Top PDF Gestão de frota numa distribuidora de energia elétrica

Gestão de frota numa distribuidora de energia elétrica

Gestão de frota numa distribuidora de energia elétrica

A logística tem sido um desafio. A gestão do transporte é um dos pontos que a gestão estratégica da logística precisa considerar, para a eficácia da empresa. O presente estudo tem por objetivos contribuir para que a gestão de frota seja vista como de importância fundamental para o desenvolvimento econômico da empresa partindo de uma gestão adequada da logística. Neste trabalho, apresenta-se a gestão de frota de uma Distribuidora de energia elétrica, situada no estado da Paraíba. Sua finalidade é expor a estrutura gerencial da organização no que diz respeito ao setor de transporte, demostrando os métodos operacionais que auxiliam a gestão, as formas controle utilizadas para um melhor gerenciamento da frota e as modalidades de manutenção, classificadas em corretiva, preventiva, operativa e de sinistro. O presente trabalho se caracteriza com uma pesquisa descritiva de caráter exploratório, qualitativa e um estudo de caso.
Mostrar mais

25 Ler mais

Diretrizes da gonança corporativa adotadas por uma distribuidora de energia elétrica na implementação da excelência da gestão

Diretrizes da gonança corporativa adotadas por uma distribuidora de energia elétrica na implementação da excelência da gestão

De acordo com o Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa do IBGC, a governança corporativa é um sistema em que as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, em que as boas práticas são convertidas em recomendações que alinham interesses para preservar e aperfeiçoar o valor das organizações e do relacionamento entre as partes interessadas. Os modelos de governança corporativa mundiais trazem características que envolvem desde a forma de financiamento, passando pelo controle e pela gestão, não existindo um modelo único e universal, e sim resultante da diversidade cultural e institucional das nações. A FNQ®, por sua vez, busca incentivar a implementação MEG® através do PNQ® que analisa entre os 23 itens de oito critérios de excelência, a governança corporativa, que é o primeiro item avaliado no item Liderança da implementação da excelência da gestão nos processos gerenciais. Nesse contexto, a presente pesquisa tem como objetivo geral analisar as diretrizes da governança corporativa e como suas práticas, devidamente avaliadas pelo PNQ®, contribuíram na implementação da excelência da gestão de uma distribuidora de energia elétrica. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa dos dados, realizada por meio de estudo de caso único na empresa Coelce. Para o alcance dos objetivos propostos na pesquisa foram aplicadas as etapas de pesquisa bibliográfica, que consistiu na revisão de literatura sobre o tema Governança Corporativa e Modelo de Excelência da Gestão; pesquisa documental em que foram consultadas as publicações técnicas da FNQ®, os relatórios de gestão e de avaliação do PNQ®, informações disponíveis nos websites do IBGC, da CVM, da FNQ ® e da Coelce; e pesquisa de campo em que os procedimentos de coleta foram as entrevistas com a Diretoria Executiva e a aplicação de questionários com um grupo de colaboradores da empresa. Os resultados da análise comparativa entre os modelos mundiais de governança e o modelo de governança corporativa da Coelce revelaram que a empresa mostrou maior proximidade com as características dos modelos alemão e latino- americano com aderência de 50% das 10 características catalogadas por Andrade e Rossetti (2012).Por meio da análise documental dos Relatórios de Avaliação do PNQ® foi possível constatar um avanço de 40% do total de 40 pontos do item de governança corporativa no período de 2008 a 2011. Pela pesquisa de campo, concluiu-se que a implementação da excelência da gestão na Coelce teve, nas diretrizes da governança corporativa, o apoio e a materialização de ações que contribuíram para melhorias na gestão organizacional.
Mostrar mais

150 Ler mais

Gestão estratégica do desempenho humano em uma distribuidora de energia elétrica no Brasil: um estudo avaliativo na percepção dos empregados

Gestão estratégica do desempenho humano em uma distribuidora de energia elétrica no Brasil: um estudo avaliativo na percepção dos empregados

Nos últimos anos, tem sido intensa a busca das organizações pela adoção de um modelo de gestão estratégia de desempenho, alinhado com as estratégias corporativas, de maneira a atender simultaneamente a todos os stakeholders. Esta pesquisa tem por objetivo principal investigar a percepção dos colaboradores e gestores acerca do novo modelo de gestão estratégica de desempenho humano adotado pela distribuidora de energia elétrica do Ceará em 2010, denominado Gestão de Rendimento (GR). Para tanto, considera uma avaliação de comportamentos e do alcance de resultados (metas) alinhados às estratégias do negócio. Desde a sua implantação, em 2010, esse modelo passou, automaticamente, a nortear todas as demais ações de gestão de pessoas da empresa, como recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento, remuneração e carreira. Esta pesquisa caracteriza-se como descritiva, trazendo em sua abordagem alguns elementos quantitativos. Como método de coleta de dados, foi utilizado um levantamento amostral (survey), por meio da aplicação de questionário enviado por e-mail. O universo da pesquisa ficou circunscrito à Companhia Energética do Ceará (Coelce); sua população compreendeu os empregados e gestores da empresa, totalizando 1.291 pessoas; e sua amostra foi estimada em 217 participantes, número correspondente ao de respondentes. De modo geral, pôde- se concluir que os pesquisados se consideram satisfeitos ou muito satisfeitos com o novo modelo de gestão estratégica de desempenho humano adotado pela Coelce em 2010. Com base nos resultados dos testes de comparação, observou-se que a fase de mapa estratégico foi a mais bem avaliada, com média significativamente maior que as das demais fases. Enquanto isso, as fases de aplicação e avaliação geral do GR assinalaram as menores médias, significativamente inferiores às das demais e estatisticamente iguais entre si.
Mostrar mais

111 Ler mais

Análise de ferramenta de monitoramento e mensuração de desempenho utilizada em uma distribuidora de energia elétrica na gestão estratégica de seus fornecedores de serviços terceirizados

Análise de ferramenta de monitoramento e mensuração de desempenho utilizada em uma distribuidora de energia elétrica na gestão estratégica de seus fornecedores de serviços terceirizados

O presente trabalho é resultado de um estudo de caso realizado na Companhia Energética do Ceará – COELCE e teve como objetivo analisar a ferramenta de monitoramento e mensuração de desempenho, denominada Prêmio Ínpar, utilizada na gestão estratégica de fornecedores de serviços terceirizados. Além da pesquisa documental e da vivência da pesquisadora na gestão dos serviços terceirizados da distribuidora de energia elétrica em questão, a revisão bibliográfica conduziu o estudo através da temática sobre terceirização, gestão do relacionamento com fornecedores, estratégia e alinhamento estratégico. A obtenção de resultados através deste estudo foi possível a partir de análises, considerando as similaridades e divergências presentes na literatura. Verificou-se que a ferramenta Ínpar, com indicadores de desempenho mensurados periodicamente visando à melhoria contínua, auxilia, portanto, no processo de gestão estratégica de fornecedores de serviços terceirizados da Coelce através do alinhamento estratégico entre os objetivos da empresa contratante e da empresa terceirizada. Além disso, o Ínpar foi apresentado e seus indicadores foram descritos, os aspectos da ferramenta que auxiliam o gerenciamento estratégico dos fornecedores de serviços terceirizados pela distribuidora foram relacionados de acordo com as perspectivas do Balanced Scorecard, os resultados obtidos nos indicadores em 2013 e 2014 foram analisados e, por fim, oportunidades de melhoria foram constatadas.
Mostrar mais

91 Ler mais

Os modelos de gestão de frota e suas vantagens competitivas - caso de estudo: BM Distribuidora de Bebidas Ltda.

Os modelos de gestão de frota e suas vantagens competitivas - caso de estudo: BM Distribuidora de Bebidas Ltda.

As práticas de gestão organizacional nos últimos anos apresentaram mudanças consideráveis as quais foram provocadas, em boa parte, pelos altos índices de competição atual e pela velocidade das mudanças do macroambiente econômico, político e social. Algumas dessas mudanças levaram as empresas a revisarem seus limites de atuação organizacional e reestruturarem seu modelo de gestão. Considerando este contexto de mudanças e re-ordenamento das fronteiras organizacionais, esta dissertação procura identificar quais são as vantagens competitivas dos modelos de gestão de frota própria e terceirizada. A questão chave desta dissertação é testada e analisada com base no contexto teórico da Vantagem Competitiva e da Economia dos Custos de Transação. Os pressupostos teóricos são analisados através de um caso empírico que permeia a utilização dos dois modelos aqui analisados. Os resultados obtidos indicam uma vertente com duas linhas distintas de gestão sob a logística de entrega: uma ligada às empresas que acompanharam o processo de mudança e hoje investem numa estrutura de gestão partilhada, com frota própria e terceirizada; e outra às empresas tradicionalistas que, em função de alguns paradigmas do passado, optaram por manter e gerir uma frota própria. A análise dos modelos de gestão aponta para as vantagens oferecidas por cada um e para uma contextualização do seu uso partilhado. Verifica-se que, na prática, o uso correto e eficaz da terceirização de frota tem uma relação direta com a correta interpretação das competências essenciais da empresa. Por fim, o maior interesse desta dissertação é entender de que forma os modelos de gestão de frota podem contribuir para a criação de vantagem competitiva das distribuidoras de bebidas e em que contexto cada um deles deve ser utilizado.
Mostrar mais

89 Ler mais

GESTÃO DE PROCESSOS E SEU IMPACTO NA RASTREABILIDADE       DOS MATERIAIS – ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA  DISTRIBUIDORA DE ENERGIA ELÉTRICA.

GESTÃO DE PROCESSOS E SEU IMPACTO NA RASTREABILIDADE DOS MATERIAIS – ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA ELÉTRICA.

Com base neste contexto, pode-se constatar o grau de importância para as concessionárias de energia elétrica em manter o gerenciamento e a rastreabilidade dos materiais ao longo dos processos até a aplicação final nas redes de distribuição. Isso evitará a falta de materiais e aumentará a agilidade de instalação destes sem comprometer o fornecimento de energia aos seus consumidores, evitando assim penalidades que venham impactar nos resultados da companhia ou na queda de desempenho dos indicadores de prestação do serviço adequado.
Mostrar mais

20 Ler mais

Modelo de Avaliação Para Excelência da Gestão da Manutenção de Uma Distribuidora de Energia Elétrica

Modelo de Avaliação Para Excelência da Gestão da Manutenção de Uma Distribuidora de Energia Elétrica

como examinador do Prêmio de Qualidade e Gestão Pernambuco – PQGP, promovido pelo Programa Pernambucano da Qualidade – Propeq, e durante a vida profissional na Celpe, como engenheiro eletricista, exercendo atividades em diversos departamentos, especialmente na Unidade de Planejamento Estratégico e Controle de Gestão e, por último, no Departamento de Engenharia e Manutenção do Sistema Elétrico. No exercício das funções nesses setores foi possível contribuir na elaboração das estratégias e planos empresariais, elaboração do relatório de gestão com base nos critérios de excelência para a participação da Celpe nos prêmios Abradee, PQGP e PNQ, bem como contribuir para o aperfeiçoamento do planejamento das ações de manutenção do sistema elétrico. Portanto, este trabalho veio trazer uma oportunidade de sistematização e aperfeiçoamento do emprego dos critérios de excelência na avaliação da gestão da manutenção do sistema elétrico, mediante o desenho de um modelo que venha a contribuir com o desenvolvimento do sistema de gestão da manutenção.
Mostrar mais

132 Ler mais

Maturidade em Gestão de Projetos em Distribuidora de Energia Elétrica

Maturidade em Gestão de Projetos em Distribuidora de Energia Elétrica

Já por razões de a empresa pesquisada ha- ver implantado a gestão formal de projetos há três anos, não foi possível obter informações so- bre um período mais longo de práticas consoli- dadas. Assim, desde o início tornou-se inviável estimar a evolução do nível de maturidade em gestão de projetos e suas relações com os de- mais elementos do modelo conceitual original; ou seja, realizou-se uma verificação predomi- nantemente de corte transversal, mas, dado que os elementos de um modelo causal têm tempos variados de maturação, os resultados reporta- dos talvez não reflitam plenamente a realidade. Por fim, outro fator que contribuiu para um restrito aproveitamento dos dados foi a di- vergência entre os modelos de maturidade uti- lizados na pesquisa e na empresa. Enquanto a pesquisa empírica fez uso do MMGP, todo o alinhamento da empresa ocorreu conforme o OPM3. Apesar de ambos tratarem de maturida- de em gestão de projetos, o cruzamento de algu- mas informações tornou-se inviável, tanto por estimarem a maturidade da empresa de formas diferentes, quanto por o fazerem abordando di- mensões distintas.
Mostrar mais

13 Ler mais

A visão da engenharia de resiliênca sob o trabalho de operadores de sala de controle em uma distribuidora de energia elétrica

A visão da engenharia de resiliênca sob o trabalho de operadores de sala de controle em uma distribuidora de energia elétrica

Resumo: A variabilidade e complexidade do trabalho na distribuição de energia elétrica atribui às equipes envolvidas (operadores e eletricistas, por exemplo) o desenvolvimento de habilidades de resiliência (HR). A engenharia de resiliência é apresentada como um paradigma para gestão da segurança em sistemas complexos, o qual procurar medir, avaliar e melhorar a resiliência de um sistema. O presente estudo teve como objetivos: identificar HR dos operadores, fatores para compor cenários de treinamento, ações de re-projeto do sistema sócio-técnico e características de interação entre operador e eletricista. Entrevistas, observação em campo e análise de documentos foram os instrumentos utilizados para coletada de dados. Ao todo foram identificadas: 15 categorias de HR, 12 fatores e 16 ações de re-projeto do sistema. A análise da interação operador-eletricista constatou relação em 11 HR dos operadores, 9 fatores para operadores e 5 fatores para eletricistas. Tal resultado reforça a importância do desenvolvimento de cenários de treinamento que integrem a ação do operador e do eletricista.
Mostrar mais

24 Ler mais

Gestão da terceirização no setor brasileiro de distribuição de energia elétrica.

Gestão da terceirização no setor brasileiro de distribuição de energia elétrica.

A expansão da capacidade técnico-gerencial das distri- buidoras, proposta nesse estudo, pode ser verificada ao analisar as mudanças na estrutura organizacional. Na X Distribuidora, a coordenação dos serviços terceirizados está sob a responsabilidade dos diversos gestores que fazem o acompanhamento diário da execução dos serviços tercei- rizados e, por conseguinte, da qualidade desses serviços. Para realizar esse acompanhamento operacional, os gestores fazem uso das ferramentas de gestão que estão sob a respon- sabilidade do DREP, criado para funcionar como a principal interface entre as empresas terceirizadas e a distribuidora. Na Z Distribuidora, essa expansão da capacidade técnico-gerencial envolve dois departamentos: o DEC, onde ocorre a explicitação das partes técnicas do serviço que serão incorporadas no contrato, e o DGC, que, após o processo de contratação, inicia a gestão dos contratos com a aplicação de checklists e de uma sistemática de ava- liação, com o objetivo de fazer as terceirizadas cumprirem as exigências estipuladas em contrato.
Mostrar mais

14 Ler mais

ESFORÇOS DE MARKETING DE RELACIONAMENTO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA ELÉTRICA: ESTUDO DE CASO AES ELETROPAULO

ESFORÇOS DE MARKETING DE RELACIONAMENTO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA ELÉTRICA: ESTUDO DE CASO AES ELETROPAULO

socioeconômica que se instalou nos países desenvolvidos e sub-desenvolvidos a partir dos anos 70 e da ascensão das idéias neoliberais. Nesta vertente, a privatização de empresas públicas foi empregada amplamente para reduzir o tamanho do aparelho burocrático do Estado, bem como limitar seu grau de intervenção na economia. Yocom e Helms (2001) evidenciam outros fatores associados que impulsionaram a reestruturação do setor como a necessidade de reduzir os altos preços da energia em alguns segmentos do mercado; a busca pela melhoria da eficiência das concessionárias e do aprimoramento da qualidade dos serviços e das inovações tecnológicas; e a onipotência de um mercado global e competitivo. No que diz respeito à necessidade de redução do preço da energia, Newberry (1999, p. 128) argumenta que além dos ganhos adicionais de eficiência é mais fácil sustentar uma precificação eficiente do preço da energia sob um empreendimento privado em face às pressões políticas e da sociedade. Por outro lado, apesar de vários estudiosos ao redor do mundo terem contestado amplamente os processos de privatização, algumas pesquisas mostram evidências de potenciais ganhos de eficiência. Dentre os vários benefícios da privatização pregados pelos teóricos do assunto, estão o levantamento de fundos e a redução de empréstimos para melhoria da gestão fiscal e macroeconômica de uma nação; o aumento da eficiência para o nível do empreendimento privado; a redução da burocracia e interferência do governo no dia-a-dia do empreendimento; uma maior participação da iniciativa privada; a criação de competição no mercado; e a promoção da disciplina no mercado (GOMES, 2001).
Mostrar mais

227 Ler mais

Gestão da qualidade aplicada no processo de poda de árvores em uma distribuidora de energia

Gestão da qualidade aplicada no processo de poda de árvores em uma distribuidora de energia

A exigência por distribuir energia com alta qualidade e de forma ininterrupta aos clientes aumenta cada vez mais conforme o tempo passa. A modalidade prevalecente de rede de distribuição (RD) de média tensão no estado do Maranhão é a rede aérea convencional, cujo tipo é o mais vulnerável existente, pois seus condutores não possuem nenhuma proteção, ficando expostos às intempéries. Um grande problema para as concessionárias de energia é a interação entre as árvores e os condutores da RD. A vegetação causa interrupção no fornecimento de energia elétrica ao entrar em contato com o condutor nu energizado, impactando negativamente os indicadores coletivos de continuidade de distribuição de energia. Árvore na rede foi a causa que gerou mais desenergizações na RD do estado do Maranhão nos anos de 2016 e 2017. Neste contexto, melhorar o processo de poda de árvores da Companhia Energética do Maranhão (CEMAR) é condição sine qua non para a evolução dos indicadores coletivos de continuidade de distribuição de energia do estado. A ferramenta de qualidade PDCA e o Estudo de Tempos, Movimentos e Métodos foram aplicados a fim de melhorar a eficiência do serviço de poda da CEMAR. Além disso, verificou-se o método correto de execução do serviço de poda, consultando a NBR 16246-1 e as boas práticas adotadas por outras distribuidoras de energia. Foram ministrados treinamentos às equipes de poda e estabeleceu-se diretrizes a serem seguidas. Como o Maranhão é um estado de rica flora, estabeleceu-se uma tabela com todos os possíveis tipos de podas a serem aplicadas na manutenção da RD da CEMAR, de acordo com a natureza de cada espécie de vegetação. Foi desenvolvido um método de denominação e identificação dos tipos de podas através de uma codificação de três dígitos. Como resultado desse trabalho, conseguiu-se reduzir 43,76 % do tempo total do serviço de poda tipo AML, além de diminuir também o tempo ocioso médio da equipe. Os podadores passaram a ter conhecimento sobre a maneira correta da execução das podas e a contribuir melhor para a obtenção dos resultados.
Mostrar mais

133 Ler mais

Repositório Institucional UFC: Estilos de aprendizagem e grupos geracionais: um estudo de caso numa distribuidora de energia elétrica

Repositório Institucional UFC: Estilos de aprendizagem e grupos geracionais: um estudo de caso numa distribuidora de energia elétrica

Para Gil (2006, p.17) “Gestão de pessoas é a função gerencial que visa à cooperação das pessoas que atuam nas organizações para o alcance dos objetivos tanto organizacionais quanto individuais”, sendo assim uma questão primordial para as organizações obterem sucesso na gestão de pessoas, envolve uma adequação da gestão da diversidade do seu quadro funcional, ou seja, buscar entender os diferentes valores, pontos fortes e pontos fracos de cada grupo geracional, pois, para atender as demandas exteriores é necessário possuir um quadro de pessoal treinado, motivado e que busque os mesmos objetivos organizacionais.
Mostrar mais

74 Ler mais

Publicações do PESC Estudo de Um Modelo de Resposta à Demanda pela Ótica de Uma Distribuidora de Energia Elétrica no Brasil

Publicações do PESC Estudo de Um Modelo de Resposta à Demanda pela Ótica de Uma Distribuidora de Energia Elétrica no Brasil

de energia do consumidor residencial. O mecanismo da precificação dinâmica (por kWh) foi desenvolvido para integrar as flutuações dos preços da eletricidade, o carregamento da rede de distribuição e as tarifas fixas. A gestão de energia baseada em agentes via simulação de sinais de preço dinâmicos define preferências do consumidor e as condições climáticas externas. HEMS integra sinais de partes externas e pode ser benéfico para todas as partes, ou seja, distribuidor, operador de sistema e do gerador de energia. CHAKRABORTY et al. [115] introduzem um método de evolução quântica avançada, incluindo geração eólica e geração fotovoltaica como fontes de geração de energia renovável. Os geradores térmicos estão incluídos neste modelo para proporcionar a quantidade máxima de energia para atender à demanda dos consumidores. Essa integração introduz incertezas no sistema que são abordados por formulações à base de lógica difusa. A carga exigida, velocidade do vento, radiação solar, e veículos elétricos envolvidos são tomadas sob formulações difusas. Um algoritmo evolutivo quântico inteligente inspirado (IQEA) é proposto e aplicado neste modelo para executar a operação de programação econômica inteligente sobre o despacho. Ele oferece excelente programação de recursos operacionais, reduzindo o custo de produção e emissão de gases poluentes ao meio ambiente.
Mostrar mais

109 Ler mais

Desenvolvimento do modelo econômico TAROT estocástico para análise econômica de uma distribuidora de energia elétrica regulada.

Desenvolvimento do modelo econômico TAROT estocástico para análise econômica de uma distribuidora de energia elétrica regulada.

Fica claro, que os problemas decorrentes das variabilidades dos níveis hi- drológicos e da economia tiveram impacto direto na vida dos consumidores finais. Na tentativa de reestabelecimento do equilíbrio houveram uma série reajustes tari- fários. Portanto, uma falha estratégica na gestão do setor pode acarretar em au- mento na tarifa. Mesmo o Brasil sendo um país com alto potencial energético e mesmo com os investimentos tecnológicos de eficientização do setor, a tarifa do consumidor só aumentou nos últimos anos. Além disso, os consumidores, e toda a economia nacional, sofreram também com as campanhas de racionamento do consumo de energia elétrica como medidas necessárias para reestabelecimento dos níveis hidrológicos.
Mostrar mais

127 Ler mais

Habilidades de resiliência em distribuidora de energia elétrica: recrutamento, seleção e treinamento de eletricistas e operadores do centro de operações da distribuição

Habilidades de resiliência em distribuidora de energia elétrica: recrutamento, seleção e treinamento de eletricistas e operadores do centro de operações da distribuição

Estudos apontam que a Engenharia de Resiliência (ER) possibilita uma nova forma de abordagem para a segurança e a gestão de riscos, uma vez que foca na habilidade de uma organização ajustar a operação diante de adversidades, enquanto as abordagens convencionais tratam o tema com uma visão retrospectiva e de análise de riscos probabilísticos (HOLLNAGEL, 2003; ALLEMAND, 2009). Dentre as abordagens existentes sobre resiliência, destaca-se Woods (2015), no contexto da ER, apresenta quatro dimensões da resiliência: (i) superar um trauma e retornar ao equilíbrio; (ii) sinônimo de robusto, com foco em absorver perturbações; (iii) capacidade de adaptação diante da surpresa; e (iv) arquitetura de rede que pode sustentar a habilidade de adaptação e evolui para superar surpresas de condições futuras.
Mostrar mais

25 Ler mais

Impactos da precificação interna do carbono em uma distribuidora de energia elétrica brasileira no resultado econômico e na tarifa de energia elétrica: estudo de caso Coelba

Impactos da precificação interna do carbono em uma distribuidora de energia elétrica brasileira no resultado econômico e na tarifa de energia elétrica: estudo de caso Coelba

Para a construção do inventário de GEE da Coelba, também foram utilizados dados secundários da Coelba, referente ao período de 2014 a 2017. Através de documentos institucionais, como o relatório de sustentabilidade e relatório de administração, foram levantadas informações públicas como quantidade de combustível utilizada na frota, quantidade de energia distribuída, quantidade de energia perdida, entre outras informações. Os dados primários foram obtidos através de relatórios extraídos do sistema gerencial adotado pela empresa (SAP-R3), além de planilhas de registros e controles operacionais disponibilizados por funcionários de diversas áreas da empresa, como Administração, Gestão de Pessoas, Meio Ambiente, Suprimento, Mercado e Recuperação de Perdas, Planejamento e Controle, entre outras. Durante o período de construção do inventário a empresa disponibilizou a maior parte dos dados necessários. Ressalta-se que áreas de outras empresas do Grupo Neoenergia também foram envolvidas, como por exemplo, a área de Meio Ambiente da Celpe que possuía controles mais estruturados que os da Coelba e pode contribuir no levantamento e estruturação das informações.
Mostrar mais

237 Ler mais

MATHEUS MARQUES DE SOUSA FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA IMPLANTAÇÃO DO MEG ® EM UMA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA ELÉTRICA

MATHEUS MARQUES DE SOUSA FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA IMPLANTAÇÃO DO MEG ® EM UMA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA ELÉTRICA

h) geração de valor (Check): alcance de resultados econômicos, sociais e ambientais, bem como de resultados dos processos que os potencializam, em níveis de excelência e que atendam às necessidades e expectativas das partes interessadas. O processo de avaliação inicia-se quando a organização inscreve-se no prêmio e abre a oportunidade de ser avaliada e de receber feedback sobre a sua gestão. Antes, a fundação pedia que os inscritos elaborassem um Relato Organizacional descrevendo suas práticas e sua estrutura. Na 21ª edição, a FNQ solicita que seja feito uma descrição do Perfil Organizacional, o envio dos resultados das organizações e que estas empresas auto avaliem seus processos de acordo com os Fundamentos e Temas dentro de um ciclo PDCL propostos por ela.
Mostrar mais

64 Ler mais

Mobilidade Tecnológica nas Organizações: um Estudo de Caso realizado em uma Distribuidora de Energia Elétrica na Cidade de Patos - PB

Mobilidade Tecnológica nas Organizações: um Estudo de Caso realizado em uma Distribuidora de Energia Elétrica na Cidade de Patos - PB

No ano de 2013, a empresa estudada implantou dois novos sistemas de TI que foram o GIS (Geoogaphi information system) e SGM (Sistema de Gerenciamento da Manutenção), que são novas ferramentas para otimizar o seu processo de inspeção, manutenção e construção da rede elétrica. Uma das principais características desses sistemas é o uso da mobilidade utilizada por meio de tablets um computador de dimensões reduzidas mas dotado de grande capacidade computacional, cumprindo as funções de agenda e sistema de automação de escritório elementar, com possibilidade de interconexão com um computador pessoal e uma rede informática sem fios Wi-Fi.; para acesso aos sistemas SMGMA (Sistema Móvel de Gestão de Manutenção de Ativos) e SMGPO (Sistema Móvel de Gestão de Projetos e Obras).
Mostrar mais

27 Ler mais

Sistema de informação gerencial como ferramenta para tomada de decisão: um estudo de caso em uma distribuidora de energia elétrica do nordeste brasileiro

Sistema de informação gerencial como ferramenta para tomada de decisão: um estudo de caso em uma distribuidora de energia elétrica do nordeste brasileiro

Desta maneira, percebeu-se que os gestores consideram a utilização do sistema de informação gerencial relevante, uma vez que a empresa toma decisão como base nas informações geradas pelo SIG. Nota-se ainda que a empresa busca se aprimorar a cada dia, proporcionando um cenário de satisfação dos seus clientes e equilíbrio no controle de seus orçamentos, o que tem lhe rendido até mesmo premiações recentes quanto à qualidade de gestão e eficiência perante órgãos de gestão e regulação. Assim sendo, o uso do SIG é um ponto positivo para a empresa, visto que é o principal contribuinte na confecção de relatórios gerenciais, que são usados, conforme indicado pelos gestores, para posteriores tomadas de decisões.
Mostrar mais

17 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados