• Nenhum resultado encontrado

PERA/1617/ Relatório preliminar da CAE

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "PERA/1617/ Relatório preliminar da CAE"

Copied!
9
0
0

Texto

(1)

PERA/1617/1000846 — Relatório preliminar

da CAE

Caracterização do ciclo de estudos

Perguntas A.1 a A.10

A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Instituto Politécnico De Beja

A.1.a. Outras Instituições de Ensino Superior / Entidades Instituidoras:

A.2. Unidade(s) orgânica(s) (faculdade, escola, instituto, etc.): Escola Superior De Tecnologia E Gestão De Beja

A.3. Ciclo de estudos:

Engenharia de Segurança Informática A.4. Grau:

Mestre

A.5. Publicação do plano de estudos em Diário da República (nº e data): <sem resposta>

A.6. Área científica predominante do ciclo de estudos: Segurança Informática

A.7.1 Classificação da área principal do ciclo de estudos de acordo com a Portaria nº 256/2005, 16 de Março (CNAEF):

481

A.7.2 Classificação da área secundária do ciclo de estudos de acordo com a Portaria nº 256/2005, 16 de Março (CNAEF), se aplicável:

<sem resposta>

A.7.3 Classificação de outra área secundária do ciclo de estudos de acordo com a Portaria nº 256/2005, 16 de Março (CNAEF), se aplicável:

<sem resposta>

A.8. Número de créditos ECTS necessário à obtenção do grau: 120

A.9. Duração do ciclo de estudos (art.º 3 Decreto-Lei 74/2006, de 24 de Março): 4 semestres

A.10. Número de vagas proposto: 24

Relatório da CAE - Ciclo de Estudos em Funcionamento

A.11. Estrutura curricular e plano de estudos.

A.11.1.1. Condições específicas de ingresso.

Existem, são adequadas e cumprem os requisitos legais

A.11.1.2. Evidências que fundamentam as classificações de cumprimento assinaladas. Foram definidas como condições específicas de ingresso:

- Licenciatura em Engenharia Informática ou Área Afim.

(2)

nº115/2013 de 7 de agosto.

A.11.2.1. Designação É adequada

A.11.2.2. Evidências que fundamentam as classificações de cumprimento assinaladas. O conteúdo do ciclo de estudos é compatível com a designação adotada.

A.11.3.1. Estrutura curricular e plano de estudos São adequadas e cumprem os requisitos legais

A.11.3.2. Evidências que fundamentam as classificações de cumprimento assinaladas.

A estrutura curricular e plano de estudos cumprem o estipulado em termos de número de créditos, horas de trabalho e horas de contacto.

A.11.4.1 Docente(s) responsável(eis) pela coordenação do ciclo de estudos Foi indicado e tem o perfil adequado

A.11.4.2. Evidências que fundamentam as classificações de cumprimento assinaladas.

O docente responsável pela coordenação tem um perfil académico adequado ao ciclo de estudos, sendo doutorado numa das áreas do curso e professor em tempo integral.

A.11.5.1. Regulamento de creditação de formação e experiência profissional Cumpre a legislação

A.11.5.2. Evidências que fundamentam as classificações de cumprimento assinaladas.

Foi publicado o Regulamento nº823/2015 em Diário da República, 2.ª série - N.º 192 - 3 de outubro de 2012.

1. Objetivos gerais do ciclo de estudos

1.1. Os objetivos gerais definidos para o ciclo de estudos foram formulados de forma clara. Sim

1.2. Os objetivos definidos são coerentes com a missão e a estratégia da Instituição. Sim

1.3. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

O Mestrado em Engenharia de Segurança Informática tem cariz profissional e destina-se a formar especialistas com conhecimentos bem fundamentados na área da segurança informática.

O Instituto Politécnico de Beja é uma instituição de ensino superior ao serviço da sociedade, destinada à produção e difusão do conhecimento, criação, transmissão e difusão da cultura e do saber de natureza profissional, da investigação orientada e do desenvolvimento experimental, concentrado especialmente em formações vocacionais e em formações técnicas avançadas, orientadas profissionalmente e incentivando a formação ao longo da vida.

Assim, o IPBeja, através da oferta formativa do presente curso de Mestrado, segue a sua missão na transmissão do conhecimento e investigação aplicada numa área crítica da sociedade atual.

1.4. Pontos Fortes.

- Ciclo de estudos numa área crítica da sociedade atual como é a segurança informática.

- Conjugação das vertentes Jurídica e Tecnológica, da Segurança Informática e do Cibercrime.

1.5. Recomendações de melhoria. Nada a referir.

(3)

2.1. Objetivos de Ensino

2.1.1. Estão definidos os objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências) a desenvolver pelos estudantes e foram operacionalizados os objetivos permitindo a medição do grau de cumprimento.

Sim

2.1.2. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada. Os objetivos de aprendizagem a desenvolver pelos estudantes estão definidos e foram operacionalizados.

Os conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes versam a Segurança Informática desde a concepção de sistemas seguros, prevenção de penetração/vulnerabilidades, técnicas básicas de análise forense e Lei do Cibercrime.

2.1.3. Pontos Fortes.

- Uma boa conjugação dos objetivos de aprendizagem em Segurança Informática, enfatizando as vertentes Jurídica e Tecnológica e do Cibercrime.

2.1.4. Recomendações de melhoria. Nada a referir.

2.2. Organização das Unidades Curriculares

2.2.1. São definidos os objetivos da aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências) que os estudantes deverão desenvolver em cada unidade curricular.

Sim

2.2.2. Existe coerência entre os conteúdos programáticos e os objetivos de cada unidade curricular. Sim

2.2.3. Existe coerência entre as metodologias de ensino e os objetivos de cada unidade curricular. Sim

2.2.4. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

Todas as FUC apresentam objetivos de aprendizagem, conteúdos programáticos e metodologia de ensino consistentes com o propósito do ciclo de estudos. Verifica-se consistência entre os objetivos de aprendizagem, conteúdos programáticos e metodologia de ensino. A maioria das FUC não

especifica a fórmula de obtenção da classificação final, informação que foi posteriormente fornecida pela Instituição a pedido da CAE.

2.2.5. Pontos Fortes.

- O elenco das UC aborda de forma adequada as necessidades de um Engenheiro em Segurança Informática, permitindo-lhe obter conhecimentos atuais e preparação para lidar com as tecnologias emergentes na área da Cibersegurança.

2.2.6. Recomendações de melhoria.

- Uma revisão da organização das FUC no sentido de as uniformizar nos níveis de detalhe, permitiria uma descrição mais homogénea dos conteúdos programáticos, metodologia de ensino e avaliação. Existem muitas situações onde os conteúdos programáticos ou as metodologias de ensino são apresentados de forma muito sucinta dificultando, de alguma maneira, a sua compreensão.

2.3. Metodologias de Ensino/Aprendizagem

2.3.1. As metodologias de ensino e as didácticas estão adaptadas aos objetivos de aprendizagem das unidades curriculares.

Sim

(4)

Sim

2.3.3. As metodologias de ensino facilitam a participação dos estudantes em atividades científicas. Sim

2.3.4. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

As metodologias de ensino e as didácticas estão adaptadas aos objetivos de aprendizagem das unidades curriculares. A metodologia de ensino varia consoante a UC e os seus objetivos,

verificando-se um bom balanceamento entre as componentes práticas, teóricas e de investigação.

2.3.5. Pontos Fortes.

- Metodologia de ensino adaptada aos objetivos das UCs com um bom balanceamento entre as componentes práticas, teóricas e de investigação.

2.3.6. Recomendações de melhoria. Nada a referir.

3. Pessoal Docente

3.1. O corpo docente cumpre os requisitos legais (corpo docente próprio, academicamente qualificado e especializado na(s) área(s) fundamental(ais)):

Sim

3.2. Os membros do corpo docente (em tempo integral ou parcial) têm a competência académica e experiência de ensino adequadas aos objetivos do ciclo de estudos.

Sim

3.3. O número e o regime de trabalho dos membros do pessoal docente correspondem às necessidades do ciclo de estudos.

Sim

3.4. É definida a carga horária do pessoal docente e a sua afectação a atividades de ensino, investigação e administrativas.

Em parte

3.5. O corpo docente em tempo integral assegura a grande maioria do serviço docente. Sim

3.6. A maioria dos docentes mantém a sua ligação ao ciclo de estudos por um período superior a três anos.

Sim

3.7. É promovida a mobilidade do pessoal docente, quer entre instituições nacionais, quer internacionais.

Em parte

3.8. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

O corpo docente cumpre todos os requisitos legais em termos de rácios, qualificação e estabilidade de vínculo.

A dimensão do corpo docente é adequada às necessidades do ciclo de estudos e detém competência e experiência de ensino adequadas.

O relatório de autoavaliação não especifica a forma como a carga horária do docente é gerida em termos de afetação a atividades de ensino, investigação e administrativas. Também não especifica a forma como a mobilidade do pessoal docente a nível nacional ou internacional é promovida.

3.9. Pontos Fortes.

- Corpo docente estável e qualificado. 3.10. Recomendações de melhoria.

(5)

- Identificação das práticas que conduzam à promoção da mobilidade quer a nível nacional quer internacional.

- Adopção de práticas de gestão das horas de serviço docente que promovam uma distribuição equilibrada das componentes ensino, investigação e gestão para cada um dos docentes.

4. Atividade científica e de desenvolvimento tecnológico e

artísticas, prestação de serviços à comunidade e formação

avançada

4.1. Resultados da atividade científica

4.1.1. Existem Centro(s) de Investigação reconhecido(s), na área científica do ciclo de estudos onde os docentes desenvolvam a sua atividade.

Sim

4.1.2. Existem publicações científicas do corpo docente do ciclo de estudos em revistas internacionais com revisão por pares, nos últimos 5 anos e na área do ciclo de estudos. Em parte

4.1.3. Existem outras publicações científicas relevantes do corpo docente do ciclo de estudos. Em parte

4.1.4. As atividades científica, tecnológica e artística estão integradas em projectos e/ou parcerias nacionais e internacionais.

Em parte

4.1.5. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

Os docentes realizam atividades cientificas nos centros de investigação: INESC-ID, Centro de Tecnologias e Sistemas do UNIVOVA e Instituto de Telecomunicações. Todos os centros de investigação têm avaliação de Muito Bom. Dos 7 docentes com doutoramento, 3 não estão associados a centros de investigação.

São apresentadas 29 publicações, das quais 12 foram publicadas entre 2003 e 2010. Apenas 6 das publicações são relacionadas com temas do ciclo de estudos.

São mencionadas parcerias de investigação com a Universidade Técnica de Ostrava e a Universidade de Zlin, na República Checa.

4.1.6. Pontos Fortes. Nada a referir.

4.1.7. Recomendações de melhoria.

Aumentar significativamente as atividades de investigação e publicação de resultados na área cientifica do ciclo de estudos.

4.2. Atividades de desenvolvimento tecnológico e artísticas, prestação de

serviços à comunidade e formação avançada

4.2.1. No âmbito do presente ciclo de estudos, existem atividades de desenvolvimento tecnológico e artístico, prestação de serviços à comunidade ou formação avançada.

Sim

(6)

instituição. Sim

4.2.3. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

São apresentados 4 protocolos de cooperação onde 3 foram celebrados com entidades militares e 1 com uma entidade forense. Desses protocolos resultaram projetos concretos de prestação de serviço e/ou formação especializada.

4.2.4. Pontos Fortes.

O alto nível dos projetos realizados. 4.2.5. Recomendações de melhoria.

Encoraja-se a continuação deste tipo de atividades enquadrando-as como uma forma de financiamento da investigação e também para proporcionar aos alunos uma oportunidade de participação em atividades de investigação.

5. Estágios e períodos de formação em serviço

5.1. Existem locais de estágio e/ou formação em serviço. Sim

5.2. São indicados recursos próprios da Instituição para acompanhar os seus estudantes no período de estágio e/ou formação em serviço.

Sim

5.3. Existem mecanismos para assegurar a qualidade dos estágios e períodos de formação em serviço dos estudantes.

Em parte

5.4. São indicados orientadores cooperantes do estágio ou formação em serviço, em número e qualificações adequadas (para ciclos de estudos de formação de professores).

Em parte

5.5. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

Existem 16 protocolos de estágio com empresas e instituições de referência como a Procuradoria Geral da República, a Academia Militar, o Exército e o Gabinete Nacional de Segurança. Alguns dos protocolos foram fornecidos posteriormente após solicitação da CAE. O estágio dos alunos é

co-orientado por docentes do mestrado.

No entanto não foram indicadas quais as normas para a avaliação e seleção dos elementos das instituições de estágio por forma a assegurar a qualidade dos estágios.

5.6. Pontos Fortes.

- Parcerias estratégicas com empresas na área do ciclo de estudos.

- Protocolos e atividades conjuntas com instituições de referência. - Pouca oferta formativa congénere na vertente apresentada.

5.7. Recomendações de melhoria.

- Incrementar a participação de especialistas das empresas e instituições no ciclo de estudos.

- Melhorar a divulgação do ciclo de estudos.

- Definição de um regulamento com as normas para a avaliação e seleção dos elementos das instituições de estágio responsáveis por acompanhar os estudantes.

(7)

6. Estudantes

6.1. Existe uma caracterização geral dos estudantes envolvidos no ciclo de estudos, incluindo o seu género, idade.

Sim

6.2. Verifica-se uma procura do ciclo de estudos por parte dos potenciais estudantes ao longo dos últimos 3 anos.

Em parte

6.3. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada.

Apenas 10% dos estudantes são do género feminino. A idade predominante dos estudantes (88%) é superior a 28 anos. O ciclo de estudos tem um total de 13 estudantes.

Os dados relativos à procura pelo ciclo de estudos, nos últimos três anos, mostra uma tendência de diminuição. Das 24 vagas oferecidas verifica-se nestes três anos, respetivamente: 14, 13 e 9

estudantes colocados.

6.4. Pontos Fortes. Nada a referir.

6.5. Recomendações de melhoria.

Desenvolver esforços de captação de candidatos. Dado haver pouca concorrência de ciclos de estudos nesta área, deverão ser identificados formas de publicitar e atrair estudantes fora da região de influência da instituição. Inclusivamente será de pensar em formas de atração de alunos

internacionais, principalmente dos países de língua Portuguesa.

7. Resultados Académicos e internacionalização

7.1. O sucesso académico da população discente é efetivo e facilmente mensurável. Em parte

7.2. O sucesso académico é semelhante para as diferentes áreas científicas e respetivas unidades curriculares.

Em parte

7.3. Os resultados da monitorização do sucesso escolar são utilizados para a definição de acções de melhoria no mesmo.

Sim

7.4. Não há evidência de dificuldades de empregabilidade dos graduados. Sim

7.5. Existe um nível significativo de internacionalização do ciclo de estudos. Não

7.6. Evidências que fundamentem a classificação de cumprimento assinalada. O ciclo de estudos não tem estudantes internacionais.

Existe uma diferença significativa entre o número de alunos que ingressam e os que finalizam o ciclo de estudos (nos últimos três anos formaram-se respetivamente: 6, 4 e 3). Não existe informação para efeitos de comparação do sucesso entre as diferentes áreas cientificas.

A monitorização do sucesso escolar é realizada pelo gabinete da qualidade, sendo os resultados debatidos com a coordenação de curso no sentido de implementar melhorias e refletir sobre estratégias para os optimizar.

(8)

7.7. Pontos Fortes. Nada a referir.

7.8. Recomendações de melhoria.

Intensificar esforços no sentido encontrar formas de aumentar o sucesso escolar e, consequentemente, o número de estudantes finalistas.

8. Observações

8.1. Observações: Para referência:

DL / DL - Decreto-Lei / Decree-Law DR / DR – Diário da República

RAA / SAR – Relatório de Auto Avaliação / Self Assessement Report FUC / CUF – Ficha de Unidade Curricular / Curricular Unit Form FD / TF – Ficha de Docente / Teacher Form

UC / CU – Unidade Curricular / Curricular Unit

CAE / EAC: Comissão de Avaliação Externa / External Assessment Comission CTC / TSC: Conselho Técnico-Científico / Technical-Scientific Council

CP / PC: Conselho Pedagógico / Pedagogical Council

8.2. Observações (PDF, máx. 100kB): <sem resposta>

9. Comentários às propostas de acções de melhoria

9.1. Comentários à análise SWOT e às propostas de ações de melhoria:

A análise SWOT está bem elaborada sendo referidos os principais pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e constrangimentos.

São propostas quatro de ações de melhoria do ciclo de estudos que têm em consideração alguns dos pontos fracos identificados.

A CAE concorda com as ações de melhoria propostas mas também sugere que outras ações de melhoria identificadas ao longo deste relatório possam também vir a ser implementadas no ciclo de estudos.

10. Conclusões

10.1. Recomendação final.

O ciclo de estudos deve ser acreditado condicionalmente 10.2. Período de acreditação condicional (se aplicável): 2

10.3. Condições (se aplicável):

- Incremento do número de publicações científicas na área do ciclo de estudos.

10.4. Fundamentação da recomendação:

(9)

ECTS e carga de trabalho e enquadra-se no projeto educativo, científico e cultural do Instituto Politécnico de Beja.

O ciclo de estudos dispõe de um corpo docente que cumpre os requisitos para ser considerado próprio, qualificado e especializado nas suas áreas de formação fundamentais. O corpo docente tem ligações a centros de investigação reconhecidos pela FCT. Existem vários projetos nacionais em parceria com o tecido empresarial e entidades públicas.

Identifica-se a necessidade de realização de esforços significativos no sentido de aumentar a atividade de investigação na área cientifica do ciclo de estudos e consequente incremento do número de publicações científicas.

Globalmente o ciclo de estudos tem condições para uma oferta de qualidade. O ciclo de estudos reúne, pois, condições para ser acreditado.

No entanto, deverão ser tomadas em devida consideração as recomendações para melhoria feitas ao longo do relatório.

Referências

Documentos relacionados

No caso dos produtos mais significativos em termos de emissões de GEE, a produção estimada em 2020 foi obtida diretamente com as empresas por meio da Abiquim, que informaram

I para o meio II, como mostra a figura, foi verificada uma mudança na direção de propagação das ondas. A velocidade de propagação da onda sísmica é maior em rochas mais

Por outras palavras, o eu - lírico feminino da cantiga de Airas Nunes, representado pela jovem e bela pastora (de bon parecer), bem como sua íntima relação com a

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS), divulga, semanalmente, um Boletim Epidemiológico Especial apresentando uma análise mais detalhada

Apesar da Associação caminhos de pedra atuar constantemente no intuito de preservar a paisagem cultural o mais íntegra possível, atualmente observa-se que nem a atividade

características desejadas. O potencial foi o fator que apresentou maior influência no processo. A aplicação da melhor condição experimental sobre o implante comercial de Ti

As atividades desempenhadas no Projeto Amar, enquanto organização não governamental, enquadram-se na característica de educação não formal, por estar

Embora o termo container seja usado para representar este ambiente controlado de execução, um container não é um objeto do sistema, sendo, na verdade, um conjunto de configurações