Top PDF Lejeuneaceae holostipas (Marchantiophyta) no Estado da Bahia, Brasil.

Lejeuneaceae holostipas (Marchantiophyta) no Estado da Bahia, Brasil.

Lejeuneaceae holostipas (Marchantiophyta) no Estado da Bahia, Brasil.

A maioria dos representantes holostipos, isto é, com anfigastros inteiros e largos merófitos ventrais, está mais bem representada entre as Ptychanthoideae, ocorrendo também entre as Lejeuneoideae, nas tribos Brachiolejeuneeae e Lejeuneeae. O objetivo do trabalho é relacionar as espécies de Lejeuneaceae holostipas para o estado da Bahia, das quais oito ainda não tinham sido referidas, contribuindo para o conhecimento da brioflora da Bahia, ampliando, assim, os dados de distribuição geográfica da família no Brasil.

14 Ler mais

Fauna triatomenae do estado da Bahia, Brasil: VI - prevalência geográfica da infecção dos tratomíneos por T. cruzi.

Fauna triatomenae do estado da Bahia, Brasil: VI - prevalência geográfica da infecção dos tratomíneos por T. cruzi.

FAUNA TRIATOMENAE DO ESTADO DA BAHIA, BRASIL. VI — PREVALÊNCIA GEOGRÁFICA DA INFECÇÃO DOS TRATOMÍ-[r]

14 Ler mais

Orchidaceae no município de Jacobina, estado da Bahia, Brasil.

Orchidaceae no município de Jacobina, estado da Bahia, Brasil.

PR, SC, RS, América Central, PER e PAR T.L. Vieira. 62 (ALCB) Tabela 1. Lista das espécies de Orchidaceae no Município de Jacobina, Estado da Bahia, Brasil. Tipo de substrato - R: rupícola, T: terrícola, E: epífita. Fitofisionomia - Cr: campo rupestre, C: caatinga, Fe: floresta estacional semidecidual, Fo: floresta ombrofila, Mc: mata ciliar. Distribuição geográfica e o respectivo voucher - BOL: Bolívia, ECU: Equador, GUF: Guiana Francesa GUY: Guiana, PAR: Paraguai, PER: Peru, SUR: Suriname, TRI: Trinidad-Tobago, VEN: Venezuela.

14 Ler mais

Distribuição geográfica e características demográficas da doença trofoblástica gestacional em centro de referência terciária do Estado da Bahia, Brasil

Distribuição geográfica e características demográficas da doença trofoblástica gestacional em centro de referência terciária do Estado da Bahia, Brasil

Objetivo: Traçar um padrão de distribuição geográfica da doença trofoblástica gestacional (DTG) em centro de referência do estado da Bahia, no Nordeste do Brasil e determinar as características demográficas na apresentação da doença. Desenho de estudo: Estudo observacional descritivo com dados obtidos de prontuários de 140 pacientes com DTG encaminhadas ao Centro de Doença Trofoblástica Gestacional da Maternidade Climério de Oliveira, no estado da Bahia, Brasil, de 2002 a 2007. Foi feita uma distribuição geográfica das pacientes com DTG, nas macrorregiões de saúde e foram avaliadas variáveis demográficas, fonte de referência, e tipo de gestação antecedente. Para análise estatística foi usado teste qui-quadrado (p<0,05%) Resultados: A principal procedência das pacientes foi da macrorregião de saúde Leste (77,9%). A incidência da DTG no centro de referência foi de 8,5/1.000 partos. A faixa etária foi predominante de 20 a 34 anos (65%). Uma pequena proporção de pacientes estava trabalhando (42,9%). O nível educacional foi baixo: 67,9% das pacientes cursaram apenas o ensino fundamental. Hospitais secundários foram a principal fonte de referência de pacientes (84,3%). A maioria das pacientes teve gestação de termo prévia à DTG (42,1%). Conclusão: Neste estudo, a DTG predominou na melhor faixa etária para fecundidade e em pacientes com aspectos sócio-demográficos desfavoráveis. A tendência de referência dessas pacientes foi principalmente da macrorregião de saúde Leste.
Mostrar mais

49 Ler mais

Justicieae (Acanthaceae) do Semiárido do Estado da Bahia, Brasil.

Justicieae (Acanthaceae) do Semiárido do Estado da Bahia, Brasil.

Esta espécie foi corretamente identificada por Wasshausen (Wied, GZU 000250286) em Justicia, porém a combinação neste gênero não havia sido validamente publicada até aqui. Apesar de não ter indicado nenhum herbário no protólogo (Nees 1847a), Nees (1847b) apontou duas duplicatas dessa coleção, uma no herbário de Martius, atualmente incorporado ao herbário BR, e outra no herbário particular de Wied, e que possivelmente foi adquirida por Nees, podendo representar o material depositado no herbário GZU. Nees certamente examinou a coleção depositada em BR, que conta com a etiqueta original de Wied, a própria identificação de Nees (Rhytiglossa chamaedryoides N. et M., in sked) e um espécime completo, incluindo raízes, conforme descrita na obra original (diferente do material em GZU), justificando esta lectotipificação. Além disso, no protólogo, Nees (1847a) transcreveu a informação in sylvis ad Cabo Frio, Martio, indicada por ele na etiqueta do material depositado em GZU. Contudo, na etiqueta original de Wied (BR), há a clara indicação de März 1817. Neste período, Wied estava no final de sua viagem pelo Brasil, na região de Caatingas e matas secas do Estado da Bahia, um pouco antes de retornar para a Europa, não em Cabo Frio, Estado do Rio de Janeiro.
Mostrar mais

40 Ler mais

Ocorrência de Platynosomum illiciens em felinos selvagens mantidos em cativeiro no estado da Bahia, Brasil.

Ocorrência de Platynosomum illiciens em felinos selvagens mantidos em cativeiro no estado da Bahia, Brasil.

ABSTRACT:- CASTRO, L.S. DE; ALBUQUERQUE, G.R. [Occurrence of Platynosomum illiciens in enclosured wild cats in the state of Bahia, Brazil]. Ocorrência de Platynosomum illiciens em felinos selvagens mantidos em cativeiro no estado da Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v. 17, n. 4, p.239-241, 2008. Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Estadual de Santa Cruz, BA 415 KM 16, Salobrinho, Ilhéus, BA 45662-000, Brasil. E-mail: gralbu@uesc.br.

3 Ler mais

Duas novas ocorrências de hepáticas folhosas (Marchantiophyta) para o estado da Bahia, Brasil.

Duas novas ocorrências de hepáticas folhosas (Marchantiophyta) para o estado da Bahia, Brasil.

De acordo com Hassel et al. (2014), esta espécie tem distribuição global ampla, porém dispersa, com ocorrência nas faixas oceânicas da Irlanda, Grã-Bretanha, França e Escandinávia, além da Macaronésia, áreas montanas centro e sul africanas, Himalaia e Sri Lanka, distribuindo-se do Caribe ao sul do Chile. No Brasil, de acordo com Costa & Peralta (2015) ocorre em Minas Gerais e Rio de Janeiro. Esta é sua primeira referência para o estado da Bahia.

6 Ler mais

Envenenamento por Tityus stigmurus (Scorpiones; Buthidae) no Estado da Bahia, Brasil.

Envenenamento por Tityus stigmurus (Scorpiones; Buthidae) no Estado da Bahia, Brasil.

Resumo A presente investigação é um estudo descritivo dos aspectos clínicos dos acidentes causados pelo escorpião Tityus stigmurus no Estado da Bahia, Brasil. Foram analisados 237 casos confirmados, tratados pelo Centro de Informações Antiveneno da Bahia (CIAVE), no período de 1982-1995. O envenenamento por T. stigmurus caracterizou-se por manifestações locais: dor (94,4%), dormência (30%), edema (17,8%), eritema (17,8%) e parestesia (15,6%) e gerais: cefaléia (14%), vômitos (4,4%) e sudorese (3,3%). A maioria dos envenenamentos (94%) foi leve e todos evoluíram para cura. A ausência de letalidade, com o restabelecimento dos pacientes, inclusive casos graves, sugere a eficácia do tratamento com o antiveneno específico, apesar do veneno desta espécie não estar presente no pool de produção nacional do soro. Há necessidade de revisão dos critérios regionais nos esquemas atuais de soroterapia. Os dados apontam para a semelhança da gravidade do envenenamento por T. serrulatus, com exceção da ocorrência de óbitos e complicações sistêmicas.
Mostrar mais

7 Ler mais

O gênero Ceratolejeunea Jack & Steph. (Lejeuneaceae, Marchantiophyta) no Estado da Bahia, Brasil.

O gênero Ceratolejeunea Jack & Steph. (Lejeuneaceae, Marchantiophyta) no Estado da Bahia, Brasil.

Ceratolejeunea tem sido coletado em florestas ombrófilas de terras baixas, mussununga, floresta estacional e cerrado, no Estado da Bahia. As áreas de cerrado em que foram coletadas algumas espécies, representam disjunções dos cerrados que recobrem grande parte do Brasil Central, e que na Bahia também podem ser encontrados no Litoral Norte e Recôncavo Baiano. Essas áreas de cerrado, no entanto, encontram- se antropizadas, pois são locais com sítios e pequenas fazendas. Mussununga é um tipo de vegetação com fisionomia de restinga arbórea, com solos arenosos, e constitui um enclave na floresta ombrófila de terras baixas no sul da Bahia.
Mostrar mais

6 Ler mais

Determinantes dos homicídios no Estado da Bahia, Brasil, em 2009.

Determinantes dos homicídios no Estado da Bahia, Brasil, em 2009.

No Estado, com variações entre os municípios, observou-se que, nos últimos anos, posteriormente ao crescimento das mortes por homicídio, também ocorreu o crescimento do grupo de óbitos classiicados como causa externa com intenção indeterminada. É importante ressaltar que o aumento desse grupo, para o qual se desconhece a intencionalidade, afeta a força das associações. No presente estudo, considera-se que o seu crescimento pode ter diminuído a magnitude das associações observadas, tendo em vista que vários estudos 6,10 já demonstraram

12 Ler mais

Detecção de anticorpos anti-Toxoplasma gondii em suínos criados e abatidos no Estado da Bahia, Brasil.

Detecção de anticorpos anti-Toxoplasma gondii em suínos criados e abatidos no Estado da Bahia, Brasil.

his study was performed to verify the occurrence of anti-Toxoplasma gondii antibodies in swine raised and slaughtered in the state of Bahia, Brazil. Four hundred sixty ive swine blood samples from farms of diferent cities had been collected and examined. Anti-T. gondii antibodies was detected by the enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) and considered positive all the animals with equal or bigger headings than 1:16. From these, 18.27% (85/465) of total sample were positive for T. gondii, 30.76% (24) in Ilhéus, 18.10% (21/116) in Itabuna and 14.76% (40/271) in Simões Filho. Signiicant diferences were observed regarding animal sex (p = 0.0171), raising system (p = 0.0002) and origin of the animals (p = 0.0278) in the city of Itabuna. he occurrence of anti-T. gondii antibodies shows that swine can be a source of infection for the local human population.
Mostrar mais

3 Ler mais

Hanseníase, risco e : perspectiva espaçotemporal e operacional de controle no Estado da Bahia, Brasil

Hanseníase, risco e : perspectiva espaçotemporal e operacional de controle no Estado da Bahia, Brasil

Este estudo foi o primeiro a analisar, em uma série histórica consistente de 14 anos, a vulnerabilidade programática, a partir de indicadores operacionais da hanseníase, no Estado da Bahia, incluindo perspectiva de gênero. Os resultados indicam que é precária a atuação dos serviços de saúde no que se remete ao desempenho da vigilância dos contatos intradomiciliares e, quando diagnosticados casos novos, é regular a qualidade da atenção e do acompanhamento até a conclusão do tratamento. A redução verificada em relação ao abandono é relevante, mas as entradas por recidivas superam os parâmetros estabelecidos pela OMS. 2 A análise segundo gênero reforça diferenças potenciais na resolutividade dos serviços, quando o caso é do sexo masculino, o que reafirma a necessidade da efetivação da política nacional de saúde do homem. As diretrizes para a vigilância, atenção e eliminação da hanseníase, publicadas em fevereiro de 2016, reforçaram, como ações prioritárias a detecção de novos casos, o atendimento à demanda espontânea, a busca ativa de casos novos e a vigilância de contatos. Sugeriu-se que a avaliação de contatos ocorresse anualmente, durante cinco anos. 15 Portanto, reafirma que uma abordagem única ao contato não assegura a redução da transmissão da doença. De forma adicional, as novas diretrizes ampliaram o conceito de contato para além do espaço do intradomicílio, apesar de não ter deixado de modo claro os referenciais para operacionalização desta nova orientação. O presente estudo não capta as novas orientações contidas nesta nova definição.
Mostrar mais

321 Ler mais

PARASITISMO INTESTINAL NA COMUNIDADE  RURAL DE MARANCÓ, MUNICÍPIO DE SANTA  BRÍGIDA, ESTADO DA BAHIA, BRASIL

PARASITISMO INTESTINAL NA COMUNIDADE RURAL DE MARANCÓ, MUNICÍPIO DE SANTA BRÍGIDA, ESTADO DA BAHIA, BRASIL

Segundo Alves 13 et al. (1998), Araújo & Fernandes 14 (2005), Ponciano 15 et al. (2012), Silva 16 et al. (2012), Sales- Barbosa & Teixeira 17 (2011), apesar de todo o avanço científico e tecnológico na atualidade, as parasitoses ainda são importante objeto de estudo e preocupação, principalmente nos países em vias de desenvolvimento, nos quais até na atualidade são observadas precárias condições higiênico-sanitárias e de baixa qualidade de vida da população. No Brasil, as enteroparasitoses estão incluídas entre os principais problemas de saúde pública. Trata-se de doenças cujos agentes etiológicos acometem homens e animais, favorecidas pelas condições climáticas. À semelhança de outros países em desenvolvimento, a disseminação dos agentes das parasitoses no Brasil é ainda
Mostrar mais

11 Ler mais

O gênero Lejeunea Libert (Lejeuneaceae) no Estado da Bahia, Brasil.

O gênero Lejeunea Libert (Lejeuneaceae) no Estado da Bahia, Brasil.

Feira de Santana (HUEFS) e Herbário Científi co do Estado “Maria Eneyda P. Kauffmann Fidalgo” (SP), procedentes de coletas realizadas no estado da Bahia. A maior parte do material examinado compreende coletas realizadas nas regiões Extremo Sul, Litoral Sul, Recôncavo Sul e Chapada Diamantina (CEI/ CONDER 1994). A nomenclatura segue Gradstein et al. (2003) para a Tribo Lejeuneeae, Gradstein & Costa (2003) e Reiner-Drehwald (1999, 2007) para as demais espécies. Os dados de distribuição na Bahia, hábitat e briocenose foram obtidos do material examinado. O termo “briocenose” refere-se à classifi cação das briófi tas de acordo com o substrato colonizado, adaptado de Fudali (2001). A amplitude ecológica e o espectro ecológico dos táxons encontrados foram estabelecidos a partir dos dados sobre o ambiente e briocenose. Amplitude ecológica é, aqui, entendida como a variabilidade de ambientes em que dado táxon ocorreu, e o espectro ecológico como a variabilidade de substratos colonizados, considerando a briocenose encontrada (Fudali 2000, 2001). A classifi cação da vegetação segue Veloso et al . (1991), exceto para “Sistema Agrofl orestal” (cabruca: plantação de cacau não manejada em áreas de fl oresta ombrófi la) e “Fragmento Florestal Urbano”, que corresponde aos fragmentos de mata que existem na periferia ou em áreas do ambiente urbano, por serem termos mais usuais, ou com especifi cidade, os quais não constam do sistema de classifi cação da vegetação brasileira; “Zona Urbana” corresponde aos ambientes citadinos. A distribuição geográfi ca foi obtida em Reiner-Drehwald (2000), Reiner-Drehwald & Goda (2000), Gradstein & Costa (2003), Yano (2006), Reiner-Drehwald & Ilkiu- Borges (2007) e Reiner-Drehwald & Porto (2007). O método de estudo e preparação do material seguiu Bastos & Yano (2006). Para a elaboração das chaves foram utilizados os caracteres observados a partir do material examinado. As espécies estão listadas em ordem alfabética. As espécies foram identifi cadas com base nas publicações de Reiner-Drehwald (2000), Reiner-Drehwald & Goda (2000), Reiner- Drehwald & Ilkiu-Borges (2007), Reiner-Drehwald (2007), Reiner-Drehwald & Pôrto (2007) e Reiner-
Mostrar mais

18 Ler mais

A avaliação diagnóstica como subsídio às práticas docentes no ensino da matemática: uma análise dos resultados das avaliações dos alunos do 2º ano do ensino fundamental do Estado da Bahia

A avaliação diagnóstica como subsídio às práticas docentes no ensino da matemática: uma análise dos resultados das avaliações dos alunos do 2º ano do ensino fundamental do Estado da Bahia

Na competência 2, os descritores D05 e D06, resolver problemas que demandam as ações de juntar, separar, acrescentar e retirar quantidades, e resolver problemas que demandam as ações de comparar e completar quantidades, respectivamente, já envolvem maior pensamento estratégico da criança. Os PCN de Matemática (BRASIL, 1997) identificam o recurso à resolução de problemas como um caminho a se “fazer matemática”, indicando que esta não se baseia em ‘exercícios de fixação’ que são colocados pelo professor após um conteúdo abordado, em que os cálculos são feitos para uma memorização mais rápida da fórmula, mas o problema matemático deve estar vinculado a um contexto para o qual o educando precisa desenvolver estratégias capazes de orientá-lo a solução. Vergnaud (1990) em sua teoria dos campos conceituais, que é bastante observada nos PCN, observa que as situações auxiliam nos esquemas mentais mais complexos, invariantes que, por sua vez, dão significado ao conceito matemático e por meio das representações ou das formas linguísticas que a criança possui são significantes ao conceito, representações simbólicas dos invariantes.
Mostrar mais

206 Ler mais

Avaliação contingente de serviços de saneamento básico em Palmas-TO

Avaliação contingente de serviços de saneamento básico em Palmas-TO

A literatura econômica sugere que esse problema pode ser resolvido através da estimação da disposição a pagar dos indivíduos pelos referidos bens. Koss e Khawaja (2001) estimaram a disposição a pagar por água tratada nos Estados Unidos. Raje et al. (2002) investigaram os determinantes da disposição a pagar pelo serviço de abastecimento de água na Índia. No Brasil, existem alguns trabalhos na área como os de Carrera-Fernandez e Menezes (1999b), que estimaram a disposição a pagar por esgotamento sanitário no estado da Bahia; de Faria (1995) que estimou a disposição a pagar em projetos de melhoria de abastecimento de água para o estado do Espírito Santo; e de Paixão (2002), que estimou a disposição a pagar pelos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário para a cidade de João Pessoa-PB. Todos esses estudos utilizam o método de avaliação contingente para estimar a disposição a pagar, tomando, como pressuposto, que os indivíduos têm certeza sobre a verdadeira disposição a pagar.
Mostrar mais

129 Ler mais

Política pública e controle da violência: um estudo de caso na cidade de Salvador, Bahia, Brasil.

Política pública e controle da violência: um estudo de caso na cidade de Salvador, Bahia, Brasil.

Numa conjuntura em que a intersetorialida- de e a ação solidária são incorporadas no dis- curso de governos para a promoção da saúde 28 , controle das violências 29 e redução das desigual- dades sociais 30 , os resultados discutidos podem contribuir com a formulação de novas políti- cas públicas no sentido de evitar os problemas identificados neste estudo de caso. Contudo, a interpretação dos resultados exclusivamente à luz dos referenciais utilizados apresenta limites, na medida em que a análise do poder nas or- ganizações que integram o aparelho de Estado requer elementos que ultrapassam o desenho de políticas e a esfera da cooperação entre indiví- duos numa determinada arena de ação. No caso da política pública investigada, as forças inter- nas e externas que apostavam na implantação do plano não tiveram as condições necessárias para obter a cooperação, nem mesmo recorrer à negociação, cooptação ou ao conflito aberto 24
Mostrar mais

10 Ler mais

A produção da exclusão educacional no Brasil Introdução

A produção da exclusão educacional no Brasil Introdução

De outra forma, também não há uma reprodução especular das estruturas sociais. Goldthorpe (2000) posiciona-se contrário à perspectiva de Bourdieu, uma vez que a expansão educacional não reproduziu as desigualdades anteriormente verificadas. Sobre o tema, ainda posiciona-se em alinhamento com a perspectiva de Boudon, precisamente em relação a dois pontos específicos: “first, in starting from the ‘structural’ theory of aspirations of Keller and Zavalloni (1964) and, secondly, in regarding the process that generate class differentials as operating in two different stages” (Golthorpe: 2000, 169). Além do reprodutivismo de Bourdieu, a Teoria da Desigualdade Maximamente Mantida (MMI) também aponta para mecanismos perversos que impedem o avanço de políticas equitativas, como é o caso da expansão do acesso à educação. Assim, o aprofundamento da reflexão acerca deste processo histórico no Brasil e seus elementos centrais podem ser relevantes para a reflexão do cenário educacional contemporâneo, a avaliação de suas políticas públicas, o enfrentamento de desafios atuais e entraves ao desenvolvimento que há muito tempo já deveriam ter sido superados. Este trabalho objetiva tratar de três dimensões centrais para a democratização da educação: o acesso, o rendimento e o desempenho. Posteriormente, aprofundar-se-á a investigação sobre os determinantes da aprendizagem (proficiência) e sua produção desigual.
Mostrar mais

24 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL CARLOS JOSÉ DE AMORIM JÚNIOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL CARLOS JOSÉ DE AMORIM JÚNIOR

Nos Estados Unidos a principal regulamentação que faz referência à impermeabilização de bacias de contenção é o Registro Federal 40 CFR 112 da Agência de Proteção Ambiental Americana (USEPA), intitulada “Oil Pollution Prevention” de julho de 2002. O parágrafo 112.7(c) desta regulamentação estabelece que as bacias de contenção, diques e bermas devem ser “suficientemente impermeáveis” para conter os derramamentos dos compostos armazenados nos tanques, sem especificar um coeficiente de permeabilidade máximo (USEPA, 2002). Vários estados americanos elaboraram as regulamentações baseadas na 40 CRF 112, são os casos da Flórida, através do documento “Underground Storage Tank Systems” desenvolvido pelo Departamento de Proteção Ambiental da Flórida, de Massachusetts, através do “Massachusetts Rules on the Prevention and Control of Oil Pollution (314 CMR 15.00)”, de New Jersey (“New Jersey Spill Compensation and Control Act” (N.J. Stat. Ann. 58:10-23.11), desenvolvido pelo Departamento de Proteção Ambiental e Energia (DEPE) deste estado), do Oregon através do “Oregon Oil and Hazardous Materials Spill Act” (Or. Rev. Stat. §468B.300) e da Virginia (“Facility and Aboveground Storage Tank Regulations” (9 VAC 25-91-10), adotado pelo Conselho de Controle de Água do Estado da Virginia).
Mostrar mais

127 Ler mais

Os gêneros Lejeunea e Microlejeunea (Lejeuneaceae) na Estação Científica Ferreira Penna, estado do Pará, Brasil, e novas ocorrências.

Os gêneros Lejeunea e Microlejeunea (Lejeuneaceae) na Estação Científica Ferreira Penna, estado do Pará, Brasil, e novas ocorrências.

& Nees, Lejeunea flava (Swartz) Nees, Lejeunea tapajosensis Spruce, Microlejeunea acutifolia Stephani e Microlejeunea epiphylla Bischler, destacando Microlejeunea.. acutifolia como [r]

14 Ler mais

Show all 10000 documents...