Top PDF LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: ORIGENS E HISTÓRICO NO BRASIL.

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: ORIGENS E HISTÓRICO NO BRASIL.

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: ORIGENS E HISTÓRICO NO BRASIL.

Após admitir como prováveis as origens longínquas acima referidas, Rabello (1925).. 1 - Origens β expansão da Leishmaniose Tegumentar Americana no Brasil segundo as duas correntes. ana[r]

7 Ler mais

Leishmaniose tegumentar americana: histórico, epidemiologia e perspectivas de controle.

Leishmaniose tegumentar americana: histórico, epidemiologia e perspectivas de controle.

A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença causada por protozoá- rios do gênero Leishmania, transmitida ao homem pela picada de mosquitos flebo- tomíneos (Ordem Diptera; Família Psychodidae; Sub-Família Phlebotominae). No Brasil existem atualmente 6 espécies de Leishmania responsáveis pela doença huma- na, e mais de 200 espécies de flebotomíneos implicados em sua transmissão. Trata-se de uma doença que acompanha o homem des- de tempos remotos e que tem apresentado, nos últimos 20 anos, um aumento do núme- ro de casos e ampliação de sua ocorrência geográfica, sendo encontrada atualmente em todos os Estados brasileiros, sob diferentes perfis epidemiológicos. Estima-se que, en- tre 1985 e 2003, ocorreram 523.975 casos autóctones, a sua maior parte nas regiões Nordeste e Norte do Brasil.
Mostrar mais

10 Ler mais

Tratamento da Leishmaniose Tegumentar Americana.

Tratamento da Leishmaniose Tegumentar Americana.

Histórico: o Sb trivalente (Sb III), tártaro emé- tico, foi introduzido no Brasil por Gaspar Vianna em 1912. Sob a forma de antimoniais pentavalentes (SbV), são as drogas de escolha desde 1945 para o tra- tamento das leishmanioses. Há comercialmente o antimoniato de N-metilglucamina (NMG) (Glu- cantime), na América Latina e África, e o estibogluco- nato de sódio (SGS) (Pentostam), nos EUA e Europa. Países como a Índia e a China produzem o SGS. Ambos têm resultados semelhantes nas formas clíni- cas da leishmaniose tegumentar americana (LTA), com maior toxicidade do SGS importado da China. 1 A
Mostrar mais

14 Ler mais

Epidemiologia da leishmaniose tegumentar americana no Estado do Acre, Amazônia brasileira.

Epidemiologia da leishmaniose tegumentar americana no Estado do Acre, Amazônia brasileira.

Efetuou-se estudo estatístico descritivo em 8.516 casos de leishmaniose tegumentar americana no Estado do Acre, Brasil, no período de 2001 a 2006 (segundo perí- odo), comparando-se com os resultados de publicação anterior com dados no mesmo estado entre 1992 e 1997 (primeiro período). A prevalência no estado mais que dobrou entre os dois momentos (55,7/10 mil habitan- tes de 1992 a 1997 e 128,5/10 mil habitantes entre 2001 e 2006. O sexo masculino foi o mais acometido (68,8%, n = 5.860) no segundo período. A média das idades foi de 26,3 anos, valor discretamente menor do que o do primeiro período. Pacientes com baixa escolaridade foram os mais acometidos pela doença. As demais va- riáveis avaliadas foram zona de residência, ocupação, critério de diagnóstico, forma clínica, tratamento, re- cidiva, tempo para procurar tratamento e evolução da doença. Conclui-se que houve piora nos indicadores epidemiológicos da leishmaniose tegumentar ameri- cana avaliados no estado entre os períodos estudados.
Mostrar mais

12 Ler mais

Características epidemiológicas da leishmaniose tegumentar americana em uma região endêmica do Estado da Bahia : II leishmaniose canina

Características epidemiológicas da leishmaniose tegumentar americana em uma região endêmica do Estado da Bahia : II leishmaniose canina

N a região de Três Braços, Bahia, Brasil, en­ dêmica de leishmaniose tegum entar am ericana, cujas principais características foram publicadas anterior­ mente2, o parasito altam ente predom inante no homem é a L. b. braziliensis, de acordo com os estudos biológicos, bioquím icos e de im unotaxonom ia4 5. Em mais de 300 casos de leishm aniose hum ana veri­ ficados na região nestes últimos oito anos de trabalhos ininterruptos, nenhum paciente de calazar foi obser­ vado. R eservatórios primários de L. braziliensis na região ainda não foram identificados a despeito de mais de 600 animais silvestres terem sido examinados. A penas três roedores (Proechym is inhering deni- gratus) foram encontrados infectados com L. m exi­ cana sp (dados não publicados). O cão é encontrado com lesões cutâneas, às vezes extensas, principal­ mente nas orelhas e focinho, sendo R F C ’ negativa para calazar. A histopatologia das lesões é compatível com aquela observada em lesões hum anas produzidas porL . b. braziliensis. O inquérito canino realizado na área m ostrou uma prevalência baixa de cães infecta­ dos (3,0% ), m as quando um a am ostra de animais, portadores de lesões, foi selecionada, o índice de positividade foi bastante elevado, sem elhante ao que ocorreu em Caratinga®. N a região de Três Braços, o cão é utilizado na caça, principalm ente de pacas e tatus e, em um a m esm a residência, o cão e o homem, inclusive crianças que não freqüentam a m ata, podem ser encontrados com lesões leishmanióticas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Leishmaniose tegumentar americana na região nordeste do estado de São Paulo - Brasil.

Leishmaniose tegumentar americana na região nordeste do estado de São Paulo - Brasil.

7. Gomes AC, Galati EAC. Aspectos ecológicos da le is hmanios e te gume ntar ame ricana. 7 Capacidade vetorial fle botomíne a em ambie nte florestal primário do sistema da Serra do Mar , Região do Vale do Ribeira, Estado de São Paulo, Brasil. Revista de Saúde Pública 23:136- 142,1989. 8. Gomes AC, Rabello EX, Santos JLF, Galati EAB.

5 Ler mais

Rev. Soc. Bras. Med. Trop.  vol.43 número5

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.43 número5

Introdução: O estudo foi realizado com o objetivo de estudar a fauna de lebotomíneos (Diptera: Psychodidae) e aspectos ligados à transmissão da leishmaniose tegumentar americana em uma área lorestal com ocorrência de Leishmania (Leishmania) amazonensis, situada no município de Bela Vista, Estado do Mato Grosso do Sul, Brasil. Métodos: As capturas de lebotomíneos foram realizadas utilizando-se armadilhas tipo Disney modiicadas, com isca roedor, Mesocricetus auratus, no período de maio de 2004 a janeiro de 2006. Resultados: As coletas resultaram na identiicação de 10 espécies de Phlebotominae: Brumptomyia avellari, Brumptomyia brumpti, Bichromomyia laviscutellata, Evandromyia bourrouli, Evandromyia lenti, Lutzomyia longipalpis, Psathyromyia campograndensis, Psathyromyia punctigeniculata, Psathyromyia shannoni e Sciopemyia sordellii. As duas espécies predominantes foram Ev bourrouli, com 57,3% dos espécimes coletados, e Bi. laviscutellata, representada por 41,4% e que esteve presente em todos os locais amostrados. Dois hamsters sentinelas adquiriram a infecção natural, sendo os isolados identiicados como Leishmania amazonensis. Conclusões: Os resultados mostram a eiciência das armadilhas Disney para captura de Bichromomyia laviscutellata, e a presença simultânea de ambos, o vetor e a espécie de Leishmania por ele transmitida pode ser considerada um fator preditor da ocorrência de leishmaniose para a população humana que permanecer nesse local.
Mostrar mais

5 Ler mais

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: o lúdico na conscientização

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: o lúdico na conscientização

A Leishmaniose vem se expandindo devido às graves modificações nos ecossistemas, como o desflorestamento para assentamentos populacionais, abertura de estradas, projetos de irrigação e urbanização desmedida, além de outros fatores (BASANO; CAMARGO, 2004). Atualmente, é considerada uma das endemias de interesse prioritário em quatro continentes (América, Europa, Ásia e África), sendo que 90% dos casosde leishmaniose cutânea ocorrem no Brasil, Irã, Peru, Arábia Saudita e Síria (BASANO; CAMARGO, 2004).

14 Ler mais

Leishmaniose tegumentar americana no Distrito Federal.

Leishmaniose tegumentar americana no Distrito Federal.

data do início do século (1913), mas este fato era considerado como tendo o cão sido acometido acidentalmente ao penetrar na floresta. Recentemente, é citada alta prevalência da doença em cães e eqüinos principalmente no Brasil e Venezuela. Com as mudanças das condições ambientais acredita-se que tenha havido uma adaptação de alguns vetores, como Lutzomyia intermedia 10 que passaram a viver em torno das

6 Ler mais

Surto de leishmaniose tegumentar americana em Canoa, Santo Amaro, Bahia, Brasil.

Surto de leishmaniose tegumentar americana em Canoa, Santo Amaro, Bahia, Brasil.

O presente estudo detectou e acompanhou um surto de leishmaniose tegumentar no povoado rural de Canoa, município de Santo Amaro, BA, área de colonização antiga e população estável. A diferença estatisticamente significante encontrada entre o grupo de sadios com o de doentes foi o do local de moradia, havendo no último grupo um forte predomínio de moradores de Canoa de Baixo, terço final do povoado onde uma alteração ambiental muito acentuada vem acontecendo, com desmatamentos recentes e antigos e uma maior proximidade da mata às casas. As demais variáveis testadas não mostraram diferenças, sugerindo que a questão seja ambiental. Os casos de LTA ocorreram predominantemente nos meses de dezembro a março, época de verão, calor e umidade na região. Não existe claramente um padrão sazonal na transmissão da leishmaniose tegumentar e os estudos demonstram grande variação na
Mostrar mais

7 Ler mais

Rev. Soc. Bras. Med. Trop.  vol.36 suppl.2

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.36 suppl.2

A leishmaniose Tegumentar Americana (LTA), em expansão desde as ultimas décadas no Brasil, em Mato Grosso é uma das mais importantes infecções dermatológicas, com grande poder de disseminação. A ocorrência de casos é elevada, principalmente nas áreas que fazem parte da amazônia legal. O estado possui características muito favoráveis para sua expansão devido à forte natureza econômica apoiada na agricultura, pecuária e extrativismo de madeira e minerais. É influenciado também pelas crescentes ocupações de novas áreas através de assentamentos, sendo que no período de 1986 a 2001, foram feitos 343 assentamentos atendendo a 68.531 famílias.
Mostrar mais

2 Ler mais

Leishmaniose tegumentar americana (lta) nos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, Estado do Ceará, Brasil, 2003 – 2005

Leishmaniose tegumentar americana (lta) nos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, Estado do Ceará, Brasil, 2003 – 2005

As Leishmanioses são protozooses determinadas por protozoários de diferentes espécies do gênero Leishmania Ross 1903. A Leishmaniose Tegumentar Americana-LTA tem largo espectro de manifestações. A LTA no Brasil mostra-se com um padrão não mais predominantemente rural, resultado do contato íntimo do homem com o ambiente silvestre onde a doença existe naturalmente como zoonose. Atualmente a urbanização da LTA tem mostrado freqüentemente um aumento da distribuição periurbana. A forma cutânea é a mais comum dentre as manifestações da LTA, as lesões produzidas são em geral indolores, podendo apresentar-se de forma assintomática ou sub-clínica. Este estudo teve como objetivo geral descrever os principais aspectos clínicos e epidemiológicos da LTA nos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha a partir das fichas de investigação do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN), geradas no período de 2003 a 2005. Desse período, selecionamos 300 fichas de pacientes segundo critérios de inclusão e exclusão definidos na metodologia, sendo 136 do município do Crato, 98 do município de Barbalha e 66 do município de Juazeiro do Norte. A maioria, 53,7 % (137/300) era procedente da zona Rural, porém quando analisados isoladamente o município de Juazeiro do Norte mostrou somente12,2 % ( 8/66 ) dos casos na zona rural. Nessa pesquisa os casos autóctones foram 99 % (295/300). Prevaleceu o sexo masculino, 51 % (153/300), novamente, de forma isolada o município de Juazeiro do Norte apresentou uma inversão dessa relação. A ocupação/ramo de atividade dominante em 23 % (69/300) foi de estudantes, seguido de aposentados e agricultores com 16 % (48/300) cada um. A forma clínica em destaque foi a cutânea com 97 % (291/300). Registramos 69 ocorrências do vetor, dessas, 51 foram no intradomicilio. Para diagnóstico foram utilizados os exames: parasitológico direto da lesão, a intradermorreação de Montenegro (IDR) e o histopatológico. O exame parasitológico direto apresentou-se positivo em 19 % (57/300), negativo em 2 % (6/300). A IDR foi reativa em 41 % (123/300), e não reativa em 2 % (6/300). O histopatológico 16 % (49/300) mostrou-se positivo, 3,3 %(10/300) dos casos eram compatíveis com LTA. Concluímos que a LTA é uma patologia importante no Cariri, comportando-se de forma endêmica e com características.
Mostrar mais

67 Ler mais

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: AS AÇÕES PROFILÁTICAS DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: AS AÇÕES PROFILÁTICAS DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO

Trata-se de pesquisa de revisão de literatura descritiva, exploratória e quantitativa, com os objetivos de revisar a literatura sobre a LTA; descrever a importância da vigilância epidemiológica no controle LTA no Brasil; identificar os tratamentos da LTA e destacar as ações profiláticas dos profissionais de enfermagem. A coleta dos dados ocorreu nas bases de dados da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP, PUBMED e Manuais do Ministério da Saúde, sendo utilizados 38 referenciais. Constatou-se nesta revisão que a LTA é uma doença antiga, com manifestações clínicas visíveis que acarreta um envolvimento psicológico refletindo no campo social e econômico do indivíduo. É uma doença que está em expansão geográfica no Brasil, porém é uma doença negligenciada, que necessita de uma maior atenção dos enfermeiros juntamente com a vigilância epidemiológica através de ações de saúde que garanta uma melhor qualidade de vida para estes pacientes.
Mostrar mais

17 Ler mais

Estudo da urbanização de flebotomíneos e aspectos epidemiológicos de leishmaniose tegumentar americana no município de Timóteo, Minas Gerais, Brasil

Estudo da urbanização de flebotomíneos e aspectos epidemiológicos de leishmaniose tegumentar americana no município de Timóteo, Minas Gerais, Brasil

Em diversos estudos de enfermidade dos seres humanos, é cada vez mais comum a abordagem ambiental oferecida pela epidemiologia paisagística, associada à utilização de Sistemas de Informação Geográfica (SIG). Segundo a OMS, os SIGs estão se tornando ferramentas importantes para a compreensão da epidemiologia das leishmanioses (WHO, 2010). A evolução do Sistema de Informação Geográfica possibilitou sua crescente utilização como ferramenta de auxilio a análise espacial, tornando possível avaliar cenários geográficos com rapidez e, consequentemente, tornar mais ágil as tomadas de decisões, com uma vasta gama de dados de diferentes fontes, incluindo o geoprocessamento e o sensoriamento remoto (CROSS et al., 1996; MIRANDA et al., 1996; COSTA, 2001). Além disso, os SIGs podem ser flexíveis e se adaptam às necessidades dos países e regiões geográficas, facilitando a tomada de decisões e apoiando o planejamento estratégico para a disponibilização de recursos e controle eficaz das leishmanioses. Os dados dos sistemas, aliados aos dados das atividades de vigilância epidemiológica, podem gerar mapas delineando a dispersão dos casos, com base na prevalência ou incidência da leishmaniose e mapear a distribuição de vetores e reservatórios, produzindo, assim, mapas de zona de risco de contato entre o vetor da LTA e o ser humano, em busca de relações dessas zonas de contato com fatores ambientais (APARICIO; BITENCOURT, 2004; WHO, 2010).
Mostrar mais

123 Ler mais

Papel da imunoistoquímica no diagnóstico das alterações oculares na leishmaniose tegumentar americana: relato clínico-patológico de cinco casos.

Papel da imunoistoquímica no diagnóstico das alterações oculares na leishmaniose tegumentar americana: relato clínico-patológico de cinco casos.

Devido ao fato de se tratar de uma doença endêmica no Brasil, com grande polimorfismo de mani- festações oculares, o conhecimento dessas apresentações clínicas, bem como, o diagnóstico preciso e precoce são fundamentais para minimizar o risco de perda visual e cicatrizes viciosas nesses pacientes.

4 Ler mais

Avaliação da eficácia terapêutica do fluconazol na leishmaniose tegumentar humana

Avaliação da eficácia terapêutica do fluconazol na leishmaniose tegumentar humana

Trata-se de estudo prospectivo, randomizado, visando a avaliar a eficácia terapêutica do Fluconazol®, via oral, em altas doses, em portadores de leishmaniose tegumentar americana causada pela Leishmania (V.) braziliensis . O estudo apresentou rigor técnico, seguiu todas as normas de biossegurança referentes a trabalhos com seres humanos e com a doença sob exame. O trabalho abrigou todas as normas éticas de pesquisa in anima nobili , seguindo orientação da Resolução CNS 196/96, inclusive resguardando nomes e os dados pessoais dos indivíduos da pesquisa. Os pacientes foram informados sobre o estudo e receberam as explicações sobre o objetivo principal do trabalho, os procedimentos aos quais foram submetidos e a garantia de confidencialidade de suas informações e exames. Aqueles que concordaram em participar do estudo assinaram voluntariamente o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) (APENDICE B), elaborado especificamente para esta pesquisa (BRASIL, 1996). O projeto original foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital São José de Doenças Infecciosas - HSJ/Secretaria de Saúde do Estado do Ceará, e apreciado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Curso de Medicina, em Barbalha, da Universidade Federal do Ceará (UFC). Início em julho de 2009 e término em dezembro de 2011.
Mostrar mais

96 Ler mais

Apresentação e avaliação de aspectos clínicoepidemiológicos e histopatológicos de lesões em pacientes com Leishmaniose tegumentar americana (LTA), forma ulcerada, provenientes de áreas endêmicas da região do Cariri. 19902003

Apresentação e avaliação de aspectos clínicoepidemiológicos e histopatológicos de lesões em pacientes com Leishmaniose tegumentar americana (LTA), forma ulcerada, provenientes de áreas endêmicas da região do Cariri. 19902003

A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é doença endêmica no Brasil. Apesar das medidas empregadas para seu controle, a doença continua em expansão com tendência a urbanização. No nordeste o Ceará se destaca com focos desta zoonose, particularmente nos sopés das chapadas e serras que circundam o Estado. O Cariri é um destes, sendo ralos os estudos sobre LTA nesta região, situada no sul do estado do Ceará, em intimidade com a chapada do Araripe com cerca de 900 metros de altitude; fronteira com os estado de Pernambuco, Piauí e Paraíba. O presente trabalho avalia aspectos clínicos, epidemiológicos e, especialmente, enfatiza estudo histopatológico de material oriundo da borda de úlcera de 64 pacientes portadores de LTA provenientes do Cariri. Trata-se de material de arquivo disponibilizado no laboratório de Anatomia Patológica APACIC de 1990 a 2003; e do arquivo da Patologia do Núcleo de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte de 2000 a 2003. O material arquivado constitui-se de prontuário com dados clínicos e epidemiológicos dos pacientes; blocos e lâminas das biópsias realizadas nas bordas das lesões. Protocolo foi elaborado para a coleta de dados. Lâminas e blocos foram reprocessados, corados pela HE e Giemsa, quando necessárias outras colorações histoquímicas. Os histopatológicos foram estudados ao microscópio óptico de rotina. Os resultados encontrados mostraram maior freqüência de casos em Barbalha (n= 30). Nos municípios estudados a LTA é rural (n= 38), urbanizada em Juazeiro do Norte e com tendência a urbanização em Barbalha. O sexo masculino (n=39), cor de pele parda (n= 43) e a categoria profissional agricultor (n= 13) predominaram. A forma ulcerada simples é mais comum (n= 63), envolvendo em particular os membros inferiores. A reação inflamatória crônica inespecífica com resposta reparativa, predomina nos municípios estudados. O Montenegro, sorologia e histopatológico sem identificação do parasito, na ausência de contexto clínico e epidemiológico, não devem ser utilizados isoladamente para firmar diagnóstico de LTA.
Mostrar mais

95 Ler mais

Leishmaniose tegumentar americana: estudo clínico, epidemiológico e laboratorial realizado no Hospital Universitário de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Leishmaniose tegumentar americana: estudo clínico, epidemiológico e laboratorial realizado no Hospital Universitário de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil.

A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é zoonose que acomete tanto o homem como várias espécies de animais silvestres e domésticos. Esta doença infecciosa e não contagiosa apresenta manifes- tação polimórfica de pele e mucosas causada por diversas espécies de protozoários do gênero Leishmania, sendo as mais comuns no Brasil Leishmania (Viannia) guyanensis, L. (Viannia) brazi- liensis, e L. (Leishmania) amazonensis. Apresentam ciclo de transmissão heteroxeno, cujos vetores são insetos hematófagos da subfamília Phlebotominae, sendo Lutzomya o gênero mais comum. 1,2,3
Mostrar mais

9 Ler mais

Nota sobre leishmaniose canina no noroeste do Estado do Paraná, sul do Brasil.

Nota sobre leishmaniose canina no noroeste do Estado do Paraná, sul do Brasil.

Em área endêmica de leishmaniose tegumentar americana no Município de Jussara, Estado do Paraná, Brasil, detectaram-se três cães domésticos infectados por Leishmania (Viannia) brasiliens[r]

2 Ler mais

Show all 10000 documents...