Top PDF Gestão da disponibilidade em ativos físicos para uma linha de produção com três turnos

Gestão da disponibilidade em ativos físicos para uma linha de produção com três turnos

Gestão da disponibilidade em ativos físicos para uma linha de produção com três turnos

A linha estudada possui seis operações em série trabalhando em três turnos, com equipamentos de alta tecnologia e grande porte com elevado grau de complexidade técnica utilizando-se de hidráulica proporcional, eletrônica embarcada e de potência, com sistema operacional de grande porte (aproximadamente 160 sinais de entrada para o controlador lógico programável CLP em cada operação). O mix de produção conta com quarenta e oito produtos diferentes que são transportados por robôs durante seu processo produtivo. A mão de obra utilizada no processo é, um técnico de linha direcionado a manter o sistema operacional em funcionamento, quatro operadores no final da linha para embalagem, e um responsável por inspecionar a qualidade, mais uma equipe de suporte com profissionais de manutenção.
Mostrar mais

26 Ler mais

Proposta de modelo para controle e manutenção de ativos físicos da produção, em uma planta industrial

Proposta de modelo para controle e manutenção de ativos físicos da produção, em uma planta industrial

Para sobreviver no competitivo panorama global dos negócios, as empresas precisam manter o foco em seus resultados finais. Isso significa que precisam aumentar a receita, mas também diminuir os custos operacionais. As diretrizes para gestão de ativos empresariais é um dos meios mais eficazes para as empresas com muitos ativos. Essa importante ferramenta, tem o objetivo de implementar estratégias que otimizam a capacidade dos equipamentos, aumentam a produtividade, diminuem os custos de manutenção e melhoram a conformidade com a segurança e as regulamentações. A base teórica deste trabalho demonstra atividades, técnicas e ferramentas mais utilizadas no departamento de manutenção. Infelizmente para leigos e muitos profissionais, estes conceitos são desconhecidos, trazendo consequências graves para o setor produtivo que de uma forma direta ou indireta afetam a disponibilidade dos equipamentos de uma empresa, como o aumento dos custos operacionais e de manutenção. Este estudo apresenta uma proposta de modelo, para controle e manutenção de ativos físicos da produção em uma planta industrial, onde busca padronizar as formas de atuação, das técnicas e atividades.
Mostrar mais

95 Ler mais

Auditoria da terceira fase da pirâmide estrutural de gestão de ativos físicos baseada na PAS 55

Auditoria da terceira fase da pirâmide estrutural de gestão de ativos físicos baseada na PAS 55

Devido à competitividade entre empresas, o ato de pensar e agir estrategicamente em todas as áreas produtivas é praticamente inevitável, incluindo desta forma a manutenção. Cada vez mais as indústrias procuram reduzir custos, tempo de produção, melhorar a segurança de trabalho e poluir de forma menos intensa a natureza. As certificações também afetam estas ações das empresas, possuir certificados como ISO e OHSAS significam que a empresa esta seguindo uma linha de raciocínio onde a melhoria contínua é constante, as falhas são identificadas, planos de ação são criados e monitorados, a manutenção da norma é realizada, além da questão de marketing que cada certificação demonstra ao mercado (KARDEC e RIBEIRO, 2002).
Mostrar mais

81 Ler mais

Melhoria da disponibilidade de uma linha de produção através da metodologia TPM

Melhoria da disponibilidade de uma linha de produção através da metodologia TPM

A palavra Lean tem origem no Toyota Production System (TPS) e foi inicialmente desenvolvida pelos japoneses para que estes pudessem competir com os líderes do mercado, os fabricantes americanos, através da eliminação do desperdício existente na produção. Desde então, o Lean tornou-se uma filosofia de gestão reconhecida internacionalmente cuja finalidade é melhorar a eficiência dos processos produtivos (Syltevik, Karamperidis, Antony, & Taheri, 2018). O Lean Maintenance (LM) é considerado como a melhor prática para melhorar os processos dentro da manutenção através da adoção de princípios Lean nas atividades de manutenção (Ebeid, El-Khouly, & El-Sayed, 2016). Existem diversas ferramentas Lean que podem ser aplicadas na área da manutenção, contudo apenas serão abordadas as ferramentas utilizadas ao longo do projeto: o ciclo PDCA, os 5 porquês, 5W2H e a gestão visual.
Mostrar mais

123 Ler mais

Estruturação para auditoria com o primeiro estágio da pirâmide de gestão dos ativos físicos: SGM

Estruturação para auditoria com o primeiro estágio da pirâmide de gestão dos ativos físicos: SGM

Segundo Paladini (2000, p. 36), “A Missão da Manutenção é: garantir a disponibilidade da função dos equipamentos e instalações de modo a atender a um processo de produção ou de serviço. Com confiabilidade, segurança, preservação do meio ambiente e custos adequados”. A manutenção deve ser organizada de tal maneira que os equipamentos ou sistemas só parem de produzir quando planejado, programado ou por uma decisão gerancial estratégica. Pois quandoo equipamento pára de produzir por si próprio, sem uma definição gerencial, configura-se a ocorrencia de manutenção não planejada, ou mesmo de um fracasso da atividade de gestão do setor de manutenção. O gerenciamento estratégico das atividades de manutenção bem como dos ativos contidos nesse setor consistem em ter a equipe atuando para evitar que ocorram falhas, e não manter o time de manutentores atuando como bombeiros.
Mostrar mais

84 Ler mais

Gestão industrial: aplicação de TPM em uma linha de produção do segmento alimentício

Gestão industrial: aplicação de TPM em uma linha de produção do segmento alimentício

Dentre as ações que devem ser tomadas pelos operadores e mantenedores da organização está o conjunto de rotinas de limpeza, lubrificação e verificação das peças dos equipamentos, que visam a inibição de falhas nos mesmos. Esta prática permite aos colaboradores envolvidos e especializados nas manutenções complexas, que se concentrem nas atividades mais sofisticadas, uma vez que as rotinas básicas preventivas são realizadas pelos próprios operadores dos equipamentos, colaborando com a disponibilidade e desempenho do equipamento (YAMAGUCHI, 2005). Pois segundo Ohno (1997), o valor do equipamento deve ser determinado pelo seu poder de ganho, ou seja, pelo seu rendimento e não pelo tempo de uso ou idade. Assim, ressalta a importância de uma eficiente manutenção.
Mostrar mais

79 Ler mais

Gestão integrada de ativos num contexto real

Gestão integrada de ativos num contexto real

Segundo o mesmo autor, uma estratégia de outsourcing tem como finalidade a otimização dos custos e a focalização do esforço financeiro e de gestão das estruturas próprias da empresa nas suas áreas de valor acrescentado. No caso da manutenção dos equipamentos, tal política permitirá melhorar globalmente os custos de manutenção, através da racionalização do diagrama de cargas do trabalho de manutenção e evitar a necessidade de manter internamente pessoal com elevada qualificação técnica com uma utilização de natureza periódica ou irregular. Esta política, cuja prática tem vindo a crescer, principalmente nos grandes grupos empresariais nacionais, o que de resto corresponde a algum atraso relativamente ao que se passa em países mais desenvolvidos, abriu oportunidades no mercado e determinou o aparecimento de empresas de manutenção, algumas delas com origem nesses próprios grupos de empresas, que têm assim um mercado em que se perspetiva um crescimento contínuo e que constituirá uma oportunidade para o seu negócio. Mas nem sempre há unanimidade quanto às atividades de manutenção a entregar para contratação externa, e quais os equipamentos a integrar nesse outsourcing, se devem ser incluídos os aspetos inerentes à produção, à segurança, ao armazém, à engenharia, ao ambiente, etc… No fundo saber quais são os que pertencem ao núcleo de negócios estratégicos. Existem organizações que optam por realizar contratos globais englobando vários setores/áreas das empresas e não só apenas a área da manutenção.
Mostrar mais

151 Ler mais

Metodologia BIM aplicada a gestão de ativos

Metodologia BIM aplicada a gestão de ativos

O IFC (Industry Foundation Classes) é um modelo de dados, desenvolvido pela buildingSMART, para facilitar a interoperabilidade, ou seja, a troca de informação ao longo do projeto de construção, de uma forma fiável e segura, no setor de arquitetura, engenharia, construção e operação (AECO). O IFC é definido pela Norma ISO 16739:2013 para a partilha de dados na indústria da construção e na gestão de edifícios e apresenta-se como a principal especificação de interoperabilidade. Os seus benefícios são de melhorar a produção, a comunicação, a qualidade e o tempo de entrega e de reduzir significativamente as perdas de informações (Cardoso et al., 2012). O processo de interoperabilidade utilizando o IFC é o seguinte: aos dados extraídos da base de dados da fonte são-lhe atribuídos parâmetros IFC presentes no conversor, sendo os mesmos guardados num formato neutro; de seguida a base de dados do recetor capta esses dados em IFC e volta a converte-los de modo a tornarem-se interpretáveis pelo modelo recetor (Rodas, 2015). O IFC determina o estado como a informação do modelo (geometria, cálculo, quantidades, preços) necessita de ser fornecida/armazenada no decorrer de todas as fases do ciclo de vida de projetos BIM. Neste contexto, o seu objetivo principal fundamenta-se na transmissão e reutilização de informação para dimensionamento do projeto; na troca e partilha de informação entre aplicativos; na coordenação interdisciplinar de modelos de informação de edifícios (Cardoso et al., 2012).
Mostrar mais

132 Ler mais

Gestão econômica de investimentos em ativos fixos.

Gestão econômica de investimentos em ativos fixos.

Num ambiente global de intensas mudanças com- petitivas, a mensuração dos ativos, especificamente dos ativos fixos, requer a superação da rigidez dos custos históricos e da depreciação linear, próprios da contabi- lidade tradicional, e a adoção de critérios que permi- tam avaliar adequadamente a realidade econômica desses ativos. Partindo da premissa de que o patrimônio líquido deve representar o valor da empresa, e de que sua variação expressa o resultado econômico, o Siste- ma de Gestão Econômica – Gecon conceitua e mensura os ativos fixos pelo valor presente dos seus benefícios futuros para a empresa. Como sistema de gestão voltado para decisões econômicas, o Gecon explicita um modelo de decisão para o evento investi- mento em ativos fixos. Nessa decisão são considera- dos os custos diretos dela decorrentes, bem como os benefícios econômicos resultantes do uso do ativo fixo pela empresa, mensurados pelo seu custo de oportu- nidade. Considerando a empresa como conjunto de áreas de responsabilidade conceituadas como centros de resultado, o Gecon identifica a contribuição de cada área envolvida na decisão para a obtenção do resulta- do econômico do investimento e, portanto, para o re- sultado da empresa. O fluxo de resultados do investi- mento é gerenciado durante toda a sua vida útil, desde o momento da tomada de decisão inicial até o momen- to final da decisão de desativação ou desinvestimento.
Mostrar mais

19 Ler mais

NBR-iso um marco para a Gestão de Ativos

NBR-iso um marco para a Gestão de Ativos

de; Papel da Manutenção na Preservação da Segurança, Meio Ambiente e Saúde. Contando com um corpo do- cente altamente qualificado, constituído por professo- res, mestres e doutores formados nas mais conceituadas universidades do Brasil e exterior, além de especialistas com larga experiência em grandes empresas nacionais e estrangeiras, o MBA-ENGEMAN promove maior produti- vidade, competitividade e sustentabilidade empresariais, incremento dos níveis de qualidade, segurança, saúde e respeito ambiental e otimização dos índices de confiabili- dade e disponibilidade, favorecendo ainda o aumento da empregabilidade e a ascensão profissional. Tais resultados são atestados pelos 810 profissionais pós-graduados nas 27 Turmas realizadas desde 1995, oriundos de mais de 400 renomadas empresas e instituições, e estão respaldados na concepção do programa ministrado sempre com gran- de sucesso, adequando as monografias de conclusão do Curso à aplicação direta nas organizações participantes. nestes programas avançados são a
Mostrar mais

28 Ler mais

Gestão Patrimonial. Os Ativos Fixos Corpóreos

Gestão Patrimonial. Os Ativos Fixos Corpóreos

A qualidade da informação patrimonial é fundamental, e a Marinha, que num passado recente transitou de um sistema integrado de informação financeira para o atual SIGDN, possui a experiência necessária para evitar incorrer nos mesmos erros, inerentes ao processo de transição, e desta forma evitar distorções na migração dos dados patrimoniais, caso a opção recaia na aquisição de um novo sistema integrado de gestão. A parametrização do SIGDN obrigará ao prosseguimento de ações concertadas, de passos seguros e concretos, conduzidos por uma equipa multidisciplinar e intersectorial.
Mostrar mais

56 Ler mais

Processo de manutenção para uma linha de produção

Processo de manutenção para uma linha de produção

Uma das principais vantagens da elaboração deste trabalho residiu no facto de proporcionar à organização uma estrutura lógica de dados que permite à mesma efetuar um inventário real da linha, de todos os equipamentos que esta contém. Para além disso, esta estrutura de dados também facilitou o processo da movimentação de bancadas e/ou máquinas entre linhas, sendo que os equipamentos que lhe estão subjugados também sofreram movimentação. A implementação desta estrutura facilitou, ainda, à organização a verificação dos custos que estão associados aos equipamentos e a possibilidade de delinear estratégias, a fim de reduzir os custos dos mesmos. No entanto, com a adoção da plataforma de comunicação entre os dois sistemas prevêem-se algumas vantagens significativas para a organização, sendo elas: i) a sincronização dos dados entre o CMMS e o SAP; ii) a redução do número de colaboradores a introduzir dados no sistema, dado que atualmente o colaborador necessita de atualizar os dois sistemas separadamente; iii) a redução de custos inerentes à utilização do SAP, nomeadamente nos acessos e nas transações.
Mostrar mais

95 Ler mais

Implementação e lançamento de uma linha de produção

Implementação e lançamento de uma linha de produção

Analisando a primeira fase do ramp-up e verificando que os problemas e situações não previstas foram bastante minimizados, e que a produção planeada estava a ser atingida com facilidade, pôde-se proceder a um aumento na capacidade produtiva. Para além da redução drástica nas falhas que a linha tinha, este aumento realizou-se devido ao facto de os operadores estarem já perfeitamente adaptados à linha e desempenharem as tarefas propostas com padrões de qualidade muito satisfatórios. A linha dobrou assim, passado um mês e meio, a sua capacidade para 20 colectores/dia sem que fossem necessários operadores adicionais. No início desta fase foi complicado atingir a produção prevista, porque apesar dos problemas maiores terem sido eliminados surgiam, diversas vezes, problemas de menor importância mas que eram suficientes para, por vezes, causar paragens na linha fazendo com que a produção parasse até esses mesmos problemas estarem completamente resolvidos.
Mostrar mais

103 Ler mais

Melhoria da produtividade numa linha de produção

Melhoria da produtividade numa linha de produção

4. Implementar: Todo o pessoal que trabalha no equipamento em questão não participa diretamente na ação SMED, por isso é fundamental informar e formar o pessoal para o modo operatório definido na sua zona de produção. E também é constituída por duas etapas, que procuram meios mais adaptados ao desempenho duma função a realizar: Implementação das soluções imediatamente aplicáveis (precisando de poucos meios) e Estabelecimento dum plano de ação a meio termo, dirigido às ações que necessitam de investimentos ou de prazos e a aprovação da hierarquia.
Mostrar mais

67 Ler mais

SIMULAÇÃO EM UMA LINHA DE PRODUÇÃO DE SALGADOS

SIMULAÇÃO EM UMA LINHA DE PRODUÇÃO DE SALGADOS

O presente artigo visa mostrar, através de um estudo de caso, como a simulação pode auxiliar a empresa estudada, otimizando seus processos e utilização de seus recursos. Sua finalidade foi estudar uma linha de produção de salgados e propor uma melhoria para a mesma, identificando o problema, através da utilização do software ARENA, assim como uma de suas ferramentas, o Input Analyser. A simulação é uma ferramenta muito eficaz, uma vez que antevê o desempenho de sistemas complexos, avaliando as oscilações e interações dos componentes deste sistema. O artigo foi elaborado tendo como base um estudo de caso em uma lanchonete em Bebedouro, no interior de São Paulo. A metodologia utilizada foi a cronometragem dos tempos de cada processo. Com os resultados, foi possível observar onde estava o gargalo e corrigi-lo. Assim, concluiu-se que a simulação, através do ARENA, é importante para um processo, sendo possível otimizar a utilização dos recursos e melhorar os procedimentos envolvidos.
Mostrar mais

12 Ler mais

Balanceamento de linha estudo de caso para otimização de recursos em uma linha de produção

Balanceamento de linha estudo de caso para otimização de recursos em uma linha de produção

O maior nível de ociosidade ocorre quando o gargalo se localiza próximo ao input, ou seja, no início da produção, pois todas as fases seguintes do sistema ficam comprometidas. Por outro lado a ociosidade do sistema pode não ser o mais grave. Na verdade, quanto mais próximo ao output (saída), mais prejudicial ela será. Isto porque, avançando dentro do sistema produtivo, teremos também a agregação dos custos variáveis, ou seja, aqueles que só existem com a produção. Neste caso, o bem foi produzido, houve gasto de matéria prima, adição de mão-de-obra e outros recursos, mas, devido ao gargalo na saída, não houve geração de receita com a venda. Na visão do autor, o setor de vendas deve ser levado em consideração na hora de determinação dos gargalos, pois de nada adianta a fábrica ter uma capacidade de produção de 1000 unidades/dia, por exemplo, se o setor de vendas não consegue vende-las. A fábrica trabalhará abaixo de sua capacidade e a ociosidade será inevitável.
Mostrar mais

49 Ler mais

Disponibilidade de espaços físicos e incentivos à prática de atividades físicas nas indústrias de Pelotas, RS - Brasil

Disponibilidade de espaços físicos e incentivos à prática de atividades físicas nas indústrias de Pelotas, RS - Brasil

Outro aspecto que apresenta grande importância nas escolhas dos trabalhadores para a aderência e manutenção de um estilo de vida ativo é a disponibilidade de espaços apropriados e convidativos à realização de atividades físicas. No presente estudo, a avaliação dos espaços físicos destinados para esta prática revelou que as empresas não dispunham de ambientes estruturados. Não foram encontradas em- presas que dispunham de locais específicos ou salas de ginástica e somente 9,9% ti- nha quadras esportivas incorporadas ao espaço físico da empresa. Esta condição foi igualmente observada nos relatos de Choi e colaboradores 14 , em empresas do Esta-
Mostrar mais

10 Ler mais

ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO E COBERTURA DE INVERNO SOBRE A DISPONIBILIDADE DE ÁGUA E OS COMPONENTES DE RENDIMENTO DO MILHO

ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO E COBERTURA DE INVERNO SOBRE A DISPONIBILIDADE DE ÁGUA E OS COMPONENTES DE RENDIMENTO DO MILHO

multivariada na análise das informações, objetivando a obtenção de respostas globais a partir das variáveis levantadas. Foi ajustado um modelo senoidal de crescimento de plantas, o qual demonstrou alta correlação com o regime vigente dos elementos meteorológicos locais, permitindo a determinação do ponto de inflexão da taxa de crescimento da planta em altura e a sua relação com a temperatura, a radiação solar global, a disponibilidade de água no solo e o saldo de radiação. Não foram observados períodos de estiagem durante as duas safras. Não se observou efeito das diferentes coberturas de solo sobre o crescimento das plantas e produtividade. A produtividade final e os demais parâmetros morfológicos obtidos encontraram-se dentro do padrão esperado para o híbrido. As populações de plantas afetaram a produtividade, tendo sido crescente até a população de 120.000 plantas ha -1 , sob as quais também foi encontrado o maior índice de área foliar. O solo era homogêneo em toda área de cultivo não se constatando efeito de cobertura de solo sobre os componentes de rendimento e a produtividade final da cultura. Houve efeito interativo entre épocas de semeadura, população de plantas e cobertura do solo para as semeaduras realizadas em 30 de outubro e 15 de dezembro (2014/2015) e para 15 de setembro (2015/2016) sobre a produtividade do milho. As produtividades e os demais parâmetros morfológicos obtidos foram expressos na localidade estudada em decorrência do potencial genético do híbrido de milho.
Mostrar mais

235 Ler mais

Melhoria da disponibilidade em linhas de produção de caixas de cartão

Melhoria da disponibilidade em linhas de produção de caixas de cartão

Na WARD estão alocados dois operadores em cada turno. O operador 1, por ser o mais experiente, é o chefe de máquina e costuma estar na saída do cartão, ou seja, na secção do Empilhador, uma vez que nesta secção é necessário confirmar constantemente a qualidade do produto, como por exemplo, se as tintas foram bem impressas ou se os cortes estão nos sítios corretos e se não houve nenhum desnivelamento. Este operador controla, ainda, a velocidade de produção da máquina tendo em conta as especificações do cartão. Já o operador 2, usualmente com menos experiência, fica na secção de entrada do cartão para as impressoras, ou seja, o Entregador. Aqui, este operário é responsável por fazer uma análise às placas de cartões, retirando as que estejam danificadas e que não permitam, por esse motivo, ter um produto final com qualidade ou, até mesmo, evitar que estas provoquem uma paragem da produção por encravamento da máquina.
Mostrar mais

110 Ler mais

Três ensaios sobre gerenciamento de ativos e passivos em fundos de pensão

Três ensaios sobre gerenciamento de ativos e passivos em fundos de pensão

Este trabalho tem como objetivo principal realizar um survey sobre a teoria de gestão de ativos e passivos (ALM), com a finalidade de verificar sua aplicabilidade na indústria de fundos de pensão. Além disso, percorremos pela teoria de algoritmos numéricos e computacionais aplicados a modelos de ALM, verificando suas restrições e possibilidades. Temos também o objetivo com esse trabalho de ordenarmos a teoria de uma forma clara e funcional, para que as áreas de macroalocação de recursos dos fundos de pensão possam capacitar seus gestores, a implantarem modelos próprios de ALM. É sabido que os fundos de pensão em sua maioria não possuem modelos de ALM próprios, e nem ao menos áreas com estatísticos, físicos economistas, matemáticos para gerirem com excelência essa ferramenta de gestão. Ficando a mercê de consultorias que na maioria das vezes não explicitam os algoritmos de otimização, não revelando suas funções objetivo s e suas “restrições” na otimização da macroalocação dos recursos garantidores. Assim esperamos que esse material teórico seja muito útil a indústria dos fundos de pensão, bem como ao recém criado órgão regulador Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC).
Mostrar mais

159 Ler mais

Show all 10000 documents...