• Nenhum resultado encontrado

NOÇÕES DE DIREITO DO TRABALHO PROVA DE TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "NOÇÕES DE DIREITO DO TRABALHO PROVA DE TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA"

Copied!
12
0
0

Texto

(1)

NOÇÕES DE DIREITO DO TRABALHO – PROVA DE TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA

1. O liame que se estabelece entre o empregador e seu empregado possui natureza jurídica contratual. Conforme previsões contidas na Consolidação das Leis do Trabalho sobre o contrato individual de trabalho e os sujeitos que o compõem,

(A) considera-se empregado toda pessoa física ou jurídica que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante pagamento de valor fixo mensal. (B) diante do princípio da tutela ao trabalhador a lei prevê que o contrato somente será válido se

for acordado expressamente e por escrito.

(C) para configuração do contrato de trabalho distingue-se entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador e o executado no domicílio do empregado, ainda que presentes os pressupostos da relação de emprego.

(D) para fins de contratação, o empregador não exigirá do candidato a emprego comprovação de experiência prévia por tempo superior a seis meses no mesmo tipo de atividade.

(E) o contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais de um ano, admitindo-se, dentro deste prazo, até duas prorrogações, sob pena de passar a vigorar sem determinação de prazo.

Resposta: D

A, ERRADA. Não considera-se empregado pessoa jurídica. Considera-se

empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante salário – Art. 3 da CLT)

B, ERRADA. A lei prevê que o contrato somente será válido se for acordado expressamente e por escrito. O contrato individual de trabalho poderá ser acordado tácita ou expressamente, verbalmente ou por escrito, por prazo determinado ou indeterminado, ou para prestação de trabalho intermitente – Art. 443 da CLT).

C, ERRADA. Não se distingue entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador, o executado no domicílio do empregado e o realizado a distância, desde que estejam caracterizados os pressupostos da relação de emprego – Art. 6 da CLT.

D, CORRETA. Para fins de contratação, o empregador não exigirá do candidato a emprego comprovação de experiência prévia por tempo superior a 6 (seis) meses no mesmo tipo de atividade – Art. 442-A da CLT.

E, ERRADA. O contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser estipulado por mais de 2 (dois) anos, observada a regra do art. 451. O contrato de experiência não poderá exceder de 90 (noventa) dias. O contrato de trabalho por prazo determinado que, tácita ou expressamente, for prorrogado mais de uma vez passará a vigorar sem determinação de prazo.

2. O artigo 8o da Consolidação das Leis do Trabalho elenca algumas fontes subsidiárias ou supletivas do Direito do trabalho, NÃO se incluindo

(A) direito comparado. (B) jurisprudência. (C) analogia.

(D) usos e costumes.

(E) convenção coletiva de trabalho. Resposta: E

As autoridades administrativas e a Justiça do Trabalho, na falta de disposições legais ou contratuais, decidirão, conforme o caso, pela jurisprudência, por analogia, por eqüidade e outros princípios e normas gerais de direito, principalmente do direito do trabalho, e, ainda,

(2)

de acordo com os usos e costumes, o direito comparado, mas sempre de maneira que nenhum interesse de classe ou particular prevaleça sobre o interesse público – Art. 8 da CLT.

3. Sobre a situação do grupo econômico e a sucessão de empregadores, e suas implicações no contrato individual de trabalho, conforme dispositivos contidos na Consolidação das Leis do Trabalho:

(A) a mera identidade de sócios caracteriza o grupo econômico que gera a responsabilidade comum de todas as empresas deste grupo, havendo apenas a vinculação ao valor do capital social de cada empresa.

(B) a empresa principal será responsável subsidiária em relação às subordinadas em caso de formação de grupo econômico para os efeitos da relação de emprego.

(C) caracterizada a sucessão empresarial ou de empregadores, as obrigações trabalhistas contraídas à época em que os empregados trabalhavam para a empresa sucedida continuarão por conta desta empresa, não se transferindo para a responsabilidade do sucessor.

(D) se uma ou mais empresas estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, de forma a integrarem um grupo econômico, serão responsáveis solidariamente pelas obrigações decorrentes da relação de emprego.

(E) o sócio retirante responde subsidiariamente com os demais sócios quando ficar comprovada fraude na alteração societária decorrente de modificação do contrato.

Resposta: D

A, ERRADA. Não caracteriza grupo econômico a mera identidade de sócios, sendo necessárias, para a configuração do grupo, a demonstração do interesse integrado, a efetiva comunhão de interesses e a atuação conjunta das empresas dele integrantes - §3º do Art. 2º da CLT.

B, ERRADA. A responsabilidade é solidária. Sempre que uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade jurídica própria, estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, ou ainda quando, mesmo guardando cada uma sua autonomia, integrem grupo econômico, serão responsáveis solidariamente pelas obrigações decorrentes da relação de emprego -- §2º do Art. 2º da CLT.

C, ERRADA. As obrigações serão transferidas para o sucessor. Caracterizada a sucessão empresarial ou de empregadores prevista nos arts. 10 e 448 desta Consolidação, as obrigações trabalhistas, inclusive as contraídas à época em que os empregados trabalhavam para a empresa sucedida, são de responsabilidade do sucessor – Art. 448-A da CLT.

D, CORRETA. Sempre que uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade jurídica própria, estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, ou ainda quando, mesmo guardando cada uma sua autonomia, integrem grupo econômico, serão responsáveis solidariamente pelas obrigações decorrentes da relação de emprego. §2º do Art. 2º da CLT.

E, ERRADA. O sócio retirante responderá solidariamente com os demais quando ficar comprovada fraude na alteração societária decorrente da modificação do contrato – Art. 10-A, paragrafo único da CLT.

4. O requisito essencial previsto em lei para caracterizar uma relação como sendo de emprego e que não precisa se verificar em qualquer relação de trabalho é a

(A) exclusividade.

(B) ausência de onerosidade. (C) subordinação jurídica. (D) boa-fé contratual objetiva.

(3)

(E) autonomia privada coletiva.

Resposta: C

A subordinação jurídica é elemento essencial da relação de emprego mas não é elemento da relação de trabalho – Art. 3 da CLT.

5. Thor, na vigência do seu contrato de trabalho com a empresa Delta Produções, vem descumprindo regulamento da empresa que proíbe o ingresso de pessoas, exceto se protegidas por equipamentos de segurança, no laboratório da empresa. Tal deter- minação está afixada no portal de entrada do laboratório. Nessa situação, fica caracterizada a justa causa para rescisão do contrato pelo empregador na capitulação prevista na Consolidação das Leis do Trabalho como

(A) ato de improbidade. (B) desídia.

(C) injúria desleal.

(D) incontinência de conduta. (E) indisciplina.

Resposta: E

A, ERRADA. Improbidade é a conduta desonesta do empregado, que atenta contra o patrimônio

do empregador ou de terceiro.

B, ERRADA. Desídia é preguiça, desleixo, falta de zelo para com o serviço. O empregado que assim age descumpre seu dever contratual, dando ensejo à justa causa.

C, ERRADA. Injuírida desleal não é tipificada como falta grave, o que é tipificado é ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem; ou ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem – Art. 482, j e K da CLT.

D) ERRADA. Incontinência de conduta é ato abusivo de cunho sexual, que atinge a moralidade de outrem (empregador, colega de trabalho etc.).

E, CORRETA. A inobservância das normas de segurança e a recusa quanto ao uso de equipamentos de proteção também é falta grave tipificada no Art. 158, parágrafo único c/c Art. art. 482, h, CLT.

6. Interrupção e suspensão do contrato empregatício são institutos que tratam da sustação, restrita ou ampliada, dos efeitos contra- tuais durante certo lapso temporal. Assim, enquadram-se como modalidades de interrupção e suspensão, respectivamente:

(A) afastamento por doença até o 15o dia; aposentadoria por invalidez.

(B) descanso semanal remunerado e depoimento como testemunha judicial ao tempo que for necessário.

(C) qualificação profissional para participação do empregado promovido pelo empregador; férias anuais.

(D) dias em que estiver realizando exame vestibular para ingresso no ensino superior; licença paternidade.

(E) encargo público não obrigatório; doação de sangue voluntária por um dia a cada 12 meses.

Resposta: A

A, CORRETA (Nos 15 primeiros dias de qualquer licença médica ocorre a interrupção do contrato de trabalho, ou seja, os dias são remunerados pelo empregador (mas não incide

(4)

contribuição previdenciária sobre o período, segundo o STJ). A contar do 16º dia da licença, o contrato passa a ficar suspenso, pois o INSS assume o encargo, mediante o pagamento de um benefício previdenciário (auxílio-doença ou auxílio-doença acidentário). O prazo de 15 dias, depois de muita confusão, gerada pela MP 664/2014, foi restabelecido pela Lei 13.135/2015. Aposentadoria por invalidez é causa de suspensão do contrato de trabalho – OJ 375 da SDI-1)

B, ERRADA (depoimento como testemunha judicial ao tempo que for necessário é causa de interrupção do contrato de trabalho – VIII do Art. 473 da CLT).

C, ERRADA (qualificação profissional para participação do empregado promovido pelo empregador e causa de suspensão –Art. 476-A, §4º da CLT; férias anuais é causa de interrupção - art. 130, 145, da CLT e Súmula 450 TST).

D, ERRADA (licença paternidade é causa de interrupção do contrato de trabalho – Art. 473, III da CLT).

E, ERRADA (encargo público não obrigatório é causa de suspesão do contrato de trabalho – Art. 472 da CLT e Art. 10 da CF. Doação de sangue voluntária por um dia a cada 12 meses é causa de interrupção – IV do Art. 473 da CLT)

7. Em relação ao instituto jurídico denominado aviso prévio, as normas da Consolidação das Leis do Trabalho estipulam que

(A) a parte que, sem justo motivo, quiser rescindir o contrato por prazo determinado, deverá avisar a outra da sua resolução com a antecedência mínima de 30 dias.

(B) o horário normal de trabalho do empregado, durante o prazo do aviso e se a rescisão tiver sido promovida pelo empre- gador, será reduzido de duas horas diárias, sem prejuízo do salário integral.

(C) será proporcional pela metade na despedida indireta, salvo se houver ajuste em contrário. (D) a falta do aviso prévio por parte do empregador dá ao empregado o direito aos salários

correspondentes ao prazo do aviso, sem a integração do período no seu tempo de serviço. (E) o empregado que cometer falta grave por desídia, considerada como justa para a rescisão,

durante o prazo do aviso prévio, não perde o direito ao restante do respectivo prazo. Resposta: B

A, ERRADA (Não se aplica aviso prévio aos contratos por prazo determinado. Não havendo prazo estipulado é que a parte que, sem justo motivo, quiser rescindir o contrato deverá avisar a outra da sua resolução com a antecedência mínima de trinta dias aos que perceberem por quinzena ou mês, ou que tenham mais de 12 (doze) meses de serviço na empresa – Art. 487 da CLT)

B, CORRETA (É facultado ao empregado trabalhar sem a redução das 2 (duas) horas diárias previstas neste artigo, caso em que poderá faltar ao serviço, sem prejuízo do salário integral, por 1 (um) dia, na hipótese do inciso l, e por 7 (sete) dias corridos, na hipótese do inciso lI do art. 487 desta Consolidação - Art. 488, parágrafo único da CLT)

C, ERRADA (É devido o aviso prévio na despedida indireta, de igual forma da dispensa imotivada -§4º do Art. 487 da CLT).

D, ERRADA. A falta do aviso prévio por parte do empregador dá ao empregado o direito aos salários correspondentes ao prazo do aviso, garantida sempre a integração desse período no seu tempo de serviço – Art. 487 §1º da CLT.

E, ERRADA (O empregado que, durante o prazo do aviso prévio, cometer qualquer das faltas consideradas pela lei como justas para a rescisão, perde o direito ao restante do respectivo prazo – Art. 491 da CLT)

(5)

estabilidade no emprego

(A) da concepção até cento e vinte dias após o parto.

(B) da confirmação da gravidez até cento e oitenta dias após o parto. (C) da confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.

(D) da comunicação da gravidez ao empregador até sete meses após o parto.

(E) de treze meses, considerada a licença de cento e vinte dias somada com nove meses de gestação.

Resposta: C

Fica vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto - art. 10, inciso II, alínea "b", do Ato das Disposições Constitucionais.

9. Em consonância com o regramento contido na Consolidação das Leis do Trabalho, (A) categoria econômica é aquela constituída da similitude de condições de vida oriunda da

profissão ou trabalho em comum, em situação de emprego na mesma atividade econômica ou em atividades econômicas similares ou conexas.

(B) constitui objeto ilícito de convenção coletiva ou de acordo coletivo de trabalho, exclusivamente, a supressão ou a redução ao direito de igualdade jurídica entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso.

(C) categoria profissional diferenciada é aquela que se forma da solidariedade de interesses econômicos dos que empreendem atividades idênticas, similares ou conexas.

(D) a contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional, ou de uma profissão liberal, em favor do Sindicato representativo da mesma categoria ou profissão.

(E) as condições estabelecidas em convenção coletiva de trabalho, quando mais favoráveis, prevalecerão sobre as estipuladas em acordo coletivo de trabalho.

Resposta: B

A, ERRADA (A similitude de condições de vida oriunda da profissão ou trabalho em comum, em situação de emprego na mesma atividade econômica ou em atividades econômicas similares ou conexas, compõe a expressão social elementar compreendida como categoria profissional e não econcômica como reporta a alternativa - §2º do Art. 511 da CLT).

B, CORRETA (Segundo o Caput do Art. 611-B constituem objeto ilícito de convenção coletiva ou de acordo coletivo de trabalho, exclusivamente, a supressão ou a redução dos seguintes direitos: XXV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso). O problema da alternativa é que a banca ao utilizar a letra fria da lei, manteve a palavra exclusivamente mas trouxe apenas um das possibilidades que estão elencadas no referido artigo, motivo pelo qual a questão seja passível de recurso.

C, ERRADA (A solidariedade de interesses econômicos dos que empreendem atividades idênticas, similares ou conexas, constitue o vínculo social básico que se denomina categoria econômica e não de categoria profissional diferenciada, pois a luz da Lei a categoria profissional diferenciada é a que se forma dos empregados que exerçam profissões ou funções diferenciadas por força de estatuto profissional especial ou em consequência de condições de vida singulares - §§2º e 3º do Art. 511 da CLT).

D, ERRADA (As condições estabelecidas em acordo coletivo de trabalho sempre prevalecerão sobre as estipuladas em convenção coletiva de trabalho – Art. 620 da CLT). E, ERRADA. As condições estabelecidas em acordo coletivo de trabalho sempre prevalecerão sobre as estipuladas em convenção coletiva de trabalho – Art. 620 da CLT.

(6)

NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

10. Conforme previsão constitucional, o Tribunal Superior do Trabalho será composto por, (A) 17 ministros, com mais de 35 anos e menos de 65 anos, sendo 1/5 dentre advogados com mais de 10 anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de 10 anos de efetivo exercício.

(B) 27 ministros, com mais de 35 anos e menos de 65 anos, sendo 1/5 dentre advogados com mais de 10 anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de 10 anos de efetivo exercício.

(C) 11 ministros, com mais de 30 anos e menos de 70 anos, sendo 1/3 dentre advogados com mais de 5 anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de 5 anos de efetivo exercício.

(D) 27 ministros, com mais de 30 anos e menos de 65 anos, sendo 1/5 dentre advogados com mais de 5 anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de 5 anos de efetivo exercício.

(E) 27 ministros, com mais de 35 anos e menos de 70 anos, sendo 1/3 dentre advogados com mais de 10 anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de 10 anos de efetivo exercício.

Resposta: B

Segundo o Art. 111-A da CF “O Tribunal Superior do Trabalho compor-se-á de vinte e sete Ministros, escolhidos dentre brasileiros com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e cinco anos, de notável saber jurídico e reputação ilibada, nomeados pelo Presidente da República após aprovação pela maioria absoluta do Senado Federal, sendo: I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo exercício, observado o disposto no art. 94; II os demais dentre juízes dos Tribunais Regionais do Trabalho, oriundos da magistratura da carreira, indicados pelo próprio Tribunal Superior.

11. Conforme previsões legais sobre a organização, jurisdição, competência das Varas do Trabalho e os serviços auxiliares da Justiça do Trabalho,

(A) como regra geral, a competência das Varas do Trabalho é determinada pela localidade onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda que tenha sido contratado noutro local ou no estrangeiro.

(B) cada Vara do Trabalho será composta por um juiz do trabalho, que será seu Presidente, e dois juízes classistas, sendo um representante dos empregadores e outro dos empregados. (C) não compete à Vara do Trabalho o julgamento dos dissídios resultantes de contratos de

empreitadas em que o empreiteiro seja operário ou artífice.

(D) nas localidades em que existir mais de uma Vara do Trabalho, haverá um distribuidor, designado pelo juiz mais antigo do Fórum, exclusivamente dentre o quadro de oficiais de justiça do Tribunal Regional.

(E) a lei criará Varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas não abrangidas por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito, cabendo recurso de suas decisões para o respectivo Tribunal de Justiça.

(7)

Resposta: A

A, CORRETA. A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento é determinada pela localidade onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda que tenha sido contratado noutro local ou no estrangeiro (Art. 651 da CLT)

B, ERRADA. Nas Varas do Trabalho, a jurisdição será exercida por um juiz singular. (Art. 116 da CF).

C, ERRADA. Compete às Varas do Trabalho os dissídios resultantes de contratos de empreitadas em que o empreiteiro seja operário ou artífice (§3º do Art. 652 da CLT).

D, ERRADA. Os distribuidores são designados pelo Presidente do Tribunal Regional dentre os funcionários das Juntas e do Tribunal Regional, existentes na mesma localidade, e ao mesmo Presidente diretamente subordinados (Art. 713 e 715 da CLT)

E, ERRADA. A lei criará varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas não abrangidas por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito, com recurso para o respectivo Tribunal Regional do T rabalho. (Art. 112 da CF)

(8)

12. O advogado Hermes pretende utilizar uma medida processual que não está prevista na Consolidação das Leis do Trabalho para defender os interesses da empresa reclamada em uma reclamação trabalhista. Nessa situação,

(A) não poderá utilizar desta medida porque a Consolidação das Leis do Trabalho apresenta todas as regras do processo do trabalho.

(B) somente poderia se valer de medida processual estranha à Consolidação das Leis do Trabalho se estivesse na defesa dos interesses do empregado, em face do princípio da proteção ao trabalhador.

(C) poderia utilizar de medida processual prevista no Código de Processo Civil apenas na fase de execução da sentença, porque na fase de conhecimento deve se valer apenas das regras contidas na lei processual trabalhista.

(D) nos casos omissos, o direito processual comum será fonte subsidiária do direito processual do trabalho, exceto naquilo em que for incompatível com as normas do processo judiciário do trabalho.

(E) poderá utilizar de qualquer regra do direito processual comum, porque este tem preferência em sua aplicação sobre as normas processuais trabalhistas, por serem normas de maior amplitude. Resposta D

A questão trata sobre fonte subisidiária/supletiva do Processo do trabalho, a regra aplicavel no processo de conhecimento está disposta no Art. 769 que estabalece “Nos casos omissos, o direito processual comum será fonte subsidiária do direito processual do trabalho, exceto naquilo em que for incompatível com as normas deste Título”, já na fase de execução deve ser observado o disposto no Art. 889 da CLT que determina “ Art. Aos trâmites e incidentes do processo da execução são aplicáveis, naquilo em que não contravierem ao presente Título, os preceitos que regem o processo dos executivos fiscais para a cobrança judicial da dívida ativa da Fazenda Pública Federal.”

13. A padaria Doces Sonhos foi acionada em uma reclamação trabalhista por seu ex-empregado Zeus, que postulou por pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais). Na audiência UNA realizada,

(A) as partes deverão comparecer, acompanhadas dos respectivos advogados, sob pena de adiamento para outra sessão.

(B) ausente a parte reclamada, ainda que presente o seu advogado na audiência, não serão aceitos a contestação e os documentos eventualmente apresentados, sendo aplicada a revelia.

(C) é permitido ao empregador fazer-se substituir pelo gerente, ou qualquer outro preposto que, não precisa ser empregado da parte reclamada, tenha conhecimento do fato e cujas declarações obrigarão o proponente.

(D) caso o juiz não tenha comparecido até trinta minutos após a hora marcada, os presentes poderão retirar-se, aguardando a designação de nova audiência.

(E) o juiz manterá a ordem nas audiências, mas não pode mandar retirar do recinto os assistentes que a perturbarem em razão da publicidade das audiências dos órgãos da Justiça do Trabalho. Resposta C

A, ERRADA. Trata-se de procedimento do rito sumário (até 2 salários minímos) e mesmo se não fosse os empregados ou empregadores reclamarem pessoalmente (Art. 4º da Lei Lei nº 5.584/70 e Art. 791 da CLT.

B, ERRADA. A revelia não produz o efeito quando ainda que ausente o reclamado, presente o advogado na audiência, serão aceitos a contestação e os documentos eventualmente apresentados (Art. 844, §5º da CLT)

(9)

C, CORRETA. É facultado ao empregador fazer-se substituir pelo gerente, ou qualquer outro preposto que tenha conhecimento do fato, e cujas declarações obrigarão o proponente e o preposto não precisa ser empregado da parte reclamada (Art. 843, §§1º e 3º da CLT)

D, ERRADA. Se, até 15 (quinze) minutos após a hora marcada, o juiz ou presidente não houver comparecido, os presentes poderão retirar-se, devendo o ocorrido constar do livro de registro das audiências (Parágrafo único do Art. 815 da CLT)

E, ERRADA. O juiz ou presidente manterá a ordem nas audiências, podendo mandar retirar do recinto os assistentes que a perturbarem. (Art. 816 da CLT)

14. Conforme previsões contidas na Consolidação das Leis do Trabalho, em relação aos dissídios individuais trabalhistas que trami- tam pelo rito sumaríssimo,

(A) o valor da causa não pode exceder a vinte vezes o salário mínimo nacional vigente na data da primeira audiência.

(B) incumbe ao autor a correta indicação do nome e endereço do reclamado, devendo ser feita a citação por edital, se não houver essa indicação.

(C) serão decididos, em cinco dias, todos os incidentes e exceções que possam interferir no prosseguimento da audiência e do processo, sendo que as demais questões serão resolvidas na sentença.

(D) estão excluídas do procedimento sumaríssimo as demandas em que é parte a Administração pública direta, autárquica e fundacional.

(E) as testemunhas, até o máximo de três para cada parte, como regra, serão intimadas para comparecer em audiência.

Resposta D

A, ERRADA. Os dissídios individuais cujo valor não exceda a quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento da reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo. (Art. 852-A da CLT).

B, ERRADA. Não se fará citação por edital, incumbindo ao autor a correta indicação do nome e endereço do reclamado (Art. 852-B, II da CLT).

C, ERRADA. Serão decididos, de plano, todos os incidentes e exceções que possam interferir no prosseguimento da audiência e do processo. As demais questões serão decididas na sentença. (Art. 852-G da CLT)

D, CORRETA. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as demandas em que é parte a Administração Pública direta, autárquica e fundacional. (Parágrafo único do Art. 852-A da CLT) E, ERRADA. As testemunhas, até o máximo de duas para cada parte, comparecerão à audiência de instrução e julgamento independentemente de intimação. (§2º do Art. 852-H da CLT)

15. Conforme normas aplicáveis à produção das provas nas reclamatórias trabalhistas que tramitam pelo rito ordinário, NÃO é correto afirmar que

(A) cada uma das partes não poderá indicar mais de cinco testemunhas, salvo quando se tratar de inquérito para apuração de falta grave, caso em que esse número poderá ser elevado a seis. (B) como regra, o ônus da prova incumbe ao reclamado, quanto à existência de fato impeditivo,

modificativo ou extintivo do direito do reclamante.

(C) o depoimento das partes e testemunhas que não souberem falar a língua nacional será feito por meio de intérprete nomeado pelo juiz.

(10)

requisitado ao chefe da repartição seu comparecimento à audiência marcada.

(E) o documento em cópia oferecido para prova poderá ser declarado autêntico pelo próprio advogado, sob sua responsabilidade pessoal.

Resposta A - Destaco que o enunciado procura a afirmativa que não está correta

A, CORRETO. No rito ordinário cada uma das partes não poderá indicar mais de 3 (três) testemunhas, salvo quando se tratar de inquérito, caso em que esse número poderá ser elevado a 6 (seis) (Art. 821 da CLT)

B, ERRADA. Ao reclamado, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo ou extintivo do direito do reclamante (Art. 818, II da CLT).

C, ERRADA. O depoimento das partes e testemunhas que não souberem falar a língua nacional será feito por meio de intérprete nomeado pelo juiz ou presidente (Art. 819 da CLT)

D, ERRADA. Se a testemunha for funcionário civil ou militar, e tiver de depor em hora de serviço, será requisitada ao chefe da repartição para comparecer à audiência marcada (Art. 823 da CLT) E, ERRADA. O documento em cópia oferecido para prova poderá ser declarado autêntico pelo próprio advogado, sob sua responsabilidade pessoal (Art. 830 da CLT)

16. Diana ajuizou reclamação trabalhista requerendo o pagamento de horas extras sonegadas por sua empregadora Empresa Delta Confecções. A sentença julgou procedente seu pedido. Inconformada com a decisão de primeiro grau, a reclamada resolveu recorrer. Entretanto, não efetuou o depósito recursal e não recolheu as custas processuais devidas, razão pela qual, por falta de preparo, o seu recurso não obteve processamento. Nesta situação, o recurso cabível para a reclamada é

(A) embargos declaratórios, em 5 dias. (B) agravo de instrumento, em 8 dias. (C) agravo de petição, em 8 dias. (D) recurso ordinário, em 15 dias. (E) agravo de instrumento, em 5 dias.

Resposta B

A, ERRADA, Caberão embargos de declaração da sentença ou acórdão, no prazo de cinco dias, devendo seu julgamento ocorrer na primeira audiência ou sessão subseqüente a sua apresentação, registrado na certidão, admitido efeito modificativo da decisão nos casos de omissão e contradição no julgado e manifesto equívoco no exame dos pressupostos extrínsecos do recurso. (Art. 897-A da CLT)

B, CORRETA. Cabe agravo de instrumento, no prazo de 8 (oito) dias, dos despachos que denegarem a interposição de recursos (Art. 897, b da CLT).

C, ERRADA. Cabe agravo de petição, no prazo de 8 (oito) dias, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execução (Art. 897, a da CLT).

D, ERRADA. Cabe recurso ordinário para a instância superior: I - das decisões definitivas ou terminativas das Varas e Juízos, no prazo de 8 (oito) dias; e II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais, em processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito) dias, quer nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos (Art. 895, I e II da CLT) E, ERRADA. Cabe agravo de instrumento, no prazo de 8 (oito) dias, dos despachos que denegarem a interposição de recursos (Art. 897, b da CLT)

(11)

17. Em relação à execução trabalhista, conforme legislação vigente,

(A) será promovida pelas partes, permitida a atuação de ofício do Juiz, ainda que as partes estejam assistidas por advogado.

(B) requerida a execução, o Juiz mandará expedir mandado de citação do executado, a fim de que proceda ao pagamento em dinheiro, inclusive de contribuições sociais devidas à União, em cinco dias, ou garanta a execução, sob pena de penhora.

(C) garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado prazo de quinze dias para apresentar embargos, cabendo igual prazo ao exequente para impugnação.

(D) a matéria de defesa em embargos à execução será restrita às alegações de cumprimento da decisão ou do acordo, quitação ou prescrição da dívida, não cabendo produção de prova testemunhal em audiência.

(E) o executado que não pagar a importância reclamada poderá garantir a execução mediante depósito da quantia correspondente, atualizada e acrescida das despesas processuais, apresentação de seguro-garantia judicial ou nomeação de bens à penhora, observada a ordem preferencial estabelecida na lei processual civil.

Resposta: E

A, ERRADA. A execução será promovida pelas partes, permitida a execução de ofício pelo juiz ou pelo Presidente do Tribunal apenas nos casos em que as partes não estiverem representadas por advogado (Art. 878 da CLT)

B, ERRADA.

Requerida a execução, o juiz ou presidente do tribunal mandará expedir mandado de citação d o executado, a fim de que cumpra a decisão ou o acordo no prazo, pelo modo e sob as comina ções estabelecidas ou,quando se tratar de pagamento em dinheiro, inclusive de contribuições s ociais devidas à União, para que o faça em 48 (quarenta e oito) horas ou garanta a execução, s ob pena de penhora. (Art. 880 da CLT)

C, ERRADA. Garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado 5 (cinco) dias para apresentar embargos, cabendo igual prazo ao exeqüente para impugnação. (Art. 884 da CLT). D, ERRADA. A matéria de defesa será restrita às alegações de cumprimento da decisão ou do acordo, quitação ou prescrição da divida. (§1º do Art. 884 da CLT).

E, CORRETA. O executado que não pagar a importância reclamada poderá garantir a execução mediante depósito da quantia correspondente, atualizada e acrescida das despesas processuais, apresentação de seguro-garantia judicial ou nomeação de bens à penhora, observada a ordem preferencial estabelecida no art. 835 da Lei no 13.105, de 16 de março de 2015 - Código de Processo Civil. (Art. 882 da CLT)

18. Quanto ao processo do trabalho, conforme jurisprudência sumulada do Tribunal Superior do Trabalho,

(A) a homologação de acordo não constitui faculdade do juiz, havendo direito líquido e certo tutelável pela via do Mandado de segurança, caso o juiz não homologue.

(B) se a intimação tiver lugar na sexta-feira, o prazo judicial será contado da segunda-feira imediata, inclusive, salvo se não houver expediente, caso em que fluirá no dia útil que se seguir.

(12)

(C) o jus postulandi das partes, estabelecido na CLT, estende-se a todas as ações propostas perante as Varas do Trabalho, os Tribunais Regionais do Trabalho e o Tribunal Superior do Trabalho.

(D) a reclamada, ausente à audiência em que deveria apresentar defesa, é revel, salvo se estiver presente seu advogado, munido de procuração.

(E) na Justiça do Trabalho, conforme previsão contida na CLT, as decisões interlocutórias ensejam recurso imediato, em qualquer situação.

Resposta: B

A, ERRADA. A homologação de acordo constitui faculdade do juiz, inexistindo direito líquido e certo tutelável pela via do mandado de segurança.

B, CORRETA. Quando a intimação tiver lugar na sexta-feira, ou a publicação com efeito de

intimação for feita nesse dia, o prazo judicial será contado da segunda-feira imediata, inclusive, salvo se não houver expediente, caso em que fluirá do dia útil que se seguir Súmula 1 do TST. Os prazos estabelecidos neste Título serão contados em dias úteis, com exclusão do dia do começo e inclusão do dia do vencimento (Art. 715 da CLT.

C, ERRADA. O jus postulandi das partes, estabelecido no art. 791 da CLT, limita-se às Varas do Trabalho e aos Tribunais Regionais do Trabalho, não alcançando a ação rescisória, a ação cautelar, o mandado de segurança e os recursos de competência do Tribunal Superior do Trabalho (Súmula 425 do TST), destaco ainda que a Reforma trabalhista trouxe uma nova exceção ao jus postulandi, trata-se de ação de homologação de acordo extrajudicial, estabelecida no Art. 855-B da CLT).

D, ERRADA. Exige-se a apresentação da contestação. A revelia não produz o efeito ainda

que ausente o reclamado, presente o advogado na audiência, serão aceitos a contestação e os documentos eventualmente apresentados (§5º do Art. 844 da CLT).

E, ERRADA. Na Justiça do Trabalho, nos termos do art. 893 , § 1º , da CLT ,

as decisões interlocutórias não ensejam recurso imediato – trata-se do O princípio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias.

Referências

Documentos relacionados

Os resultados médios das cinco dimensões de motivação aqui testadas – divertimento, competência, aparência, fatores sociais e saúde – foram todos superiores as cinco, o

Para evitar danos ao equipamento, não gire a antena abaixo da linha imaginária de 180° em relação à base do equipamento.. TP400 WirelessHART TM - Manual de Instrução, Operação

A variável em causa pretende representar o elemento do modelo que se associa às competências TIC. Ainda que o Plano Tecnológico da Educação preveja a conclusão da

Dos docentes respondentes, 62,5% conhe- cem e se sentem atendidos pelo plano de carreira docente e pelo programa de capacitação docente da instituição (que oferece bolsas de

Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo realizar testes de tração mecânica e de trilhamento elétrico nos dois polímeros mais utilizados na impressão

Na elaboração da pesquisa foi preciso ir à escola duas vezes, uma para entrar em contato com a direção, explicar o meu objetivo e combinar a coleta de dados e outra vez para fazer

No primeiro, destacam-se as percepções que as cuidadoras possuem sobre o hospital psiquiátrico e os cuidados com seus familiares durante o internamento; no segundo, evidencia-se

Dentro deste grupo de produtos, os mais utilizados são os alcalino-clorados, embora a tendência dos últimos anos passe pelo abandono progressivo desta solução, assim como de todos