Top PDF A pauta é saúde : uma análise da influência da Medicina Baseada em Evidências no jornalismo

A pauta é saúde : uma análise da influência da Medicina Baseada em Evidências no jornalismo

A pauta é saúde : uma análise da influência da Medicina Baseada em Evidências no jornalismo

Este trabalho analisa mudanças na área médica que se inter-relacionam com o campo do jornalismo em saúde, tendo como referencial os Estudos Sociais da Ciência e Tecnologia (ESCT). O enfoque nesta dissertação é a Medicina Baseada em Evidências (MBE), abordagem na qual estudos clínicos com base em amostras populacionais são usados para a tomada de decisão na área médica. A MBE vem sendo incorporada formalmente na literatura médica desde os anos 1990, a partir do Canadá, Estados Unidos e Reino Unido e, atualmente, forma um conjunto de práticas adotadas em nível global, inclusive no Brasil. Essa perspectiva tem redefinido a racionalidade biomédica e clínica; tem influenciado as relações de poder nos diversos âmbitos da saúde, como as políticas públicas e os papéis dos profissionais e do paciente. O impacto da MBE vai além da produção e uso do conhecimento científico na medicina chegando às atividades de popularização do conhecimento sobre saúde. O jornalismo, como parte da dinâmica de difusão da ciência, também é permeado pelas novas configurações formadas no campo da saúde e, sobretudo, participa da elaboração da noção que a sociedade constrói sobre a área. Neste estudo, analisamos processos de trabalho de jornalistas e identificamos relações com as mudanças trazidas pela MBE. Essa influência no modo de fazer jornalismo se dá principalmente na seleção de temas para matérias jornalísticas, as pautas. Para esta pesquisa de método qualitativo foram realizadas seis entrevistas, a partir de um questionário semi-estruturado, com editores e repórteres de saúde que atuam em veículos impressos de circulação nacional. De forma mais ampla, a partir de experiências e sentidos pessoais desse grupo chegamos à sua representação da pesquisa em saúde com o objetivo de contribuir para a análise crítica da MBE em suas relações com a sociedade.
Mostrar mais

147 Ler mais

"Baseada em evidências": uma análise do discurso de prevenção às doenças.

"Baseada em evidências": uma análise do discurso de prevenção às doenças.

médico sobre a utilização desse procedimento. Se o MBE é popular nos meios médicos mundiais, se é uma evolução natural e se é resultado de pesquisas científicas para cada tipo de problema, então, por meio do uso de por isso , o discurso procura não deixar dúvidas de que ele deva ser adotado pelo paciente. Mas a Unimed não determina; ela diz ao usuário para discutir com o seu médico. De novo, manifesta-se o discurso individualista (não é com qualquer médico, mas o seu) que busca provocar, no usuário, o desejo de procurar pelo médico para discutir a sua condição de saúde. Percebemos na passagem o uso de uma estratégia: se o procedimento é novo, não é o médico que levará o paciente a conhecê- lo, mas o paciente é que requererá do médico informações previamente disseminadas pela Unimed (via informativos), demonstrando seu interesse em conhecer a MBE e obrigando, assim, o médico e a Unimed a tratamentos inovadores, que, em teoria, podem trazer benefícios. Porém, o que parece ficar mais evidente é justamente a contribuição da Medicina Baseada em Evidências para uma relação econômica. Ou seja, as evidências apontam a causa, o que pode implicar a não necessidade, por exemplo, de uma série de exames.
Mostrar mais

19 Ler mais

A Medicina Baseada em Evidências na jurisprudência relativa ao direito à saúde.

A Medicina Baseada em Evidências na jurisprudência relativa ao direito à saúde.

Objetivo: Analisar, a partir do exame de decisões proferidas por tribunais brasileiros, como a Medicina Baseada em Evidências foi aplicada e se conduziu a decisões bem fundamentadas, sob a perspectiva do melhor conhecimento científico. Métodos: Analisaram- se decisões de Tribunais Federais selecionadas pela busca, sem limitação temporal, no sítio do Conselho da Justiça Federal, dedicado à pesquisa unificada de jurisprudência, contendo a expressão “Medicina Baseada em Evidências”. Quanto aos acórdãos da Corte Paulista, a busca foi feita em sua página na internet dedicada à pesquisa de jurisprudência, também por meio da expressão “Medicina Baseada em Evidências”, e sem limitação temporal. Efetuou-se, a seguir, uma análise qualitativa da discussão efetuada em cada processo, verificando se nela se apreciaram a situação do paciente/autor da ação, e a eficácia ou ineficácia de tratamentos ou medicamentos constantes em protocolos já existentes, antes de se deferir a medida buscada em juízo. Resultados: Verificou-se que em menos de um terço das decisões examinadas houve uma discussão adequada da eficácia do procedimento buscado judicialmente, em comparação com os disponibilizados em protocolos clínicos pelo Sistema Único de Saúde e por planos privados de saúde, à luz da situação individual do autor da ação. A maioria das decisões envolvia planos de saúde (n=13, 68%). Conclusão: O número de decisões em que se deu maior consideração à evidência científica e às peculiaridades dos pacientes foi preocupante. É necessário ampliar a discussão da Medicina Baseada em Evidências nos processos envolvendo a saúde pública.
Mostrar mais

5 Ler mais

Saúde privada e a medicina baseada em evidências como fonte de critérios orientadores da intervenção judicial

Saúde privada e a medicina baseada em evidências como fonte de critérios orientadores da intervenção judicial

Propugnada por Archibald Leman Cochrane, um epidemiologista escocês, a medicina baseada em evidências científicas (MBE) é uma abordagem que busca substituir a autoridade individual do médico pela ciência na tomada de decisões em matéria de saúde. Ou seja, ao invés de ser o médico quem decide, por exemplo, com base em sua autoridade, que um tratamento é melhor, a decisão deve ser orientada por critérios científicos. Não que a autoridade do médico e a situação do paciente não sejam relevantes, mas se busca complementá-las com a análise científica da solução proposta. Como decidir bem se há milhares de artigos científicos editados todos os anos? Se a própria indústria farmacêutica financia artigos, muitas vezes para fazer prevalecer o entendimento de que os medicamentos por ela produzidos, mais caros, são melhores? Aí entra a atuação da MBE, em especial por meio da The Cochrane Collaboration 72 , que, no Brasil, encontra correspondência no Centro Cochrane do Brasil 73 . Como os recursos disponíveis serão sempre limitados, eles devem ser utilizados de forma a propiciar formas equitativas de atenção à saúde, que tenham sido consideradas efetivas por meio de avaliações científicas adequadamente construídas.
Mostrar mais

30 Ler mais

JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE: REDUÇÃO DE DEMANDAS E ANÁLISE SEGUNDO A MEDICINA BASEADA EM EVIDÊNCIAS

JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE: REDUÇÃO DE DEMANDAS E ANÁLISE SEGUNDO A MEDICINA BASEADA EM EVIDÊNCIAS

Com a utilização deste critério, propõe-se seja dado um passo adiante, a fim de que os aspectos técnicos também sejam considerados, visto que o Poder Judiciário não pode fugir desta análise sob o argumento de cumprir ao médico prescritor indicar aquilo que é melhor para o paciente. Referido argumento não se sustenta em face do direito fundamental à saúde, é frágil. No ponto, não se está discutindo se o fornecimento judicial fora das listas públicas é devido ou não, tampouco sobre os custos dos medicamentos caso a mesma decisão judicial fosse aplicada para todos os demais pacientes em situação semelhante, mas sim sobre a verificação da existência ou não de evidência científica de elevado nível que fundamente o tratamento/medicamento proposto.
Mostrar mais

23 Ler mais

Desafios formativos para a prática em redes: atenção à saúde baseada em evidências

Desafios formativos para a prática em redes: atenção à saúde baseada em evidências

Descritores: Atenção primária à saúde; Capacitação profissional; Prática clínica baseada em evidências. The objective of this paper is to discuss the challenges for the critical training of health professionals to work in networks in the Unified Health System. It is a reflective essay whose theoretical and methodological framework was founded on the Social Critique Epidemiology, conducted from 2017. The discursive categories presented were: The organization of Healthcare networks guided by evidence and The realistic review as evidence synthesis method for performance in networks. In contemporary, the search for the commitment to universal health coverage emerges as a challenge, through the strengthening of professional training and development of human resources for health. It is essential the education of health professionals directed to the realization of health networks, so to allow an early approximation to the structures of the health system that dialog both with the scenario complexity, the diversity of the way of life of the communities and the practice based on evidences, in order that the realistic review shows itself as one of the methodological strategies to the incorporation of the evidences in the complex scenario experienced by the Primary Health Care.
Mostrar mais

8 Ler mais

Psicanálise baseada em evidências?.

Psicanálise baseada em evidências?.

Penetrar no mundo médico é criar uma maneira codificada de se ver, de se escrever e de se falar. Isso se inicia pela construção de um corpo, o corpo da medicina, fundamentalmente diferente do corpo que experimenta- mos quotidiamente. O ensino da anatomia, a porta de entrada do estudante na formação médica, obedece a esse critério. O cadáver é tomado como uma peça a ser estudada através do treinamento do olhar. Há uma metodologia nesse treinamento cujo objetivo é mais do que perceber as diferentes estru- turas anatômicas que compõem o corpo humano: o cadáver é tomado como modelo de paciente. O estudante diante do cadáver aprende a “pensar anatomicamente”. O esvaziamento da vida que aquele corpo possuiu é condição necessária para a prática anatômica. A dissecção anatômica se faz impossível sem essa condição mas a anatomia não é “desumanizadora” no sentido habitual do termo. Ela é estruturante para a desconstrução do sujeito e reconstrução da pessoa como cadáver (ou como caso clínico).
Mostrar mais

18 Ler mais

Psiquiatria baseada em evidências

Psiquiatria baseada em evidências

Em psiquiatria, observa-se grande variabilidade de práticas clínicas, muitas vezes desnecessária. Essas varia- ções podem estar relacionadas à ausência de evidência científica confiável ou ao desconhecimento das evidên- cias de boa qualidade disponíveis. A medicina baseada em evidências (MBE) é uma combinação de estratégias que busca assegurar que o cuidado individual do paciente seja baseado na melhor informação disponível, a qual deve ser incorporada à prática clínica. Neste artigo, conceitos de MBE são discutidos com relação a aspectos e desafios no tratamento de pacientes com distimia, bulimia nervosa e esquizofrenia. A partir de resultados de três revisões sistemáticas recentemente publicadas, conclui-se que a prática de psiquiatria baseada em evidências acrescenta qualidade à prática psiquiátrica tradicional.
Mostrar mais

5 Ler mais

Medicina Baseada em Evidências: a arte de aplicar o conhecimento científico na prática clínica.

Medicina Baseada em Evidências: a arte de aplicar o conhecimento científico na prática clínica.

O que significa Medicina Baseada em Evidên- cias? MBE se traduz pela prática da medicina em um contexto em que a experiência clínica é inte- grada com a capacidade de analisar criticamente e aplicar de forma racional a informação científica de forma a melhorar a qualidade da assistência médica. Na MBE, as dúvidas que surgem ao resol- ver problemas de pacientes são os principais estí- mulos para que se procure atualizar os conheci- mentos 1,3 . A filosofia da MBE guarda similarida-

4 Ler mais

METODOLOGIA DE BUSCA E RECUPERAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS :: Brapci ::

METODOLOGIA DE BUSCA E RECUPERAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS :: Brapci ::

O Estudo de Caso nasceu a partir da reflexão sobre a complexidade e a responsabilidade da mediação entre pessoas, documentos e os sistemas de recuperação de informação em face à relação quantidade e qualidade das informações publicadas e indexadas nas bases de dados na área da saúde. Tal complexidade é oriunda da conjunção de características tais como suas diferentes formas de organização e particularidades da recuperação. Seu enfrentamento exige habilidades e competências específicas, que compreendem, entre outras, o domínio da exploração dos vocabulários controlados, o uso da linguagem natural quando for o caso, e a análise do funcionamento do sistema e da precisão das respostas. Uma das maiores dificuldades na recuperação de informações nos SRIs é saber se tudo que está indexado sobre determinado tema foi realmente recuperado com as estratégias utilizadas. No cenário em questão, o da Saúde Baseada em Evidências, essa informação é crucial, pois bons trabalhos não recuperados impactam a qualidade da revisão sistemática realizada, além de representar necessidade de retrabalho e consequentemente gasto de tempo e dinheiro.
Mostrar mais

22 Ler mais

Fluxo da informação na prática clínica dos médicos residentes_aproximações possíveis com a medicina baseada em evidências

Fluxo da informação na prática clínica dos médicos residentes_aproximações possíveis com a medicina baseada em evidências

handbooks, os guidelines e os preceptores. Em relação aos sistemas informatizados, verifica-se a preferência pelo UptoDate, Portal de Periódicos da CAPES e PubMed, prevalecendo a preferência por informação já selecionada e analisada. As bases de dados nacionais, como as da BIREME e a SciELO são utilizadas com mais cautela. A confiabilidade das fontes de informação e a acessibilidade de forma gratuita são determinantes na seleção das bases de dados. Utilizam parcialmente as ferramentas de busca das bases de dados, prevalecendo a busca por termos livres. Em relação à infra-estrutura para acesso à informação, foi identificada a necessidade de melhorias na infra-estrutura dos ambulatórios, particularmente a disponibilidade de computadores com acesso à Internet. A pouca indicação das bibliotecas, como agentes envolvidos no processo de busca de informação para responder a uma questão clínica, demonstra a necessidade de sua integração neste processo. O fluxo informacional observado na prática clínica dos médicos residentes apresenta uma estrutura que se reporta a alguns preceitos recomendados pela medicina baseada em evidências, na etapa referente ao uso das fontes de informação, porém ainda está aquém do indicado e, por isso, apresenta-se um fluxo otimizado, com indicações de ações que poderiam maximizar o uso da informação disponível e acessível para a prática clínica.
Mostrar mais

149 Ler mais

Porque a Medicina Baseada na Evidência é uma Boa Abordagem em Medicina Física e Reabilitação - Tese

Porque a Medicina Baseada na Evidência é uma Boa Abordagem em Medicina Física e Reabilitação - Tese

of follow-up must be sufficient.)** Non-randomised controlled cohort/follow-up study** Step 4 (Level 4*) Case-series** Case-control studies, or “poor or non-independent reference standa[r]

5 Ler mais

Processo de reprimarização da pauta exportadora: evidências para o Brasil

Processo de reprimarização da pauta exportadora: evidências para o Brasil

a desindustrialização causada pela “doença holandesa” é também denominada de “desindustrialização precoce”; uma vez que a mesma se iniciaria a um nível de renda per capita inferior ao observado nos países desenvolvidos quando os mesmos iniciaram o seu processo de desindustrialização. Sendo assim, os países afetados pela “doença holandesa” iniciam o seu processo de desindustrialização sem terem alcançado o “ponto de maturidade” de suas respectivas estruturas industriais e, portanto, sem ter esgotado todas as possibilidades de desenvolvimento econômico que são permitidas pelo processo de industrialização (OREIRO; FEIJÓ, 2010, p. 223). Faveri, Resende e Cário (2016) sintetizam tais constatações, mencionando duas situações em que pode ocorrer a doença holandesa. Para os autores, a primeira delas ocorre quando os países nunca se industrializaram devido ao alto volume exportado de produtos intensivos em recursos naturais. A outra é verificada, de acordo com eles, quando os países conseguiram se industrializar por algum determinado período, porém, posteriormente se desindustrializaram. Portanto, a doença holandesa pode ser resultado do aumento demasiado das exportações de produtos primários (PEROBELLI; BASTOS; OLIVEIRA, 2017) em virtude da abundância de recursos naturais nos países afetados por essa adversidade (OREIRO; FEIJÓ, 2010). Em resumo, os países caracterizados pela abundância de recursos naturais apresentam vantagens comparativas na produção destes bens e, então, se especializam na produção deles (FAVERI; RESENDE; CÁRIO, 2016).
Mostrar mais

62 Ler mais

Medicina embasada em evidências.

Medicina embasada em evidências.

Fica evidente, portanto, que o paradigma da medicina embasada em evidências assume que a decisão clínica integra a evidência clínico-epide- miológica a todas as informações clínicas possí- veis, especialmente aquelas derivadas do saber biológico vigente, da experiência clínica prévia com pacientes semelhantes e dos valores atribu- ídos pelos pacientes aos desfechos clínicos en- volvidos na decisão. Assim, ao buscar bases cien- tíficas mais sólidas para as decisões médicas, o novo paradigma não desconsidera os conheci- mentos e experiências adquiridos pelo médico, nem desestimula seu lado artístico de captar a realidade e proceder com o paciente, mas au- menta a eficácia de suas ações e reduz o caráter autoritário de suas decisões junto aos pacientes (e de seu ensino de novos médicos!). Além disso, na medida em que o modelo racionaliza o empre- go de técnicas médicas, abre espaço para uma relação médico-paciente menos técnica e mais humana.
Mostrar mais

8 Ler mais

Homens e saúde na pauta da Saúde Coletiva.

Homens e saúde na pauta da Saúde Coletiva.

Quanto à violência contra a mulher, dife- rentes estudos da área (Gregori, 1993; Giffin, 1994; Saffioti & Almeida, 1995; Heise, Ellsberg & Gottemoeller, 1999; Schraiber & d´Oliveira, 1999) apontam reiteradamente sua localização no âmbito privado, apesar do uso de diferentes formas de nomeação do evento (violência fami- liar ou violência intrafamiliar, violência domés- tica, violência de gênero etc.). Também mos- tram que freqüentemente esta violência ocorre superposta ao espaço da casa, socialmente asso- ciado à família, segurança, lealdade, compa- nheirismo, solidariedade. O espaço doméstico, campo das relações afetivo-conjugais entre os gêneros, está potencialmente carregado de ten- sões e conflitos, impondo-se a necessidade coti- diana de re-arranjos e negociação nas relações de poder, hierarquia e reciprocidade entre os su- jeitos. Diante de tal configuração a questão que se coloca é: como se consubstancia o sentido que relaciona a representação social masculina com a violência e que razões ou motivos podem ser acionados na busca de entender o envolvi- mento de homens e mulheres que partilham vi- da afetiva em situações de violência?
Mostrar mais

11 Ler mais

É esse jornalismo de análise que permitirá uma discussão pública mais lúcida

É esse jornalismo de análise que permitirá uma discussão pública mais lúcida

seja, levar para a academia esse conhecimento que, depois, ela mesma consiga retribuir com pensamentos, propostas e análises novas, pois a prática se renova de alguma forma. Também é uma perda de tempo tentarmos analisar os pro- blemas de hoje com os argumentos e conceitos de antigamente. São problemas novos! Do mesmo modo, por que os jornais de hoje publicam as mesmas coisas? Antes, batalhávamos pelo furo, íamos para a rua para trazer matérias que os ou- tros ainda não tinham publicado. Hoje, todos só publicam as mesmas coisas. A falta de diversidade de matérias leva muitos a acreditar que isso resulta de um acordo ou combinação entre os editores, pura falácia. Esse fato é a manifestação de uma nova fisionomia do jornalismo, é o poder das fontes de usar e agendar o próprio jornalismo, sendo sujeitos dele e fazendo seu papel de uma manei- ra muito competente. As fontes realizam aquilo que os jornalistas não podem produzir: acontecimentos e ações de uma forma interessada. O jornalismo tem a vocação de narrar aquilo que os outros fazem ou dizem e isso está em falta hoje em dia, pois quando apenas se reproduz o discurso da fonte, o jornalismo renuncia à sua vocação narradora pela narração do consumismo. Não é a sim- ples narração do acontecimento, mas é a narração do que aconteceu, dos dados desse acontecimento e dos efeitos produzidos pelas fontes. Então, essa vocação é própria da linguagem jornalística, sendo narradora e argumentadora ao mesmo tempo, ainda que o jornalismo atual não esteja utilizando bem nem valorizando essa vocação. De alguma forma, temos as boas manifestações na internet, como o Sakamoto, que é um questionador e um bom crítico. Às vezes, não concordo com o que escreve, mas ele presta uma grande contribuição à discussão pública das questões mais atuais.
Mostrar mais

8 Ler mais

Dr. Sackett & "Mr. Sacketeer"... Encanto e desencanto no reino da expertise na medicina baseada em evidências.

Dr. Sackett & "Mr. Sacketeer"... Encanto e desencanto no reino da expertise na medicina baseada em evidências.

Cabe agora, baseados em Sousa-Santos (1989), assinalar algumas das características da ciência moderna, com seus modelos objetivis- tas, empiricistas e positivistas, cuja correspon- dência com a MBE é perceptível. Por exemplo: considera que a única forma consistente de co- nhecimento é o científico (enquanto orientado pela racionalidade positivista), pois baseia-se na idéia da objetividade; reduz o universo dos observáveis ao quantificável e estabelece que a validade do conhecimento depende de uma noção de “rigor” fundada na lógica matemáti- ca, desqualificando qualidades (não “quantifi- cabilizáveis”) que dão sentido à prática; decide o que é relevante e se permite negligenciar o que não consegue ou não se dispõe a abordar, considerando-o irrelevante; orienta-se por pre- ceitos de racionalidade formal/instrumental, desvinculando-se das possíveis conseqüências irracionais originárias de seus produtos técni- cos; e, sobretudo, dá ensejo à criação de experts e especialistas, hipertrofiando a aliança sa- ber/poder, homogeneizando e desqualificando a participação de outras racionalidades médi- cas e saberes leigos.
Mostrar mais

10 Ler mais

Seminário Informação e Saúde Baseada em Evidências: promoção do acesso, produção e uso

Seminário Informação e Saúde Baseada em Evidências: promoção do acesso, produção e uso

(lnH). o lnH é diagnosticado em sítios extranodais em 40% dos casos, sendo a região de cabeça e pescoço a segunda mais acometida com incidência de 11% a 33%, em contrapartida, o lH tem uma incidência muito baixa em sítios extranodais (1-4%). Objetivo: sendo assim, o objetivo deste estudo foi identificar as manifestações orais do linfoma por meio de uma revisão sistemática de literatura. Método: as bases de dados utilizadas incluíram Pubmed, lilacs, embase e cochrane library. Foram selecionados 61 artigos dos 1.276 encontrados. Resultados: entre os achados intraorais, os mais frequentes foram ulcerações, dor, aumentos de volume e mobilidade dentária. Já nos achados extraorais, destacaram-se assimetria facial e linfadenopatias, cervicais, submandibulares e submentuais. Conclusão: Poucos estudos relataram exames de imagem, porém as lesões hipodensas com limites difusos, reabsorções ósseas e deslocamentos dentários foram as mais citadas. as publicações estudadas apontam para a existência de lacunas quanto à detecção precoce, ao diagnóstico e ao tratamento adequado.
Mostrar mais

11 Ler mais

Há evidências científicas na medicina antienvelhecimento?.

Há evidências científicas na medicina antienvelhecimento?.

Resumo: A medicina antienvelhecimento visa a interferir no processo de envelhecimento humano biológi- co normal. Haveria base científica para justificá-la como especialidade médica e não ramo de ciências bio- lógicas básicas? Esta revisão avaliou 110 artigos, dos quais nove artigos (8,2% do total) em humanos. Apenas um desses estudos era randomizado e duplo-cego (Jadad 2). A categoria de recomendação e o grau de evi- dência desses trabalhos foram considerados como CII. Periódicos com fator de impacto acima de 1,110 publicaram três dos nove artigos. Dessa forma, não parece haver sólidas evidências científicas e/ou clínicas que justifiquem a aplicabilidade da medicina antienvelhecimento na presente prática médica.
Mostrar mais

8 Ler mais

O que é jornalismo científico

O que é jornalismo científico

Ressalte - se, por uma questão de justiça, o esforço reali- zado pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, ajudada pelo CNPq, FINEP e a CAPES, para manter em circula- ção as[r]

11 Ler mais

Show all 10000 documents...