Top PDF Morfologia de sementes e do desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae.

Morfologia de sementes e do desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae.

Morfologia de sementes e do desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae.

RESUMO – (Morfologia de sementes e do desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae). O estudo teve como objetivos caracterizar as sementes, fornecendo informações sobre o tipo e o tempo médio de germinação e de formação de plântulas, além de descrever a morfologia do desenvolvimento pós-seminal de seis espécies de Bromeliaceae. Os resultados mostram germinação do tipo epígea e plântulas criptocotiledonares para todas as espécies. As porcentagens máximas de germinação obtidas, acima de 80%, indicam alta qualidade fisiológica das sementes. O tempo médio de germinação e de formação de plântulas foi de 4-15 e 8-18 dias, respectivamente. As sementes são filiformes a elípticas, lisas ou com apêndices plumosos. Os caracteres morfológicos mais relevantes para a diferenciação entre gêneros e subfamílias de Bromeliaceae referem-se à forma e ao tipo de apêndices das sementes, e na forma e tamanho da bainha cotiledonar, hipocótilo e raiz primária das plântulas, subsidiando estudos taxonômicos, ecológicos e na área de tecnologia de sementes.
Mostrar mais

13 Ler mais

Morfologia de sementes e de estádios iniciais de plântulas de espécies de Bromeliaceae da Amazônia.

Morfologia de sementes e de estádios iniciais de plântulas de espécies de Bromeliaceae da Amazônia.

Sementes de Aechmea bromeliifolia, A. castelnavii (Bromelioideae); Dyckia duckei, D. racemosa (Pitcairnioideae) e Tillandsia adpressiflora (Tillandsioideae) foram coletadas em regiões amazônicas (Mato Grosso) e estudadas visando sua caracterização morfológica e o desenvolvimento pós-seminal com finalidades taxonômicas, além de verificar a porcentagem de germinação. Todas as espécies apresentam germinação epígea e plântulas criptocotiledonares. As sementes não apresentam dormência e a porcentagem de germinação é alta, acima de 86%, facilitando a produção de mudas e estudos de conservação. Como característica exclusiva dos gêneros, o envoltório das sementes de Aechmea (Bromelioideae) apresenta mucilagem que evita a dessecação; enquanto que o de Dyckia (Pitcairnioideae) apresenta alas membranáceas e o de Tillandsia (Tillandsioideae) apresenta apêndices plumosos, neste último caso provavelmente para facilitar a dispersão e estabelecer o hábito epifítico. O início do desenvolvimento pós-seminal de Aechmea (Bromelioideae) e Dyckia (Pitcairnioideae) é marcado pela emergência da raiz primária, interpretado como caráter basal, enquanto que o de Tillandsia adpressiflora (Tillandsioideae) é marcado pela emergência do cotilédone, interpretado como caráter derivado. Dyckia e Tillandsia apresentam pequeno tanque apenas na fase de plântula e em Aechmea ocorre o contrário. Palavras-chave: Aechmea, Dyckia, germinação, semente, Tillandsia.
Mostrar mais

10 Ler mais

Germinação de sementes de jenipapo: temperatura, substrato e morfologia do desenvolvimento pós-seminal.

Germinação de sementes de jenipapo: temperatura, substrato e morfologia do desenvolvimento pós-seminal.

Apesar do aumento considerável de dados de aná- lise de sementes de espécies nativas, muitas ainda carecem de informações básicas referentes às condi- ções ideais de germinação. Tal afirmação pode ser verificada nas Regras para Análise de Sementes (Bra- sil, 1992), onde são encontradas poucas recomenda- ções ou prescrições para análise de espécies flores- tais, embora muitas sejam intensamente cultivadas. Este parece ser o caso das sementes de jenipapo, em que tanto a temperatura como o substrato ótimo para a germinação são desconhecidos; tal fato prejudica a avaliação da qualidade das sementes, principal- mente quando é necessário comparar resultados obtidos em diferentes laboratórios.
Mostrar mais

7 Ler mais

Morfologia de sementes e desenvolvimento pós-seminal de Physalis angulata L.

Morfologia de sementes e desenvolvimento pós-seminal de Physalis angulata L.

Physalis angulata é conhecida como camapu, mullaca ou juá-de-capote. Pertence à família Solanaceae A. L. Jussieu, que é uma das maiores dentre as angiospermas. Essa família com 150 gêneros e cerca de 3.000 espécies tem a América do Sul como um dos centros de diversidade e endemismo (Hunziker, 2001; Souza & Lorenzi, 2005). Com distribuição tropical e sub- tropical, são 110 espécies, ocorrendo principalmente na Ásia, Europa e Estados Unidos. No Brasil podem ser encontradas 11 espécies (Sendter, 1846; D’arcy et al. 2005), distribuídas por todo o país com ênfase para a Amazônia e Nordeste (6 espécies). Do ponto de vista medicinal é utilizada popularmente como anticoagulante, diurético, antiinfl amatório, dentre outros. Entretanto, já existem pesquisas de cunho científi co que apontam esta espécie como potencialmente anticarci- nogênica (Ribeiro et al., 2002).
Mostrar mais

4 Ler mais

Anatomia e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae (Poales) da Amazônia - MT

Anatomia e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae (Poales) da Amazônia - MT

Roots, leaves, scapes and seeds of Aechmea bromeliifolia, Aechmea castelnavii, Aechmea mertensii (Bromelioideae); Dyckia duckei, Dyckia paraensis, Dyckia racemosa (Pitcairnioideae); [r]

99 Ler mais

Germinação e morfologia do desenvolvimento pós-seminal de sementes de Nim-indiano (Azadirachta indica A. Juss. - Meliaceae).

Germinação e morfologia do desenvolvimento pós-seminal de sementes de Nim-indiano (Azadirachta indica A. Juss. - Meliaceae).

RESUMO - Azadirachta indica A. Juss. é uma espécie nativa das regiões áridas da Ásia e África, mas que atualmente encontra-se distribuída também nas Américas e outras regiões de clima tropical e sub-tropical. É uma planta muito resistente, que apresenta excelentes propriedades medicinais. O objetivo deste trabalho foi definir o tipo de substrato e a temperatura mais adequada à germinação de sementes de nim-indiano (Azadirachta indica A. Juss.) e conhecer a morfologia de seu desenvolvimento pós-seminal, caracterizando as plântulas normais e o tipo de germinação. As sementes foram semeadas nos substratos vermiculita, areia e rolo de papel germitest e mantidas em germinador nas temperaturas de 25°C, 30°C, 35°C e 20°30°C. O delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições de 25 sementes, avaliando-se a porcentagem de germinação. Os melhores resultados da germinação são verificados na temperatura constante de 35°C, nos substratos vermiculita e em rolo de papel com contagens de 15 e 30 dias. As plântulas normais são caracterizadas como de germinação epígea.
Mostrar mais

8 Ler mais

Desenvolvimento pós-seminal de espécies de Poaceae (Poales).

Desenvolvimento pós-seminal de espécies de Poaceae (Poales).

RESUMO – (Desenvolvimento pós-seminal de espécies de Poaceae (Poales)). O presente estudo objetivou verificar a existência de um padrão do desenvolvimento pós-seminal em Poaceae. Para tanto, foram estudadas as seguintes espécies: Olyra humilis Nees (Bambusoideae); Axonopus aureus P. Beauv. e Paspalum polyphyllum Nees ex Trin. (Panicoideae); Chloris elata Nees e Eragrostis solida Desv. (Chloridoideae). Procurou-se também comparar as estruturas da plântula de Poaceae com as demais monocotiledôneas. As espécies estudadas são plantas perenes, rizomatosas, cespitosas e apresentam cariopses de tamanhos diferentes. Apresentam sementes albuminosas; embrião lateral, diferenciado, com raiz endógena (adventícia); cotilédone dividido em hiperfilo (escutelo), bainha reduzida e hipofilo (coleóptilo); coleorriza (raiz primária reduzida) e mesocótilo (eixo localizado entre o escutelo e coleóptilo). A presença de epiblasto (folha embrionária) foi observada em Olyra humilis, Chloris elata e Eragrostis solida. O desenvolvimento pós-seminal é semelhante nas espécies estudadas e forma um padrão em Poaceae. Primeiramente, observa-se a emissão da coleorriza, que cresce no sentido geotrópico positivo, seguida do coleóptilo e plúmula que crescem em sentido contrário, a partir do desenvolvimento do mesocótilo. As primeiras folhas são semelhantes às folhas definitivas (metafilos) das espécies, exceto em Olyra humilis, que são modificadas em catafilos e podem ser interpretadas como caráter basal em Bambusoideae. Raiz primária reduzida (coleorriza) e hipofilo modificado em coleóptilo são considerados caracteres derivados em Poaceae, quando comparados com as demais monocotiledôneas.
Mostrar mais

11 Ler mais

A ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO DOS SEMINÁRIOS DE APROPRIAÇÃO DOS RESULTADOS DO SPAECE NA COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO – CREDE 11/CEARÁ. – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO DOS SEMINÁRIOS DE APROPRIAÇÃO DOS RESULTADOS DO SPAECE NA COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO – CREDE 11/CEARÁ. – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

De acordo com a equipe organizadora, o seminário escolar de apropriação dos resultados do Spaece na CREDE 11 foi uma alternativa pensada para incentivar e mobilizar a gestão das escolas em torno de um planejamento estratégico, com vistas à recuperação dos indicadores de aprendizagem e concomitantemente chamar os seguimentos escolares à responsabilidade 19 . Esses seminários têm passado por pequenos ajustes desde a realização da sua primeira edição no ano de 2009, com o passar do tempo se registra uma pequena mudança na nomenclatura do núcleo organizador do seminário, que em 2011 deixou de se chamar Núcleo Regional de Desenvolvimento da Escola-NRDES e passou a adotar a nomenclatura de NRDEA, ou seja, não houve grandes mudanças de ordem prática. Eventualmente, as atividades lúdicas e a metodologia podem sofrer alterações necessárias e/ou adaptações, com vistas a evitar algumas repetições, mas nada que comprometa a sua estrutura.
Mostrar mais

116 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Durante a pesquisa, foram entrevistados dois Agentes de Acompanhamento de Gestão Escolar que orientam as escolas objeto da pesquisa para verificar quais são as percepções dos [r]

99 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MOISÉS DOS SANTOS CORDEIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MOISÉS DOS SANTOS CORDEIRO

Esse plano visa monitorar os avanços e retrocessos da educação ofertada em cada instituição educacional brasileira, a partir de metas estabelecidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) até o ano de 2021, seguindo “os resultados alcançados pelos países que fazem parte da Organização de Cooperação e Dese nvolvimento Econômico (OCDE)” (SILVEIRA; FERRON, 2012, p. 4). E, nessa perspectiva, ele também procura garantir, em regime de colaboração, “as normas gerais da educação na articulação com o desenvolvimento socioeconômico que se realiza no território, ordenado segundo a lógica do arranjo educativo local, regional ou nacional ” (BRASIL, 2007b, p.11).
Mostrar mais

147 Ler mais

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Os Grêmios Estudantis compõem uma das mais duradouras tradições da nossa juventude. Pode-se afirmar que no Brasil, com o surgimento dos grandes Estabelecimentos de Ensino secundário, nasceram também os Grêmios Estudantis, que cumpriram sempre um importante papel na formação e no desenvolvimento educacional, cultural e esportivo da nossa juventude, organizando debates, apresentações teatrais, festivais de música, torneios esportivos e outras festividades. As atividades dos Grêmios Estudantis representam para muitos jovens os primeiros passos na vida social, cultural e política. Assim, os Grêmios contribuem, decisivamente, para a formação e o enriquecimento educacional de grande parcela da nossa juventude. O regime instaurado com o golpe militar de 1964 foi, entretanto, perverso com a juventude, promulgando leis que cercearam a livre organização dos estudantes e impediram as atividades dos Grêmios. Mas a juventude brasileira não aceitou passivamente essas imposições. Em muitas escolas, contrariando as leis vigentes e correndo grandes riscos, mantiveram as atividades dos Grêmios livres, que acabaram por se tornar importantes núcleos democráticos de resistência à ditadura. (PARANÁ, 2010, apud MARTINS, 1999, p. 6)
Mostrar mais

101 Ler mais

Paradoxos do presente e lições de Marx — Outubro Revista

Paradoxos do presente e lições de Marx — Outubro Revista

Ocorre também um questionamento do papel do Estado intervencionista, empregador e regulador do conflito social por meio de políticas keynesianas. Um papel do Estado na economia e do Estado social que, na era fordista, teve a tarefa de redistribuir os rendimentos graças à força do movimento operário que impôs uma maior cota de repartição para o fator trabalho, isto é, uma quantidade mais elevada de salário social total (por conseguinte, mais salário direto, indireto e deferido). Tudo sempre no interior do capita- lismo e das próprias relações de produção capitalistas, configurando, assim, o desenvolvimento de relações sociais mediadas pelo Estado e centralizadas no uso do compromisso fordista-keynesiano, compreendida a determinante do Estado-social e utilizadas também como elementos de controle de todas as formas de antagonismo, de compressão e de cooptação do conflito social com o objetivo de evitar (e o capital nisso foi verdadeiramente vitorioso) a afirmação de relações que pudessem prefigurar novas formações sociais.
Mostrar mais

22 Ler mais

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

Esta dissertação objetiva analisar a operacionalização e implementação da política de Correção de Fluxo Escolar do Amazonas – o Projeto Avançar, com o foco específico na operacionalização e implementação desta política com vista ao contexto pedagógico, na formação de professores que atuam na classe de aceleração. O Projeto Avançar foi criado em 2005, pela Secretaria de Estado da Educação e Qualidade de Ensino do Amazonas e destina-se aos estudantes do Ensino Fundamental com distorção idade-ano de escolaridade de pelo menos dois anos, que poderão constituir grupos diferenciados de atendimento, conforme o nível de alfabetização e série/ano escolar que frequentam nos anos iniciais e finais. O principal objetivo desta política é de regularizar o fluxo escolar da rede estadual com a viabilização de alternativas pedagógicas fundamentadas em aprendizagem significativa e no fortalecimento da autoestima do aluno. A presente pesquisa tem como objetivo central verificar se as ações delineadas na proposta do Projeto Avançar, com base nas finalidades e orientações referentes ao contexto pedagógico, atendem às expectativas de aprendizagens e ás estratégias de ensino para os alunos com atraso escolar dos anos finais do ensino fundamental. Para o desenvolvimento da pesquisa, optou-se por uma metodologia qualitativa que consistiu-se na análise documental, realização de entrevista com roteiro semiestruturado com os atores atuantes diretamente no programa na Secretaria de Educação e utilização dos dados coletados pelos mestrandos Maria Francisca Andrade e Raimundo José Pereira Barbosa do Curso de Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) da mesma área de pesquisa com o foco da investigação na escola e coordenadoria regional de educação. Como fundamentação teórica, buscou-se suporte nos estudos de Condé (2012), Mainardes (2006), Lück (2000), Gatti (2010), Nóvoa (1992), Candau (1997) e Prado (2000). Os instrumentos metodológicos e os referenciais teóricos forneceram subsídios para a compreensão dos fatos, trouxeram elementos relevantes que possibilitou a identificação de algumas fragilidades da política de correção de fluxo escolar desenvolvida pela SEDUC/AM e em relação aos principais desafios a serem superados para a efetivação do programa. A partir dos resultados da pesquisa, em caráter sugestivo, propõe-se um Plano de Ação Educacional (PAE) que consiste em algumas recomendações de melhorias ao êxito desta política que possibilitará maior sucesso e oportunidades educacionais.
Mostrar mais

117 Ler mais

O INSTITUTO DE EDUCAÇÃO JOSUÉ DE CASTRO E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

O INSTITUTO DE EDUCAÇÃO JOSUÉ DE CASTRO E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

A repercussão no curso TAC muitas vezes aparece como sendo que a capacitação técnica e a própria cooperação se tornaram anacrônicas frente à nova visão estratégica do Movimento. Num certo sentido, o próprio objetivo original do curso, também. Isso obriga a novos rearranjos, ainda que não a uma reformulação geral do curso. Na seqüência o que ganha espaço é a discussão sobre como organizar os assentamentos em um contexto em que o foco passa para a análise e atuação no conjunto do espaço do assentamento, e não mais apenas nas formas da cooperação em si. A evolução da metodologia dos Planos de Desenvolvimento dos Assentamentos (PDA) se dá nesse contexto. Também nesse período se avança na crítica sobre o modelo tecnológico que havíamos desenvolvido no período anterior nos assentamentos. Com isso o embrião do que vai ser o novo modelo de agricultura propugnado pelo MST começa a surgir (ampliação das experiências e da formação em agroecologia, campanha de sementes) em parte como reação ao avanço do capital visando controlar o setor de sementes (introdução ilegal dos transgênicos, por exemplo).
Mostrar mais

202 Ler mais

A APROPRIAÇÃO DE RESULTADOS DO PROEB E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR DUAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A APROPRIAÇÃO DE RESULTADOS DO PROEB E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR DUAS ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica (Proeb), criado em 2000, em Minas Gerais, foi o primeiro programa a fornecer os subsídios necessários para que os resultados [r]

122 Ler mais

EXPANSÃO E FINANCIAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO SUPERIOR FEDERAL: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

EXPANSÃO E FINANCIAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO SUPERIOR FEDERAL: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

Conforme ainda argumenta Amaral (2008, p. 650), “o financiamento das atividades do meio universitário, é vital para as definições das suas políticas de ensino, pesquisa e de interação com a sociedade”. Portanto, não se pode falar em autonomia das instituições de ensino superior sem a alocação suficiente de recursos financeiros para atendimento às necessidades de desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão. Assim, cabe o salientado por Santos Filho e Chaves (2014, p. 34), “o financiamento dos Ifet, como se extrai da legislação de criação destas instituições, tem um caráter diversificado, vez que há atendimento ao ensino médio/profissional e à educação superior”. No entanto, os mesmos autores deixam claro que, não se pode afirmar, porém, se estes cursos superiores de tecnologia atendem ao tripé ensino pesquisa e extensão, como estabelece o art. 6º, incisos II, V, VII e VIII, da Lei nº. 11.892/2008 (Lei das Ifet), visto que, o incentivo elementar para a constituição e desenvolvimento deste modelo de ensino, é atender às determinações do mercado por procura profissional, não se levando em conta com o crescimento do homem e com a formação crítico-científica.
Mostrar mais

142 Ler mais

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

Outro ponto importante, salientado por Campos (1990), é o fato de que a accountability não é apenas uma questão de desenvolvimento organizacional ou reforma administrativa, e que a simples criação de mecanismos de controle pela burocracia não são suficientes para tornar mais efetiva a responsabilidade dos servidores públicos. Em sua jornada por descobrir os meandros do conceito, a estudiosa defende que a ideia de accountability parte da necessidade de proteger os cidadãos de uma má conduta burocrática, dos usos e abusos do poder, muitas vezes de maneira inconsequente. Desta forma, ela entende o termo como uma questão de democracia, e que quanto mais avançado o estágio democrático de determinado país, maior o interesse pela accountability. Cada vez mais, dentro dos governos, há a necessidade de acompanhar os valores democráticos como a igualdade, a dignidade humana, a participação e a representatividade. À medida que as organizações aumentam seu tamanho e sua participação na vida dos cidadãos, existe a necessidade de salvaguardá-los dos riscos da concentração do poder por parte dos serviços/servidores públicos.
Mostrar mais

120 Ler mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE COBERTURAS EM ESTRUTURA DE AÇO NA FORMA DE ARCO CIRCULAR E PARABÓLICO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL DE COBERTURAS EM ESTRUTURA DE AÇO NA FORMA DE ARCO CIRCULAR E PARABÓLICO

Os arcos sem articulações resultam no tipo mais leve, pois o momento na metade do vão é mínimo, enquanto que nos apoios, embora o momento seja elevado, o desenvolvimento da seção é relativamente pequeno em comparação a outros tipos de arcos em que a seção junto dos apoios deve ser desenvolvida. No entanto, os arcos sem articulações podem ser utilizados somente em solos resistentes, capazes de suportar grandes momentos sobre o apoio, caso contrário os gastos com a fundação onerariam a construção em geral, tornando-a inviável.

128 Ler mais

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

A presente dissertação foi desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP), do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). O caso de gestão estudado discutiu a precisão dos inputs informacionais para o fluxo do Sistema Integrado de Administração de Pessoal (SISAP) da Superintendência Regional de Ensino de Ubá (SRE/Ubá); especificamente, o processo de codificação das informações transmitidas pelas instituições de ensino através dos Relatórios de Pessoal (RP1) e Guia de Ocorrência (GO). Os objetivos definidos para este estudo foram: pesquisar, analisar e aprimorar a qualidade informacional oriunda das instituições estaduais de ensino pertencentes à SRE/Ubá. Levantou-se como hipótese que os erros observados no processo de codificação das informações advindas das escolas podem causar prejuízo ao Estado ou ao servidor público. Para tanto, foi empregada como metodologia a pesquisa de campo, em termos quantitativos e qualitativos, de forma exploratória e descritiva, utilizando instrumentos de pesquisas como questionários e análises documentais. Os resultados confirmaram a existência do problema de pesquisa e demonstraram distorções comportamentais na rotina do fluxo informacional Escola/SISAP. Essas distorções foram principalmente em relação aos veículos de comunicação; à não empregabilidade do conhecimento institucional; e ao processo de dispersão desse conhecimento institucional. O Plano de Ação teve duas perspectivas de intervenções para as evidências apuradas: uma ideal (desejável) e a outra real (factível). O motivo para tal secção é a atual Calamidade Financeira decretada para o estado de Minas Gerais. O Plano ideal propôs, basicamente, a criação de um software para o preenchimento do RP1 e uma ferramenta de busca para o site oficial da SRE/Ubá. Por sua vez, a proposta factível está apoiada principalmente na educação informacional dos operadores do fluxo e na melhoria do processo de disseminação do conhecimento institucional. O objetivo principal dessas propostas de intervenções está no desenvolvimento da cultura informacional dos operadores do fluxo Escola/SISAP.
Mostrar mais

157 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd – CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd – CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

, num exercício de repensar, a cada momento, o currículo que se materializa nas escolas. O necessário aprofundamento do diálogo da teoria com a prática, a pouca presença de protagonismo do professor na condução de seu próprio desenvolvimento profissional e o desenho, mais voltado para a prescrição do que para a reflexão, formam uma importante triangulação para revisão desta formação. Não obstante, evidenciou-se que a atual proposta do PIP tem caráter prescritivo e instrucional, reservando um espaço excessivamente limitado para a ação reflexiva e dialógica dos professores com o Programa e entre si. Dessa forma, esse trabalho serviu de subsídio à propositura de um Plano de Intervenção Educacional em forma de projeto piloto de formação continuada de professores a ser implementado em uma escola da jurisdição da Superintendência Regional de Ensino de Juiz de Fora, para o aprimoramento da formação continuada oferecida pelo PIP/ATC. Este projeto terá dois formatos, em dois momentos. No primeiro, o projeto terá como propósito estimular na escola a constituição de grupos de desenvolvimento profissional para estudo, debate, análise e elaboração de propostas de práticas pedagógicas em que o protagonismo e a autonomia do professor sejam evidenciados, valorizados e compartilhados entre seus pares. Em seu segundo momento, ancorado nas possibilidades da utilização das TICs, terá como objetivo instrumentalizar o professor no conhecimento da legislação educacional do estado de Minas Gerais e da proposta curricular da Secretaria de Estado de Educação.
Mostrar mais

185 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados