Top PDF NOVA ESPÉCIE DE Enderleina JEWETT DO NORTE DO BRASIL (PLECOPTERA - PERLIDAE).

NOVA ESPÉCIE DE Enderleina JEWETT DO NORTE DO BRASIL (PLECOPTERA - PERLIDAE).

NOVA ESPÉCIE DE Enderleina JEWETT DO NORTE DO BRASIL (PLECOPTERA - PERLIDAE).

sal, lateral e ventral respectivamente; 4- paraprocto, lateral; 5- esternito 10 e paraproctos; 6- tergito 10. Todas as figuras na mesma escala.. 1-3), paraproctos semisimétricos com um [r]

3 Ler mais

Nova espécie de Tichocoelidia Kramer do Norte do Brasil (Hemiptera: Cicadellidae, Neocoelidiinae).

Nova espécie de Tichocoelidia Kramer do Norte do Brasil (Hemiptera: Cicadellidae, Neocoelidiinae).

Kramer (1962) descreveu Tichocoelidia, designando como espécie-tipo T. clarkei Kramer, 1962 da Colômbia. Afirmou que esse gênero, utilizando-se a chave para gêneros de DeLong (1953), iria para Coelidiana Oman, 1938, porém diferindo deste pelo edeago assimétrico e pelos processos cruzados pareados dentro da cápsula genital do macho. Kramer (1964), em sua revisão dos gêneros de Neocoelidiinae, redescreveu Tichocoelidia. Atualmente, o gênero apresenta apenas a espécie-tipo e, no presente trabalho, é proposta uma nova espécie do Norte do Brasil.
Mostrar mais

3 Ler mais

Cocoelidia DeLong: descrição de uma nova espécie do norte do Brasil (Hemiptera, Cicadellidae, Neocoelidiinae).

Cocoelidia DeLong: descrição de uma nova espécie do norte do Brasil (Hemiptera, Cicadellidae, Neocoelidiinae).

O gênero apresentava apenas a espécie-tipo, do México. Ao estudar os espécimes depositados na Coleção de Entomo- logia Pe. Jesus Santiago Moure, Departamento de Zoologia, Universidade Federal do Paraná (DZUP) é proposta uma nova espécie: Cocoelidia prolata sp. nov. de Rondônia, Brasil.

3 Ler mais

Uma espécie nova de Lauraceae da floresta atlântica do Brasil.

Uma espécie nova de Lauraceae da floresta atlântica do Brasil.

Vegetativamente, pode ser confundida com Ocotea indecora (Schott) Mez e O. prolifera (Nees) Mez, das quais é diferenciada com segurança apenas por caracteres de flores e frutos. Ocotea marumbiensis apresenta tépalas ovalado-elípticas, cúpula trompetiforme a subemisférica e fruto com até 1 cm de comprimento, enquanto que O. indecora e O. prolifera apresentam tépalas estreito-elípticas, cúpulas tipicamente hemisféricas e frutos com até 2 cm de comprimento. Ocotea marumbiensis é mais semelhante a O. indecora que, no Paraná, ocorre nas Florestas Ombrófilas Densa e Mista e na Floresta Estacional Semidecidual. Em O. indecora o maior diâmetro das aréolas da folha, a inflorescência e flores com indumento pubérulo, o menor comprimento do pedicelo, além do maior comprimento dos estames das séries I e II, ápice das anteras e tépalas, que por sua vez conferem um maior diâmetro a flor, também diferenciam a espécie de O. marumbiensis. Características estas que têm se mostrado bastante homogêneas ao longo de sua distribuição nas três florestas dentro dos limites do Paraná, inclusive na Floresta Ombrófila Densa onde as duas espécies são simpátricas. Ocotea prolifera, por sua vez, ocorre no Paraná em Floresta Estacional Semidecidual ao norte do estado e, ainda, segundo
Mostrar mais

7 Ler mais

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

Tudo isso, aliado aos números acanhados de assentamentos de famílias nos dois primeiros anos do governo Lula, levou o MST a desencadear, em 2005, uma nova fase de mobilização, cujo momento de maior visibilidade foi a Marcha Nacional pela Reforma Agrária que chegou a Brassília em 17 de maio. O MST abandonou a proposta de pressionar o governo a assentar 1.000.000 de famílias, conforme promessa na campanha eleitoral, e acordou com o governo um novo compromisso de assentar 430 mil famílias até o seu final16. Todavia, nem esse novo compromisso vem sendo cumprido: em 2003, o governo havia se comprometido a assentar 60.000 famílias e assentou somente 36.000. Em 2004, o compromisso era assentar 115.000 famílias e só foram assentadas 81.200 (Folha de São Paulo, 15/05/2005).
Mostrar mais

12 Ler mais

Nova espécie de Canistrum E. Morren (Bromeliaceae) do Brasil.

Nova espécie de Canistrum E. Morren (Bromeliaceae) do Brasil.

Wanderley et al. (2007) apresentaram uma discussão detalhada sobre a delimitação dos gêneros Edmundoa, Wittrockia e Canistrum, propondo a sinonimização dos dois primeiros sob Canistrum, posicionamento adotado no presente trabalho. Dessa forma, justifica-se a descrição da nova espécie no gênero Canistrum s.l., seguindo em parte a proposta de Mez (1934, 1935), sem considerar, entretanto, a divisão infra-genérica.

5 Ler mais

A atualidade do uso do conceito de camponês

A atualidade do uso do conceito de camponês

Este artículo defiende la importancia del uso del concepto del campesino en la actualidad para el análisis y conocimiento de la realidad agraria brasileña, teniendo como base una perspectiva dialéctica de su contenido sociopolítico y cultural. Se inicia con la presentación del concepto del campesino adoptado e, después de eso, se hacen algunas consideraciones sobre la forma que este concepto viene siendo utilizado a través de los tiempos por las ciencias sociales en el Brasil y los límites del concepto de la agricultura familiar. Finalmente, a ejemplificar la actualidad del uso del concepto de campesino, se presentan las evidencias encontradas en estudios acerca de la lucha por la tierra y la reforma agraria sobre el predominio de referencias campesinas entre los valores que dirigen esta lucha y la forma de organización social y territorial establecida en los asentamientos rurales.
Mostrar mais

11 Ler mais

Uma nova espécie de Youngomyia (Diptera, Cecidomyiidae) do Brasil.

Uma nova espécie de Youngomyia (Diptera, Cecidomyiidae) do Brasil.

na primeira, delgados na segunda e arredondados na espécie nova). Difere de Y. pouteriae também pela forma dos gonóstilos (mais delgado na espécie nova), do hipoprocto e do edeago (nitidamente mais estreitos na espécie nova). Dentre todas as espécies neotropicais conhecidas, assemelha-se mais a Y. podophylla pela forma dos cercos femininos.

3 Ler mais

Uma nova espécie de Passiflora L. (Passifloraceae) para o Brasil.

Uma nova espécie de Passiflora L. (Passifloraceae) para o Brasil.

Esta nova espécie foi encontrada em áreas de campo rupestre e matas estacionais, em altitudes variando de 1.000 a 2.200 m.s.n.m. Apresenta características morfológicas que a enquadram no subg. Passiflora L. supersect. Stipulata Feuillet & MacDougal sect. Granadillastrum Triana & Planch., a saber: estípulas foliáceas, com a base evidentemente assimétrica e brácteas foliáceas (Feuillet & MacDougal 2003). Dentre as espécies descritas para esta seção P. mucugeana assemelha-se morfologi- camente a P. imbeana Sacco, descrita para o Estado do Rio de Janeiro (Sacco 1996). Passiflora imbeana diferencia-se de P. mucugeana por apresentar caule cilíndrico; gavinhas bem desenvolvidas; pecíolo com 1-2 glândulas estipitadas, situadas abaixo da metade do mesmo; lâminas coriáceas, com ambas as faces lustrosas, nervura principal formando um ângulo de 90º com as nervuras laterais, ápice arredondado; lobos laterais oval-arredondados e lobo mediano oval; brácteas oval-arredondadas, ápice obtuso, mucro- nulado; flores com sépalas corniculadas no ápice, corno bem curto, filamentos da corona em três séries; opérculo membranoso, não plicado, com margem lacerada; límen na base do hipanto, cupuliforme, com ápice liso, envolvendo frouxamente a base do androginóforo.
Mostrar mais

4 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

I - expandir o atendimento e melhorar a qualidade da educação brasileira; II - desenvolver e reestruturar o ensino médio, de forma a combinar formação geral, científica e cultural com a formação profissional dos educandos; III - propiciar a articulação entre a escola e os arranjos produtivos locais e regionais; IV - fomentar a expansão da oferta de matrículas no ensino médio integrado à educação profissional, pela rede pública de educação dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, inclusive na modalidade a distância; V - contribuir para a construção de novo modelo para o ensino médio fundado na articulação entre formação geral e educação profissional; VI - incentivar o retorno de jovens e adultos ao sistema escolar e proporcionar a elevação da escolaridade, a construção de novos itinerários formativos e a melhoria da qualidade do ensino médio, inclusive na modalidade de educação de jovens e adultos; VII - fomentar a articulação entre a educação formal e a educação no ambiente de trabalho nas atividades de estágio e aprendizagem, na forma da legislação; e VIII - fomentar a oferta ordenada de cursos técnicos de nível médio (BRASIL, 2007b).
Mostrar mais

110 Ler mais

Novas ocorrências de briófitas nos estados brasileiros.

Novas ocorrências de briófitas nos estados brasileiros.

Os gametófito são diminutos, ca. 2,0-3,0 mm; filídios lanceolados; células da lâmina do filídio unipapilosas, células basais lisas; costa subpercurrente, secção transversal do filídio com margem e lâmina biestratosa; secção transversal do caulídio sem diferenciação em células medulares e corticais; esporófito com dentes do endóstoma fundidos aos pares, exóstoma reduzido; esporos delicadamente rugosos. Esta nova localidade completa importante lacuna na distribuição desta espécie, uma vez que a mesma ocorre no sul da América do Sul e no Brasil é restrita a região Sul, sendo portanto, esperada para o RS.
Mostrar mais

36 Ler mais

João Márcio Mendes Pereira Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense Contato eletrônico: joao_marcio1917yahoo.com.br Resumo: O texto analisa a luta política em torno da implementação dos programas orientados

João Márcio Mendes Pereira Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense Contato eletrônico: joao_marcio1917yahoo.com.br Resumo: O texto analisa a luta política em torno da implementação dos programas orientados

É curioso que os proponentes do MRAM, de modo geral, tenham adotado o discurso da complementariedade entre a sua proposta e o “modelo tradicional”, uma vez que, seguindo o seu próprio raciocínio, não se consegue explicar por que se precisa complementar o que, em tese, é caro demais e não funciona. Depois de condenarem politicamente o tal “modelo tradicional” a uma posição marginal e residual, por que razão o mesmo deveria ser “complementado”? Não é difícil perceber que a própria lógica desse discurso, toda estruturada sobre a suposta negatividade “genética” do modelo desapropriacionista, anula a retórica da complementariedade. Além disso, há um problema de fundo nesse tipo de formulação. Se já é discutível fazê-lo para outras sociedades, como é possível, no Brasil, sustentar seriamente a tese da falência do tal “modelo tradicional” de reforma agrária, se o mesmo nunca foi levado adiante de maneira substantiva? Não é difícil perceber que o pressuposto do discurso do BM ⎯ reproduzido por inúmeros intelectuais brasileiros, muitos dos quais outrora ligados à esquerda ⎯ era (e continua sendo), no mínimo, equivocado.
Mostrar mais

26 Ler mais

POSSIBILIDADES DE USO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL DO AMAZONAS NA GESTÃO DAS ESCOLAS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

POSSIBILIDADES DE USO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL DO AMAZONAS NA GESTÃO DAS ESCOLAS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Exceto os municípios que têm receitas para fazer frente às suas obrigações constitucionais, por gerarem receitas com petróleo (Carauari e Coari), com o PIM (Manaus) ou tur[r]

137 Ler mais

IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS BÁSICOS PADRÃO MEC/FNDE NA REDE PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ PELO PROGRAMA BRASIL PROFISSIONALIZADO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS BÁSICOS PADRÃO MEC/FNDE NA REDE PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ PELO PROGRAMA BRASIL PROFISSIONALIZADO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Segundo Garcia (2009, p.79), a consolidação da nova proposta curricular se efetivou, em grande parte, pela contestação das instituições da Rede Pública Estadual, “[...] que colocaram a dificuldade de trabalhar com currículos separados da formação de um único sujeito e que os mesmos não privilegiavam a formação doaluno”, totalmente desconexos e fragmentados, provocando um esvaziamento emsua oferta, com altos índices de abandono e evasão escolar. Esse descontentamento culminou com a proposta de uma reorganização curricular para o Ensino Médio Integrado à Educação Profissional.
Mostrar mais

90 Ler mais

LUCIANA GOMES MAGALHÃES ESTUDO DO PROGRAMA AUTONOMIA EM TRÊS ESCOLAS DE NOVA IGUAÇURJ: POSSIBILIDADES DE DIMINUIR A DISTORÇÃO IDADE-SÉRIE

LUCIANA GOMES MAGALHÃES ESTUDO DO PROGRAMA AUTONOMIA EM TRÊS ESCOLAS DE NOVA IGUAÇURJ: POSSIBILIDADES DE DIMINUIR A DISTORÇÃO IDADE-SÉRIE

de mudanças. Os estudos históricos, sobretudo os da História Nova, têm demonstrado que entre essas estruturas as mentalidades são as que possuem maior vagarosidade em relação à mudança. E por não acompanhar o ritmo das mudanças econômicas e políticas, as mentalidades podem se constituir em obstáculos para a aquisição de novos comportamentos por parte dos gestores, maioria deles sem curso de gestão, cuja ação é regida, a grosso modo, pela experiência adquirida em um modelo ultrapassado de gestão. Daí a necessidade da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro investir na formação dos seus gestores, por ter consciência dos benefícios advindos com a gestão profissionalizada. Esta é a razão para que algumas legislações façam referência à formação desse profissional, a exemplo da LDBEN, que no artigo 64 ratifica a formação de profissionais de educação para a administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientadores educacionais em nível de graduação em pedagogia ou pós-graduação, e o PNE, Lei nº 10.172/2001, que amplia a oferta desses cursos para atender às metas nacionais relativas à gestão da educação 16 .
Mostrar mais

112 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Além disso, sugerimos também à SEDUC duas ações que visam aprimorar o SPAECE. Uma delas propõe que o SPAECE encontre meios para medir os impactos causados na aprendizagem pela menor carga horária de ensino do período noturno; a outra recomenda a criação de uma nova lei estadual que reformule a atual política de bonificação do Estado do Ceará, que visa premiar alunos e escolas a partir de seus resultados no SPAECE e no ENEM. A nova lei deveria incluir como critério de gratificação o turno de matrícula do aluno. Essa ideia se sustenta no fato, demonstrado nesta pesquisa, de que os estudantes do turno noturno – bem como os professores que lecionam nesse período – são prejudicados pela menor carga horária de ensino, em relação aos seus colegas do período diurno, os quais acabam sendo privilegiados por terem mais condições de obter melhores resultados nas avaliações externas, devido à maior carga horária letiva. Vale ressalvar, contudo, que – pelo fato de esta pesquisa ter-se detido a outro objetivo específico – essas duas propostas requerem maiores estudos, podendo inclusive ser objetos de pesquisa em trabalhos futuros.
Mostrar mais

107 Ler mais

FLORESTAS DE VALOR INCENTIVA NOVA ECONOMIA NA FLORESTA

FLORESTAS DE VALOR INCENTIVA NOVA ECONOMIA NA FLORESTA

“Atraímos algumas empresas e logo começou a tomar forma o Protocolo Comunitário, um documento que estabelece as bases para que as relações comerciais e a utilização da biodiversidade nestas áreas possam ser construídas respeitando os princípios de um comércio ético, e os valores e o modo de vida das populações da floresta”, explica Patrícia Gomes. Nessa forma de contra- to, os dois lados se manifestam publicamente na comu- nidade, mostram suas expectativas, assumem posições, compartilham soluções e discutem o que pode ser bom para ambas as partes. Até chegar a um consenso. “Isso é novo no Brasil”, constata a especialista.
Mostrar mais

8 Ler mais

Aplastodiscus flumineus (Cruz Peixoto, 1984): 36

Aplastodiscus flumineus (Cruz Peixoto, 1984): 36

C ARAMASCHI , U. & A. V ELOSA . 1996. Nova espécie de Hyla Laurenti, 1768 do Leste Brasileiro (Amphibia, Anura, Hylidae). Bole- tim do Museu Nacional, Nova Série Zoologia (365): 1-7. C ARAMASCHI , U. & C.A.G. C RUZ . 2004. Duas novas espécies de

8 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Esta pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos da política de bonificação, instituída pela Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC/RJ), a partir do ano de 2011, nas ações gestoras de oito escolas estaduais localizadas no município de Valença. As escolas foram selecionadas de acordo com o perfil dos gestores, sendo escolhidos aqueles que estão no cargo há mais de cinco anos. Esses, portanto, já ocupavam o cargo antes da execução da política, sendo possível, deste modo, verificar a mudança nas ações gestoras. As políticas públicas de avaliação e bonificação pelos resultados obtidos começaram a despontar no setor público a partir da década de 1980, modificando também as formas de gestão pública. Na década seguinte, as bases das reformas educacionais tiveram como foco a mensuração de resultados para uma posterior bonificação. O Estado do Rio de Janeiro criou, no ano de 2000, a primeira política de avaliação com objetivo de bonificar os servidores, o Programa Nova Escola. Em 2010, com uma nova gestão frente à Secretaria de Estado de Educação, findou-se o Programa Nova Escola e em 2011 foi criado o sistema de bonificação por resultados, o qual foi um dos enfoques da pesquisa. Os recursos metodológicos utilizados nesta pesquisa foram: entrevista com os gestores, aplicação de questionários aos docentes, pesquisa na internet e análise documental das atas de reuniões das escolas. Depois de realizadas as análises, detectou-se a necessidade de formação continuada para os gestores e modificação no desenho da política de bonificação, diante disso foi elaborado um Plano de Intervenção Educacional, com o objetivo de aperfeiçoar a prática gestora das escolas estaduais localizadas no âmbito da Regional Centro Sul, assim como aprimorar o Sistema de Bonificação no Estado do Rio de Janeiro.
Mostrar mais

99 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados