Top PDF Palinologia de espécies de Mimosa L. (Leguminosae - Mimosoideae) do Semi-Árido brasileiro.

Palinologia de espécies de Mimosa L. (Leguminosae - Mimosoideae) do Semi-Árido brasileiro.

Palinologia de espécies de Mimosa L. (Leguminosae - Mimosoideae) do Semi-Árido brasileiro.

RESUMO – (Palinologia de espécies de Mimosa L. (Leguminosae – Mimosoideae) do Semi-Árido brasileiro). O estudo palinológico de Mimosa L. teve por finalidade caracterizar as espécies do gênero ocorrentes na vegetação de caatinga do Nordeste brasileiro. Foram examinadas 39 espécies que tiveram seus grãos de pólen acetolisados, medidos, descritos e ilustrados sob microscopia óptica e eletrônica de varredura. Os resultados permitiram reconhecer seis tipos polínicos e dois subtipos com base na unidade de dispersão. Foi registrada a ocorrência de díades (M. adenophylla Taub., M. ursina Mart.) e mônades (M. ursina Mart.). A morfologia polínica das espécies (Mimosa lepidophora Rizzini e Mimosa pithecolobioides Benth.) Mimosa-Mimadenia mostrou similaridade com grupo Piptadenia enquanto a diversidade polínica observada em Mimosa-Batocaulon indicou o polimorfismo do grupo.
Mostrar mais

12 Ler mais

Produção e distribuição de biomassa de espécies arbóreas no semi-árido brasileiro.

Produção e distribuição de biomassa de espécies arbóreas no semi-árido brasileiro.

O trabalho foi desenvolvido no campo experimental da Embrapa Semi-Árido, Município de Petrolina, PE, em área situada entre as coordenadas geográficas de 09º09'S e 40º22'W. A precipitação média anual varia em torno de 500 mm, concentradas nos meses de fevereiro, março e abril. A temperatura média mensal é de 26 ºC, umidade relativa entre 50 e 70%, insolação média de 2.800 h/ano e evaporação em torno de 2.000 mm/ano. As espécies introduzidas foram Leucaena diversifolia (Schldl.) Benth, Caesalpinia velutina (Britton & Rose) Standley, Caesalpinia coriaria (Jacq.) Willd e Ateleia herbert-smithii Pittier e a espécie nativa Mimosa tenuiflora (Willd.) Poir.
Mostrar mais

5 Ler mais

MATERIAL E MÉTODOS Espécies estudadas

MATERIAL E MÉTODOS Espécies estudadas

Os taninos vegetais são encontrados em várias espécies florestais. Atualmente, os curtidores da Região Nordeste têm no angico-vermelho (Anadenanthera colubrina var. cebil), sua única fonte de taninos. Este estudo teve como objetivos avaliar o potencial tanífero e a capacidade curtente dos taninos, por meios das características físico-mecânicas das peles curtidas, de quatro espécies florestais de ocorrência no Semi- Árido brasileiro, visando a possibilitar a diversificação de espécies a serem utilizadas nos curtumes da região. Os taninos foram obtidos de angico (Anadenanthera colubrina var. cebil), cajueiro (Anacardium occidentale), jurema-preta (Mimosa tenuiflora) e de jurema-vermelha (Mimosa arenosa). Peles de caprinos foram curtidas com os taninos extraídos dessas espécies e comparadas a peles curtidas com tanino comercial de acácia negra (”Seta Natur”). Amostras de peles curtidas foram submetidas a testes de resistência à tração, ao alongamento e ao rasgamento progressivo. Verificaram-se bons resultados das peles curtidas com os taninos obtidos de jurema-preta e jurema-vermelha. Pela abundância no Semi-Árido brasileiro, a jurema- preta e a jurema-vermelha apresentam potencial de exploração para obtenção de taninos, havendo a necessidade pesquisas que indiquem as melhores formas de aplicação dos taninos obtidos.
Mostrar mais

10 Ler mais

Variabilidade genética do umbuzeiro no Semi-Árido brasileiro, por meio de marcadores AFLP.

Variabilidade genética do umbuzeiro no Semi-Árido brasileiro, por meio de marcadores AFLP.

Abstract – The objective of this work was to evaluate the genetic variability distribution of umbu tree (Spondias tuberosa), within Brazilian Semi-Arid region, based on AFLP markers, in order to suggest prospecting and preservation strategies for this species. Sixty-eight umbu trees of 15 ecogeographic regions were analyzed for 141 polymorphic AFLP bands, through the UPGMA dendrogram and the multidimensional scaling (MDS), based on Jaccard’s coeffi cient . Analysis of molecular variance was accomplished by total decomposition among and within ecogeographic regions. The dendrogram presented co-phenetic value of 0.96, while the MDS presented 0.25 for the badness-of-fi t. Umbu genetic variability was estimated in 0.3138, indicating a large variance among individual groups. Specifi c clusters were observed in six ecogeographic regions, and some individual pairs were observed in the other regions, with no specifi c clustering by sampling place, which indicates that the genetic variability of umbu tree is not uniformly distributed within Brazilian Semi-Arid. Strategies are suggested to set a larger number of protection areas for in situ conservation, or a smaller number of umbu individuals sampled, in various ecoregion units, for ex situ genetic variability conservation of this species.
Mostrar mais

7 Ler mais

Dinâmica de populações de cianobactérias em reservatório eutrofizado no semi-árido nordestino brasileiro.

Dinâmica de populações de cianobactérias em reservatório eutrofizado no semi-árido nordestino brasileiro.

A Barragem Armando Ribeiro Gonçalves (06 o 08’ S ; 37 o 07’ W) situada no semi-árido do Estado do Rio Grande do Norte representa 68% do total de água de superfície acumulada no Estado. Com capacidade volumétrica máxima de 2,4 x 10 9 m 3 , é responsável pelo abastecimento doméstico de 400 mil habitantes, é também destinada à irrigação, aqüicultura, pesca, lazer e apresenta contínuas florações de cianobactérias potencialmente tóxicas. Os objetivos deste trabalho foram identificar as cianobactérias planctônicas, reconhecer os padrões temporais de distribuição das populações compreendendo os fatores ambientais que regulam a sua dominância e identificar e quantificar as cianotoxinas presentes no séston da água bruta do reservatório e tratada nas saídas de distribuição da estacão de tratamento (ETA). Em função das características climáticas da região as investigações foram realizadas no período de 2000 a 2002. As amostras para identificação das cianobactérias (n=36) foram coletadas com rede de plâncton (20µm) entre 2000 e 2002 e foram preservadas com formol a 4%. Para detectar variações temporais do fitoplâncton, amostras (22) foram coletadas (300 mL) e preservadas com lugol acético, em curtos intervalos de tempo (4 dias) no ciclo anual de 2000, na época de chuvas (abril e maio/n=8), intermediária (maio e julho/n=4) e na estiagem (novembro e dezembro/n=10) em 7 profundidades (superfície, a 10% e 1% de penetração de luz, a 5m, 10m e fundo = 21m) a 300 metros do talude principal da barragem. Concomitantemente, também foram coletadas amostras de água para análise dos nutrientes e das cianotoxinas. As amostras para análise das cianotoxinas foram coletadas no reservatório (n=9), no “Canal de Pataxó” (n=4 - canal aberto para transportar água do reservatório para ETA) e na saída de distribuição da ETA local (n=4). Foram analisados fatores climáticos (ventos, chuvas, temperatura), hidrológicos (tempo de residência, volume), físicos (Z eu, temperatura da
Mostrar mais

233 Ler mais

Comportamento fenológico de três espécies de Jatropha (Euphorbiaceae) da Caatinga, semi-árido do Brasil.

Comportamento fenológico de três espécies de Jatropha (Euphorbiaceae) da Caatinga, semi-árido do Brasil.

Os resultados obtidos no presente estudo indicam que as três espécies estudadas possuem madeira de baixa densidade e, conseqüentemente, alta capacidade de armazenamento de água nos tecidos. Essa alta capacidade de armazenamento de água pode ter favorecido a ocorrência dos eventos fenológicos vegetativos e reprodutivos, mesmo na ausência de precipitação, corroborando a hipótese de que plantas que armazenam muita água nos seus tecidos podem brotar e lorescer durante a estação seca (Borchert 1994, Chapotin et al. 2006). Resultado semelhante foi obtido por Lima (2007), em que todos os táxons que brotaram, loresceram e frutiicaram na estação seca possuíam madeira de baixa densidade.
Mostrar mais

12 Ler mais

Adaptabilidade de caprinos exóticos e naturalizados ao clima semi-árido do nordeste brasileiro.

Adaptabilidade de caprinos exóticos e naturalizados ao clima semi-árido do nordeste brasileiro.

pelos colonizadores, é rústica e adaptada à zona semi- árida da região Nordeste. A origem do nome "Moxotó" provém do vale do Rio Moxotó, no estado de Pernam- buco, onde se concentrava a raça. Na atualidade é cria- da, principalmente, nos estados da Bahia, Ceará, Paraí- ba, Pernambuco e Piauí.) e a Pardo-Sertaneja (raça ori- unda da Pardo-Alpina, e ainda em processo de abertura de livro de registro. Que ao longo dos trinta anos por aproximações sucessivas, erros e consertos, encontrou- se o viés de preservar a genética das cabras pirenaicas nativizadas, regenerando sua função leiteira com um re- passe leve de reprodutores homólogos, europeus de ho- je, ou com seleção dentro dos agrupamentos (FAZENDA CARNAÚBA, 2004).
Mostrar mais

8 Ler mais

CONVIVENDO COM O SEMI-ÁRIDO

CONVIVENDO COM O SEMI-ÁRIDO

Com isso aprendemos que nossos animais precisam de alimentos em quantidade, qualidade e diversidade. Para que possamos produzir de maneira sustentável (sem prejudicar a natureza) é preciso usar bem a terra em que trabalhamos, plantando aquelas espécies e variedades de plantas que se desenvolvem bem na região, evitar a todo custo a derrubada da vegetação nativa e buscar enriquecê-la quando for possível. Aprendemos também que a queimada prejudica a terra e consequentemente nossa pastagem. Para o resultado desejado, é necessário manter a caatinga e cultivar mais palma, guandu, leucena, cunhã, gliricídia, sorgo, milheto e outras plantas que são o sustento a criação. Podemos fazer esses plantios em áreas de antigas plantações de roças.
Mostrar mais

45 Ler mais

Atividade antibacteriana em alguns extratos de vegetais do semi-árido brasileiro.

Atividade antibacteriana em alguns extratos de vegetais do semi-árido brasileiro.

Neste estudo foram testados extratos preparados a partir de 44 espécies, das quais 5 apresentaram atividade antibacteriana. Os extratos ativos serão fracionados e purificados com o objetivo de se chegar a substâncias puras com atividade antimicrobiana. Embora a droga controle (gentamicina) tenha apresentado um significativo halo de inibição, os resultados apresentados são também considerados significativos uma vez que a gentamicina trata-se de uma substância pura e que os extratos são compostos por diversas substâncias químicas. Dessa maneira, sugere-se que as moléculas ativas encontram-se em baixa concentração, não apresentando resultados próximos ou superiores aos da droga controle utilizada.
Mostrar mais

4 Ler mais

Manifestações clínicas da neurocisticercose na região do semi-árido do nordeste brasileiro.

Manifestações clínicas da neurocisticercose na região do semi-árido do nordeste brasileiro.

zação de exames de neuroimagem (tomografia com- putadorizada (TC) e/ou ressonância magnética (RM)), associados ao estudo completo do liquido cefalora- quidiano (LCR), com reações imunológicas específi- cas para esta doença. Como estes exames são de alto custo, muitas regiões não só do Brasil, mas tam- bém dos outros países envolvidos, têm dificuldade de realizá-los, o que com certeza diminui a frequên- cia do diagnóstico e influencia na determinação da prevalência desta doença. Esta situação, comum a várias cidades do Nordeste brasileiro, torna relevan- te a descrição de casos desta doença ocorridos e confirmados laboratorialmente no Estado da Paraíba, a fim de alertar tanto a comunidade médica como as autoridades sanitárias para o problema. Neste Es- tado, os únicos dados relativos ao Complexo teníase/ cisticercose publicados até o momento são: os de Gonçalves-Coelho e Coelho 9 , que encontraram a par-
Mostrar mais

5 Ler mais

Tomografia computadorizada na avaliação da densidade de um solo do semi-árido brasileiro.

Tomografia computadorizada na avaliação da densidade de um solo do semi-árido brasileiro.

No Brasil, tem sido verificado o adensamento em vários solos (Jacomine, 1974; Maltoni, 1994; Oliveira, 1994; Gomes, 1996; Moniz, 1996; Vidal Torrado et al., 1999), sendo comum, no Nordeste brasileiro, a presença de camadas adensadas em solos dos Tabuleiros Costeiros (Fonseca, 1986; Silva & Ribeiro, 1992; Silva & Ribeiro, 1997). No Vale do São Francisco, compreendido pelos municípios de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), onde ocorrem os solos do Tabuleiro Sertanejo ou Interioranos, a área com

8 Ler mais

Divergência fenotípica entre acessos de uvas de mesa no Semi-Árido brasileiro.

Divergência fenotípica entre acessos de uvas de mesa no Semi-Árido brasileiro.

Vitis vinifera, bem como a busca da diversidade nela existente. Os autores relatam a importância da análise de dados morfológicos para a determinação da variabilidade em videira, pela qual a caracterização e a avaliação morfoagronômica de germoplasma vêm sendo feitas para identifi cação de diversidade dentro e entre espécies. Ainda, com a mesma espécie, vários trabalhos foram feitos com a utilização de descritores morfológicos para estudos de divergência (Martínez et al., 2003; Coelho et al., 2004; This et al., 2006).

6 Ler mais

O MONITORAMENTO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O MONITORAMENTO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

,$)$<!" ) (/$)) )<5 ,(/!,!)# )<5 ,') #'" )< $)* !2$/.$# )< #C! 4. /# $+# ') (/$) 4L #C! +C''/ +',,.) #L ) '"*!" #' $+C !2! #C! <'$/ !)2 $<!* ) #C! ("'<"$, $)* !!R )< #' ,("'2! #C! (!"1'",$)+! $)* #.*!)# $+C !2!,!)#7 ) #C! 5 #C! ("'<"$, '(!"$#! ) #C! #!$+C!" * ,!) ') $)* ,("'2!,!)# '1 #C! ("'1! ')$/ *!2!/'(,!)#5 #C! #".+#." )< (!*$<'< +$/ $"!$5 ') ,!" #'+"$+L $)* #C! *!(/'L,!)# '1 <'$/ 7 SC$# ("',(#!* #C! #$#! <'2!"),!)# #' ,(/!,!)# K$ #C! = O "! ./#5 KC' ! #C! <'$/ 1'" #C! /!,!)#$"L $)* #C! I <C +C''/ K!"! /'K!" #C$) #C' ! ("'N!+#!* 4L #C! ) #"L '1 *.+$# ')7 C! ,!#C'*'/'< +$/ ("'+!*."! . !* ) #C! * !"#$# ') ("!($"$# ') K!"! )#!"2 !K 5 '4 !"2$# ')5 $)$/L *'+.,!)#5 !$"+C
Mostrar mais

94 Ler mais

Estimativa da acidez potencial pelo pH SMP em solos do semi-árido do Nordeste brasileiro.

Estimativa da acidez potencial pelo pH SMP em solos do semi-árido do Nordeste brasileiro.

Neste estudo avaliou-se a relação entre o teor de H + Al e o pH SMP, visando estabelecer uma equação para estimar a acidez potencial de solos do Semi-Árido do Nordeste Brasileiro. As análises dos teores de H + Al e dos valores de pH SMP foram realizadas em 81 amostras de solo, variando os teores de carbono de 1,8 a 35,6 g kg -1 e os de argila de 60 a 590 g kg -1 . Os resultados demonstraram que a

4 Ler mais

Segurança alimentar e nutricional de crianças do semi-árido brasileiro e sua relação socioeconômica e de saúde

Segurança alimentar e nutricional de crianças do semi-árido brasileiro e sua relação socioeconômica e de saúde

Food insecurity situation may be detected from different problems from hunger to obesity. The objective of this research was to correlate the nutritional profile with the FI situation in children under five years old of a Brazilian semi-arid municipality (Crato/CE). The research was cross-sectional and probabilistic, with the selection of children by systematic sampling in the “D Day” of the National Vaccination Campaign, in August 2010. A socioeconomic questionnaire and the Brazilian Food Insecurity Scale (EBIA) were applied, along with the measurement of height and weight for the association between nutritional status and situation of FI by using the chi-square, setting p<0.05. The analysis of Food Security through population-based studies is increasingly occupying the public agenda in Brazil. Data were collected from 352 children. In the analysis of nutritional situation, the prevalence of overweight was significant to the weight to stature indicator (16.8%). However, in relation to the stature to age indicator, it was obtained a prevalence to malnutrition (7.1%). Moreover, there was neither malnutrition nor overweight association wit FI, demonstrating, therefore, that EBIA has revealed as an indicator not related to nutrition disturbs.
Mostrar mais

157 Ler mais

Perdas de solo e de água em sistemas de captação in situ no Semi-Árido brasileiro.

Perdas de solo e de água em sistemas de captação in situ no Semi-Árido brasileiro.

FIGURA 3. Métodos de captação de água de chuva in situ. In situ rainwater harvesting methods. Observando a Tabela 2, verifica-se que o mês com maior precipitação foi abril, com o total de 129,4 mm, dos quais 49,7 mm (38,41%) ocorreram em apenas um dia (2-4), sendo 19,2 mm no decorrer de 40 minutos, e 30,5 mm em 45 minutos, nas fases de floração-formação de espigas, proporcionando perdas de água e de solo em todos os tratamentos, com maiores valores no tratamento T1 (2.250 L; 10.489 kg ha -1 ) e na testemunha T5 (1.840 L; 4.196 kg ha -1 ). No tratamento T4, as perdas de água e de solo foram de apenas 620 L e 946 kg ha -1 , respectivamente. A tendência de o comportamento do T4 apresentar menores valores de perdas de solo foi observada em todos os eventos de chuva; isso se deve ao fato de as barreiras formadas nos sulcos das linhas de plantio impedirem o escoamento da água, favorecendo maior infiltração e, conseqüentemente, menores perdas de água e de solos. Esse sistema, portanto, constitui-se no melhor tipo de preparo do solo para a cultura do milho nas condições edafoclimáticas analisadas.
Mostrar mais

9 Ler mais

Caracterização da variabilidade morfoagronômica de maracujazeiro (Passiflora cincinnata Mast.) no semi-árido brasileiro

Caracterização da variabilidade morfoagronômica de maracujazeiro (Passiflora cincinnata Mast.) no semi-árido brasileiro

Feuillet & MacDougal (1999) sugeriram alterações no sistema de classificação de Killip (1938), propondo uma nova classificação infragenérica para Passiflora e recomendando a utilização de apenas quatro subgêneros no lugar dos 22 propostos por Killip (1938). Os autores relataram que a nova divisão define melhor as relações filogenéticas dentro do gênero Passiflora, sendo os subgêneros de Killip reorganizados da seguinte maneira: Astrophea, com cerca de 55 espécies e não modificado em relação à sua classificação original; Deidamioides, com 16 espécies agrupando três subgêneros, uma seção e o gênero Tetrastylis; Decaloba, com mais de 200 espécies incluindo sete dos subgêneros de Killip, compreendendo, principalmente, espécies com x = 6 e Passiflora, com mais de 220 espécies pertencentes aos subgêneros Adenosepala, Tacsoniopsis, Rathea, Tacsonia, Granadillastrum, Distephana, Calopathanthus, Tacsonioides, Passiflora, Dysosmia e Dysosmioides do sistema de Killip e representadas, principalmente, por espécies com x = 9.
Mostrar mais

108 Ler mais

Micromorfologia e gênese de luvissolos e planossolos desenvolvidos de rochas metamórficas no semi-árido brasileiro.

Micromorfologia e gênese de luvissolos e planossolos desenvolvidos de rochas metamórficas no semi-árido brasileiro.

Por outro lado, no semi-árido as precipitações pluviais concentram-se em poucos eventos de curta duração e elevada intensidade (Chaves et al., 1985), o que, associado à baixa condutividade hidráulica desses solos, favorece a ocorrência de escoamento superficial e, conseqüentemente, a remoção preferencial de frações mais finas, principalmente da argila, que, nos casos em questão, apresenta-se moderada a altamente dispersa (Quadro 2). Isso, certamente, contribui para a desargilização do horizonte superficial nos solos dessa região e favorece a formação de contraste textural, em alguns deles.
Mostrar mais

17 Ler mais

Sistemas de polinização e de reprodução de três espécies de Jatropha (Euphorbiaceae) na Caatinga, semi-árido do Brasil.

Sistemas de polinização e de reprodução de três espécies de Jatropha (Euphorbiaceae) na Caatinga, semi-árido do Brasil.

A família Euphorbiaceae é considerada a terceira família com maior riqueza de espécies na caatinga (Giulietti et al. 2006) e possui representantes com grande potencial agrícola na produção de biocombustível, como Jatropha curcas L. (pinhão manso) e Ricinus communis L. (mamona). Entre os representantes dessa família, a monoicia é um sistema sexual relativamente comum, especialmente nos gêneros Euphorbia, Cnidosculus, Croton e Jatropha (Bullock 1985). Estudos que abordam aspectos da polinização e da biologia reprodutiva de espécies de Jatropha são raros em todo o mundo (e.g. Dehgan & Webster 1979, Reddi & Reddi 1983, Ormond et al. 1984, Epila-Otara 1993, Raju & Ezradanam 2002, Bhattacharya et al. 2005). Para as áreas de caatinga, Santos et al. (2005) estudaram a fenologia loral, biologia loral e o sistema reprodutivo de Jatropha mollissima (Pohl) Baill. e J. mutabilis (Pohl) Baill. nos municípios pernambucanos de Buíque e Arcoverde. Na Ecorregião do Raso da Catarina, registram-se apenas o trabalho de Neves et al. (2010), que estudaram os comportamentos fenológicos, a capacidade de armazenamento de água e o padrão de distribuição espacial de Jatropha mollissima (Pohl) Baill., J. mutabilis (Pohl) Baill e J. ribifolia (Pohl) Baill. e Neves & Viana (2011) que testaram experimentalmente a eiciência da Apis mellifera Linnaeus na polinização de J. mollissima e J. mutabilis em apenas uma visita. Nesse sentido, o presente trabalho apresenta, pela primeira vez, a biologia da polinização de J. ribifolia, contribui com novos dados para J. mollissima e J. mutabilis e compara as estratégias de polinização das três espécies.
Mostrar mais

11 Ler mais

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

O fortalecimento da escola pública requer a criação de uma cultura de participação para todos os seus segmentos, e a melhoria das condições efetivas para que essa [r]

101 Ler mais

Show all 10000 documents...