Top PDF Gerenciamento de resíduos sólidos em empresa de material de construção

Gerenciamento de resíduos sólidos em empresa de material de construção

Gerenciamento de resíduos sólidos em empresa de material de construção

Os resíduos da construção civil (RCC) representam um grave problema em muitas cidades brasileiras, problemas esses que podem ser causados pela disposição irregular desses resíduos levando a problemas de ordem estética, ambiental e de saúde pública, por outro lado, eles representam um problema que sobrecarrega os sistemas de limpeza pública. O trabalho teve como objetivo Colaborar com a disponibilização adequada dos resíduos gerados pela empresa de materiais de construção possibilitando a preservação ambiental local.Para concretização do trabalho foi realizado inicialmente um amplo levantamento bibliográfico, sendo encontrados estudos entre eles artigos, teses e manuais que auxiliaram de forma importante o desenvolvimento do trabalho. Além da revisão literária realizada sobre o tema “gerenciamento dos resíduos sólidos”,foi realizada uma análise sobre a legislaçãorelativa aos resíduos da construçãocivil bem como a descrição de uma metodologia que possa ser utilizada no gerenciamento dos resíduos sólidos. O gerenciamento de resíduos sólidos em material de construção relatado acima que pode de modo geral trazer benefícios para a humanidade, reduzindo os impactos causados no meio ambiente evitando o acumulo de lixo (resíduos sólidos) em lugares impróprios evitando as calamidades como enchentes e doenças, comuns em algumas cidades brasileiras. Além de melhorar a estética das lojas de material de construção e seu armazenamento, contribui também para a redução de danos financeiros nas empresas de material de construção evitando a quebra, troca e falta de mercadoria que afeta diretamente nas vendas da empresa (parte financeira).
Mostrar mais

36 Ler mais

Avaliação do gerenciamento de resíduos sólidos de empresa do setor florestal situado em três barras - SC

Avaliação do gerenciamento de resíduos sólidos de empresa do setor florestal situado em três barras - SC

Para a realização do transporte dos resíduos sólidos, é necessário que a empresa responsável pelo transporte deva ter credenciamento e licenciamento pelo órgão ambiental para realizar a operação bem como o motorista do veiculo esteja devidamente habilitado e treinado para movimentar e operar produtos perigosos. Este veículo deve ser um caminhão com, carroceria fechada ou coberta por lona ou outro material impermeável. Outro ponto a ser avaliado são os recipientes de transporte que deves estar com etiquetas em lugares visíveis com identificação do resíduo e sua classe conforme NBR 7.500/04.
Mostrar mais

49 Ler mais

Gestão e gerenciamento de resíduos da construção civil: a Política Nacional de Resíduos Sólidos em Barueri – SP

Gestão e gerenciamento de resíduos da construção civil: a Política Nacional de Resíduos Sólidos em Barueri – SP

Para atingir o primeiro objetivos específicos, a) identificar os parâmetros estabelecidos pela PNRS, utilizou-se a categoria Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, focando nos passos de implementação da PMGIRS como condição indispensável para um município alcançar o bem-estar e manter a saúde pública. Para atender o segundo objetivo específico, b) compreender o processo de gerenciamento, empregou a categoria Gestão e Gerenciamento do RCC em Barueri, procurou-se compreender a tratativa dispensada pela gestão municipal quanto ao RCC gerados no município pelo cidadão dos bairros, incluindo o comércio local e excluindo os condomínios residenciais, polos comerciais e industriais e empresa privada de prestação de serviço de recolhimento de RCC. No terceiro e último objetivo, c) avaliar se o processo está de acordo, está categorizado no item discussão, realizando um comparativo em busca de perceber a realidade do objetivo geral.
Mostrar mais

71 Ler mais

Gerenciamento de resíduos sólidos em uma empresa situada no município de Foz do Iguaçu/PR

Gerenciamento de resíduos sólidos em uma empresa situada no município de Foz do Iguaçu/PR

O local de acondicionamento externo é imprescindível, a fim de evitar proliferação de vetores, exalação de odores, além de evitar poluição visual, portanto, foi proposto utilizar um local adequado na divisa frontal do imóvel e construir o abrigo temporário para os resíduos. O abrigo para estocagem dos resíduos foi construído em alvenaria com paredes e piso impermeabilizados e material alisado lavável, além de ser fechado e dotado de dimensões suficientes para acondicionamento mínimo de 3 dias de geração de resíduos com empilhamento máximo de 1,20 metros, com ventilação correspondente mínima de 1/20 da área do piso e não inferior a 0,20 m², porta de acesso com abertura para fora, ponto de água próximo e sinalização (BRASIL, 2004).
Mostrar mais

38 Ler mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UMA EMPRESA DE CONFECÇÃO DE VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE TRÊS PASSOS/RS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UMA EMPRESA DE CONFECÇÃO DE VESTUÁRIO NO MUNICÍPIO DE TRÊS PASSOS/RS

É importante ressaltar que parte dos retalhos gerados no setor de corte, em média 50%, é doada para artesões do município de Três Passos e região para a confecção de diversos produtos, como tapetes, colchas, almofadas e cobertores, tornando-se uma fonte alternativa de geração de renda. O reaproveitamento dos retalhos de tecido pode constituir uma fonte de renda, pois é muito comum as empresas venderem este material (CORREIA et al., 2016). Os retalhos e as sobras provenientes da confecção do vestuário/artefatos têxteis podem ser aproveitados para outro fim, prolongando o ciclo deste resíduo (AVILA et al., 2018), pois o aproveitamento do tecido, que antes seria descartado, para confecção de novos produtos não interrompe o ciclo de vida do tecido, podendo ser novamente introduzido no mercado, para ser adquirido pela sociedade e gerar economia para a empresa (MESACASA, 2012).
Mostrar mais

13 Ler mais

Simbiose industrial como instrumento de gerenciamento de resíduos sólidos da construção civil

Simbiose industrial como instrumento de gerenciamento de resíduos sólidos da construção civil

XVI - resíduos sólidos: material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnicas ou economica mente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível; (…). Os resíduos sólidos nada mais são do que aquilo que produzimos como resultado da utilização de produtos colocados no mercado, tendo em vista que já esgotou sua finalidade ou não interessa mais o seu uso. São objetos descartados, em razão da atividade humana em sociedade, nos estados sólido, gasoso ou líquido. Há diversos métodos de processamento e tratamento do lixo e a opção por um ou pela combinação de dois ou mais deles dependerá da composição do lixo e da política desenvolvida pelas autoridades governamentais. 36 Os métodos existem, mas o que se observa é que o
Mostrar mais

103 Ler mais

Proposta de gerenciamento de resíduos sólidos de uma empresa comercializadora de insumos agropecuários

Proposta de gerenciamento de resíduos sólidos de uma empresa comercializadora de insumos agropecuários

As cinzas podem ser utilizadas no solo como corretivos do solo e fertilizante deste que não haja evidências que possam torná-lo impróprio para isso. A aplicação de cinza vegetal em plantios agrícolas apresenta-se como uma importante oportunidade de restituição de parte dos nutrientes removidos pelas culturas. A reciclagem das cinzas reduz a necessidade do uso de fertilizantes comerciais, contribuindo com a redução da acidificação do solo e aumento do suprimento de cálcio (ZIMMERMANN e FREY, 2002). Caso não seja possível a utilização como fertilizante e/ou corretivo do solo, a última opção a ser considerada é armazenar o material em big-bags e enviar para um aterro industrial de Classe II – Não-Inerte. 9.6.7 Lâmpadas Fluorescentes
Mostrar mais

92 Ler mais

Desenvolvimento de um modelo de gerenciamento compartilhado dos resíduos sólidos industriais no sistema de gestão ambiental da empresa

Desenvolvimento de um modelo de gerenciamento compartilhado dos resíduos sólidos industriais no sistema de gestão ambiental da empresa

c) Processo de espumação in-situ: este processo é utilizado para a fabricação de apoia cabeças para veículos. Também é a frio e composto por um carrossel com moldes que completa um ciclo a cada volta. O conjunto armadura e material de revestimento são posicionados dentro do molde juntamente com uma cânula para encaixe do bico injetor. Após a injeção de material através da cânula e o tempo de cura realizado, a peça pronta é colocada em uma esteira para resfriamento. A seguir a peça é inspecionada e embalada. Os resíduos de processo são os restos de espuma que escorrem da cânula durante o processo de cura e as peças não conforme rejeitadas. Estes resíduos são recolhidos posteriormente por varredura;
Mostrar mais

100 Ler mais

IMPLANTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS  SÓLIDOS EM UMA EMPRESA DE ENERGIA ELÉTRICA

IMPLANTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UMA EMPRESA DE ENERGIA ELÉTRICA

Na empresa de energia pesquisada não havia medidas adequadas para o destino temporário antes da coleta das lâmpadas que contem vapor metálico (lâmpadas fluorescentes), lâmpadas de descarga de gases, lâmpadas mistas e lâmpadas em geral. Quando o destino era para a parte externa da empresa era feito em caixas utilizadas para acondicionamento reutilizadas para acondicionar a remessa de lâmpadas que aguardavam a próxima coleta, já que como é muito grande o fluxo de lâmpadas quebradas todo mês destinados a coleta. Além disso, não havia local específico do tambor de plástico utilizado no armazenamento, os recipientes não eram revestidos com material que impedia a quebra das lâmpadas, como plástico bolha ou papelão. A responsabilidade do destino final das lâmpadas ficava a cargo da empresa recolhedora CETRIC, após essa etapa dada o resíduo a empresa pesquisada desconhecia o seu destino (Figura 7).
Mostrar mais

18 Ler mais

Gerenciamento dos resíduos sólidos em unidades de saúde da família

Gerenciamento dos resíduos sólidos em unidades de saúde da família

O presente estudo, de caráter descritivo-exploratório e abordagem quantitativa objetivou identificar as medidas realizadas nas unidades de saúde da família no município de Juazeiro do Norte, Ceará, para o gerenciamento dos resíduos sólidos. Rea- lizado no período de agosto a setembro de 2007, teve amostra de 47 enfermeiros coordenadores das unidades de saúde. Para coleta de dados utilizou-se entrevista aos enfermeiros e observação das unidades. Nenhuma unidade de saúde apresentava o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Saúde (PGRSS). Foram mencionados como dificuldades para o gerencia- mento dos resíduos: falta de capacitação dos recursos humanos; deficiência de material adequado; e ausência de coleta específica de perfuro-cortantes e resíduos contaminados. Embora pesquisas mais acuradas sejam necessárias, acredita-se ser necessário maior conhecimento sobre o tema pelos profissionais de saúde e gestores.
Mostrar mais

10 Ler mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: UMA REVISÃO DE MAPEAMENTO

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: UMA REVISÃO DE MAPEAMENTO

A lei 12.350/2010 classifica os resíduos sólidos quanto a sua origem. Dentre as classificações tem-se: Resíduos sólidos urbanos: gerados na vida cotidiana das residências e estabelecimentos comerciais, e os oriundos da limpeza pública; Resíduos sólidos industriais: aqueles oriundos das atividades industriais; Resíduos sólidos de serviço de saúde: produto não residual e não utilizável resultante de atividades exercidas por estabelecimentos prestadores de serviço de saúde, sendo classificados pela NBR 12.808/93.; Resíduos sólidos de construção civil: aqueles gerados nos reparos, reformas, construções e demolições de obras da construção civil, incluindo escavação e preparação de terrenos.
Mostrar mais

12 Ler mais

A Importância do Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde

A Importância do Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde

Vários estudos demonstram que muitos dos acidentes de trabalho com perfurocortantes ocorre no momento da disposição final dos resíduos, por isso acredita-se que o gerenciamento adequado dos resíduos pode contribuir para a redução de acidentes como também a exposição dos trabalhadores dos serviços de saúde a materiais biológicos (FERREIRA, 1995). Quando a inadequação do descarte de resíduos se junta à falta de informação sobre o risco potencial desse tipo de material, surgem casos como o que aconteceu em São José do Rio Preto, interior de São Paulo:
Mostrar mais

16 Ler mais

Gerenciamento dos resíduos sólidos em unidades de saúde da família

Gerenciamento dos resíduos sólidos em unidades de saúde da família

This is a descriptive and exploratory study with quantitative approach that aimed to identify the measures carried out in the health unities in Juazeiro do Norte, State of Ceará, for the management of solid waste. The research was carried out from August to September 2007 and it had samples of 47 nurses’ coordinators of the health sector. In order to collect data, it was used researches as interviews with nurses in addiction to the observation of the unities. No health unity was presented to the HSWMP (Health Solid Waste Management Plan). The following were mentioned as difficulties for the management of solid waste: lack of training of the human resources; deficiency of appropriate material and lack of specific collection of the con- taminated residues and sharp materials. Although more accurate researches are necessary, it is essential a wider knowledge of the subject by the health professionals and management staff.
Mostrar mais

10 Ler mais

Vista do GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE

Vista do GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE

Devem ser realizados, junto ao setor de recursos humanos, programas de capacitação, como parte integrante do Plano de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde. Os profissionais da equipe de enfermagem envolvidos no gerenciamento dos resíduos devem receber capacitação em sua admissão e treinamento continuado, o que caracteriza aspectos educacionais pertinentes ao processo global da construção de um gerenciamento eficaz. Neste contexto a avaliação é essencial, porque tem como finalidade o aprimoramento do aprendizado da equipe de enfermagem (3) .
Mostrar mais

16 Ler mais

Gestão de resíduos sólidos não convencionais: o caso do GERESOL - Centro de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Jundiaí – SP

Gestão de resíduos sólidos não convencionais: o caso do GERESOL - Centro de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Jundiaí – SP

O caso do Centro de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – GERESOL, implantado pela Prefeitura de Jundiaí – SP, apresenta soluções para destinação final de resíduos não convencionais, contribuindo com proposições de sistemas viáveis para sua gestão ambiental e empresarial. A disposição desses resíduos, tais como, entulhos da construção civil, madeiras, galhos de árvores, pneus e outros, no caso estudado, se mostrou viável econômica e ambientalmente, indicando um caminho para solução de problemas que se apresentam para Prefeituras, no atendimento de regulamentações legais vigentes, para a reciclagem ou destinação final cada vez mais difícil e custosa desse tipo de resíduo.
Mostrar mais

12 Ler mais

Gerenciamento sustentável de resíduos sólidos urbanos e rurais

Gerenciamento sustentável de resíduos sólidos urbanos e rurais

De acordo com a Lei Federal 12.305/2010 (BRASIL, 2010a), que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Art. 3º, Inciso XVI, define como resíduos sólidos: material, substância, objeto ou bem descartado, resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estado sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnicas economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível.
Mostrar mais

12 Ler mais

Estudo de cenários para o gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos de Curitiba.

Estudo de cenários para o gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos de Curitiba.

A técnica de cenários é uma ferramenta que tem sido utilizada no planejamento estratégico em diversas áreas e pode ser útil na gestão de resíduos sólidos em cidades, países e empresas. A possibilidade de se projetarem cenários futuros da geração de resíduos sólidos ur- banos pode contribuir para o planejamento e desenvolvimento de estratégias ótimas de gerenciamento (DASKALOPOULOS; BADR; PROBERT, 1998). Vários autores utilizam a técnica de cenários para projetar a geração de resíduos sólidos e sua influência no futuro. Sokka, Antikainen e Kauppi (2007) utilizaram dados sobre os RSU e o crescimento demográfico observado para projetar cenários até o ano 2020. De modo similar, Daskalopoulos, Badr e Probert (1998) e Adhikari, Barringt e Martinez (2006) utilizaram tendências históricas para construir cenários futuros da geração de RSU em cidades e paí- ses. A técnica de cenários consiste em um método disciplinado para se identificarem possíveis futuros como parte do processo de plane- jamento estratégico. Segundo Buarque (2003), para a construção dos cenários, parte-se de um modelo mental (teórico) que interpreta as variáveis centrais e as interações entre elas, reduzindo-se a comple- xidade da realidade. Um aspecto muito importante desta técnica é a coleta de informações, etapa que subsidia a formulação dos prin- cípios teóricos de interpretação do sistema em análise (CARIDADE; WRIGHT; SPERS, 2006).
Mostrar mais

8 Ler mais

Análise da eficiência do gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos no Brasil

Análise da eficiência do gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos no Brasil

A elaboração propriamente dita da pesquisa consiste na segunda etapa, que abrange a coleta e tratamento dos dados, bem como, a escolha do banco de dados utilizado; e a aplicação da abordagem DEA. A coleta de dados deu-se através da consulta a diversos órgãos envolvidos com a GRS no Brasil, como o Ministério do Meio Ambiente, IBAMA, entre outros, para constatar se havia a disponibilidade de dados que pudessem ser utilizados nesta pesquisa. Foi possível identificar somente um banco de dados cuja abrangência de informações poderia ser útil, consistindo do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento – Snis, disponibilizado pelo Ministério das Cidades (http://www.snis.gov.br/). O Snis tem como objetivo anualmente disponibilizar um documento chamado de “Diagnóstico Anual dos Resíduos Sólidos”, o mesmo vem sendo elaborado e publicado desde 2002, a última publicação do mesmo foi realizada em 2016. Conjuntamente com o Diagnóstico o Snis disponibiliza gratuitamente todas as tabelas utilizadas na confecção do material.
Mostrar mais

104 Ler mais

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE INFORMÁTICA DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE INFORMÁTICA DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

A universidade não possui a prática de doação de equipamentos obsoletos para projetos sociais ou entidades carentes. Entretanto, entendemos que seria uma solução viável, uma vez que equipamentos obsoletos ficam limitados em suportar softwares mais modernos e robustos dentro da universidade, e na ocasião da doação, poderia servir para contribuir com a inclusão digital de crianças e jovens que não tiveram a oportunidade de se iniciarem nos trabalhos que envolvem informática. Nesse contexto, podemos observar o exemplo da USP em estudo feito por Reidler (2012), no qual a instituição efetua a doação temporária de equipamentos obsoletos para ONG’s, com a condição de recolher posteriormente o material para dar destinação final adequada.
Mostrar mais

17 Ler mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS EM TOLEDO - PR

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS EM TOLEDO - PR

Somente, no final de década de 1980, o município define uma área para disposição final: no km 10, da rodovia PR – 317, estabelecia-se o lixão da cidade. Tal situação só se modificaria na década seguinte. Em 1994, inicia-se o processo de erradicação do lixão. Algumas medidas foram adotadas buscando transformar as novas células em um aterro controlado. Em 2002, novas modificações são realizadas para adequá-lo como aterro sanitário. Entretanto, esta regularização somente ocorre em 2005, com orientação do órgão estadual de fiscalização e licenciamento, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), após a constatação de problemas estruturais diversos, disposição inadequada de resíduos industriais e irregularidades na construção das lagoas de tratamento de chorume (TOLEDO, 2011). Enfatiza-se a seguir as condições atuais e as modificações recentes no aterro.
Mostrar mais

16 Ler mais

Show all 10000 documents...