Top PDF Probiótico na larvicultura de matrinxã, Brycon amazonicus.

Probiótico na larvicultura de matrinxã, Brycon amazonicus.

Probiótico na larvicultura de matrinxã, Brycon amazonicus.

Nos últimos anos, tem-se intensificado o número de pesquisas relacionadas ao desenvolvimento de alimentos funcionais, ou seja, que fornecem a nutrição básica que promovem o aumento da eficiência alimentar, taxa de crescimento e melhora da saúde de peixes (OLIVEIRA et al., 2002). Dentre os alimentos funcionais destacam-se os probióticos que são suplementos alimentares compostos de microrganismos vivos que beneficiam a saúde do hospedeiro, pelo equilíbrio da microbiota intestinal (FULLER, 1989). Schrezenmeir e De Vrese (2001) consideraram que o termo probiótico deveria ser utilizado para designar preparações ou produtos que contêm microrganismos viáveis definidos e em quantidade adequada que altera, por colonização, a microbiota própria das mucosas do sistema do hospedeiro, produzindo efeitos benéficos em sua saúde. Os probióticos, em sua maioria são produtos preparados com Lactobaccillus acidophillus,
Mostrar mais

4 Ler mais

Probiótico na alimentação de juvenis de matrinxã, Brycon amazonicus: viabilidade econômica

Probiótico na alimentação de juvenis de matrinxã, Brycon amazonicus: viabilidade econômica

In recent years, fish farming in Brazil has grown rapidly, following the global trend of professionalization of this activity, similar to cattle, poultry and swine (GOMES et al., 2004). The culture of tilapia Oreochromis niloticus, carp Cyprinus carpio, tambaqui Colossoma macropomum and trout Oncorhynchus mykiss is prominent, especially in the South, Southeast and Northeast Brazilian regions (ROUTLEDGE; CASTRO, 2001). Gomiero et al. (2003) stated that, in recent years, “matrinxãBrycon amazonicus has been successfully cultivated in the southeast region of Brazil mainly for its good market acceptance and easy adaptation to captive breeding. The knowledge on artificial propagation technology and the established supply chain favors the consolidation of this activity. Currently,
Mostrar mais

5 Ler mais

Enriquecimento da alimentação das larvas de matrinxã (Brycon amazonicus) com aminoácidos: influência no crescimento inicial e sobrevivência das larvas

Enriquecimento da alimentação das larvas de matrinxã (Brycon amazonicus) com aminoácidos: influência no crescimento inicial e sobrevivência das larvas

O matrinxã (Brycon amazonicus) (SPIX & AGASSIZ, 1829) é um peixe da Bacia Amazônica, muito apreciado pela qualidade da carne e por sua esportividade na pesca. A espécie tem hábito alimentar onívoro, alimentando-se de frutos, sementes e insetos. É um peixe que, no ambiente natural, migra para reproduzir-se, depois que sai de pequenos afluentes de água preta para rios de águas brancas ou turvas, no período que antecede a desova (GOULDING, 1979). Destaca-se pelo crescimento rápido e aceitação de ração artificial. Embora a reprodução induzida do matrinxã já seja realizada com sucesso (BERNARDINO et al., 1993), ainda existem dificuldades na larvicultura, durante a alimentação inicial das larvas, especialmente na primeira semana de vida (SENHORINI et al., 1998). Esta dificuldade gera altas taxas de mortalidade e está relacionada, entre outros aspectos, ao canibalismo que chega, muitas vezes, a inviabilizar a produção. Esse comportamento tem causado prejuízo econômico para a piscicultura (SMITH & REAY, 1991).
Mostrar mais

118 Ler mais

Larvicultura de matrinxã em tanques de diferentes cores.

Larvicultura de matrinxã em tanques de diferentes cores.

Outro manejo empregado nessa fase crítica é a utilização de diferentes cores das incubadoras, para larvas de Brycon amazonicus, com in! uência na sobrevivência e canibalismo (Volpato, 2000). Para outras espécies, a cor do tanque também afeta a sobrevivência (Tamazouzt et al., 2000), o crescimento (Jentoft et al., 2006; Strand et al., 2007), parâmetros bioquímicos (Karakatsouli et al., 2007), pigmentação da pele (Amiya et al., 2005; Doolan et al., 2007), comportamento agonístico e atividade motora (Merighe et al., 2004). Além disso, a coloração do tanque pode levar a um maior contraste do alimento, o que facilita sua captura com conseqüente melhora na produtividade (Pedreira & Sipaúba-Tavares, 2001).
Mostrar mais

5 Ler mais

Respostas fisiológicas de estresse no matrinxã (Brycon amazonicus) após exercício físico intenso durante a captura.

Respostas fisiológicas de estresse no matrinxã (Brycon amazonicus) após exercício físico intenso durante a captura.

Para determinar as respostas de estresse do matrinxã após perseguição com puçá, juvenis (26,7±6,7 g) foram aclimatados em caixas plásticas e submetidos aos tratamentos: Controle (sem perseguição), Perseguição por 2 minutos, Perseguição por 5 minutos, Perseguição por 10 minutos (quatro repetições, N=8/tratamento). Amostras de sangue foram coletadas 15, 30 e 60 minutos após a perseguição para determinação do cortisol, glicose, sódio, cloreto, potássio, hematócrito, hemoglobina, número total de eritrócitos e osmolaridade. O perfil das respostas após o exercício físico dos peixes não mostrou as alterações típicas do estresse. Até 60 minutos após o estímulo, não ocorreram alterações nos níveis sanguíneos de cortisol, glicose e potássio nos peixes dos diferentes tratamentos. Os níveis de cloreto foram reduzidos 15 minutos após a natação forçada, enquanto os níveis do sódio mais baixos foram registrados 60 minutos depois. Houve redução da osmolaridade a partir dos 30 minutos após o estímulo, independente do tempo de perseguição. A natação forçada não interferiu nos indicadores hematológicos, corroborando os outros indicadores usados. Dessa forma, o exercício intenso dos peixes por até 10 minutos não foi estímulo suficiente para gerar respostas de estresse, sugerindo que o matrinxã é bastante resistente ao manejo de criação.
Mostrar mais

8 Ler mais

Respostas fisiológicas de matrinxã (Brycon amazonicus) arraçoados com diferentes níveis de vitamina C e submetidos à exposição aérea

Respostas fisiológicas de matrinxã (Brycon amazonicus) arraçoados com diferentes níveis de vitamina C e submetidos à exposição aérea

of three boxes during 60 days before the stress challenge that consisted of exposing fish to air for two minutes. Samplings were carried out for 5, 15, 30 and 60 minutes after the air exposure. Blood was collected for glucose, cortisol, total protein, sodium, chloride, hematocrit, hemoglobin determination, and white and red cell count. Liver was removed for hepatosomatic index (HSI) calculation and glycogen determination. Vitamin C did not affect the levels of cortisol, chloride, total protein, hemoglobin, leukocytes, hepatic glycogen or HSI in air exposed fish. Blood glucose levels elevation observed 60 minutes after the challenge did not depend on the levels of vitamin C, nor did the drop in serum sodium levels verified 60 minutes after stressor. In general, hematocrit did not change by effect of vitamin C but it was lower at 15 and 30 minutes after the challenge. The number of erythrocytes decreased in fish after 5 minute sampling in all treatments, especially at 30 and 60 minutes. The air exposure evoked alterations in stress indicators of matrinxã, and the vitamin C did not alter the responses.
Mostrar mais

6 Ler mais

Metabolismo antioxidativo, biotransformação hepática e alterações histológicas de matrinxã (Brycon amazonicus, SPIX & AGASSIZ, 1829, CHARACIDAE) exposto ao fenol

Metabolismo antioxidativo, biotransformação hepática e alterações histológicas de matrinxã (Brycon amazonicus, SPIX & AGASSIZ, 1829, CHARACIDAE) exposto ao fenol

O rim de matrinxã não exposto ao fenol apresentou-se revestido por uma delgada cápsula de tecido conjuntivo frouxo e uma serosa externa composta por mesotélio. O tecido renal é composto por néfrons constituídos pela cápsula renal (glomérulo e cápsula de Bowman ou cápsula glomerular), túbulo urinário e túbulos contorcidos proximais e distais. Entremeado ao rim, observou-se a presença de tecido intersticial. O corpúsculo renal é composto de cápsula glomerular constituída externa e internamente por uma ou duas camadas de epitélio pavimentoso simples e pelo glomérulo que é constituído de arteríolas aferentes que voltam a se unir formando as arteríolas eferentes. Os túbulos contorcidos proximais apresentaram os maiores diâmetros de lúmen. Eles são formados por um epitélio cúbico simples ciliado caracterizado por coloração rosa intensa (PAS positivos), que indica presença de glicoproteínas em sua constituição. Esta estrutura também é conhecida como borda em escova. As células deste epitélio apresentaram citoplasma levemente acidófilo e núcleo oval ou arredondado localizado na porção mediana da célula. Os túbulos contorcidos distais exibiram os menores diâmetros e não apresentaram borda em escova. As células e a organização do epitélio foram similares ao observado nos túbulos contorcidos proximais. O tubo urinário apresentou-se revestido por epitélio pavimentoso simples com longos cílios. O tecido intersticial é formado por tecido linfocitário e tecido hematopoiético, ou seja, células sanguíneas em processo de formação e maturação. Os rins de matrinxãs do grupo controle apresentaram estruturas tissulares normais.
Mostrar mais

175 Ler mais

RESPOSTAS BIOQUÍMICAS, GENOTÓXICAS, FISIOLÓGICAS E HISTOLÓGICAS DE MATRINXÃ (Brycon amazonicus, Spix; Agassiz 1829) EXPOSTO À CIPERMETRINA (GALGOTRIN

RESPOSTAS BIOQUÍMICAS, GENOTÓXICAS, FISIOLÓGICAS E HISTOLÓGICAS DE MATRINXÃ (Brycon amazonicus, Spix; Agassiz 1829) EXPOSTO À CIPERMETRINA (GALGOTRIN

Para compensar o aumento da permeabilidade (saída) de íons e água, algumas alterações morfofuncionais ocorreram em B. amazonicus, como hipertrofia e hiperplasia de CC, também relatada para A. dispar exposto à deltametrina por 96 horas (AL-GHANBOUSI et al., 2012). A proliferação de CC é uma resposta comum em condições de estresse e tem a função de restabelecer o balanço iônico, visto que o epitélio branquial eleva sua capacidade de reabsorção de íons (PERRY, 1997; EVANS et al., 2005). A hiperplasia de CC foi mais frequente nos animais expostos e é um mecanismo de defesa do animal, pois ela aumenta a espessura lamelar e dificulta a entrada do inseticida no organismo. Por outro lado, o aumento da “barreira água-sangue” prejudica as trocas gasosas nas brânquias, visto que a distância de difusão fica aumentada (PERRY, 1997). A dilatação dos vasos sanguíneos observada em B. amazonicus exposto ao Galgotrin ® pode ser devida ao aumento da barreira lamelar. Dessa
Mostrar mais

147 Ler mais

Intermittent sustained swimming in ‘matrinxã’ Brycon amazonicus (Bryconidae: Bryconinae): hematological and metabolic responses

Intermittent sustained swimming in ‘matrinxã’ Brycon amazonicus (Bryconidae: Bryconinae): hematological and metabolic responses

The ISS condition over 30 days was effective on the hematological profile of ‘matrinxã’ (Table 1). The number of red blood cells decreased about 30%; however but equivalent reduction of hematocrit was not observed. This frame means that the erythrocyte volume was enlarged and such enlargement must be attributed to cell swelling. This response could be due to alterations in intracellular or extracellular fluids which are usually accompanied by a redistribution of body fluids (Milligan & Wood, 1982). Considering that the total hemoglobin remained constant but the erythrocyte number decreased over the ISS followed by increase of the RBC volume, the enhancement observed in the content of hemoglobin per cell was expected. From the foregoing, the constant total blood content of hemoglobin was reflected in the unaltered mean cell hemoglobin concentration.
Mostrar mais

8 Ler mais

ESTRESSE OXIDATIVO EM MATRINXÃ, Brycon amazonicus (SPIX AGASSIZ, 1829, CHARACIDAE), EXPOSTO AO INSETICIDA PIRETROIDE KESHET

ESTRESSE OXIDATIVO EM MATRINXÃ, Brycon amazonicus (SPIX AGASSIZ, 1829, CHARACIDAE), EXPOSTO AO INSETICIDA PIRETROIDE KESHET

O uso de pesticidas, incluindo os inseticidas, herbicidas e fungicidas, pode representar um grande risco aos ecossistemas e uma ameaça potencial à saúde humana, animal e vegetal. Dentre os inseticidas piretróides comercialmente relevantes destacam-se aqueles cujo princípio ativo é a deltametrina. Esta é conhecida como sendo um piretróide (tipo II) tóxico para peixes e outros animais aquáticos, e por possuir um amplo espectro de ações nesses organismos não alvos, incluindo a indução de estresse oxidativo. O estudo do estresse oxidativo em peixes induzido por deltametrina, pode fornecer informações úteis acerca das conseqüências ecotoxicológicas do uso de inseticidas piretróides formulados a base de deltametrina. Para a realização do nosso estudo, utilizamos juvenis de Brycon amazonicus como modelo de estudo acerca dos efeitos toxicológicos da deltametrina quando presente na água, e enfatizamos os mecanismos de defesa antioxidante da espécie. Nossos objetivos foram: 1) determinar a CL (I) 50; 96h da
Mostrar mais

104 Ler mais

Interação do exercício de natação sustentada e da densidade de estocagem no desempenho e na composição corporal de juvenis de matrinxã Brycon amazonicus.

Interação do exercício de natação sustentada e da densidade de estocagem no desempenho e na composição corporal de juvenis de matrinxã Brycon amazonicus.

anteriores (ARBELÁEZ-ROJAS, 2007), que apontaram essa velocidade como benéfica para o crescimento de matrinxã. O grupo controle foi mantido sedentário em tanques com entrada de água por cano posicionado horizontalmente sobre a caixa para não criar correnteza. Mediante um sistema de recirculação, os parâmetros da qualidade da água dos tanques foram mantidos dentro da faixa dos tanques iniciais de 2000L. Para isso, a água passava através de um sistema servido por filtragem mecânica e biológica e aerada através de um sistema de difusores alimentados com soprador. A temperatura era mantida com sistema de aquecimento individual automatizado, enquanto que o pH da água foi estabilizado com conchas marinas, posicionadas na saída do filtro mecânico.
Mostrar mais

8 Ler mais

Fish mortality and lethal dose (LD

Fish mortality and lethal dose (LD

Pezzato, L.E.; Barros, M.M; Del Carratorre, C.R.; Salaro, A.L.; Oliveira, M.C.B.; Rosa, G.J.M. 2000. Avaliação do matrinxã (Brycon cephalus) mantidos sob condições de clima subtropical. In: Cyrino, J.E.P.; Moura, J.C.; Caseiro, A.C.; Sampaio, A.M.M. Anais do VIII Simpósio Brasileiro de Aqüicultura, Piracicaba, São Paulo. 417 pp.

6 Ler mais

Optimization of sustaining swimming speed of matrinxã Brycon amazonicus: performance and adaptive aspects

Optimization of sustaining swimming speed of matrinxã Brycon amazonicus: performance and adaptive aspects

Juvenile matrinxã (Brycon amazonicus) were hauled to 2000-L fiberglass tanks in a closed loop system and fed for three weeks with a commercial diet (36% crude protein - CP) under natural photoperiod for acclimation purposes. Next, fish were parted into uniform-sized groups (13.44 ± 0.1 cm; 33.33 ± 9.5 g ) and stocked into five, 250-L circular fibreglass tanks (n=20), each animal representing one experimental unit. Fish were individu- ally tagged with a microchip for posterior assessment of individual growth.

6 Ler mais

Efeitos da natação sustentada no crescimento, na densidade de estocagem e na composição corporal em juvenis de matrinxã, Brycon amazonicus. Aspectos adaptativos e respostas metabólicas.

Efeitos da natação sustentada no crescimento, na densidade de estocagem e na composição corporal em juvenis de matrinxã, Brycon amazonicus. Aspectos adaptativos e respostas metabólicas.

O matrinxã tem um porte médio podendo atingir um peso de 5 kg, um comprimento de 50 cm e um período de vida curto de 3,5 anos na natureza (SAINT-PAUL, 1986; VILLACORTA-CORREA, 1987). Geralmente apresenta uma coloração oliváceo-dourada e as nadadeiras caudal e anal avermelhadas, além de uma mancha em forma crescente, que começa na base da nadadeira caudal e não ultrapassa o inicio anal (SAINT-PAUL, 1986; FERREIRA, 1988). Os lagos de várzea e as florestas alagadas são as áreas de criação das larvas e alevinos desta espécie, onde ficam alimentando-se (ZANIBONI, 1985; LEITE, 2004). É uma espécie oportunista que possui um amplo espectro alimentar, completa seu desenvolvimento na floresta inundada aproveitando eficientemente o alimento disponível (frutos, sementes, flores, zooplâncton, restos de peixes e insetos principalmente) e depositando e acumulando grandes reservas lipoprotéicas para fins reprodutivos e de sobrevivência na época seca (PIZANGO-PAIMA, 1997; LEITE, 2004). Apresenta, porém, menos de 29 rastros branquiais no primeiro arco branquial. Essa característica morfológica indica baixa capacidade de utilizar fito e zooplânton na sua alimentação, pois seus rastros branquiais são mais grossos, em menor número e mais espaçados (FIM, 1995). É uma espécie reofílica que prefere as águas limpas e bem oxigenadas de igarapés, onde passa uma parte de seu ciclo de vida crescendo e desenvolvendo suas gônadas, para depois de algum tempo descer até o encontro das águas dos rios Solimões e Negro para desovar (ZANIBONI, 1985; VILLACORTA CORREA, 1987).
Mostrar mais

165 Ler mais

A alimentação de juvenis de matrinxã, Brycon amazonicum (Pisces, Characidae), em áreas inundadas da Ilha de Marchantaria, Amazonas, Brasil.

A alimentação de juvenis de matrinxã, Brycon amazonicum (Pisces, Characidae), em áreas inundadas da Ilha de Marchantaria, Amazonas, Brasil.

como Brycon cephalus. Entretanto, a distribuição de B. cephalus restringe-se ao alto rio amazonas no Peru e na Bolívia (Lima, 2003). As informações sobre juvenis iniciais de B. amazonicum em condições naturais são escassas, e isto ocorre porque os apetrechos utilizados na maioria dos estudos não são adequados para a sua captura, principalmente porque nas primeiras fases de desenvolvimento, os indivíduos desta espécie se encontram entre as macrófitas aquáticas.

4 Ler mais

Respostas do matrinxã ( Brycon cephalus) a anestésicos e estressores

Respostas do matrinxã ( Brycon cephalus) a anestésicos e estressores

transport is necessary in all fish farms and fish biology facilities, many drastic consequences are usually observed as fish injuries and mortality. Despite of matrinxã has shown excellent growth performance in our fish farms this species is very sensitive to hauling and transport. In this way, studies about matrinxã stress responses to hauling and transport as well strategies to ameliorate these procedures are necessary to improve this species management and consequently reduce economic losses. The present work evaluated the matrinxã stress responses to transport, and the effects of salt (NaCl) and clove oil (Eugenol) dissolved in the water used for transporting the fish. These products have been empirically indicated for transport in Brazil as good alternatives to reduce fish stress during transport. In this way, we observed clove oil could reduce some of the main physiological stress responses of matrinxã as plasma cortisol, glucose and chloride. On the other hand, salt could only reduce some secondary stress responses of matrinxã to transport, which had the main stress indicators recovered 24 h after the end of the 4 h-transport. The high energetic cost to matrinxã was evident through the decreased values of hepatic glycogen after transport. We concluded clove oil and salt can be suggested for matrinxã transport as profilatic products.
Mostrar mais

167 Ler mais

Rendimento de carcaça de peixe matrinxã (Brycon cephalus) nos diferentes cortes de cabeça.

Rendimento de carcaça de peixe matrinxã (Brycon cephalus) nos diferentes cortes de cabeça.

RESUMO Com este experimento objetivou-se avaliar o rendimento de carcaça de matrinxã (Brycon cephalus) nos diferentes cortes de cabeça, sendo o mesmo condu- zido na Estação de Piscicultura da Universidade Federal de Lavras, no mês de maio de 2001. O delineamento foi inteiramente casualizado com 2 tratamentos (corte reto da cabeça e corte oblíquo da cabeça) e 20 repetições. Os peixes foram retirados dos tanques com peso médio de 840 gramas e abatidos por choque térmico em água com

6 Ler mais

Reprodução induzida da pirapitinga-do-sul, Brycon opalinus (Cuvier, 1819), mantida em condições de confinamento.

Reprodução induzida da pirapitinga-do-sul, Brycon opalinus (Cuvier, 1819), mantida em condições de confinamento.

ABSTRACT - The objective of this study was to induce spawning in pirapitinga-do-sul, Brycon opalinus, with the application of hormones and to determine the pattern of oocyte diameter frequency distribution in females prepared to induction. One hundred and twenty spawners with 25.5 to 32.0 cm of length were placed in circular ponds of 10 m of diameter, at Estação de Aqüicultura de Paraibuna- SP of CESP. In order to determine the females apt to reproduction, samples of oocytes were obtained with plastic catheter and analysed. These oocytes were valued by colour, size, position of nucleus and oocyte diameter percentual frequency distribution. The males were selected by quality of semen. Twenty-nine females were selected and received two injections of SPE (salmon pituitary extract): the first, of 5 mg/kg and the other, of 10 mg/kg, with 12 hours of interval. The males that showed 90% of spermatic motility and 85% of life spermatozoa were selected and received 5 IU/g of hCG (human chorionic gonadotropin) when the females received the second dose. The oocytes of the 14 females that responded to the hormone treatment were gray or wine in colour, and in the females that presented high rates of fertilization, the oocyte diameter percentual frequency distribution showed mode of 1,900 mm. The average rate of fertilization was of 90% and that of hatching was 40%.
Mostrar mais

6 Ler mais

Efeitos de diferentes formulações comerciais do herbicida Roundup® sobre a função cardiorespiratória de matrinxã, Brycon amazonicus (Teleostei, Characidae)

Efeitos de diferentes formulações comerciais do herbicida Roundup® sobre a função cardiorespiratória de matrinxã, Brycon amazonicus (Teleostei, Characidae)

Em estudo sobre os efeitos do glifosato e do fungicida organofosforado Edifenphos sobre o sistema imune e a síntese protéica de tilápia-do-Nilo, El-Gendy et al (1998) descreveram que ambos causaram inibição da AChE e consequente aumento da acetilcolina em vários tecidos. A exposição ao Roundup reduziu significativamente a atividade da AChE em vários tecidos de peixes, incluindo o músculo branco e o cérebro (SANCHO et al., 2000; GLUSCZAK et al., 2006, 2007), causando acúmulo de acetilcolina e, consequentemente, estimulação de seus receptores, inibindo a atividade desses tecidos (FERNÁNDEZ-VEGA et al., 2002). Se este for o caso em B. amazonicus, a redução da atividade da AChE poderia explicar, ao menos em parte, os menores valores de f H encontrados para os grupos WG e Transorb, uma vez que a ACh ativa os receptores
Mostrar mais

92 Ler mais

Physiological stress responses in the warm-water fish matrinxã (Brycon amazonicus) subjected to a sudden cold shock

Physiological stress responses in the warm-water fish matrinxã (Brycon amazonicus) subjected to a sudden cold shock

O presente trabalho avaliou as principais respostas fisiológicas e celulares [endócrino (cortisol), metabólico (glicose), hematológico (hematócrito and hemoglobina) e celular (HSP70)] ao estresse de um peixe de águas tépidas, o matrinxã (Brycon amazonicus), quando submetido a um choque térmico frio abrupto. Essa espécie vem sendo amplamente cultivada na América do Sul por apresentar excelentes índices zootécnicos de crescimento e conversão alimentar. Entretanto, os produtores rurais encontram limitações no manejo do matrinxã, quando criado em regiões mais frias que sua região de origem, a Bacia Amazônica. Assim, o matrinxã foi submetido a um choque frio através da transferência direta dos peixes para tanques com água fria a 18°C. Após 1h, esses peixes retornaram a suas caixas de origem a 28°C. O manuseio de peixes necessário para conduzir o choque térmico experimental foi também imposto aos grupos controle, sendo, entretanto, evitada a água fria. O matrinxã demonstrou claros sinais de estresse fisiológico durante os procedimentos experimentais. Porém, essas respostas não foram associadas ao choque frio, mas sim ao choque quente por ocasião da volta dos peixes para as caixas de origem. As respostas primárias e secundárias de estresse foram evidentes através das análises plasmáticas de cortisol e glicose. Já o hematócrito, a hemoglobina e as expressões da proteína de estresse, HSP70, não foram afetadas. Nossos resultados sustentam que o matrinxã falhou em responder ao choque térmico frio, mas não ao choque térmico quente, que é um estressor evidentemente associado à origem natural dessa espécie de águas de elevadas temperaturas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados