Top PDF Ocorrência de Euglenophyceae pigmentadas em rizipiscicultura na Região do Vale do Itajaí, SC, Sul do Brasil.

Ocorrência de Euglenophyceae pigmentadas em rizipiscicultura na Região do Vale do Itajaí, SC, Sul do Brasil.

Ocorrência de Euglenophyceae pigmentadas em rizipiscicultura na Região do Vale do Itajaí, SC, Sul do Brasil.

Florações de Euglena sanguinea foram registradas em tanques de peixes por Xavier et al. (1991) e Zimba et al. (2004) e em arrozais por Pereira et al. (2000) e parcelas experimentais de cultivo de arroz irrigado por Tamanaha (dados não publicados), entre outros estudos. Segundo Zimba et al. (2004) florações de Euglena sanguinea em ambientes com criação de peixes podem levar a grandes perdas econômicas, visto que esta alga foi citada por estes autores como possuindo a capacidade de produzir ictiotoxinas, possivelmente uma neurotoxina a qual foi caracterizada através do nado errático de peixes. Esta informação se reveste de grande importância visto que a rizipiscicultura no estado de Santa Catarina está em crescente desenvolvimento, sendo importante o monitoramento destas florações.
Mostrar mais

19 Ler mais

Lycophyta e samambaias do Parque Nacional da Serra do Itajaí, Vale do Itajaí, SC, Brasil.

Lycophyta e samambaias do Parque Nacional da Serra do Itajaí, Vale do Itajaí, SC, Brasil.

Algumas espécies exóticas subespontâneas (naturalizadas) no continente sul-americano Deparia petersenii (Kunze) Kato, Macrothelypteris torresiana (Gaud.) ching, Nephrolepis cordifolia (L.) c. Presl e Thelypteris dentata (Forssk.) E. P. St. John foram registradas neste estudo e também por Schwartsburd & Labiak (2007) como ocorrentes no Parque Estadual de Vila Velha, no Paraná. É costume dos moradores da região do PARNASI o cultivo de N. cordifolia como planta ornamental, favorecendo sua disseminação como ruderal. Deparia petersenii, M. torresiana e T. dentata foram encontradas em áreas florestais do Parque, distantes de antigas residências.
Mostrar mais

13 Ler mais

Estudo da adaptação da espécie Piper hispidinervum C. DC. (pimenta longa) à região do Vale do Itajaí - SC, através da composição química do óleo essencial obtido por hidrodestilação por micro-ondas e convencional.

Estudo da adaptação da espécie Piper hispidinervum C. DC. (pimenta longa) à região do Vale do Itajaí - SC, através da composição química do óleo essencial obtido por hidrodestilação por micro-ondas e convencional.

Na tentativa de reativar a indústria extrativa de safrol no estado de Santa Catarina, o presente trabalho teve por objetivo avaliar a melhor matriz das plantas da espécie Piper hispidinervum, de diferentes localizações provenientes do estado do Acre, cultivadas na Estação Experimental da EPAGRI – SC. Bem como, comparar a hidrodestilação com aquecimento convencional com a hidrodestilação com aquecimento por micro-ondas e caracterizar quimicamente o óleo essencial desta espécie. O safrol, constituinte majoritário, foi utilizado como parâmetro de avaliação da capacidade de adaptação desta planta à região sul do Brasil.
Mostrar mais

6 Ler mais

Secessão Boliviana: Um Estudo de Caso sobre Conflito Regional Fernando Dall' Onder Sebben

Secessão Boliviana: Um Estudo de Caso sobre Conflito Regional Fernando Dall' Onder Sebben

É por isso que, uma vez estabelecidas às hostilidades, a conflagração poderá ser contida só através de uma missão de paz da ordem internacional (OEA ou ONU), antes de chegar ao seu ponto culminante: o aniquilamento de um dos bandos. Esta percepção clausewitziana é que fornece a base da modelagem da guerra local ou regional. Será muito pouco provável que os vizinhos da Bolívia assistam à sua desintegração, permanecendo indiferentes. Mesmo que isto se dê com a maioria de seus vizinhos, haverá os interessados em integrar operações de paz da ordem internacional. Neste caso, trata-se de operações de estabelecimento de paz, e não de manutenção de um cessar fogo previamente estabelecido. É por isso que se trata de hipótese de guerra, pois a paz provavelmente será estabelecida por meio do uso da força. Em termos comparados, uma operação mais semelhante à missão da ONU de estabelecimento de paz na Coréia em 1950 do que aquela atualmente em curso no Haiti, que é de manutenção de paz, da qual o Brasil participa. O fato das forças de paz na Coréia estarem sob mandato da ONU não as impediu de lutar naquela guerra local durante três longos e sangrentos anos. A noção de missão de paz, portanto, vai ao encontro do estudo de hipótese de guerra.
Mostrar mais

22 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL MESTRADO EM CIÊNCIA POLÍTICA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL MESTRADO EM CIÊNCIA POLÍTICA DISSERTAÇÃO

Quanto à distribuição da população, a América do Sul é um continente vastamente subpovoado. Observando-se a densidade demográfica da região constata-se que ela é significativa no litoral, tanto no Atlântico, quanto no Pacífico. Por outro lado, o mapa da região apresenta grandes vazios demográficos, o que torna imprescindível para seu desenvolvimento, uma grande obra de infra-estrutura. Comparando a densidade energética, densidade demográfica e energia por habitante, com alguns países europeus e com os Estado Unidos, mesmo com todas as ressalvas que devem ser observadas, como por exemplo, densidade populacional, tamanho do país, temperaturas médias, estrutura econômica e fontes de energia local, podem-se verificar o grau de dificuldade em que se situa a América do Sul (Tab. 7). A energia per capita na região se comparada com outras regiões é baixa, bem como a energia por quilômetro quadrado, e nesse caso, a situação é bem mais grave. Encontra-se uma diferença menor, em relação a esses países na Venezuela, muito em função da sua produção de petróleo. Isso significa que é preciso fazer muito nessa área, para estabelecer efetivamente um desenvolvimento da região. Quando comparada à evolução da intensidade energética 10 da América Latina e Caribe, observa-se que existe uma correlação forte desse índice com o crescimento econômico, ou seja, decisivamente o desenvolvimento da região depende muito da sua matriz energética.
Mostrar mais

92 Ler mais

A VENEZUELA DE CHÁVEZ CONTRA A CORRENTE

A VENEZUELA DE CHÁVEZ CONTRA A CORRENTE

Para ilustrar, relato aqui uma experiência pessoal: eu participo de uma comissão que o Governo do Estado Rio Grande do Sul criou para acompanhar e estudar o impacto de uma virtual implantação da ALCA, e nos marcos dessa comissão acompanhei o Vice-governador à Conferência de Cúpula de Quebec, pois obtivemos do Itamarati um status de observadores. Na saída, vejo o presidente Chávez e fiz um aceno. Qual minha surpresa, pois simplesmente vem em minha direção. Apresentei-o ao vice-governador e então disse que “na Venezuela não vamos ter condições de nos mantermos eternamente. Nós precisamos que em 2002 aconteça alguma coisa interessante no Brasil para que possamos reforçar uma integração e fazer com que o pêndulo vá para o outro lado, e tenhamos um outro tipo de integração das Américas”. Assim, ele se arrisca, porque não sabia bem com quem estava falando. Mas há toda uma vantagem nesta sinceridade aberta, pois a população clama hoje por bons exemplos, por sinceridade e por coragem. Por exemplo, quando ele chegou na televisão, depois do fracassado golpe de 1992, para ordenar aos que ainda estavam resistindo que se rendessem e, para espanto de todos, assumiu publicamente ser o único responsável pelo levante. Então ganhou a simpatia, não apenas no exército, mas junto à população, pois foi a primeira pessoa no país a assumir a culpa por um erro, pois os dirigentes sempre jogam a culpa aos subalternos.
Mostrar mais

9 Ler mais

Nacionalização Boliviana e Desafios da América do Sul

Nacionalização Boliviana e Desafios da América do Sul

Também é importante destacar que nos anos 1990 a tentativa de reanimar a produção de hidrocarbonetos e a construção do gasoduto Bolíva-Brasil se deu ao mesmo tempo em que a tentativa norte-americana de erradicar o cultivo de coca na Bolívia avançava no contexto de relações cada vez mais difíceis entre os Estados Unidos e a região. Até então, cerca de 60% do PIB da Bolívia advinha do cultivo da folha de coca, produto do qual o país era o segundo exportador mundial e que era, ao mesmo tempo, fonte de renda da maioria da população pobre. Em 1997, sob orientação dos EUA, o governo boliviano desenvolveu o Plano Dignidade, que previa auxílio financeiro dos norte-americanos em troca da erradicação/controle do cultivo de coca. Os plantadores de coca (cocaleros) que aceitassem fazer parte do programa receberiam benefícios de US$ 2,5 mil para cada hectare de coca eliminado, US$ 933,00 anuais pelo cultivo de produtos lícitos, terra gratuita e assistência técnica, entre outros.
Mostrar mais

13 Ler mais

Reforma agrária no Brasil: a intervenção do MST e a atualidade do programa de transição — Outubro Revista

Reforma agrária no Brasil: a intervenção do MST e a atualidade do programa de transição — Outubro Revista

É possível afirmar que hoje, no Brasil, convivem dois tipos de lati- fundiários. As duas espécies de latifundiários vivem da renda da terra. A primeira espécie obtém uma renda “presente”. O segundo tipo conta com a garantia de uma renda “futura”. No primeiro caso, o latifundiário “rentista” é resultado do desenfreado processo de especulação imobiliária no campo. José Martins assinala que “há muito tempo, os capitalistas paulistas deixa- ram para trás as grandes plantações de arroz, feijão, milho e outros cereais. No lugar dos cereais, ocuparam o espaço com novos gêneros de exporta- ção, especulação imobiliária, pastagens e pecuária extensiva. Nesse pro- cesso surgiu um novo latifúndio, uma velha criatura, agora revigorada pe- las suas relações econômicas com as empresas ou investidores do chamado agrobusiness. Sua base é a renda fundiária capitalista, que os latifundiários recebem alugando pastos para os arrendatários capitalistas”. 21
Mostrar mais

15 Ler mais

I - Complexos Regionais de Segurança e a América do Sul

I - Complexos Regionais de Segurança e a América do Sul

Quanto à diferenciação entre Cone Sul (regime de segurança) e Andes (‘formação de conflito’), regiões que chegam a ser tratados por Buzan & Wæver (2003:320-339) como dois sub-complexos de segurança claramente delimitados, o final do contencioso Equador-Peru após a guerra do Cenepa em 1995 deixa apenas a guerra civil da Colômbia para dar substância a esta diferenciação. Os indicadores sociais e a estabilidade política dificilmente poderiam autorizá-la, especialmente depois do colapso argentino em 2001 (ou da atual crise política no Brasil) e da dificuldade de classificação do Paraguai neste contexto. Mesmo o conflito colombiano, independentemente do sucesso ou fracasso das políticas de defesa e segurança de Uribe, hoje dificilmente corresponde à imagem tão corrente a poucos anos atrás, de um conflito de facto regionalizado por diversos mecanismos de spill-over.
Mostrar mais

11 Ler mais

IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS BÁSICOS PADRÃO MEC/FNDE NA REDE PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ PELO PROGRAMA BRASIL PROFISSIONALIZADO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS BÁSICOS PADRÃO MEC/FNDE NA REDE PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ PELO PROGRAMA BRASIL PROFISSIONALIZADO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Esta dissertação tem por objetivo investigar como se efetivou a implementação dos Laboratórios Básicos Padrão MEC/FNDE. Com a implantação do Programa Brasil Profissionalizado no Estado do Paraná, instituído pelo Decreto Nº 6.302 de 27 de dezembro de 2007, programa do Governo Federal, foram firmados convênios com a Secretaria de Estado da Educação – SEED-PR, com o intuito de modernizar as estruturas das escolas que ofertam a Educação Profissional da Rede Estadual. A partir dos estudos de demanda, exigências estabelecidas pelo programa, as escolas contempladas se propuseram a melhorar as condições de oferta da Educação Profissional e da qualidade na formação de seus alunos. Com a expansão da rede para a oferta da Educação Profissional e Tecnológica, também se fez necessária a adequação dos espaços escolares, proporcionando melhores condições de aprendizagem e a preparação dos profissionais para o desenvolvimento de suas atividades. Os autores que contribuíram para a fundamentação desta dissertação passam por especialistas na Educação Profissional e nos sistemas de avaliação. O instrumento utilizado para o desenvolvimento desta tarefa foi a avaliação executiva, processo pelo qual foi possível apresentar uma visão generalizada da implementação do programa na Rede Pública do Estado do Paraná, conforme as orientações e recomendações do Manual de Orientação e Preenchimento da Situação Escolar – MOPSE, composto por formulários que indicavam os aspectos de infraestrutura dos espaços escolhidos para a instalação dos laboratórios. O intento dessa dissertação é a preparação para o processo de uma avaliação de impacto, ou seja, a construção de um instrumento de investigação mais aprofundado desta ação, buscando conhecer o quanto a implementação dos laboratórios tem contribuído para a melhoria nas condições de oferta para a Educação Profissional.
Mostrar mais

90 Ler mais

ANTONIO IDILVAN DE LIMA ALENCAR A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO ESTADO DO CEARÁ NA PERSPECTIVA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANTONIO IDILVAN DE LIMA ALENCAR A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO ESTADO DO CEARÁ NA PERSPECTIVA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL

Os estudos de Garcia (2000) apontam que, nesse período da República, despontou, na sociedade, o desejo de que se estabelecesse no Brasil uma preparação para o trabalho através do ensino – desejo justificado pela necessidade de melhoria da formação da mão de obra, advindo do aumento significativo das indústrias no país. A autora destaca que, no governo de Nilo Peçanha, a Educação Profissional deu um grande salto, pois em todas as capitais do Brasil foram criadas escolas profissionalizantes. Entretanto, em 1910, as dezenove escolas estavam precarizadas tanto na estrutura quanto na formação dos profissionais, como destaca Fonseca (1961): “A eficiência não poderia deixar de ser senão pequena, mas a causa principal do baixo rendimento era a falta completa de professores e mestres especializados” (FONSECA, 1961, p. 168).
Mostrar mais

106 Ler mais

A formação dos profissionais do setor de modelagem do vestuário da região do Vale do Itajaí–SC

A formação dos profissionais do setor de modelagem do vestuário da região do Vale do Itajaí–SC

Destaca-se, através da análise dos dados referente à Região do Vale do Itajaí, a grande inserção dos profissionais da modelagem atuando nas empresas do vestuário. Este fato vem de encontra a valorização do trabalho deste profissional por parte das empresas. Estas sabem que a qualidade do produto depende da qualidade da modelagem, e esta por sua vez da formação acadêmica do mode- lista. A capacitação e inserção destes profissionais no mercado de trabalho estão sendo influenciadas pelas instituições de ensino de moda, em grande número no estado, e também pela qualidade dos cursos de nível técnico oferecidos prin- cipalmente pelo SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e SENAC (Serviço Nacional do Comércio).
Mostrar mais

15 Ler mais

RAIMUNDA PASSOS DA SILVA A ATUAÇÃO DO GESTOR NA UTILIZAÇÃO DOS RESULTADOS DO SADEAM EM DUAS ESCOLAS ESTADUAIS DA COORDENADORIA DISTRITAL DE EDUCAÇÃO 01

RAIMUNDA PASSOS DA SILVA A ATUAÇÃO DO GESTOR NA UTILIZAÇÃO DOS RESULTADOS DO SADEAM EM DUAS ESCOLAS ESTADUAIS DA COORDENADORIA DISTRITAL DE EDUCAÇÃO 01

a) avaliar a qualidade do ensino ministrado nas escolas, de forma que cada unidade escolar receba o resultado global ;b) contribuir para o desenvolvimento, em todos os níveis educativos, de uma cultura avaliativa que estimule a melhoria dos padrões de qualidade e equidade da educação brasileira e adequados controles sociais de seus resultados; c) concorrer para a melhoria da qualidade de ensino, redução das desigualdades e a democratização da gestão do ensino público nos estabelecimentos oficiais, em consonância com as metas e políticas estabelecidas pelas diretrizes da educação nacional; d) oportunizar informações sistemáticas sobre as unidades escolares. Tais informações serão úteis para a escolha dos gestores da rede a qual pertençam. (BRASIL, 2005).
Mostrar mais

137 Ler mais

PROJETO EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DO PROGRAMA EM DUAS ESCOLAS DO NORTE DE MINAS GERAIS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

PROJETO EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DO PROGRAMA EM DUAS ESCOLAS DO NORTE DE MINAS GERAIS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Os objetivos do Programa Mais Educação desenham um modelo de educação integral articulada com políticas locais e em parceria com a família, comunidade, com a soc[r]

152 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

A Escola Estadual de Educação Profissional Maria José foi inaugurada em maio de 2012. A sua estrutura segue o modelo de Escola Técnica desenvolvida pelo Ministério da Educação para o Programa Brasil Profissionalizado, com 12 salas de aulas, um laboratório de Matemática, um de Física, um de Química e Biologia, um de Informática e um de Línguas; um auditório com 200 lugares; uma biblioteca; uma secretaria com sala de reprografia; salas de coordenação pedagógica, de estágio, de diretoria e de professores; um ginásio coberto com vestiários masculino e feminino; um refeitório; uma cozinha; um anfiteatro; uma sala para o grêmio; banheiros masculino, feminino e para pessoas portadoras de necessidades especiais e dois galpões para a montagem dos laboratórios dos cursos técnicos. Vale destacar que, apesar de possuir um espaço destinado para a montagem dos laboratórios técnicos, a escola ainda não dispõe dos equipamentos para esses laboratórios.
Mostrar mais

110 Ler mais

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Os Grêmios Estudantis compõem uma das mais duradouras tradições da nossa juventude. Pode-se afirmar que no Brasil, com o surgimento dos grandes Estabelecimentos de Ensino secundário, nasceram também os Grêmios Estudantis, que cumpriram sempre um importante papel na formação e no desenvolvimento educacional, cultural e esportivo da nossa juventude, organizando debates, apresentações teatrais, festivais de música, torneios esportivos e outras festividades. As atividades dos Grêmios Estudantis representam para muitos jovens os primeiros passos na vida social, cultural e política. Assim, os Grêmios contribuem, decisivamente, para a formação e o enriquecimento educacional de grande parcela da nossa juventude. O regime instaurado com o golpe militar de 1964 foi, entretanto, perverso com a juventude, promulgando leis que cercearam a livre organização dos estudantes e impediram as atividades dos Grêmios. Mas a juventude brasileira não aceitou passivamente essas imposições. Em muitas escolas, contrariando as leis vigentes e correndo grandes riscos, mantiveram as atividades dos Grêmios livres, que acabaram por se tornar importantes núcleos democráticos de resistência à ditadura. (PARANÁ, 2010, apud MARTINS, 1999, p. 6)
Mostrar mais

101 Ler mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: O PAPEL DO FORMADOR DE PROFESSORES

A FORMAÇÃO CONTINUADA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: O PAPEL DO FORMADOR DE PROFESSORES

Sabe-se, no entanto, que a formação inicial e continuada do professor tem de ser assumida como compromisso integrante do projeto social, político e ético, local e nacional, que contribui para a consolidação de uma nação soberana, democrática, justa, inclusiva e capaz de promover a emancipação dos indivíduos e grupos sociais. Nesse sentido, os sistemas educativos devem instituir orientações a partir das quais se introduza, obrigatoriamente, no projeto político-pedagógico, previsão: I – de consolidação da identidade dos profissionais da educação, nas suas relações com a instituição escolar e com o estudante; II – de criação de incentivos ao resgate da imagem social do professor, assim como da autonomia docente, tanto individual quanto coletiva; III – de definição de indicadores de qualidade social da educação escolar, a fim de que as agências formadoras de profissionais da educação revejam os projetos dos cursos de formação inicial e continuada de docentes, de modo que correspondam às exigências de um projeto de Nação (BRASIL, 2013).
Mostrar mais

122 Ler mais

A Guerra do Chaco

A Guerra do Chaco

afigurava, sem sequer uma saída para a Bacia do Prata. Em realidade, a Bolívia não tanto se beneficiara com o boom dos nitratos, quando entre 1866 e 1879 explorava juntamente com o Chile as jazidas de salitre, e os portos de Tocopilla, Antofagasta e Cobija, perdidos durante a Guerra do Pacífico, pouco lhe serviram, dado que ela não dispunha de grandes excedentes para exportação. Mas o fato foi que seu interesse no Chaco e em obter uma saída para o rio Paraguai recresceu, a partir de 1879, depois do laudo arbitral do Presidente Hayes e coincidentemente com a ocupação da costa do Pacífico pelo Chile. Naquele ano, o Presidente Narciso Campero, em carta ao Imperador Pedro II, pleiteou a devolução das margens do Alto Paraguai, cedidas ao Brasil por Melgarejo, sob o argumento de que o Tratado de 1867 contrariava os “claros desígnios de la Providencia”, ao impedir que a população da Bolívia acesso ao rio tivesse e a privar, assim, de “un órgano respiratorio que le ha concedido la voluntad del Supremo Hacedor” 69 . Ao mesmo
Mostrar mais

40 Ler mais

POSSIBILIDADES DE USO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL DO AMAZONAS NA GESTÃO DAS ESCOLAS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

POSSIBILIDADES DE USO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EDUCACIONAL DO AMAZONAS NA GESTÃO DAS ESCOLAS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Exceto os municípios que têm receitas para fazer frente às suas obrigações constitucionais, por gerarem receitas com petróleo (Carauari e Coari), com o PIM (Manaus) ou tur[r]

137 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados