Top PDF Uma nova espécie do gênero Cynometra L. (Caesalpiniaceae) para o Estado do Pará, Brasil.

Uma nova espécie do gênero Cynometra L. (Caesalpiniaceae) para o Estado do Pará, Brasil.

Uma nova espécie do gênero Cynometra L. (Caesalpiniaceae) para o Estado do Pará, Brasil.

òhapz and tkidunzòò ofi Izafi&ztò, òhapz ofi pztaJLt, and numbzA ofi naczmzò pzx axií, among.. othzK chanacteAò.[r]

3 Ler mais

Puccinia caxiuanensis sp. nov. de Uredinales em espécies de Burseraceae no Brasil.

Puccinia caxiuanensis sp. nov. de Uredinales em espécies de Burseraceae no Brasil.

RESUMO - (Puccinia caxiuanensis sp. nov. de Uredinales em espécies de Burseraceae no Brasil). Descreve-se Puccinia caxiuanensis, coletada na Floresta Nacional de Caxiuanã, Estado do Pará, Brasil, como uma nova espécie de Uredinales (ferrugem) sobre Crepidospermum goudotianum (Tul) Triana & Planch. e Tetragastris panamensis (Engl.) Kuntze (Burseraceae).

3 Ler mais

Triphora uniflora A. C. Ferreira, Baptista & Pansarin (Orchidaceae: Triphoreae): uma nova espécie e primeiro registro do gênero Triphora Nutt. para o estado de São Paulo, Brasil.

Triphora uniflora A. C. Ferreira, Baptista & Pansarin (Orchidaceae: Triphoreae): uma nova espécie e primeiro registro do gênero Triphora Nutt. para o estado de São Paulo, Brasil.

O gênero Triphora Nutt. (Orchidaceae: Triphoreae: Tri- phoriinae) é constituído por 19 espécies terrestres distribuí- das desde o Sul do Canadá, passando pelas Índias Ocidentais, até a América do Sul (Rothacker 2005), onde ocorre até o norte da Argentina (Johnson 2001). No Brasil, o gênero está representado por cerca de cinco espécies distribuídas pelos estados do Amazonas, Pará, Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal (Hoehne 1940; Pabst & Dungs 1975; Batista & Bianchetti 2003; Pridgeon et al. 2003).

4 Ler mais

Uma nova espécie de Tibouchina Aubl. (Melastomataceae) e notas taxonômicas sobre o gênero no Estado do Paraná, Brasil.

Uma nova espécie de Tibouchina Aubl. (Melastomataceae) e notas taxonômicas sobre o gênero no Estado do Paraná, Brasil.

Material examinado: BRASIL. Paraná: Morretes, Morro do Facãozinho, 12-II-1950, G. Hatschbach 2736 (MBM, RB); Parque Estadual do Marumbi, 19-I-1987, J.T. Motta et al. 605 (MBM); 19-I-1987, J.T. Motta et al. 607 (MBM); 10-I-1996, O.S. Ribas et al. 970 (MBM, SP); 11-I-1999, A L. Pasdiora 82 (UPCB); Volta Grande, s.d., P. Dusén s.n. (R137361). Piraquara, Banhado, 31-I-1971, G. Hatschbach 26190 (BR, K, MBM, NY, RB, US). Tunas do Paraná, Fazenda Tanque, 26-X-2005, O S. Ribas & J M. Silva 7040 (MBM). Santa Catarina: Benedito Novo, Alto Benedito nascentes Rio Zinco, 8-II-1973, A. Bresolin 699 (US); Blumenau, Morro Spitzkopf, 20-II-1959, R. Klein 2320 (HBR, US); 6-II-1960, R. Reitz & R.M. Klein 9549 (BR, K, M, US); V-1998, M. Sobral & L. Sevegnani 8629 (UPCB).
Mostrar mais

9 Ler mais

Uma nova espécie de Passiflora L. (Passifloraceae) para o Brasil.

Uma nova espécie de Passiflora L. (Passifloraceae) para o Brasil.

As Passifloraceae são predominantemente tropicais e subtropicais, com cerca de 20 gêneros e 650 espécies (Killip 1938; Cervi 1997; Ulmer & MacDougal 2004). Ocorrem nas áreas mais quentes da América com algumas espécies na Ásia e Austrália e uma espécie em Madagascar. No Brasil ocorrem quatro gêneros, Mitostemma Mast., Dilkea Mast., Ancisthrothyrsus Harms e Passiflora L., com cerca de 120 espécies, a maioria subordinada ao gênero Passiflora (Killip 1938). O gênero Passiflora subg. Passiflora apresenta cerca de 400 espécies de distribuição pantropical, a maioria nas Américas, sendo o Brasil e a Colômbia os países com maior número de espécies (Cervi 1997). Na Bahia, o gênero é representado por 31 espécies, com distribuição ampla, ocorrendo em praticamente todos os biomas do Estado (Nunes & Queiroz 2006). Caracteriza-se por apresentar gavinhas axilares, nectários extra-florais no pecíolo foliar, flores com androginóforo e corona de filamentos
Mostrar mais

4 Ler mais

Espécie nova de Riatia Walker (Blattaria, Blattellidae) do Estado do Pará, Brasil.

Espécie nova de Riatia Walker (Blattaria, Blattellidae) do Estado do Pará, Brasil.

O gênero Riatia foi descrito por Walker (1868) com base na espécie-tipo Riatia pallicornis. Foi sinonimizado por Hebard (1920) a Lissoblatta e por Brunner & Retenbacher (1892) a Anaptycta. Kirby (1904), Hebard (1933), Princis (1946,1951, 1959) e Bruijning (1959) publicaram trabalhos acrescentando espécies ao mesmo.

2 Ler mais

AS AÇÕES DO AGROHIDRONEGÓCIO, O PAPEL DO ESTADO E AS FORMAS DE CONTROLE DO TRABALHO NO MATO GROSSO DO SUL

AS AÇÕES DO AGROHIDRONEGÓCIO, O PAPEL DO ESTADO E AS FORMAS DE CONTROLE DO TRABALHO NO MATO GROSSO DO SUL

Na verdade, são vinculados à lógica do capital áreas específicas de um território que demonstra em seu seio o interesse de diferentes frações do agrohidronegócio os quais ligam-se diretamente ao uso e exploração da terra e aponta para um cenário marcadamente desigual ordenado por relações de poder; não sendo possível neste caso desvincular as ações realizadas pelas frações da burguesia, pois esta articula-se concomitantemente em torno de objetivos específicos ligados, por exemplo, ao campo mas ao mesmo tempo estende sua Geopolítica aos setores urbanos e institucionais, bem como aos aparelhos midiáticos, entes do poder político, aparelhos de Estado etc. de tal forma que não podemos omitir a intrínseca rede na qual se articula o projeto do capital.
Mostrar mais

320 Ler mais

Sinopse das espécies de Lamiales Bromhead ocorrentes nas restingas do Estado do Pará, Brasil.

Sinopse das espécies de Lamiales Bromhead ocorrentes nas restingas do Estado do Pará, Brasil.

baia do Marajó e a foz do rio Gurupi, correspondendo a 8,6% da área total do Estado do Pará (Furtado 1987). O litoral corresponde à Mesorregião Nordeste do Estado, formado pelos municípios paraenses limítrofes com o Oceano Atlântico, compondo a Zona Fisiográfica do Salgado e Bragantina, as quais apresentam diferentes tipos de vegetação, dentre elas as restingas, que se destacam como as mais restritas em relação aos outros ambientes (Bastos et al. 2001). Essas áreas estão distribuídas nos municípios de Marapanim, Maracanã, Curuçá, São João de Pirabas, Bragança, Salinópolis, Augusto Correa e Vizeu (Figura 1, baseada em Wessel & Smith 1996).
Mostrar mais

20 Ler mais

O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO NO ESTADO DO CEARÁ: AVALIAR PARA AVANÇAR – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO NO ESTADO DO CEARÁ: AVALIAR PARA AVANÇAR – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Esta dissertação expõe os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo investigar e analisar o Programa de Educação Profissional Técnica integrado ao Ensino Médio no estado do Ceará, entre os anos de 2008 a 2011 em dez escolas da Rede Estadual de Educação do Estado do Ceará. Trata-se de uma pesquisa de campo, onde se recorre, também, à análise documental e bibliográfica a partir da qual é descrito o panorama da educação profissional de nível médio integrado no referido estado a partir da década de 90 e a rápida expansão da oferta dessa modalidade de ensino no estado a partir do ano de 2008. Também expomos as características gerais das escolas profissionais do estado e seus principais indicadores, os quais são utilizados como base para a análise do desempenho do programa ao final do seu primeiro ciclo. Analisamos, especialmente, aspectos relacionados à organização curricular e suas possibilidades de subsidiar a construção de um projeto educacional comprometido com a formação técnica de nível médio em uma perspectiva cidadã e emancipadora. Por fim, apresentamos um Plano de Ação Educacional (PAE) com ações estratégicas que apontam alternativas aos problemas e dificuldades detectadas durante a realização de pesquisa, para a implementação e desenvolvimento dos procedimentos correspondentes ao programa no âmbito das escolas no sentido de alcançar os objetivos propostos.
Mostrar mais

171 Ler mais

PROPOSTAS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO REGULAR EM UMA ESCOLA DO CAMPO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

PROPOSTAS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO REGULAR EM UMA ESCOLA DO CAMPO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A formação dos professores para o trabalho, adaptado às diferenças e às necessidades individuais e inclusivas, tem sido preocupação constante das políticas públicas atuais ofertando investimentos em materiais e formação humana. A Educação Inclusiva tem encontrado limites e dificuldades, mas grandes possibilidades de avanços pedagógicos. O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC (2012), por exemplo, é um programa de formação de professores alfabetizadores que contempla a Educação Inclusiva; apresentando um material extenso e selecionado através de cadernos de formação docente, separados por unidades, que contemplam as realidades vivenciadas pelas Escolas do Campo e a Educação Especial. Fundamental relatar, no entanto, que são políticas de governo e não de estado e, frequentemente, a cada mudança de cenário político são extintas ou reestruturadas de acordo com alguns interesses e isso, sem dúvida, interfere na formação continuada e planejamento adequado das ações inclusivas.
Mostrar mais

115 Ler mais

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

O MST: logros e desafios da reinvenção do campesinato

Ao mesmo tempo que o Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra carrega em seu nome essa história, sua sigla MST acentua um fenômeno que se generaliza no Brasil pós-anos 60, isto é, a presença de trabalhadores sem terra que resulta da modernização conservadora e sua revolução verde. Hoje, podemos afirmar com segurança, que uma profunda reorganização societária estava em curso no Brasil já à época da constituição desses movimentos. O processo industrialização por substituição de importações iniciado nos anos 30, ensejara uma nova divisão inter-regional do trabalho por meio da integração rodoviária nacional, acentuando a migração e, assim, contribuindo para uma nova conformação sociogeográfica do poder no campo brasileiro (Porto-Gonçalves, 2004). Sublinhe-se que a Igreja Católica era parte da estrutura de poder tradicional e o processo de desruralização e de sub-urbanização, que só crescerá desde então, impõe à própria igreja novas questões à sua própria sobrevivência2. O MST será, tal como o Caliban de Retamar (Fernández Retamar, 2004), uma síntese criativa dessas experiências emancipatórias tecidas no terreno movediço da história, o que pode ser observado tanto por sua teatralidade com forte componente místico, herdeiro de tradições religiosas, como por suas bandeiras vermelhas, ideologia socialista professada por seus principais líderes, esta herdeira da presença histórica dos socialistas e dos comunistas nas lutas do campo brasileiro.
Mostrar mais

12 Ler mais

IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS BÁSICOS PADRÃO MEC/FNDE NA REDE PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ PELO PROGRAMA BRASIL PROFISSIONALIZADO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS BÁSICOS PADRÃO MEC/FNDE NA REDE PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ PELO PROGRAMA BRASIL PROFISSIONALIZADO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Segundo Garcia (2009, p.79), a consolidação da nova proposta curricular se efetivou, em grande parte, pela contestação das instituições da Rede Pública Estadual, “[...] que colocaram a dificuldade de trabalhar com currículos separados da formação de um único sujeito e que os mesmos não privilegiavam a formação doaluno”, totalmente desconexos e fragmentados, provocando um esvaziamento emsua oferta, com altos índices de abandono e evasão escolar. Esse descontentamento culminou com a proposta de uma reorganização curricular para o Ensino Médio Integrado à Educação Profissional.
Mostrar mais

90 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA ALGIZA LOPES E SILVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA ALGIZA LOPES E SILVA

O presente questionário destina-se à realização de um estudo intitulado “A Avaliação no estado do Amazonas: o papel do gestor nas apropriações pedagógicas pelos professores dos Anos Iniciais no processo de avaliação interna da CDE 7 ”. Procure ser o mais exato possível em suas respostas. Cabe ressaltar que todos os dados obtidos e utilizados apenas para fins desta pesquisa, sendo resguardado o anonimato. Você encontrará a seguir afirmações sobre a gestão pedagógica na sua escola. Por gentileza, considerando os dois últimos anos letivos, marque apenas uma alternativa indicando seu grau de concordância em relação às afirmativas abaixo.
Mostrar mais

148 Ler mais

O PROJETO E-JOVEM NO ESTADO DO CEARÁ: PERSPECTIVAS, ANÁLISE E DESAFIOS

O PROJETO E-JOVEM NO ESTADO DO CEARÁ: PERSPECTIVAS, ANÁLISE E DESAFIOS

No que se refere ao envolvimento das Coordenadorias Regionais (CREDEs) e escolas, a coordenação do projeto foi incisiva ao relatar que o sucesso do projeto na escola e nos municípios depende muito da sensibilidade e atuação dos coordenadores das Coordenadorias e dos diretores da escolas. Para a coordenação, mesmo sendo por adesão, quando esses dois atores veem o projeto como mais uma proposta ou um trabalho, ou ainda quando tomam o projeto como sendo um concorrente 37 dos cursos ofertados pelas escolas profissionais do estado, o risco do e-Jovem não atingir as metas e os resultados planejados é muito grande. Segundo relatos da coordenação, o risco de alguns diretores e coordenadores não abraçarem a causa pode decorrer do fato de não terem sido sensibilizados verdadeiramente ou porque a proposta não foi compreendida.
Mostrar mais

115 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Após a compreensão do caso exposto no capítulo um, realizamos, no segundo capítulo, a análise dos dados e dos materiais disponibilizados pela SEDUC, que visam orientar o processo de apropriação dos resultados do SPAECE pelas escolas, com base em referenciais teóricos. Nosso objetivo é demonstrar que esses materiais não consideram a peculiaridade sobre a diferença entre a carga horária do ensino diurno e do ensino noturno. Além disso, procuramos comprovar que a maneira como os resultados do SPAECE são divulgados, por não virem discriminados por turnos, não favorece o processo de apropriação dos resultados do ensino noturno. Para tanto, explicitamos o conceito de avaliação externa, demonstrando seus objetivos, características e importância, sob as diretrizes do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora, o qual é referência no Brasil na execução de programas de avaliação educacional.
Mostrar mais

107 Ler mais

SILVIA REGINA RAMOS DE SOUSA RETENÇÃO E VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA POLÍTICA PÚBLICA NO ESTADO DO PIAUÍ

SILVIA REGINA RAMOS DE SOUSA RETENÇÃO E VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA POLÍTICA PÚBLICA NO ESTADO DO PIAUÍ

Nesse contexto, vale ressaltar que há necessidade da qualificação profissional dos trabalhadores em educação, de forma estruturada e adequada à operacionalização da formação continuada oferecida na rede estadual de ensino. Entretanto, ao se buscar reflexos da normatividade federal no estado do Piauí, percebe-se a ausência de uma política de retenção e de valorização dos professores em sua rede estadual de ensino, em especial na rede de educação profissional. Embora o governo tenha procurado desenvolver formas de provimento para contratação desses professores no intuito de suprir as demandas e necessidades dos cursos técnicos ofertados pela SEDUC-PI, não consegue suprir as necessidades na oferta de uma educação escolar que deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social, conforme preceitua a LDB reforçada pelo Decreto nº 5.154, de 23 de julho de 2004.
Mostrar mais

159 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Sou aluna do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública da Universidade Federal de Juiz de Fora. O objetivo desta pesquisa é analisar quatro escolas da Regional Serrana II no contexto da implementação do Planejamento Estratégico da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro a partir de janeiro de 2011 até dezembro de 2012. Os dados coletados com este instrumento poderão colaborar para a análise da implementação do Programa de Educação na Regional Serrana II, oferecendo instrumentos para análise e possibilidades de mudanças e proposições de novas ações no âmbito da gestão que proporcionem um trabalho diferenciado que leve as escolas pesquisadas a melhorarem o desempenho dos alunos e, assim, alcançarem suas metas. Solicito assim, a sua colaboração, preenchendo o questionário abaixo. .
Mostrar mais

104 Ler mais

Nova espécie do gênero Manihot Adans. do Estado de Minas Gerais.

Nova espécie do gênero Manihot Adans. do Estado de Minas Gerais.

culinas com 25 mm de comprimento e quase até ao meio 5-lobado; lobos ovado-oblongados,, obtusos, externamente com a base gla- brescente e pubescente para o ápice, internamente glabros; [r]

9 Ler mais

O PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS - PIP

O PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS - PIP

Esses aspectos foram relevantes para a melhoria dos resultados e a sua aná- lise permite afirmar que as políticas de alfabetização estão se consolidando. Os re- sultados da intervenção pedagógica demonstram, comprovadamente, um cresci- mento significativo nos anos iniciais. Por meio dos sistemas de avaliação, que é um indicador de monitoramento dos avanços da educação, pode-se notar na Sedu/ES, em resposta a um ambiente de planejamento propício ao uso de objetivos e metas quantificáveis uma conexão entre as metas do governo, os resultados da escola e do Ideb, a tendência de melhoria dos resultados Em 2011, aconteceu a primeira on- da de avaliação do Paebes/Alfa para o 3º ano do Ensino Fundamental, o que já sina- lizou uma proficiência dos alunos da rede estadual superior aos da rede municipal, onde o programa de intervenção atua de forma prioritária. Não há políticas de bonifi- cação ainda desenvolvida no estado utilizando os resultados das avaliações como indicador de qualidade. O esforço feito pela SEE, juntamente com os professores, reflete o compromisso e a vontade de buscar melhores resultados.
Mostrar mais

107 Ler mais

Show all 10000 documents...