Top PDF Um método para estudo e construção do caso em psicopatologia.

Um método para estudo e construção do caso em psicopatologia.

Um método para estudo e construção do caso em psicopatologia.

O desafio de nosso m étodo de estudo e construção do caso em psicopatologia é fundam entar a escuta do psicopatológico com o abertura para a escuta das séries significantes, assim com o para a form ação de im agens a partir dessa escuta. E para fundam entar um m étodo de escuta da fala dos pacientes com o um discur- so situando aquele que enuncia e aquele que escuta, é preciso considerar a fala. Assim , a escuta nos levou para o terreno da linguagem , trajeto que já havia sido percorrido por Lacan, justam ente para delim itar a transferência sim bólica e para apontar para a escuta do encadeam ento de significantes. Nesse cam inho, Lacan encontrou os m item as de Lévi-Strauss ( 1955/ 1966) e as linhas sem ânticas do discurso de Jakobson ( 1975) .
Mostrar mais

16 Ler mais

A construção do caso clínico: uma contribuição da psicanálise à psicopatologia e à saúde mental.

A construção do caso clínico: uma contribuição da psicanálise à psicopatologia e à saúde mental.

Quanto à clínica, sabemos que vem do grego kline, leito; o sentido da clínica é o debruçar-se sobre o leito do doente e produzir um saber a partir daí. Em suma, a “construção do caso clínico” em psicanálise é o (re)arranjo dos elementos do discurso do sujeito que “caem”, se depositam com base em nossa inclinação para colhê-los, não ao pé do leito, mas ao pé da letra. Incluímos aí também as ações do sujeito, entendendo que são norteadas por uma determinada posição no discurso. Convém um aparte para esclarecermos que a fala (parole) tem a dimensão do enunciado (os ditos) e da enunciação (o dizer), que seria a “posição no discurso”. Nunca é demasiado lembrar que o caso não é o sujeito, é uma construção com base nos elementos que recolhemos de seu discurso, que também nos permitem inferir sua posição subjetiva, isto é, se fazemos uma torção do sujeito ao discurso, podemos retomar sua localização baseando-nos nesses indicadores colhidos, do dito ao dizer. Aqui temos um método aplicável a diferentes contextos clínicos.
Mostrar mais

12 Ler mais

Rev. Bras. Enferm.  vol.71 número2

Rev. Bras. Enferm. vol.71 número2

Objetivo: criar e validar impressos para subsidiar a sistematização do cuidado de enfermagem com pessoas em hemodiálise. Método: estudo de caso institucional para subsidiar sistematização da assistência a partir da construção de impressos para coleta de dados, diagnósticos, intervenções e resultados de enfermagem, usando mapeamento cruzado, raciocínio de Risner, teoria de Neuman, taxonomias de diagnósticos, intervenções e resultados de enfermagem com aplicação na prática clínica e validação por grupo focal com enfermeiras especialistas. Resultados: participaram 18 pessoas em hemodiálise e 7 enfermeiros. Consensualizados conteúdos dos impressos com enfermeiras especialistas da área (Crombach 0,86). Os impressos captaram 43 diagnósticos, 26 intervenções e 78 resultados de enfermagem retratando respostas humanas em suas singularidades. Considerações fi nais: os impressos validados preenchem uma lacuna ao possibilitar a captação de respostas humanas de pessoas em hemodiálise e ao subsidiar o planejamento dos cuidados de enfermagem em bases científi cas.
Mostrar mais

13 Ler mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA M ARCELOF ERNANDOT ERENCE

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA M ARCELOF ERNANDOT ERENCE

Os projetos de assentamento sob jurisdição da Superintendência Regional de Marabá apresentam uma série de dificuldades em relação à evasão de um número considerável de famílias assentadas. Frequentemente essas famílias são responsabilizadas pelo governo e até nos meios acadêmicos pelo seu fracasso em permanecer no lote. O objetivo dessa pesquisa foi justamente se contrapor a tal visão sobre os assentados. Para compreender melhor a questão da evasão, a pesquisa se desenvolveu no sentido de investigar causas internas e externas aos projetos de assentamento. Foram realizadas entrevistas com assentados do PA Canarana e com outros sujeitos sociais da região, nas quais puderam ser evidenciados problemas relacionados à falta de apoio à produção e também graves dificuldades de comercialização. Entre tais problemas destacam-se as dificuldades de reversão de pastos degradados para a formação de roças e a dependência dos assentados em relação aos atravessadores para poderem vender sua produção. Em relação aos problemas enfrentados também ficou claro o desencontro das políticas voltadas para essa população assentada, fortemente marcada por uma “herança camponesa”. Por outro lado, a pesquisa permitiu evidenciar a continuidade da “tradição rebelde” formada a partir da luta dos posseiros dos anos 1960, 1970 e 1980. O caso das retomadas de lotes reconcentrados realizadas a partir da iniciativa de famílias camponesas foi a prova mais marcante encontrada por essa pesquisa em relação à continuidade dessa tradição, reforçada ainda pela existência de dezenas de acampamentos nas beiras de estradas e cantos de fazendas. A partir desses resultados foi possível ainda contestar a visão governamental atual sobre ser desnecessária a criação de mais projetos de assentamentos. A criatividade e a persistência das famílias camponesas em impedir, resistir ou reverter as investidas do capital sobre as terras dos projetos de assentamento apareceram também na busca de alternativas produtivas e de comercialização. A atuação do grupo do mel e a articulação em torno do projeto da produção de polpa de frutas, com seus avanços e limites, demonstraram a falta de criatividade e ousadia das políticas oficiais, cada vez mais marcadas pela ideia de inserção da produção das famílias assentadas nos mercados capitalistas.
Mostrar mais

211 Ler mais

SIRLEI ADRIANI DOS SANTOS BAIMA ELISIÁRIO POLÍTICA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL PARA O ENSINO MÉDIO NO AMAZONAS: UM ESTUDO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DO TEMPO INTEGRAL EM UMA ESCOLA DE MANAUS

SIRLEI ADRIANI DOS SANTOS BAIMA ELISIÁRIO POLÍTICA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL PARA O ENSINO MÉDIO NO AMAZONAS: UM ESTUDO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DO TEMPO INTEGRAL EM UMA ESCOLA DE MANAUS

Diferentemente do laboratório de informática, a biblioteca tem um processo de registro de empréstimos de livros e utilização desse espaço para pesquisas e estudo. Durante o período de aulas, esse ambiente fica aberto; entretanto, não é comum vermos alunos nos horários das aulas na biblioteca, pois raramente os professores planejam atividades a serem realizadas nesse espaço. Por conta disso, o índice de visitas na biblioteca é maior no horário de almoço. A escola foi construída em uma área extensa e na parte externa conta com um estacionamento pequeno, destinado aos professores, e um quintal com algumas palmeiras distribuídas ao seu redor. Possui uma quadra poliesportiva coberta, sendo que sua parte interna dispõe de um palco pequeno e duas salas laterais. Essa quadra conta ainda, na parte de trás, com dois vestiários, um masculino e um vestiário feminino, contendo a ala dos chuveiros, ala dos sanitários com seis cada um, quatro pias e espelhos, utilizados pelos alunos para tomarem o banho após as aulas de Educação Física. Na Figura 1, pode-se conferir a visão externa da quadra poliesportiva:
Mostrar mais

185 Ler mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO: O CASO DO CAMPUS DA UFJF EM GOVERNADOR VALADARES

GESTÃO DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO: O CASO DO CAMPUS DA UFJF EM GOVERNADOR VALADARES

Esta seção apresenta o percurso metodológico adotado neste trabalho: o tipo de pesquisa, os instrumentos de coleta de dados, suas vantagens e limitações. Na perspectiva de Gil (2002), a pesquisa pode ser classificada como exploratória, materializada por meio de um estudo de caso. A pesquisa exploratória ―tem como objetivo proporcionar maior familiaridade com o tema e com o problema, com vistas a torná- lo mais explícito ou constituir hipóteses‖ (GIL, 2002 p. 41). Esse tipo de pesquisa contribui para o aprimoramento de ideias e para a descoberta de instituições. Em geral apresentam levantamentos bibliográficos, entrevistas e exemplos. Caracteriza- se como estudo de caso ―o estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos, de maneira que possibilita seu amplo e detalhado conhecimento‖ (GIL, 2002 p. 54). Essa metodologia é considerada a forma mais adequada para abordagem de temas contemporâneos em seu contexto real, sendo muito utilizada nas ciências sociais, pela dificuldade, se não impossibilidade, de separação entre o objeto de investigação e seu contexto (YIN, 2001 apud GIL, 2002).
Mostrar mais

138 Ler mais

PRAZER E SOFRIMENTO: Um estudo de caso com pós-graduandos no curso de Mestrado Acadêmico em Administração na cidade de Belo Horizonte - MG

PRAZER E SOFRIMENTO: Um estudo de caso com pós-graduandos no curso de Mestrado Acadêmico em Administração na cidade de Belo Horizonte - MG

Oleto, Melo e Lopes (2013) revelam que aspectos relacionados aos sentimentos de prazer e sofrimento no trabalho, tanto em nível organizacional e acadêmico, estão imbricados com um conglomerado de fatores que irá depender da subjetividade dos sujeitos, que podem encontrar alternativas estratégicas de saídas do sofrimento. Portanto, o sofrimento transforma-se numa patologia para o estudante de pós- graduação, evidenciando sofrimentos como angústia, estresse, preocupação, ansiedade, tensão decorrentes da relação acadêmica, como condução do projeto de pesquisa, o processo de comunicação dos trabalhos, a construção do conhecimento de forma independente, bem como os problemas institucionais. Já como prazer, foram evidenciadas questões relacionadas a reconhecimento, flexibilização, desafios e poder (OLETO; MELO; LOPES, 2013).
Mostrar mais

116 Ler mais

MÍDIAS EDUCACIONAIS DIGITAIS À LUZ DAS NORMATIZAÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE ACESSIBILIDADE: UM ESTUDO DE CASO DA UFJF

MÍDIAS EDUCACIONAIS DIGITAIS À LUZ DAS NORMATIZAÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE ACESSIBILIDADE: UM ESTUDO DE CASO DA UFJF

nos equivalentes textuais (por ex., legendas). Organiza os documentos de tal forma que possam ser lidos sem recurso a folhas de estilo. Nas tabelas de dados, identificaram-se os cabeçalhos de linha e de coluna e, como se tratavam de tabelas de dados com dois ou mais níveis lógicos de cabeçalhos de linha ou de coluna, utilizaram-se marcações para associar as células de dados às células de cabeçalho. Resumindo, o multimídia criado ficou muito próximo do material textual acima abordado. Ainda cabe uma informação, a de que, caso não de optasse por colocação em um texto corrido e como se trata de um multimídia, deveria ser fornecida uma descrição sonora das informações importantes veiculadas em trechos visuais das apresentações multimídia, até que os agentes do usuário conseguissem ler, automaticamente e em voz alta, o equivalente textual dos trechos visuais. No tocante às normas eMAG, foram essas as adaptações: desenvolveram-se ações que não dependem de precisão ou rapidez, até porque o material de origem não é baseado em tempo; permitiu-se uma navegação com sequência lógica quando feita por tecla TAB, coisa que não existia antes; permitiu-se a realização de ações ativadas pelo teclado e que não dependem da pressão de mais de uma tecla simultaneamente; utilizou-se linguagem simples e clara, inclusive nas legendas; ofereceram-se imagens com texto alternativo, transmitindo as informações importantes neles contidas; evitou-se a apresentação de textos extensos com imagens; desenvolveram-se as tabelas de dados e campos de formulários com recursos de acessibilidade; ofereceram-se recursos que permitem aumentar ou reduzir as páginas facilmente (por exemplo, através da tecla CTRL + ou CTRL -); usaram-se contrastes adequados entre cores de fonte e fundos; usaram-se recursos
Mostrar mais

119 Ler mais

REPROVAÇÃO NO 6º ANO: UM ESTUDO DE CASO EM TRÊS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

REPROVAÇÃO NO 6º ANO: UM ESTUDO DE CASO EM TRÊS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

No nível escolar, a Comunidade de prática de um diretor consiste de todos os professores. Cada professor tem um conhecimento e um interesse que devem ser selecionados e canalizados para promover a missão da escola. Por exemplo, um grupo de professores pode estudar uma nova pedagogia. Esse estudo pode consistir em professores lendo artigos profissionais e/ou livros sobre a pedagogia, frequentando oficinas ou cursos sobre a prática na qual eles usam em suas próprias salas de aula para implementação em toda a escola. O grupo de estudo pode, então, fazer uma recomendação ao diretor a respeito da implementação da mesma na escola. Se aquela recomendação for aceita, mais Comunidades de Prática serão formadas para a implementação dessa pedagogia em cada série, com professores compartilhando sucessos e desafios e apoiando o crescimento profissional um dos outros (MASON, 2010, apud MAGALDI & REIS, 2011, p. 61).
Mostrar mais

98 Ler mais

A GESTÃO DO CONHECIMENTO EM INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO: O CASO DE UM SETOR DA UFJF – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A GESTÃO DO CONHECIMENTO EM INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO: O CASO DE UM SETOR DA UFJF – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Assim, é importante à organização mapear as competências necessárias para o desenvolvimento de cada processo de trabalho, o que consequentemente, aponta para importância de que a organização possua seus processos já mapeados e descritos. Conforme anunciado no primeiro capítulo, a máquina pública perderá grande parte de sua força de trabalho experiente por motivo de aposentadoria. Cada órgão quando for realizar a alocação de novos servidores deverá ter mapeado quais as competências necessárias em cada setor ou processo de trabalho. Neste caso, a Gestão de Competências se mostra um mecanismo válido neste processo. Ademais, deve-se avaliar continuamente o chamado gap (lacuna) de competência, ou seja, a diferença entre as competências necessárias para o desenvolvimento das atividades e as competências atuais de cada servidor que executa os processos de trabalho. Este gap deverá ser suprido por meio dos programas de capacitação. Conforme segue apresentado, conhecimentos e competências são de suma importância para o desenvolvimento das atividades de forma eficiente.
Mostrar mais

188 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA HEROCILDA DE OLIVEIRA ALVES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA HEROCILDA DE OLIVEIRA ALVES

em diversos gêneros (porém um de cada vez); (ii) estudo das características do gênero textual, suas especificidades, forma, temas, através de oficinas pedagógicas para os alunos; (iii) estudo de conteúdos relacionados à produção textual como intertextualidade, variedades linguísticas, coesão e coerência textuais, entre outros; (iv) debates ou rodas de conversa sobre os textos lidos e sobre as descobertas que os mesmos podem inferir de cada gênero, comparando-o com os demais; (v) produção de textos próprios a partir de temas dados pelo professor ou sugeridos pelos próprios alunos. Também estão previstas no projeto (vi) atividades de reescrita de textos, a partir de intervenções feitas pelos próprios alunos – no caso de reescrita coletiva – ou pelos professores no caso de reescrita individual, (vii) divulgação dos textos dos alunos em murais na sala de aula ou nos corredores, no Jornal Informativo, no blog da escola, ou o envio para concorrer a prêmios quando se trata de concursos. Os textos ganhadores de concursos são divulgados para toda a comunidade escolar, inclusive para os pais em reuniões, e são levados a outras turmas para serem trabalhados em atividades de interpretação e produção. Dependendo do gênero textual, são utilizados até em atividades de contextualização. Um exemplo é a transformação de uma crônica em peça teatral para ser apresentada em um evento na escola (SEE, 2012).
Mostrar mais

139 Ler mais

FRANK DO CARMO GUEDES GESTÃO DO CONFLITO E CLIMA ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO EM UMA

FRANK DO CARMO GUEDES GESTÃO DO CONFLITO E CLIMA ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO EM UMA

A presente dissertação foi desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP) do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). O caso de gestão estudado propõe uma análise do processo de gestão dos conflitos escolares em uma escola do Estado do Amazonas, na qual os índices de registro em livros de ocorrência são percebidos em assimetria no período que compreendem os anos de 2011 e primeiro semestre de 2015. O objetivo desse trabalho é subsidiar novas propostas para melhorias do ambiente escolar, por meio de um processo de mediação eficiente nos conflitos intraescolares. Para isso é necessário o reconhecimento do perfil dos relacionamentos interpessoais ocorridos entre escola e comunidade tendo por base os relatos dos registros de enfrentamentos postos no livro de ocorrências escolar. Para tanto utilizamos a método de análise documental, na qual fizemos um recorte ficando com apenas dezesseis registros em maior evidência. Esses registros foram classificados conforme quadros produzidos e definidos a partir dos referenciais teóricos. A partir das classificações, foram verificados registros com relatos em comum estabelecendo três categorizações de análise: agressão verbal, agressão física e comportamento irregular. Para essa utilizamos uma revisão bibliográfica que teve por base as ideias de Chrispino (2007), Abramoway e Mancini (2008), Nascente, Luis e Fonseca (2015) e Fonseca Rodrigues e Antonio (2012) porque tratam especificamente de temas abordados nas análises como: indisciplina, violência e conflito escolar e como são percebidos nas formas de utilização dos livros de ocorrência. Diante das análises foi constatado que não ocorre um processo de mediação de conflitos no ambiente da escola em estudo e que os processos ocorridos em meio aos registros só provocam outros conflitos. Também foi verificado que teor dos registros é reduzido e não oferece subsídios suficientes para os processos de análise e mediação do conflito. Frente a isso foi proposto um Plano de Ação Educacional que traz quatro ações que visam sistematizar os registros de ocorrência através de um formulário específico para que viabilizem informações eficientes para a mediação. Dentre essas ações também será oferecida uma formação para o sujeito educacional que poderá exercer a função de mediador e uma roda de conversas com alunos e demais comunitários que os motivem a utilizar essa nova ferramenta.
Mostrar mais

142 Ler mais

A construção dos mapas de competência técnica para a área de operação de instalações de exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil: o caso Petrobras

A construção dos mapas de competência técnica para a área de operação de instalações de exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil: o caso Petrobras

Nessa investigação, a definição do estudo de caso como único inspirou-se no fundamento lógico que o considera como um caso representativo ou típico. Segundo Yin (2005, p.63), o objetivo nesse caso é “capturar as circunstâncias e condições de uma situação lugar-comum ou do dia-a-dia. O estudo de caso pode representar um projeto típico entre muitos projetos diferentes”. O projeto que mapeia as competências técnicas do OPGN da Petrobras é um projeto típico entre tantos outros projetos de mapeamento de competências que acontecem dentro da organização. O estudo de caso na presente investigação também foi considerado incorporado porque atua com unidades múltiplas de análise, ou seja, parte da unidade do OPGN para agrupamentos específicos de OPGNs de acordo com as macro-atividades definidas para o projeto.
Mostrar mais

89 Ler mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A GESTÃO DE RESÍDUOS DA SUINOCULTURA: um estudo de caso em granjas na região da Zona da Mata mineira

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A GESTÃO DE RESÍDUOS DA SUINOCULTURA: um estudo de caso em granjas na região da Zona da Mata mineira

Conforme Strassburg et al. (2015), numa economia em cadeia é necessário analisar o ambiente institucional onde se inserem as organizações, o que permite entender a dinâmica evolutiva da economia e dos diversos problemas decorrentes. North (1991) explica que as instituições ocupam lugar central na análise de um processo de desenvolvimento econômico e definem o ambiente onde funciona a economia e está o modo como a sociedade evolui no tempo em relação a determinado fenômeno e suas implicações socioeconômicas. Neste caso, permitem entender as motivações e a evolução dinâmica que vêm ocorrendo nas organizações da suinocultura brasileira, bem como a sua propulsão pelo contexto econômico dos elos da cadeia produtiva: suínos, milho e soja (GASTARDELO; MELZ, 2014). Trata-se de dados das organizações enquanto produtoras de alimentos, que não obstante podem ser inerentes à expansão da geração desordenada de resíduos.
Mostrar mais

141 Ler mais

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

A sociedade brasileira passou durante a ditadura por transformações profundas com um desenvolvimento capitalista sem precedentes, conhecido como milagre brasileiro que, por suas contradições, ensejou que um vigoroso e multifacetado movimento social surgisse no campo como resistência a esse modelo nacionalglobalizado autoritário. De lá para cá o processo de desruralização e sub- urbanização se acentuou ensejando diferentes tensões com a expansão viária e com a construção de barragens que introduziram no léxico político outros protagonistas4 que se reinventam social, cultural e politicamente nesse novo contexto político nacionalglobalizado autoritário. A partir de então, e definitivamente, a experiência da diferença estará presente no movimento social do campo brasileiro se constituindo num dos seus maiores desafios epistêmicopolíticos. Talvez uma das mais ricas contribuições do MST seja exatamente essa da experiência da diferença que, todavia, é bom que se registre, até mesmo pela novidade e pela envergadura do desafio de que se reveste, não está livre de contradições.
Mostrar mais

12 Ler mais

A MUDANÇA DO COTIDIANO ESCOLAR EM UM COLÉGIO DO NOROESTE FLUMINENSE APÓS A IMPLANTAÇÃO DO SAERJINHO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A MUDANÇA DO COTIDIANO ESCOLAR EM UM COLÉGIO DO NOROESTE FLUMINENSE APÓS A IMPLANTAÇÃO DO SAERJINHO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Esta política apesar das mudanças propostas enfrenta algumas resistências. Dentro deste novo contexto, o Saerj se apresenta como uma política de responsabilização, pois atrela a bonificação recebida pela escola ao desempenho dos alunos. Este programa bonifica todos os profissionais, caso a escola consiga alcançar as metas definidas pela Seeduc. Vale ressaltar que essas metas são traçadas por escola, de acordo com suas especificidades e publicadas no Diário Oficial, para que dessa forma todas as unidades escolares possam buscar estratégias para alcançá-las.
Mostrar mais

97 Ler mais

Estudo Longitudinal do Efeito da Idade e Tempo até a Morte em Gastos com Saúde Ana Carolina Maia Monica Viegas Andrade Flavia Lúcia Chein Feres

Estudo Longitudinal do Efeito da Idade e Tempo até a Morte em Gastos com Saúde Ana Carolina Maia Monica Viegas Andrade Flavia Lúcia Chein Feres

Na organização final do banco de dados, computamos retrospectivamente o número de meses até o óbito, quando era o caso. Depois desse tratamento inicial, organizarmos o banco de dados, até então com periodicidade mensal, de modo que o período de referência passasse a ser anual, para o quê, consideramos o tipo de informação de cada variável. No caso dos gastos, interessava o valor despendido durante todo o ano, de forma que somamos todos os gastos mensais. Quanto às informações mensais sobre tamanho da família e idade do beneficiário, calculamos a média anual da idade e o tamanho médio da família durante o ano. A respeito do vínculo do beneficiário com o plano (agregado, dependente ou titular) e do tipo de plano (pleno, básico ou especial), como pode haver mudanças ao longo do ano – devido, por exemplo, a alguma transição de plano por aposentadoria ou maioridade de dependente –, mantivemos os vínculos e planos que vigoraram na maior parte do ano.
Mostrar mais

21 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAED - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA CATARINA DE ARRUDA CORTEZ

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAED - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA CATARINA DE ARRUDA CORTEZ

Essa linha de raciocínio coaduna com o pressuposto de que a gestão escolar constitui-se em categoria de análise, uma vez que agrega um conjunto de conhecimentos específicos, de estilos de liderança, de habilidades técnicas e relacionais que caracterizam a forma de agir dos gestores. Sob esse ponto de vista, esta pesquisa é do meu interesse na posição de gestora, com atuação na Superintendência de Gestão Escolar da Secretaria de Estado de Educação (SEDUC/MT), responsável pela gestão da educação estadual e, portanto, pela gestão escolar. A gestão escolar se reveste de importância na ação dos atores envolvidos na construção de ambiências propícias ao processo de ensino e das aprendizagens dos alunos. Por outro lado, considero ser esta pesquisa um tema de interesse dos gestores escolares, que, no exercício de suas funções, aprendem a utilizar estratégias de gestão, desenvolvendo as próprias potencialidades de crescimento e de formação contínua.
Mostrar mais

125 Ler mais

JEANE EDNA RUAS XAVIER E SOUZA A IMPLEMENTAÇÃO DO REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO: O ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA EM MONTES CLAROS – MG

JEANE EDNA RUAS XAVIER E SOUZA A IMPLEMENTAÇÃO DO REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO: O ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA EM MONTES CLAROS – MG

Diante dos critérios apresentados reconheceu-se que o gestor simbolizou a voz do Estado na condução da apresentação da proposta, sendo um motivador de seu sucesso na prática da escola. O coordenador pedagógico do REM representou o “escolhido” dentre os profissionais para colocar em prática o novo currículo, dando orientação pedagógica, e também organizando o processo de planejamento e avaliação da proposta e levando o suporte técnico ao seu exercício em sala de aula. O professor foi o agente da prática do currículo junto aos alunos em sala de aula, local onde se efetiva o ensino-aprendizagem, e onde o currículo tomou corpo e significado. O aluno conhecedor de sua realidade é sujeito ativo na construção de sua aprendizagem, fonte para a qual foi implementada a reestruturação curricular, e é reconhecido como parte integrante do processo.
Mostrar mais

141 Ler mais

A educação do campo no Brasil e a construção das escolas do campo

A educação do campo no Brasil e a construção das escolas do campo

No processo de construção da Educação do Campo no Brasil, as Escolas do Campo tem um papel e uma responsabilidade fundamental. Por isso é urgente uma ampla discussão, um sério debate e permanente aprofundamento nesta construção, sobretudo na perspectiva de elaboração de políticas públicas, com a participação dos povos do campo, para que a Escola não seja tratada de maneira isolada, mas como parte e como instrumento que possibilite um autêntico Projeto de Sociedade, onde a educação seja compreendida e concretizada na dimensão transformadora. Por isso estes temas – terra e trabalho, diversidade dos povos do campo, sustentabilidade, cidadania – são fundamentais para integrarem os conteúdos dos Projetos Pedagógicos das Escolas do Campo. Desta forma se constituirão Escolas verdadeiramente vinculadas à vida e à realidade dos povos do campo, ou seja, Escolas Vivas.
Mostrar mais

10 Ler mais

Show all 10000 documents...