Top PDF EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES DE CARDEIRO (SCLERONEMA MICRANTHUM DUCKE) COM FUNGICIDA E INSETICIDA NA GERMINAÇÃO.

EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES DE CARDEIRO (SCLERONEMA MICRANTHUM DUCKE) COM FUNGICIDA E INSETICIDA NA GERMINAÇÃO.

EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES DE CARDEIRO (SCLERONEMA MICRANTHUM DUCKE) COM FUNGICIDA E INSETICIDA NA GERMINAÇÃO.

Nas sementes de Cardeiro (Scleronema nicranthum Ducke) tratadas com Aldrin 0,6% quando em combinação com Benlate, conforme Figura 5, ocorreu redução na porcentagem de germinação, sendo[r]

7 Ler mais

Qualidade de sementes de soja armazenadas após recobrimento com aminoácido, polímero, fungicida e inseticida.

Qualidade de sementes de soja armazenadas após recobrimento com aminoácido, polímero, fungicida e inseticida.

+ polímero; 8) fungicida + inseticida + polímero e 9) fungicida + aminoácido + inseticida. Após os tratamentos às sementes foram armazenadas e sua qualidade avaliada a cada 60 dias quanto à germinação, vigor e sanidade. A aplicação do aminoácido isolado afeta positivamente a germinação das sementes de soja, porém quando combinado com fungicida e polímero não melhora o desempenho das sementes. A germinação foi afetada negativamente com o uso do fungicida, porém a combinação de fungicida e polímero não apresentou este efeito. A aplicação do fungicida reduziu a incidência dos fungos avaliados, com exceção da Cercospora sp. A utilização de polímero não afeta o controle de fungos pelo fungicida, indicando que a combinação dos mesmos pode ser utilizada.
Mostrar mais

12 Ler mais

Utilização da análise computadorizada de plântulas na avaliação do potencial fisiológico de sementes de amendoim tratadas com fungicida e inseticida.

Utilização da análise computadorizada de plântulas na avaliação do potencial fisiológico de sementes de amendoim tratadas com fungicida e inseticida.

Além do tratamento fungicida, o tratamento das sementes com inseticidas visando o controle de pragas iniciais da cultura é de grande importância, destacando- se o uso racional de produtos eicazes e de prolongada ação residual, como os inseticidas fosforados. Uma das preocupações na utilização de inseticidas fosforados no tratamento de sementes é o seu possível efeito nocivo sobre o potencial isiológico. Fadigas Júnior e Suplicy Filho (1961) não observaram danos à emergência de plântulas com a utilização de inseticidas fosforados sistêmicos no tratamento de sementes de amendoim. Por outro lado, vários trabalhos de pesquisa evidenciaram efeito prejudicial do produto, quer seja sobre a emergência de plântulas (Lago e Toledo, 1970), ou ocasionando itotoxicidade ao longo do armazenamento de sementes de amendoim (Scarpellini e Nakamura, 2002) e de milho (Gotardo et al., 2001). Pandey e Singh (2006) trataram sementes de amendoim com os inseticidas Chlorpyrifos 20 EC e Quinalphos 25 EC, bem como realizaram a aplicação dos produtos diretamente no solo e não veriicaram efeitos negativos para a germinação das sementes; contudo, observaram mudanças na atividade de enzimas da solução do solo, as quais podem afetar negativamente a disponibilidade de nutrientes para a planta e ocasionar quedas na produtividade, quando utilizados por longo período de tempo e em doses inadequadas.
Mostrar mais

11 Ler mais

Efeito Fisiológico De Inseticidas E Fungicida Sobre A Germinação E Vigor De Sementes De Soja (Glycine max L.)

Efeito Fisiológico De Inseticidas E Fungicida Sobre A Germinação E Vigor De Sementes De Soja (Glycine max L.)

Para evitar possíveis perdas decorrentes das ações de pragas e doenças do solo e da parte aérea, que causam danos as sementes e as plantas jovens, tem-se como alternativa, a utilização de inseticidas e fungicidas, com ação sistêmica, no tratamento de sementes. Esse tipo de tratamento apresenta custos mais baixos, impactos ambientais reduzidos, menor risco de intoxicação para o aplicador de produtos, maior rapidez e eficiência de aplicação, além de maior economia de agroquímicos.

8 Ler mais

Temperatura e período de exposição de sementes de milho no teste de envelhecimento acelerado

Temperatura e período de exposição de sementes de milho no teste de envelhecimento acelerado

RESUMO - O teste de envelhecimento acelerado (EA) apresenta possibilidades de uso nos programas de controle de qualidade de sementes de milho. Porém, para uso em rotina, há necessidade de padronização das condições de temperatura e período de exposição das sementes na realização do teste. Esta pesquisa teve por objetivo avaliar o efeito da combinação de duas temperaturas (42 e 45ºC) e dois períodos de envelhecimento (72 e 96h) nos resultados do teste de envelhecimento acelerado em sementes de milho. Para isso, sementes de seis genótipos de milho, tratadas e sem tratamento fungicida, com altos valores de germinação inicial, semelhantes entre si, dentro de cada genótipo, foram submetidas ao EA, de acordo com condições de temperatura e período de exposição pré-estabelecidos. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com os tratamentos (lotes x germinação, antes e após o EA) dispostos em esquema fatorial, empregando- se o teste de Tukey a 5% de probabilidade na comparação das médias. Verificou-se que sementes de milho apresentam diferenças de sensibilidade ao envelhecimento acelerado, condicionadas pelo genótipo e tratamento fungicida. Contudo, a combinação 45ºC por 72h possibilita separar lotes de qualidade fisiológica superior e inferior, independentemente do genótipo. O período de exposição das sementes ao envelhecimento acelerado determina o teor de água atingido pelas mesmas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Peliculização de sementes intactas e escarificadas de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf.

Peliculização de sementes intactas e escarificadas de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf.

E-mails: ceci@unoeste.br, ambiel@unoeste.br, dzrodrigues@yahoo.com.br, edna_tag@hotmail.com, vanessadfactur@ig.com.br, O Brasil é o maior produtor, consumidor e exportador mundial de sementes de gramíneas forrageiras, necessitando de tecnologias e novos tratamentos para manutenção e expansão deste mercado. O objetivo deste trabalho foi estudar o efeito do tratamento de peliculização (polímero, fungicida e corante), precedida ou não de escariicação ácida, sobre a germinação de sementes comerciais de Brachiaria brizantha, em condições de deiciência de água, simuladas em laboratório. As sementes intactas ou escariicadas com ácido sulfúrico, na presença e ausência de peliculização, todas do mesmo lote, foram avaliadas pelo teste de germinação, imediatamente (0 MPa, -0,3 MPa, -0,6 MPa, -0,9 MPa e -1,2 MPa) e após seis meses (0 MPa, -0,1 MPa, -0,2 MPa e -0,4 MPa) do tratamento, em potenciais hídricos induzidos por manitol, simulando deiciência hídrica. As sementes foram armazenadas a 20 o C e 60% UR do ar, em sala
Mostrar mais

8 Ler mais

Desempenho de sementes de soja submetidas a tratamento com fungicida/inseticida e períodos de armazenamento / Performance of soybean seeds submitted to fungicidal/insecticide treatment and storage periods

Desempenho de sementes de soja submetidas a tratamento com fungicida/inseticida e períodos de armazenamento / Performance of soybean seeds submitted to fungicidal/insecticide treatment and storage periods

Os períodos de armazenagem de 0, 7 e 14 dias após tratamento, apresentaram valor numérico de germinação menor em relação à testemunha sem tratamento e embora esta diferença não tenha sido significativa, este resultado demonstra efeito antagônico do produto Standak® Top na germinação de plântulas em soja, mas ainda assim as sementes apresentam satisfatório índice de germinação, superiores a mínima estabelecida para a comercialização que é de 80%. Este comportamento não foi verificado nas sementes tratadas e armazenadas por períodos superiores a 21 dias.
Mostrar mais

8 Ler mais

Efeito do tratamento químico na qualidade sanitária e fisiológica de sementes de soja infectadas por Sclerotinia sclerotiorum

Efeito do tratamento químico na qualidade sanitária e fisiológica de sementes de soja infectadas por Sclerotinia sclerotiorum

Este revelou que sementes tratadas com fungicidas apresentaram valores significativamente superiores aos tratamentos testemunha e inseticidas isolados, entretanto, quando comparados entre si, não foi observada diferença estatística entre eles. Tal resultado é satisfatório, visto que Pires et al. (2004) observaram que sementes de feijão, quando tratadas com os fungicidas carbendazin, benomyl e captan, apresentaram atraso de germinação, além de menor vigor pelo teste de primeira contagem de germinação, quando expostas ao fungicida captan. Da mesma forma, Nascimento et al. (1996) e Pereira (1991) relataram que alguns inseticidas, quando aplicados isolados ou em combinação com fungicidas, ocasionaram diminuição de germinação de sementes e menor sobrevivência de plântulas, em virtude de efeitos de fitotoxicidade. Contrariamente, em estudo realizado por Barbosa et al. (2002), sementes de feijão tratadas com os inseticidas thiametoxan e imidacloprid deram origem a plantas com características agronômicas potencializadas, o que resultou em aumento de produtividade. Tavares et al. (2007) não verificaram diferença de germinação e vigor em sementes de soja tratadas com o ingrediente ativo thiametoxan. Soave (1985) observou que o emprego de inseticidas e fungicidas na forma de tratamento de sementes deu origem a plântulas com germinação e vigor melhores, em virtude da relação entre estas variáveis e a incidência de patógenos.
Mostrar mais

68 Ler mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE FEIJOEIRO-COMUM COM FUNGICIDA, INSETICIDA E PROMOTORES DE CRESCIMENTO DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i2.3139

TRATAMENTO DE SEMENTES DE FEIJOEIRO-COMUM COM FUNGICIDA, INSETICIDA E PROMOTORES DE CRESCIMENTO DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i2.3139

No presente trabalho, o uso do inseticida (Cruiser®) (Thiamethoxam juntamente com o fungicida (Maxim®) Fludioxanil Metalaxil-M), apresentou um efeito positivo no tratamento de sementes de feijoeiro. De forma semelhante, Barros et al. (2001) evidenciaram que o tratamento de sementes de feijão como Thiamethoxam, Fludioxonil + Metalaxil-M promoveu os mais elevados níveis de controle de fungos, bem como o controle da mosca branca. Apesar do trabalho atual não trazer dados sobre controle de doenças e pragas, ficou visível seu efeito nos resultados da emergência quando se usou inseticida mais fungicida.
Mostrar mais

8 Ler mais

Germinação de sementes de mamona em diferentes substratos e com tratamento fungicida

Germinação de sementes de mamona em diferentes substratos e com tratamento fungicida

Dessa forma, na Tabela 2 visualizaram-se os maiores valores no substrato Plantmax, porém as cul- tivares AL Guarany 2002 e Lyra tiveram germinação inferior na comparação entre elas para esse substra- to. Essas mesmas cultivares, quando tratadas com fungicida, aumentaram a emergência. No substrato rolo de papel a cultivar IAC 2028 – sem tratamen- to e ‘BRS Energia’ – com tratamento destacaram-se com maior germinação em relação às demais. O tra- tamento com fungicida aumentou a germinação da ‘IAC 266’ e comprometeu a da ‘IAC 2028’ e do hibrído Lyra. Possivelmente, para essas variedades, a dose do fungicida aplicado tenha sido muito alta, pois Tro- paldi et al. (2010) não verificaram efeito fitotóxico no híbrido Lyra utilizando doses menores.
Mostrar mais

7 Ler mais

Armazenamento de sementes de soja tratadas com fungicida, inseticida e micronutriente e recobertas com polímeros líquido e em pó.

Armazenamento de sementes de soja tratadas com fungicida, inseticida e micronutriente e recobertas com polímeros líquido e em pó.

Para assegurar a qualidade do tratamento de sementes, é adicionado um polímero adesivo, formando um filme de recobrimento com os produtos, contribuindo para que a quantidade adequada dos ingredientes ativos aplicados seja aderida à superfície das semen tes gar antin do o seu desempenh o (KUNKUR et al., 2007) e proporcionando sementes com boa aparência, coloração e aderência (BAYS et al., 2007). Com o tratamento de sementes passando a fazer parte do fluxograma de algumas unidades de beneficiamento, é importante conhecer seus efeitos no potencial de armazenamento. O tratamento de sementes com fungicidas e polímeros não prejudicou a germinação de sementes de feijoeiro durante quatro meses de armazenamento (PIRES et al., 2004). Sementes de milho com alta qualidade fisiológica inicial, tratadas com in seticida, fungicida e polímer os, for am armazenadas por seis meses sem prejuízos a sua qualidade (PEREIRA et al., 2005). Em sementes de algodão, o tratamento com fungicida, inseticida e polímero propiciou sementes com maior porcentagem de germinação após nove meses de armazenamento (KUNKUR et al., 2007). Os polímeros não afetaram a qualidade fisiológica de sementes de soja quando comparado a sementes sem tratamento, embora para sementes tratadas com thiram + thiabendazole o potencial de armazenamento tenha sido maior que daquelas sem fungicida (PEREIRA et al., 2007).
Mostrar mais

7 Ler mais

Tratamento químico, revestimento e armazenamento de sementes de Brachiaria brizantha cv. Marandu.

Tratamento químico, revestimento e armazenamento de sementes de Brachiaria brizantha cv. Marandu.

RESUMO - A agregação de valor às sementes de Brachiaria spp., utilizando métodos e tecnologias de beneiciamento de sementes como o recobrimento das sementes é uma exigência do mercado consumidor, cada vez mais competitivo. Apesar do incremento no uso de sementes recobertas veriicado no mercado nos últimos anos, são poucas as informações disponíveis na literatura sobre o comportamento destas sementes durante o período de armazenamento. Neste contexto, objetivou-se, neste trabalho, avaliar o efeito de diferentes materiais de revestimento em associação com tratamento químico sobre desempenho das sementes durante o armazenamento. Foram utilizadas sementes de Brachiaria brizantha cv. Marandu, e estas foram revestidas em uma betoneira adaptada, utilizando quatorze tipos de revestimento e como testemunha foram utilizadas sementes sem revestimento; combinados com e sem tratamento químico e armazenadas em condição ambiente. As avaliações da qualidade isiológica pelo teste de germinação e emergência de plântulas e sanitária foram realizadas durante 0, 3, 6, 9 e 12 meses de armazenamento. Conclui-se que sementes revestidas com Areia + PVA e Areia + CaSiO 3 + PVA ou polímero, tratadas quimicamente, mantém sua qualidade isiológica ao longo dos 12 meses de armazenamento; o tratamento químico com fungicida Carbendazim + Thiram e inseticida Fipronil nas sementes revestidas ou não, é eiciente no controle de fungos e promove melhor desempenho isiológico ao longo do armazenamento; o revestimento com Betonita e/ou Calcário afeta negativamente a qualidade isiológica das sementes de Brachiaria brizantha cv. Marandu no armazenamento por um período de 12 meses; o revestimento de sementes promove redução da velocidade de germinação e emergência de sementes de Brachiaria brizantha cv. Marandu.
Mostrar mais

10 Ler mais

O PROCESSO DE ESCOLHA DE GESTORES ESCOLARES NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO AMAZONAS: PROBLEMATIZAÇÕES E POSSIBILIDADES

O PROCESSO DE ESCOLHA DE GESTORES ESCOLARES NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO AMAZONAS: PROBLEMATIZAÇÕES E POSSIBILIDADES

(MEC, 2014, p.29). E no campo da Gestão Educacional, a Secretaria de Educação, ao elaborar o PAR, deve sinalizar qual é o método de escolha de gestores escolares e quais são os cri[r]

132 Ler mais

DÁRIO PINHEIRO SILVA O COMPARTILHAMENTO DE CARGAS HORÁRIAS NA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E QUALIDADE DO ENSINOSEDUC-AMAZONAS

DÁRIO PINHEIRO SILVA O COMPARTILHAMENTO DE CARGAS HORÁRIAS NA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E QUALIDADE DO ENSINOSEDUC-AMAZONAS

Com isso, a SEDUC-AM em seu DGP, com o propósito de aumentar a eficácia da aplicação da legislação voltada para os profissionais da educação, requereu do direto[r]

103 Ler mais

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NA CONDUTIVIDADE HIDRÁULICA SATURADA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NA CONDUTIVIDADE HIDRÁULICA SATURADA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

Os resultados obtidos puderam demonstrar que embora o modelo de segregação convencional estudado por KEALY and BUSCH (1971) seja baseado somente na segregação por tamanho das partículas pode-se notar que para a pilha do Monjolo a segregação hidráulica tende a ser influenciada de forma preponderante pelo peso da partícula. Assim, a segregação inicialmente ocorre em função do peso das partículas gerando zonas próximas ao ponto de descarga com altas concentrações de partículas de ferro e consequente diminuição diminuição no valor da condutividade hidráulica. Nas regiões intermediárias e mais distantes di ponto de lançamento a segregação ocorre por tamanho e neste caso o efeito da granulometria se torna fundamental nas características de drenabilidade das barragens. O fato mais importante desta análise é a consideração da influência de partículas com diferentes densidades no comportamento mecânico destas estruturas, evidenciando a característica particular do rejeito de mineração.
Mostrar mais

213 Ler mais

Governo do Peru aprovou um guia para quantificar as emissões de gases de efeito estufa e poluentes climáticos de curta duração no setor de transporte. - Mobilitas

Governo do Peru aprovou um guia para quantificar as emissões de gases de efeito estufa e poluentes climáticos de curta duração no setor de transporte. - Mobilitas

Con el objetivo de apoyar esta labor, el MTC pone a disposición de ellos y del público en general Cambio Climático, Calidad del Aire y Transporte: guía para cuantificar las emisiones [r]

108 Ler mais

OS DESAFIOS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO 9001:2008 NA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E QUALIDADE DO ENSINO DO AMAZONAS: O CASO DA ESCOLA EDUARDO RIBEIRO

OS DESAFIOS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO ISO 9001:2008 NA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E QUALIDADE DO ENSINO DO AMAZONAS: O CASO DA ESCOLA EDUARDO RIBEIRO

- Identificar os fatores dificultadores da Certificação ISO 9001:2008 na Escola Estadual Eduardo Ribeiro, a partir da percepção de funcionários administrativos, professores, [r]

93 Ler mais

Influência da nutrição mineral foliar sobre doenças da parte aérea da cultura do trigo.

Influência da nutrição mineral foliar sobre doenças da parte aérea da cultura do trigo.

A utilização de fungicida para o controle de doenças foliares na cultura do trigo é prática comum entre os triticultores. Contudo, devido ao impacto ambiental provocado pelo seu uso generalizado, buscam-se alternativas para controle dos fitopatógenos. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da nutrição mineral foliar sobre as doenças foliares do trigo, bem como seu efeito sobre o desenvolvimento da planta. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com quatro repetições e quatro tratamentos: 1- testemunha; 2- adubação foliar aos 30 dias após a emergência (DAE) e aos 75 DAE; 3- fungicida aos 30 e 75 DAE; e 4- adubação foliar aos 30 DAE e adubação foliar mais fungicida aos 75 DAE. Foram realizadas nove avaliações da incidência e da severidade do oídio, cujos dados foram utilizados para o cálculo das áreas abaixo das curvas de progresso da doença; três avaliações da severidade da ferrugem e da mancha da gluma; e duas avaliações da mancha amarela. Foram determinadas a massa de matéria fresca e seca da parte aérea e do sistema radicular e a produtividade da cultura. Foi observada redução da incidência e da severidade de oídio em função da adubação foliar, apenas na primeira avaliação de incidência e nas segunda e quinta avaliações de severidade da doença. O efeito complementar dos nutrientes com o fungicida para redução das doenças foi observado apenas para a mancha amarela, com redução de aproximadamente 11,16 % da severidade. Os maiores valores de produtividade foram observados para os tratamentos apenas com fungicida e, com fungicida mais nutrien- tes. A adubação foliar proporcionou aumento da massa fresca de raízes e massa seca de raízes. Apesar disso, não houve aumento da massa fresca da parte aérea em função da adubação foliar.
Mostrar mais

6 Ler mais

OBTENÇÃO DO ÍNDICE DE CONFIABILIDADE DE LIGAÇÕES DE PERFIS FORMADOS A FRIO COM O EMPREGO DO MÉTODO FORM

OBTENÇÃO DO ÍNDICE DE CONFIABILIDADE DE LIGAÇÕES DE PERFIS FORMADOS A FRIO COM O EMPREGO DO MÉTODO FORM

A tabelas 5.4 apresenta os resultados dos coeficientes de ponderação da resistência para chapas e perfis com ligações parafusadas (cantoneiras e perfis U), constantes do banco de dados,[r]

108 Ler mais

Alterações estruturais e fisiológicas em sementes de Copaifera Langsdorffii DESF. - Leguminosae-Caesalpinioideae submetidas ao tratamento com hipoclorito de sódio.

Alterações estruturais e fisiológicas em sementes de Copaifera Langsdorffii DESF. - Leguminosae-Caesalpinioideae submetidas ao tratamento com hipoclorito de sódio.

O comportamento germinativo de C. langsdorfii tem sido descrito na literatura cientíica e técnica de duas maneiras. Alguns trabalhos recomendam a necessidade de tratamentos de quebra de dormência (Borges et al., 1982; Bezerra et al., 2002), enquanto outros autores asseguram que não há necessidade de tais tratamentos (Lorenzi, 1992). Entre os tratamentos de escariicação já testados para a espécie iguram a escariicação mecânica com lixas (Machado et al., 1992); imersão em ácido sulfúrico (Bezerra et al., 2002) e em água parada por 72 horas (Borges et al., 1982). Esse último tratamento foi eiciente, provavelmente devido à lixiviação de substâncias fenólicas inibidoras presentes nas sementes (Moris e Monteiro, 1959; Pólo e Paes, 1994). Todavia, todos esses trabalhos carecem de informações mais detalhadas sobre o processo germinativo ao
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados