da sociedade. Daí a importância de se refletir a prática docente em nosso contexto sociocultural tão diverso, onde fatores como as novas tecnologias provocam grandes mudanças na relaçãoentre professores/alunos. Pode-se dizer que o presente trabalho, representa uma reflexão sobre a prática pedagógica e sua importância para construção da carreira e da própria identidade do professor. Sendo resultado das atividades desempenhada no Estágio Supervisionado pela Universidade Estadual da Paraíba, Campus III Guarabira-PB, no qual despertou-me o interesse em conhecer as características do ensino de Geografia na EEEFM Augusto de Almeida localizada em Pirpirituba - PB. Entendendo o Estágio Supervisionado como parte da formação inicial do licenciando em Geografia, que possibilita a aplicação prática do arcabouço teórico adquirido no curso. Nosso objetivo foi apresentar e refletir os resultados da análise sobre a prática docente, o uso do livro didático e a relação professor-aluno no ensino de Geografia. Nesse sentido, para a realização da pesquisa, fizemos levantamentos e observações pautadas nos aspectos quantitativos, levantamento do número de professores, de alunos, funcionários e dependências da escola; aplicamos questionário aos docentes e discentes, com uma obtenção de cunho qualitativo, juntamente com as observações da prática docente, análise do material didático e análise dos questionários aplicados. Além das observações, também houve a regência, onde foi trabalhada a temática “Região Nordeste Brasileira”, e junto com os alunos foi refletida a forma como o livro didático representava o Nordeste e os nordestinos, o que nos proporcionou traçar um paralelo entre o conhecimento dos alunos sobre a temática com as informações trazidas no material didático. Disso tudo, veio-me a conclusão da fundamental importância do Estágio Supervisionado para minha formação, pois me proporcionou o contato direto com a realidade da sala de aula; levou-me a sentir da responsabilidade em ter de planejar aulas cada vez mais atrativas e de acordo com a realidade dos alunos; enfim, a repensar as dificuldades e os desafios envoltos no ensino/aprendizagem da disciplina de Geografia.
Mostrar mais

50 Ler mais

O estágio supervisionado I em geografia: análises a partir de uma escola pública em Campina Grande - PB

O estágio supervisionado I em geografia: análises a partir de uma escola pública em Campina Grande - PB

O presente artigo tem como objetivo relatar a experiência do estágio supervisionado I, compreendendo nessa fase a formação inicial dos professores, fazendo uma análise de uma escola pública de ensino fundamental, o estudo faz um relato sobre a realidade deste período que alunos estagiários passam antes de concluir a graduação. O recorte espacial foi a Escola Estadual de Ensino Fundamental Poetisa Vicentina Figueiredo Vital do Rêgo localizada no bairro do Jeremias zona norte de Campina Grande/PB. A metodologia utilizada para o desenvolvimento deste trabalho se deu com entrevistas por meio de questionários aplicados a professores de Geografia com a intenção de saber quais contribuições na visão deles os estágios podem contribuir com a formação e a carreira docente e como os estagiários podem colaborar com a escola neste processo. A partir disso, aliando à teoria a prática no ensino de Geografia no estágio, possibilitou-se com esta experiência e desafio que é estar em uma sala de aula, notar o quanto é importante esta fase para que o aluno estagiário conheça de fato o que se passa no dia a dia das salas de aula e no espaço escolar e comunidade como um todo, com suas características e peculiaridades locais, construindo assim seus conceitos com relação ao sua formação enquanto futuro professor, contribuindo assim com seu futuro ou não em uma possível carreira na área de educação, tão necessária e carente de bons profissionais comprometidos com o ensino de qualidade em especial o de Geografia. Desta forma procuramos entender neste artigo que os estágios na escola, na opinião dos professores entrevistados são aceitos de forma tranquila, pois poderão colaborar com um ensino por meio das oportunidades dadas aos futuros professores, ao mesmo tempo em que se entende que outras experiências não poderão ser tão boas, deixando a desejar o trabalho dos estagiários.
Mostrar mais

24 Ler mais

Um olhar geográfico dentro e fora da escola a partir do estágio supervisionado III

Um olhar geográfico dentro e fora da escola a partir do estágio supervisionado III

Este trabalho apresenta uma abordagem apartir dos resultados alcançados com as atividades desenvolvidas no Estágio Supervisionado III, realizado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Bonofácio Saraiva de Moura, localisada na cidade de Monte Horebe- PB. O periodo de realização deste estágio foi do dia 08 de março ao dia 14 de junho de 2014. Contudo, durante esse Estagio descrevemos os aspectos: Econômicos, Históricos,Climáticos e a localização geográfica da cidade de Monte Horebe-PB, e da escola em questão. Todavia, durante a análise constatamos que os aspectos físicos da referida escola estão dentro dos padrões estabelecidos pelo Ministério da Educação. Já quanto ao Estágio Supervisionado consideramos satisfatório, uma vez que o mesmo atingiu minhas expectativas e me a proximou ainda mais da realidade escolar, contribuindo assim, para que possamos juntos, traçar estratégias mais eficazes para o trabalho em sala de aula. Sobretudo, com uma visão interdisciplinar para o ensino de Geografia.
Mostrar mais

23 Ler mais

A indisciplina na sala de aula: uma  narrativa a partir do estágio supervisionado em Geografia

A indisciplina na sala de aula: uma narrativa a partir do estágio supervisionado em Geografia

O presente artigo tem como objetivo refletir sobre o Estágio Supervisionado e os desafios que o professor enfrenta na atualidade, destacando dentre estes a indisciplina no contexto educacional. Para alcançar tal objetivo, a reflexão citada parte da experiência vivenciada durante o Estágio Supervisionado I (Observação), ofertado pelo curso de Geografia da Universidade Estadual da Paraíba/Campus III, realizado na Escola “Anita de Melo Barbosa Lima”, no município de Belém-PB em uma turma do 7° ano do ensino fundamental II. A partir da vivência do Estágio Supervisionado pautada na observação participante, este trabalho se apoia na metodologia da pesquisa narrativa autobiográfica, que permite dá ao sujeito a possibilidade de recitar por meios das narrativas que produz sobre si, experiências pelas quais passou diante de um fato acontecido. Desta forma as narrativas proporcionam ao pesquisador a possibilidade de exposição dos sentidos atribuídos pelo narrador à experiência. A partir da experiência supracitada foi possível compreender que o processo de formação docente ainda se mostra complexo, por outro lado o Estágio Supervisionado de observação proporciona fortalecimento e crescimento como pessoa e profissional em formação, contribuindo de forma fundamental na busca de aprimorar a prática pedagógica para lidar com alunos indisciplinados enquanto professor de Geografia.
Mostrar mais

26 Ler mais

O estágio supervisionado e sua contribuição na formação docente: uma análise a partir de uma escola pública na cidade de Soledade-PB

O estágio supervisionado e sua contribuição na formação docente: uma análise a partir de uma escola pública na cidade de Soledade-PB

Assim, este estudo mostrou o valor significativo, tanto para os alunos como para professores e gestores, que os estágios têm para o ensino de Geografia, proporcionando uma abertura de experiências em sala de aula, através dos relatos das entrevistas dos professores, mostrando na teoria e pratica como é importante a contribuição dos estagiários para as entidades de ensino, e como estes devem ser bem acolhidos sentindo-se seguros em relação a nova experiência em um novo ambiente que estão adentrando por um determinado tempo não só para cumprir a carga horária que pede os estágios, mas também para dar início no saber e se fazer docente.
Mostrar mais

31 Ler mais

linguagens e globalização: experiências de estágio supervisionado em geografia no município de São Vicente do Seridó - PB

linguagens e globalização: experiências de estágio supervisionado em geografia no município de São Vicente do Seridó - PB

A utilização de práticas que tornem o ensino mais prazeroso torna-se ainda mais urgente se considerarmos a realidade socioeconômica de boa parte do alunado brasileiro que a partir dos últimos anos do ensino fundamental, começa a sofrer pressões por parte da sociedade consumista, modista e pautada no status, no tocante a melhoria de suas condições socioeconômicas por meio da inserção no mercado de trabalho, o que agrava a evasão escolar. A fim de tornar o processo de ensino-aprendizagem mais atrativo e em oposição aos métodos com o nível de tradicionalismo acima descrito, as linguagens, formas de expressão da realidade que permeiam o cotidiano dos alunos, são recursos didáticos pertinentes ao ensino de Geografia por estarem carregados de informações relacionadas ao ensino dessa disciplina, contando, muitas vezes, com abordagens descontraídas, as linguagens atribuem mais leveza e facilidade ao processo de construção do conhecimento. Tal facilidade deve-se justamente ao fato das linguagens fazerem parte do cotidiano do aluno não só em sua vida social, fora da escola, mas também, pelo contato do discente com tais formas de expressão por meio de outras disciplinas escolares, como Língua Portuguesa.
Mostrar mais

45 Ler mais

A importância do estágio supervisionado para a formação do professor de geografia: um relato de experiência na E. E. E. F. M. Senador Argemiro de Figueiredo, Campina Grande - PB

A importância do estágio supervisionado para a formação do professor de geografia: um relato de experiência na E. E. E. F. M. Senador Argemiro de Figueiredo, Campina Grande - PB

A metodologia utilizada foi pesquisa de campo, a partir da vivência realizada na atividade, sendo utilizados recursos como registros fotográficos e a produção de materiais didáticos que possibilitaram a reflexão sobre a profissão docente, bem como, a observação sobre a turma, o professor e o ambiente escolar. A observação enquanto pesquisa empírica possibilitou a construção de um olhar crítico sobre a profissão docente e sua formação, foi o lugar de observação do contraste entre a teoria ensinada nos componentes curriculares da universidade e a prática do cotidiano no ensino básico. Essas reflexões foram, no entanto, tecidas sobre as bases conceituais de uma pesquisa bibliográfica que utilizou-se de autores como Kimura (2008), Pimenta (2012) e Pontuschka, Paganelli, Cacete (2009), dentre outros que analisam a relação salutar entre o estágio e a formação dos futuros professores e docência em Geografia.
Mostrar mais

27 Ler mais

Relatório final de estágio supervisionado: o ensino de língua portuguesa na prática em sala de aula

Relatório final de estágio supervisionado: o ensino de língua portuguesa na prática em sala de aula

Enquanto estive em João Pessoa, fiquei aos cuidados do tutor Macário Oliveira e da professora Sueli, dando todo o suporte e apoio necessários aos “aprendentes” e às “aprendentes”. Aqui tive um novo dilema: sempre que havia provas presenciais precisava me deslocar de Areia a João Pessoa, o que me fazia ficar cansada e estressada e com um baixo rendimento. Via meu esforço e minha paixão se esvair pela estrada, literalmente. Chegaram então, as férias de janeiro de 2011. Decidi ir à Campina Grande procurar a professora Divanira e explicar minha situação, e pedir-lhe para procurar uma maneira de me fazer ficar no pólo de Campina Grande. Tudo ficaria mais fácil, minha dedicação poderia ser maior e eu poderia participar dos eventos que ocorriam com frequência na cidade e na instituição, o que era de muita vontade minha. Fui prontamente atendida. Minha coordenadora de curso, juntamente com sua equipe de apoio e suporte do AVA, fizeram minha transferência para o pólo de Campina Grande e me deixaram aos cuidados da tutora Lizemanuelle Silva. Semanas depois, quando tivemos nosso encontro presencial de volta às aulas, fui apresentada a minha tutora e a partir daí foi uma vida nova dentro do curso. Já estava mais habituada na utilização das ferramentas oferecidas pelo site. Comecei a participar de oficinas e eventos oferecidos pela UEPB. Sempre imprimia todo o material disponibilizado pelos professores e pelas professoras de suas respectivas disciplinas, a fim de fazer uma leitura com maior cautela e responder as atividades propostas da melhor forma possível.
Mostrar mais

21 Ler mais

A CIDADE NA SALA DE AULA: AULA DE GEOGRAFIA

A CIDADE NA SALA DE AULA: AULA DE GEOGRAFIA

Aqui, Caetano Veloso se lembra do migrante que sai da sua cidade para São Paulo em busca de uma vida melhor, tendo deixado para trás sua terra natal e encarando os primeiros obs- táculos de uma metrópole onde sonhos e devaneios se desfazem. Trazendo para a realidade de Sobral, podemos perguntar aos alunos se existem parentes deles que foram embora para São Pau- lo ou outras cidades e a partir disso aprofundar estudos sobre migração. Atualmente “[...] a quan- tidade de trabalho intelectual solicitada é enorme [...]” (SANTOS, p. 146, 1996), refletindo em uma nova distribuição populacional pelo território brasileiro: as cidades médias tornaram-se atra- entes. Consideramos Sobral como um bom exemplo desse processo. Porém, em relação à “mu- dança de conteúdo” advogada por Santos na mesma obra, podemos dizer que Sobral e as cidades pequenas do seu entorno ainda são as cidades dos notáveis. Padres, médicos, juízes, reitores, lo- cutores de rádio, vereadores ainda são “personalidades marcantes”.
Mostrar mais

15 Ler mais

Geografia cultural: análise da tradicional festa de Sant'Ana, padroeira de Tacima/PB

Geografia cultural: análise da tradicional festa de Sant'Ana, padroeira de Tacima/PB

De início, foi realizada conversas com pessoas que desde cedo conhecem a história de devoção, onde foi realizada a pesquisa bibliográfica, objetivando o aprofundando do tema, extraindo materiais de artigos, monografias, dissertações e livros. Para se chegar a um conhecimento sobre sua história e devoção a partir de tempos que remontam na memória dos entrevistados a época que muitos eram tementes a Deus e acreditavam em suas crenças e costumes de forma fervorosa que em tempos de comemoração a padroeira era algo realmente religioso e participativo, diferente como temos hoje em dia, onde não se tem total respeito como antes.
Mostrar mais

41 Ler mais

A CENTRALIDADE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA

A CENTRALIDADE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA

Por fim, frente ao contexto que o setor da Educação vive no Brasil, não poderíamos deixar de citar que, todo o percurso pelo Estágio Supervisionado, toda capacidade de inovação e produção de conhecimento no CAp-UERJ e, em geral, a formação de professores na Universidade do Estado do Rio de Janeiro não têm seguido o descrito do presente texto. Os ataques ao setor, as propostas políticas que caminham a toque de caixa sem participação dos que efetivamente estão nas salas de aula, a “falta de verba” para financiamento e até mesmo custeio da Universidade, juntamente com a redução de repasse, gerando salários atrasados e forçando toda comunidade da UERJ a entrar em diversas greves nos últimos anos são fatores que vêm limitando a formação de professores.
Mostrar mais

10 Ler mais

Estágio supervisionado na educação infantil na Escola Municipal em Fagundes PB

Estágio supervisionado na educação infantil na Escola Municipal em Fagundes PB

quando a criança estiver experimentando sentimentos agradáveis, como durante os períodos de brincadeiras, alimentação e banho; criar situações que encorajem reações vocais ou verbais da criança e recompensá-la por tais reações; facilitar a percepção dos sons da fala, estimulando respostas de localização da fala produzida em diversos pontos à volta da criança, desde aproximadamente os 6 meses, e pela estimulação de reações motoras da criança a partir dos 9 meses; são algumas destas atividades e é possível perceber que são desenvolvidas e também utilizadas pelo professor na Educação Infantil, principalmente em momentos em que a criança está manipulando brinquedos e/ou em atividades pedagógicas lúdicas. Depreende-se, pois que é difícil negar a importância de vincular a atividade lúdica à atividade pedagógica uma vez que tal junção propicia a toda criança subsídios para seu desempenho futuro e para seu desenvolvimento cognitivo e de linguagem. As situações escolares, em geral, podem ser ricas em experiências sociais e de aprendizagem que complementam e expandem as experiências domésticas ou familiares. É comum observarmos crianças que chegam à escola ainda muito tímidas, inseguras, outras agressivas, birrentas ou com outros problemas de relação e que, passado algum período de experiências escolares, evoluem sensivelmente. A possibilidade de vivenciar situações diversificadas e sistemáticas de comunicação tende a acelerar a aquisição da linguagem.
Mostrar mais

37 Ler mais

A profissão docente e a práxis do Ensino de Geografia: reflexões a partir do estágio supervisionado em uma escola pública de Delmiro Gouveia/AL

A profissão docente e a práxis do Ensino de Geografia: reflexões a partir do estágio supervisionado em uma escola pública de Delmiro Gouveia/AL

Nesse contexto, permeia a discussão da precarização da profissão docente como um discurso de quem não compreende a importância destes sujeitos no cenário da educação brasileira sobre tudo alagoana (e particularmente do município de Delmiro Gouveia). Assim, o presente trabalho tem como objetivo fomentar a discussão acerca das temáticas da profissão docente e da práxis do ensino de geografia a fim de contribuir com reflexões para possíveis mudanças na prática de interesses mútuos e dinâmicos do espaço escolar e ainda expor a experiência do estágio supervisionado como período de formação dos conceitos e conteúdos apreendidos na academia e transmitidos pedagogicamente.
Mostrar mais

16 Ler mais

O desafio da sala de aula: percepções acerca do estágio supervisionado em regência de ensino de História

O desafio da sala de aula: percepções acerca do estágio supervisionado em regência de ensino de História

No tocante a iluminação, além da parte externa frontal, existia precariedade em alguns pontos da escola, neste caso o final do primeiro corredor direito e as três salas de aula em desuso, localizadas neste mesmo espaço, estando praticamente às escuras. A falta de iluminação nessa situação pode facilitar a prática de violências entre estudantes, que foram aliciados por grupos de criminosos. Um dos desafios nas escolas tem sido a adesão de estudantes às facções, que se espraiaram por todo o estado da Paraíba. Vale salientar que há apenas uma chave-geral na escola, não podendo desligar as lâmpadas internas das salas, o que provavelmente se configura num gasto de energia desnecessário. Esse fator demonstra uma falha na gestão do recurso energético, dada a falta de manutenção das instalações elétricas.
Mostrar mais

33 Ler mais

O lugar da cidadania na escola e na sala de aula: contributos da história e geografia de Portugal

O lugar da cidadania na escola e na sala de aula: contributos da história e geografia de Portugal

Os objetivos do estudo, realizado no âmbito do Mestrado em Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico (CEB) e de Português e História e Geografia de Portugal (HGP) no 2.º CEB, são: conhecer as conceções de futuros professores acerca da Educação para o Desenvolvimento (ED); reconhecer as perceções dos alunos acerca dos seus direitos e a igualdade de Género; e analisar a presença e grau de aprofundamento da ED nos Programas e Metas Curriculares de HGP e no manual escolar. Foram feitas entrevistas a um docente do 1.º CEB e a dois do 2.º e aplicaram-se questionários de natureza mista a 37 alunos do 5.º ano e de natureza quantitativa a 29 estudantes da formação inicial de professores. Analisaram-se o Programa de HGP, documentos orientadores da Educação e um manual escolar de HGP do 5.º ano do CEB. Os resultados mostram que os autores do manual de HGP relacionam pouco o passado com o presente, não potenciando esta disciplina para o trabalho em torno da cidadania. Verificou-se também que alunos do 5.º ano não dominam conceitos-chave como Igualdade de Género ou
Mostrar mais

12 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados