Top PDF Granuloma anular elastolítico gigantocelular: relato de caso.

Granuloma anular elastolítico gigantocelular: relato de caso.

Granuloma anular elastolítico gigantocelular: relato de caso.

Resumo: O granuloma anular elastolítico gigantocelular é dermatose granulomatosa rara, caracterizada, histologicamente, por fagocitose das fibras elásticas por células gigantes multinucleadas e, clinicamente, por placas anulares com bordas elevadas e centro atrófico, com preferência por áreas expostas. A patogênese é controversa. Descreve-se um caso de mulher de 44 anos, com achados clínicos e histológicos clássicos, que apresentou boa resposta à hidroxicloroquina, após o período de 1 mês.

3 Ler mais

Granuloma eosinofílico de coluna cervical: relato de caso.

Granuloma eosinofílico de coluna cervical: relato de caso.

A variedade de sinais inespecíficos em pacientes jovens, sem trauma prévio, com história de cervical- gia, torcicolo persistente e lesões osteolíticas ao exa- me radiológico, deve levar os médicos à suspeita de granuloma eosinofílico de coluna cervical como pos- sível diagnóstico. No presente relato, o tratamento cirúrgico e a complementação com a quimioterapia foram suficientes para resolver o caso.

3 Ler mais

Injeção inadvertida de metoclopramida no espaço subaracnóideo: relato de caso.

Injeção inadvertida de metoclopramida no espaço subaracnóideo: relato de caso.

As tubulações dos gases hospitalares possuem padroniza- ção internacional de cores, porém, o mesmo não ocorre com as ampolas. Assim, é passível que ocorram injeções aciden- tais de drogas que são apresentadas em ampolas muito se- melhantes. O objetivo deste relato é mostrar um caso de inje- ção inadvertida de metoclopramida no espaço subaracnói- deo em paciente obstétrica.

5 Ler mais

Granuloma central de células gigantes: revisão de literatura e relato de um caso clínico

Granuloma central de células gigantes: revisão de literatura e relato de um caso clínico

O Granuloma Central de Células Gigantes (GCCG) se define como uma lesão intra- óssea, agressiva, porém benigna. Contem células estromais fusiformes, circundada, e células ovais mononucleadas semelhantes a histiócitos e abundante numero de células gigantes osteoclásticas uniformemente distribuídas. Lesão é classificada como agressiva e não agressiva, dependendo de seu comportamento clínico, imaginológico e histológico. Após diagnosticado, o GCCG, necessita de intervenção imediata, onde seu comportamento determinará o quanto invasivo será o tratamento de escolha, sendo ele cirúrgico ou terapêutico. O presente trabalho te como objetivo revisar a literatura pertinente ao GCCG e realizar um relato de caso clínico.
Mostrar mais

31 Ler mais

Transplante renal em paciente pediátrico com associação de Vater: relato de caso.

Transplante renal em paciente pediátrico com associação de Vater: relato de caso.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A associação de Vater é uma alteração politópica que inclui várias má-formações, sendo a hipoplasia radial a alteração mais freqüentemente encontrada ao nascimento. O objetivo deste relato é apresentar caso de associação de Vater em criança submetida a transplante renal. RELATO DO CASO: Paciente do sexo masculino, 11 anos, 23 kg, Hbs positivo submetido a esofagostomia com 30 horas de vida. Desde os 7 anos realiza hemodiálise, atualmente através de cateter atrial, por falta de outras vias de acesso. Submetido aos 11 anos a transplante renal com doador cadáver, sem intercorrências. Diurese adequada ao término das anastomo- ses vasculares. Drenagem de hematoma da fossa ilíaca D no primeiro dia de pós-operatório. Alta 21 dias após o transplante com função renal normal.
Mostrar mais

4 Ler mais

Remissão espontânea de um granuloma eosinofílico orbitário após biópsia: relato de caso e revisão da literatura.

Remissão espontânea de um granuloma eosinofílico orbitário após biópsia: relato de caso e revisão da literatura.

Objetivo: Relatar o caso de paciente de 17 anos de idade com granuloma eosinofílico (GE) na parede superior da órbita com regressão espontânea após biópsia. Métodos: Relato de caso. Resultados: Remissão espontânea após biópsia incisional, via palpebral, de lesão de teto orbitário, sem evi- dências clínicas e tomográficas de recorrência com seguimento de 22 meses. A análise histopatológica da biópsia confirmou granuloma de as- pecto proliferativo apresentando macrófagos, eosinófilos e células de Langerhans sem características neoplásicas. Conclusão: A remissão espontânea do caso descrito levanta a hipótese de que seguimento cui- dadoso de pacientes com GE orbitário, confirmado por biópsia incisional, com exames de controle rotineiros, pode ser uma maneira menos invasiva e eficaz de abordagem.
Mostrar mais

4 Ler mais

Anestesia no paciente com síndrome do pulmão encolhido: relato de caso.

Anestesia no paciente com síndrome do pulmão encolhido: relato de caso.

Relato del caso: Paciente hipertensa, obesa y portadora de LES, diagnosticada con SPE hace 18 años. Dependiente de oxígeno do- miciliario nocturno, presentaba disnea a los pequeños esfuerzos y espirometría con disturbio ventilatorio restrictivo grave. En el pos- toperatorio anterior bajo anestesia general, permaneció en ventila- ción mecánica por nueve días con destete difícil. Fue sometida a la corrección de hernia incisional durante tres horas bajo anestesia epidural torácica, sin ninguna complicación respiratoria per o posto- peratoria.

4 Ler mais

Cervicoplastia na flacidez cutânea por síndrome de Ehlers-Danlos: relato de caso.

Cervicoplastia na flacidez cutânea por síndrome de Ehlers-Danlos: relato de caso.

Introdução: A síndrome de Ehlers-Danlos é um distúrbio raro, caracterizado por anor- malidades diversas na estrutura, síntese e secreção do colágeno, resultando em um quadro clínico variado, com alterações cutâneas, articulares e vasculares. Procedimentos cirúrgicos realizados nestes pacientes, muitas vezes, complicam com sangramentos de difícil controle, deiscência de suturas, friabilidade dos tecidos, hematomas recorrentes e diiculdade de ci- catrização, com pobres resultados estéticos. Relato do caso: No presente relato, os autores apresentam um caso de cervicoplastia em paciente portadora da síndrome de Ehlers-Danlos, evidenciando seus resultados.
Mostrar mais

3 Ler mais

PRESENÇA DE AMELOBLASTOMA EM JOVEM DO GENERO MASCULINO: RELATO DE CASO

PRESENÇA DE AMELOBLASTOMA EM JOVEM DO GENERO MASCULINO: RELATO DE CASO

O relato de caso clínico apresentado visa, essencial- mente enfatizar os procedimentos empregados diante de um paciente jovem diagnosticado com Ameloblastoma Unicístico, demonstrando, passo-a-passo, os métodos diagnósticos utilizados e os procedimentos terapêuticos sucessivamente, tendo em vista sempre alcançá-los e devolvendo uma melhor qualidade de vida aopaciente e assim, contribuir na condução de casos futuros que ve- nham a ocorrer com outras pessoas.

5 Ler mais

Granuloma esquistossomótico gigante do cólon com intussuscepção: relato de caso.

Granuloma esquistossomótico gigante do cólon com intussuscepção: relato de caso.

Devido à impossibilidade de ressecção endoscópica, o paciente foi submetido a sigmoidectomia (Figura 2), cujo anatomopatológico evidenciou granuloma piogênico com ovos de Shistossoma mansoni (Figuras 3, 4 e 5). Evoluiu no sétimo pós-operatório com quadro de abdome agudo obstrutivo, sendo submetido a laparotomia explora- dora que demonstrou hérnia interna de íleo terminal sem sofrimento vascular, que foi prontamente corrigida.

3 Ler mais

Hemicoréia-hemibalismo associado a granuloma criptocócico em paciente com SIDA: relato de caso.

Hemicoréia-hemibalismo associado a granuloma criptocócico em paciente com SIDA: relato de caso.

RESUMO - Distúrbios do movimento são pouco frequentes na síndrome de imunodeficiência adquirida (SIDA). Dentre eles destaca-se a hemicoréia-hemibalismo (HC-HB), relacionada a infecção oportunística pelo Toxoplasma gondii. Relatamos caso de HC-HB em um paciente de 28 anos portador de SIDA associada a lesão granulomatosa no núcleo sub-talâmico direito. Após insucesso no tratamento para neurotoxoplasmose, com a pesquisa de antígeno criptocóccico positiva no líquor, houve melhora clínica e radiológica com terapia antifúngica, estabelecendo-se o diagnóstico etiológico de granuloma por Cryptococcus neoformans. Discorre-se acerca das causas de HC-HB, com menção especial ao diagnóstico diferencial deste distúrbio em indivíduos infectados pelo HIV.
Mostrar mais

4 Ler mais

Granuloma leproide canino na região amazônica - relato de caso.

Granuloma leproide canino na região amazônica - relato de caso.

Os diagnósticos diferenciais para GLC incluem lesões nodulares (neoplásicas ou não) que ocorrem com frequência na face e na cabeça, como tumores de células basais (tricoblastoma) (Vail e Withrow, 2007), histiocitoma cutâneo canino, plasmocitoma cutâneo, mastocitoma, bem como granuloma estéril idiopático (Hargis e Ginn, 2009) e micoses subcutâneas (Scott et al., 1996). As avaliações citológica e histopatológica das lesões geralmente estabelecem o diagnóstico correto, evitando equívocos terapêuticos.

4 Ler mais

Granuloma de células de Langerhans intraorbitário extraocular: abordagem cirúrgica primária. Por quê? - Relato de caso.

Granuloma de células de Langerhans intraorbitário extraocular: abordagem cirúrgica primária. Por quê? - Relato de caso.

Apresentamos um caso no qual foi realizada orbitotomia de urgência em paciente com granuloma de células de Langerhans intraorbitário o qual apresentava comprometimento anatômico e funcional da função visual devido à hipertensão intraorbitária. Paciente masculino, 2 anos, apresen- tou exoftalmia, proptose conjuntival, olho vermelho, oftalmoplegia completa com midríase não fotorreativa e ptose palpebral direita. À fundoscopia apresentava engurgitamento venoso com edema de papila à direita. Foi realizada abordagem cirúrgica com orbitotomia via intracraniana sendo removida a lesão com remissão total da clínica tanto anatômica quanto funcionalmente. O manejo do granuloma de células de Langerhans pode variar desde a abordagem cirúrgica primária, passando pela terapia com esteróides até quimioterapia e radioterapia. No caso, a cirurgia foi a primeira opção devido ao e iminente risco de perda da função visual.
Mostrar mais

4 Ler mais

Perda visual bilateral grave como sinal de apresentação de trombose de seio venoso cerebral: relato de caso.

Perda visual bilateral grave como sinal de apresentação de trombose de seio venoso cerebral: relato de caso.

No caso em questão, a anamnese criteriosa, o exame oftal- mológico e os achados observados ao exame de campo visual foram elementos fundamentais para o diagnóstico de pseudo- tumor cerebral. Como o paciente era do sexo masculino e não obeso, suspeitamos de uma trombose de seio venoso crania- no, que foi confirmada pela angiorressonância venosa. O re- sultado do hemograma revelando uma trombocitose sugere que uma doença hematológica era a responsável pela trombo- se venosa cerebral. A biópsia de medula óssea foi inconclusa, afirmando apenas que os achados eram compatíveis com doença mieloproliferativa crônica.
Mostrar mais

5 Ler mais

Obstrução nasal por granuloma fúngico em eqüino: relato de caso.

Obstrução nasal por granuloma fúngico em eqüino: relato de caso.

Este caso ressalta a importância da utilização de métodos de coloração e técnicas laboratoriais não comumente utilizadas na rotina para a obtenção do diagnóstico. Apesar de não haver relatos sobre a utilização dos componentes da camomila (Matricaria recutita) em eqüinos, a lavagem com solução aquosa dessa planta pode ser benéfica na prevenção de infecções micóticas secundárias, ou mesmo como coadjuvante no tratamento cirúrgico de granulomas fúngicos.

7 Ler mais

Ocorrência simultânea de necrobiose lipoídica ulcerada e granuloma anular em um paciente: relato de caso.

Ocorrência simultânea de necrobiose lipoídica ulcerada e granuloma anular em um paciente: relato de caso.

O diagnóstico de ambas as doenças baseia-se em dados clínicos e histopatológicos. As lesões de GA são geralmente assintomáticas, mas pode haver pruri- do. Lesões primárias típicas apresentam-se como pápulas eritematosas, solitárias ou coalescentes, com frequência em configuração anular. Lesões secundá- rias podem tornar-se amarronzadas. Essas lesões podem regredir espontaneamente, mas 40% recor- rem. Há diferentes formas de GA: localizada, generali- zada, perfurante e subcutânea. Recentemente foi rela-

4 Ler mais

Granuloma anular localizado em paciente com hipertireoidismo por doença de graves: relato de caso.

Granuloma anular localizado em paciente com hipertireoidismo por doença de graves: relato de caso.

Embora a patologia tenha etiologia des- conhecida, diversos fatores têm sido a ela relacionados, acreditando-se que possa representar reação imune a vários antígenos, como os vírus varicela-zoster, Epstein-Barr, H IV e H PV, picadas de insetos, ex- posição solar, ingestão de drogas e testes intradérmicos com tuberculina. Não se pode observar nenhum destes agentes causais no caso aqui relatado. Admite-se, também, a predisposição genética, pelo encontro de casos familiares e ocorrência em gêmeos idênticos, além da maior freqüência do H LA-A29 e H LA-BW35 em portadores de GA (1-3,6,7). Ainda dentro das possíveis causas encontram-se as de ordem auto-imune (2,6,7). Doenças como tiroidite auto-imune, hipo- tireoidismo, doença de Plummer, síndrome po- liglandular, diabetes, necrobiose lipoídica e artrite reu-
Mostrar mais

5 Ler mais

Xantoma eruptivo com aspecto histopatológico inusitado simulando granuloma anular: Relato de caso.

Xantoma eruptivo com aspecto histopatológico inusitado simulando granuloma anular: Relato de caso.

Resumo: Xantoma eruptivo e granuloma anular são doenças dermatológicas com quadros clínicos distin- tos que, algumas vezes, apresentam semelhanças histopatológicas que podem conduzir a diagnóstico errô- neo. Relata-se o caso de paciente do sexo masculino com 34 anos, portador de dislipidemia, com lesões clinicamente características de xantoma eruptivo cujo exame histopatológico foi sugestivo de granuloma anular. No entanto, a revisão da lâmina mostrou tratar-se de xantoma eruptivo. A remissão completa e ráp- ida das lesões após o tratamento da dislipidemia confirmou o diagnóstico de xantoma eruptivo e motivou a pesquisa sobre as semelhanças e diferenças histopatológicas entre essas doenças.
Mostrar mais

4 Ler mais

Uso de terapia biológica na doença de Crohn metastática: relato de caso e revisão da literatura.

Uso de terapia biológica na doença de Crohn metastática: relato de caso e revisão da literatura.

RESUMO: A doença de Crohn metastática envolve a infiltração cutânea granulomatosa em locais anatomicamente separados do trato gastrointestinal, com tendência à cronicidade. É relatado caso de paciente masculino, 20 anos, há seis meses com dor e eliminação de secreção purulenta de úlceras em região perianal, inguinal direita e genital, sem melhora com o uso metronidazol e ciprofloxacina. Antecedente de proctocolectomia em 2002. Ao exame, à inspeção, evidenciava-se orifício fistuloso posterior a 2,0 cm da borda anal, úlcera de 5,0 cm na base do escroto e outra úlcera circundando a base do pênis; ao toque, ânus fibrótico e encarcerado. Realizada fistulotomia, biópsia e curetagem das úlceras genital e inguinal. O resultado histopatológico evidenciou processo inflamatório granuloso não caseoso. Em virtude da falha terapêutica dos antimicrobianos, foi optado pelo tratamento com infliximabe na dose 5 mg/kg nas semanas 0, 2 e 6, e azatioprina 2 mg/kg/dia. Ao término da fase de indução, o paciente apresentava cicatrização parcial das lesões ulceradas, ausência de secreção e alívio da dor. Atualmente em acompanhamento ambulatorial com infusões de infliximabe a cada oito semanas.
Mostrar mais

5 Ler mais

Síndrome de Rubinstein-Taybi: anomalias físicas, manifestações clínicas e avaliação auditiva.

Síndrome de Rubinstein-Taybi: anomalias físicas, manifestações clínicas e avaliação auditiva.

IIIII ntrodução ntrodução ntrodução ntrodução ntrodução: A Síndrome de Rubinstein-Taybi foi descrita pela primeira vez em 1963, após a observação dos traços físicos seme- lhantes apresentados por sete crianças com retardo mental, baixa estatura, polegares grandes e largos e anomalias faciais. Mais tarde, novas publicações definiram outras características dessa síndrome, a qual incide em 1 a cada 300.000 nascidos e apresenta etiologia incerta. Sintomas otorrinolaringológicos e fonoaudiológicos são fre- qüentes, daí a importância de melhor conhecimento dessa síndrome por esses especialistas. Relato de Caso Relato de Caso Relato de Caso Relato de Caso Relato de Caso: Apresentamos as principais manifestações clínicas, traços físicos e as avaliações auditivas de cinco crianças portadoras da Síndrome de Rubinstein-Taybi, em atendimento na Faculdade de Medicina de Botucatu (UNESP). Para as avaliações auditivas foram realizados exames de audiometria tonal, imitanciometria e potenciais evocados do tronco encefálico (BERA). As principais características observadas foram: retardo mental, baixa estatura, polegares largos, pirâmide nasal alta, palato ogival, má oclusão dentária, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor e de linguagem. Discussão: Discussão: Discussão: Discussão: Os traços físicos ca- Discussão: racterísticos dos portadores dessa síndrome facilitam o diagnóstico, e muitos deles são responsáveis por sintomas otorrinolaringológi- cos e fonoaudiológicos, como infeções de vias aéreas superiores, obstrução nasal, otites médias, hipertrofia adenoamigdaliana, sur- dez condutiva, hipotonia perioral e disfagia. O importante compro- metimento cognitivo é responsável pelo atraso no desenvolvimen- to da linguagem e pelo baixo rendimento escolar. Conclusões: Conclusões: Conclusões: Conclusões: Conclusões: Frente às várias manifestações otorrinolaringológicas e fonoaudiológicas apresentadas pelas crianças portadoras da Síndrome de Rubinstein-Taybi, torna-se necessário que esses espe- cialistas conheçam melhor essa síndrome para que possam fazer o diagnóstico precoce e orientar o tratamento dessas crianças.
Mostrar mais

5 Ler mais

Show all 10000 documents...