Top PDF O fracasso escolar na disciplina Matemática: causas e consequências

O fracasso escolar na disciplina Matemática: causas e consequências

O fracasso escolar na disciplina Matemática: causas e consequências

Nos dias atuais, a Matemática comporta um amplo campo de relações, regularidades e coerências que despertam a curiosidade de instigar a capacidade de generalizar, projetar, prever e abstrair, favorecendo a estruturação do pensamento e o desenvolvimento do raciocínio lógico. Ela faz parte da vida de todos, nas experiências mais simples como o contar, comprar e operar sobre quantidades como agricultura e pesca. Essas potencialidades de conhecimentos matemáticos devem ser exploradas de forma mais ampla e possível. O problema desta pesquisa está alicerçado nas possíveis dificuldades que interferem no processo de ensino-aprendizagem dos alunos, especificamente na disciplina de Matemática, e que contribuem para o fracasso da escola e consequentemente para a reprovação dos alunos. Optou-se por este tema, “O Fracasso Escolar na Disciplina MatemáticaCausas e Consequências”, pelo fato de perceber que o processo de ensino-aprendizagem da Matemática nas escolas públicas tem sido motivo de preocupação dos professores e dos próprios alunos; em função dos elevados índices de reprovação que os alunos apresentam nesta disciplina. Buscou-se estudar tais questões através de um estudo de caso caracterizado por uma pesquisa descritiva qualitativa a luz dos pensadores da ciência da Matemática para investigar as práticas didáticas utilizadas pelos docentes e os problemas norteadores das dificuldades no ensino e na aprendizagem da matemática.
Mostrar mais

40 Ler mais

FRACASSO ESCOLAR NO SEXTO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

FRACASSO ESCOLAR NO SEXTO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

O presente artigo discute as causas e as consequências do fracasso escolar, relacionadas com a alfabetização, a estrutura educacional e a realidade socioeconômica dos estudantes de uma escola da zona rural do município de Codó-MA. A pesquisa quali-quantitativa tem como objetivo geral investigar as causas do fracasso escolar no sexto ano do ensino fundamental e as consequências deste nos anos seguintes. Especificamente, objetiva-se analisar a concretização da alfabetização até o quinto ano do ensino fundamental como promoção do sucesso escolar nos anos posteriores, identificar as consequências do fracasso escolar no ensino fundamental; compreender o contexto educacional, social e econômico dos alunos relacionado ao desempenho escolar; avaliar a relação entre a falta de alimentação regular e o baixo rendimento escolar. Como procedimento metodológico, utilizou-se observações em sala de aula, verificando a capacidade de leitura, produção e interpretação de textos. Em seguida, foram aplicados questionários com perguntas semi-abertas a professores e alunos. Os resultados da pesquisa revelaram práticas escolares com níveis rudimentares de leitura e escrita no ensino fundamental. A maioria dos alunos estão concluindo os dois ciclos do ensino fundamental com essas carências que comprometem o desempenho cognitivo no processo de escolarização.
Mostrar mais

13 Ler mais

As possíveis causas da indisciplina escolar e suas consequências

As possíveis causas da indisciplina escolar e suas consequências

Nas instituições de ensino, brasileiras esse tema tem sido declarado como um dos mais discutidos entre os professores, diretores, pais e/ou responsáveis por e alunos, acarretando em constantes buscas pela solução do problema da disciplina, não sendo impossível ignorá-la. Os Parâmetros Curriculares Nacionais (1997, p.25- 26) destacam que, apesar de a escola não mudar a sociedade, pode, partilhando com partes sociais que admitem os princípios democráticos e articulando-se a eles, estabelecer- se não apenas como um ambiente de representação, mas também como um ambiente transformador. Pois a escola tem sua função especifica que é escolarizar os alunos para desenvolverem suas habilidades e competências, ou seja, suas capacidades intelectuais a fim de formar um cidadão crítico e reflexivo. Porém, diante dos problemas sociais que afetam as crianças, a escola consequentemente, ganha um novo formato, onde faz- se necessário levar em conta as características socioculturais dos alunos, os saberes que eles trazem para dentro do âmbito educacional.
Mostrar mais

26 Ler mais

 As Atribuições Causais de Professores por Fracasso Escolar em Matemática: Comparação com Percepções de seus Alunos

As Atribuições Causais de Professores por Fracasso Escolar em Matemática: Comparação com Percepções de seus Alunos

Nesta direção, Brophy (2004) enfatiza que o feedback pode ser ineficaz ou ainda contraproducente, podendo até diminuir o desempenho do aluno ao invés de aumentá-lo, quando apenas informa que o aluno não se saiu bem numa avaliação. O feedback, porém, quando acompanhado de informações relevantes (você não foi bem porque não aplicou as estratégias adequadas, porque não se esforçou ou porque não seguiu os passos aprendidos) pode ser um ótimo instrumento para o desenvolvimento da autoeficácia no aluno. Esse feedback detalhado identifica os aspectos a serem melhorados na performance e se torna mais eficaz quando fornece sugestões e informações sobre hipóteses e idéias errôneas, com o objetivo de conduzir o aluno a estratégias mais eficientes. Este processo aumenta a autoconfiança e o estorço investido na atividade, desenvolvendo no aluno fluência e controle sobre a disciplina. Por isso, Juvonen e Nishina (1997) defendem que, ao contrário do que se imagina, o feedback corretivo nem sempre é ruim. Ele pode funcionar como um motivador, aumentando o esforço despendido pelo aluno, desde que o fracasso não seja atribuído à falta de capacidade.
Mostrar mais

87 Ler mais

Fracasso escolar em matemática no ensino superior: um estudo exploratório à luz da psicologia histórico-cultural

Fracasso escolar em matemática no ensino superior: um estudo exploratório à luz da psicologia histórico-cultural

Devido a impossibilidade de realização de entrevistas com os alunos que estavam cursando a pela grande quantidade, os mesmos responderam à questionários compostos por 11 questões referentes à aspectos de dificuldades na disciplina, corpo docente, reprovação e processos de ensino e aprendizagem. Os professores das disciplinas disponibilizaram tempo extra após as suas aulas para que os alunos respondessem, tendo sido ao todo respondidos 65 (sessenta e cinco) questionários discursivos, por alunos de duas turmas do semestre de 2019.2. A intenção inicial era buscar apenas turmas com alunos que não estivessem no primeiro semestre do curso, porém, o desejo dos professores em participar da pesquisa levou-nos a aplicá-los também em uma turma de primeiro semestre, o que nos ajudou a analisar o desempenho de alunos que estavam pela primeira vez na disciplina e que já sentiam dificuldades de cursá-la, como fica representado claramente nas 53 (cinquenta e três) respostas positivas para a questão sobre dificuldades em Pré-Cálculo, dificuldades estas que vão desde a quantidade de conteúdo dado por aula; didática do professor e o ritmo acelerado deles até dificuldades de conciliar o tempo de estudo com as outras atividades cotidianas. Essas dificuldades serão detalhadas mais adiante.
Mostrar mais

150 Ler mais

 Interesse por matemática, engajamento e a e xperiência de fracasso escolar: um estudo com adolescentes

Interesse por matemática, engajamento e a e xperiência de fracasso escolar: um estudo com adolescentes

Dotterer, McHale e Crouter (2009) realizaram uma pesquisa longitudinal so- bre o interesse acadêmico na escola com alunos desde o ensino fundamental (7- 8 anos) até o ensino médio (18 anos). Os autores se propuseram (a) avaliar o desen- volvimento de interesse acadêmico desde os sete anos até o final da adolescência (ensino médio); (b) explorar os correlatos de mudanças no nível de interesse aca- dêmico, principalmente o papel da transição escolar e características dos pais; e (c) verificar as relações entre interesse acadêmico e notas escolares. Participaram da pesquisa 201 famílias constituídas por pai, mãe e dois filhos, todos trabalhadores brancos, de classe média e raça europeia-americana. Por se tratar de uma pesquisa longitudinal, os participantes foram entrevistados em seus lares durante nove anos. Nos anos 1, 2, 3, 7, 8, e 9 os participantes foram entrevistados separadamente em seus lares sobre suas qualidades pessoais e relacionamento familiar; nos anos 4 e 5, as entrevistas foram realizadas por correspondência. Como instrumento fora utili- zado um questionário semi-estruturado ora gravado ora apenas preenchido. Como resultado, descobriu-se (a) um declínio do nível de interesse ao longo do tempo, sendo que os meninos apresentaram um declínio mais rápido do que as meninas; (b) as expectativas acadêmicas das mães estavam relacionadas positivamente com o nível de interesse dos jovens e quanto mais instruídos os pais menor o declínio no nível de interesse; (c) o nível de interesse apresentou declínio na transição do ensi- no fundamental I para o fundamental II, mas não aconteceu o mesmo na transição para o ensino médio; e finalmente (d) o declínio do nível de interesse estava positi- vamente relacionado com declínio das notas escolares. Sobre esse último, dado, os autores observaram que, por um dado de correlação, não há evidências de relação causal. É possível que tanto o interesse esteja por trás de boas notas como bom desempenho incrementa o interesse por uma disciplina.
Mostrar mais

105 Ler mais

A disciplina de matemática e o fracasso escolar na 5ª série de uma escola municipal de Florianópolis

A disciplina de matemática e o fracasso escolar na 5ª série de uma escola municipal de Florianópolis

Muitas crianças em idade escolar obrigatória, até 14 anos, precisam trabalhar até para ajudar em casa no sustento da família, devido a essa condição de baixa renda em que vive a maioria dos brasileiros. Tentando conciliar estudos e trabalho para que não fique perdendo seus anos escolares, a criança acaba prejudicando seu rendimento escolar, pois como todos sabem, é complicado trabalhar e estudar, ainda mais quando este sujeito é uma criança. E com isso o aluno caminha de reprovação em reprovação até desistir de tentar. Logo ele pensa que sem a qualificação que os estudos lhe proporcionam, pode acabar perdendo o trabalho que faz. Mas, como conseguir outro melhor, mais bem remunerado, já que não possui escolaridade pra isso?
Mostrar mais

48 Ler mais

Democratização do ensino e o fracasso escolar

Democratização do ensino e o fracasso escolar

Resumen: El presente artículo tiene como objetivo realizar una reflexión sobre el fracaso escolar, abordando el papel del profesor y de la escuela en el proceso de enseñanza-aprendizaje, así como relacionar la democratización y la calidad de la enseñanza a partir de la inserción de segmentos populares en la escuela , en un modelo educativo que tradicionalmente prioriza las elites políticas y económicas. Para ello, discute conceptos como innovación, desarrollo local en la educación y adecuación del currículo desde una perspectiva democrática. Como metodología, se recurrió a los estudios de diferentes autores, localizados en sitios de búsqueda científica, a partir de las expresiones "fracaso escolar", "innovación educativa" y "desarrollo local". Bajo el análisis de estas investigaciones, se llegó a algunas constataciones: la insuficiencia de estudios sobre el fracaso escolar; la necesidad de inversión por parte del profesor en acciones que movilicen a los alumnos para el aprendizaje; la importancia de la reflexión sobre el concepto de innovación en el ámbito educativo; y los impactos del desarrollo local en la educación.Palabras clave:
Mostrar mais

21 Ler mais

Violência escolar: uma das manifestações contemporâneas do fracasso escolar

Violência escolar: uma das manifestações contemporâneas do fracasso escolar

Em décadas passadas, as ações desagregadoras do cotidiano escolar, bem como as dificuldades de aprendizagem eram tratadas como desordem moral, e, como tal, a ação educativa moralizante e disciplinadora era suficiente para fazer reverter esse quadro. Castigos, suspensões, reprovações e outros mecanismos eram utilizados para garantir o retorno à ordem disciplinar. A escola tinha a função de fazer reverter essa situação, e a ação moral era a solução para esses casos. A segregação ainda não era um aspecto marcante como na contemporaneidade e, portanto, esses mecanismos faziam efeito sobre os alunos. (SANTIAGO, 2005) Na atualidade, eles não produzem o efeito desejado e, muitas vezes, o que fazem é obter o seu contrário: o aumento das ações consideradas desorganizantes e conflituosas. As instituições faziam mais efeito sobre o sujeito em tempos mais "sólidos", marcadamente constituídos por significantes culturais que nos davam guarida, como Deus, o Estado, a família, o sindicato, a lei, a escola, para citar alguns. No tempo em que se mostravam fortes nossos atos eram moralmente regulados. Na atualidade, esses significantes "configuram-se liquidamente", parafraseando Bauman (2004, 2008), e parecemos soltos, dispersos, sem fronteiras, "sem lugares óbvios a ocupar", nômades para uns (ALMEIDA; TRACY, 2003) e “desbussolados” para outros. (MILLER, 2005a) O que podemos aprender sobre a relação juventude e escola nessa configuração social é questão para este trabalho.
Mostrar mais

248 Ler mais

Intervenção psicopedagógica no fracasso escolar

Intervenção psicopedagógica no fracasso escolar

O modelo educacional –construtivo de intervenção psicopedagógica assume estes princípios. Não é em vão que a Concepção Construtivista da Aprendizagem Escolar e do Ensino, em que se fundamenta, considera que a aprendizagem, fruto da interação social, é o motor do desenvolvimento humano. No campo da avaliação psicopedagógica, isso remete à necessidade de compreender a conduta, as competências e as limitações dos indivíduos num enfoque ampliado. O objeto primário de avaliação psicopedagógica é o aluno no sistema de ensino e aprendizagem, ou seja, na interação que estabelece com seu professor e com seus colegas em torno dos conteúdos do currículo.”
Mostrar mais

32 Ler mais

DINÂMICA DO DESMATAMENTO DA MATA ATLÂNTICA: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

DINÂMICA DO DESMATAMENTO DA MATA ATLÂNTICA: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

A partir do entendimento da dinâmica apresentada é possível identificar que o crescimento populacional ocorrido no domínio do bioma Mata Atlântica e o consequente aumento de áreas destinadas para agricultura, pecuária, expansão urbana e silvicultura foram as principais causas para o desmatamento verificado nesse bioma. Certamente os elevados números referentes ao desmatamento da Mata Atlântica, somados com a emergente mentalidade ambientalista, originaram, com o intuito de frear ações antrópicas e garantir a perpetuação da Mata Atlântica, Leis mais restritivas quanto à exploração dos recursos naturais deste bioma. Por um lado, isso contribuiu para a queda nas taxas de desflorestamento da Mata Atlântica, mas por outro gerou inúmeras consequências indesejadas que poderiam ser amenizadas, como visto anteriormente, a partir da exploração sustentada dos recursos do bioma.
Mostrar mais

24 Ler mais

O fracasso escolar: uma explicação teórica.

O fracasso escolar: uma explicação teórica.

que conduzem à apreensão das propriedades dos objetos através da atividade do aluno e experiências lógico matemáticas de aprendizagem, as que levam a apreensão das propriedades das açõ[r]

6 Ler mais

Discurso pedagógico e fracasso escolar.

Discurso pedagógico e fracasso escolar.

Este trabalho tem como objetivo contri- buir para a discussão sobre o fracasso es- colar, conceito aqui definido como presen- ça de, pelo menos um episódio de reprova- ção e/ou evasão na vida das crianças. A pesquisa foi realizada com base em dados coletados entre estudantes do Ensino Fun- damental da cidade de Pelotas (Rio Grande do Sul) e constou de duas etapas: um estu- do de correlação entre fracasso escolar e variáveis pessoais e familiares dos integran- tes de uma coorte composta por todas as crianças nascidas nos hospitais da cidade, em 1982; e estudos de caso de duas esco- las, da mesma cidade, que apresentavam índices de fracasso escolar contrastantes (alto e baixo), apesar de atenderem populações semelhantes em termos dos fatores de risco para fracasso apresentados 1 .
Mostrar mais

22 Ler mais

Conflitos em empreitadas de construção : causas, consequências e soluções

Conflitos em empreitadas de construção : causas, consequências e soluções

Depois de todas as considerações acerca da problemática em estudo, surgiu a oportunidade de tratar aquilo que de mais importante é preciso alcançar quando se admite um problema, ou seja, a sua solução. De facto, o capítulo referente à resolução de conflitos, assume-se neste texto como o mais importante, na medida em que aborda a resolução de conflitos ao nível das experiências já verificadas noutros países, dos debates existentes sobre esta temática e dos modelos adoptados para minimizar e resolver os problemas. Para além disso, outro dos grandes objectivos neste trabalho foi atingido neste capítulo, ou seja, a apresentação de um modelo para a resolução de conflitos que pudesse ser aplicado em Portugal, decorrente do reconhecimento daquilo que foi já feito e debatido no estrangeiro, mas também fruto do conhecimento daquilo que o sector em Portugal apresenta e representa, e das opiniões de alguns dos profissionais que lidam com esta problemática no seu dia a dia. Conclui-se neste capítulo que o reconhecimento da existência do problema é o primeiro passo importante no sentido da sua resolução. Para além disso, concluiu-se também, que quanto à solução do problema, esta pode ter como base, abordagens diferentes, mas com resultados positivos nas diferentes abordagens. Note-se a diferença de abordagem e de perspectivas entre um modelo como o NEC e um modelo como o DRB. Como se viu, o modelo NEC tem uma filosofia preventiva em relação aos conflitos, de tal maneira que assume a posição que muito poucos diferendos devam chegar à fase de adjudicação, onde se verifica a actuação de um terceiro agente com funções de arbitragem. Todo o modelo NEC se baseia numa atitude de procura integrada de objectivos comuns pelas partes envolvidas. Já o DRB, apesar de também apostar na prevenção, tem uma filosofia marcadamente mais reactiva em relação aos conflitos, na medida em que sustenta a sua actuação numa equipa de pessoas que vai decidir sobre o conflito e apresentar a sua decisão. Porém ambos os modelos foram já sendo aplicados ao longo do tempo, e são apontados como modelos sucedidos nesta matéria. Isto leva à conclusão que o problema pode ter soluções, mesmo tendo em conta visões distintas da maneira de actuar para o resolver. Apesar da solução do problema não ser matemática e definitiva, é consensual que a aplicação de determinados preceitos consegue levar a resultados muito positivos e animadores no sentido da resolução do problema.
Mostrar mais

111 Ler mais

Causas e consequências da onivoria de peixes em ecossistemas aquáticos

Causas e consequências da onivoria de peixes em ecossistemas aquáticos

A onivoria é uma estratégia alimentar comum entre os peixes tropicais, mas pouco se conhece sobre as possíveis causas e consequências deste padrão de comportamento alimentar. Neste trabalho, levantamos a hipótese de que os peixes tropicais tendem a se alimentar mais baixo nas redes alimentares para compensar a maior demanda energética, a qual aumenta com a temperatura da água e o tamanho do corpo do animal. A análise dos dados de 8172 espécies de peixes marinhos e de água doce do mundo, de regiões tropicais e temperadas, demonstrou que a posição trófica dos peixes não carnívoros diminui com o aumento do tamanho do corpo em regiões tropicais, mas não em regiões temperadas. Este padrão sugere que a maior demanda energética dos peixes tropicais maiores deve ter exercido uma pressão seletiva para a evolução da onivoria. Como consequência, a dinâmica trófica dos ecossistemas aquáticos tropicais deve apresentar padrões distintos aos observados em ambientes temperados, com implicações importantes para o manejo da qualidade da água e a restauração de ecossistemas aquáticos eutrofizados. Outra hipótese deste trabalho, é que os efeitos de peixes planctívoros onívoros sobre comunidades planctônicas tropicais dependem da composição estequiométrica dos produtores primários que, por sua vez depende da disponibilidade relativa de luz e nutrientes. Um experimento em mesocosmos manipulando a disponibilidade de luz e a presença de peixes planctívoros confirmou a hipótese de trabalho, sugerindo que a composição estequiométrica e consequentemente a qualidade dos recursos alimentares determinam a estrutura trófica das redes alimentares pelágicas em lagos tropicais. Finalmente, outro experimento em mesocosmos sugere que a remoção de peixes onívoros bentívoros deve ser mais eficaz do que a remoção de peixes onívoros planctívoros para a melhoria da qualidade da água de lagos e reservatórios tropicais. Este último experimento demonstrou que os peixes planctívoros onívoros aumentam a biomassa fitoplanctônica através do mecanismo de cascata trófica sem aumentar as concentrações de nutrientes na coluna d´água. Por outro lado, os peixes bentívoros onívoros, se alimentando de detritos e outros recursos bentônicos e excretando nutrientes na água, translocam nutrientes do sedimento para a coluna d´água, aumentando o aporte interno de fósforo e a biomassa fitoplanctônica através da sua interação com o sedimento. Portanto, o aporte interno de fósforo pode ser reduzido e a qualidade da água de lagos tropicais eutrofizados pode ser melhorada através da remoção de peixes bentívoros onívoros.
Mostrar mais

81 Ler mais

A desflorestação em Cabinda: causas e consequências socio-ambientais

A desflorestação em Cabinda: causas e consequências socio-ambientais

Quanto aos impactos, e, sabendo, desde já, que a exploração de madeira em Cabinda é seletivamente orientada para determinadas espécies de reconhecido interesse e valor, como Tola branca (Grossweilerodendrombslsamiferum Harms), Limba (Terminaliasuperba Engl. & Diels), Kâmbala (Chlorophora excelsa Benth), Menga- Menga (Staudtiastipitata Warb), Takúla (Pterocarpussoyauxii Taub.), N´singa (Piptadenia africana Hock), Pau-rosa (Swartziafistuloides Harms), Ngulu-mazi (Sarcocephalusdiderrichii de Wild. E Th. Dur), etc, as consequências não serão outras senão a extinção dessas espécies, com os riscos daí decorrentes no quadro do equilíbrio ecológico, tal como se referiu no capítulo anterior. Ainda em referência ao mesmo capítulo, a exploração seletiva causa danos diametralmente consideráveis ao meio envolvente, dado que as espécies extraídas se encontram misturadas com outras de menor valor comercial. Quando as empresas se retiram das áreas exploradas, estas ficam à mercê das comunidades locais, que provocam acrescidos impactos na sequência de exploração insustentável do material lenhoso, do recurso às queimadas e ao início da prática da agricultura itinerante (SERRA, 2012).
Mostrar mais

115 Ler mais

Desertificação em Portugal: causas, consequências e possíveis soluções

Desertificação em Portugal: causas, consequências e possíveis soluções

A Desertificação não é um problema recente, embora a consciencialização mundial sobre este tema esteja a aumentar. Este problema tem um impacte maior nos países em desenvolvimento, onde a agricultura de subsistência tem consequências graves como a subnutrição e a fome. No entanto, a desertificação também afecta os países desenvolvidos devido a práticas agrícolas e florestais insustentáveis, assim como má gestão territorial e políticas inadequadas. A ausência de acções concertadas, mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo podem ser deslocadas devido à desertificação e degradação da terá na próxima década.
Mostrar mais

10 Ler mais

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DO ÊXODO RURAL NO NORDESTE BRASILEIRO

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DO ÊXODO RURAL NO NORDESTE BRASILEIRO

RESUMO: O presente artigo apresenta resultados de estudos que tem por objetivo fornecer informações sobre o êxodo rural na região Nordeste, visando incentivar as organizações governamentais a promover movimentos sociais no campo que priorize o pequeno agricultor a desenvolver suas atividades agrícolas. Entre as causas desse processo, a falta de emprego e o poder atrativo que as cidades exercem sobre a população rural, são as mais frequentes. Diante disso, as informações apresentadas neste trabalho serão de fundamental relevância para a criação de políticas públicas visando o aperfeiçoamento do pequeno agricultor com técnicas agrícolas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Transposição do rio São Francisco: causas e consequências de um projeto

Transposição do rio São Francisco: causas e consequências de um projeto

hidrográfica com as do Nordeste Setentrional, envolvendo os estados do Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco em um processo de sinergia hídrica, beneficiando a irrigação através de canais, atingindo dois eixos da região nordestina; O eixo norte que atinge as cidades de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará; E, o eixo Leste que abrange regiões do agreste Pernambucano e Paraíba. Objetivou-se com este trabalho apresentar um quadro físico da região nordestina, levantamento bibliográfico para a compreensão do projeto de transposição do rio São Francisco e repercussões no meio ambiente e abordar o reuso de água. O conhecimento da situação na região nordestina conduz à compreensão da baixa pluviosidade e da importância do rio São Francisco, surgindo contradições sociais em torno de sua transposição, haja vista os impactos ambientais surgidos e respaldos em aspectos sociais. Surge assim, a gestão ambiental da região semiárida norteada em parâmetros sociais, políticos e econômicos debatidos em seminários e assembleias populares, entre os que conhecem a bacia do rio São Francisco e as consequências de sua transposição em seus eixos fixados no projeto. Esta transposição propõe o abastecimento hídrico de cidades que sofrem consequências de estiagens, entretanto os entraves marcados por consequência de uma infraestrutura incompatível com a estrutura física regional geram conflitos sociais em torno da estabilização da quantidade e qualidade da água advindas da transposição, sendo refletida na vazão do rio que em alguns pontos chega a ser insuficiente. Diante este quadro socioambiental, surgem debates na organização de políticas governamentais, diante planos e estratégias para garantir o desempenho da obra.
Mostrar mais

6 Ler mais

Desertificação; causas e consequências no semiárido paraibano

Desertificação; causas e consequências no semiárido paraibano

Assim, as consequências da desertificação, que em princípio aparentam ser meramente locais, adquirem em médio e longo prazos uma dimensão regional e global. É o caso, por exemplo, dos impactos que ela tem sobre a vulnerabilidade das populações diretamente afetadas, causando instabilidade social e política e contribuindo para uma maior desigualdade na distribuição da riqueza e para o retardamento do desenvolvimento econômico e social, afirma Dixon (1989, p.34).

21 Ler mais

Show all 10000 documents...