Top PDF Psoríase pustulosa da infância: relato de caso.

Psoríase pustulosa da infância: relato de caso.

Psoríase pustulosa da infância: relato de caso.

Resumo: A psoríase pustulosa generalizada é tipo raro de psoríase descrita pela primeira vez, em 1910, por Von Zumbusch. A psoríase pustulosa generalizada na criança tende a ter um curso mais benigno que no adulto, entretanto, em sua forma grave, pode por em risco a vida do paciente. Talvez, pela raridade da doença, nenhuma opção terapêutica se mostrou consistentemente eficaz e segura até o momento. Relatos isolados sugerem ser o retinoide a droga de escolha nesses casos, porém trata-se de fármaco que, na primeira infância, traz mais dificuldades no manejo. Relata-se exemplo dessa rara doença em lactente, quadro extenso e grave, com resposta satisfatória ao uso de dapsona, com boa tolerabilidade.
Mostrar mais

4 Ler mais

Lúpus eritematoso sistêmico bolhoso na infância: relato de caso.

Lúpus eritematoso sistêmico bolhoso na infância: relato de caso.

vesicobolhosa generalizada, não cicatricial, confinada ou não a áreas fotoexpostas, semelhante ao penfigóide bolhoso ou à dermatite herpetiforme. Apresenta prefe- rência por tronco e região supraclavicular e pode ou não acometer mucosas. Histopatologicamente, apresenta-se como bolha subepidérmica com infiltrado inflamatório neutrofílico. A imunofluorescência direta mostra depósi- to linear ou granular de IgG, IgA, e C3 na zona da mem- brana basal. Relata-se caso de lúpus eritematoso sistêmi- co bolhoso na infância como primeira manifestação clí- nica de LES. Destaca-se sua raridade e a idade precoce do acometimento, com menos de três casos semelhan- tes na literatura. 4-7
Mostrar mais

5 Ler mais

Tumor de células granulares da laringe na infância: relato de caso.

Tumor de células granulares da laringe na infância: relato de caso.

O tumor de células granulares (TCG) é uma neoplasia incomum, de evolução lenta, na maioria dos casos de caráter benigno e que pode acometer qualquer órgão do corpo. Entre as hipóteses que tentam explicar sua origem, a teoria da gênese neural apresenta embasamento sólido e é a mais aceita atualmente. O TCG é mais comum na raça negra, entre a 4ª e 5ª décadas de vida, acometendo com maior freqüên- cia a região da cabeça e pescoço. A localização laríngea é rara, e quando ocorre é mais comum na porção posterior. É muito raro em crianças em geral acomete a porção anterior da subglote, podendo estender-se para a glote. O sintoma predominante é a rouquidão, podendo ocorrer disfagia, dor, tosse, hemoptise, e estridor. Macroscopicamente o TCG se manifesta como nódulo de pequeno tamanho, firme, séssil ou pediculado, não-ulcerado, de coloração clara, e usualmente bem circunscrito, porém sem cápsula. À microscopia, as granulações citoplasmáticas são características, apresentando positividade para a imunoperoxidase S100 e para a enolase neurônio-específica. O tratamento do TCG laríngeo consiste na exérese cirúrgica. Neste trabalho descrevemos um caso pediátrico de TCG laríngeo e sua evolução clínica após a remoção cirúrgica, alertando para o diagnóstico do TCG na população pediátrica. Foi realizada revisão de literatura abrangendo as características clínicas e histopatológicas do TCG, assim como as formas atuais de tratamento.
Mostrar mais

6 Ler mais

Policondrite recidivante na infância: relato de caso e revisão da literatura

Policondrite recidivante na infância: relato de caso e revisão da literatura

A raridade da PR na faixa etária pediátrica despertou nosso interesse para a descrição deste caso. Os comprometi- mentos sistêmico e da cartilagem das vias aéreas superiores foram determinantes da gravidade do quadro clínico deste paciente. No entanto, a instituição precoce do tratamento possibilitou a pronta recuperação, mas não foi capaz de impedir a recorrência do processo inflamatório, caracterís- tico dessa doença (3) .

5 Ler mais

Gliomatose cerebral na infância com evolução favorável: relato de caso.

Gliomatose cerebral na infância com evolução favorável: relato de caso.

se encontrou descrição de casos com evolução favorável. Em 2007, foi descrito por Maton et al. estudo sobre cirurgia de epilepsia em crianças com crises intratáveis e que obtiveram melhora da epilepsia após a cirurgia. O intervalo do estudo, retrospectivo, foi de 16 anos, em um serviço de referência mundial (The Brain Institute, Miami Children’s Hospital). Em 741 crianças com crises convulsivas intratáveis, apenas qua- tro eram portadoras de gliomatose cerebral (0,5% em um grupo de crianças doentes), o que reforça a raridade da doen- ça 13 . Em 2001, foi descrito caso de criança de 10 anos de idade
Mostrar mais

4 Ler mais

Meningioma do terceiro ventrículo na infância: relato de caso.

Meningioma do terceiro ventrículo na infância: relato de caso.

desenvolvimento das modernas técnicas de neuroimagem, neuroanestesia e microcirurgia, atualmente estes tumores podem ser abordados através de procedimentos cirúrgicos que acarretam taxas mínimas de morbidade e mortalidade. Estes tumores podem ser abordados através de um dos vários acessos ao terceiro ventrículo, sendo a escolha da via dependente da localização exata e extensão da lesão, sua relação com as cisternas basais, espaço subaracnóideo, corpo caloso e sistema ventricular, bem como da experiência pessoal do cirurgião com determinado acesso. Neste caso, escolhemos a abordagem transcalosa interfornical, levando em consideração que a lesão se localizava exclusivamente no sistema ventricular, no terceiro ventrículo, sem qualquer extensão para região supra-selar, estendendo-se até o corpo caloso, abaulando-o, e obstruía os forames de Monro, provocando hidrocefalia, o que facilitaria a abordagem escolhida. A escolha da via, diante dos achados intra-operatórios e da evolução da paciente, mostrou-se bastante adequada. Além das complicações próprias dos procedimentos neurocirúrgicos, uma série de outras são associadas especificamente a esta abordagem, como amnésia transitória, mutismo, dificuldades de fala e síndrome de desconexão, entre outras 4,15 .
Mostrar mais

4 Ler mais

Psicose orgânica na infância: relato de um caso incomum.

Psicose orgânica na infância: relato de um caso incomum.

bastante gratificantes, na evolução dos pacientes. O caso que será descrito a seguir é um exemplo do que foi dito acima.. criança ativa, alegre, comunicativa e de comportamento adequado.[r]

6 Ler mais

Extenso meningioma atípico na infância: relato de caso.

Extenso meningioma atípico na infância: relato de caso.

RESUMO - Meningiomas são raros na criança e pequeno número de casos foi publicado até hoje. Eles são tumores tipicamente indolentes, mas, podem apresentar comportamento mais agressivo na infância. A conduta ideal é a cirurgia com ressecção completa do tumor. Na impossibilidade da remoção cirúrgica completa do tumor, as opções de tratamento são reduzidas. Nosso objetivo é descrever um caso de meningioma atípico na infância em menina de três anos, e sua evolução.

4 Ler mais

Complicação orbitária pós Rinossinusite na infância: um relato de caso

Complicação orbitária pós Rinossinusite na infância: um relato de caso

No caso da paciente, que preenchia bem es- ses critérios, a cirurgia de urgência fica ainda mais evidenciada, o que reafirma a necessidade de se solu- cionar o caso adequadamente para impedir as suas complicações. Só houve melhora da paciente após a drenagem cirúrgica. Além disso, os resultados dos exames de imagem revelaram ao exame radiológico simples dos seios nasais, seio frontal assimétrico com velamento etmoidal bilateral em maxilar direito, nív- el hidroaéreo no antro maxilar esquerdo e desvio de septo nasal. O exame tomográfico de crânio, órbita e seios paranasais identificou desvio de septo nasal im- portante ao nível do complexo óstiomeatal esquerdo, hipertrofia de cornetos inferiores e sinal de acometi- mento total dos seios maxilares e etmoidais.
Mostrar mais

7 Ler mais

Metástases intrarraquidianas de glioblastoma multiforme supratentorial da infância: relato de caso.

Metástases intrarraquidianas de glioblastoma multiforme supratentorial da infância: relato de caso.

poro-parietal, no caso aqui discutido é habitual, mas a recaída longe do sítio primário e, principalmente, a recaída no canal raquidiano, poderia até ser uma forma de progressão natural da doença se o óbito não fosse tão precoce. A recaída isolada em topogra- fia intrarraquidiana é extremamente rara, principal- mente na ausência de lesão simultânea no sítio pri- mário. Muito provavelmente, ocorreu disseminação liquórica para o canal raquidiano, durante o trata- mento da neoplasia supratentorial. Embora não te- nhamos avaliado o neuroeixo ou realizado a punção liquórica ao diagnóstico, questionamos se seja ver- dade que um GBM não afete o neuroeixo, ou que a presença de células neoplásicas no líquor não seja uma indicação de radioterapia do canal espinal.
Mostrar mais

4 Ler mais

Edema agudo hemorrágico da infância: relato de caso e comparação com meningococcemia

Edema agudo hemorrágico da infância: relato de caso e comparação com meningococcemia

A intervenção precoce se caracteriza por duas ações: fluidoterapia agressiva e antibióticoterapia. A fluidoterapia, como já mencionado, deve ser iniciada quando houver suspeita de doença meningocócica e/ou sinais de choque. O tratamento inicial e de emergência deve incluir bolus repetidos de 20 ml/kg de cristaloides isotônicos ou colóides até que o caso se resolva. Essas crianças chegam a necessitar de 100 a 200 ml/kg de volume. A importância desse tratamento é tal que para cada hora de atraso no tratamento há aumento de pelo menos duas vezes na mortalidade 3,4 .
Mostrar mais

7 Ler mais

Tratamento cirúrgico de estrabismo restritivo adquirido na infância: relato de caso.

Tratamento cirúrgico de estrabismo restritivo adquirido na infância: relato de caso.

Devido à complexidade desse tipo de caso, por ter alto potencial ambliopigênico e a dificuladade do tratamento cirúrgico, é de fundamental importância a avaliação conjun- ta e multidisciplinar entre estrabólogos e cirurgiões de órbita desde o início do processo, visando a um melhor resultado funcional e estético, com a menor exposição possível do paciente a procedimentos cirúrgicos.

4 Ler mais

Psoríase pustulosa linear X Nevil: relato de caso

Psoríase pustulosa linear X Nevil: relato de caso

In the case described here, components favor- ing diagnosis of LPP were: patient age, unilateral and preferentially left side distribution, absence of previ- ous nevic lesions, present o[r]

4 Ler mais

Psoríase pustulosa linear X Nevil: relato de caso.

Psoríase pustulosa linear X Nevil: relato de caso.

enfermidade de influência poligênica, para que ocorra sua expressão é fundamental que outros fatores des- conhecidos estejam presentes, incluindo possivelmen- te determinantes ambientais. Ao propor esse conceito, o autor sugere que ele possa servir como explicação plausível para as seguintes características encontradas na psoríase linear: (I) não-hereditariedade, (II) padrão de distribuição linear correspondente a muitos outros distúrbios em mosaico observados, (III) possibilidade de coexistência entre a forma comum e a linear, (IV) razão de as lesões psoriáticas serem mais proeminen- tes na forma linear do que na vulgar. 15
Mostrar mais

4 Ler mais

Síndrome de Horner na infância: relato de caso.

Síndrome de Horner na infância: relato de caso.

O intuito deste é apresentar um caso raro de síndrome de Horner na infância. Trata-se de uma criança do sexo masculino, com idade de 2 anos e 1 mês, que apresentava desde o nascimento ptose palpebral, miose e anidrose da hemiface esquerda. A instilação de fenilefrina 2,5% provocou midríase, com pupilas isocóricas, confirmando o diagnóstico. A história e o exame clínico auxiliam a localizar o nível da lesão e a estabelecer a etiologia do quadro.

3 Ler mais

Psoríase pustulosa da gestação (impetigo herpetiforme): relato de dois casos e revisão da literatura.

Psoríase pustulosa da gestação (impetigo herpetiforme): relato de dois casos e revisão da literatura.

lamento, é a medida por vezes necessária na profilaxia de infecção secundária, como também por comoção na enfermaria obstétrica entre as outras pacientes, receosas de possível contami- nação. O serviço de psicologia hospitalar poderá atuar em interconsulta e em atendimento indivi- dualizado à paciente, ajudando-a a compreender a natureza da dermatose (raridade e processo terapêutico), suas implicações (prognóstico fetal, possibilidade de interromper eletivamente a ges- tação pré-termo e potencial reprodutivo futuro) e a dinâmica na enfermaria (minimizar o efeito de possível isolamento, conscientizar as outras pa- cientes da etiologia não infecto-contagiosa da doença). Ademais, trabalhar o estresse oriundo no desequilíbrio do mecanismo saúde – doença pode trazer benefícios no prognóstico final da doença, vez que pode o estresse deflagrar a psoríase e pio- rar seu quadro 9 .
Mostrar mais

7 Ler mais

Psoríase pustulosa desencadeada pelo uso de corticoide sistêmico

Psoríase pustulosa desencadeada pelo uso de corticoide sistêmico

O tratamento da psoríase pustulosa anular depende da severidade da doença, sendo relatados bons resultados terapêuticos com ciclosporina, metotrexate, dapsona, acitretina e, mais recentemente, com imunobiológicos 8,9,10 . No caso relatado, optou-se pela introdução do imunobiológico, já que a paciente não teve melhora efetiva do quadro, na vigência de dose máxima de acitretina, droga de escolha no tratamento da psoríase pustulosa, além da persistência de sintomas articulares. Com a utilização do adalimumabe, observou-se excelente resultado terapêutico, com manutenção da remissão do quadro clínico cutâneo e articular 24 meses apos a sua introdução.
Mostrar mais

7 Ler mais

JÚLIO CÉSAR MEIRELES DE FREITAS PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA COORDENADORIA DISTRITAL DE EDUCAÇÃO DO AMAZONAS

JÚLIO CÉSAR MEIRELES DE FREITAS PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA COORDENADORIA DISTRITAL DE EDUCAÇÃO DO AMAZONAS

Antes do detalhamento dos requisitos do SQG ISO 9001, chama-se a atenção, primeiramente, para duas questões que precisam ser relembradas nesse processo de certificação pelo qual a CDE7 vem passando. A primeira questão refere-se à padronização de práticas relacionadas à qualidade dos produtos e serviços. No caso da Coordenadoria, os requisitos estão voltados para a melhoria da prestação de serviço, não existindo, portanto, nenhuma relação com a produção de produtos conforme destaca a Norma. Ao mesmo tempo, sempre que houver alguma inferência sobre produção de produtos ligados à Norma, terá a conotação de prestação de serviços.
Mostrar mais

126 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA SUÊNIA DOS SANTOS FRANCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA SUÊNIA DOS SANTOS FRANCO

Visitei a escola nos períodos de 24 a 28 de agosto, no turno matutino, e de 14 a 18 de setembro de 2015, no turno vespertino, não apenas para o levantamento dos dados iniciais e para ter acesso a alguns documentos da escola – como o Projeto Político Pedagógico –, mas, também, para compreender as relações que se configuram no espaço escolar, através de observações no campo de pesquisa. Assim, é apresentado o relato de duas tardes do trabalho realizado pelo gestor, uma manhã do trabalho realizado pela pedagoga deste turno, que será chamada de pedagoga A, e uma tarde de outra pedagoga do mesmo turno, que será chamada de pedagoga B, bem como dois dias de cada semana destinados a observar os docentes de seu respectivo turno de modo geral, isto é, conversas que se realizavam principalmente na sala dos professores.
Mostrar mais

98 Ler mais

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

Esta pesquisa objetiva tratar do Processo de Prestação de Contas das Unidades Escolares subordinadas à Regional Metropolitana V, setor administrativo regional da Secretaria de Educação do estado do Rio de Janeiro (SEEDUC-RJ). Os recursos financeiros estaduais repassados às unidades escolares são destinados à manutenção e merenda, e os gestores escolares devem ter atenção quanto à sua origem, para a devida aplicação. A partir do momento que os recursos são repassados, há a necessidade da prestação de contas destes recursos por parte dos gestores das unidades escolares. Muitas vezes, entretanto, existem situações que acabam por dificultar uma prestação de contas com transparência e responsabilização. Nestes termos, este estudo tem como objetivo principal problematizar quais questões administrativas dificultam ou inviabilizam a prestação de contas por parte dos gestores nos prazos estipulados pela SEEDUC. Como objetivo geral esta dissertação pretende identificar as principais causas administrativas que levam os gestores escolares da Regional Metropolitana V a não cumprirem o prazo determinado para prestarem contas dos recursos financeiros estaduais. Este estudo caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa, especificamente inserindo-se nas diversas possibilidades de abordagem, em um estudo de caso. No intuito de instrumentalização teórico-metodológica foi apresentada uma discussão teórica de conceitos da área da administração pública e escolar, tais como Descentralização, Administração Pública, Gestão Escolar, Transparência, Responsabilização, Accountability e Autonomia. Em seguida, foi realizada a coleta de dados através de entrevistas semiestruturada a gestores de quatro unidades escolares subordinadas à Regional Metropolitana V. A partir dos resultados da análise, que direciona a apreensão de que na maioria dos casos a inadimplência é decorrente de uma excessiva burocracia nos processos de prestação de contas, é proposto, por fim, um Plano de Ação Educacional que oriente os gestores nos processos de prestação de contas, no intuito de tornar este procedimento o mais célere e eficiente possível. Este Plano de Ação está orientado por duas frentes de trabalho, uma de proposição à SEEDUC e a outra de ações específicas da própria Regional – Implantação do Programa de Formação Financeira/PFF, implantação do Painel de Acompanhamento e visitas às unidades escolares.
Mostrar mais

120 Ler mais

Show all 10000 documents...