Top PDF Morfoanatomia e histoquímica de Brosimum gaudichaudii Trécul (Moraceae).

Morfoanatomia e histoquímica de Brosimum gaudichaudii Trécul (Moraceae).

Morfoanatomia e histoquímica de Brosimum gaudichaudii Trécul (Moraceae).

RESUMO – (Morfoanatomia e histoquímica de Brosimum gaudichaudii Trécul (Moraceae)). Brosimum gaudichaudii, conhecida como mamacadela, é espécie comum nos cerrados, com grande valor na medicina popular e na indústria de medicamentos. A casca da raiz e do caule é empregada no tratamento do vitiligo, sendo o bergapteno e psoraleno, duas furanocumarinas, responsáveis pela ação farmacológica. Neste trabalho são apresentadas a caracterização morfoanatômica e a histoquímica de órgãos vegetativos de B. gaudichaudii, com informações sobre o embrião e o desenvolvimento pós-seminal. Amostras foram processadas segundo técnicas usuais em anatomia e ultra-estrutura vegetal. O embrião é do tipo total e invaginado, a plântula cripto-hipogéia e o sistema radicular do tirodendro é composto por raiz primária pouco desenvolvida em relação às raízes laterais. Plantas adultas apresentam raízes gemíferas longas, plagiotrópicas originando ramos caulinares aéreos; tais raízes possuem periderme com súber desenvolvido e floema secundário abundante em relação ao xilema, sendo facilmente destacados quando manipulados. O caule jovem e a folha apresentam epiderme unisseriada, grande densidade de tricomas tectores unicelulares e tricomas glandulares. Laticíferos não-articulados ramificados ocorrem em todos os órgãos, podendo invadir os elementos de vaso. Idioblastos fenólicos ocorrem em abundância em todos tecidos e órgãos analisados. O valor das características anatômicas observadas no controle de qualidade da droga é discutido.
Mostrar mais

23 Ler mais

Morfoanatomia e histoquímica de órgãos reprodutivos de Brosimum gaudichaudii (Moraceae).

Morfoanatomia e histoquímica de órgãos reprodutivos de Brosimum gaudichaudii (Moraceae).

RESUMO – (Morfoanatomia e histoquímica de órgãos reprodutivos de Brosimum gaudichaudii (Moraceae)). Brosimum gaudichaudii Trécul, popularmente conhecida como “mama-cadela”, é uma espécie arbórea comum nos cerrados brasileiros, de grande importância na alimentação e na medicina popular. A polpa amarela dos frutos é muito apreciada pelas crianças por ser semelhante à goma de mascar. Neste trabalho é apresentada a caracterização morfoanatômica e histoquímica da inlorescência, fruto e semente de B. gaudichaudii. O material foi processado segundo técnicas usuais para estudos anatômicos e ultra-estruturais. As inlorescências são captadas, globosas, pedunculadas, pendentes, predominantemente aos pares nas axilas foliares e recobertas por brácteas peltadas densamente pilosas. Cada inlorescência é composta por várias lores masculinas e uma lor feminina. As lores masculinas são constituídas por um estame envolvido por bractéolas. A lor feminina é constituída por um pistilo com ovário ínfero penta-carpelar, entretanto um só lóculo se desenvolve. É comum a presença de dois óvulos no lóculo desenvolvido; entretanto somente um óvulo se desenvolve em semente. O óvulo é pêndulo, hemianátropo e bitegumentado apenas na região micropilar. No fruto maduro, identiicam-se: a polpa, correspondente a parte comestível, e endocarpo; na semente, o tegumento é membranáceo e o embrião não apresenta endosperma secundário. O tecido parenquimático da polpa apresenta muitos espaços intercelulares, repletos de conteúdo aquoso. O endocarpo é escleriicado e encontra-se bem diferenciado no fruto maduro. Os laticíferos são do tipo não-articulado ramiicado, com paredes espessas e ocorrem no receptáculo da inlorescência, são abundantes no pedúnculo e na polpa do fruto maduro e no embrião. Os idioblastos fenólicos estão distribuídos na inlorescência e no fruto. Palavras-chave - anatomia, Brosimum gaudichaudii, fruto, inlorescência, morfologia, semente
Mostrar mais

16 Ler mais

Morfoanatomia e histoquímica da semente de sororoca (Phenakospermum guyannense (Rich.) Endl. - Strelitziaceae).

Morfoanatomia e histoquímica da semente de sororoca (Phenakospermum guyannense (Rich.) Endl. - Strelitziaceae).

*Autor para correspondência <andreiabo@hotmail.com> RESUMO – Phenakospermum guyannense é popularmente conhecida na Amazônia como sororoca, geralmente encontrada próxima a cursos d´água, em ambientes ombróilos. Objetivou-se com este estudo descrever a morfoanatomia e histoquímica da semente madura de P. guyannense, como contribuição a estudos taxonômicos, isiológicos e ecológicos. Sementes maduras foram coletadas nas margens da Cachoeira do Urubuí, no Município de Presidente Figueiredo, Amazonas. O estudo anatômico foi realizado conforme técnicas usuais para análise em microscopia óptica e eletrônica de varredura. Foram aplicados testes histoquímicos para a detecção de compostos fenólicos, amido, proteína e lipídios. A semente madura de P. guyannense é estenospérmica, com envoltório de cor negra, formado por vários estratos de diferentes tipos celulares, sendo a maioria impregnada de compostos fenólicos. O hilo é punctiforme, circundado por células que constituem o arilo. O endosperma é sólido, constituído por células tetraédricas de conteúdo amiláceo e proteico. O embrião é basal capitado, apresentando células de conteúdo lipídico e proteico, composto por eixo hipocótilo-radícula levemente dilatado de forma cilíndrica e localiza-se na região proximal. O haustório apresenta formato aplanado e situa-se na região distal.
Mostrar mais

8 Ler mais

Morfoanatomia, histoquímica e perfil fitoquímico de Priva lappulacea (L.) Pers. (Verbenaceae).

Morfoanatomia, histoquímica e perfil fitoquímico de Priva lappulacea (L.) Pers. (Verbenaceae).

RESUMO: Este estudo descreve a anatomia e analisa a histoquímica dos órgãos vegetativos de Priva lappulacea (L.) Pers. Secções transversais e paradérmicas, à mão livre, de material fresco e ixado foram utilizadas para as análises anatômicas e histoquímicas, usando microscopia óptica. Os caracteres anatômicos são comuns àqueles descritos para a família, podendo ser utilizados como diagnóstico na sua identiicação. Destacam-se, nas folhas, os tricomas, glandular e não-glandular, estômatos anomocíticos, em ambas as faces da epiderme, e mesoilo dorsiventral. As expansões no pecíolo são acrescentadas à diagnose da espécie. Estudo itoquímico realizado com as partes aéreas mostrou a presença de triterpeno (ácido ursólico) e esteróide (β-sitosterol), iridóides (ipolamida e catalpol), açúcar redutor (glucose), lavonóide (luteolina) e fenilpropanóide (verbascosídeo). Nas raízes foi encontrada apenas glucose e dois iridóides estiveram presentes no caule e folhas. Alcalóides, saponinas, cumarinas, derivados cinâmicos, proantocianidinas condensadas e leucoantocianidinas não foram constatados nas partes analisadas. A descrição anatômica e os testes histoquímicos são inéditos para P. lappulacea.
Mostrar mais

8 Ler mais

Morfoanatomia e histoquímica de sementes em  de Euterpe oleracea Mart. (Arecaceae)

Morfoanatomia e histoquímica de sementes em de Euterpe oleracea Mart. (Arecaceae)

em desenvolvimento, endosperma e o embrião da Euterpe oleracea Mart. Foram coletadas flores antes e após a fecundação além de frutos em diferentes estádios de desenvolvimento, selecionados a partir do diâmetro da semente e dos parâmetros morfológicos: coloração do pericarpo e resistência da semente ao corte da lâmina de estilete. As coletas dos materiais biológicos foram feitas na Taíba, um distrito do município de São Gonçalo do Amarante - CE. Os diferentes estádios de botão floral e sementes, foram submetidos a analises histológicas e histoquímica por microscopia de luz. Durante a análise anatômica foi possível identificar e classificar as diferentes estruturas a saber: O óvulo é hemianátropo; bitegumentado com diferenciação apenas na região da micrópila. O tegumento externo é mais espesso que o interno e a placentação é do tipo axilar com presença de paquicalaza, além da presença de feixes vasculares por toda região do tegumento externo. No desenvolvimento inicial o endosperma do açaí é do tipo nuclear tornando-se com o passar do seu desenvolvimento celularizado, com o espessamento da parede celular, rico em pontuações primárias, formado por células multidimensionais e multiformes e grandes em relação às células do tegumento; O desenvolvimento embrionário é do tipo onagráceo ou crucífero passando pelos estágios de desenvolvimento de: proembrião, globular, coração lateral e torpedo. Durante o seu desenvolvimento; O embrião maduro é cônico de diminuto tamanho; com duas partes distintas: distal (haustório) e a proximal (pecíolo cotiledonar) constituída de um meristema oblíquo, um eixo radicular não diferenciado além de um eixo apical imerso na cavidade cotiledonar. As análises Histoquímicas das lâminas permitiu identificar: A região proximal, é rica em idioblastos contendo ráfides e compostos fenólicos. Amido foi evidenciado na coloração negra próxima as regiões dos meristemas; lipídeos com colocação laranja, proteínas em vermelho, pectinas e polissacarídeos de reserva da parede celular com coloração roxeada, constituem as moléculas de reserva no endosperma da espécie. Este é o primeiro estudo a descrever detalhadamente as estruturas do óvulo, do embrião zigótico, assim como a formação e desenvolvimento do endosperma do Euterpe oleracea Mart. Este trabalho fornece subsídios de base para futuros estudos nas áreas da biologia reprodutiva, anatomia e morfologia vegetal, bioquímica e diversas áreas da agronomia como a tecnologia de sementes.
Mostrar mais

68 Ler mais

Morfoanatomia e histoquímica de raízes de mandioca não diferenciam genótipos resistentes e suscetíveis a podridão mole da raiz

Morfoanatomia e histoquímica de raízes de mandioca não diferenciam genótipos resistentes e suscetíveis a podridão mole da raiz

The characters thickness of suber and cortex at proximal and medium portions, thickness of secondary xylem at medium and apical portions, number of cell layers of suber, thickness of su[r]

6 Ler mais

Constituintes químicos do cerne de Brosimum potabile (Moraceae)

Constituintes químicos do cerne de Brosimum potabile (Moraceae)

the hydrogen signal at δ H 8.16 (H-4) and the carbon signals at δ C 161.2 (C-2) and 149.6 (C-5). The hydrogen signal at 7.60 (H-2’) correlated with carbon signals at δ C 158.4 (C-7) and 112.5 (C-6). The hydrogen signal at d H 7.13 (H-8) correlated with carbon signals at δ C 158.4 (C-7), 112.5 (C-6), and 106.4 (C-10). The hydrogen signal at δ H 7.02 (H-3’) correlated with carbon signals at δ C 158.4 (C-7), 144.8 (C-2’), and 112.5 (C-6). The hydrogen signal at d H 6.28 (H-3) correlated with carbon signals at δ C 161.2 (C-2) and 106.4 (C-10). The hydrogen signal at d H 4.30 (H-2”) correlated with a carbon signal at δ C 149.6 (C-5), indicating the localization of the methoxyl group in the coumarinic skeleton. These HMBC correlations agree with 5-methoxypsoralen (15), a coumarin previously isolated from Brosimum acutifolium (Xavier 2001) and Brosimum gaudichaudii (Okahara 1936).
Mostrar mais

8 Ler mais

Efeitos fitotóxicos do fluoreto na morfoanatomia foliar de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf e Brachiaria decumbens Stapf (Poaceae).

Efeitos fitotóxicos do fluoreto na morfoanatomia foliar de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf e Brachiaria decumbens Stapf (Poaceae).

RESUMO – (Efeitos fi totóxicos do fl uoreto na morfoanatomia foliar de Brachiaria brizantha (Hochst. Rich.) Stapf e Brachiaria decumbens Stapf (Poaceae)).. Visando avaliar os efeitos do[r]

7 Ler mais

Fitossociologia e uso múltiplo de espécies arbóreas em floresta manejada, comunidade Santo Antônio, município de Santarém, estado do Pará.

Fitossociologia e uso múltiplo de espécies arbóreas em floresta manejada, comunidade Santo Antônio, município de Santarém, estado do Pará.

The forest potential was evaluated in the logged area in the Moju I and II Settlement, located at a secondary road near km 124 of the BR 163 highway, in the municipality of Santarém, Brazilian Amazonia. Twelve 50 m x 200 m plots were established in a 12 ha sample area, in which all trees CPH (circumference 1.3 m above ground) > 157.5 cm were recorded; twelve 50 m x 50 m subplots in which individuals 94.2 cm ≤ CAP < 157.1 cm were recorded; and twelve 50 m x 25 m subplots for measuring individuals 31.4 cm ≤ CAP < 94.2 cm. A total of 1227 trees from 175 species and 38 families were recorded in the forest sample. Higher number of species was found in Fabaceae and genus Inga was the richest. Diversity Shannon index (H’) was 4.39 and Evenness index (J) was 0,85. The analysis of VIA showed that remain forest keeps a stock of timber and non-timber potential species for using by the community. Carapa guianensis, Caryocar villosum, Brosimum parinarioides, Aniba canellila, Bowdichia virgilioides and Andira surinamensis can be suggested to be removed from the timber harvesting list, thus improving community economic return. Manilkara huberi and Carapa guianensis were the species with more expressive timber and non- timber uses, respectively, according to the present market and the potential of known uses; so it will be very interesting that these characteristics can be taking into consideration during the elaboration of plans and management of the forest.
Mostrar mais

10 Ler mais

Chuva de sementes em uma floresta monodominante de Brosimum rubescens Taub. e em uma floresta mista adjacente no Vale do Araguaia, MT, Brasil.

Chuva de sementes em uma floresta monodominante de Brosimum rubescens Taub. e em uma floresta mista adjacente no Vale do Araguaia, MT, Brasil.

Observando-se a fenologia da queda de sementes de quatro espécies importantes nas três porções de floresta estudadas, foram identificados alguns padrões distintos (Fig. 2). Amaioua intermedia apresentou sementes pequenas (biomassa seca, média = 3,5 mg; 0,2 a 0,4 cm de comprimento) que estiveram distribuídas em um padrão relativamente constante no decorrer do ano. Por outro lado, Chaetocarpus echinocarpus (5,1 mg; 0,5 a 0,8 cm), Protium pilosissimum (38mg; 0,8 a 1 cm) e Tetragastris altissima (88 mg; 1 a 1,5 cm), apresentaram sementes maiores (1,5 a 25 vezes) do que a primeira espécie, maior concentração sazonal e menores períodos de dispersão das sementes. Brosimum rubescens (900 mg; 1 a 2,5 cm), cujas sementes estão entre as maiores dentre as espécies registradas nas florestas monodominante e mista, apresentou uma combinação entre o padrão identificado para a espécie de sementes pequenas (A. intermedia) e aquele observado para as demais espécies, com sementes maiores, com um pico acentuado em um período específico (auge da seca) e picos menores em outros períodos ao longo do ano (Fig. 2).
Mostrar mais

10 Ler mais

Avaliação histoquímica, imuno-histoquímica e morfométrica do plexo mioentérico do...

Avaliação histoquímica, imuno-histoquímica e morfométrica do plexo mioentérico do...

As estimativas de densidade numérica pan-neuronal e do número total de neurônios foram obtidas em preparados de membrana corados com azul cuprolínico. Este método foi escolhido por ter sido previamente demonstrado que outros métodos de coloração neuronal não coram todos os neurônios ou coram também o neurópilo, o que dificulta a diferenciação dos neurônios nos preparados de membrana; além do mais, foi comprovado que não cora a glia (KARAOSMANOGLU et al., 1996). O azul cuprolínico cora todos os neurônios, de forma similar à imuno-histoquímica com Anti-Hu (PHILLIPS et al., 2004). O azul cuprolínico se une ao RNA de cadeia simples na presença de íons de Mg 2+ e, desta forma, atua como um corante ribossomal, marcando somente o citoplasma. No plexo mioentérico, os ribossomas estão presentes no citoplasma dos neurônios, em grandes quantidades (HEINICKE; KIERNAN; WIJSMAN, 1987).
Mostrar mais

101 Ler mais

Monodominância arbórea e diversidade de samambaias em florestas da transição Cerrado-Floresta Amazônica, Brasil.

Monodominância arbórea e diversidade de samambaias em florestas da transição Cerrado-Floresta Amazônica, Brasil.

We tested the hypothesis that the low tree diversity in a monodominant forest and possible associated environmental factors influenced the ferns occurrence in the Cerrado-Amazon forest transition zone. The objective was to analyse and compare species richness, canopy cover and ecological aspects of ferns in the transitional forests. The ferns were sampled in a Brosimum rubescens Taub. monodominant forest (MO) and a seasonal mixed forest (MI). The terrestrial substrate, hemicryptophytes life form and herbaceous habit were prevalent. The diversity of woody species was higher than that of ferns, which had a total of 304 individuals, seven species, four genera and two families. The richest family was Pteridaceae, represented by five species (71%). MI forest presented six species and Adiantum tetraphyllum Willd. was the principal, with 209 individuals. Only two species were registered in the MO forest, supporting the hypothesis that low tree diversity and associated environmental conditions influences the diversity of ferns. Probably the canopy cover, the quality of the litter layer and/or edaphic factors may be related to the low diversity of ferns in the MO, since such conditions may act as an environmental filter of species, favoring only the most competitive and adapted to such conditions.
Mostrar mais

8 Ler mais

Expressão imuno-histoquímica da proteína C-kit no Retinoblastoma

Expressão imuno-histoquímica da proteína C-kit no Retinoblastoma

crescimento em manguito, mostrando imuno-histoquímica positiva para C-kit e em maior aumento (X400) (B) mostrando suas rosetas com imuno-histoquímica positiva para C-kit. C) Aspecto [r]

70 Ler mais

Análise de Incidentes e de Eventos Adversos – Normas de Orientação Clínica

Análise de Incidentes e de Eventos Adversos – Normas de Orientação Clínica

O desenvolvimento de competências para a implementação eficaz e eficiente de uma ACR é importante para as instituições de saúde como instrumento para a melhoria [r]

91 Ler mais

Características colorimétricas entre as seções anatômicas da madeira de muirapiranga (Brosimum sp.).

Características colorimétricas entre as seções anatômicas da madeira de muirapiranga (Brosimum sp.).

Brosimum sp., família Moraceae, é uma espécie arbórea, de altura entre 30 e 50m, com ampla distribuição na Amazônia. É conhecida popularmente como muirapiranga e pau-rainha (LOUREIRO et al., 1997) e utilizada na fabricação de móveis de luxo, instrumentos musicais, objetos de adorno, entre outros. A madeira apresenta coloração avermelhada intensa (um dos principais atrativos), tronco reto e longo, é resistente ao ataque de fungos e insetos, possui boa trabalhabilidade e tem pouca propensão as rachaduras e empenos (SOUZA, 1998).

5 Ler mais

Morfoanatomia das folhas de Dodonaea viscosa Jacq., Sapindaceae.

Morfoanatomia das folhas de Dodonaea viscosa Jacq., Sapindaceae.

Microscopicamente destaca-se a cutícula com formações lenticulares, os tricomas glandulares com quatro células na base, os tricomas tectores unicelulares de ápice ailado, os estômatos [r]

6 Ler mais

Morfoanatomia da plântula de Campomanesia xanthocarpa O. Berg. (Myrtaceae).

Morfoanatomia da plântula de Campomanesia xanthocarpa O. Berg. (Myrtaceae).

RESUMO – (Morfoanatomia da plântula de Campomanesia xanthocarpa O. Berg. (Myrtaceae)). Campomanesia xanthocarpa (guabirobeira) é espécie arbórea, heliófi ta, ocorrendo desde o estado de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul. Visando descrever a morfologia e anatomia da plântula, sementes foram coletadas e plantadas, utilizando-se vermiculita como substrato. Plântulas foram coletadas para análise morfológica desde a protrusão da radícula até a fase em que são emitidos os primeiros pares de eofi los. Para a análise anatômica foram coletadas plântulas com sete, 30 e 60 dias após a germinação. As amostras foram fi xadas em glutaraldeído (1%) + formaldeído (4%), incluídas em historesina, seccionadas em micrótomo, e montadas de forma perma- nente. A plântula é epígea, fanerocotiledonar, com paracotilédones e eofi los simples, opostos. Nas plântulas com sete dias observa-se o início da formação do câmbio e as de 30 dias já apresentam crescimento secundário. O paracotilédone e o eofi lo apresentam características morfoanatômicas semelhantes. O hipocótilo é o principal órgão de reserva, contendo grãos de amido, especialmente nas plântulas com sete dias. Foram registradas glândulas e células secretoras em todos os órgãos, exceto na raiz. A epiderme dos paracotilédones, eofi los e hipocótilo apresenta tricomas tectores unicelulares. Idioblastos com cristais são comuns no mesofi lo do paracotilédone e do eofi lo.
Mostrar mais

11 Ler mais

Morfoanatomia foliar de Palicourea longepedunculata Gardiner (Rubiaceae).

Morfoanatomia foliar de Palicourea longepedunculata Gardiner (Rubiaceae).

RESUMO - O gênero Palicourea - tribo Psychotrieae - compreende cerca de 200 espécies e destaca-se por apresentar alcalóides indólicos muitas vezes tóxicos para bovinos. O objetivo do presente trabalho foi contribuir para o conhecimento da família Rubiaceae, enfatizando os aspectos da morfoanatomia foliar de Palicourea longepedunculata. O material foi coletado na Reserva Florestal Mata do Paraíso (RFMP), município de Viçosa, Minas Gerais, e amostras-testemunha foram depositadas no herbário VIC. Folhas provenientes do quarto nó foram fixadas em FAA 50 e conservadas em etanol 70%. Seções transversais e longitudinais do pecíolo e da lâmina foliar foram obtidas em micrótomo de mesa para montagem de lâminas permanentes, conforme metodologia usual. As folhas são simples, opostas, inteiras, ovais lanceoladas, dorsiventrais e hipoestomáticas. A epiderme do pecíolo e da lâmina foliar é uniestratificada, papilosa na face adaxial da folha e recoberta por cutícula delgada. Os estômatos são paracíticos e ocorrem no mesmo nível das demais células epidérmicas. O mesofilo é constituído por uma camada de parênquima paliçádico e de várias de parênquima lacunoso. Na face adaxial e abaxial da nervura mediana e no bordo da lâmina observa-se colênquima subepidérmico. Um feixe vascular do tipo colateral, em forma de “U”, distribui-se ao longo do pecíolo e da nervura mediana, acompanhado, invariavelmente, por dois feixes menores localizados lateralmente. No córtex do pecíolo e da nervura mediana observa-se aerênquima. As características anatômicas seguem o padrão descrito para as Rubiaceae, e algumas delas são interpretadas como adaptações a ambientes úmidos e sombreados no qual a espécie ocorre.
Mostrar mais

9 Ler mais

Germinação, desenvolvimento inicial e morfoanatomia de cactáceas epifíticas

Germinação, desenvolvimento inicial e morfoanatomia de cactáceas epifíticas

Cactáceas epífitas com potencial ornamental são encontradas na Mata Atlântica brasileira. As diferenças no processo de germinação e desenvolvimento inicial, entre espécies vegetais são de interesse na produção e estabelecimento de mudas. Este estudo teve por objetivo investigar a germinação e o desenvolvimento pós-seminal in vitro, em água e ágar, e a morfoanatomia do caule de indivíduos adultos, crescendo no ambiente natural de Rhipsalis neves-armondii, Rhipsalis teres e Lepismium cruciforme, ocorrentes em Santa Catarina. Análises do crescimento e desenvolvimento foram determinadas por medidas de comprimento, massa seca, teor de clorofilas e carotenóides. Análises anatômicas do hipocótilo e caule foram obtidas por secções transversais e paradérmicas utilizando técnicas clássicas. O desenvolvimento de plântulas, em água e ágar, indicou ser indispensável a incrementação de nutrientes, pois as substâncias de reserva foram exauridas até os 60 dias de cultivo. Em ágar, as sementes de R. neves-armondii não germinaram. Características anatômicas do hipocótilo das plântulas, bem como do caule dos indivíduos adultos, de R. teres e L. cruciforme foram similares. Cutícula espessa e parênquima aquífero constatados no hipocótilo e nos caules são características xéricas, importantes para economia hídrica destas epífitas que são protegidas da irradiação solar pelo forófito, mas com limitação de disponibilidade água.
Mostrar mais

17 Ler mais

Show all 9496 documents...

temas relacionados