Top PDF Prospecção de água subterranea por eletrorresistividade em terrenos cristalinos

Prospecção de água subterranea por eletrorresistividade em terrenos cristalinos

Prospecção de água subterranea por eletrorresistividade em terrenos cristalinos

Esta dissertação trata da prospecção de água subterrânea em terrenos cristalinos utilizando o Método da Eletrorresistividade - Arranjo Gradiente em uma dimensão (1D), desenvolvida no município de Iracema/CE. A área de estudo está inserida em terrenos cristalinos pré- cambrianos da Província Borborema e no denominado “polígono das secas”, caracterizado pelo clima semiárido, de elevados índices anuais de evapotranspiração, com chuvas mal distribuídas, o que têm contribuído para a escassez de água nessa região. Em consequência da carência de água da população, foi desenvolvido pela Superintendência de Obras Hidráulicas (SOHIDRA) um programa emergencial de captação de água subterrânea para atender a sede municipal de Iracema e as localidades de Chapada, Jurema, Mororó, Foz de Cima, Foz/Germano, Tabuleiro Alto, Serra Vermelha, Água Nova/Ema, Bom Sucesso/Ema, Sítio Bom Sucesso e Fazenda Bom Sucesso. Essa pesquisa envolveu mapeamento geológico, sensoriamento remoto, cadastramento de poços tubulares e levantamento geofísico, que resultou na locação e construção de 30 poços tubulares. Foi desenvolvido um método de Detecção de Anomalias Geoelétricas (DAGE), fundamentada na análise da geometria das anomalias geoelétricas e valores de resistividade obtidos nas curvas de campo, litologias e vazões dos poços tubulares. Foram classificados dois tipos de curvas, a primeira apresenta uma anomalia geoelétrica em “U”, exibindo dois ou mais valores de baixa resistividade e ocorrem em rochas gnáissicas do Complexo Jaguaretama, onde todos os 20 poços locados nesse tipo de curvas e litologia foram produtivos, com vazão máxima de 16m³/h. A segunda exibe uma anomalia geoelétrica em “V”, apresenta apenas um valor de baixa resistividade e ocorre nas rochas graníticas dos Plúton Pereiro e Plúton Sem Denominação, os 10 poços locados nessas curvas e litologia apresentaram baixa produtividade com vazões inferiores a 1,10 m³/h e 4 deles foram secos. Conclui-se que a correta aplicação do Método da Eletrorresistividade, seguindo os critérios previamente definidos, a exemplo de executar os perfis em áreas onde ocorrem rochas gnáissicas e seguindo uma direção paralela a sua foliação (NE-SW) cruzando assim fraturas com direção W-E, integrado ao método DAGE apresentou um alto índice de acerto (80%) nas locações, com vazão média 3,56m³/h, e que as rochas gnáissicas do Complexo Jaguaretama que ocorrem no munícipio de Iracema possui um bom potencial hídrico.
Mostrar mais

93 Ler mais

Reavaliação de critérios estruturais na hidrogeologia de terrenos cristalinos, com ênfase na neotectônica e sensoriamento remoto

Reavaliação de critérios estruturais na hidrogeologia de terrenos cristalinos, com ênfase na neotectônica e sensoriamento remoto

Nas duas últimas décadas, a relação entre estruturas e as condições de permeabilidade/porosidade de um maciço rochoso estão sendo abordadas com crescente interesse, especialmente em países do hemisfério norte, a partir de um número de contribuições multidisciplinares. Muitas dessas contribuições (ver revisão em Odling 1998, p.ex.) foram impulsionadas não apenas pela prospecção de água no cristalino, mas exatamente por um objetivo oposto – a procura de rochas cristalinas “sêcas”, impermeáveis, adequadas para o armazenamento de lixo nuclear (Carlsson & Olsson 1980-81; Almén 1994). A indústria do petróleo somou uma enorme parcela de conhecimentos, dedicada aos problemas de porosidade e permeabilidade em reservatórios fraturados (Nolen-Hoeksema & Howard 1987; Heffer & Lean 1993; Sibson 1994; Barton et al. 1997; Aydin 2000). A esses enfoques mais específicos, é acrescida a expansão de conhecimentos na Geologia Estrutural, na Neotectônica e sobre a evolução da crosta continental, de um modo mais amplo (ver diversos artigos em Hancock 1994, p.ex.). Alguns dos tópicos desenvolvidos constituem temas de ponta, cuja aplicabilidade na prática de locação ainda não foi estabelecida.
Mostrar mais

307 Ler mais

Prospecção geoeléctrica de água subterrânea no Fontão, Angeja-Portugal

Prospecção geoeléctrica de água subterrânea no Fontão, Angeja-Portugal

Lima e Barbosa (2011) no estudo: Prospecção de recursos hidrotermais em terrenos cristalinos, em Caminha, Noroeste de Portugal, usando métodos geofísicos, nomeadamente, a resistividade eléctrica associado ao método electromagnético, desenvolveram um estudo hidrogeológico desta área, tendo conseguido identificar zonas de baixa resistividade, relacionadas com o contacto entre a rocha granítica e a formação metassedimentar e/ou com a faixa deformação onde está parcialmente instalada uma ribeira. Os mesmos autores, notabilizam as vantagens dos métodos geofísicos relativamente aos métodos tradicionais de investigação do subsolo (ex.:sondagens), essencialmente devido à sua rapidez na avaliação de grandes áreas e com custos relativamente menores. As sondagens permitiram inferir a real situação geofísica e hidrogeológica das zonas e afiguram-se como as mais promissoras para a realização de sondagens mecânicas de pesquisa e eventualmente para a construção de captações definitivas, visando a revelação e exploração do recurso hidromineral.
Mostrar mais

94 Ler mais

Prospecção de água subterrânea em aqüíferos cristalinos com o emprego de métodos indiretos

Prospecção de água subterrânea em aqüíferos cristalinos com o emprego de métodos indiretos

Fisicamente, a corrente elétrica propaga-se através dos diferentes materiais dos seguintes mo- dos: eletrônico e iônico. Condução eletrônica é aquela que se verifica nos materiais que possuem elétrons livres, como é o caso dos metais ou dos sulfetos metálicos; também é o modo como se dá nos materiais semicondutores, normalmente maus condutores ou até mesmo isolantes, que possuem poucos ou nenhum caminho que possibilite a pas- sagem de corrente. Condução iônica (eletrolítica) é aquela que ocorre em um eletrólito, onde o fluxo da corrente se processa através de íons. Este modo de propagação da corrente elétrica certamente é a ma- neira de condução elétrica de maior importância nos estudos e levantamentos geofísicos de eletrorresistividade.
Mostrar mais

9 Ler mais

agu terrenos marginais

agu terrenos marginais

A Constituição de 1946 trouxe significativa mudança na matéria, pois no artigo 34 manteve os rios que banhem mais de um Estado como bens da União, mas nada falou acerca dos terrenos marginais de rios federais, estaduais ou municipais, deixando um vácuo em relação à matéria, de tal forma que poderíamos concluir que quem possuísse títulos de domínio da área seriam os seus legítimos proprietários, e nos trechos em que não houvessem proprietários, tais imóveis deveriam ser tratados na condição de terras devolutas, ou seja, de propriedade dos Estados membros.
Mostrar mais

9 Ler mais

Modelagem da Distribuição da Saturação de Água do Solo em Terrenos Complexos Baseada na Teoria de Similaridade – Proposição de Abordagem Lagrangiana

Modelagem da Distribuição da Saturação de Água do Solo em Terrenos Complexos Baseada na Teoria de Similaridade – Proposição de Abordagem Lagrangiana

Este trabalho revisa a derivação do índice de similaridade topográica que constitui a base do modelagem de distribuição hidrológica sobre terreno complexos. Exempliica-se a estimativa do índice topográico por uma abordagem lagrangiana aqui proposta, para um caso de topograia idealizada. As estimativas obtidas no teste são compatíveis com resultados alcançados por abordagens eulerianas disponíveis na literatura (Beven, 2004). A seguir, aplicou-se a metodologia a uma porção topográica da Baixada Fluminense com resultados qualitativamente comparáveis aos mapeamentos da hidrograia e áreas de risco de inundações realizadas pelo governo do Estado do RJ. Assim, as hipóteses de similaridade topográica oferecem metodologias plausíveis que podem ser empregadas em rotinas operacionais, sobretudo para análise de risco associados a um rápido transporte da água precipitada de tempestades e chuvas orográicas, sobre áreas de captação de terreno complexo.
Mostrar mais

12 Ler mais

Detecção de cavidades em arenitos utilizando gravimetria, eletrorresistividade e GPR

Detecção de cavidades em arenitos utilizando gravimetria, eletrorresistividade e GPR

Inicialmente a água aflora igualmente por toda a base do talude. Em seguida, em função da existência de pontos de maior permeabilidade, devido à granulometria do arenito ou à pequenos falhamentos, a água passa a aflorar preferencialmente por estes pontos de forma concentrada, originando nascentes. Estes fluxos de água passam a erodir o arenito que é friável, iniciando o processo de formação das cavidades (Fig. 2). Com a evolução deste processo as cavidades formadas podem aumentar bastante se transformando em cavernas, como é exemplificado pela foto 1.

14 Ler mais

Prospecção de água subterrânea no município de Novo Repartimento - PA aplicando métodos elétricos e eletromagnéticos

Prospecção de água subterrânea no município de Novo Repartimento - PA aplicando métodos elétricos e eletromagnéticos

A melhor situação de se encontrar água no domínio dessas rochas, se concentra em fraturas produzidas por variações de tensão verificadas durante os vários episódios que marcaram a historia geológica dessas rochas. As fraturas criam porosidade secundária, responsável pelo armazenamento e permeabilidade hidráulica, que controla a circulação de água nas rochas. As aberturas das fraturas geralmente são menores do que 1 mm. Em alguns casos a dissolução da sílica pode produzir aumento nas aberturas das fendas quando a água de recarga é capaz de atacar os silicatos ( Feitosa & Manoel Filho, 1999).
Mostrar mais

59 Ler mais

Prospecção de água subterrânea no sudoeste do município de Rondonópolis (MT) usando sondagem elétrica vertical

Prospecção de água subterrânea no sudoeste do município de Rondonópolis (MT) usando sondagem elétrica vertical

Desse modo, neste trabalho foi aplicada a t´ecnica da sonda- gem el´etrica vertical (SEV) para orientar a construc¸˜ao de poc¸os tubulares profundos, dada a sua comprovada eficiˆencia pa[r]

7 Ler mais

Nanocristais de celulose são os domínios cristalinos de fibras celulósi-

Nanocristais de celulose são os domínios cristalinos de fibras celulósi-

Primeiramente, uma alíquota da bactéria Gluconacetobacter xylinum (ATCC 23760, Lote 30.05, Manitol) foi replicada para uma placa de meio HS sólido estéril (Hestrim-Schramm) contendo glicose, extrato de levedura (Merck), peptona (Synth), Na 2 HPO 4 (Synth), ácido cítrico (Synth), ágar (Synth) e água milli-Q. Após o tempo de crescimento o microrganismo foi inoculado em um meio de cultura líquido estéril constituído por glicose (Synth), extrato de levedura (Merck), MgSO 4 .7H 2 O (Synth), KH 2 PO 4 (Synth), etanol e água e mantido por 24 h dentro de uma estufa com circulação de ar com temperatura constante em 28 °C. Este inóculo de microrganismo foi chamado de caldo 1. O meio de cultivo permaneceu em estufa com circulação de ar com temperatura constante em de 28 °C por 72 h para a produção de mantas hidratadas de CB com espessura média de 3,0 mm. Posteriormente, iniciou-se o procedimento de purificação, no qual as membranas de CB produzidas foram mergulhadas em água e submetidas a trocas de água cinco vezes por dia, durante 3 dias. Após as trocas de água, as membranas foram aquecidas em água à temperatura de 80 °C durante 50 min. Em seguida, para remoção das bactérias, as mantas foram submetidas a um tratamento com solução de NaOH 0,1 mol L -1 em banho-maria, à temperatura de 80 °C durante
Mostrar mais

8 Ler mais

SISTEMATIZAÇÃO DE TERRENOS PARA IRRIGAÇÃO

SISTEMATIZAÇÃO DE TERRENOS PARA IRRIGAÇÃO

A partir da análise das curvas de nível do terreno pode-se concluir que a movimentação de terra seria menor se fossem preparados três planos de sistematização. Com est[r]

47 Ler mais

TERRENOS DE MARINHA COSTEIROS

TERRENOS DE MARINHA COSTEIROS

14: Serão postos a disposição das Câmaras Municipais, os terrenos de Marinha, que estas reclamarem do Ministro da Fazenda ou dos Presidentes das Províncias, para logradouros públicos, e o mesmo Ministro da Corte, e nas Províncias os Presidentes, em Conselho, poderão aforar a particulares aqueles de tais terrenos, que julgarem convenientes, e segundo o maior interesse da Fazenda, estipulando, também, segundo for justo, o foro daqueles mesmos terrenos, onde já se tenha edificado sem concessão, ou que, tendo já sido concedido condicionalmente, são obrigados a eles desde a época da concessão, no que se procederá a arrecadação. O Ministro da Fazenda no seu relatório da sessão de 1832, mencionará tudo o que ocorrer sobre este objeto.”
Mostrar mais

126 Ler mais

Terrenos tectonoestratigráficos e/ou “Maciços”

Terrenos tectonoestratigráficos e/ou “Maciços”

de conhecimento do autor) tem sido muito forte na conceituação e na adjetivação de terrenos. O exemplo é a classificação/adjetivação de Vaugham et al. (2005) e Kearey et al. (2009), acima discuti- das. Dificilmente se encontram nas faixas móveis fanerozoicas do mundo (e muito menos ainda nas faixas móveis proterozoicas) a excelência de infor- mações preservadas – de vários campos de investi- gação – que sejam necessárias e suficientes para a utilização desta classificação detalhada, consoante exigência desses autores. Isto não desmerece a clas- sificação, mas é necessário advertir que isto torna (claramente) difícil a sua utilização, pela exigência de muitos parâmetros. A cobrança por dados evoca escala de detalhes, regiões muito bem conhecidas, o que só raramente prevalece. Esta classificação é praticamente impossível de aplicação em terrenos de médio a alto grau de metamorfismo. Os pes- quisadores que trabalham no Pré-Cambriano, em continentes gondwânicos, muito frequentemente lidando com pobreza de dados (e com muitas faixas vestigiais), na sua maioria, ficam à margem dessas classificações, pelo que elas exigem.
Mostrar mais

28 Ler mais

Preparação de azopolímeros líquido-cristalinos para a fabricação de filmes nanoe...

Preparação de azopolímeros líquido-cristalinos para a fabricação de filmes nanoe...

Uma das maiores motivações para este trabalho de dissertação foi a de verificar se azopolímeros com propriedades líquido-cristalinas podem ter propriedades semelhantes às de azopolímeros amorfos, uma vez que ainda há na literatura controvérsia sobre os mecanismos de fotoisomerização e formação de grade de relevo em sistemas líquido-cristalinos. Talvez o fato mais importante seja a dificuldade do transporte de massa em larga escala, essencial para se produzir grades de relevo, em filmes de azopolímeros líquido-cristalinos. Por isso, nesta dissertação se investigou tanto as propriedades de birrefringência fotoinduzida quanto a fabricação de grades de relevo com os dois azopolímeros sintetizados, i.e. 4D e 7D. Para tal, foram obtidos filmes LB e cast, numa tentativa de averiguar possível dependência das propriedades ópticas com a estrutura do filme.
Mostrar mais

101 Ler mais

Os Terrenos de Marinha e a Reforma Administrativa

Os Terrenos de Marinha e a Reforma Administrativa

Com efeito, já em 1942, uma comissão então nomeada Pelo Governo para estudar o problem a da enfiteuse sob suas ersas modalidades, da qual faziam parte nomes como os de rosimbo Nonato, Hannemann Guimarães, recomendava, em as conclusões, a extinção dos aforamentos de terrenos de mJ ' nha. por se tratar de atividade deficitária (Alfredo de Al- 0,9 Paiva, Rev. de Dir. Adm., vol. VIII, págs. 514 e seguintes). te se> já àquela época, segundo estudos procedidos, os t0srenos de marinha proporcionavam rendas inferiores aos gas- emhCom a manutenção dos respectivos serviços, hoje, muito ess °^a P °ucos aforamentos se tenham constituído de então a
Mostrar mais

30 Ler mais

Processamento sol-gel de pós bioativos vítreos e cristalinos

Processamento sol-gel de pós bioativos vítreos e cristalinos

caracterizados por calorimetria exploratória diferencial e termogravimetria (DSC / TG), difração de raios X (DRX), espectroscopia infravermelho com transformada de Fourier (IVTF), microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia por dispersão de energia (EDS) e quanto à bioatividade in vitro. Com a simples alternância desses precursores, as etapas principais da síntese foram significantemente influenciadas, começando pelo tempo de formação dos géis. A influência mais marcante desses precursores no processo de síntese foi verificada durante a realização de tratamentos térmicos entre 700 e 1200 °C para a conversão dos géis em materiais cerâmicos. Nesse caso, as amostras exibiram comportamento de mineralização muito diferenciado, principalmente aquelas preparadas com a utilização do ácido fosfórico. Mas, apesar disso, todos os materiais se mostraram bioativos em testes in vitro. A bioatividade dos materiais aqui desenvolvidos foi influenciada pela temperatura de tratamento térmico e, no caso dos materiais cristalinos, também pelas fases existentes. Em relação aos materiais vítreos, a bioatividade diminuiu com a temperatura de estabilização dos géis. Para os materiais cristalinos, a bioatividade in vitro foi favorecida pela presença das fases wollastonita (CaSiO 3 ) e alfa-fosfato tricálcio ( α-Ca 3 (PO 4 ) 2 ), e pela
Mostrar mais

137 Ler mais

Detecção de contaminação de solo por vinhaça através de análise de dados de eletrorresistividade.

Detecção de contaminação de solo por vinhaça através de análise de dados de eletrorresistividade.

As linhas TQ-01, TQ-02, TQ-03 e TQ-08, todas com 180 me- tros de comprimento, cobrem tamb´em a ´area interna do tanque de infiltrac¸˜ao e permitem visualizar o contraste de condutividade dentro e fora do mesmo. A nomeac¸˜ao das linhas foi feita de forma que o n´umero posterior `a sigla TQ indique a distˆancia em metros da linha referˆencia TQ-00 multiplicado por um fator 10 (Fig. 2). Estas linhas foram planejadas com o objetivo espec´ıfico de veri- ficar a presenc¸a de anomalias decorrentes da disposic¸˜ao direta de vinhac¸a no solo e, por conseq¨uˆencia, avaliar a eficiˆencia do m´etodo da eletrorresistividade.
Mostrar mais

12 Ler mais

Prospecção. Sistema de Prospecção de Clientes Manual do Usuário. versão 1

Prospecção. Sistema de Prospecção de Clientes Manual do Usuário. versão 1

A tecla TAB salta para o próximo campo, e a tecla ENTER, quando o cursor não estiver sobre uma área de texto, serve para confirmar todos os dados (ou seja, tem o mesmo efeito que [r]

12 Ler mais

Validação de Técnicas de Prospecção Geoeléctrica para a Detecção de Água Subterrânea em Rochas Vulcânicas na Ilha Terceira, Açores

Validação de Técnicas de Prospecção Geoeléctrica para a Detecção de Água Subterrânea em Rochas Vulcânicas na Ilha Terceira, Açores

O efeito da resistividade lateral deve – se provavelmente à heterogeneidade dos diferentes tipos de basalto das camadas não saturadas até à saturada, conforme é indicado no log, e à falha da Ribeira da Areia localizada perto das sondagens eléctricas verticais conforme apresentado na Figura 3.1 do caso de estudo I. O efeito da resistividade lateral está a afectar todas as sondagens eléctricas verticais que constituem o modelo hidrológico da Zona A do caso de estudo I, uma vez que estão correlacionadas, indicado a mesma massa de água subterrânea ao nível piezométrico de sensivelmente 300 m.
Mostrar mais

110 Ler mais

Visualização de terrenos em tempo real

Visualização de terrenos em tempo real

Para avaliar o desempenho das diferentes versões do algoritmo desenvolvido no âmbito desta dissertação, foram efectuados diversos testes sendo aqui analisados os resultados obtidos. Foram implementadas as três versões do algoritmo desenvolvido no âmbito desta dissertação. Para efeitos de comparação foram seleccionados os algoritmos de Lindstrom et al. [22], de Röttger et al. [29] e o ROAM [8], apresentados no capítulo 4 - Algoritmos de Visualização de Terrenos em Tempo Real - (Estado da Arte), uma vez que dentro dos algoritmos que operam sobre grelhas regulares são os mais referenciados pela comunidade científica. Todos eles foram testados em condições tão semelhantes quanto possível.
Mostrar mais

170 Ler mais

Show all 9186 documents...