Top PDF Lei n.º 1248 Regulamenta o Triênio

Lei n.º 1248   Regulamenta o Triênio

Lei n.º 1248 Regulamenta o Triênio

1º - A Gratificação de Tempo de serviço para o pessoal ativo e inativo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro será devida por triênios, sendo o primeiro[r]

2 Ler mais

Lei n.º 2153   Regulamenta a Concessão de Pensão Especial

Lei n.º 2153 Regulamenta a Concessão de Pensão Especial

Art. 4º Do valor da pensão concedida pela presente lei serão abatidas as importâncias correspondentes à pensão recebida do IPEG e outras pensões concedidas pelo Estado. Art. 5º A habilitação dos beneficiários à percepção da pensão prevista no artigo 2º dessa lei, observada a linha de sucessão vigente para os contribuintes d pensão militar, será feita junto às Corporações respectiva, às quais competem os atos administrativos correlatos e o pagamento correspondente.

2 Ler mais

Lei n.º 5271   Regulamenta o Serviço Prestado pelo Tarefa Por Tempo Certo

Lei n.º 5271 Regulamenta o Serviço Prestado pelo Tarefa Por Tempo Certo

§1º O prestador da tarefa por tempo certo estabelecida pelo caput deste artigo, além do Adicional “Pro Labore”, também fará jus aos seguintes benefícios, enquanto.. permanecer [r]

4 Ler mais

Decreto n.º 32604   Regulamenta a Lei n.º 1234   Raio X

Decreto n.º 32604 Regulamenta a Lei n.º 1234 Raio X

Art. 7º O militar afastado por apresentar indício de lesões radiólogicas e ao qual tenham sido atribuídas tarefas sem risco de irradiação, deixará de fazer jús aos direitos e vantagens instituídos pela Lei número 1.234, de 14 de novembro de 1950, se uma vez julgado apto em inspeção de saúde não reassumir, por qualquer motivo as suas novas funções primitivas ou trabalhos, em virtude dos quais lhe foram assegurados os citados direitos e vantagens.

2 Ler mais

Lei n.º 3269   Regulamenta a Dispensa do Serviço por Doação de Sangue

Lei n.º 3269 Regulamenta a Dispensa do Serviço por Doação de Sangue

Parágrafo único – A licença a que se refere o “caput” deste artigo, é constituída de um dia de abono a ser concedido aos servidores públicos estaduais que doarem sangue. §1º - A licença, a que se refere o caput deste art., é constituída de um dia de abono, a ser concedido aos servidores públicos estaduais que doarem sangue, e deverá ser anotado positivamente em sua ficha funcional para os fins desta lei. (NR)

2 Ler mais

Lei n.º 2354   Regulamenta o Quantitativo das Vagas para QPMP na PMERJ

Lei n.º 2354 Regulamenta o Quantitativo das Vagas para QPMP na PMERJ

5º - Os graduados que optarem pela QPMP-O, na forma prevista nos artigos 2º e 3º desta Lei, terão a antigüidade na graduação preservada na nova Qualificação, para todos os efetivos, in[r]

2 Ler mais

(IN)EFICÁCIA DAS MEDIDAS PROTETIVAS NA LEI MARIA DA PENHA  Nefi Cordeiro

(IN)EFICÁCIA DAS MEDIDAS PROTETIVAS NA LEI MARIA DA PENHA Nefi Cordeiro

O quarto bloco, e último, que trata da temática de gênero e matérias penal e constitucional, elencando os seguintes trabalhos, autores/as e apresentadores/as: 13- (In)eficácia das medidas protetivas na Lei Maria da Penha, de autoria de Nefi Cordeiro; 14 - Da Lei Maria da Penha ao feminicídio: análise da violência doméstica e familiar e dos homicídios de mulheres no Brasil, de autoria de Lucelaine dos Santos Weiss Wandscheer; 15 - Aborto: um grave problema de saúde pública e de justiça social, de autoria de Maria Claudia Crespo Brauner e Liane de Alexandre Wailla e 16 - Legalização do aborto: medida democrática e inclusiva de direitos das mulheres, de autoria de Emmanuella Magro Denora e Fernando De Brito Alves.
Mostrar mais

22 Ler mais

A cavalaria portuguesa no cerco de Sevilha de 1248

A cavalaria portuguesa no cerco de Sevilha de 1248

D. Martim Gil de Soverosa, era tenente de Riba-Minho. Venceu a batalha do Porto, ao lado de D. Rodrigo Sanches, filho do rei D. Sancho I, que morreu nessa contenda, no ano de 1245. E acompanhou o rei D. Sancho II no seu exilio em Toledo, pois era rico-homem e valido na corte portuguesa, tendo sido uma das testemunhas no testamento do soberano. Recebeu terras no repartimento do território conquistado na tomada de Sevilha, apesar disso não temos a certeza que tenha integrado a cavalaria que participou no cerco de 1248. Casou com D. Inês Fernandes de Castro, que era filha de D. Fernão Guterres de Castro e de Dª. Milia Enegues de Mendoça, e desta união nasceram D. Teresa Martins, que foi casada com D. Rodrigo Anes Telo, ou segundo outras fontes, com D. Martim Pires da Maia, e D. Sancha Martins, que morreu ainda muito nova 143 .
Mostrar mais

98 Ler mais

A Implantação do modelo formal de ensino em Angola (Séculos XV-XX)

A Implantação do modelo formal de ensino em Angola (Séculos XV-XX)

Este decreto contém aquela que é, porventura, a mais profunda e renovadora das reformas educativas. No seu preâmbulo, podemos encontrar sistematizados os principais pressupostos reformistas, bem como a defesa da educação como via do progresso. Pela primeira vez na história portuguesa, a educação foi assumida como o motor do desenvolvimento integral do indivíduo sob o tríplice aspecto “[...] physico, intelectual e moral” (PORTUGAL, 1911a) e os professores vistos como os “[...] grandes obreiros da civilização” (PORTUGAL, 1911a). Para o efeito, a escola foi considerada um espaço neutro, “[...] nem a favor de Deus nem contra Deus [...]” (PORTUGAL, 1911a), registrando-se, assim, uma separação entre as funções do Estado Português e as funções da Igreja, assumida pela publicação da Lei da Separação do Estado da Igreja (PORTUGAL, 1911b).
Mostrar mais

26 Ler mais

A educação à distância e suas implicações no ensino superior

A educação à distância e suas implicações no ensino superior

O Decreto 5.622, da Lei de Diretrizes e Bases (LDB), de 2005, do MEC, que regulamenta os cursos a distância no Brasil, conceitua este tipo de ensino como “a modalidade ed[r]

141 Ler mais

LEGIBIDAD LA LEGISLACIÓN SEGURO SOCIAL BAJO LA LEY DE ACCESO A LA INFORMACIÓN

LEGIBIDAD LA LEGISLACIÓN SEGURO SOCIAL BAJO LA LEY DE ACCESO A LA INFORMACIÓN

§ 2º A data de início do benefício será fixada da mesma forma que a da aposentadoria por idade, conforme o disposto no art. 49. § 3º A concessão da aposentadoria especial dependerá de comprovação pelo segurado, perante o Instituto Nacional do Seguro Social–INSS, do tempo de trabalho permanente, não ocasional nem intermitente, em condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física, durante o período mínimo fixado. (Redação dada pela Lei nº 9.032, de 1995) § 4º O segurado deverá comprovar, além do tempo de trabalho, exposição aos agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física, pelo período equivalente ao exigido para a concessão do benefício. (Redação dada pela Lei nº 9.032, de 1995). [...]
Mostrar mais

28 Ler mais

Educação Especial e Inclusão Escolar: sondando uma micropolítica que propicie práticas inclusivas

Educação Especial e Inclusão Escolar: sondando uma micropolítica que propicie práticas inclusivas

BRASIL. Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e [r]

15 Ler mais

Fisioter. Pesqui.  vol.20 número4

Fisioter. Pesqui. vol.20 número4

Por im, a distribuição dos conceitos demonstra que a Área 21 está em consolidação, já que, nesse triênio, houve um aumento no número de PPGs com conceito 4 ou superior, apesar do grande per- centual de programas com conceito 3, decorrentes da sua recente entrada no sistema.

1 Ler mais

UARTE A LUNO N. º 35668 N OTA DE ABERTURA:

UARTE A LUNO N. º 35668 N OTA DE ABERTURA:

da moeda única e, mais relevante, do projeto europeu tal como foi pensado há sessenta anos.. atrás.[r]

49 Ler mais

Bordados e avessos no acolhimento institucional de bebês : um olhar pikleriano

Bordados e avessos no acolhimento institucional de bebês : um olhar pikleriano

A partir do Princípio da Prioridade Absoluta trazido pelo artigo 227 da Constituição Federal de 1988 2 , o Marco Legal ajusta o foco das lentes dos entes estatais, da sociedade e das famílias para verem e atenderem a especificidade dos primeiros anos de vida. A Lei 13.257/2016 traz à luz outros princípios, quais sejam: o interesse superior da criança; a participação das crianças; o respeito à sua individualidade, especificidade, ritmo de desenvolvimento e diversidade; a equidade, ou seja, eliminação da desigualdade de acesso aos bens da vida preciosos ao pleno desenvolvimento humano desde a gestação; a articulação entre ética, humanismo, política, evidências científicas de diversas áreas do conhecimento tais como educação, economia, psicologia, serviço social e saúde com a prática profissional; o estímulo a decisões participativas de organizações governamentais, sociedade, profissionais, mães e pais e, quando possível, das próprias crianças; a intersetorialidade e a descentralização das ações entre os entes estatais; a promoção da cultura do cuidado integral.
Mostrar mais

60 Ler mais

Concepções e obstáculos de aprendizagem no estudo da reprodução humana em crianças do 1º C.E.B. do meio rural

Concepções e obstáculos de aprendizagem no estudo da reprodução humana em crianças do 1º C.E.B. do meio rural

Passado um ano, a Lei 120/99 de 11 de Agosto vem reforçar as “Garantias do Direito à Saúde Reprodutiva”, consagrando medidas de promoção da Educação Sexual, da Saúde Reprodutiva, da Prevenção de Doenças Sexualmente Transmitidas, actualmente denominado pela comunidade científica como Infecções Sexualmente Transmitidas (IST) 7 (ME, 2000), bem como da Interrupção Voluntária da Gravidez dentro do quadro legal vigente (ME, 2000; Peixoto, 2001; Dias et al, 2002; APF, 2004). Através desta, preconiza-se que nos estabelecimentos dos ensinos básico e secundário seja implementado um programa para a promoção da saúde e da sexualidade humana, o aparelho reprodutivo e a fisiologia da reprodução, SIDA, e outras doenças sexualmente transmissíveis, os métodos contraceptivos e o planeamento da família, as relações interpessoais, a partilha de responsabilidades e a igualdade entre os géneros (MS, 2002). Aponta-se ainda, para formas de abordagem interdisciplinar, curricular e extracurricular, dos temas focados, e o estreitamento de colaboração entre os serviços e profissionais da saúde e da educação com orientações específicas para que nos planos de formação destes constem acções denominadamente sobre educação sexual e reprodutiva (ME, 2000; MS, 2002).
Mostrar mais

212 Ler mais

Janaína Grasso.pdf

Janaína Grasso.pdf

Durante a elaboração do projeto de pesquisa foram levantadas quatro universidades federais do país, para a possível análise. A Universidade Federal de São Paulo – Unifesp, destaca-se por estar situada na cidade de São Paulo, espaço onde a pesquisa foi desenvolvida. Em 2007, inaugura-se o curso de graduação em História, que oferta a disciplina objeto de análise História da África e coincide entre o período de implementação das leis 10.639/03 e 11.645/08. Esse fator indica que a universidade já cumpre através do seu currículo a regulamentação da Lei 11.645/08 em vigência e estabelece a disciplina História da África como disciplina obrigatória do aluno em ambas modalidades ofertadas: licenciatura e bacharel.
Mostrar mais

81 Ler mais

A GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS: A ATUAL SITUAÇÃO JURÍDICA DO INSTITUTO FRENTE AO EFEITO CONCRETISTA DAS DECISÕES DO STF EM MANDADO DE INJUNÇÃO E A APLICAÇÃO DA LEI 778389 NA REGULAMENTAÇÃO DESTE DIREITO

A GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS: A ATUAL SITUAÇÃO JURÍDICA DO INSTITUTO FRENTE AO EFEITO CONCRETISTA DAS DECISÕES DO STF EM MANDADO DE INJUNÇÃO E A APLICAÇÃO DA LEI 778389 NA REGULAMENTAÇÃO DESTE DIREITO

Decisão: Por maioria de votos, o Tribunal deferiu o pedido de mandado de injunção, nos termos do voto do Relator, para reconhecer a mora do Congresso Nacional em regulamentar o art. 37, VII, da Constituição Federal e comunicar-lhe a decisão, a fim deque tome as providências necessárias à edição de lei complementar indispensável ao exercício do direito de greve pelos Servidores Públicos Civis, vencidos, em parte, o Ministro Carlos Velloso, que também reconhecia a mora do Congresso Nacional e, desde logo, fixava as condições necessárias ao exercício desse direito, e os Ministros Sepúlveda Pertence e Marco Aurélio, que não conheciam do pedido. Votou o Presidente. Procurador-Geral da República, Dr. Moacir Antonio Machado da Silva, na ausência ocasional do Dr. Aristides Junqueira Alvarenga. Plenário, 19.05.94. (STF, MI 120/DF. Relator: Min. Celso de Mello. Julgamento em: 19/05/1994, publicado no DJ de 22-11-1996 p. 45690).
Mostrar mais

110 Ler mais

NCUMPRIMENTO DOC ONTRATO DE

NCUMPRIMENTO DOC ONTRATO DE

Estando em causa o mútuo de um valor monetário, que deve ser restituído prestacionalmente no decorrer de um determinado lapso temporal, não conseguindo, ou não querendo, o devedor entregar duas parcelas prestacionais sucessivas, previamente acordadas, será duvidoso que consiga, ou pretenda, devolver o montante total do crédito, quando para tal instado. Na eventualidade de verificação desta situação o credor poderá recorrer à resolução extra-judicial de litígios, nos termos do artigo 32º do Decreto-Lei 133/2009, sendo que, se o financiador for uma entidade bancária, poderá accionar um procedimento extrajudicial de regularização de situações de incumprimento (PERSI). Se a resolução extra-judicial não permitir a recuperação do capital, o financiador poderá ainda intentar processo declarativo para obtenção de título executivo nos termos dos artigos 548º e 552º e seguintes do Código de Processo Civil 133 , para posteriormente intentar acção executiva para pagamento de quantia certa contra o devedor, nos termos dos artigos 550º, 703º, número 1, alínea a), 704º e 724º e seguintes, todos do Código de Processo Civil 134 .
Mostrar mais

133 Ler mais

GESTÃO AMBIENTAL DE ATRATIVOS TURÍSTICOS NATURAIS DA APA CAVERNA DO MAROAGA, PRESIDENTE FIGUEIREDO/AM

GESTÃO AMBIENTAL DE ATRATIVOS TURÍSTICOS NATURAIS DA APA CAVERNA DO MAROAGA, PRESIDENTE FIGUEIREDO/AM

Um dos aspectos utilizados para inibição da degradação ambiental dos atrativos atualmente é o grande foco da atuação dos órgãos de governo na criação de reservas privadas na categoria Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). No entanto, para atender os dispositivos do Decreto nº 5.746, de 05 de abril de 2006, que regulamenta o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), Lei nº 9.985 de 18 de julho de 2000, quanto à criação de RPPN, o proprietário rural deve seguir pro- cedimentos administrativos para solicitação da instituição da referida reserva privada, porém como já observado os atrativos naturais da APA Caverna do Maroaga, mesmo, os situados em RPPN, não possuem licenciamento ambiental como Balneários e similares pelo Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas (IPAAM).
Mostrar mais

24 Ler mais

Show all 10000 documents...