Top PDF Instrução a rituais de banimento

Instrução a rituais de banimento

Instrução a rituais de banimento

'e eu (anhasse uma li)ra por ada pessoa que he(ou pra mim e disse*+oh*eu não 'e eu (anhasse uma li)ra por ada pessoa que he(ou pra mim e disse*+oh*eu não me importo om rituais de )animento+,e* em se(uida* per(untou por que estava me importo om rituais de )animento+,e* em se(uida* per(untou por que estava tendo pro)lema om a ma(ia, eu provavelmente teria* hm- Bom* dinheiro o tendo pro)lema om a ma(ia, eu provavelmente teria* hm- Bom* dinheiro o )astante pra omer um )om )ie num restaurante respeit/vel de %ondres. Um )astante pra omer um )om )ie num restaurante respeit/vel de %ondres. Um Ritual de Banimento 0 um
Mostrar mais

6 Ler mais

Os Rituais Satãnicos - Anton LaVey.pdf

Os Rituais Satãnicos - Anton LaVey.pdf

Eu existi, eu existo, e para todo o sempre eu existirei. Eu exerço domínio sobre todas as criaturas e coisas que estão sob a proteção de minha imagem. Eu sou eternamente presente para auxiliar todo aquele que em mim crê e a mim invoca em tempo de necessidade. Não há lugar no universo que não conheça minha presença. Eu participo de todas as coisas as quais os outros chamam “mal” por não aprovarem sua natureza. Toda Era possui seu próprio regente, que dirige todas as coisas de acordo com meus decretos. Este ofício é transitório de geração à geração, pois o soberano deste mundo e seus ministros podem delegar os deveres de seus respectivos ofícios, cada qual a seu próprio turno. Eu permito a cada um seguir os ditames de sua própria natureza, mas aquele que a mim se opor disto se arrependerá amargamente. Nenhum deus tem o direito de interferir em meus domínios, e eu fiz disto uma lei suprema para o mundo abster-se de adorar quaisquer deuses. Todos os livros alheios são alterados por eles, e os povos os renegam, ainda que escritos pelos profetas e apóstolos. Que lá há alteração é visto no fato de cada seita dedicar-se a provar que as outras estão erradas e destruir seus livros. Verdade e calúnia são minhas conhecidas. Quando a tentação aproxima-se, eu ofereço meu pacto àquele que em mim crê. Mais do que isto, eu aconselho os governantes, pois eu assim os nomeei para épocas que me são conhecidas. Eu aponto afazeres necessários e os executo na hora certa. Eu ensino e guio aqueles que seguem minha instrução. Aquele que a mim e meus mandamentos obedecer, terá prazer, deleite, e conforto.
Mostrar mais

96 Ler mais

221680320 Os Rituais Satanicos

221680320 Os Rituais Satanicos

Eu existi, eu existo, e para todo o sempre eu existirei. Eu exerço domínio sobre todas as criaturas e coisas que estão sob a proteção de minha imagem. Eu sou eternamente presente para auxiliar todo aquele que em mim crê e a mim invoca em tempo de necessidade. Não há lugar no universo que não conheça minha presença. Eu participo de todas as coisas as quais os outros chamam “mal” por não aprovarem sua natureza. Toda Era possui seu próprio regente, que dirige todas as coisas de acordo com meus decretos. Este ofício é transitório de geração à geração, pois o soberano deste mundo e seus ministros podem delegar os deveres de seus respectivos ofícios, cada qual a seu próprio turno. Eu permito a cada um seguir os ditames de sua própria natureza, mas aquele que a mim se opor disto se arrependerá amargamente. Nenhum deus tem o direito de interferir em meus domínios, e eu fiz disto uma lei suprema para o mundo abster-se de adorar quaisquer deuses. Todos os livros alheios são alterados por eles, e os povos os renegam, ainda que escritos pelos profetas e apóstolos. Que lá há alteração é visto no fato de cada seita dedicar-se a provar que as outras estão erradas e destruir seus livros. Verdade e calúnia são minhas conhecidas. Quando a tentação aproxima-se, eu ofereço meu pacto àquele que em mim crê. Mais do que isto, eu aconselho os governantes, pois eu assim os nomeei para épocas que me são conhecidas. Eu aponto afazeres necessários e os executo na hora certa. Eu ensino e guio aqueles que seguem minha instrução. Aquele que a mim e meus mandamentos obedecer, terá prazer, deleite, e conforto.
Mostrar mais

124 Ler mais

Recomposição dos rituais contemporâneos : a peregrinação

Recomposição dos rituais contemporâneos : a peregrinação

O rito é acima de tudo um agir, uma modalidade de fazer, um conjunto de condutas corporalizadas (Maisonneuve, 1988) que não tem necessariamente de comportar uma compreensão intelectual. O rito é gesto e, nessa medida, é linguagem e signo inscrito no corpo.Nas palavras de Liliane Voyé (1995: 106- 107), é um “modo de comunicação e de relação com os outros ou com uma transcendência, marca a iniciação, a inauguração, a regeneração. Gesto que faz memória, que comemora, ele inscreve-se num projecto”. E quando se fala em ritual, por regra, é accionado um mecanismo de associação a religião. Não é por acaso que este foi o primeiro tipo de rituais a despertar a atenção de antropólogos e sociólogos. Efectivamente, é o observatório mais rico deste fenómeno até pela complexidade de símbolos com os quais surge combinado.
Mostrar mais

13 Ler mais

Os rituais de passagem segundo adolescentes.

Os rituais de passagem segundo adolescentes.

Objetivo: Identificar as impressões de adolescentes acerca do que poderia representar um ritual de passagem. Métodos: Estudo descritivo realizado junto a 751 adolescentes de ambos os sexos, entre 12 e 20 anos, que freqüentavam três escolas públicas do ensino fundamental e médio da região de Santo Eduardo do município de Embu, São Paulo. Resultados: Após análise de conteúdo desvelamos as categorias: mudanças físicas; mudanças psicológicas (subcategorias: responsabilidade, experiências, conflitos); mudanças sociais (subcategorias: identidade social, corpo social, inter-relacionamentos); comportamento sexual (subcategorias: interesse sexual, intercurso sexual); fatos traumáticos (subcategorias: sentimento de perda, luto pela infância perdida); independência. Conclusão: Os rituais de passagem relacionam-se diretamente com a mudança corporal, produto do adolescer, sendo ocorrências marcantes e significativas na vida do individuo.
Mostrar mais

8 Ler mais

Aspectos dos rituais de passagem em Dickens

Aspectos dos rituais de passagem em Dickens

Tanto em Vavid Coppoji^izld quanto em G-teoí... Ú.[r]

9 Ler mais

Análise do movimento em rituais umbandistas.

Análise do movimento em rituais umbandistas.

RESUMO – A presente pesquisa teve como objetivo fazer a análise do movimento em rituais umbandistas e, dessa forma, contribuir para o conhecimento da sua linguagem corporal, assim como fornecer subsídios para o desenvolvimento de uma etnopsicologia brasileira. Para efeito de análise, foi utilizado o método Laban, que visa analisar, segundo elementos de esforço, a movimentação corporal, assim como a tonicidade muscular, em relação ao peso, tempo, espaço e fl uência. Foram examinados registros em vídeo de diversas classes de “espíritos” do panteão umbandista. A análise dos movimentos peculiares às diversas classes de “espíritos” mostrou que elas diferenciam-se umas das outras por padrões que as caracterizam em relação aos elementos de esforço analisados. Concluiu-se ser possível utilizar o método Laban para discriminar categorias do panteão umbandista e, dessa forma, acrescer o conhecimento a respeito da linguagem corporal nesse culto.
Mostrar mais

9 Ler mais

Rituais para entrar ou sair da moda

Rituais para entrar ou sair da moda

Este trabalho tomará o caso de Beth e Davi como exemplar para pensar o fenô- meno bastante atual de singularização dos modos de vestir ao revés da moda, con- siderando entrevistas e mate[r]

7 Ler mais

Os rituais da construção da subjetividade masculina

Os rituais da construção da subjetividade masculina

RESUMO: O texto discute os rituais da construção da subjetividade masculina, apontando as dificuldades atuais vividas pelo homem, a necessidade de diferenciação em relação à mulher e o fato de que, ao contrário dela, ele é construído negativamente, ou seja, não deve ser um bebê, não deve ser uma mulher e não deve ser um homossexual. Destaca que tal fenômeno é engendrado pelo patriarcado, que define e controla as relações sociais de gênero há séculos. Afirma que, embora tal sistema sociocultural venha perdendo sua força, favorecendo a expressão de algumas capacidades socialmente consideradas “femininas”, por outro lado, vem deixando os homens confusos devido à crescente multiplicidade dos papéis de gênero, o que tem caracterizado, para diversos pensadores sociais, uma crise da subjetividade masculina. Finalmente, denuncia o contexto de violência frequente em que ainda são construídos os homens, na atualidade.
Mostrar mais

16 Ler mais

O uso de rituais na jornada pela transicionalidade

O uso de rituais na jornada pela transicionalidade

Cassandra tinha uma coleção com vinte e sete gnomos na estante de sua casa, para que se sentisse bem e o mal fosse afastado, precisava tocar o nariz dessas estátuas uma por uma. Um eficiente ritual mágico para exorcizar as forças do mal que habitavam sua mente. Precisava dar um toque preciso, com determinada força e jeito, caso contrário devia repetir tudo de novo. Nos seus dias de maior tensão, perdia horas presa nesse ritual. “Meus gnomos são meus amiguinhos, eu me sinto cercada por eles, mas tem um que eu tenho medo, é um que tem o pezinho quebrado, acho que quebrei sem querer, mas mesmo assim ele fica lá com os outros”. Anos depois desse ocorrido, outros rituais foram se somando ao seu repertório. Necessitava fechar o chuveiro de uma maneira muito específica, nenhuma gota poderia continuar caindo após o fechamento total do registro, caso contrário, algo ruim aconteceria. Ela dedicava um tempo considerável para atingir a perfeição do gesto, pois o cair da água precisava ser interrompido precisamente. A imagem das gotas do chuveiro seriam lágrimas contidas? Para que não houvesse lágrimas, não poderia haver gotas? Havia uma poética dentro deste cenário. Mesmo em seus sonhos, habitava uma mescla entre a poética e o horror. Certa vez, sonhou com um macabro ônibus que estacionava na frente de sua casa e dele saíam muitas pessoas com hanseníase, as quais caminhavam em sua direção e de sua filha. O caminhar dessas entidades surtia o efeito de tensão em Cassandra, o maligno vinha de forma lenta e retorcida, alguns desses doentes estavam com partes do corpo dilaceradas, sem pernas, braços ou olhos, semelhantes a zumbis de seriados televisivos que estava acostumada a assistir.
Mostrar mais

134 Ler mais

Sacrifício de animais em rituais religiosos

Sacrifício de animais em rituais religiosos

O presente estudo tratará da colisão entre os preceitos constitucionais de liberdade de crença e do meio ambiente ecologicamente equilibrado no sacrifício de animais em rituais religiosos. O estudo tem por objetivo apresentar os conceitos e particularidades de ambos os princípios constitucionais citados, bem como verificar se há possibilidade de se entender se o sacrifício de animais fere ou não a defesa do meio ambiente. Para tanto, utilizou-se o método de abordagem dedutivo e o método comparativo de procedimento. Quanto ao nível, trata-se de pesquisa exploratória, tendo como procedimento a pesquisa bibliográfica, através da qual foi possível verificar doutrinária e jurisprudencialmente a forma como hoje é tratada a colisão e a possível solução de conflito entre preceitos constitucionais. Realizadas tais análises, chegou- se à conclusão de que existem práticas cruéis no sacrifício de animais em rituais religiosos, o que fere o direito constitucional ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, podendo-se, como sugestão, promulgar Lei Ordinária para regulamentar ou proibir este tipo de sacrifício.
Mostrar mais

124 Ler mais

Rituais do espetáculo de ciclismo: hierarquias e seu significado

Rituais do espetáculo de ciclismo: hierarquias e seu significado

A arquitetura do pódio é concebida para discriminar o acesso ao palco, que é, no fim da corrida, o centro e o foco das atenções. Para além dos ciclistas ven­ cedores, só acedem ao pódio os indivíduos de maior valor político, económico e social para a organização do evento. As distâncias que a restante comitiva e o público devem manter estão perfeitamente delineadas, fisicamente delimitadas, quebradas apenas por portas de acesso muito vigiadas. A privatização do espaço do pódio oferece agora à televisão o lugar privilegiado que a imprensa escrita teve nas primeiras décadas e que, logo depois, com a rádio partilhou. Este espaço é também um lugar de conflito, no qual se questionam estas barreiras bem como a legitimidade dos privilégios de uns em face dos outros, e revela outras hierar­ quias que não apenas aquelas que o próprio pódio simboliza e celebra. O tempo do pódio, acelerado e muito intenso, é também o enunciado dos novos rituais de preparação, produção e realização do espetáculo.
Mostrar mais

23 Ler mais

Ciberespaço e rituais: tecnologia, antropologia e criatividade.

Ciberespaço e rituais: tecnologia, antropologia e criatividade.

Resumo: O ciberespaço provoca uma revolução antropológica sem precedentes. O autor propõe que as tecnologias interativas nos fazem retornar a formas de comunicação próximas a rituais tribais e religiosos e suas lógicas de participa- ção e pensamentos mágicos. As interações do cibercorpo geram uma zona de intervalo entre o corpo e as tecnologias. A ciberarte explora qualidades artísticas e estéticas das tecnologias interativas oferecendo momentos onde o corpo interfaceado habita limites entre o mundo real e virtual. Diferentes tipos e níveis de interatividade, o princípio da mutabilidade, do efêmero, do vir a ser, em processos que demandam reciprocidade, implicação, colaboração, partilhando informações no ciberespaço são propostos em dois recentes projetos artísticos relacionados à herança cultural de rituais.
Mostrar mais

18 Ler mais

Rituais de resistência: experiências pedagógicas tapeba

Rituais de resistência: experiências pedagógicas tapeba

Tendo em mente as condições de interação, relação e reflexividade inerente às performances culturais, acredito ser possível pensar os “rituais pedagógicos” dos Tapeba como espaços e tempos privilegiados no processo de construção e afirmação de suas identidades étnicas. Ao falar em rituais, refiro-me também ao aspecto socializador do fenômeno educativo, uma vez que eles podem ser compreendidos, segundo uma análise “crítica” da escola, sugerida por McLaren (1991, p.30), como “transmissores de códigos culturais (informação cognitiva e gestual) [...] que capacitam os estudantes para negociar entre os vários sistemas simbólicos que têm sido acalantados pela sociedade maior e magnificados pela cultura dominante”. Destacando, desse modo, o caráter interativo dos processos rituais, dramatizado em ações simbólicas semanticamente orientadas pelo tema do preconceito e afirmação de uma identidade coletiva, busco compreender como os Tapeba ressignificam, por meio de práticas pedagógicas “ritualizadas”, estigmas e símbolos tidos como negativos.
Mostrar mais

209 Ler mais

Processos patrimoniais: rituais, espíritos e panteões

Processos patrimoniais: rituais, espíritos e panteões

Entretanto, impôs-se a constatação do facto que a sacralização patrimonial não consiste em efectuar a simples passagem de uma nova classe de objectos do domínio do profano para o domínio do sagrado (ou, se quisermos, a passagem do objecto patrimonial da classe dos objecto profanos para a classe dos objectos sagrados), como se a delimitação e a definição destes domínios permanecesse intacta no decorrer do processo e após ele. Antes, encarei os novos processos de patrimonialização (recentes se considerados no plano de fundo do tempo longo das inscrições memoriais), como participando na reorganização e contribuindo para aprofundar a alteração do conjunto das relações entre profano e sagrado, no plano das concepções como no plano das práticas. Mas o envolvimento com o sagrado não se esgota no processo – ritualizado - de patrimonialização. Pelo contrário este, ao produzir novos objectos e lugares de culto, suscita novos investimentos afectivos, novas práticas devocionais, novos rituais de culto. Para caracterizar a reconfiguração da relação das sociedades contemporâneas com o sagrado que acompanha e resulta da proliferação dos processos de patrimonialização, propus o recurso a noção de “regime de sacralidade” 2 , chamando assim a atenção para o carácter regulado das oposições, dos actos que provocam a passagem de um estatuto (“profano”, “sagrado”) para o oposto, e permitem a reversão para o anterior. “Regime” evoca não só a (re)definição dos caracteres próprios de cada domínio de objectos, como a existência de regras quanto aos modos de relacionamento entre eles, e quanto aos rituais que convém observar na “gestão” das passagens ou nas celebrações que lhes são devidas. Os rituais de patrimonialização e os cultos patrimoniais seriam nesta óptica vistos não como uma simples extensão do regime precedente (ou uma “transferência”) mas como a instauração dum novo regime de sacralidade: um novo sistema de relações, de concepções e de práticas.
Mostrar mais

24 Ler mais

Regras, rotinas e rituais em famílias reconstituídas

Regras, rotinas e rituais em famílias reconstituídas

Após a análise dos objetivos do presente estudo verificaram-se os seguintes resultados: tanto os pais e/ou mães, como os seus companheiros (as) estão presentes na rotina das crianças;[r]

48 Ler mais

Instrução de

Instrução de

A Avaliação Inicial e o PAI precisam ser encaminhados, com relação de remessa, para a Escola Regular quando esta for diversa da Escola da sala de recursos.. Todos os Anexos precisam ser[r]

16 Ler mais

Dádiva ou maldição de um bem mineral: o conflito entre o uso controlado seguro do amianto e o seu banimento completo

Dádiva ou maldição de um bem mineral: o conflito entre o uso controlado seguro do amianto e o seu banimento completo

Todavia, em face dos argumentos apresentados ao longo deste trabalho, dos inegáveis impactos historicamente provocados na saúde humana pelo aproveitamento de um recurso ambiental escasso e, ainda, pelo fato de o grupo de atores defensores do banimento total do amianto ser liderado pela Abrea e pelos operadores do Direito na área trabalhista, que lutam por melhores condições de saúde, principalmente no ambiente ocupacional, conclui-se que este conflito tem, sim, natureza socioambiental, embora com fortes raízes econômicas. Com a recente modificação do entendimento da Corte Suprema acerca da competência dos entes federativos para legislarem sobre o amianto, a crescente pressão mundial contra o uso desse bem mineral, com base no Princípio da Precaução, e a descoberta de materiais substitutos a preços mais baixos e qualidade equivalente, é provável que ele seja gradativamente banido nos próximos anos, pondo fim a tão duradouro conflito.
Mostrar mais

29 Ler mais

Rituais manuscritos: cura, benzedura e performances rituais entre imigrantes alemães no sul do Brasil

Rituais manuscritos: cura, benzedura e performances rituais entre imigrantes alemães no sul do Brasil

A tradição dizia que esses saberes deveriam ser repassados de uma mulher para um homem e de um homem para uma mulher. Assim, Clary se dirigiu a Padre Eterno Alto, sabendo que seu tio Artur ainda aguardava uma mulher para transmitir suas técnicas. Como a distância, apesar de não ser exatamente longa, era um empecilho devido ao trajeto difícil e à necessidade de um meio de transporte, Clary foi apenas uma vez visitar seu tio com o intuito de aprender a tradição familiar. Logo, Artur lhe ensinou primeiramente as rezas mais básicas e as mais úteis, redigindo um caderno com as práticas. Tempo depois, Clary planejava visitá- lo uma segunda vez, mas o tio Artur faleceu antes que fosse possível. A esposa de Artur lhe entregou os cadernos manuscritos que o marido havia compilado, que contavam com inúmeras orações, rituais e símbolos com as mais diferentes funções, para que ela pudesse estudar e dominar também estes, uma vez que o tio não tivera tempo de ensiná-la. Assim, os cadernos permaneceram em sua posse e por vezes Clary experimentava uma nova reza dos cadernos para ver se funcionavam com ela. Afinal, o conteúdo dos cadernos não era acessível a qualquer um. Para que funcionassem, era necessário possuir die Kraft, a força. Esse “dom” não era necessariamente hereditário, mas como em sua família era bastante comum, havia maiores chances de Clary ter também. E tinha. Desse modo, Clary foi capaz de utilizar os saberes recebidos de seu tio para ajudar os filhos, os vizinhos e parentes. Em seguida, a fama
Mostrar mais

26 Ler mais

Os Rituais Cabalísticos

Os Rituais Cabalísticos

=alemos, então, sobre os rituais3 eles se dividem em diários, semanais, mensais e anuais! 9m cabalista fa# tr.s rituais diariamente3 o primeiro é feito pela man&ã e é muito simples, pois os rituais da ?abala& são sempre muito simples, apesar de muitos! 2ela man&ã, recomendase a leitura do (almo 2essoal-3 a Tradição nos di# que o (almo 2essoal é calculado somandose H ' idade em que estamos, até o próximo aniversário!  $esse dia, passamos ao salmo se%uinte! $ós sempre lemos um salmo ' frente da nossa data de nascimento,  pois ele irá conter exatamente o que precisamos cumprir 
Mostrar mais

5 Ler mais

Show all 1663 documents...