Top PDF Tratamentos pré-germinativos e avaliação do potencial fisiológico de sementes de mamona

Tratamentos pré-germinativos e avaliação do potencial fisiológico de sementes de mamona

Tratamentos pré-germinativos e avaliação do potencial fisiológico de sementes de mamona

RESUMO – A qualidade de sementes de mamona tem sido avaliada rotineiramente pelo teste de germinação, cujos resultados, muitas vezes, não são confirmados em campo. Neste contexto, os testes de vigor são essenciais, pois retratam o comportamento das sementes sob maior amplitude de ambiente. O trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência de métodos para determinar o potencial fisiológico de sementes de mamona. Para tanto, foram utilizados sete lotes de sementes de mamona, cultivar AL- Guarany, que foram submetidos aos seguintes testes: teor de água, germinação, primeira contagem de germinação, frio (a 10ºC/7 dias e a 25ºC/5 dias), porcentagem e velocidade de emergência de plântulas, envelhecimento acelerado a 41ºC e 45ºC e 100% UR, por 48, 72 e 96 horas e condutividade elétrica (25 sementes embebidas em 75 e 100mL de água destilada, a 25ºC, por 2, 4, 6, 8, 24, 48 e 72 horas). Os testes de frio e de envelhecimento acelerado (41ºC/72 horas e 100% UR) foram eficientes para avaliação do potencial fisiológico de sementes de mamona, permitindo classificação de lotes quanto ao vigor semelhante à emergência de plântulas em solo. O teste de condutividade elétrica não se mostrou adequado para avaliação do potencial fisiológico das sementes de mamona.
Mostrar mais

62 Ler mais

Testes de vigor para avaliação do potencial fisiológico de sementes de mamona (Ricinus communis L.).

Testes de vigor para avaliação do potencial fisiológico de sementes de mamona (Ricinus communis L.).

A qualidade das sementes de mamona tem sido avaliada, rotineiramente, pelo teste de germinação (Brasil, 1992), conduzido sob condições ideais, em laboratório. Desse modo, os resultados obtidos expressam o potencial máximo de germinação do lote. No entanto, estes resultados nem sempre são confirmados em campo, principalmente quando as condições de ambiente se desviam das mais adequadas. Por este motivo, atualmente, é cada vez mais crescente a procura por métodos que permitam avaliar, de maneira rápida e eficiente, o potencial fisiológico das sementes, representado pelo seu potencial de armazenamento e de emergência de plântulas em campo. Para isso, destacam-se os testes de envelhecimento acelerado e condutividade elétrica que têm sido utilizados para sementes de diversas espécies. Porém, são escassos os estudos direcionados à adequação da metodologia desses testes para a avaliação do vigor de sementes de mamona.
Mostrar mais

7 Ler mais

Tratamentos pré-germinativos em sementes de mamona (Ricinus communis L.).

Tratamentos pré-germinativos em sementes de mamona (Ricinus communis L.).

Em laboratório, diversos procedimentos podem ser empregados para a superação da dureza tegumentar das sementes de espécies que apresentam tal característica, entre os quais pode se destacar a escariicação mecânica, a escariicação química, a imersão em água, aquecida ou a temperatura ambiente, por determinado período de tempo, punção, corte ou até a retirada parcial ou completa do tegumento (Brasil, 1992). O choque térmico, representado por alternância ou lutuações de temperatura, também pode contribuir para promover alterações no envoltório das sementes, sendo que a amplitude das lutuações deve ser superior a 15ºC (Perez, 2004). Em sementes com tegumento espesso também se pode empregar o calor úmido para auxiliar o processo de hidratação, como em canafístula (Peltophorum dubium ), onde a exposição das sementes à temperatura de 45ºC e 100% de umidade relativa, por 24 a 48 horas, promoveu o amolecimento do tegumento (Perez et al., 1999). Tais condições correspondem àquelas recomendadas para a condução do teste de envelhecimento acelerado, utilizado para a avaliação do vigor de sementes (Marcos Filho, 1999). Contudo, a aplicação e a eiciência desses tratamentos dependem, principalmente, do grau de dureza, o que é bastante variável entre as espécies (Lima e Garcia, 1996) e também entre genótipos e lotes da mesma espécie.
Mostrar mais

8 Ler mais

Pré-hidratação e avaliação do potencial fisiológico de sementes de soja.

Pré-hidratação e avaliação do potencial fisiológico de sementes de soja.

RESUMO - Sementes de soja submetidas à rápida hidratação podem sofrer danos por embebição, cuja intensidade depende do cultivar e do teor de água inicial das sementes. O presente trabalho objetivou estudar alterações isiológicas determinadas por métodos de pré-hidratação para minimização do dano por embebição. Foram utilizados três lotes de cada cultivar de soja, de tamanho uniforme, CD 202 e CD 215, caracterizados quanto ao teor de água, germinação, primeira contagem de germinação, envelhecimento acelerado, condutividade elétrica e emergência de plântulas em campo. Os teores de água das sementes foram ajustados para 7,5; 10,5 e 13,5%. A seguir, as sementes foram submetidas a tratamentos de pré-hidratação em atmosfera saturada e em substrato umedecido, por quatro e seis horas e, posteriormente, avaliadas pelos testes de condutividade elétrica após 24 horas, germinação e emergência de plântulas em campo. Os tratamentos de pré-hidratação em atmosfera saturada e substrato umedecido, por quatro e seis horas mostraram-se eicientes na diminuição de danos causados às sementes com baixo teor de água, sendo mais expressivo nas sementes de cultivar CD 202. No entanto, a pré-hidratação em substrato umedecido por seis horas foi o mais eiciente para os dois genótipos, ao proporcionar menor quantidade de solutos lixiviados, tendo em vista o menor valor obtido pelo teste de condutividade elétricaz e promover melhor desempenho das sementes nos testes de germinação e de emergência de plântulas em campo.
Mostrar mais

15 Ler mais

Germinação e vigor de sementes de melancia com diferentes ploidias submetidas a tratamentos pré-germinativos.

Germinação e vigor de sementes de melancia com diferentes ploidias submetidas a tratamentos pré-germinativos.

RESUMO - Sementes triplóides e tetraplóides de melancia apresentam problemas de germinação, havendo a necessidade do emprego de tratamentos visando minimizar este problema. Técnicas para melhorar a germinação são importantes para aumentar o potencial de desempenho das sementes e, por conseguinte, a uniformidade das plantas em condições de campo. O presente trabalho teve como objetivo verificar o efeito de tratamentos pré-germinativos em sementes diplóides, triplóides e tetraplóides de melancia. As sementes foram submetidas à maceração; escarificação mecânica + ácido giberélico (GA 3 ); escarificação; ácido giberélico (GA 3 ). Após a aplicação dos tratamentos, as sementes foram colocadas para germinar em rolos de papel germitest embebido com água destilada na proporção de 2,5 vezes seu peso e mantidas em germinador à temperatura de 25°C. Foram realizadas avaliações de porcentagem de germinação e crescimento de plântulas aos 5 e 12 dias. A avaliação da emergência de plântulas foi realizada no interior de uma casa-de-vegetação coberta com sombrite 50%, em bandejas plásticas com solo. Foram realizadas contagens diárias do número de plântulas emergidas até a estabilização da emergência das mesmas, considerando-se emergidas aquelas que apresentavam os cotilédones expostos. Foram determinadas as porcentagens de emergência e o índice de velocidade de emergência de plântulas. Apesar dos tratamentos pré- germinativos empregados nos três tipos de sementes não serem eficientes no aumento da germinação e emergência de plântulas de melancia, observou-se que o GA 3 e a escarificação, empregados separadamente e em associação, promoveram maior crescimento de plântulas oriundas de sementes diplóides e tetraplóides e que a maceração também contribuiu para maior crescimento de plântulas tetraplóides.
Mostrar mais

5 Ler mais

Tratamentos pré-germinativos em sementes de duas espécies do gênero Poincianella.

Tratamentos pré-germinativos em sementes de duas espécies do gênero Poincianella.

A indicação de determinado método para a superação da dormência deve permitir que a maioria das sementes dormentes expresse seu potencial fisiológico após a aplicação do mesmo, apresentando germinação rápida e uniforme (BRANCALION; MONDO; NOVEMBRE, 2011). Para as sementes de canafístula (Cassia grandis L.f.) o tratamento mais eficiente para superação da dormência foi a imersão em ácido sulfúrico por 30 minutos, que resultou em 72% de germinação, semelhante aos resultados obtidos com a espécie em estudo, onde os tratamentos das sementes com ácido sulfúrico favoreceram a germinação, porém não sendo superior a testemunha. Entretanto, não houve germinação das sementes de canafístula quando submetidas aos tratamentos com imersão em água a 80 ºC por 1; 3 e 5 minutos (MELO; RODOLFO JÚNIOR, 2006).
Mostrar mais

7 Ler mais

Avaliação do potencial fisiológico de sementes de soja por meio de imagens.

Avaliação do potencial fisiológico de sementes de soja por meio de imagens.

5. Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Departamento de Tecnologia de Alimentos, Medianeira, PR, Brasil. A utilização de sementes com alto potencial isiológico é de grande importância para agricultores, pois está, diretamente, relacionada à alta produtividade. Este estudo objetivou avaliar o desempenho de sementes de soja (cultivar CD 2737 RR) produzidas a partir de lotes com alta e baixa germinação, bem como a eiciência da análise computadorizada, pelos programas Seed Vigor Imaging System (SVIS ® ) e Tomato Analyzer, para

7 Ler mais

TRATAMENTOS PRÉ-GERMINATIVOS EM SEMENTES DE Didymopanax morototoni (Aubl.) Dcne. et Planch

TRATAMENTOS PRÉ-GERMINATIVOS EM SEMENTES DE Didymopanax morototoni (Aubl.) Dcne. et Planch

nenhum dos tratamentos. Esses resultados diferem com a indicação de Lorenzi (1998) de, no mínimo, 60 a 100 dias para a germinação. Algumas sementes de espécies florestais necessitam de até cinco meses para sair do repouso e entrar em atividade metab ólica, quando os tecidos embrionários alcançam a maturação embriológica. Mas, relatos de vários autores relacionados por Carvalho (1994) indicam que a semente de caixeta mantém a viabilidade por três meses em ambiente com temperatura e umidade vari ável; mas, quando armazenadas em câmara seca, permanecem viáveis por onze meses, com índices de 48% de germinação. Nos testes realizados neste estudo, não ocorreu a germinação nas testemunhas, apesar da permanência das sementes em observação por período de até quatro meses. Os resultados obtidos indicam que quanto ao processo germinativo, as sementes, provavelmente, sejam indiferentes à luz.
Mostrar mais

10 Ler mais

DIEGO MEDEIROS GINDRI QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DAS SEMENTES DE CULTIVARES CRIOULAS DE FEIJÃO PRODUZIDAS NO

DIEGO MEDEIROS GINDRI QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DAS SEMENTES DE CULTIVARES CRIOULAS DE FEIJÃO PRODUZIDAS NO

Na mesorregião do oeste catarinense, especialmente no município de Anchieta, esse trabalho obteve repercussão nacional. A partir de 1996, o Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Anchieta (Sintraf/Anchieta), com apoio da Prefeitura Municipal e de algumas ONGs promovem ações de fomento ao resgate, uso e conservação de variedades locais de diversas espécies, especialmente o milho. No ano de 1999 a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina concedeu ao município de Anchieta o título de Capital Catarinense do Milho Crioulo e no ano seguinte foi realizada a 1ª Festa Estadual do Milho Crioulo, que posteriormente tornou-se nacional e repete-se bianualmente. Atualmente as variedades locais de milho vêm sendo cultivadas na maioria das comunidades e em grande parte dos estabelecimentos agrícolas do município, contrastando com a realidade anterior, na qual as famílias agricultoras estavam submetidas à grande dependência das sementes comerciais. O sistema local de intercâmbio informal de sementes e mudas foi fortalecido, garantindo a reprodução das variedades de milho e de outras culturas pelas comunidades (CANCI, 2006).
Mostrar mais

89 Ler mais

Avaliação do potencial fisiológico de lotes de sementes de soja

Avaliação do potencial fisiológico de lotes de sementes de soja

MARCoS FiLho, J. Testes de vigor: importância e utilização. in: KRZyZANoWSKi, F.C.; ViEiRA, R.D.; FRANÇA NETo, J.B. (Ed.) Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES. 1999b. cap. 1, p.1-21. MARCoS FiLho, J.; BENNETT, M.A.; McDoNALD, M.B.; EVANS, A.F.; gRASSBAUgh, E.M. Assessment of melon seed vigour by na automated computer imaging system compared to traditional procedures. Seed Science and Technology, v.34, n.2, p.485-497, 2006. http://docserver.ingentaconnect.com/deliver/connect/ ista/02510952/v34n2/s23.pdf?expires=1289327826&id=5 9615473&titleid=75001181&accname=Universidade+Est adual+Paulista+(UNESP)+’Julio+de+Mesquita+Filho’&c hecksum=6E738F27150DE15091C1671246F180D7 MARCoS FiLho, J.; KiKUTi, A.L.P.; LiMA, L.B. Métodos para avaliação do vigor de sementes de soja, incluindo a análise computadorizada de imagens. Revista Brasileira de Sementes, v.31, n.1, p.102-112, 2009. http:// www.scielo.br/pdf/rbs/v31n1/a12v31n1.pdf
Mostrar mais

9 Ler mais

Métodos para avaliação do potencial fisiológico de sementes de alface.

Métodos para avaliação do potencial fisiológico de sementes de alface.

RESUMO – A alface (Lactuca sativa L.) é uma hortaliça que se multiplica por meio de sementes e seu potencial fisiológico pode ser avaliada através do teste de germinação e testes de vigor. No entanto, apenas o teste de germinação está completamente padronizado para esta espécie, enquanto os demais necessitam de ajustes em suas metodologias a fim de torná-los precisos para a avaliação do potencial fisiológico de sementes de alface. Os objetivos do trabalho foram comparar e identificar testes para avaliar o potencial fisiológico das sementes de alface. Utilizaram-se sementes de alface cv. Regina e Vera e os testes de germinação, primeira contagem, solução osmótica, envelhecimento acelerado, emergência de plântulas, condutividade elétrica, comprimento de plântulas e massa seca de plântulas. O delineamento experimental usado foi o inteiramente casualizado, com os dados analisados através do teste de Tukey a 5% de probabilidade. O teste de germinação mostrou diferenças entre lotes da cv. Regina e os testes de vigor estratificaram lotes quanto ao potencial fisiológico. Para a cv. Vera, os testes de vigor aplicados às sementes não mostraram diferença significativa entre os lotes, com exceção do teste de envelhecimento acelerado. Concluiu-se que o potencial fisiológico de sementes de alface pode ser avaliado com o uso dos testes de primeira contagem, envelhecimento acelerado e emergência em gerbox, enquanto os testes de solução osmótica e de condutividade elétrica necessitam estudos adicionais para adequar suas metodologias e viabilizar a sua utilização para sementes de alface.
Mostrar mais

7 Ler mais

Desempenho de sementes de soja submetidas a diferentes potenciais osmóticos em polietilenoglicol.

Desempenho de sementes de soja submetidas a diferentes potenciais osmóticos em polietilenoglicol.

Com o objetivo de determinar o potencial fisiológico e o desempenho germinativo de sementes de soja, dois lotes foram avaliados pelos testes de germinação, de frio, de envelhecimento acelerado, de condutividade elétrica e de germinação sob estresse osmótico, nos potenciais 0,0 (controle); -0,1; -0,2; -0,3; -0,4; -0,5; -0,6 e -0,7MPa. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado e quatro repetições de 50 sementes, exceto para a condutividade elétrica, com duas repetições de 50 sementes. Adicionalmente, a germinação sob estresse osmótico foi submetida à análise de regressão. O estresse osmótico em polietilenoglicol, em potencial igual ou inferior a -0,6MPa, é um procedimento promissor para a avaliação do potencial fisiológico de sementes de soja; valores decrescentes de potencial osmótico reduzem a germinação, enquanto potenciais próximos a zero podem provocar o envigoramento das sementes.
Mostrar mais

4 Ler mais

A Produção de Sementes Registradas

A Produção de Sementes Registradas

– Então, esse feijão miudinho pertence a essa empresa. E como a nossa coo- perativa só compra pequenas quantidades, a empresa está achando que não compensa vender pra gente. Cada hora eles inventam uma desculpa diferente, e no final das contas, eles não dão pra cooperativa o docu- mento de autorização pro pessoal produzir sementes dessa variedade. – E o quê que a gente pode fazer nesse caso, Noelma?, perguntou Éberson. – Bom, Éberson, nesse caso não vai ser fácil, não. Até existem algumas medidas administrativas e jurídicas pra tentar forçar a empresa a dar a autorização pra gente. Mas isso ia levar um tempão e custar um bom dinheiro. E, pra piorar, eu nem acho que ia dar certo. Esse caso é compli- cado mesmo, essa Lei de Cultivares favorece as empresas! Eu, por exem- plo, acho que nem vale a pena tentar. É muito investimento pra pouca chance de retorno.
Mostrar mais

20 Ler mais

TRATAMENTOS PRÉ-GERMINATIVOS EM SEMENTES DE Hibiscus sabdariffa L. (Malvales - Malvaceae)

TRATAMENTOS PRÉ-GERMINATIVOS EM SEMENTES DE Hibiscus sabdariffa L. (Malvales - Malvaceae)

A determinação do teor de água das sementes de vinagreira, como procedimento inicial na realização da pesquisa, indicou que as sementes apresentaram-se com 9,6% de umidade. Este valor está dentro do padrão considerado ideal para a colheita e armazenamento de sementes de espécies consideradas ortodoxas, como é o caso da vinagreira. Segundo Kermode (1997), sementes ortodoxas são aquelas, que ao final do processo de desenvolvimento e maturação, sofrem secagem natural na planta mãe, finalizando o desenvolvimento com baixo conteúdo de água, em torno de 5 a 10% da matéria fresca. Adicionalmente, o teor de água inicial das sementes é um fator primordial para padronização dos testes de avaliação de qualidade a serem realizados e,
Mostrar mais

8 Ler mais

Comparação entre métodos para avaliação da qualidade fisiológica e sanitária de sementes de melão.

Comparação entre métodos para avaliação da qualidade fisiológica e sanitária de sementes de melão.

Com relação ao teste de deterioração controlada, os resultados indicaram que o ajuste do grau de umidade das sementes para 19%, antes da realização do teste e o uso da temperatura constante de 45°C por 48 horas, foram condições suficientes para provocar um estresse que possibilitou a identificação, para as duas cultivares, dos lotes 1 e 2 como os de vigor mais elevado e o lote 4 como o de menor vigor. Provavelmente, o grau de umidade atingido pelas sementes de melão ao final do teste, intensificando a sua atividade metabólica, foi fundamental para indicar o lote 4, para as duas cultivares, como o de menor potencial fisiológico. Resultados semelhantes foram obtidos em trabalho conduzido por Torres (2002), ao avaliar com o mesmo teste, o vigor de sementes de melão, indicando que o período de 24 horas, com ajuste do grau de umidade das sementes para 24% são também, condições eficientes para realização desse teste, devendo ser consideradas em programas de controle de qualidade de sementes dessa hortaliça.
Mostrar mais

6 Ler mais

LIXIVIAÇÃO DE POTÁSSIO PARA AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE MILHO

LIXIVIAÇÃO DE POTÁSSIO PARA AVALIAÇÃO DO POTENCIAL FISIOLÓGICO DE SEMENTES DE MILHO

RESUMO: A necessidade freqüente da tomada de decisões rápidas, principalmente nas etapas de colheita, processamento e comercialização é habitual durante o processo de produção de sementes de várias espécies, dentre elas o milho. Consequentemente, a pesquisa em tecnologia de sementes tem procurado desenvolver ou aperfeiçoar testes que possibilitem avaliar, com eficiência, o potencial fisiológico das sementes, em período de tempo relativamente curto. O presente trabalho teve como objetivo verificar a potencialidade do teste de lixiviação de potássio, para avaliação do vigor de sementes de milho; cinco lotes do híbrido Avant foram submetidos a esse teste, cuja eficiência foi comparada à dos testes de germinação, primeira contagem de germinação, envelhecimento acelerado, frio, condutividade elétrica e emergência de plântulas em campo, recomendados para sementes de milho. A quantidade de potássio exsudado foi determinada em fotômetro de chama (padrão 50 µg K +
Mostrar mais

5 Ler mais

Análise de imagens digitais de plântulas para avaliação do vigor de sementes de milho.

Análise de imagens digitais de plântulas para avaliação do vigor de sementes de milho.

Diferenças na qualidade fisiológica dos lotes testados puderam ser identificadas por meio das informações adicionais ao teste de germinação, geradas pelos testes apresentados a seguir. Pela avaliação da qualidade fisiológica das sementes pelo método de análise de imagens digitais no teste de crescimento de plântulas (Tabela 2), diferenças de potencial fisiológico foram verificadas entre as sementes do lote 1, consideradas de maior potencial fisiológico, e as sementes dos lotes 2 e 5, consideradas como de menor potencial fisiológico e os outros lotes (3 e 4) como de potencial fisiológico intermediário. Relacionando-se o método de análise de imagens digitais proposto, ao método de medição manual no teste de crescimento de plântulas, obteve-se resposta semelhante (Tabela 2).
Mostrar mais

9 Ler mais

Potencial fisiológico de sementes de berinjela

Potencial fisiológico de sementes de berinjela

RESUMO – A eficiência dos procedimentos na avaliação do potencial fisiológico de sementes depende do desenvolvimento e, ou do ajuste de metodologia para as diferentes espécies. Assim, o objetivo da pesquisa foi comparar diferentes métodos para a avaliação do potencial fisiológico de sementes de berinjela (Solanum melongena L). Para tanto, seis lotes de sementes da cultivar Comprida Roxa foram submetidos aos testes de germinação, primeira contagem da germinação, emergência de plântulas, deterioração controlada (18, 21 e 24% por 24 e 48 horas a 45 ºC), envelhecimento acelerado (com e sem o uso de solução saturada de NaCl a 41 e 45 ºC por 24, 48 e 72 horas) e condutividade elétrica (25 sementes em 50 ou 75 mL de água por 1, 2, 4, 8, 12, 16 e 24 horas, à 25 ºC). A primeira contagem de germinação permitiu a obtenção de informações preliminares sobre o vigor das sementes e os demais testes realizados, em geral apresentaram similaridade com a emergência de plântulas. Concluiu-se que o potencial fisiológico de sementes de berinjela pode ser avaliado pelos testes de envelhecimento acelerado tradicional 48 h/41 °C; deterioração controlada a 24%/24 h/45 °C e condutividade elétrica com 25 sementes em 50 mL de água, por quatro horas, a 25 °C.
Mostrar mais

6 Ler mais

Teste de tetrazólio para avaliação do potencial fisiológico de sementes de amendoim

Teste de tetrazólio para avaliação do potencial fisiológico de sementes de amendoim

RESUMO – O teste de tetrazólio assume posição de destaque na avaliação do potencial fisiológico de sementes, devido ao grande número de informações fornecidas. Entretanto, a eficiência desse teste está relacionada a procedimentos apropriados e, para o amendoim, a técnica aplicada não está totalmente adequada, pois cultivares distintos podem apresentar respostas diferenciadas. Esta pesquisa objetivou adequar o teste de tetrazólio para sementes de amendoim. Oito lotes de sementes de amendoim, quatro do cv. IAC Tatu ST e quatro do Runner IAC 886, foram avaliados pelos testes de germinação, vigor (envelhecimento acelerado e condutividade elétrica) e emergência de plântulas em campo. Para o teste de tetrazólio, as sementes foram submetidas ao pré- condicionamento a 25 ºC por três, seis, nove, 12 e 16 horas (embebição direta em água - copo) e por 16 e 24 horas (embebição em papel umedecido). Após determinação do melhor período, as sementes foram preparadas com tegumento, sem tegumento e com cotilédones separados, sendo imersas em solução de tetrazólio 0,05; 0,075; 0,1 e 0,2%, a 40 ºC, por duas horas. O melhor período de pré-condicionamento foi o de 16 horas (copo). A solução de tetrazólio 0,05% para o cv. IAC Tatu ST em todos os preparos permitiu maior diferenciação entre lotes e para o cv. Runner IAC 886 as concentrações 0,075% em sementes com tegumento e com cotilédones separados e 0,2% para sementes sem tegumento foram as melhores. Assim, o teste de tetrazólio para sementes de amendoim deve ser conduzido com pré-condicionamento por 16 horas diretamente em água, preparo sem tegumento com imersão em solução de tetrazólio 0,05%, para cv. IAC Tatu ST, e preparo com cotilédones separados e imersão em solução 0,075%, para cv. Runner IAC 886.
Mostrar mais

56 Ler mais

Testes para avaliação do potencial fisiológico de sementes de milho superdoce

Testes para avaliação do potencial fisiológico de sementes de milho superdoce

RESUMO – A avaliação eficiente do potencial fisiológico é fundamental para a composição de programas de controle de qualidade de sementes. O objetivo do presente trabalho foi verificar a eficiência de diferentes procedimentos para diferenciar o vigor de lotes de sementes de milho superdoce, com ênfase ao teste de emissão da raiz primária. Utilizaram-se sementes dos híbridos SWB 551 e SWB 585, cada um representado por seis lotes. A avaliação do potencial fisiológico foi efetuada mediante a condução de testes de germinação e de vigor (velocidade de germinação, envelhecimento acelerado tradicional e com solução saturada de NaCl, teste de frio, comprimento e emergência de plântulas e emissão da raiz primária). No teste de emissão da raiz primária, foram avaliados, a cada 12 horas, os efeitos de três temperaturas (15 °C, 20 °C e 25 °C), utilizando-se dois critérios (protrusão da raiz primária e registro de plântulas com raiz primária de, pelo menos, 2 mm de comprimento). Concluiu-se que o teste de emissão da raiz primária a 15 °C, quando são computadas plântulas com raiz primária de, no mínimo, 2 mm de comprimento, é sensível para a avaliação do potencial fisiológico de sementes de milho superdoce.
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 10000 documents...