Top PDF Influência do sombreamento no crescimento de mudas de cumaru (Dipteryx odorata (Aubl.) Willd. - Fabaceae), cultivadas em viveiro.

Influência do sombreamento no crescimento de mudas de cumaru (Dipteryx odorata (Aubl.) Willd. - Fabaceae), cultivadas em viveiro.

Influência do sombreamento no crescimento de mudas de cumaru (Dipteryx odorata (Aubl.) Willd. - Fabaceae), cultivadas em viveiro.

Médias do número dc folhas, peso de matéria seca de folhas, caule, raiz, matéria seca total e razão parte aérea/sistema radicular de mudas dc Dipteryx odorata da primeira medição (09/1[r]

8 Ler mais

Influência do sombreamento no crescimento de mudas de três espécies amazônicas.

Influência do sombreamento no crescimento de mudas de três espécies amazônicas.

Resumo – O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho de mudas de caroba (Jacaranda copaia (Aubl.) D. Don.), jatobá (Hymenaea courbaril L.) e pau-de-balsa (Ochroma lagopus (Cav. ex. Lam.) Urban) sob diferentes níveis de sombreamento, em viveiro. O experimento foi realizado na Estação Experimental de Silvicultura Tropical (EEST) do Inpa, em Manaus, AM. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com cinco tratamentos: dois tratamentos com 50% de sombra durante 15 e 30 dias, respectivamente, e o restante do período a pleno sol (0%), e três tratamentos com sombreamento a 30, 50 e 70%, respectivamente, obtido com o uso de telas de polipropileno, de cor preta. Foram avaliados o diâmetro do colo, a altura total da parte aérea das mudas, o comprimento das raízes, a massa de matéria seca de raízes, caule e folhas, a área foliar e as relações altura/diâmetro do colo e parte aérea/ sistema radicular. Hymenaea courbaril teve seu crescimento prejudicado quando cultivada sob 70% de sombra. As mudas de Ochroma lagopus e Jacaranda copaia apresentaram maior crescimento sob sombra, porém a qualidade das mudas foi prejudicada. Na tomada de decisão sobre qual sombreamento a ser usado, devem ser considerados, principalmente, os parâmetros que refletem um crescimento equilibrado da muda como um todo e um bom desenvolvimento radicular.
Mostrar mais

8 Ler mais

Estudo do crescimento e qualidade de mudas de marupá (Simarouba amara Aubl.) em viveiro.

Estudo do crescimento e qualidade de mudas de marupá (Simarouba amara Aubl.) em viveiro.

No estudo de Almeida et al. (2005) mudas de Jacaranda puberula apresentaram maior crescimento, inclusive em área foliar, quando cultivadas sob 30% de sombreamento, mostrando-se 70% de sombra nas condições de viveiro estudada ser prejudicial ao crescimento dessas mudas. Enquanto que em mudas de sumaúma (Ceiba pentandra), cedrorana (Cedrelinga catenaeformis) e Calophyllum angulare cultivas em viveiro sob diferentes sombreamentos, apresentaram maior área foliar sob 70% de sombra, resultados apresentados nos estudos de Pedroso e Varela (1995); Farias et al. (1997) e Muroya et al. (1997), respectivamente.
Mostrar mais

8 Ler mais

Influência de diferentes níveis de sombreamento sobre o crescimento de mudas de cafeeiro (Coffea arabica L.).

Influência de diferentes níveis de sombreamento sobre o crescimento de mudas de cafeeiro (Coffea arabica L.).

O experimento foi conduzido no período de se- tembro de 1999 a abril de 2001, no viveiro de produ- ção de mudas do Setor de Cafeicultura do Departa- mento de Agricultura da Universidade Federal de La- vras (UFLA), no município de Lavras, localizado na região sul no Estado de Minas Gerais. O local do ex- perimento está a uma altitude média de 918 m dentro da latitude 21º14 S e longitude 45º00 W GRW. As médias anuais de temperatura do ar, máxima e míni- ma, são respectivamente de 26,1ºC e 14,4ºC, e a tem- peratura média anual é de 19,4ºC. A precipitação total anual é de 1529,7 mm. O clima regional é do tipo Cwa, mas apresenta características de Cwb com duas estações distintas: seca (de abril a setembro) e chuvo- sa (de outubro a março), segundo a classificação de Köppen.
Mostrar mais

7 Ler mais

QUALIDADE DE MUDAS DE JARACATIÁ SUBMETIDAS A DIFERENTES PERÍODOS DE SOMBREAMENTO EM VIVEIRO.

QUALIDADE DE MUDAS DE JARACATIÁ SUBMETIDAS A DIFERENTES PERÍODOS DE SOMBREAMENTO EM VIVEIRO.

O manejo da luz, tanto em qualidade (HENRIQUE et al., 2011) quanto em quantidade (TATAGIBA et al., 2010), é decisivo para o crescimento, desenvolvimento e partição de assimilados das plantas em condições de viveiro. Fonseca et al. (2002), estudando o efeito do período de sombreamento sobre o padrão de qualidade de mudas de T. micrantha, determinaram as combinações mais adequadas de tempo de permanência das mudas nas condições de viveiro sombreado, e o tempo de exposição ao pleno sol leva as mudas a atingirem índices de qualidade adequados. Demonstraram que o sistema de raízes foi a parte da planta que sofreu a maior influência do tempo de sombreamento. Quanto maior o período de sombreamento, menor é o crescimento do sistema de raízes e menor o diâmetro do coleto. Também, o aumento do período de sombreamento aumentou a altura e a área foliar, desequilibrando, assim, a partição de assimilados em favor da parte aérea da muda. Com a parte aérea maior há maior perda de água e, sem um sistema radicular adequado, a sobrevivência das mudas após o plantio fica dificultada.
Mostrar mais

8 Ler mais

CAMILA IWASAKI O DESAFIO DO ABANDONO ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DO PROJETO JOVEM DE FUTURO EM TRÊS ESCOLAS PAULISTAS

CAMILA IWASAKI O DESAFIO DO ABANDONO ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DO PROJETO JOVEM DE FUTURO EM TRÊS ESCOLAS PAULISTAS

objetivos específicos, a saber: (i) esmiuçar a estruturação do Jovem de Futuro em São Paulo, detalhando seus elementos e seu processo de implementação, bem como descortinar sua implantação nas três escolas pesquisadas, contemplando suas realidades e contextos; (ii) compreender a visão dos gestores das escolas sobre os motivos do abandono escolar, visando identificar a influência de suas crenças na escolha de atividades que impactam ou não no combate ao abandono; (iii) analisar a relação entre abandono escolar e melhoria do desempenho acadêmico nas escolas pesquisadas, de modo a identificar os desafios concretos para a gestão, associados ao alcance de resultados; (iv) reunir e aprofundar o entendimento sobre o referencial teórico sobre as causas e soluções para o abandono no Ensino Médio; (v) propor, com base na análise comparativa dos resultados da pesquisa nas três escolas e à luz do referencial teórico, um Plano de Ação Educacional, com ações para o aprimoramento do Projeto Jovem de Futuro e para que os gestores das escolas consigam combater de maneira mais efetiva o abandono no Ensino Médio.
Mostrar mais

150 Ler mais

Emergência de plântulas e crescimento de mudas de jatobá com uso de bioestimulante e sombreamento.

Emergência de plântulas e crescimento de mudas de jatobá com uso de bioestimulante e sombreamento.

Na segunda etapa, avaliou-se o crescimento inicial da muda, tendo sido as plântulas, 100 dias após a semeadura, transplantadas para recipientes de polietileno de 10 x 20 cm, contendo como substrato a mistura de terra + areia + plantimax® (1:1:1) (v:v) que foram colocados em três diferentes ambientes: 30% e 50% de interceptação de luz e a pleno sol. Foram realizadas cinco avaliações de altura da planta (H - cm), diâmetro do colo (D - mm), e a clorofi la (Cl) com auxílio do SPAD 502, quando as mudas tinham 162, 178, 194, 210 e 226 dias após a semeadura e apenas uma avaliação de taxa fotossintética (A - μ mol m -2 s -1 ), transpiratória (E - Mmol m -2 s -1 ), e condutância
Mostrar mais

7 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

O Processo Seletivo Interno (PSI) mostra-se como uma das várias ações e medidas que vêm sendo implementadas pela atual gestão da Secretaria de Estado.. Importante ressaltar [r]

123 Ler mais

Crescimento de mudas de pau-ferro sob diferentes níveis de sombreamento.

Crescimento de mudas de pau-ferro sob diferentes níveis de sombreamento.

O sombreamento induziu aumento no diâ- metro de colo das mudas, apresentando diferença signiicativa entre os tratamentos. Entretanto, esta diferença foi maior para as mudas cultivadas sob 50% de sombreamento (Figura 1b), quando comparadas com as cultivadas sob 0% e 70% de sombreamen- to, reforçando o fato de a espécie ser classiicada como secundária inicial. Resultados semelhantes foram observados para canela-batalha (Cryptocaria aschersoniama) (Almeida et al. 2004) e jatobá (H. courbaril) (Almeida et al. 2005). Por outro lado, Batiston et al. (2008) observaram comportamento diferente para Machaerium sp., a qual não apresentou variação no diâmetro de colo, quando submetida a diferentes níveis de sombreamento.
Mostrar mais

9 Ler mais

PROCESSO DE COMPRAS EM UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA FEDERAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS À LUZ DOS PRINCÍPIOS DO ACCOUNTABILITY

PROCESSO DE COMPRAS EM UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA FEDERAL NO ESTADO DE MINAS GERAIS À LUZ DOS PRINCÍPIOS DO ACCOUNTABILITY

Para Azevedo (2013), o planejamento dos gastos das entidades públicas é de suma importância para que se obtenha a implantação das políticas públicas, mas apenas planejar bem[r]

104 Ler mais

Regras de Prescrição de Dispositivos Médicos na Retenção/Incontinência em Idade Pediátrica e no Adulto – Normas de Orientação Clínica

Regras de Prescrição de Dispositivos Médicos na Retenção/Incontinência em Idade Pediátrica e no Adulto – Normas de Orientação Clínica

familiar, social e laboral 3. Os dispositivos médicos dispensados em farmácia da comunidade estão restritos aos produtos cuja utilização foi determinada pelo fabricante [r]

7 Ler mais

Revegetação de rejeito de beneficiamento de minério de ferro com espécies fabáceas de mata atlântica

Revegetação de rejeito de beneficiamento de minério de ferro com espécies fabáceas de mata atlântica

30 dias, ficando: -50; -125; -250 e -1000 kPa para os meses um, dois três e quatro, respectivamente. O crescimento das espécies foi avaliado por meio das taxas de crescimento da altura de caule (TCAC) e do diâmetro de caule (TCDC), avaliados em intervalos de 30, e das taxas de crescimento absoluto da parte aérea (TCApa) e das raízes (TCAr) após 120 dias do semeio, assim como o acúmulo de N, P e K na biomassa das plantas. O estresse hídrico interferiu negativamente nas variáveis avaliadas para ambas as espécies, promovendo redução das TCAC e TCDC no guapuruvu a partir do primeiro nível do EH (-125 kPa) e da cássia rosa a partir do segundo nível (-250 kPa). No entanto, dentre as duas espécies, o guapuruvu apresentou maiores TCAC, TCDC, TCApa, TCAr e maior acúmulo de P e K na sua biomassa seca, independentemente da disponibilidade hídrica. Na ausência do estresse hídrico, foram obtidas maiores TCAC, TCDC, TCApa, TCAr e acúmulo de nutrientes com a aplicação de 300; 400; 300 mg dm -3 de N; P e K, respectivamente,
Mostrar mais

106 Ler mais

REPROVAÇÃO NO 6º ANO: UM ESTUDO DE CASO EM TRÊS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

REPROVAÇÃO NO 6º ANO: UM ESTUDO DE CASO EM TRÊS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

No nível escolar, a Comunidade de prática de um diretor consiste de todos os professores. Cada professor tem um conhecimento e um interesse que devem ser selecionados e canalizados para promover a missão da escola. Por exemplo, um grupo de professores pode estudar uma nova pedagogia. Esse estudo pode consistir em professores lendo artigos profissionais e/ou livros sobre a pedagogia, frequentando oficinas ou cursos sobre a prática na qual eles usam em suas próprias salas de aula para implementação em toda a escola. O grupo de estudo pode, então, fazer uma recomendação ao diretor a respeito da implementação da mesma na escola. Se aquela recomendação for aceita, mais Comunidades de Prática serão formadas para a implementação dessa pedagogia em cada série, com professores compartilhando sucessos e desafios e apoiando o crescimento profissional um dos outros (MASON, 2010, apud MAGALDI & REIS, 2011, p. 61).
Mostrar mais

98 Ler mais

ELABORAÇÃO DA PROVA DO ENADE NO MODELO DO BANCO NACIONAL DE ITENS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

ELABORAÇÃO DA PROVA DO ENADE NO MODELO DO BANCO NACIONAL DE ITENS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Para se elaborar bons itens, Fontanive (2005) destaca como essenciais os seguintes aspectos: (a) o item deve ter exatidão de conteúdo, ou seja, não pode haver erros con[r]

90 Ler mais

GENIVALDO BATISTA RODRIGUES PROJETO DE ESCOLAS EM TEMPO INTEGRAL: DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DO AMAZONAS

GENIVALDO BATISTA RODRIGUES PROJETO DE ESCOLAS EM TEMPO INTEGRAL: DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DO AMAZONAS

1.1 CONTEXTO NACIONAL DA EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL NO BRASIL As experiências históricas no Brasil em relação à educação integral podem ser consideradas a partir de três movimentos his[r]

170 Ler mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado Flávio José de Araújo Mateus

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado Flávio José de Araújo Mateus

escola particular.. Ainda segundo os dados 7 fornecidos pela escola pública relativos à regulamentação das atividades dos docentes participantes das entrevistas, suas atribuições lhes [r]

112 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Ao considerar a notável melhoria nos resultados do Idepe alcançados pelas escolas de Ensino Médio após a implementação do Programa de Educação Integral, situação [r]

121 Ler mais

Substratos e indutores de florescimento em bromélias ornamentais

Substratos e indutores de florescimento em bromélias ornamentais

Paula et al. (2003), avaliando o crescimento de Edmundoa lidenii, em substratos contendo salvínia (Salvinia auriculata), verificaram que este material possui compor- tamento hídrico semelhante ao do xaxim e possibilitou desempenho superior nas avaliações de crescimento das plantas. DEMATTÊ (2005) observou o desenvolvimento de Tillandsia kaustshyi em substratos de origem vegetal, tendo como padrão uma mistura contendo xaxim, entre dezembro de 2000 e abril de 2002, e concluiu que esta bromélia pode ser cultivada em substrato constituído por 100% de fibra de coco. Araújo et al. (2007) avaliaram diferentes substratos no crescimento de orquídea Cattleya lodgesii ‘ALBA’ x Cattleya loddgesii ‘Atibaia’, visando substituir a fibra de xaxim, e
Mostrar mais

88 Ler mais

O CURSO DE PEDAGOGIA DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (Parfor) NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DE OLIVENÇA (AM)

O CURSO DE PEDAGOGIA DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (Parfor) NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DE OLIVENÇA (AM)

A realização deste trabalho teve como referencial teórico as reflexões de autores como Saviani (2009), auxiliando na discussão sobre os aspectos históricos da formação dos professore[r]

170 Ler mais

Atributos do solo e flora infestante em sistema de semeadura direta do milho na palha de leguminosas arbóreas

Atributos do solo e flora infestante em sistema de semeadura direta do milho na palha de leguminosas arbóreas

Considerando que a estrutura do solo desempenha papel de destaque no crescimento de plantas e no controle da erosão e, por conseguinte, na produção de alimentos e na conservação do solo e da água, Portela et al. (2010) realizaram pesquisa com o objetivo de implementar e acompanhar o processo de restauração da estrutura de um solo degradado, por meio de sequências culturais (gramíneas e leguminosas de inverno e verão, dispostas nos modos de cultivo isolado e consorciado), implantadas em semeadura direta. A superfície de solo não mobilizada e com pouca cobertura por resíduo cultural foi a que mais favoreceu a enxurrada e a erosão, enquanto que a superfície de solo inteiramente coberta por resíduo cultural – tenha sido ela não mobilizada ou recém-escarificada – controlou a enxurrada de modo eficaz e impediu a erosão.
Mostrar mais

70 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados