Top PDF Havana: a cidade como catástrofe em Antonio José Ponte.

Havana: a cidade como catástrofe em Antonio José Ponte.

Havana: a cidade como catástrofe em Antonio José Ponte.

quirir um significado catastrófico. Esta é uma das leituras que o escritor cubano Antonio José Ponte faz de Havana e sua museifi- cação. Para Ponte, em seu conto Un arte de hacer ruinas, caminhar pelos exteriores daquela cidade é como fazer uma viagem ou, até mesmo, uma viagem no tempo. A história é sobre a crise de se es- crever uma tese de doutorado sobre urbanismo, e seu orientador, que é responsável por guiar o estudante, mostra-lhe que há uma estreita conexão entre espaço e tempo, isto é, entre geografia e his- tória. Daí então, ele essencialmente incita seu discípulo a tornar-se um viajante do tempo para que possa escrever sobre a arquitetura havaneira. “Quando se é criança, a geografia nos apaixona muito mais que a história. Outros países importam muito mais que ou- tras épocas. Será que talvez não temos que começar nossas viagens no tempo. [...] O tempo, como devem ter te ensinado, é um espa- ço a mais. Agora, cabe a você explorá-lo.” * Ele precisa explorar este
Mostrar mais

12 Ler mais

A Representação da Cidade Como Construção Identitária Cubana em Obras de Abilio Estévez, Leonardo Padura e Antonio José Ponte Irina Raquel Francisco

A Representação da Cidade Como Construção Identitária Cubana em Obras de Abilio Estévez, Leonardo Padura e Antonio José Ponte Irina Raquel Francisco

Os textos de Estévez e Ponte partilham um caráter testemunhal e claramente autobiográfico, em que autor e narrador se confundem e em que o ficcional muito frequentemente se dilui na realidade vivida. Para além de narrativas fortemente ancoradas num espaço delimitado – a cidade de Havana – estes textos são, também, livros de memórias e de estórias pessoais, que relatam também episódios da vida dos seus autores e acabam por ser, em consequência disso, retratos da sua Havana – uma cidade retratada sob uma perspetiva subjetiva, carregada de afetos e de recordações. São, desta forma, dois projetos narrativos em que se entrecruzam uma memória individual e outra coletiva, de âmbito cultural e, por isso, identitária. Salientamos, ainda, que ambos os autores se viram na contingência de abandonar o seu país de origem – Cuba – e se instalaram em Espanha – o primeiro em Barcelona e o segundo em Madrid –, tendo nascido ambos em datas muito próximas à da Revolução de 1959, momento da História de Cuba que determinou uma mudança estrutural na política, na economia e na sociedade do país. A sua perspetiva crítica relativamente ao regime político vigente fê-los sair do seu lugar de origem, aspeto que condiciona a sua perspetiva sobre a cidade e, por conseguinte, o modo como escrevem. Diríamos, por isso, que, sendo cubanos, Estévez e Ponte escrevem a partir do exterior, tentando narrar a Havana de agora mas fazendo-o a partir das suas lembranças da infância e juventude. O facto de se encontrarem fisicamente distantes determina essa tendência visceral para um retrato da sua cultura e das suas gentes, como se esse exercício de representação da identidade cubana os aproximasse – e acreditamos que aproxima – da sua terra natal e, no fundo, da sua essência: porque ambos são, afinal, cubanos.
Mostrar mais

79 Ler mais

A ruína na cidade através da literatura e da fotografia

A ruína na cidade através da literatura e da fotografia

This article analyzes the process of modernization of the urban space through a reading of literary texts that present the city as a ruined scenery. Included are photographs of urban ruins to compose next to literature, reflections on the process of degradation of the city landscape. As a way of understanding the relationship of the subject’s experience in the city, one must reflect on the destruction of the memory of abandoned buildings, such as the Havana inhabited ruins, described in the “Uma arte de fazer ruínas” of Antonio José Ponte. In addition, other literary descriptions also contribute as a way of observing the process of destruction of old constructions. It should be noted that the photographs illustrate in this presentation the literary productions about ruin in the city. For example, the photographs of Robert Polidori that records Havana, revealing the vestiges of an abandoned architecture, spaces that resist time as a form of shelter of human life. Similarly, other photographic works, such as Yves Marchand and Romain Meffre on Detroit, raise questions about the utopia of a city idealized in the past, while at the same time exhibiting a ruined and dystopian landscape. One cannot fail to notice that the charm of the ruin appears in the literary space through a poetic and sensitive look, as can be seen through the lens of Julia Solis, photographer who records and writes about abandoned theaters and stages through a trip made the United States and Europe.
Mostrar mais

14 Ler mais

Manejo da adubação nitrogenada e influência no crescimento da aveia preta e na produtividade do milho em plantio direto.

Manejo da adubação nitrogenada e influência no crescimento da aveia preta e na produtividade do milho em plantio direto.

Antonio Saraiva Muniz, José de Deus Viana da Mata e Alberto Yuji Numoto. Departamento de Agronomia, Universidade Estadual de Maringá, Av.[r]

7 Ler mais

Esc. Anna Nery  vol.10 número4

Esc. Anna Nery vol.10 número4

Este facsímile trata del artículo titulado “Aptidões e deveres da Enfermeira de Hygiene Mental” (Aptitudes y Deberes de la Enfermera de la Higiene Mental), de autoria del doctor Plínio Olinto, publicado en la Revista Annaes de Enfermagem en diciembre de 1933. La obra atribuye gran énfasis a las cualidades básicas de la enfermera que actúa en el área de la Higiene Mental, clasificándolos en físicos, morales e intelectuales. Entre las cualidades que esa enfermera debe tener están: buen carácter, agradable fisonomía, gestos y maneras delicadas, opinión clara, capacidad de atención y fijación nítida, fácil asociación de ideas, juicios y razonamiento rápido, coraje, piedad y paciencia. Para el autor también sería fundamental que esa profesional fuese dotada de “grand afectividad bien regulada y sin exageración”, qué significaba decir que debería demostrar sentimientos ponderados, emociones controladas y nada que se podría confundir con pasión. La enfermera debe dominar la norma culta de la lengua patria, conocimiento leve de aritmética y del dibujo linear, geografía, física, química, historia natural y psicología. La actuación de la enfermera ocurría en tres ámbitos, que son, en la oficina del doctor - a donde la enfermera debería revelar capacidad de escuchar, por lo tanto ésta era una necesidad visible del “psicópata”; en el domicilio – cabiendo a la enfermera las actividades educativas, haciendo anotaciones necesarias sobre el medio en que vive el paciente y analizar si la convivencia es favorable o dañosa, la enfermera también debe administrar medicamentos prescritos por el doctor; y finalmente, en el ambiente del hospital en el cual la enfermera podría ser la “compañera de todos los momentos”, manejando medicamentos al paciente, alimentándolo, dando el baño, haciéndole dormir y “sufriendo con él si es necesario”. En este artículo observamos que la enfermera era una profesional importante para cuidar del paciente psiquiátrico, pero tal competencia, incluye fuertemente los aspectos morales y de control de los sentimientos, qué era igualmente esperado del papel social de la mujer en aquel período. Antonio José Almeida Filho Fernando Rocha Porto Lúcia Helena Silva Corrêa Lourenço Member
Mostrar mais

5 Ler mais

Repositório Institucional da UFPA: Estratégia de competição empresarial na construção civil paraense da Copala Industrias Reunidas S/A

Repositório Institucional da UFPA: Estratégia de competição empresarial na construção civil paraense da Copala Industrias Reunidas S/A

À Copala, nas pessoas de seu Presidente José Maria Mendonça, amigo de longa data, e do Gerente de Qualidade Antonio Pansani, pela decisiva colaboração, sem a qual este tr[r]

113 Ler mais

A catástrofe de Kraepelin.

A catástrofe de Kraepelin.

A teoria da catástrofe procura alcançar uma descrição qualitativa suficientemente válida para explicar o comportamento de um sistema cuja complexidade não permite uma compreensão precisa dos mecanismos envolvidos. Eventos sociais e históricos são fenômenos complexos que freqüentemente revelam uma dinâmica não-linear subjacente quando iluminados pela da Teoria da Catástrofe. Isto implica um determinismo, embora esteja sujeito a imprevisibilidades ou incertezas que não nos permite controlar os resultados quando se trata de sistemas complexos. Em outras palavras, o evento aqui estudado não foi fruto do acaso, mas de uma dinâmica social, de uma premência que gerou catástrofes em muitos setores, como na política, filosofia, invenções e ciências. Citemos, en passant, no campo das ciências, o estabelecimento das bases da física e da química modernas, da biologia (Darwin), da medicina (Pasteur), e, claro, da psiquiatria (Kraepelin). A existência de uma dinâmica, ainda que sujeita a imprevisibilidade, permite incluir estes eventos numa ciência social. Revoluções científicas não parecem ser frutos do acaso, mas de um processo.
Mostrar mais

12 Ler mais

Satisfação do usuário na Saúde da Família sob a perspectiva da responsividade

Satisfação do usuário na Saúde da Família sob a perspectiva da responsividade

Fernando Pessoa.. Dedico esta conquista a minha família tão amada ... Aos meus pais Antonio José e Heliana, pelo apoio incondicional às minhas escolhas, pelos sacrifícios realizad[r]

145 Ler mais

O embate crítico entre Mario Vargas Llosa e Antonio Cornejo Polar: leituras de José María Arguedas e do indi- genismo peruano

O embate crítico entre Mario Vargas Llosa e Antonio Cornejo Polar: leituras de José María Arguedas e do indi- genismo peruano

El presente trabajo busca observar como dos intelectuales contemporáneos, Mario Vargas Llosa (1936- ) y Antonio Cornejo Polar (1936-1997), leen la identidad cultural del hombre peruano, y por extensión, latinoamericano, a partir de las narrativas de José María Arguedas (1911-1969). Si nos fijamos en los fundamentos teóricos que condicionan las lecturas desarrolladas por los críticos, es posible advertir una notable divergencia entre ambos, hecho que ha servido de base para justificar el supuesto antagonismo de sus ideas. De un lado, Vargas Llosa considera que la novela arguediana niega la realidad a que se refiere, por lo que la imagen del hombre andino en ella representada semeja plasmar más los fantasmas y las obsesiones del mismo Arguedas que la identidad cultural conformada en el Perú en fines del siglo XX. Por otro lado, Cornejo Polar, al investigar la obra arguediana en función de las relaciones que la esa establece con el contexto heterogéneo y conflictivo en que ha sido producida, reitera que el sujeto en ella retratado, expresa plásticamente, tanto en su subjetividad como en su discurso, las mismas oscilaciones, ambigüedades y contradicciones de su entorno. Así, partiendo del confronto entre los dos abordajes teóricos, ese trabajo defiende que, por detrás de las discrepancias ideológicas que determinan el análisis de cada uno de los críticos, hay una correspondencia que les acerca. Es, pues, basándonos en los puntos de contacto verificados entre ambas las lecturas críticas que objetivamos desconstruir la supuesta oposición entre Cornejo Polar y Vargas Llosa, para confirmar la complementariedad de sus estudios, los cuales, contribuyen de manera contundente para iluminar los diferentes niveles del multifacético universo ficticio de Arguedas.
Mostrar mais

184 Ler mais

Apropriação capitalista da terra e a formação da pequena propriedade em Jales-SP

Apropriação capitalista da terra e a formação da pequena propriedade em Jales-SP

Todavia, outros não se satisfizeram com acordos e, por isso, ingressaram na justiça com Embargos de Terceiros em Execução e, no dia 1º de junho de 1967, o Tribunal de Justiça de São Paulo aceitou o pedido desses pequenos proprietários. Por este aceite, os juízes do Tribunal afirmaram que nas terras foi introduzido, por Euphly Jalles, grande número de pessoas, portanto, não poderia ser considerado como intrusas, pois não entraram clandestinamente, sem títulos e sem justificativa para ocupação. Mesmo porque, eram compromissários compradores de Euphly Jalles e possuíam títulos dominiais devidamente transcritos no Registro Imobiliário de Monte Aprazível. O fato reconhecia-se que existia interesse social, um interesse maior, pois havia muita gente povoando as terras, centenas de famílias que possuíam áreas pequenas e não poderiam ser despejadas, precisamente no período de safra. Portanto, seus possíveis direitos deveriam ser ressalvados, ainda que havia a relevância do interesse social na disputa, que traduzia um verdadeiro drama social. Por isso, ficou determinado que os oficiais de justiça suspendessem os autos de penhora e entrega das terras dos embargantes. Outro fato relevante foi que o Tribunal refutou, de certa forma, a origem dos títulos de Mendonça, filiados a Mario Furquim, afirmando que estes poderiam estar localizados em qualquer lugar da Ponte Pensa. 213
Mostrar mais

214 Ler mais

Adair José REGAZZI3 , José Benicio Paes CHAVES2 , Luis Antonio MINIM2

Adair José REGAZZI3 , José Benicio Paes CHAVES2 , Luis Antonio MINIM2

These consumers preferred the sugarcane spirit of brand Seleta, packaged in 700 mL clear glass bottles with a metal screw cap, containing the label illustration unrelated to sugarcane[r]

8 Ler mais

Uma ponte para a especulação: ou a arte da renda na montagem de uma "cidade global".

Uma ponte para a especulação: ou a arte da renda na montagem de uma "cidade global".

Após a aprovação da operação, numa nova administração do Partido dos Trabalhadores, ago- ra com Marta Suplicy (PT, 2001-2004), os Certifi- cados de Potencial Construtivo Adicional foram regulamentados (Cepacs). Com isso, os benefícios oferecidos nas operações urbanas, que eram ainda “comprados” diretamente na prefeitura, passaram a ser comercializados na forma de Cepacs, certifi- cados emitidos pela prefeitura e utilizados para pagamento de obras ou leiloados na Bolsa de Valo- res. Como qualquer título financeiro, o preço dos certificados oscila conforme o interesse do merca- do, visto que é determinado em leilões e passa, depois, a ser negociado no mercado secundário. A especificidade é que isso deve ocorrer em fun- ção da expectativa dos investidores em relação às possibilidades de valorização de uma região da cidade. Nessa lógica, passa a ser desejável, por- tanto, que essa valorização aconteça. Na definição da Bovespa, os Cepacs são justamente “ativos de renda variável, uma vez que sua rentabilidade está associada à valorização dos espaços urbanos”. 42 39 Cf. Massoneto (2003) observa que: “As operações difi-
Mostrar mais

24 Ler mais

MARCELO PINTO COELHO MOURA A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE ITABIRA- MG

MARCELO PINTO COELHO MOURA A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE ITABIRA- MG

Para Oliveira (2013), a experiência das universidades a partir da criação do Programa de Avaliação Institucional das Universidades Brasileiras – PAIUB e mais recentemente [r]

156 Ler mais

Rumo à Catástrofe

Rumo à Catástrofe

 Nos  quatro  e  densos  capítulos  –  além  da  introdução  e  da  conclusão  –,  a  obra  originalmente  publicada  em  francês  com  o  título  La  dernière  catastrophe  :  L’histoire,  le  présent,  le  contemporain  (Paris,  Gallimard,  2013)  propõe  questionamentos  e  apresenta  respostas  possíveis  com  desenvoltura  e  coragem.  Com  o  objetivo  de  “retraçar  a  evolução, compreender os móbiles, explicar os paradigmas e os pressupostos dessa parte  da  disciplina  histórica  que  passou,  em  algumas  décadas,  da  margem  ao  centro”  (18),  Rousso  toma  a  metáfora  da  catástrofe  como  “revolvimento”  e  “desenlace  teatral”(28)  para, no desenrolar dos ensaios, oferecer uma leitura que parece colocar ordem no caos  de abordagens sobre a história do tempo presente.  
Mostrar mais

6 Ler mais

CARTOGRAFIAS LITERÁRIAS PELAS NOITES BRANCAS DE SÃO PETERSBURGO

CARTOGRAFIAS LITERÁRIAS PELAS NOITES BRANCAS DE SÃO PETERSBURGO

No dia seguinte, Nástienka aparentemente mais alegre, continua conversando sobre o amor que ela sentia e ele [o caminhante solitário] amando em silêncio, caminhavam pela cidade, falando coisas alegres. Combinaram que ele [o caminhante] iria buscar uma posição, uma resposta à carta que ela tinha entregue para o amado, mas ele não foi. Triste e confuso, não aguentava mais esconder seus sentimentos e declara seu amor por Nástienka, que se surpreende, ele se arrepende, quer ir embora, mas ela não o deixa ir e o conversaram por longo tempo, ajustaram as ideias, até que ela aceita o amor dele como consolo:
Mostrar mais

11 Ler mais

Tipos que estiam na mídia

Tipos que estiam na mídia

programas da emissora. Interpretado pelo publicitário José Antonio de Barros Freire, mais conhecido como Barrinhos, Araken representava o brasileiro que não perde o otimismo por nada nesse mundo. Em encenações rápidas e divertidas, o baixinho de cabelos escuros tentava de mil maneiras vender suas idéias para os empresários, que o ignoravam. Sua última aparição foi na Copa do Mundo de 94 em uma propaganda de sapatos e em outra de imóveis.

1 Ler mais

A crítica sociológica e dialética de Antonio Candido: entre o fato social e a expressão

A crítica sociológica e dialética de Antonio Candido: entre o fato social e a expressão

Antonio Candido, em Literatura e Sociedade, formula sua concepção dialética da crítica no capítulo “Crítica e Sociologia”, intitulando-a “tentativa de esclarecimento”. Esse pressuposto é importante, porque demonstra a total consciência do crítico no que tange à discussão da relação do social no texto literário. Antonio Candido, como se sabe, foi leitor da escola americana, o New Criticism, assim como sua formação está ligada à antropologia funcional inglesa. Para isso, esclarece em sua reflexão a incapacidade de pensar o texto literário fora do viés interno e externo, como fora comum na perspectiva da crítica do século XIX, em que Taine é representante, e a abordagem formal que entende a obra fora de qualquer manifestação externa. Assim, “hoje sabemos que a integridade da obra não permite adotar nenhuma dessas visões dissociadas; e que só a podemos entender fundindo texto e contexto numa interpretação dialeticamente íntegra”. (CANDIDO, 1967, p. 04)
Mostrar mais

10 Ler mais

Imagens de América Latina no figurino e corpo da baiana de Carmen Miranda: memória social e identidade

Imagens de América Latina no figurino e corpo da baiana de Carmen Miranda: memória social e identidade

Na penúltima página, uma imagem de seu corpo inteiro banhando-se ao sol busca estender o prazer (ver figura 8). Mirte se escora numa porta verde musgo, ladeada por parede multicolorida - nas mesmas cores que prevalecem no “Aconteceu em Havana” (Week-end em Havana, 20th Century Fox, 1941). Olhos fechados, ela tem a cabeça ligei- ramente voltada para a direita e para o alto. Ela não precisa mais de um guarda-sol pra lhe proteger, o sol lhe aquece, lhe revitaliza e lhe restaura. Ela se entrega mais uma vez a si mesma. Num vestido azul e verde estampado como folhas de coqueiro, sandália plataforma vermelha, demais acessórios, bijuterias e bolsa saco, ela está ali ausente da cena, apenas banhando-se no sol. Como mensagem central, parece a resposta ao ques- tionamento: o que de mais espetacular se encontra em algum lugar exótico e distante? O prazer do sol e do verão que nunca acaba.
Mostrar mais

25 Ler mais

A Cidade Submersa de Nova Ponte: relatos de memória, silêncio e esquecimento / THE UNDERWATER CITY OF NOVA PONTE: MEMORIES' REPORTS, SILENCE AND FORGETNESS

A Cidade Submersa de Nova Ponte: relatos de memória, silêncio e esquecimento / THE UNDERWATER CITY OF NOVA PONTE: MEMORIES' REPORTS, SILENCE AND FORGETNESS

A fazenda Caxuana sempre fora vista pelo povo como um progresso. Progresso porque “temos trabalho e temos salário”. Em Nova Ponte, passou a predominar a relação do trabalho assalariado no campo. Se compararmos o movimento contra a construção da usina hidrelétrica de Machadinho, no Alto Uruguai, com a não-mobilização da população novapontense, percebemos que as comunidades polonesas de Machadinho eram formadas em sua maioria por pequenos agricultores que ainda possuíam sua terra para trabalho, conforme mostra Aurélio Vianna (1992). Esse fato foi marcado inclusive por confrontos diretos entre a população atingida e os funcionários da Companhia Elétrica do Sul (ELETROSUL).
Mostrar mais

9 Ler mais

Análise de agrupamento, com base na composição físico-química, de amostras de méis produzidos por Apis mellifera L. no Estado de São Paulo.

Análise de agrupamento, com base na composição físico-química, de amostras de méis produzidos por Apis mellifera L. no Estado de São Paulo.

XXII 100 eucalipto São José do Rio Preto XXI 98 eucalipto Torrinha XXII 103 eucalipto Luís Antonio XXII 105 eucalipto Barretos XXII 110 eucalipto Luís Antonio XXII 121 eucalipto Araçatu[r]

10 Ler mais

Show all 10000 documents...