Top PDF Predição do rendimento e do peso do filé da tilápia-do-Nilo.

Predição do rendimento e do peso do filé da tilápia-do-Nilo.

Predição do rendimento e do peso do filé da tilápia-do-Nilo.

RESUMO. A criação de tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus) e o seu filé apresentam um mercado vigoroso e expansão no Brasil e no mundo. Portanto, um modelo de regressão obtido a partir de parâmetros corporais externos, de fácil observação, que prediga o rendimento e o peso do filé possibilita selecionar indivíduos com maior potencial produtivo. Objetivou-se com este trabalho obter um modelo que permita predizer o rendimento e o peso do filé, baseado em medidas morfométricas e do peso. Foram avalidos 890 indivíduos dos quais os caractéres mensurados foram: comprimento total (CT), comprimento-padrão (CP), comprimento da cabeça (CC) e do tronco (CTR), altura da cabeça (AC1), altura lombar (AL), altura caudal (AC2), espessura lombar (EL) e caudal (EC), peso corporal (PESO), peso de filé (PF) e rendimento de filé (RF). Foram realizadas análises de regressão linear, com PF e RF como variáveis dependentes. O R 2 para o modelo
Mostrar mais

5 Ler mais

Comparação de seis métodos de filetagem, em relação ao rendimento de filé e de subprodutos do processamento da Tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus).

Comparação de seis métodos de filetagem, em relação ao rendimento de filé e de subprodutos do processamento da Tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus).

Para o músculo abdominal, o menor rendimento foi verificado no método IPF (1,23%), apesar de não ter diferido significativamente de CFP (1,67%) e CPF (1,55%); enquanto os melhores rendimentos de músculo abdominal foram observados para CNPF (2,02%) e CNFP (2,00%), não diferindo de IFP (1,68%) e CFP (1,67%). O músculo hipaxial profundo apresentou maior porcentagem no método IPF (4,22%) e menor no CPF (2,32%). Os valores de rendimento do músculo abdominal ventral obtidos neste experi- mento, analisando-se os diferentes métodos de filetagem, foram inferiores (variando entre 1,23 e 2,02%) aos obtidos por Souza & Maranhão (2001), para tilápias-do-nilo com peso de 300 a 400 g e de 401 a 500 g de peso corporal, cujos rendimentos foram 3,17 e 3,51%, respectivamente. Souza et al. (2001) citaram rendimentos de 2,45 e 2,85% para o músculo abdominal ventral e 3,75 e 4,72% para o músculo hipaxial profundo, respectivamente, para tilápias-do- nilo com pesos corporais de 250 a 400 g e de 401 a 550g. Porcentagem superior de músculo abdominal (4,56%) foi obtida por Marengoni et al. (1998) para tilápia com peso de 613,93 g; e Pereira & Campos (2000) relatam porcentagem de barriga (músculo ven- tral) de 3%, para tilápias de 500 g.
Mostrar mais

9 Ler mais

Influência do método de filetagem e categorias de peso sobre rendimento de carcaça, filé e pele da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus).

Influência do método de filetagem e categorias de peso sobre rendimento de carcaça, filé e pele da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus).

RESUMO - O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do método de filetagem (F 1 = retirada da pele com alicate e filetagem; F 2 = filetagem e retirada da pele, com faca e auxílio de alicate) e a categoria de peso (P 1 =250-300 g; P 2 =301-350 g; P 3 =351-400 g e P 4 = 401- 450 g) sobre o rendimento de carcaça (RC), filé (RF) e pele da tilápia do Nilo. Foram utilizadas 48 tilápias, em delineamento inteiramente casualizado. Houve efeito para método de filetagem, sendo a média de F 1 (56,43 e 36,67%) superior à de F 2 , 53,46 e 32,89%, respectivamente, para RC e RF. Para categoria de peso, as médias P 1 (56,49 e 37,34%) e P 2 (56,34 e 36,40%) foram superiores em relação a P 3 (53,27 e 31,98%) e P 4 (53,71 e 33,42%), respectivamente, para RC e RF. Porcentagens de pele bruta, limpa e de descarne foram superiores para F 2 , mas não houve efeito para as categorias de peso. A filetagem F 1 proporcionou melhores rendimentos e resultados de pele e, para categoria de peso, P 1 e P 2 , maiores rendimentos.
Mostrar mais

6 Ler mais

Rendimento industrial de filetagem da tilápia tailandesa (Oreochromis spp.).

Rendimento industrial de filetagem da tilápia tailandesa (Oreochromis spp.).

O rendimento do filé é o item de maior valor econômico, o qual varia de acordo com o domínio tecnológico das empresas processadoras. Na literatura foram encontrados dados de rendimentos de filé de tilápia do Nilo, variando de 25,4% até valores próximos a 42,0%, em função do peso corporal, métodos de filetagem, comparação da forma de decaptação, remoção da pele e nadadeiras (Clement e Lovell, 1994; Macedo-Viegas et al., 1997; Souza e Macedo-Viegas, 2001; Souza et al., 1999, 2002). Ribeiro e Miranda (1997) classificaram a tilápia entre os peixes cultivados de menor rendimento de filé quando comparada ao catfish e ao surubim. Clement (1992) citou um rendimento de filé da ordem de 33,0%; posteriormente, Clement e Lovell (1994) observaram que o rendimento não ultrapassava 25,4% .
Mostrar mais

6 Ler mais

Composição físico-química, microbiológica e rendimento do filé de tilápia tailandesa (Oreochromis niloticus).

Composição físico-química, microbiológica e rendimento do filé de tilápia tailandesa (Oreochromis niloticus).

Foram determinados o rendimento do filé e a composição físico-química da tilápia quanto ao teor de umidade, proteína, cinza, lipídeos e atividade de água. Para as análises, foram utilizados 19 exemplares de tilápia com peso médio e comprimento de 989,6 g e 38,9 cm, respectivamente. Os peixes foram pesados, medidos (comprimento, largura e espessura) e após a filetagem calculou-se o rendimento. Foi realizada a determinação da composição físico-química, que apresentou teores de: 77,13% de umidade; 2,60% lipídios; 19,30% proteína; 1,09% cinza; e atividade de água de 0,983. As relações de peso filé/peixe e peixe/resíduo apresentaram boas correlações lineares. Foi realizada também a análise microbiológica do peixe in natura; a matéria-prima estava dentro dos limites exigidos pela legislação brasileira, portanto apta para o processamento e/ou consumo.
Mostrar mais

6 Ler mais

A subordinação do trabalho docente à lógica do capital — Outubro Revista

A subordinação do trabalho docente à lógica do capital — Outubro Revista

buscamos o fio condutor que indica a totalidade do sistema capitalista. Quando se introduz um sistema de pontos para as atividades docentes, cujo desdobramento é a transformação destes e[r]

8 Ler mais

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: ÊXITOS E DESAFIOS

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: ÊXITOS E DESAFIOS

Art. O currículo nas Escolas Municipais em Tempo Integral, respeitadas as Diretrizes e Bases da Educação Nacional e a Política de Ensino da Rede, compreenderá os [r]

149 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

O Processo Seletivo Interno (PSI) mostra-se como uma das várias ações e medidas que vêm sendo implementadas pela atual gestão da Secretaria de Estado.. Importante ressaltar [r]

123 Ler mais

VANDERLEA BARRETO DO AMARAL OS LIMITES DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO REFORÇO ESCOLAR NAS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DA REGIONAL METROPOLITANA VII DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

VANDERLEA BARRETO DO AMARAL OS LIMITES DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO REFORÇO ESCOLAR NAS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DA REGIONAL METROPOLITANA VII DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Conforme apresentado no capítulo 2, inúmeras situações foram identificadas como obstáculo para a não adesão das escolas ao Projeto. Além disso, alguns professores participantes do Reforço Escolar demonstraram não ter percepção necessária sobre a importância do Projeto como uma proposta relevante para a elevação dos resultados da escola e desenvolvimento cognitivo dos estudantes. Os alunos, por sua vez, eram convidados às aulas devido ao baixo rendimento. Para isso, a direção mandava comunicado aos pais, informando que eles permaneceriam um tempo maior na escola para aulas complementares. Em algumas unidades escolares, a divulgação foi feita por meio de convocação aos responsáveis dos alunos com baixo desempenho, com o intuito de que o gestor lhes repassasse as informações a respeito do Projeto. Entende-se que esta não é a forma mais adequada de divulgação do projeto, logo, deve ser um assunto a ser apresentado e debatido em reuniões com pais e professores. É importante que a família esteja ao lado da escola, incentivando seus filhos a frequentar as aulas regulares e também às do Reforço Escolar.
Mostrar mais

129 Ler mais

Eraldo da Silva Ramos Filho Professor de Geografia do Colégio de Aplicação - CODAP Universidade Federal de Sergipe -UFS Pesquisador do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária – NERA Doutorando em Geografia pela Universidade Estadual Pau

Eraldo da Silva Ramos Filho Professor de Geografia do Colégio de Aplicação - CODAP Universidade Federal de Sergipe -UFS Pesquisador do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária – NERA Doutorando em Geografia pela Universidade Estadual Pau

...é muito importante discernir entre produção do capital e reprodução capitalista do capital. A produção do capital nunca é capitalista, nunca é produto de relações capitalistas de pr[r]

13 Ler mais

Reforço da vigilância epidemiológica e controlo do sarampo – Normas de Orientação Clínica

Reforço da vigilância epidemiológica e controlo do sarampo – Normas de Orientação Clínica

ƒ O  médico  que  diagnostique  um  caso  de  sarampo  possível  ou  provável  deve  alertar,  de  imediato,  o  Delegado  de  Saúde  Regional  (Anexo  II  –  contactos)  da  área  de  [r]

11 Ler mais

A política fundiária do governo da Frente Popular no Rio Grande do Sul (1999-2002): diretrizes, luta política e resultados atingidos

A política fundiária do governo da Frente Popular no Rio Grande do Sul (1999-2002): diretrizes, luta política e resultados atingidos

75.. política agrária, algo que deixou de ser consensual na segunda metade do mandato, sendo questionada pela CUT rural e por outras forças políticas que integravam o governo. No âmbito[r]

36 Ler mais

OS DESAFIOS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO 9001:2008 NA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E QUALIDADE DO ENSINO DO AMAZONAS: O CASO DA ESCOLA EDUARDO RIBEIRO

OS DESAFIOS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO 9001:2008 NA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E QUALIDADE DO ENSINO DO AMAZONAS: O CASO DA ESCOLA EDUARDO RIBEIRO

- Identificar os fatores dificultadores da Certificação ISO 9001:2008 na Escola Estadual Eduardo Ribeiro, a partir da percepção de funcionários administrativos, professores, [r]

93 Ler mais

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

Esse fato realmente inovador terá, sem dúvida, enormes conseqüências, até porque as elites brasileiras têm como política anti- reforma agrária, a colonização, ou seja, a expa[r]

12 Ler mais

A educação do campo no Brasil e a construção das escolas do campo

A educação do campo no Brasil e a construção das escolas do campo

Partindo da compreensão de Educação como “processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino [r]

10 Ler mais

A lógica do pacto: do ABC paulista para Brasília — Outubro Revista

A lógica do pacto: do ABC paulista para Brasília — Outubro Revista

Como vemos, a polêmica entre os sindicalistas – que não ficou restrita aos metalúrgicos e se acirrou nos encontros da Central Única dos Trabalhadores ocorridos no período – se dava essen[r]

18 Ler mais

EDUC A ÇÃO DO CAM PO E F

EDUC A ÇÃO DO CAM PO E F

Essa iniciativa se fundamenta em debates acumulados em Uni- versidades públicas, com o Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras - CRUB, na Educação do Campo que reivindica a c[r]

215 Ler mais

O PODER DO CARIMBO: UMA ANÁLISE DA LEGISLAÇÃO, DO PERFIL E DAS RELAÇÕES QUE ENVOLVEM A INSPEÇAO ESCOLAR NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O PODER DO CARIMBO: UMA ANÁLISE DA LEGISLAÇÃO, DO PERFIL E DAS RELAÇÕES QUE ENVOLVEM A INSPEÇAO ESCOLAR NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Nesta perspectiva, observamos que, após o ingresso dos novos professores inspetores escolares na rede da Secretaria de Estado de Educação, houve um movimento de ampliação [r]

119 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Em cada um dos cadernos do Boletim Pedagógico encontramos, ainda, textos que promovem reflexões sobre a prática de ensino para os professores das duas disciplinas avaliadas[r]

107 Ler mais

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR E AS POLÍTICAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DO PROUNI THE EXPANSION OF HIGHER EDUCATION AND PUBLIC POLICIES: A STUDY OF THE PROUNI PROGRAM

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR E AS POLÍTICAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DO PROUNI THE EXPANSION OF HIGHER EDUCATION AND PUBLIC POLICIES: A STUDY OF THE PROUNI PROGRAM

Este artigo objetiva caracterizar a expansão do ensino superior brasileiro através da análise de uma política pública educacional e seus resultados, bem como comparar dados n[r]

20 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados