Top PDF Gestão da qualidade e os benefícios para os serviços arquivísticos

Gestão da qualidade e os benefícios para os serviços arquivísticos

Gestão da qualidade e os benefícios para os serviços arquivísticos

A gestão da qualidade é fundamental em qualquer organização, pois se aplicada corretamente garante a eficácia e a eficiência. O objetivo principal desta pesquisa foi analisar a gestão da qualidade e os benefícios para os serviços arquivísticos, tendo em vista verificar os benefícios que a qualidade proporciona para a eficácia e a eficiência das atividades arquivísticas, apresentar as principais ferramentas da qualidade, bem como explicar as etapas de sua elaboração, e estabelecer pontos de relação entre gestão da qualidade e Arquivologia. A abordagem metodológica do estudo constitui-se de pesquisa bibliográfica, utilizando de análise de literaturas especificas na área da Administração e Arquivologia. Destacam-se as contribuições deste estudo, para as organizações que buscam melhoria contínua dos seus serviços informacionais e que pretendem definir estratégias voltadas para melhorar os processos e atender as necessidades dos usuários/clientes.
Mostrar mais

61 Ler mais

Análise dos benefícios da certificação dos sistemas de gestão da qualidade e ambiental nas empresas do estado de Pernambuco

Análise dos benefícios da certificação dos sistemas de gestão da qualidade e ambiental nas empresas do estado de Pernambuco

Fonseca et al. (2012) e Costa et al. (2014) categorizam os benefícios da norma em duas classes: externos 2 internos. Os benefícios externos estão associados: (1) melhoria da imagem da empresa, como ferramentas de marketing, (2) pressão dos concorrentes e parceiros estratégicos, (3) manter e aumentar a fatia de mercado, (4) cumprimento dos benefícios legais e das necessidades e (5) exigência dos clientes. Já os benefícios internos estão relacionados com: (1) melhoria da produtividade, (2) utilização dos princípios da gestão da qualidade total, (3) melhoria da qualidade do produto e /ou serviço, (4) aumentar a vantagem competitiva e (5) melhorar a eficiência do sistema de gestão da qualidade. Boiral (2012) salienta que estes benefícios proporcionam para as organizações uma redução nos custos operacionais, controle da qualidade, gestão de recursos humanos e otimização da comunicação interna e externa, além da satisfação do cliente, melhoria na qualidade da entrega, motivação do pessoal e redução de não conformidades.
Mostrar mais

93 Ler mais

Sistema de gestão da qualidade nas instituições particulares de solidariedade social, que benefícios?

Sistema de gestão da qualidade nas instituições particulares de solidariedade social, que benefícios?

No que concerne aos benefícios apontados pelas IPSS, estas consideraram a uniformização das metodologias e práticas da instituição como o maior benefício que o SGQ trouxe à instituição, seguido do envolvimento de todos os colaboradores no processo e a definição clara e inequívoca das responsabilidades. Os benefícios apontados vão de encontro aos vários autores já apontadas anteriormente, como por exemplo Saraiva & Teixeira (2010, p. 104), que refere a “(…) melhoria dos canais de comunicação entre as diferentes áreas da organização”, o que só é possível se todos os colaboradores se envolverem no processo. Também consideram que o SGQ promoveu uma melhoria da qualidade dos serviços prestados aos clientes e permitiu uma melhoria contínua, aprendizagem e inovação, bem como uma melhor orientação para os resultados. Estes últimos fatores apontados permitem transmitir confiança ao cliente de que as IPSS procuram alcançar a qualidade, como relatou Pires (2007). Os benefícios menos notados pelas IPSS, com SGQ implementado, foram a redução dos custos e esforço da gestão, obtenção do retorno do investimento efetuado com a implementação do SGQ e a redução da complexidade e burocracia, o que não se coaduna, por exemplo, com o que Saraiva & Teixeira (2010) referiram, nomeadamente o facto de as entidades conseguirem obter o retorno do investimento. Estes autores e Pires (2007), referem ainda a possibilidade de se obter uma melhoria contínua ao mínimo custo, no entanto, as IPSS referem que a redução dos custos não foi um benefício sentido.
Mostrar mais

100 Ler mais

Benefícios e dificuldades na adoção de um sistema de gestão da qualidade no Rio Grande do Norte

Benefícios e dificuldades na adoção de um sistema de gestão da qualidade no Rio Grande do Norte

Assumir vantagem competitiva ou satisfazer os clientes são razões que cada vez mais empresas buscam implementar um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ). Este traz benefícios como a melhoria nos processos, produtos e serviços; melhoria na imagem da empresa (marketing) e satisfação dos clientes. Como objetivo geral, este estudo irá avaliar os resultados obtidos na implementação do SGQ nas empresas certificadas na norma ISO 9001, constantes na base de dados do INMETRO, do estado do Rio Grande do Norte (RN). Para cumprir os objetivos, foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre o tema sistemas de gestão da qualidade e posteriormente, foi realizado um survey com os gestores das empresas certificadas no RN, com o uso de questionário disponibilizado online. Das 27 empresas que possuem o certificado no Rio Grande do Norte, 21 responderam o instrumento de coleta de dados. A análise dos dados foi realizada por meio das técnicas de estatística descritiva e multivariada: análise de cluster. O instrumento de pesquisa utilizado foi elaborado com 20 perguntas que abordam a temática central dessa dissertação. Através da análise de cluster foram encontrados quatro agrupamentos que possuíam similaridade referente as respostas do survey. Esta análise permitiu concluir que o SGQ impulsiona melhorias significativas nas organizações tais como: qualidade, na reputação da corporação e aumento de vendas. Por outro lado, identificou como principais dificuldades: disseminação da cultura da qualidade, falta de comprometimento de toda a organização e a resistência dos colaboradores.
Mostrar mais

118 Ler mais

Motivações e benefícios da certificação de sistemas de gestão de qualidade em organizações portuguesas

Motivações e benefícios da certificação de sistemas de gestão de qualidade em organizações portuguesas

No entanto, Juran (2007) propõe uma definição mais centrada no cliente. Segundo o autor, a qualidade consiste nas características de um produto/serviço que vão ao encontro das necessidades dos clientes e dessa forma proporcionam satisfação pelo consumo do produto. A importância que o cliente assume nas definições da qualidade é salientada por Ramos (2009: 17), que refere que o conceito de qualidade “esteve inicialmente associado ao produto em si, tendo-se tornado cada vez mais abrangente e direcionado para o cliente, um vez que é para o cliente e para a satisfação das suas necessidades, que a empresa atua e permanece no mercado”. Ainda na linha de definição de qualidade centrada no cliente, Garvin (1987) deu um contributo importante para o desenvolvimento do conceito da qualidade, sobretudo ao nível da sua abrangência. Segundo o autor, o conceito de qualidade pode ser perspetivado em oito dimensões, que correspondem aos fatores que os clientes consideram importantes quando adquirem um produto e/ou serviço. As oito dimensões são as seguintes:
Mostrar mais

69 Ler mais

OS BENEFÍCIOS E DIFICULDADES NA GESTÃO DA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

OS BENEFÍCIOS E DIFICULDADES NA GESTÃO DA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

A escola humanística de George Elton Mayo, ainda na década de 1930, surgiu como resposta à mecanização do trabalhador e pretendia melhorar as relações sociais e as condições do trabalho. Assim, foi com esses estudos, e para dar resposta ao modelo Taylorista, que se desenvolveram investigações sobre o ambiente de trabalho, tais como influência da luminosidade na produtividade, inserção de intervalos entre as jornadas, melhoria das condições do ambiente etc... Assim, podem-se atribuir a Mayo os primeiros estudos diretamente relacionados com o conceito de Qualidade de Vida no Trabalho (GUEDES, 2009).
Mostrar mais

17 Ler mais

Gerência e consultoria organizacional na perspectiva dos serviços arquivísticos

Gerência e consultoria organizacional na perspectiva dos serviços arquivísticos

perfil que apresente várias características necessárias para se obter um trabalho de qualidade. BERTI (2012) descreve esse perfil em cinco partes, a primeira ele relata que o consultor precisa ser multidisciplinar, pois o mesmo precisa ter o conhecimento de várias áreas relacionadas a gestão empresarial; depois ele sugere que o consultor precisa ser imparcial, ou seja, ele precisa ser um profissional ético, que não se deixa influenciar por motivos pessoais, amizades etc. Ele tem que atentar para os dados coletados no trabalho de consultoria e nada mais. O consultor precisa ser sistêmico, ou seja, deve estar sempre atentado a empresa como um todo, e não a determinado setor, pois o todo na maioria das vezes é sempre importante. Ele precisa ter o espírito de liderança, pois precisa estar preparado para liderar a equipe que irá executar a consultoria, ou seja, delegar as tarefas, de modo a ser realizada com sucesso. Por último, o consultor precisa ter a capacidade para combinar, obter conhecimentos e experiências no setor em que atuar, possuir habilidades, tais como: saber ouvir, dar opiniões, acatar idéias; o resultado de seu trabalho deve apresentar requisitos como: originalidade, viabilidade, autenticidade, clareza, sustentabilidade, velocidade e boa relação custo/benefício.
Mostrar mais

44 Ler mais

Avaliação da gestão dos serviços desportivos : qualidade, satisfação e valor

Avaliação da gestão dos serviços desportivos : qualidade, satisfação e valor

c) Resultados da Qualidade – mudanças físicas, socialização e valências. Os Resultados da Qualidade representam os resultados da acção do serviço e o que o cliente ganha com o serviço. De um modo geral, o desporto recreativo é consumido com vista a melhorar as capacidades físicas, obter satisfação, emoção e interagir socialmente. Um dos resultados observáveis do consumo de exercício físico, ou seja, um dos benefícios obtidos com o treino, é a melhoria das capacidades físicas, ou mudanças físicas. Outro possível resultado, são as experiências sociais positivas, que advêm do facto dos clientes terem estado com outras pessoas que partilham o mesmo gosto pelas actividades efectuadas. A socialização está associada com os resultados do pós-consumo, em oposição às interacções inter-clientes, que ocorrem durante o decorrer do serviço. Por fim, as valências referem-se também à avaliação pós-consumo, acerca de se o serviço foi bom ou mau, em relação a qualquer aspecto da experiência do serviço. Um cliente poderá ter uma boa imagem da qualidade do serviço mas se tiver um mau resultado face aos seus objectivos (perda de peso, sociabilização, etc.), ficará com uma má impressão final do resultado de serviço;
Mostrar mais

61 Ler mais

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE SERVIÇOS

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE SERVIÇOS

Vários pesquisadores têm estudado os benefícios da certificação ISO 9001. Boiral (2012), por exemplo, chegou à conclusão que a certificação nesta norma traz tanto benefícios internos como externos para as organizações. O autor identificou como benefícios internos o aumento no gerenciamento das operações, aumentando a produtividade e eficiência e reduzindo custos, melhorias nos processos, na qualidade dos produtos e a eficiência da empresa, principalmente no controle interno e comunicação. Já como benefícios externos à empresa, foi identificado que a certificação aumento o nível de satisfação dos clientes, diminui a quantidade de reclamações, promove melhorias nos relacionamentos com fornecedores e qualidade do material comprado, contribui com a imagem da empresa e aumenta seu market share. Já para Williams (2004), o pensamento é diferente. O autor considera como benefícios internos da implantação o aumento da qualidade no produto, redução do lead time, redução dos custos, melhoria no sistema de documentação e maior consciência de qualidade na organização.
Mostrar mais

30 Ler mais

Sistemas informatizados existentes em serviços arquivísticos governamentais da cidade do Salvador

Sistemas informatizados existentes em serviços arquivísticos governamentais da cidade do Salvador

Jardim (2003, p. 39) afirma que “As ações resultantes das decisões que constituem as políticas arquivísticas revestem-se, na maioria dos casos, de um caráter técnico-científico”. Por exemplo, “a demanda por um plano de classificação de documentos para ampliar a qualidade da gestão de um organismo governamental é um problema político”, já, ao se referir ao plano de classificação afirma que “é um recurso técnico científico, referido à teoria arquivística, cuja qualidade na concepção pode comprometer sua aplicabilidade técnica com graves conseqüências políticas”. Para Jardim, as “políticas arquivísticas existem para responder a problemas políticos do campo dos arquivos”. As demandas se tornam mais aparentes de acordo com as necessidades e os questionamentos existentes. A transformação proporciona a evolução das políticas arquivísticas, já que as necessidades atuais não são as mesmas de algumas décadas atrás, cabendo ao Estado acompanhá-las de modo a preservar os conteúdos informacionais arquivísticos. Jardim conclui ao dizer que “as dimensões política e técnica encontram-se, portanto, visceralmente associadas desde a concepção à execução das suas diversas facetas” (JARDIM, 2003, p. 39).
Mostrar mais

135 Ler mais

Gestão da qualidade em uma empresa de prestação de serviços: estudo de caso

Gestão da qualidade em uma empresa de prestação de serviços: estudo de caso

Para tanto é preciso determinar o local e a disposição de cada objeto, fazer perguntas o quê, quando, onde, como e por quê, para saber o que ajuda pessoas na realização de tarefas; livrar-se de armários, caixas e gavetas que tenham fechaduras e cadeados, pois tudo tem que está a vista; identificar o local dos objetos no seu lugar de trabalho, com utilização de gavetas específicas para objetos semelhantes e classificação de cartas, documentos e livros que se encontram misturados. Por fim, aprender a colocar no devido lugar cada objeto que for utilizado. Benefícios sentidos: ambientes limpos e agradáveis; locais de trabalho seguros para o funcionário e os visitantes; boa saúde para trabalhar e aproveitar a vida com a família e os amigos; eliminação dos desperdícios e satisfação em saber que colabora para o bem-estar de todos;
Mostrar mais

88 Ler mais

Sistemas de gestão da qualidade: a relevância da sua implementação em serviços públicos

Sistemas de gestão da qualidade: a relevância da sua implementação em serviços públicos

Segundo Moreira (2005), o que designamos como Estado Social está longe de ser um modelo único. Pelo contrário, tem diversas variantes, tantas como as suas diferentes origens. De comum, sobressai a ideia de que incumbe ao Estado assegurar um mínimo de protecção social a todos e velar pela coesão social. Para Moreira (id: ibid), o modelo social europeu não tem nacionalidade, sendo o produto de um grande número de contribuições, entre elas o modelo bismarckiano de segurança social e os direitos da Constituição de Weimar (1919), a escola pública, os serviços públicos municipais e as conquistas do Governo da Frente Popular, em França, o sistema nacional de saúde britânico, o estatuto do trabalhador italiano, o modelo escandinavo de protecção social e de imposto progressivo de rendimento, etc. Essas diferentes origens justificam também as diferenças mais ou menos profundas que o modelo social europeu revela de país para país. Contudo, e como o mostram vários países europeus, o modelo social não tem sido obstáculo nem para altos níveis de produtividade, nem para um elevado nível de desenvolvimento económico. Acrescenta ainda este autor que é possível diminuir os gastos públicos, sem afectar profundamente os sistemas de protecção social e os serviços públicos essenciais porque uma coisa é eliminar regalias injustificáveis, limitar os benefícios de quem menos precisa e reduzir o montante das prestações, ou fazer impender sobre os beneficiários o pagamento de uma contrapartida; outra coisa é eliminar essas prestações ou atacar o seu núcleo essencial.
Mostrar mais

82 Ler mais

IMPLANTANDO A GESTÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE

IMPLANTANDO A GESTÃO DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE

O presente trabalho aborda os principais conceitos da Gestão da Qualidade em Serviços e procurará apresentar a sua aplicação prática na área de saúde por intermédio do Tema: Implantando a Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde. A justificativa da escolha do tema reside na constatação de que, por maior que seja a boa vontade dos administradores Organizações de Saúde a implantação de um efetivo programa de Gestão da Qualidade em Serviços carece de pessoal devidamente habilitado e capacitado a aplicar as ferramentas necessárias à transformação de todo o ambiente hospitalar. O propósito do trabalho é apresentar de maneira bastante didática, todavia sob o ponto de vista totalmente prático, quais as principais ferramentas disponíveis na implantação da Gestão da Qualidade, desde o diagnóstico da organização, passando pelo mapeamento dos processos, abordando a importância do Planejamento Estratégico, enfatizando a necessidade de aplicação da Análise e Melhoria de Processos, tudo voltado a um quadro de colaboradores das Organizações de Saúde com pouca familiaridade com os principais fundamentos da Gestão da Qualidade, auxiliando-os na identificação das principais vantagens e benefícios de sua aplicação, a partir de uma visualização prática do seu emprego e efetividade. Este propósito será atingido a partir da revisão bibliográfica dos principais postulados acerca do tema, procurando, ao final, fazer um apanhado de boas práticas voltadas à implantação da Gestão da Qualidade em Serviços. O estudo demonstrou que não existe uma fórmula a ser seguida para a implantação da gestão pela qualidade e que, para cada negócio, em função das prioridades estabelecidas pelos stakeholders, é que serão determinadas as prioridades para a efetiva implantação, além dos passos a serem seguidos.
Mostrar mais

20 Ler mais

Benchmarking nos processos de gestão de qualidade entre dois serviços de hemmoterapia

Benchmarking nos processos de gestão de qualidade entre dois serviços de hemmoterapia

Santos, 1991 relata que na década de 40 surgiram no Brasil os primeiros Bancos de Sangue, localizados na cidade do Rio de Janeiro (1941 - Banco de Sangue ligado ao Hospital Fernandes Figueira, e em 1945 - Banco de Sangue da Prefeitura do Distrito Federal). Nessa época o comércio de sangue era prática comum e muito lucrativa para os recém criados Serviços de Hemoterapia, incluindo o serviço público. Desde que o uso do sangue e seus derivados se difundiu como recurso terapêutico, o sangue humano passou a ter valor de mercado, contrapondo a idéia de doação como ato de altruísmo, à de doação como fonte de lucro. O emprego crescente do sangue pela medicina e a falta de fiscalização dos serviços permitiam aos bancos de sangue privados um negócio lucrativo, onde compravam a baixo preço o sangue dos doadores e os revendiam aos hospitais, sem qualquer controle de qualidade e a preços muito mais altos. Essa prática incentivava doações indiscriminadas, em busca de remuneração. Na ausência de normas legais, os bancos de sangue funcionavam de acordo com as intenções de seus responsáveis, que podiam desejar manter instituições de prestígio ou meramente comerciais.
Mostrar mais

67 Ler mais

Gestão de serviços em salões de beleza: do diagnóstico à melhoria de qualidade

Gestão de serviços em salões de beleza: do diagnóstico à melhoria de qualidade

Acredita-se que o objetivo do artigo geral do artigo fora atingido na medida em que a utiliza- ção do instrumento NIEPIC possibilitou por meio de interações dentre os autores e os entrevista- dos (E1, E2 e E3) o levantamento, a discussão e a formação de consensos a respeito das principais fortalezas e fragilidades apresentadas pela rede de salões de beleza escolhida (objetivo específico um). Para contemplar o objetivo específico dois, optou-se primeiramente por estabelecer como prioridade os pontos: qualidade versus tempo de ciclo; conscientização dos profissionais sobre a complexidade do setor de serviços; consciência sobre a gestão ambiental; atuação a partir das in- formações que possui, mas não utiliza; inovação no setor; Controle de estoque de produtos reven- didos aos clientes. E, por fim realizar as sugestões de melhorias, objetivo específico três.
Mostrar mais

16 Ler mais

Gestão de informação para a qualidade de serviços: caso do PROINE/UFG

Gestão de informação para a qualidade de serviços: caso do PROINE/UFG

Esta pesquisa tem como objetivo conhecer como as empresas estudadas monitoram a informação visando a qualidade dos produtos e serviços oferecidos pela organi- zação como também identificar o perfil estratégico da informação das empresas incubadas pelo programa de incubação de empresas da Universidade Federal de Goiás. A integração das micro e pequenas empresas com a universidade, faz com que haja aproximação das três esferas, exemplificadas na Tríplice Hélice, além de promover a inovação e a competitividade. Para identificar o perfil gerencial estra- tégico utilizou-se o modelo de alinhamento estratégico da informação,proposto por Donald Marchand. O trabalho tem formato de estudo de caso. Foram estudadas dez empresas incubadas pelo programa de incubação, sendo três residentes, três não residentes e quatro graduadas. Conclui-se que a grande maioria das empresas prio- rizam até três estratégias, sendo a estratégia de criação de novas realidades a mais citada. Contudo foi percebido através das entrevistas feitas com os proprietários que exercem também o papel de gestor da empresa, que há uma preocupação em relação a aplicação desta estratégia, visto que lhes faltam recursos tecnológicos para que esta estratégia seja adotada eficazmente em sua gestão. A maior preocupação dos empresários diz respeito ao custo que esta estratégia demanda. Foi percebido também que a aplicabilidade da informação do setor das micro e pequenas empresas, ainda não é satisfatório, pois algumas empresas detêm a informação sobre a opinão dos cliente no setor da gerência, não repassando esta informação para toda a em- presa, fato que ajudaria num melhor atendimento às necessidades do cliente, visto que todos trabalham para que esse objetivo seja de fato alcançado. A interação universidade-empresa mostrou-se de modo satisfatório, os empresários afirmaram que a qualificação dos funcionários só é feita muitas vezes graças ao programa de incubação que lhes dão este suporte e de sua parceria com a universidade.
Mostrar mais

93 Ler mais

Sistema de gestão de qualidade para serviços TI na Universidade de Aveiro

Sistema de gestão de qualidade para serviços TI na Universidade de Aveiro

tácticas, tangíveis e políticas que resultem em serviços. No nível executivo, a responsabilidade é para com todo o processo, incluindo assegurar as funções de auditoria, que avaliem objectivos, controlo interno, o seu desenho e sua operacionalidade. As auditorias proporcionam resultados e recomendações à gestão de topo para que a organização beneficie de gestão inteligente e intencional. Garantias semelhantes ajudam os accionistas e outras partes interessadas a terem uma visão sobre como funciona a organização. A consciência por parte do executivo dos resultados garante que a aproximação da organização ao GRC está estabelecida ao mais alto nível, sendo as suas actividades compreendidas e usadas a todos os níveis.
Mostrar mais

149 Ler mais

Cliente mistério como ferramenta para melhoria da gestão da qualidade em serviços

Cliente mistério como ferramenta para melhoria da gestão da qualidade em serviços

Este é um tema de extrema importância visto que atingir a excelência na experiência do cliente nos serviços apresenta-se como um dos principais caminhos para criar vantagem competitiva de mercado e, para isso, muitos setores empresariais precisam investir em criar fortes relacionamentos com os clientes (Wiele, Hesselink, & Iwaarden, 2005). Por esta razão o objetivo principal deste trabalho foi comprovar a eficácia da aplicação do cliente mistério como ferramenta de melhoria à gestão através do estudo de caso em uma empresa de telecomunicações portuguesa – que por motivo de confidencialidade não foi explicitada – um dos setores de maior índice de reclamações no país. Pretendeu- se então encontrar pontos de falha no atendimento prestado ao cliente e assim foi desenvolvido um relatório de melhorias sugeridas à gestão e ao pessoal responsável pelos atendimentos no setor de telecomunicações, pois o elo inicial criado no atendimento ao cliente serve de base para as demais expectativas criadas pelo cliente em relação ao serviço prestado pela operadora.
Mostrar mais

78 Ler mais

A gestão da qualidade em serviços de informação: contribuição para uma base teórica

A gestão da qualidade em serviços de informação: contribuição para uma base teórica

Gestão da Qualidade — evolução das técnicas de administração empresarial — contém diferentes abordagens, dando origem a três escolas distintas: americana, japonesa e europeia. A primeira, liderada por Juran, sofre ainda influência do Taylorismo; a segunda é baseada nos princípios de Doming, em métodos estatísticos e sobretudo na valorização do ser humano; a terceira é calcada na norma ISO 9000, considerada atualmente como padrão de referência para a qualidade. Da mesma forma que as empresas estão buscando a qualidade de seus produtos e serviços, implantando uma gerência inovadora, empreendedora e competitiva, os serviços de informação devem adequar-se às novas perspectivas exigidas pelas empresas. Este trabalho, fruto de capítulo de tese em desenvolvimento, é revisão da literatura inicial sobre o assunto, destacando-se aplicabilidade nos serviços de informação da filosofia de Deming e de seus princípios conhecidos como os "14 pontos", esperando contribuir para a criação de uma base teórica nesse
Mostrar mais

9 Ler mais

Hotelaria hospitalar : um estudo sobre a gestão da qualidade dos serviços

Hotelaria hospitalar : um estudo sobre a gestão da qualidade dos serviços

Nessa questão os respondentes apontaram quais melhorias que podem ser realizadas dentro do Hospital. De acordo com o gráfico 10, o percentual de indivíduos que estão satisfeitos com os serviços prestados superou os 50%. Do total da amostra, 63% (124 respondentes) não consideram necessário fazer mudanças, pois estão plenamente satisfeitos. De acordo com o relato de uma delas, falando do atendimento do Hospital “veio muita gente para me atender, o hospital inteiro estava ao meu lado”, outro do sétimo andar, disse “se for tudo como é nesse quarto, não precisa melhorar nada”. Outro afirmou estar bem satisfeito, mas demonstrou preocupação quando disse “hoje em dia, não se pode parar, sempre deve-se fazer algo diferente, o importante é a evolução”. Nessa questão chamou atenção a resposta de uma pessoa, que disse “Não tenho conhecimento de algo melhor”, já outro que acredita não precisar mudar nada, e disse “tu não tá em casa, tu tá num hospital” Observou-se que o sétimo andar oferece um diferencial aos seus usuários. Ele é conhecido como sendo “andar vip”, pois nele, todos os apartamentos são individuais, e a decoração difere dos outros andares. Para 6% (12 respondentes) a limpeza do apartamento é superficial. Um respondente se mostrou surpreso com a pergunta e disse “agora que você perguntou, notei que tem sujeira”, e outro fez o seguinte comentário “elas “espanam” muito, passam só no meio e não limpam nos cantos, tem uma sujeira debaixo da cama que está ali há dois dias”, e ainda observou que o pano utilizado para limpar o chão estava sujo, e que para ela, estava associado à infecção hospitalar, tão temida em hospitais. Para 7% (14 respondentes) a alimentação pode ser melhor, tanto no sentido de elaboração de um cardápio, quanto na variedade dos itens oferecidos. Alguns sugeriram que deveria ter uma opção de fruta no café da manhã e mais
Mostrar mais

111 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados