Top PDF Produção e composição bromatológica do capim-tifton 85 (Cynodon spp.) submetido a doses de nitrogênio.

Produção e composição bromatológica do capim-tifton 85 (Cynodon spp.) submetido a doses de nitrogênio.

Produção e composição bromatológica do capim-tifton 85 (Cynodon spp.) submetido a doses de nitrogênio.

ABSTRACT. Forage yield and chemical composition of Tifton 85 bermudagrass (Cynodon spp.) subjected to nitrogen levels. The experiment was carried out in Cáceres, Mato Grosso State, Brazil, aiming to evaluate the effect of nitrogen (N) on forage production and chemical composition of Tifton 85 bermudagrass (Cynodon spp.). A randomized complete block design was used, with five treatments (0, 60, 120, 180 and 240 kg ha -1 ) and four replications in

6 Ler mais

Morfogênese e índices de crescimento do capim-tifton 85 (Cynodon spp.), sob diferentes doses de nitrogênio, colhido ao atingir 30, 40 e 50 cm de altura

Morfogênese e índices de crescimento do capim-tifton 85 (Cynodon spp.), sob diferentes doses de nitrogênio, colhido ao atingir 30, 40 e 50 cm de altura

O aumento da taxa assimilatória líquida, com o incremento das doses de N, é explicado pelo menor tempo que o capim-tifton 85 levou para atingir as alturas de corte pré-estabelecidas, pela reconstituição do índice de área, associada à maior produção de folhas totais/perfilho e menor taxa de senescência, decorrentes da adubação nitrogenada, conforme já discutidos, proporcionando assim condições para maior fotossíntese líquida. Nas doses maiores de N (100 e 133 kg de N /ha), a forrageira foi colhida com aproximadamente 25 e 28 dias de idade, respectivamente. Por sua vez, as doses mais baixas só possibilitaram cortes a partir dos 35 dias de crescimento. Outro fator que também contribuiu para menores valores de TAL nas doses mais baixas de N foi a maior senescência foliar nas plantas que receberam essas doses.
Mostrar mais

67 Ler mais

Crescimento de folhas do capim-bermuda tifton 85 submetido à adubação nitrogenada após o corte.

Crescimento de folhas do capim-bermuda tifton 85 submetido à adubação nitrogenada após o corte.

RESUMO - Com o objetivo de avaliar a influência de doses e épocas de aplicação de nitrogênio após o corte no fator de correção de área foliar, na taxa de alongamento de folhas e no comprimento e área da lâmina foliar do capim-bermuda tifton 85 (Cynodon spp) foram conduzidos dois experimentos em casa de vegetação. Ambos os experimentos foram estabelecidos em vasos com capacidade para 7 kg de terra, com solo classificado como Neossolo Quartzarênico Órtico típico, em esquema fatorial 4 × 2, para avaliação de quatro doses de nitrogênio (0, 80, 160 e 240 mg kg -1 de solo) e duas épocas de aplicação
Mostrar mais

9 Ler mais

Produtividade e composição bromatológica do capim-marandu a fontes e doses de nitrogênio.

Produtividade e composição bromatológica do capim-marandu a fontes e doses de nitrogênio.

Objetivou-se, no trabalho, avaliar o efeito de doses e fontes de nitrogênio nas características produtivas e qualitativas da Brachiaria brizantha cv. Marandu. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, em esquema fatorial 5x3x3 (5 doses de N, 3 fontes de nitrogênio e 3 cortes), com 4 repetições. As doses de N foram: 0, 50, 100, 150, 200 kg/ha/corte, com as fontes: Entec sulfonitrato de amônio + inibidor de nitrificação (dimetilpirazolfosfato), Sulfato de Amônio e Uréia, sendo os cortes realizados em novembro/2006, dezembro/2006 e janeiro/2007. As coletas foram realizadas com intervalos entre corte de 30, 30 e 34 dias onde se determinou a produtividade de massa seca, teor de proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), nutrientes digestíveis totais (NDT) e teor de clorofila. As leituras no clorofilômetro foram lineares crescentes quando se utilizaram o Entec e a Uréia, até 200 kg/ha de N e, até 174 kg/ha de N, com a utilização do Sulfato de amônio; apresentando correlação significativa com os teores de N na planta. Independente da fonte nitrogenada, a aplicação de doses crescentes de até 200 kg de N/ha/aplicação na forrageira Brachiaria brizantha cv. Marandu proporcionou incremento na produção de massa seca, melhorando a composição bromatológica por aumentar os teores de PB e NDT e, diminuição dos teores de FDN e FDA.
Mostrar mais

8 Ler mais

Efeitos de doses de sódio e nitrogênio na composição bromatológica, química e digestibilidade...

Efeitos de doses de sódio e nitrogênio na composição bromatológica, química e digestibilidade...

Não houve diferenças significativas ante o fator sal para a variável MS, como também observado por Wheller J.L. (1984), que diagnosticou que a adubação de cloreto de sódio não teve efeito no crescimento do sorgo, Weber & Sarrugé (1985a), verificaram que o NaCl afetou a MS no sentido de diminuir sua produção/ha, em cana-de-açúcar, e Chiy & Phillips (1991), utilizando 50 Kg NaCl/ha/período de experimento, verificaram que o crescimento da cultura foi aumentado, porém, esse aumento ocorreu nas quatro primeiras semanas após a aplicação de NaCl. Dois anos depois (Chiy & Phillips, 1993), os mesmos autores concluíram que o conteúdo de MS foi aumentado por adubação sódica, mas não afetada pelos níveis dessa adubação.
Mostrar mais

80 Ler mais

Adubação nitrogenada na produção e composição química do capimbraquiária sob pastejo rotacionado .

Adubação nitrogenada na produção e composição química do capimbraquiária sob pastejo rotacionado .

composição bromatológica (FDA, FDN, hemicelulose, celulose, lignina e proteína bruta) de uma pastagem de capim-braquiária (Urochroa decumbens cv. Basilisk) manejada em pastejo rotacionado. Além disso, foram avaliadas as eficiências de duas fontes de nitrogênio (sulfato de amônio e ureia) e de recuperação do nitrogênio pela pastagem. As doses de nitrogênio, como ureia no primeiro ano e ureia e sulfato de amônio no segundo ano, foram parceladas em aplicações iguais durante a estação chuvosa. Efeitos lineares foram observados para a produção de matéria seca (MS) e o teor de proteína bruta em resposta ao nitrogênio aplicado. Valores da ordem de 18 e 14 kg MS/kg N aplicado foram obtidos no primeiro e segundo ano respectivamente. Para proteína bruta, teores de 9,1 e 11,7% foram observados com a aplicação de 300 kg ha -1 de N, no primeiro e segundo ano,
Mostrar mais

7 Ler mais

PARÂMETROS PRODUTIVOS E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CAPIM TIFTON-85 DANIEL OTTONI

PARÂMETROS PRODUTIVOS E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CAPIM TIFTON-85 DANIEL OTTONI

cada. Utilizou-se um delineamento de blocos ao acaso. Os resultados foram obtidos por meio da média de três avalições realizadas em dois anos consecutivos. A produção de matéria seca digestível aumentou linearmente com o avanço da idade da planta. O mesmo ocorreu com a altura, produção de matéria verde e produção de matéria seca. Maiores idades da planta influenciaram negativamente a proteína bruta, a relação lâmina:colmo assim como o nitrogênio em detergente neutro e o nitrogênio em detergente ácido. A idade da planta não alterou as frações nitrogenadas A, B1+B2 e B3. A fração C aumentou nas idades avaliadas. A fibra insolúvel em detergente neutro e a fibra insolúvel em detergente ácido aumentaram linearmente com o aumento da idade. Intervalos de cortes mais longos aumentaram a produtividade da gramínea por corte, mas reduziram a oferta de folhas e a qualidade nutricional do Tifton-85.
Mostrar mais

32 Ler mais

Produtividade de matéria seca e composição mineral do capim-tifton 85 sob diferentes doses de nitrogênio e idades de rebrotação.

Produtividade de matéria seca e composição mineral do capim-tifton 85 sob diferentes doses de nitrogênio e idades de rebrotação.

Não existe um critério uniforme do efeito do adubo nitrogenado sobre a composição mineral da gramínea. As diferenças encontradas são atribuídas ao tipo de manejo, aos incrementos de MS e ao tipo e perfil nutricional do solo, inclusive a disponibilidade de outros nutrientes, o que pode interferir na absorção dos elementos pela planta. Além disso, existem diferenças entre espécies, fatores climáticos e técnicas analíticas empregadas para a determinação do elemento. Todos os fatores que afetam a absorção de nutrientes pela planta e o seu rendimento de matéria seca influenciam o rendimento de nutrientes, assim, pode- s e es p e r a r ma io r v a r i ab il id ad e d e r es p o s t as , comparando-se gramíneas de mesmo gênero ou da mesma espécie.
Mostrar mais

6 Ler mais

Perfilhamento, acúmulo de forragem e composição bromatológica do capim-braquiária adubado com nitrogênio.

Perfilhamento, acúmulo de forragem e composição bromatológica do capim-braquiária adubado com nitrogênio.

RESUMO - Avaliaram-se a demografia de perfilhos, a composição morfológica do pasto, o índice de área foliar (IAF), a taxa de acúmulo de massa seca de forragem (TAcMS) e os teores de proteína bruta, fibra em detergente neutro e lignina e os coeficientes de digestibilidade in vitro da massa seca de Brachiaria decumbens cv. Basilisk submetido a adubação nitrogenada (75, 150, 225 e 300 kg/ha.ano de N), em lotação contínua com taxa de lotação variável em dois anos agrícolas consecutivos. O delineamento foi em blocos casualizados, com duas repetições. No primeiro ano, a demografia de perfilhos vivos não foi alterada pelos meses de avaliação, mas, no segundo ano, foi maior nos meses de março e abril. A adubação nitrogenada promoveu resposta linear positiva na demografia de perfilhos vivos, no índice de área foliar e na taxa de acúmulo de massa seca. Maiores proporções de lâminas foliares foram constatadas em março do primeiro ano e em dezembro e janeiro do segundo ano, entretanto, as proporções de colmos no pasto não diferiram entre os meses de avaliação nos dois anos. Também foram observadas respostas lineares positivas dos teores de PB às doses de nitrogênio aplicadas em todos os meses nos dois anos. Os teores de FDN e lignina do capim-braquiária são influenciados pelos meses de avaliação e variam entre anos.
Mostrar mais

10 Ler mais

Produtividade e composição química do capim-Tifton 85 submetido a diferentes taxas de aplicação do percolado de resíduo sólido urbano.

Produtividade e composição química do capim-Tifton 85 submetido a diferentes taxas de aplicação do percolado de resíduo sólido urbano.

Para o desenvolvimento desta pesquisa, um reservatório de 5.000 L foi preenchido com RSU novo (recém-coletado), visando-se à produção de percolado. Para preenchimento do reservatório de produção de percolado, utilizou-se o RSU contido em dois caminhões de coleta efetuada na cidade de Viçosa-MG. A composição gravimétrica do RSU foi feita por quarteamento, despejando-se os resíduos sobre uma lona plástica e formando uma única pilha. O material foi espalhado e homogeneizado e, em seguida, quarteado. O componente de maior percentual no RSU foi a matéria orgânica (56,4%), seguida de papel/papelão (6,3%) e plástico fino (7,3%), constituintes que representaram 70,0% da massa total. Como o período era de baixa pluviosidade, aplicou-se, com o auxílio de um regador, água da rede de abastecimento da UFV sobre o RSU, para agilizar o início na produção de percolado. Assim, o percolado começou a ser aplicado nas parcelas experimentais após 21 dias de armazenamento do RSU.
Mostrar mais

13 Ler mais

Avaliação agronômica de fontes e doses de fósforo para o capim-Tifton 85

Avaliação agronômica de fontes e doses de fósforo para o capim-Tifton 85

Com relação ao fosfato natural Arad, CAMARGO & SILVEIRA (1998), trabalhando com vários fosfatos naturais num solo com pH ácido, verificaram que esse fosfato apresentou um índice de eficiência agronômica mais elevado que o superfosfato triplo, em dois cultivos sucessivos com milho em casa-de-vegetação. Esses autores destacaram que o fosfato natural Arad, quando aplicado em quantidades inferiores aos outros fosfatos naturais (Patos de Minas e Catalão), promoveu uma maior produção de massa seca de milho. Apontaram que isto foi devido à estrutura cristalográfica e composição química desse fosfato, as quais lhe conferem uma maior reatividade e solubilidade mais rápida. Porém, KORNDÖRFER et al. (1999), avaliando a eficiência agronômica de fosfatos naturais reativos na cultura do milho, verificaram que fosfato natural israelense Arad, apresentou um índice de equivalente em superfosfato triplo de apenas 60%, ou seja, bem inferior à fonte padrão. Resultados semelhantes foram obtidos por DANIEL et al. (1997).
Mostrar mais

96 Ler mais

Resposta do tifton 85 a doses de nitrogênio e intervalos de cortes.

Resposta do tifton 85 a doses de nitrogênio e intervalos de cortes.

RESUMO - Este experimento foi conduzido na Embrapa-Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Leite, situada em Coronel Pacheco, MG, de outubro de 1995 a outubro de 1997, para avaliar o efeito de cinco doses de nitrogênio (zero, 100, 200, 400 e 600 kg/ha/ano) e três intervalos de cortes (2, 4 e 6 semanas, nas chuvas, e 4, 6 e 8 semanas, na seca) na produção de matéria seca e teor de proteína bruta do capim tifton 85. O delineamento experimental adotado foi em blocos ao acaso, em parcelas divididas e três repetições. Nas parcelas foram alocados os intervalos de cortes, e nas subparcelas, as doses de nitrogênio. A produção anual de matéria seca do tifton 85 cresceu com a dose de nitrogênio até a aplicação de 600 kg/ha/ano, e até o intervalo de cortes de quatro semanas, nas chuvas, e seis semanas, na seca. A maior produção de matéria seca foi de 23,1 t/ha/ano, com 17,8 t/ha obtidas na época das chuvas. A menor produção foi de 2,6 t/ha/ano, sendo 1,9 t/ha alcançada nas chuvas. O teor de proteína bruta aumentou com a elevação da dose de nitrogênio até 600 kg/ha/ano, tanto nas chuvas quanto na seca, e com a redução do intervalo de cortes, na seca. Nas chuvas, não houve efeito do intervalo de cortes sobre o teor de proteína bruta. O teor máximo de proteína bruta obtido foi de 21,7%. A persistência do tifton 85 foi comprometida pela ausência da adubação nitrogenada e pelo menor intervalo de cortes. Termos para indexação: eficiência do nitrogênio, persistência, produção de matéria seca, proteína bruta.
Mostrar mais

8 Ler mais

Características de fermentação e composição químico-bromatológica de silagens de capim-tifton 85 confeccionadas com cinco teores de matéria seca.

Características de fermentação e composição químico-bromatológica de silagens de capim-tifton 85 confeccionadas com cinco teores de matéria seca.

Henrique & Bose (1992) não observaram variação nos teores de PB e N-NH 3 com o uso de ABE na ensilagem de capim-elefante e obtiveram valores superiores aos verifica- dos neste estudo. Coan et al. (2001) não notaram alteração no teor de N-NH 3 com o uso de ABE em silagens dos capins tanzânia e mombaça, apesar da redução no teor de PB. Haigh et al. (1996) verificaram manutenção do teor de PB e redução do nitrogênio amoniacal com uso de aditivo bacteriano em silagem emurchecida e revestida com lona plástica. Esses autores sugeriram um limite de 80 a 100 g/kg N como critério para silagens adequadamente fermentadas. Os valores observados neste estudo estão abaixo desse limite, com exceção das silagens não emurchecidas, demonstrando que o emurchecimento foi efetivo em inibir a proteólise.
Mostrar mais

14 Ler mais

Morfogênese e produção de fitomassa de cultivares do gênero Cynodon submetidos à doses crescentes de nitrogênio

Morfogênese e produção de fitomassa de cultivares do gênero Cynodon submetidos à doses crescentes de nitrogênio

Objetivou-se avaliar os componentes da biomassa de dois cultivares do gênero Cynodon (capim-Tifton 85 e capim-vaquero) adubados com doses crescentes de nitrogênio (N) (controle - sem nitrogênio; 200; 400 e 600 mg dm -3 ) em condições de casa de vegetação, em um delineamento inteiramente casualizado, em arranjo fatorial. No estudo do efeito da adubação nitrogenada, os capins-Tifton 85 e vaquero apresentaram para as biomassas de forragem total (BFT), de forragem verde (BFV), de lâmina foliar verde (BLV), de colmo verde (BCV), de forragem morta (BFM) e densidade populacional de perfilhos (DPP) respostas crescentes às doses de N. Observou-se maior produção de BFT, BFV, BCV e BFM para o capim-vaquero em comparação ao capim-Tifton 85 em todas as doses de N. Constataram-se maior produção de BLV do capim-Tifton 85 em relação ao capim-vaquero em todas as doses de N avaliadas. Constatou-se maior DPP do capim-vaquero em comparação ao capim- Tifton 85 para todas as doses de N. O capim-Tifton 85 apresentou maior relação LF/C em comparação ao capim-vaquero, para todas as doses de N. A adubação nitrogenada proporciona incremento na produção de forragem dos capins-Tifton 85 e vaquero. O capim-Tifton 85 mostra-se superior ao capim-vaquero na produção de biomassa foliar. O capim-vaquero apresenta maior produção de forragem total, forragem verde e colmo.
Mostrar mais

63 Ler mais

CAPIM TIFTON 85 SUBMETIDO A DIFERENTES DOSAGENS DE NITROGÊNIO E IDADES DE REBROTA

CAPIM TIFTON 85 SUBMETIDO A DIFERENTES DOSAGENS DE NITROGÊNIO E IDADES DE REBROTA

A pecuária é uma atividade de grande importância econômica para o país, representando aproximadamente 20% da economia nacional. Apresenta grande potencial produtivo pela disponibilidade de áreas, em que, no ano de 2006, as áreas destinadas à produção de pastagens foram superiores às plantações de lavouras, com 172 milhões de hectares contra 77 milhões, respectivamente (IBGE, 2007). Entretanto, a produção obtida pela grande maioria dos pecuaristas brasileiros é inferior aos padrões possíveis de serem atingidos (VITOR et al., 2009).
Mostrar mais

16 Ler mais

Crescimento do capim-tifton 85 sob doses de nitrogênio e alturas de corte.

Crescimento do capim-tifton 85 sob doses de nitrogênio e alturas de corte.

O aumento da razão de peso foliar do capim-tifton 85 decorrente da adubação nitrogenada pode ser atribuído ao crescimento mais rápido, somado às maiores taxas de aparecimento e alongamento de folhas normalmente verificadas em situações em que maiores doses de nitrogênio são utilizadas (Martuscello et al., 2005; Fagundes et al., 2006). A diminuição dos valores de razão de área foliar e razão de peso foliar com a elevação da altura do capim-tifton 85 na época de corte permite inferir que há redução no percentual de folha no pasto. Com isso, pode haver comprometimento do valor nutritivo e da estrutura do pasto (Santos et al., 2009). Nesse sentido, a colheita do capim-tifton 85 com altura inferior à avaliada neste trabalho (30 cm) constituiria, possivelmente, ação de manejo que possibilitaria a produção de forragem com características predisponentes ao maior desempenho animal, conforme sugerido por Pedreira & Tonato (2006). Contudo, ressalta-se a necessidade de testar essa hipótese com base na experimentação científica.
Mostrar mais

6 Ler mais

Produção de forragem de Tifton 85 adubado com nitrogênio e submetido à lotação contínua.

Produção de forragem de Tifton 85 adubado com nitrogênio e submetido à lotação contínua.

O presente estudo foi realizado na Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Adamantina/SP, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) – Pólo da Alta Paulista, com o objetivo de avaliar o efeito da adubação nitrogenada na composição morfológica, densidade populacional de perfilhos, índice de área foliar, interceptação luminosa e acúmulo de forragem em pastos de Tifton 85 submetidos ao regime de lotação contínua. Os tratamentos corresponderam a quatro doses de Nitrogênio (0; 100; 200 e 400kg/ha/ano de N), dispostos em delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repetições. Os pastos de cv. Tifton 85 estudados sofreram influência da época de avaliação e das doses de nitrogênio com efeito marcante na composição morfológica, índice de área foliar, interceptação luminosa e densidade populacional de perfilhos, que foram determinantes no acúmulo de forragem. Foi constatado efeito linear positivo da adubação nitrogenada na densidade de perfilhos vegetativos, perfilhos totais e acúmulo de forragem. A adubação nitrogenada teve efeito marcante na quantidade de perfilhos totais e vegetativos, no índice de área foliar, interceptação luminosa e acúmulo de forragem. O cultivar Tifton 85 não atingiu as condições necessárias para a taxa de crescimento da cultura máxima, quando manejado sob lotação contínua, em virtude do pasto ser mantido a 10cm de altura.
Mostrar mais

12 Ler mais

Produtividade de capim Tifton 85 sob irrigação e doses de nitrogênio.

Produtividade de capim Tifton 85 sob irrigação e doses de nitrogênio.

O trabalho foi conduzido em uma propriedade de atividade leiteira no município de Xambrê, região Noroeste do Paraná, no período de março de 2011 a fevereiro de 2012 com o objetivo de avaliar a produtividade e a composição botânica do capim Titon 85 com e sem irrigação sob doses de nitrogênio. As parcelas experimentais foram implantadas com delineamento de blocos ao acaso com e sem irrigação e as subparcelas por meio de quatro doses de nitrogênio: 0, 20, 40 e 60 kg ha -1 por ciclo de pastejo, com quatro repetições. A

7 Ler mais

Valor nutritivo do feno de capim-Tifton 85 amonizado com uréia

Valor nutritivo do feno de capim-Tifton 85 amonizado com uréia

O experimento foi conduzido no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa com o objetivo de avaliar a influência da umidade, do período de amonização e de doses de uréia sobre a composição químico-bromatológica e digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) do feno de capim Tifton 85. O feno do capim foi amonizado com diferentes doses de uréia (2, 4, 6, 8 e 10%) com base na matéria seca, teores de umidade (20 e 40%) e período de tratamento (30, 60, e 90 dias). O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado arranjando em um esquema fatorial 5x3x2, com 3 repetições. A uréia foi diluída em quantidade de água suficiente para elevar o teor de umidade até o nível desejado. O feno foi armazenado em sacos plásticos (2 kg/saco) vedados com fita adesiva. Ao termino de cada período experimental os sacos foram abertos e coletadas amostras para análises laboratoriais. Verificou-se aumento quadrático para os teores de nitrogênio total (NT) e nitrogênio amoniacal (N-NH 3 ) com o aumento das doses de uréia para todos os tratamentos. Os
Mostrar mais

53 Ler mais

Produção forrageira e composição bromatológica de combinações genômicas de capim-elefante e milheto.

Produção forrageira e composição bromatológica de combinações genômicas de capim-elefante e milheto.

A fertilidade do híbrido pode ser resgatada por meio da duplicação cromossômica para obtenção de hexaplóides férteis com 2n = 6x = 42 cromossomos (genomas AAA’A’BB) e novas combinações gênômicas ou raças cromossômicas podem ser obtidas com o retrocruzamento do híbrido hexaplóide com seu parental tetraploide (capim- elefante) e diplóide (milheto). Espera-se que o hexaplóide, quando cruzado com o capim-elefante, produza um híbrido pentaplóide com 2n = 5x = 35 cromossomos (genomas AA’A’BB) e quando cruzado com o milheto produza um híbrido tetraplóide com 2n = 4x = 28 cromossomos (genomas AAA’B). Embora estes cruzamentos possam ser realizados, não existem informações sobre o comportamento citogenético dos genótipos obtidos e nem sobre o potencial forrageiro dos mesmos, mas espera-se que ocorra a introgressão de características do milheto para o capim- elefante, produzindo combinações genômicas com potencial forrageiro utilizável pelo programa de melhoramento genético do capim-elefante da Embrapa Gado de Leite.
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados