Top PDF Qualidade de água em fontes alternativas de abastecimento na chapada do Araripe, CE.

Qualidade de água em fontes alternativas de abastecimento na chapada do Araripe, CE.

Qualidade de água em fontes alternativas de abastecimento na chapada do Araripe, CE.

A maioria das estações de tratamento encontra-se trabalhando acima de sua capacidade e requerendo um Foi empreendido um estudo sobre qualidade de água no meio rural, no sul do Ceará (Chapada do Araripe), Nordeste brasileiro. A investigação ocorreu em duas localidades inseridas numa região denominada semiárido brasileiro (SAB). Esta é caracterizada por elevada incerteza climática no que tange à regularidade e intensidade de precipitações, e associada a altas taxas de evaporação. Assim, é característico na região o déficit hídrico, em maior ou menor grau, com comprometimento do progresso socioeconômico. Urge então a busca por fontes alternativas de água, com destaque para a captação e armazenamento deste recurso em cisternas. O estudo teve caráter indutivo, com enfoque quali-quantitativo, compreendendo período de agosto de 2012 a janeiro de 2013. O local objeto da investigação compreendeu as comunidades rurais difusas Barreiro Grande e Matinha, situadas no setor centro-sul da Chapada do Araripe, Ceará. Estas comunidades eram abastecidas por água proveniente de cisternas e barreiro. O estudo mostrou que as fontes alternativas de abastecimento de água – it est, cisternas - apresentaram restrições higiênico-sanitárias, qualificadas com padrão insatisfatório para assegurar seu uso para consumo humano. O combate à escassez hídrica deve ser acompanhado de ação de controle da qualidade da água.
Mostrar mais

7 Ler mais

Assembleias de briófitas em florestas úmidas da chapada do Araripe, CE : montagem de comunidades e potencial bioindicador

Assembleias de briófitas em florestas úmidas da chapada do Araripe, CE : montagem de comunidades e potencial bioindicador

qualidade ambiental em localidades com dominância de babaçu, causando perda de espécies e de grupos funcionais. Para a composição de espécies a perturbação mascara o efeito dos fatores ambientais e estrutura a composição florística principalmente nos dois extremos. Desta forma, esta pesquisa demonstra o potencial negativo das perturbações antrópicas para a qualidade ambiental da floresta, visto através de seus efeitos para briófitas, que são plantas sensíveis as alterações ambientais. Em suma, os dados apresentados podem contribuir em planos de ação para os gestores das unidades de conservação da região, como, assim como para os grupos de pesquisas que atuam na conservação das espécies ameaçadas da região. Como implicações para a conservação da floresta úmida da Chapada do Araripe, sugere-se maior investimento de recursos humanos e capital para minimizar o impacto do extrativismo da palmeira de babaçu através de práticas sustentáveis que garantam maior produtividade para a população e simultânea preservação da floresta; o manejo das populações de babaçu, de forma a evitar a sua hiperdominância na região; além de maior proteção dos recursos hídricos, implementando sistemas que mantenham o curso natural da água, ao menos, dentro da floresta. Futuras investigações em sistemas ecológicos frágeis, como os encraves úmidos inseridos em regiões semiáridas, devem considerar os tipos de perturbações antrópicas crônicas e agudas que podem atuar de forma sinérgica sobre a composição de espécies de plantas, bem como a interação destes com as condições abióticas da região, visto que a população humana pode exercer fortes pressões sobre este tipo de floresta.
Mostrar mais

144 Ler mais

Epidemiologia do tracoma em povoado da chapada do Araripe - CE.

Epidemiologia do tracoma em povoado da chapada do Araripe - CE.

O povoado de Simão pertence ao município de Porteiras- Ceará, pequena cidade situada a 420 km ao sul da capital For- taleza. Localiza-se na chapada do Araripe, a 11 km do centro de Porteiras, possuindo uma população de 613 habitantes, dos quais 304 mulheres e 309 homens, sendo sua grande maioria (80,0%) parda e negra, apresentado a agricultura como princi- pal atividade de trabalho. Apresenta 263 edificações, sendo 151 de tijolos. O abastecimento público de água é feito de ma- neira irregular em 61,5% das casas, sendo os 38,5% restantes feitos através de poços ou nascentes. A rede de energia elétrica chega a 91,7% do povoado (12) .
Mostrar mais

5 Ler mais

ANÁLISE BACTERILÓGICA DA ÁGUA DE ABASTECIMENTO DA ZONA URBANA E RURAL DE CARIRIAÇU-CE

ANÁLISE BACTERILÓGICA DA ÁGUA DE ABASTECIMENTO DA ZONA URBANA E RURAL DE CARIRIAÇU-CE

Introdução: A água é indispensável para a vida humana e animal, é fonte de vida, porém um recurso finito, vulnerável e escasso em quantidade e qualidade, apresentando grande importância para a sustentabilidade socioeconômico dos países. Objetivos: avaliar a qualidade bacteriológica da água que abastece a zona urbana e rural da cidade de Caririaçu, Ceará. Materiais e Métodos: foram coletadas 1 amostra do manancial, 10 de residências da zona urbana e 03 de poços profundo, totalizando 14 amostras coletadas em frascos de vidro borosilicato estéreis. Foi realizado o método de tubos múltiplos para quantificar coliformes totais e termotolerantes, onde essas amostras foram inoculadas em caldo lactosado, seguido de repique para caldo verde brilhante bile e caldo Escherichia coli. Para a contagem de heterotróficos foi realizado plaqueamento em superfície em meio Ágar PCA com posterior contagem das colônias. Resultados e Discussão: Com base nas análises realizadas foram obtidos resultados positivos para coliformes totais e heterotróficos em 100% das amostras, sendo verificado maior nível de contaminação no manancial que abastece a zona urbana, apresentando 70.000 NMP/100mL de coliformes totais. Entre as amostras coletadas das casas, apenas uma foi positiva para coliformes ter motolerantes, assim estando em desacordo com a portaria 2.914 preconizada pelo Ministério da Saúde Conclusões: Com os resultados obtidos foi possível observar a presença de contaminantes na água do município estudado, sendo assim necessário que haja a conscientização das autoridades e população sobre os processos de tratamento da água, manutenção das tubulações e limpeza das caixas de água, assim como na manutenção correta de poços onde são coletadas as águas na tentativa de evitar contaminação e prevenir doenças.
Mostrar mais

5 Ler mais

Controlo da qualidade da água em rede de abastecimento público

Controlo da qualidade da água em rede de abastecimento público

De forma resumida, em relação à implementação do PCQA, qualquer entidade gestora terá de passar por cinco fases: começa por “criar” e dar a conhecer o plano, para ser aprovado pela entidade reguladora; implementação do PCQA (proceder à sua implementação, sendo que qualquer alteração deve ser comunicado à ERSAR); incumprimentos (em relação aos valores paramétricos estabelecidos, devem ser comunicados nos prazos estabelecidos à AS e a ERSAR, tendo de investigar as causas e adotar medidas corretivas); autoridade de saúde (se for encontrado risco significativo para a saúde pública, a AS pode definir medidas corretivas, em colaboração com a entidade gestora); e comunicação dos resultados (as entidades gestoras devem comunicar à autoridade competente os resultados de verificação da qualidade, no final de todo o plano implementado (início do ano seguinte àquele a que dizem respeito os resultados) e ao cliente ao fim de cada trimestre) [8].
Mostrar mais

64 Ler mais

Modelação da qualidade da água em sistemas públicos de abastecimento

Modelação da qualidade da água em sistemas públicos de abastecimento

Os desinfetantes assumem importância extrema nos processos de tratamento da água para consumo humano, onde se pretende que a água consumida seja salubre, limpa e desejavelmente equilibrada na sua composição para que se atinja o objetivo de eliminar microrganismos nocivos para proteger a saúde humana de eventuais contaminações (Raposo et al., 2011). Os processos de desinfeção existentes podem ir desde os tratamentos físicos por aplicação de radiações UV, até aos químicos que utilizam agentes oxidantes, como o ozono, o dióxido de carbono, o hipoclorito de sódio, o hipoclorito de cálcio e o cloro (IRAR, 2005). O desinfetante comumente utilizado no tratamento de água para consumo humano é o cloro (Figura 5) (Vieira et al., 2002) e deve-se ao facto de apresentar um baixo custo (comparativamente com outros desinfetantes), pela sua facilidade de manuseamento (pois não requer grandes procedimentos de segurança) e pela vasta experiência adquirida na sua utilização no tratamento de água para consumo humano (Lima, 2009). Este elemento terá função de bactericida e clarificante da água, ao não permitir o crescimento de microrganismos prejudiciais à saúde e atribuir à água o seu aspeto caraterístico. Para além dos tratamentos realizados na ETA, alguns parâmetros deverão ser adequados ao longo da rede, caso seja necessário, como são os exemplos dos postos de (re)cloragem, onde, após averiguação de que a zona da rede tem valores paramétricos de cloro abaixo do mínimo recomendado é reforçada a concentração de cloro nesse local (Silva, 2010). Uma vez tratada, a água será posteriormente transportada e armazenada em reservatórios, de onde sairá para ser distribuída ao consumidor.
Mostrar mais

145 Ler mais

Análise temporal da água para abastecimento público do Município de Juazeiro do Norte-CE

Análise temporal da água para abastecimento público do Município de Juazeiro do Norte-CE

A contaminação de água para abastecimento público é um problema que tem se tornado frequente para municípios que carecem da universalização dos serviços de saneamento básico. O presente trabalho visou avaliar a qualidade da água no município de Juazeiro do Norte (CE) distribuída para população, com dados obtidos das fiscalizações da ARCE ao longo de dez anos, em relação aos parâmetros de nitrogênio amoniacal, nitrito, nitrato e sulfato correlacionando-os com o investimento em esgotamento sanitário no município. Observou-se que para todos os parâmetros analisados, houveram aumento da quantidade dessas substâncias nos poços para abastecimento no município e que, especialmente para o nitrito, foi encontrado valor bem acima do máximo permitido, e que dada a importância no investimento no setor de saneamento para a promoção da saúde pública da população.
Mostrar mais

8 Ler mais

Modelação da qualidade da água em sistemas de abastecimento público

Modelação da qualidade da água em sistemas de abastecimento público

A problemática da água, ao nível da sua utilização e da gestão dos recursos hídricos disponíveis não é, apenas, um problema quantitativo, enquadrado no seu ciclo biogeoquímico tendo, também, uma faceta qualitativa. A água, enquanto composto dotado de características físico-químicas próprias que afectam e condicionam o seu uso, não se encontra na Natureza no estado puro, i.e. incolor, inodora e insípida. Na verdade, encontra-se associada a outras substâncias que afectam e condicionam os seus possíveis usos. Torna-se, assim, necessário associar à informação da quantidade a indicação da qualidade. A qualidade de uma água pode, então, ser definida como sendo aquilo que caracteriza a sua adaptabilidade para determinados fins, devendo-se ter sempre presente que nenhuma água é de boa qualidade para todos os usos [Spellman, 2008; Varis et al., 2008].
Mostrar mais

169 Ler mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO: RELATÓRIO SITUACIONAL DA QUALIDADE EM SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS DE ABASTECIMENTO NOS MUNICÍPIOS DO RS - 2015 E 2016

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO: RELATÓRIO SITUACIONAL DA QUALIDADE EM SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS DE ABASTECIMENTO NOS MUNICÍPIOS DO RS - 2015 E 2016

De acordo com a legislação vigente, compete ao responsável pelo sistema ou solução alternativa coletiva de abastecimento de água para consumo humano entre outros itens: exercer o controle da qualidade da água; manter e controlar a qualidade da água produzida e distribuída por meio do controle operacional do(s) ponto(s) de captação, adução, tratamento, reservação e distribuição, conforme o sistema; manter avaliação sistemática do sistema ou solução alternativa coletiva de abastecimento de água, sob a perspectiva dos riscos à saúde, com base na ocupação da bacia contribuinte ao manancial e outros critérios. Para isso, deverão implantar o Plano de Segurança da Água – PSA que se trata de metodologia de avaliação e gerenciamento de risco à saúde, sugerida pela Organização Mundial da Saúde – OMS, a qual possibilitará a identificação dos pontos críticos e de controle desde a captação até o consumidor.
Mostrar mais

61 Ler mais

Reuso de água cinza e aproveitamento da água de chuva como fontes alternativas em propriedades rurais

Reuso de água cinza e aproveitamento da água de chuva como fontes alternativas em propriedades rurais

Para a região sul do Brasil deve-se considerar ainda que boa parte deste valor corresponde a rizicultura cultivada por inundação, já que esta técnica favorece bastante a produtividade de arroz por hectare. O sistema de irrigação necessário para o cultivo de arroz inundado é ainda mais exigente que as demais culturas irrigadas. Isto porque exige grandes volumes de água em poucos meses do ano, enquanto que em outras culturas este fornecimento é melhor distribuído durante o ano (ANA, 2004). Associado a este fato, está também a questão dos agroquímicos, que quase sempre são aplicados na lavoura para depois serem carreados para um rio ou lago, muitas vezes contaminando também o solo e o lençol freático da região.
Mostrar mais

140 Ler mais

Avaliação da qualidade de óleos compostos obtidos de fontes alternativas

Avaliação da qualidade de óleos compostos obtidos de fontes alternativas

Durante as últimas décadas, a demanda por alimentos saudáveis e economicamente viáveis aumentou consideravelmente. O Brasil processa uma variedade de frutos, produzindo sucos naturais, doces em conservas, extratos e polpas; com isso gera resíduos agroindustriais. Estes resíduos, cascas, sementes e bagaços, não são totalmente empregados pela população, sendo apenas fonte de contaminação ambiental e/ou subutilizados como ração animal. Porém, podem ser considerados fontes alternativas de alimentos e/ou matéria-prima para a extração de óleos vegetais, visto que são ricos em substâncias bioativas.
Mostrar mais

13 Ler mais

Desenvolvimento regional e sustentabilidade : o caso da Mesorregião Chapada do Araripe

Desenvolvimento regional e sustentabilidade : o caso da Mesorregião Chapada do Araripe

Ce travail a pour objectif analiser l’efectivation du discours de la participation sociale et de la gouvernance democratique dans les politiques publiques de developpement durable regional, instrumentees par le Gouvernement Federal dans le Nord-Est du pays. On cherche, aussi, de verifier dans quelle mesure ce format d’intervention publique a favorise la creation des «emplois verts « , c’est a dire, des postes de travail liees a des ativites durables, qui garantissem l’efficience economique, la justice sociale e la prudence ecologique. Pour la realisation de l’etude sur la participation social, on a effectue des entreteniens et on a applie des questionnaires avec un echantillon des participants du “Fórum de Desenvolvimento Mesorregional", cree dans le cadre du PROMESO de la Chapada do Araripe. Pour atteindre notre deuxieme objectif, on a utilise les donnes fournis par la RAIS/MTE, en verifiant dans quelle mesure les postes de travail crees dans la meso-region Chapada do Araripe, entre 1997 et 2007, on viabilise la generation d’emplois dans le secteur environnemental, en favorisant, de cette facon, la creation d’une nouvelle etape dans la recherche d’une proposition de developpement durable pour le Nord-Est bresilien. L’etude indique que le changement d’estrategie de l’intervention de l’Etat dans le Nord-Est bresilien n’est pas toujours accompagnee d’une alteration significative dans la forme d’actuation des institutions, concernat la gestion des politiques publiques et la creation des emplois verts. On conclut que, malgre l’existance d’un certain capital social dans la region, la societe locale n’a pas ete pleinement mobilisee autour des articulations pour la construction d’une nouvelle proposition d’articulation participative dans ces territoires. Et que, malgre la croissance du nombre des emplois crees dans la Meso-Araripe dans la periode de temps etudiee, on ne constate pas encore, dans le Bresil et dans le Nord-Est la tendance a utiliser le secteur environnementale dans la formulation des politiques publiques visees as questions sociales et environnementales de facon conjointe, tel que la creatio d’emplois verts.
Mostrar mais

297 Ler mais

Qualidade da água de abastecimento público do município de Jaboticabal, SP.

Qualidade da água de abastecimento público do município de Jaboticabal, SP.

As amostragens foram realizadas em três mananciais utilizados para o abastecimento público do município de Jaboticabal, São Paulo: manan‑ cial superficial, subsuperficial e subterrâneo. O manancial superficial denominado Córrego Rico tem 23 km de extensão entre a nascente e o ponto de captação. No entorno do manancial superficial existem propriedades rurais que se dedicam, principalmente, à agricultura e pecuária. Esse manancial, após o tratamento convencional (coagulação, floculação, decantação, filtração, desinfecção, correção de pH e fluore‑ tação) abastece cerca de 70% da população do município. O manancial subsuperficial (Dreno) tem extensão de 1.950 m e profundidade média de 3,40 m, distribuídos entre 1.120 m sob pastagem e 830 m sob área urbana. A água desse manancial, após tratamento com desinfecção e fluoretação, é distribuída para cerca de 9% da população do município. O terceiro tipo de manancial (manancial subterrâneo – Poço) consiste em um poço que capta água do sistema aquífero Guarani contendo profundidade de 480 m, cuja água, após desinfecção e fluoretação, é distribuída para aproximadamente 18% da população do município. Os pontos de amostragem e o número de amostras variaram de acordo com o sistema estudado, conforme apresentado na Tabela 1. Todas as amostras foram coletadas no período de agosto de 2006 a junho de 2007.
Mostrar mais

8 Ler mais

Potencialidade de uso de fontes alternativas de água para fins não potáveis em uma unidade residencial

Potencialidade de uso de fontes alternativas de água para fins não potáveis em uma unidade residencial

De acordo com a literatura, vários estudos estão sendo desenvolvidos para a caracterização da água cinza. Rasmussen et al. (1996) reporta que o Exército dos EUA tem estudado vários métodos biológicos, químicos e mecânicos para tratar a água proveniente da lavanderia e chuveiro visando o uso na agricultura. A U.S. National Sanitation Foundation e a cidade de Los Angeles, na Califórnia, têm testado vários sistemas para tratamento da água cinza usada para irrigação. Em Berlim o desenvolvimento e testes de vários sistemas de tratamento de água cinza são motivados pela limitação dos recursos de água subterrânea. O Centro de Ecologia Aplicada Schattweid, na Suíça, tem desenvolvido um sistema de biofiltro, baseado em plantas e areia, para o manejo de água cinza.
Mostrar mais

109 Ler mais

Desenvolvimento de índices de qualidade de serviço em sistemas de abastecimento de água

Desenvolvimento de índices de qualidade de serviço em sistemas de abastecimento de água

Os indicadores económico-financeiros e administrativos englobam diferentes relações de produtividade de pessoal e de operações dos serviços (custos e incidência de energia e produtos químicos), assim como custos financeiros e saldo. Já os indicadores operacionais relativos ao abastecimento de água tratam tanto de questões operacionais (leitura de contadores, medições de caudais fornecidos, consumidos e medição de volumes exportados em alta), como de aspectos relacionados com o desempenho económico (perdas totais, sem separação entre físicas e não físicas, consumo de energia eléctrica) e da qualidade dos serviços (cobertura, controlo de flúor). Os indicadores operacionais de saneamento e de qualidade de serviço são ainda incipientes. O grupo de indicadores de balanço é o que apresenta maior homogeneidade interna, ao trabalhar informações necessariamente integrantes dos balanços das empresas de saneamento. Por estratégia do SNIS, os indicadores são constantemente reavaliados, visando adequá-los progressivamente às necessidades do sector. Ao longo das discussões para reavaliação, alguns novos indicadores são acrescentados, com conceitos diferentes dos adoptados tradicionalmente no sector (Galvão Jr, A.d & Ximenes, 2008; Galvão Jr, A.d & Da Silva, 2006).
Mostrar mais

240 Ler mais

A qualidade da água: fontes naturais e envasadas comercialmente

A qualidade da água: fontes naturais e envasadas comercialmente

Concebendo e assumindo a água como um bem universal indispensável à vida humana e de todos os seres vivos, deve-se tratá-la em uma perspectiva diferenciada, quanto à sua potabilidade e conservação. Nesse sentido, com este estudo objetivou-se analisar a qualidade química e biológica da água, de fontes naturais e envasadas comercialmente. A pesquisa contou com águas de diversos segmentos, sendo 10 nascentes, 10 poços tubulares e 10 marcas de água enva- sada comercialmente, localizados no Município de Xanxerê, SC. Os parâmetros avaliados foram pH, Sódio, Potássio, Cálcio, Magnésio e Coliformes totais e fecais. Na coleta do material, fez-se o cadastramento da área e seu entorno, em seguida foi realizada a coleta da amostra, seguindo os parâmetros descritos pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Logo após, em um período de 24 horas as amostras foram levadas ao laboratório para a realização da análise microbio- lógica (coliformes totais e fecais), e em seguida, foram aferidos os teores dos minerais. Os resultados obtidos na análise estatística (ANOVA) indicaram que Cálcio, Magnésio, Coliformes Totais e Fecais apresentaram diferenças significativas entre as fontes estudadas. A classificação da potabilidade da água baseou-se nos parâmetros microbiológicos e físico- -químicos da Portaria n. 2.914, de 12 de dezembro de 2011, e na Resolução n. 274, de 22 de setembro de 2005, sendo que os resultados obtidos apontaram que todas estavam aptas para o consumo humano. Contudo, conclui-se que as águas minerais envasadas apresentaram qualidade superior no que se refere aos aspectos microbiológicos e alguns parâ- metros químicos (Cálcio e o Magnésio).
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação da qualidade física de solos cultivados em áreas irrigadas na Chapada do Apodi - CE

Avaliação da qualidade física de solos cultivados em áreas irrigadas na Chapada do Apodi - CE

» Milho/Feijão (MF): Área pertencente ao Sr. Antônio de Fátima da Costa, estando localizada no pivô 7.5 e lote 04 (Casa de bomba 7B), no município de Limoeiro do Norte-CE. Apresenta uma área total de 26 ha, com 6 ha de área cultivada (5°10’9” S e 37°58’58” W) (Figura 3). Apresenta solos Classificados como Cambissolo Háplico Tb Eutrófico Típico (Girão, 2007). A área é cultivada há 20 anos com milho e feijão em sucessão e irrigada por sistema de aspersão do tipo pivô central por 8 horas com 30% de vazão na época seca, no intervalo de dois dias. A adubação química é realizada com uréia e sulfato de amônio. O solo é preparado por meio de subsolagem, aração e gradagem. O controle de plantas infestantes é feito com aplicação de herbicidas e há a utilização de agrotóxicos (Lannate BR com 7,5L/ha/ciclo).
Mostrar mais

58 Ler mais

CRESCIMENTO REGIONAL DESEQUILIBRADO: O EXEMPLO DAS MESORREGIÕES DA CHAPADA DO ARARIPE

CRESCIMENTO REGIONAL DESEQUILIBRADO: O EXEMPLO DAS MESORREGIÕES DA CHAPADA DO ARARIPE

de que mesmo num subespaço como a Mesorregião que está sendo analisada, o crescimento econômico caracterizou-se por uma dinâmica espacial desequilibrada, procura-se elaborar uma taxono[r]

26 Ler mais

APA Chapada do Araripe: direito, educação ambiental e sustentabilidade

APA Chapada do Araripe: direito, educação ambiental e sustentabilidade

O NEA-Araripe foi pensado em quatro dimensões. Primeiro procurou-se envolver todos os servidores ligados à FLONA-Araripe, que deveriam estar aptos a realizar atividades que promovessem a EA. Do chefe ao motorista, do fiscal ao burocrata deveria buscar maneiras de envolver a EA em suas atividades rotineiras. Para isso foi necessária a capacitação dos servidores. Esta primeira dimensão foi batizada de “Começando em Casa”, e envolveu a participação em cursos de especialização e aprimoramento, bem como eventos científicos. Para facilitar o intercâmbio de informações entre os servidores criou-se a “Biblioteca Eloi Teles”, espaço destinado ao estudo e reuniões dos servidores da FLONA e que posteriormente foi aberto para qualquer interessado. Cabe dizer ainda, que por mais que todos os servidores do quadro da FLONA-Araripe participassem do NEA, vale nominar, por uma razão de resgate histórico, aqueles mais engajados com a implementação e manutenção do Núcleo, que foram: os já falecidos Jackson Nuvens (que foi o primeiro coordenador do NEA), Geraldo Moreira de Lacerda (Maranhão), e os que ainda resistem, como Raimundo de Brito e Silva (Seu Mundô), Maria Araújo Férrer (Louzinha) e Willian Brito (IBAMA, 2004).
Mostrar mais

113 Ler mais

Água, fontes e aguadeiros: o abastecimento hídrico em Nossa Senhora do Desterro (Século XIX)

Água, fontes e aguadeiros: o abastecimento hídrico em Nossa Senhora do Desterro (Século XIX)

Em 6 de abril de 1887, uma correspondência expedida pela presidência da província chamava a atenção da Câmara Municipal de Desterro para o “serviço de vendagem d´água em pipas[r]

244 Ler mais

Show all 10000 documents...