Top PDF QUALIDADE DE LUZ E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS TROPICAIS.

QUALIDADE DE LUZ E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS TROPICAIS.

QUALIDADE DE LUZ E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS TROPICAIS.

0 presente trabalho investigou a germinação de quatro espécies arbóreas nativas de floresta tropical, pertencentes a diferentes estágios sucessionais, quando submetidas a ambientes com[r]

6 Ler mais

Superação de dormência e influência dos fatores ambientais na germinação de sementes de Spermacoce latifolia

Superação de dormência e influência dos fatores ambientais na germinação de sementes de Spermacoce latifolia

Os tratamentos dos ensaios foram arranjados em delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições. As parcelas experimentais consistiram de uma caixa tipo Gerbox, com papel de filtro autoclavado (substrato) contendo 50 sementes de S. latifolia. As caixas foram acondicionadas em câmara de germinação tipo BOD com fotoperíodo de 14h luz branca/10h escuro absoluto, com temperatura ajustada para 30/20 °C respectivamente, para os ensaios de disponibilidade de água e qualidade de luz; contudo, para o experimento térmico foi ajustada a temperatura de acordo com os tratamentos propostos. Para o experimento de qualidade de luz, as caixas foram revestidas com papel celofane, de acordo com procedimento descrito por Lopes & Soares (2003). As leituras das caixas foram realizadas em câmara escura, sob luz verde de segurança, pois seu comprimento de onda não estimula a germinação das sementes.
Mostrar mais

5 Ler mais

Temperatura e regime de luz na germinação de sementes de Tabebuia impetiginosa (Martius ex A. P. de Candolle) Standley e T. serratifolia Vahl Nich. - Bignoniaceae.

Temperatura e regime de luz na germinação de sementes de Tabebuia impetiginosa (Martius ex A. P. de Candolle) Standley e T. serratifolia Vahl Nich. - Bignoniaceae.

O teste mais tradicionalmente utilizado para a avaliação da qualidade de lotes de sementes é o teste de germinação. A metodologia do teste de germinação ainda não está bem definida para sementes de Tabebuia impetiginosa (ipê-roxo) e T. serratifolia (ipê-amarelo), uma vez que são encontrados na literatura poucos trabalhos referentes especificamente à definição das condições ideais para a realização do teste nessas espécies. Objetivou-se com este trabalho verificar o efeito de temperatura e luz na germinação de sementes de diferentes lotes de ipê-roxo e ipê-amarelo. Para o ipê-roxo, a seleção das temperaturas foi realizada inicialmente em mesa de termogradiente, com temperaturas variando de 20,9ºC a 34,4ºC e, posteriormente, em BODs, com temperaturas de 25 o C, 30 o C e
Mostrar mais

7 Ler mais

Caracterização ecofisiológica de sementes de espécies lenhosas da Caatinga

Caracterização ecofisiológica de sementes de espécies lenhosas da Caatinga

A dormência é uma propriedade inerente às sementes que definem as condições ambientais em que estas são capazes de germinar e sua presença é uma característica adaptativa comum em espécies que habitam regiões semiáridas. Além disso, a capacidade de estabelecimento das plântulas nesses ambientes tem sido relacionada ao tamanho, vigor e características químicas de suas sementes. O presente estudo pretende verificar padrões de dormência e velocidade de germinação (IVG) em espécies arbóreas da Caatinga, explorando como o tamanho da semente influenciaria os processos de germinação, tamanho das plântulas e a alocação de biomassa. Além disso, almeja-se investigar características químicas das reservas, verificando uma possível relação entre seu conteúdo nutricional e o processo de germinação das sementes. Para tanto, foram coletadas sementes de dez espécies arbóreas da Caatinga para a realização dos testes de superação da dormência, germinação e caracterização bioquímica. No geral, os resultados mostram que os tratamentos de escarificação mecânica e química, além do choque térmico influenciaram positivamente a porcentagem e velocidade de germinação em 50% das espécies, sugerindo que estas apresentam algum nível de dormência física em suas sementes. A caracterização bioquímica mostrou a existência de grande quantidade de carboidratos nas sementes de todas as espécies, baixa proporção de proteína, e baixa quantidade de lipídios neutros. Com o uso de regressões lineares, foi demonstrada a existência de relação significativa entre o tamanho da semente e a razão raiz/parte aérea, onde sementes as maiores investiram uma maior quantidade de recursos para o crescimento da parte aérea. A relação entre o IVG e o teor de açúcares não redutores também se mostrou significativa, de forma que estes compostos tem relação com a manutenção da qualidade fisiológica das sementes. Estes resultados corroboram algumas relações discutidas na literatura para espécies cultivadas, mas que podem ser aplicadas às espécies nativas da Caatinga.
Mostrar mais

41 Ler mais

EFEITO DA LUZ E DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE COAÇU (Triplaris surinamensis Cham.).

EFEITO DA LUZ E DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE COAÇU (Triplaris surinamensis Cham.).

95 EFEITO DA LUZ E DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE COAÇU. R.[r]

3 Ler mais

Efeito da luz e da quebra de dormência na germinação de sementes de espécies de plantas daninhas.

Efeito da luz e da quebra de dormência na germinação de sementes de espécies de plantas daninhas.

A germinação foi avaliada segundo dois aspectos: o percentual e o índice de velocidade de germinação (IVG) utilizando a fórmula pro- posta por Maguire (1962), como segue: IVG= [N1/1+N2/2+N3/3+...+Nn/n], em que N1, N2, N3 e Nn são as porcentagens de sementes ger- min ada s no pri mei ro, seg und o, ter cei ro e enésimo dias após a semeadura. A porcenta- gem de plântulas normais foi computada dia- riamente (Brasil, 1992), considerando-se se- mente germinada aquela em que ocorreu a emissão da radícula e da parte aérea, durante 30 dias.

6 Ler mais

PROPEC-Programa de Pós Graduação em Engenharia Cívil :: ANÁLISE NUMÉRICA DE SÓLIDOS AXISSIMÉTRICOS VIA MEF: APLICAÇÃO EM ELEMENTOS DE CONCRETO, DE AÇO E MISTOS DE AÇO E CONCRETO

PROPEC-Programa de Pós Graduação em Engenharia Cívil :: ANÁLISE NUMÉRICA DE SÓLIDOS AXISSIMÉTRICOS VIA MEF: APLICAÇÃO EM ELEMENTOS DE CONCRETO, DE AÇO E MISTOS DE AÇO E CONCRETO

Segundo Helene e Terzian (1992) a máquina, denominada indústria, que gera o mercado da construção civil é uma das mais importantes para o fluxo da rentabilidade, do direcionamento do volume populacional e das exigências e demandas relacionadas à empregabilidade dos produtos, para qualquer que seja o parâmetro que se utilize: capital circulante, número de pessoas empregadas, utilidades dos produtos e outros. Assim, este fato proporciona aumentos nos investimentos tecnológicos e nas exigências por parte dos consumidores e investidores que buscam melhorias na qualidade, diminuição nos custos e eficiência nas execuções das obras civis.
Mostrar mais

85 Ler mais

“Feixe de Intervenções” de Prevenção de Infeção de Local Cirúrgico – Normas de Orientação Clínica

“Feixe de Intervenções” de Prevenção de Infeção de Local Cirúrgico – Normas de Orientação Clínica

Nos termos da alínea a) do nº 2 do artigo 2º do Decreto Regulamentar nº 14/2012, de 26 de janeiro, por proposta conjunta do Departamento da Qualidade na Saúde, do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e Resistências aos Antimicrobianos e da Ordem dos Médicos, a Direção-Geral da Saúde emite a seguinte:

12 Ler mais

Capital, força de trabalho e relações de gênero — Outubro Revista

Capital, força de trabalho e relações de gênero — Outubro Revista

Ao colocar o trabalho, concebido como uma atividade consciente, sensória, prática, no ponto de partida da análise (em vez de estruturas e funções), esses teóricos tanto retomam quanto constroem a partir da ideia central de Vogel, sem recair no funcionalismo estruturalista. A ideia de que a produção e reprodução da força de trabalho é, na verdade, um processo conduzido por pessoas socialmente localizadas traz ação e, em última instância, história de volta ao cenário. Isso também traz corpos para a equação. E apesar de as feministas da reprodução social, a começar com Vogel, há tempos ponderarem a questão da natureza biofísica dos corpos (trabalhadores) – particularmente, como ou por que a capacidade biológica feminina de dar à luz e amamentar bebês importa – elas não dedicaram muito esforço em pensar o corpo (trabalhador) racializado. Ferguson sugere um lugar potencial para iniciar tal discussão interrogando a espacialização dos corpos num mundo capitalista hierarquicamente ordenado, enquanto Luxton, ao lado de Bakker e Silvey, propõem um argumento ao longo das mesmas linhas (F ERGUSON , 2008;
Mostrar mais

37 Ler mais

Plasticidade e aclimatação fotossintética de espécies arbóreas tropicais

Plasticidade e aclimatação fotossintética de espécies arbóreas tropicais

a ocorrência de danos oxidativos ao complexo coletor de luz e ao centro de reação do fotossistema II. Observou-se que com a exposição prolongada à alta irradiância, a duração e a magnitude da fotoinibição variaram substancialmente entre as espécies e, em alguns casos, as plantas permaneceram cronicamente fotoinibidas. Porém, na maioria dos casos, as plantas fotoinibidas recuperaram as taxas iniciais de assimilação e, ou, exibiram significativos aumentos na A max acompanhados de maiores I S e ETR. Os maiores

5 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MARIA DE LOURDES VICENTE DA SILVA GRITOS, SILÊNCIOS E SEMENTES:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MARIA DE LOURDES VICENTE DA SILVA GRITOS, SILÊNCIOS E SEMENTES:

mulheres desenvolveram um vasto saber sobre a agricultura, o meio ambiente, a conservação da biodiversidade e a soberania alimentar das famílias (SILIPRANDI, 2006; NOBRE, 1999). Esse s[r]

364 Ler mais

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

Assim, a necessidade da analisar o desempenho dos aterros hidráulicos associados a contenção e armazenamento de rejeitos é uma conseqüência do crescimento da utilização deste tipo de estrutura no processo de disposição de rejeitos. Esta técnica tem sido utilizada pela maioria das mineradoras e tem se tornado cada vez mais viável em vista da grande quantidade de rejeito a ser estocado. No contexto da segurança e qualidade técnica tem-se notado um aumento das exigências de projeto, mudanças nos métodos construtivos, controle geotécnico mais rigoroso nos projetos e durante a fase de construção. Neste contexto, medidas de controle do nível freático, processo adicionais de densificação, implantação de sistemas eficientes de drenagem e utilização de camadas de transição têm sido incorporados aos processos construtivos atuais.
Mostrar mais

173 Ler mais

PROPEC-Programa de Pós Graduação em Engenharia Cívil :: ANÁLISE NUMÉRICA AVANÇADA DE ESTRUTURAS DE AÇO E DE CONCRETO ARMADO EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

PROPEC-Programa de Pós Graduação em Engenharia Cívil :: ANÁLISE NUMÉRICA AVANÇADA DE ESTRUTURAS DE AÇO E DE CONCRETO ARMADO EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

No Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal de Ouro Preto (PROPEC/UFOP), a consideração de altas temperaturas na análise de estruturas iniciou-se[r]

218 Ler mais

Análise de Incidentes e de Eventos Adversos – Normas de Orientação Clínica

Análise de Incidentes e de Eventos Adversos – Normas de Orientação Clínica

O desenvolvimento de competências para a implementação eficaz e eficiente de uma ACR é importante para as instituições de saúde como instrumento para a melhoria [r]

91 Ler mais

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

Um sistema que cria um ônus para a escola, seja em termos de gratificação não recebidas ou de medidas administrativas, sempre será visto como injusto em um ambiente [r]

129 Ler mais

EDILVANA MARA DA SILVA LOPES A GESTÃO DE PROCESSOS DO ENSINO DE GRADUAÇÃO: Estudo sobre as demandas de visitas técnicas e trabalhos de Campo na Universidade Federal de Juiz de Fora

EDILVANA MARA DA SILVA LOPES A GESTÃO DE PROCESSOS DO ENSINO DE GRADUAÇÃO: Estudo sobre as demandas de visitas técnicas e trabalhos de Campo na Universidade Federal de Juiz de Fora

A presente dissertação é desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP) do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da [r]

142 Ler mais

A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE COMO INSTRUMENTO DE VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES E MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO

A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE COMO INSTRUMENTO DE VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES E MELHORIA DA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO

Esta pesquisa teve por objetivo criar um instrumento para a avaliação e para o monitoramento da prática docente, a partir de um estudo de caso realizado em três escolas sob a jurisdição da 10ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação do estado do Ceará. Buscamos identificar as necessidades de formação dos profissionais, com vistas à valorização da docência e a sua melhoria, assim como ao avanço dos resultados escolares. Esse tema foi escolhido, especialmente, devido à atuação profissional do pesquisador, como professor, secretário municipal de educação de Morada Nova/CE e coordenador de uma regional da Secretaria de Educação do Estado do Ceará, estando totalmente inserido no contexto educacional e envolvido com os resultados das escolas do estado. Assim, para a realização deste trabalho, escolhemos a abordagem qualitativa e o emprego da pesquisa etnográfica, com observação participante, a aplicação de questionários aos professores e gestores das três escolas selecionadas, bem como as discussões que se estabeleceram entre os participantes da pesquisa quando em grupos focais. Como aporte teórico, utilizamos, principalmente, os conceitos de Fernandes, Dourado, Graça, Rezende, Lück e Chiavenato. Conforme constatamos, a ausência de mecanismos que possibilitem aferir a qualidade da prática pedagógica, a motivação dos professores e, especialmente, as suas reais necessidades de formação profissional, tornam-se um problema para a gestão educacional realizada pela 10ª CREDE, o que interfere diretamente no monitoramento e na eficácia dos processos de ensino-aprendizagem ocorridos nas instituições de ensino. Desse modo, ao final da dissertação, foi elaborada uma proposta de intervenção, com a criação de um instrumento para a avaliação e para o monitoramento da prática do professor, através da identificação das necessidades de formação dos profissionais, com vistas à valorização da docência e a sua melhoria, assim como o avanço nos resultados escolares.
Mostrar mais

160 Ler mais

CHUVA DE SEMENTES EM ESTÁDIOS SUCESSIONAIS DE FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL EM VIÇOSA-MG.

CHUVA DE SEMENTES EM ESTÁDIOS SUCESSIONAIS DE FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL EM VIÇOSA-MG.

O predomínio da síndrome de dispersão zoocórica neste estudo não acompanhou o obtido por Campos et al. (2009) na “mata da biologia”, onde a síndrome de dispersão anemocórica predominou nos dois anos de avaliação da chuva de sementes. Entretanto, no estudo de Yamamoto et al. (2007), que pesquisaram a síndrome de dispersão em um fragmento de Floresta Estacional Semidecidual montana no Município de Pedreira, SP, foi verificado que a maioria das espécies tinha síndrome zoocórica e ainda, durante quase todo o ano, a zoocoria predominou sobre as demais síndromes. Fator que pode estar relacionado à localização, ao grau de proteção ou do acesso à área, pois a presença constante de pessoas no local e outras ações antrópicas in loco ou, mesmo, em seu entorno, podem afetar a ação da fauna dispersora no fragmento.
Mostrar mais

11 Ler mais

Temperatura e luz na germinação das sementes de apaga-fogo (Alternanthera tenella).

Temperatura e luz na germinação das sementes de apaga-fogo (Alternanthera tenella).

(Fausey & Renner, 1997). As sementes de Tridax procumbens demonstraram elevada ger- minação nas temperaturas de 25, 30 e 35 ºC, atingindo valores superiores a 90%; entre- tanto, a 15 e 40 ºC a germinação foi nula (Guimarães et al., 2000). Voll et al. (2003) ava- liaram a germinação de sementes de espécies de plantas daninhas sob temperaturas alter- nadas de 30/20 ºC e obtiveram 88% para Bidens pilosa, 31% para Euphorbia heterophylla e 30% para Sida rhombifolia. Nesse regime de alternância de temperatura, os menores ní- veis de germinação ocorreram para Ipomoea grandifolia (5%), Acanthospermum hispidum (4%) e Commelina benghalensis (3%). Estes autores concluíram que a mesma temperatura tem di- ferentes efeitos na germinação de cada espé- cie. Esses resultados corroboram aqueles obti- dos por Adegas et al. (2003) na germinação de Bidens pilosa sob temperatura alternada de 30/ 20 ºC, a qual foi, em média, de 87,5%.
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados