Top PDF RADIAÇÃO SOLAR TOTAL DENTRO E FORA DE FLORESTA TROPICAL ÚMIDA DE TERRA FIRME (TUCURUÍ, PARÁ).

RADIAÇÃO SOLAR TOTAL DENTRO E FORA DE FLORESTA TROPICAL ÚMIDA DE TERRA FIRME (TUCURUÍ, PARÁ).

RADIAÇÃO SOLAR TOTAL DENTRO E FORA DE FLORESTA TROPICAL ÚMIDA DE TERRA FIRME (TUCURUÍ, PARÁ).

Distribuição da radiação solar em função da hora local para 3 piranômetros instalados dentro da floresta (1a, 1b„ 1c) e um situado em área aberta (1d)... Relação entre o fluxo de radiaç[r]

6 Ler mais

Fenologia de espécies florestais em floresta tropical úmida de terra firme na Amazônia Central

Fenologia de espécies florestais em floresta tropical úmida de terra firme na Amazônia Central

Cedrelinga catenaeformis (Uma vez, Ago. A espécie Osteoph/oeum platysper· mum nunca foi observada desfolhada. Vê-se que a maioria dos pontos de ocorrência da floraçã[r]

37 Ler mais

Biomassa da parte aérea da vegetação da Floresta Tropical úmida de terra-firme da Amazônia Brasileira.

Biomassa da parte aérea da vegetação da Floresta Tropical úmida de terra-firme da Amazônia Brasileira.

- A equação única para estimar a biomassa, usando este modelo estatístico, não é alternativa para as duas equações, ou seja, o uso deste modelo requer as duas equações para estimar a[r]

13 Ler mais

Amostragem sistemática versus amostragem aleatória em floresta tropical úmida de terra firme na região de Manaus.

Amostragem sistemática versus amostragem aleatória em floresta tropical úmida de terra firme na região de Manaus.

Mantjo Ecológico (Bacia 3). enxo padhão estimado {,oi obtido athavés da amostnagem sistemática, mesmo considejuxndo que. na amostAagem alcatónla fan.am feitos 5 òofvteÁoò di&cn.[r]

8 Ler mais

Alguns aspectos ecofisiológicos de floresta tropical úmida~

Alguns aspectos ecofisiológicos de floresta tropical úmida~

então, que não houve uma seleção na floresta tropical úmida de terra firme (quanto a deficits de água) no sentido de que as plantas dos es tratos superiores supo[r]

22 Ler mais

Interpretação fenológica de espécies lenhosas de Campina na Reserva Biológica de Campina do INPA ao Norte de Manaus.

Interpretação fenológica de espécies lenhosas de Campina na Reserva Biológica de Campina do INPA ao Norte de Manaus.

Fenologia de espécies flores- tais em floresta tropical úmida de terra firme na Amazônia Central. Fenologia de essências florestais amazônicas[r]

40 Ler mais

Precipitação interna e interceptação da chuva em floresta de terra firme submetida à extração seletiva de madeira na Amazônia Central.

Precipitação interna e interceptação da chuva em floresta de terra firme submetida à extração seletiva de madeira na Amazônia Central.

(1991) usaram um modelo atmosférico e biosférico global para avaliar o efeito do desmatamento na Amazônia no clima regional e global, bem como o efeito da substituição da floresta por pastagens, concluindo que isto levaria a um aumento da temperatura, diminuição da evapotranspiração e da precipitação na região. A simulação também indicou um aumento na duração da estação seca. Os seus resultados sugerem que a completa e rápida destruição da floresta pode ter efeitos irreversíveis no ciclo hidrológico da região. Na Amazônia Central, o projeto ABRACOS (Anglo-Brazilian Climate Observations Study), obteve informações sobre características da floresta amazônica e de áreas desmatadas da região, utilizando-as para calibrar modelos climáticos. As simulações desses modelos indicam que haveria uma resposta substancial ao desmatamento: o clima ficaria mais quente e menos úmido e os volumes de chuva diminuiriam no seu total anual em cerca de 20%, caso a floresta amazônica fosse completamente substituída por pastagens (Nobre & Gash, 1997). No caso de intervenções humanas menos drásticas, como extração seletiva de madeira (E.S.M.), não há estudos realizados na Amazônia brasileira sobre seu impacto na distribuição das chuvas. Desde a década de 1980, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA, vem desenvolvendo experimentos com manejo florestal visando a produção sustentável de madeira. Em 1993, o projeto “BIONTE” - Biomassa e Nutrientes na Floresta Tropical Úmida, que foi um projeto interdisciplinar financiado pelo DFID (Department for International Development) do Reino Unido, realizou um experimento com corte seletivo da floresta, com o intuito de estudar os efeitos ecológicos da extração seletiva de madeira e definir as estratégias de corte seletivo sustentável de árvores. Como parte desse projeto, o presente estudo teve como objetivo principal verificar se o manejo florestal causou modificações na interceptação da chuva, precipitação interna e, assim, no ciclo hidrológico, provocada pela diminuição do dossel.
Mostrar mais

8 Ler mais

Pseudoescorpiões (Arachnida) da vegetação de sub-bosque da floresta primária tropical de terra firme (Coari, Amazonas, Brasil).

Pseudoescorpiões (Arachnida) da vegetação de sub-bosque da floresta primária tropical de terra firme (Coari, Amazonas, Brasil).

Dentre as plantas examinadas, os maiores registros de diversidade e abundância foi obtido nas palmeiras com fronde acima do chão (pa). Sobre estas, foram coletadas nove espécies, representando 55,3% da abundância relativa da amostragem. Nas outras plantas que acumulam detritos acima do chão (op), foram registradas seis espécies, totalizando 41,1% do total coletado. Apolpium aff. vastum foi coletada em todos os tipos de plantas examinadas e, também, foi a única espécie registrada sobre bromélia de chão (bc). Brazilatemnus browni foi a menos freqüente e abundante, tendo sido coletado apenas um exemplar em arácea de chão (ac) (Tabela 5).
Mostrar mais

12 Ler mais

Populações de térmitas (Insecta: Isoptera) em quatro habitats no baixo rio Negro

Populações de térmitas (Insecta: Isoptera) em quatro habitats no baixo rio Negro

Três locais foram em regiões elevadas, que não são inunda- das, durante a enchente do rio: (1) floresta primária de terra firme, (2) floresta primária numa ilha no arquipé- lago de Ana[r]

9 Ler mais

Populações de térmitas (Insecta: Isoptera) em quatro habitats no baixo rio Negro

Populações de térmitas (Insecta: Isoptera) em quatro habitats no baixo rio Negro

Três locais foram em regiões elevadas, que não são inunda- das, durante a enchente do rio: (1) floresta primária de terra firme, (2) floresta primária numa ilha no arquipé- lago de Ana[r]

8 Ler mais

Variação espacial e temporal da irradiância solar e da razão entre vermelho e vermelho - extremo que chegam ao solo em diferentes microhabitats na região de Tucuruí - PA.

Variação espacial e temporal da irradiância solar e da razão entre vermelho e vermelho - extremo que chegam ao solo em diferentes microhabitats na região de Tucuruí - PA.

Situando-se num contexto mais amplo de um projeto de verificação da quantidade e qualidade de luz em diferentes habitats da floresta tropical úmida, este trabalho visa preliminarmente [r]

6 Ler mais

A inoculação artificial com micorrizas V-A está ganhando maior atenção tanto em traba-

A inoculação artificial com micorrizas V-A está ganhando maior atenção tanto em traba-

Todas as espécies apresentadas no Quadro 1 foram coletadas no campo e eram espécies nativas ou economica- mente importantes, ou ornamentais.. Floresta tropical úmida[r]

6 Ler mais

Análise da vegetação de floresta pluvial tropical de terra firme, pelo método dos quadrantes: Serra Norte, Carajás, PA.

Análise da vegetação de floresta pluvial tropical de terra firme, pelo método dos quadrantes: Serra Norte, Carajás, PA.

(1987) houve predomínio de Leguminosae sobre as demais famíTIas. Geralmente, Leguminosae e Sapotaceae são as famílias de maior importância nos levantamentos efetuados em Ser- ra Nort[r]

16 Ler mais

Estimativa de evapotranspiração de floresta amazônica de terra firme.

Estimativa de evapotranspiração de floresta amazônica de terra firme.

Acredita-se que os resultados do presen- te trabalho podem ser considerados superes- timados quando comparados com aqueles pu- blicados pelos referidos autores, mas p[r]

6 Ler mais

Interceptação das precipitações em floresta amazônica de terra firme.

Interceptação das precipitações em floresta amazônica de terra firme.

Para a estimativa da perda par intercepta- c;:ao r:o ecossistema estudado observou-se os parametros referentes a precipitac;ao total, pre- cipitac;ao interna e escoam[r]

8 Ler mais

Taxa de regeneração natural na floresta tropical úmida.

Taxa de regeneração natural na floresta tropical úmida.

to, poderá significar uma taxa de regeneração natural maior que zero (0) na categoria de. tamanho imediatamente superior àquela[r]

9 Ler mais

Nutrientes no solo em floresta de terra firme cortada seletivamente na Amazônia Central.

Nutrientes no solo em floresta de terra firme cortada seletivamente na Amazônia Central.

nutrientes em uma área de manejo florestal em floresta de terra firme na.. Amazônia Central. Tese de Doutorado, [r]

16 Ler mais

Desenvolvimento do açaizeiro de terra firme, cultivar pará, sob atenuação da radiação solar em fase de viveiro.

Desenvolvimento do açaizeiro de terra firme, cultivar pará, sob atenuação da radiação solar em fase de viveiro.

Aos quatro MAE, o tratamento de 16% de sombra indicava melhor desempenho das plantas, com maior taxa fotossintética líquida (A) e maior valor de irradiância de saturação (Is) do que sob 50% de sombra (Figura 1). A partir dos seis MAE, apesar dos valores da Is serem próximos para os dois tratamentos, a taxa fotossintética foi a de menor valor para o tratamento sob 16% de sombra, indicando que a partir desta idade, a radiação oferecida estava sendo excessiva. Os efeitos verificados no desenvolvimento da área foliar a partir dos cinco MAE corroboram com esta observação.

5 Ler mais

Estratégias funcionais de plantas arbóreas em uma cronossequência na floresta tropical úmida

Estratégias funcionais de plantas arbóreas em uma cronossequência na floresta tropical úmida

Características e estratégias funcionais quando relacionadas com taxas demográficas fornecem informações importantes sobre a distribuição das espécies e seus desempenhos em diferentes ambientes. Deste modo foram levantadas as previsões que (1) as comunidades vegetais de áreas de floresta tropical, distribuídas ao longo de uma cronossequência, podem apresentar diferenças nas relações entre taxas e características funcionais devido à variação na disponibilidade de luz, e que (2) espécies aquisitivas, intermediárias e conservativas apresentem taxas demográficas diferentes ao longo da cronossequência. Para testar estas previsões, foram coletados dados de oito características funcionais (foliares, reprodutivas, tronco e planta inteira) de 64 espécies, distribuídas em seis florestas secundárias (três com 17 anos e três com 25 anos, aproximadamente) e três florestas maduras (com mais de 40 anos de regeneração), localizadas sob domínio da Floresta Ombrófila Densa. Em cada uma dessas áreas foram obtidas as taxas demográficas (mortalidade, recrutamento e crescimento) das espécies. A maioria das relações entre taxas demográficas e características funcionais não correspondeu às previsões, uma vez que algumas características não foram melhor preditoras da demografia das espécies em determinada área do que outras e que essas relações não variaram ao longo do gradiente sucessional. No entanto, quando a demografia dos grupos foi comparada dentro de cada área foi observado que a
Mostrar mais

95 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados